SISTEMAS DE CLASSIFICAÇÃO Sistemática dos seres vivos Unidade 8
Sistemas de classificação
Classificações práticas Fungos venenosos Fungos  não venenosos
Classificações artificiais Animais   que   voam Animais que não voam Casal de marmotas Esquilo - comum Cavalos Arara Casal...
Sistemas de classificação
<ul><li>No período que se estende desde a Grécia Antiga até ao século XVIII, e no qual se inclui o trabalho de Lineu, as c...
Sistemas de classificação Classificação de Lineu (Segundo Singer, 1931) Coração com 1 ou 2 ventrículos e 2 aurículas; sang...
Lineu  1707-1778 <ul><li>Botânico e zoólogo sueco, nasceu em 1707, em Rashult, e morreu em 1778, em Uppsala. Elaborou uma ...
Tipos de classificações
<ul><li>A tendência para utilizar um número crescente de características no processo de classificação conduziu ao aparecim...
Classificações filogenéticas <ul><li>O desenvolvimento das ideias evolucionistas veio reflectir-se sobre os sistemas de cl...
 
Classificações fenéticas <ul><li>Permitem a identificação rápida de um organismo, sem se preocuparem com as suas relações ...
Classificações fenéticas
Classificações filéticas <ul><li>Aqui são realçadas as relações evolutivas e a filogenia, o aspecto morfológico reverte pa...
 
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

1.Sistemas de Classificação

20,300

Published on

Published in: Travel, Technology
0 Comments
15 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
20,300
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
15
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

1.Sistemas de Classificação

  1. 1. SISTEMAS DE CLASSIFICAÇÃO Sistemática dos seres vivos Unidade 8
  2. 2. Sistemas de classificação
  3. 3. Classificações práticas Fungos venenosos Fungos não venenosos
  4. 4. Classificações artificiais Animais que voam Animais que não voam Casal de marmotas Esquilo - comum Cavalos Arara Casal de Grous Borboleta
  5. 5. Sistemas de classificação
  6. 6. <ul><li>No período que se estende desde a Grécia Antiga até ao século XVIII, e no qual se inclui o trabalho de Lineu, as classificações racionais baseavam-se num reduzido número de características, sendo por isso designadas por classificações artificiais . </li></ul>
  7. 7. Sistemas de classificação Classificação de Lineu (Segundo Singer, 1931) Coração com 1 ou 2 ventrículos e 2 aurículas; sangue quente e vermelho Vivíparos Mamíferos Ovíparos Aves Coração com 1 ventrículo e 1 ou 2 aurículas; sangue frio e vermelho Respiração pulmonar Répteis Respiração branquial Peixes Coração com 1 ventrículo e sem aurícula; sangue frio e incolor Com antenas Insectos Com tentáculos Vermes
  8. 8. Lineu 1707-1778 <ul><li>Botânico e zoólogo sueco, nasceu em 1707, em Rashult, e morreu em 1778, em Uppsala. Elaborou uma nomenclatura binominal (géneros e espécies). Das suas viagens pelo norte da Escandinávia trouxe para o conhecimento científico mais de 100 espécies vegetais e muitas observações de outros ramos das ciências naturais. As suas obras mais importantes foram Fundamenta Botanica (1736), Genera Plantarum (1737), Classes Pantarum (1738), sendo que a que lhe deu celebridade foi Systema Naturae (1735). Na 10ª edição de Systema Naturae (1758), estabeleceu uma classificação de todo o reino animal: mamíferos (incluindo o homem), aves, anfíbios, peixes, insectos e vermes. Para além de classificar animais e plantas, Lineu catalogou também minerais. Os seus discípulos muito contribuíram para o conhecimento da flora e da fauna dos continentes porque acompanhavam as viagens dos navegadores e exploradores do século XVIII e XIX. </li></ul><ul><li>Carl Lineu. In Infopédia [Em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2006. [Consult. 2006-01-16]. </li></ul>
  9. 9. Tipos de classificações
  10. 10. <ul><li>A tendência para utilizar um número crescente de características no processo de classificação conduziu ao aparecimento das classificações naturais. </li></ul><ul><li>Estes tipos de classificação vigoraram num período fixista, privilegiando-se as características estruturais dos organismos não consideram a evolução nem o factor tempo que lhes está associado. </li></ul><ul><li>São por isso designadas de classificações horizontais , devido ao seu carácter estático. </li></ul>
  11. 11. Classificações filogenéticas <ul><li>O desenvolvimento das ideias evolucionistas veio reflectir-se sobre os sistemas de classificação. Os seres vivos passaram a ser classificados não apenas de acordo com a sua afinidade estrutural e morfológica, mas também de acordo com a sua história evolutiva. </li></ul>
  12. 13. Classificações fenéticas <ul><li>Permitem a identificação rápida de um organismo, sem se preocuparem com as suas relações de parentesco. </li></ul><ul><li>Este tipo de classificação privilegia os caracteres directamente observáveis ou morfológicos . O taxonomista deve, portanto, descrever primeiro o organismo, recorrendo ao máximo de características que puder. </li></ul><ul><li>Na classificação fenética não existe a preocupação de reconstruir a história evolutiva dos grupos, não sendo considerado o factor tempo – classificação estática ou horizontal. </li></ul>
  13. 14. Classificações fenéticas
  14. 15. Classificações filéticas <ul><li>Aqui são realçadas as relações evolutivas e a filogenia, o aspecto morfológico reverte para segundo plano. </li></ul><ul><li>A escola cladista dá ênfase às características derivadas e exprime as relações filogenéticas através de diagramas designados por cladogramas. </li></ul><ul><li>A classificação evolutiva clássica tenta conciliar a classificação fenética e a classificação cladística, considerando não só as relações evolutivas mas também os critérios morfológicos. </li></ul><ul><li>Assim, examina o maior número possível de caracteres e determina as suas semelhanças e diferenças, de modo a identificar as relações filogenéticas. </li></ul>

×