C:\Fakepath\Referencias

681 views
629 views

Published on

Published in: Art & Photos
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
681
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
123
Actions
Shares
0
Downloads
20
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

C:\Fakepath\Referencias

  1. 1. Centro Universitário Central Paulista –UNICEP ARQUITETURA E URBANISMO São Carlos –SP 2010 COMPLEXO ESCOLA DE GASTRONOMIA Requalificação de Espaço Degradado REFERÊNCIAS PROJETUAIS
  2. 2. Referencia - KKKK – Registro SP Leitura de Projeto - KKKK Interligando os blocos, uma laje de concreto sobre pilares e uma marquise delgada atirantada citam e recuperam a função da circulação original em avarandado de telhas. O desenho da marquise e a escultura em aço encomendada a artista Tomie Ohtake – gigantesca arvore batizada de Guaracuí, símbolo da cidade enquanto existiu – constituem duas marcas artísticas contemporâneas do projeto Os 4 galpões constituem na verdade dois grandes espaços, ao mesmo tempo unidos e separados por um corredor-jardim fechado com treliças de madeira nas fachadas. As paredes de alvenaria portante de tijolos, com seus arcos estruturais aparentes, foram restauradas, mantendo-se as coberturas de telhas de barro sobre tesouras de madeira apoiadas em colunas de aço. A luz natural penetra pelas únicas aberturas originais – semicírculos de ferro e vidro nas bandeiras das portas de correr – e por faixas de telhas transparentes introduzidas na cobertura. O Guaracuí , árvore-simbolo da antiga Registro; Escultura de Tomie Ohtake.
  3. 3. Referencia - KKKK – Registro SP O edifício de três pavimentos, que abriga o Memorial, também teve seus tijolos e cobertura originais restaurados. A estreita escada de madeira central que une os pisos foi recuperada e o edifício recebeu, externamente acoplado a fachada, um prisma vermelho que abriga o elevador de serviço.
  4. 4. Referencia - KKKK – Registro SP Um cubo em alvenaria caiado de branco, acomoda o teatro. Em linguagem simples e distinta aos outros edifícios ele não agride, não confunde, mas mantém alinhamento e escala. A harmonia entre os prédios antigos e o novo prédio
  5. 5. Referencia - KKKK – Registro SP O palco do teatro é reversível e pode ser utilizado para eventos tanto dentro como fora do auditório, no gramado. Em linguagem simples e geométrica o teatro diferencia-se, mas mantém alinhamento e escala em relação aos outros edifícios. O palco do novo prédio do teatro enquadra como uma paisagem os antigos edifícios recuperados.
  6. 6. Referencia - KKKK – Registro SP Os galpões foram construídos utilizando de tipologia Industrial, alvenaria em tijolo aparente Vista aérea do conjunto localizado as margens do rio Ribeira Conjunto KKKK – Vale do Rio Ribeira – Registro SP
  7. 7. Referencia - Escola de Gastronomia Águas de S. Pedro -SP O prédio que abriga parte da escola de gastronomia do hotel-escola do Senac, na cidade turística de Águas de São Pedro, é o mais novo de um complexo formado por construções de épocas e autores distintos. A necessidade de um espaço adequado para o ensino de gastronomia e hotelaria levou o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac) a construir o edifício, também utilizado para cursos de curta duração. O edifício tomou emprestado dos volumes lindeiros, alguns dos quais desenhados por Chahin e Mônica Drucker, uma série de elementos, como o revestimento de pedra do tipo canjiquinha , os brises e as escadas externas das extremidades, entre outros. Segundo Pedreira de Freitas, essa colagem tem a intenção de “ integrar e harmonizar o conjunto ”. Escola de Gastronomia do SENAC – Projeto M/PA Pedreira de Freitas Arquitetos Localização: Águas de São Pedro - SP Obra: 2001/2002
  8. 8. Referencia - Escola de Gastronomia Águas de S. Pedro -SP O novo edifício ao centro, mantém paralelismo com os edifícios vizinhos A fachada orientada para o nascente é protegida por brise de metal A face voltada para o poente é protegida por marquise metálica Na extremidade norte, uma pequena praça é utilizada como ponto de encontro Grandes coifas marcam o laboratório de cozinha Interior do laboratório de confeitaria/padaria
  9. 9. Referencia - Escola de Gastronomia Águas de S. Pedro -SP No pavimento inferior , que possui largura menor do que o outro, estão o vestiário, duas salas de aulas (uma delas utilizada para lições de enologia), sala de professores, depósito de equipamentos e restaurante pedagógico. Este é freqüentado pela população local , que consome, a preços reduzidos, o resultado das aulas práticas ministradas no andar superior. Restaurante Pedagógico: A população consome a preços reduzidos o resultado das aulas praticas.
  10. 10. Referencia - Escola de Gastronomia Águas de S. Pedro -SP No piso superior estão os três laboratórios - dois de cozinha, destinados a aulas de culinária, e um de padaria e confeitaria. Ali também ficam três câmaras frias. O layout dos laboratórios foi criado pelo Senac, que deu ênfase à exaustão , realizada através de grandes coifas, cujos dutos são encaminhados para a chaminé situada sobre as câmaras .
  11. 11. Referencia - Escola de Gastronomia Águas de S. Pedro -SP As circulações são externas , interligadas por escadas laterais protegidas por empenas de concreto. Na extremidade norte, uma pequena praça é utilizada como ponto de encontro.
  12. 12. Referencia - Escola de Gastronomia Águas de S. Pedro -SP A face nascente é protegida por brises e os caixilhos são altos, o que impede a visão do dormitório dos alunos, vizinho. No lado poente , os caixilhos são altos por questão de segurança. O desnível transversal do terreno foi aproveitado para acomodar dois pisos sem ligação interna entre si, de modo que a escola se comporta como se fosse dois edifícios sobrepostos. A estrutura é formada por pilares de concreto aparente. A cobertura do edifício, a marquise que protege as aberturas e a circulação do piso superior são estruturadas em metal e possuem fechamento em ACM (Painel composto por aluminio). Já a circulação do térreo é protegida por marquises de concreto que, conectadas às empenas laterais, dão a impressão de abraçar o prédio.
  13. 13. Referencia - Museu do Pão Ilópolis -RS Museu do Pão – Projeto Brasil Arquitetura Localização: Ilópolis - RS Projeto Requalificação: 2005 Obra: 2007 Os moinhos testemunham a decisão de permanecer no Brasil, tomada pelos imigrantes italianos do Alto do Vale do Taquari, que chegaram ao país a partir de 1909. Como o pão e a massa são a base da culinária italiana, produzir a farinha de trigo significava que eles não tinham intenção de retornar à Europa. Com o passar dos anos (e a proibição da produção de farinha de trigo em moinhos artesanais), os prédios foram abandonados. Com o suporte de dinheiro captado na iniciativa privada - a Nestlé, via leis culturais de renúncia fiscal, foi uma das grandes colaboradoras -, a primeira ação daquele organismo foi comprar o Moinho Colognese e um lote vizinho. Restaurado, o Moinho Colognese - situado no centro de Ilópolis, cidade da serra gaúcha - ganhou dois anexos destinados ao Museu do Pão (que, além do espaço museográfico, inclui uma oficina de panificação) desenhados por Francisco Fanucci e Marcelo Ferraz, do escritório paulistano Brasil Arquitetura. Os dois novos volumes, perpendiculares entre si, possuem área semelhante, mas uso e materialidade diferentes. Junto da entrada principal fica o museu propriamente dito - em sua maior parte, transparente; no fundo, a oficina de panificação é protegida por empenas de concreto.
  14. 14. Referencia - Museu do Pão Ilópolis -RS Para dar vida ao Caminho dos Moinhos, era necessário o desenvolvimento de atividades de apoio que atraíssem visitantes. A restauração do Moinho Colognese focou no caráter documental da construção, com alterações pontuais. Manteve-se o maquinário de madeira original, embora com uma produção pequena, demonstrativa para grupos de cerca de dez visitantes. Com essa mudança da produção, o espaço adjacente que servia de depósito de sacos ficou ocioso. A solução foi transformá-lo numa combinação de bodega, padaria e café, que deve dar vida ao edifício e integrá-lo à comunidade. Na parede que separa os dois ambientes, atrás do balcão da bodega, instalou-se um amplo vidro, através do qual se vêem as máquinas em funcionamento. * Bodega : Em alguns lugares e regiões, pode ser conhecido como mercado,armazém, mercearia ou venda.
  15. 15. Referencia - Museu do Pão Ilópolis -RS * Bodega : Em alguns lugares e regiões, pode ser conhecido como mercado,armazém, mercearia ou venda. Dois novos volumes dão conta dos programas adicionais – o Museu do Pão e a Oficina de Panificação. Com uma escala respeitosa, eles não se impõem nem se anulam diante do moinho. Embora se identifiquem no uso de concreto aparente, os dois blocos exploram idéias opostas. O espaço expositivo é completamente transparente, fechado com panos de vidro e protegido da incidência solar por painéis de madeira corrediços externos. Assim como o moinho, o museu flutua sobre palafitas conforme o terreno segue em seu leve declive. Sua cobertura, que se afina conforme se aproxima das bordas, também flutua sobre três pilastras com delgados capitéis de madeira.
  16. 16. Referencia - Museu do Pão Ilópolis -RS Os volumes novos são elevados do solo, apresentando a mesma cota interna do piso do moinho. Assim, os arquitetos conceberam um passeio arquitetônico que contorna todo o conjunto. O gradil das passarelas desse percurso foi um dos poucos aspectos que mudaram na passagem da proposta inicial à execução. De início, o guarda-corpo possuía desenho mais simples; depois, os arquitetos conceberam elementos diagonais, inspirados em peitoris encontrados na região. A passarela forma um passeio arquitetônico e interliga os dois pavilhões novos
  17. 17. Referencia - Museu do Pão Ilópolis -RS O programa da oficina, que inclui uma cozinha-escola e banheiros, exige mais privacidade. Foi abrigado, portanto, em um bloco monolítico, impermeável, contundentemente cravado no terreno de brejo. A transparência proposital da área de exposição aguça a curiosidade do público, que é estimulado a conhecer as instalações pela fluidez de comunicação entre os edifícios. * Bodega : Em alguns lugares e regiões, pode ser conhecido como mercado,armazém, mercearia ou venda. Oficina Bodega (*) Vista interna do museu, com destaque para os pilares Gárgulas contribuem para o escoamento de água na oficina de panificação
  18. 18. Referencia - Museu do Pão Ilópolis -RS Contraste entre o novo e o antigo: a oficina e o moinho vistos do fundo, que é delimitado por um córrego Na esquina, em lote adquirido pela Associação dos Amigos dos Moinhos do Alto do Vale do Taquari, fica o volume ocupado pelo museu Vista do conjunto Museu do Pão, localizado em Ilópolis - RS

×