• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Prata Coloidal
 

Prata Coloidal

on

  • 17,497 views

 

Statistics

Views

Total Views
17,497
Views on SlideShare
17,483
Embed Views
14

Actions

Likes
1
Downloads
146
Comments
1

5 Embeds 14

http://ampliareaprofundarnouno.blogspot.com.br 4
http://redjedi.foroactivo.net 3
http://www.blogger.com 3
http://ampliareaprofundarnouno.blogspot.com 3
http://bmail.uol.com.br 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel

11 of 1 previous next

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Prata Coloidal Prata Coloidal Document Transcript

    • ÿþ Prata Coloidal As verdades ocultas Dr. Keith F. Courtenay ( U.L.C, USA) Editora Oráculo Caixa Postal 121, Montville Qld 4560, Austrália Todos os direitos reservados. Este livro é regido por direitos autorais internacionais. Partes desta publicação podem ser reproduzidas somente para uso pessoal, ou para ajudar pessoas. Caso contrário, nenhuma parte desta publicação que é regida por direitos autorais pode ser reproduzida ou transmitida para ninguém ou de nenhuma forma, elétrica ou mecanicamente para propósitos comerciais sem permissão escrita da autor. Revisões podem conter breves passagens entre aspas. Keith Courtenay, 1999 Primeira Edição, 1997 Segunda Edição, 1999 Biblioteca Nacional da Austrália. ISBN 1 876494 10 7 Também de Keith Courtenay: The Australian Contemporary Dreamtime Tarot (O Tempo de Sonhar Australiano do Tarô Contemporâneo) 1991 The Ancient Art of Dowsing( Dowsing for Health) (A Antiga Arte de Dowsing. ( Dowsing para a saúde.) 1985 Kombucha Tea. (Chá de Kombucha . Mais de 65 receitas para a saúde e o bem estar. )1995 Renúncia As informações médicas e todos os procedimentos mencionados e contidos neste livro não tem a intenção de serem usadas ou construídas como substitutas do procedimento médico profissional e prescrito por seu médico. Por favor note: 1
    • MEU TÍTULO É APENAS COMO DOUTOR EM METAFÍSICA, NÃO COMO DOUTOR EM MEDICINA. Pessoas que lerem este livro e tomarem decisões a respeito de sua saúde, a qual eles acreditem serem baseadas nas idéias contidas neste livro, o fazem em seu único e exclusivo direito. Por favor não leia e utilize nenhuma informação deste livro se você não está disposto a assumir total responsabilidade mediante os resultados que possam ocorrer com o uso de qualquer sugestão, preparação ou procedimentos nele contidos. O autor e/ ou editor não são responsáveis por qualquer efeito ou conseqüências resultantes do uso de qualquer informação escrita contida neste livro, este material é oferecido como informação gratuita, a qual o público tem o direito de ler e utilizar da forma como o achar. AGRADECIMENTOS Eu queria sinceramente agradecer todas as pessoas que me ajudaram e mentalmente me energizaram na preparação da Segunda edição deste livro. Primeira da lista é a minha querida mulher Daicon, por todo seu amor, paciência e compreensão, o estímulo oferecido por ela quando ouve a hesitação do meu progresso. Um grande obrigado a todas aquelas pessoas que falaram comigo ao telefone ou que me visitaram com boas notícias que este trabalho prata depois de tudo mais falhou. Por último, mas eu sinto a mais importante em minha vida é alguém ou alguma coisa que trouxe de volta da beira da morte, o qual eu acho foi proposital, me mostrando a direção a qual agora sigo, que eu pude me ajudar e ajudar aos outros. Ela sorriu em meu rosto e pode ele sorrir no seu. Obrigado a você e a todos, sua vida pode ser longa, sua saúde e felicidade serão suas constantes companhias. Se a profissão de médico fosse uma febre, Nós teríamos uma epidemia de saúde KEITH COURTENAY. Montville Queensland Austrália 1999 2
    • PRIMEIRA PARTE A descoberta INTRODUÇÃO O propósito desta Segunda edição é para ajudar o aumento do conhecimento público para um nível mais alto de exatidão que trata da prata coloidal. Conhecimento é poder e liberdade . Há um pedido para mais informações e verdade sobre os benefícios da Prata Coloidal. Quando olho para o primeiro livro que escrevi me dou conta do quão pouco eu realmente sabia comparado às informações que tenho agora em mãos. Também em como éramos mantidos no escuro, e do adultério que é cometido por alguns profissionais da medicina e maioria do governo. Por último, porém não menos importante, os fabricantes de muitos assim chamados Prata Coloidais que estão no mercado e como o público tem sido enganado. Senhor Malcom Morris, K.C.V.O. escreveu em 11 de maio de 1917. Publicado no Jornal médico da Grã- Bretanha. Eu fui subjugado algumas vezes, por pessoas que conversaram comigo sobre os resultados positivos que vieram do uso de Prata Coloidal através da descoberta de seu super germicida natural que é conhecido e comprovadamente seguro sem nenhum efeito colateral Ele ainda fala O convite do Editor do Jornal Médico Britânico para relatar minha experiência dos efeitos terapêuticos das drogas no estado coloidal é uma das coisas que estou cooperando em responder. Por mais de uma ano eu tenho utilizado as preparações da coloidal dos Laboratórios Crookes, e obtido resultados que não me restam a menor dúvida de sua superioridade, tenho que dizer com todo o desejo para evitar que soe como um exagero, sua suprema superioridade para as mesmas drogas utilizadas no estado não coloidal. Eles são resultados que tornam óbvio o dever de sugerir que o processo em larga escala deve ser dado em uma forma de medicação que promete afetar a revolução farmacológica. Senhor Malcom Morris, K.C.V.O Relatórios adicionais no Jornal Médico Britânico, 12 de Maio de1947 ( são 30 anos depois) a prata coloidal está livre das inconveniências de outros preparativos que causam dor e descoloração da pele. Ao invés de criar irritações, ela tem claramente amenizado os efeitos. Ela tem rapidamente dominado inflamações (anti-inflamatório) e promove a cicatrização de lesões .Ela teve resultados notáveis no aumento de próstata com irritação na bexiga, no Prurigo ani , Eczema perineal e Hemorróidas. Pode ser utilizado em forma de supositórios enquanto uma solução é aplicada simultaneamente na pele irritada. No bromidosis da axila e pés, isso rapidamente proporciona a sensação de alívio. Ela causa o rápido desaparecimento de verrugas e, sendo não tóxico, pode ser aplicado internamente na urticária e outros tipos de dermatites, que são sujeitas a toxemia. Nestes tipos de casos ela é rapidamente benéfica . A grande pergunta que me tenho feito é, se um homem como o senhor Malcom Morris K.V.C.O aprovou e recomenda a Prata Coloidal como é que ela não é utilizada como uso geral? Eu espero poder lhe dar parte dessa resposta neste livro. A UTILIZAÇÃO DA PRATA COLOIDAL? 3
    • Testes clínicos provaram que bactérias benévolas no intestino grosso não são afetadas devido à absorção da prata no intestino delgado. Todos organismos bacterianos, virais ou fúngicos são mortos em seis minutos de contato. Conteúdo superior de prata no corpo causa contato mais rápido e freqüente com estes organismos. Nenhum organismo causador de doenças pode sobreviver na presença da prata . A seguir, é uma lista parcial das mais de 650 doenças que o uso da prata coloidal tem sido utilizado com sucesso. Ela também pode ser usada no tratamento de animais, bichos de estimação, sementes germinativas e plantas. * Acne * Artrite * Pé de atleta * Envenenamento sangüíneo * Queimaduras * Câncer * Conjuntivite * Dermatite *Diabetes *Fibrose * Gastrite * Gonorréia * Hemorróidas *Vírus de Herpes *Impetigo * Gripes * Desarranjos intestinais *Queratite * Doença legionária * Lepra *Lesões *Lúpus *Malária *Doença de Menière (síndrome) * Meningite * Neurastenia *Oftalmia * Febre Paratifóide * Pleurisia * Pneumonia * Pólio * Doenças de próstata * Anis do Prurigo * Vírus Parvo * Pseuríase *Piorréia * Reumatismo * Rinite * Plurigo * Rosácea * Infecção por salmonela *Febre Escarlatina * Seborréia * Septicemia * úlcera séptica * Herpeszoster * Manchas de sol * Câncer de pele * Machucados * Infecções por estafilococos * Infecções por estreptococos *Queimaduras de sol *Sífilis * Toxemia * Tétano * Amidalite * Frieira * Vírus tuberculoso *úlcera * Verrugas * Coqueluche * Infeções por fungos, e muitas outras. Primeiro eu tenho que contar-lhes um pouco sobre minha pessoa, e como eu descobri estas maravilhas da prata coloidal. Enquanto crescia tive as doenças normais de criança. Quando tinha 12 anos adquiri febre tifóide, e nesta época estava ocorrendo uma epidemia e várias pessoas morreram .Eu ficava imaginando como um médico podia cuidar de seus pacientes e nunca ficar doente. Com 4 anos de idade, eu menti dizendo que era mais velho e juntei-me a marinha Britânica, tornando-me um homem sapo/ mergulhador . Era um grande acontecimento para mim e pela minha idade. Na marinha estudei engenharia marítima e permaneci trabalhando como mergulhador de salvamento em demolições e construções debaixo d água. Eu também mergulhei de navios petroleiros pelo mundo afora. Eu me fixei na Austrália em 1959, viajando por todo seu norte e morando em Queensland. Nesse tempo eu comecei a adoecer dos pulmões e garganta. Fui informado que isto era pelo meu ofício de mergulhador de grandes profundezas. Fui diagnosticado no passar dos anos com: pneumonia, pneumonitis, resfriado, bronquite, brônquio-pneumonia e algumas coisas mais. Escolha à vontade, nomes diferentes porém o mesmo problema. Receitaram-me antibióticos. No início parecia curar-me, mas depois me sentia pior ainda. Tudo dependia do médico, mais ou menos uma roleta russa. O que estava acontecendo, e nenhum médico jamais me disse, era que os antibióticos faziam efeito e destruíam as bactérias benignas contidas no corpo( assim como a má espiroqueta). Também nunca fui informado que bactérias úteis ( lactobacilos) tinham que ser repostas através de suplementos alimentares ou através de dietas com iogurte natural ou ainda os dois. Nunca me disseram que o monstro da levedura havia sido solto. Assim que você começa a tomar antibióticos , eles começam a reestruturar os bacilos em seu corpo. Coloniza e multiplica sem qualquer tipo de controle atacando todo tipo de célula e tecido, saudável ou não; liberando toxinas e interferindo no metabolismo do sistema nervoso celular, acabando com o sistema imunológico. A cândida foi atualmente reconhecida como segunda maior impostora no corpo pela medicina. Em 1975, fui informado de que se eu não retirasse minhas amídalas minha garganta e tosse piorariam. Comecei a pensar em câncer na garganta porque na época era fumante. Com 47 anos retirei minhas amídalas, o que não foi fácil neste estágio da minha vida. Só depois fui descobri que havia quase morrido. Tudo que é provido de vida tem um propósito na natureza. A medicina achava, há menos de 25 anos atrás, que o apêndice e a amídala eram órgãos superficiais , que não havia razão de estarem no corpo e que deveriam ser retirados quando ocorresse infecção. Agora é sabido que as amídalas fazem parte do nosso sistema imunológico, também que a taxa de câncer de cólon é muito maior nos pacientes que tiveram o apêndice retirado e que os indivíduos que tiveram as amídalas removidas resistem menos às infecções e câncer na garganta. As amídalas fazem parte do sistema imunológico assim como os linfáticos. Mesmo depois de tudo isso a dor de garganta e a tosse persistiam, com a diferença que pioraram após a operação. (Com relação aos antibióticos eu apenas comprei um livro: SUPER BACILO vingança natural. Por Geoffrey Cannon. Se você realmente gostaria de saber o que os médicos e farmacêuticos estão fazendo com a raça humana, leia este livro. ( ele tirou toda minha ânsia de vida). Eu ainda estou lendo-o, consigo ler apenas um pouco de cada vez, me parece tão triste o que está acontecendo com a gente. Eu apenas permaneço com a esperança de que logo nos iremos acordar para tudo isso que está acontecendo ao nosso redor. ( enquanto isso talvez Deus nos ajude). Fui apresentado ao Dr. David Phillips ( agora falecido) e apenas em um minuto ele me disse parte do meu problema. Eu costumava beber um litro ou mais, de leite, diariamente. e ele me disse para não mais beber leite de vaca. Eu fiz como me havia sugerido e em poucas semanas minha dor de garganta e tosse diminuíram. Em 1977, Doutor Phillips juntamente com o Doutor Frank . A.Oski publicaram um livro chamado: Não Beba o Seu Leite . Este livro expunha as mentiras que eram ditas ao povo e como ele comprovou que o leite é prejudicial à saúde. Vale a pena ler este livro se conseguir encontrá-lo. Se não, vá à Internet na página: www.notmilk.com/index.html. Leia o eles dizem. È assustador. Se você não conseguir acessar a página, me escreva e eu lhe mandarei uma cópia. A cada ano meus pulmões se tornam mais fracos e mais antibióticos me são receitados. Os médicos me disseram que meu peito estava melhorando mas suas palavras não me soaram verdadeiras. Ninguém me informou sobre os efeitos colaterais dos antibióticos. Também a cada ano eles usavam um spray aéreo de cana de açúcar com veneno e eu fiquei doente. 4
    • AS ETAPAS DA CÂNDIDA Um dia estava conversando com um amigo que era praticante da medicina moderna, ela estava em um longo período de férias. Depois que disse à ela tudo que vinha tomando, ela examinou-me minuciosamente e fez-me algumas perguntas. Olhando em meus olhos e nas pontas dos meus dedos em volta das unhas, ela disse : Cândida . Ela me disse que tinha uma grave infecção causada por levedo espalhada em meu corpo. Eu perguntei a ela o que era cândida, ela me explicou sobre a levedura. Minhas experiências até então com levedo havia sido quando estive fazendo pão, produzindo cerveja, no pé de atleta, ock itch , ou com infecção vaginal por levedo. Nunca me passou pela cabeça que o ser humano pudesse ter todo seu sistema corporal infeccionado por leveduras ( induzidas clinicamente) causadas tanto por via oral quanto intravenosa por antibióticos anteriormente prescritos para meu problema pulmonar. A grande questão é porque eu nunca havia ouvido falar nesta Cândida Albicans . Bem, eu tive, porém com um nome diferente e em circunstâncias diferentes. Quase toda mulher já teve a experiência de contrair ao menos uma vez, em sua vida adulta, infecção vaginal por levedo. O sexo masculino provavelmente já ouviu dizer de um tipo de fungo da levedura chamado pé de atleta e coceira genital, que é mais comum nos ambientes militares e de esportes. O mais comum para ambos sexos masculino e feminino é infecção por levedo ou levedura. A bactéria de levedo é identificada com as mesmas características do levedo utilizado na maioria dos pães, bolos e cervejas. A levedura é um microorganismo vivo originado do reino vegetal. Existem três grandes reinos em matéria de classificação, são eles: animal, vegetal e mineral. Tudo existente na face da terra, ser inanimado ou não pertence a uma das três categorias. Bactérias e vírus são organismos vivos, os quais são inseridos no reino animal. O levedo é um ser vivo unicelular, potencialmente colonizador de microorganismos, que é inserido no reino vegetal. Eu não pude acreditar no que me acabara de ser dito, mas ela era uma boa praticante da saúde e sabia o que estava dizendo.. Eu fui induzido a acreditar que através dos anos, os antibióticos que eu tomavam me curariam, mas não fui avisado que estes fortes medicamentos abririam as portas para que outras doenças invadissem meu corpo e me fizessem sentir pior ainda. O ponto é que esses germes não são tão bonzinhos quanto costumávamos pensar. Levedo na quantidade certa é natural no corpo humano e basicamente atuando de forma natural. Entretanto, quando um fenômeno natural ou intervenção humana destrói o equilíbrio natural, a levedura pode crescer em quantidade e proporção descontroladas. Elas se tornam antagonistas e podem causar doenças, dependendo da forma e tempo em que foi inserida no corpo humano.. A levedura quando permitida desenvolver-se de forma não controlada, o que acontecerá após longo período do uso de antibióticos, irá causar danos muito maiores ao organismo até que seu crescimento seja novamente controlado. Eu fiz algumas pesquisas, mas na época havia muito pouco publicado sobre Cândida Albicans . A comunidade médica sabia muito sobre a doença mas não divulgava seus aspectos negativos para o público. Há duas grandes categorias de microorganismos maléficos e benéficos em relação `Cândida. Eles são: Bactéria benéfica- lactobacilos vivos, se constantemente presentes no corpo. Há seis distensões que têm que estar presentes e pode de tempos em tempos serem substituídas. Levedo maléfico- cândida albicans , quando o crescimento é descontrolado. É o delicado equilíbrio desta diferença natural entre estes dois antagonistas que pode desencadear os sintomas no corpo humano, que são na maioria dos casos, devastadores. Também pode se obter a falsa impressão que você não está doente devido aos antibióticos. Isto pode acarretar um espectro mais amplo do tratamento por antibióticos, que em se repetindo a dose pela Segunda ou terceira vez, mata o restante das bactérias benéficas que podiam restar em seu corpo, causando o crescimento descontrolado do fungo. O ciclo se repete causando redução da saúde. Cândida albican tem estado entre nós por milhões de anos desde o começo do uso do microscópio . Os homens sempre carregaram-na consigo e conviveram pacificamente até tempo em que as indústrias criaram espectros mais amplos de antibióticos, como a penicilina e outros tipos sintéticos como a cefalosporina que matam as bactérias benignas e malignas. O verdadeiro propósito da cândida em seu estado natural é para o início biodegradante do corpo após a morte. Cândida albicans é um tipo de fungo que vive no intestino, áreas genitais e boca. Normalmente, este fungo vive em equilíbrio saudável com outras bactérias e leveduras. No entanto, condições adversas podem fazer com que este fungo se multiplique, comprometendo o sistema imunológico, causando a infecção conhecida como Cândida. Pelo fato deste fungo se movimentar para diferentes partes do corpo pela corrente sangüínea, muitos sintomas podem se desencadear. Quando este fungo atinge as cavidades oral ou vaginal, é chamado de sapinho.: feridinhas brancas podem se formar na língua, gengiva e no interior da boca. Quando este fungo infecta a vagina é chamado vaginite. Os sintomas mais comuns são secreções brancas e ardor intenso. Muito freqüentemente, alergia a alimentos ( com aditivos químicos) existem e é recomendado o teste alérgico. Sapinho bucal, pé de atleta, jock itch e até mesmo assaduras podem ocorrer como resultado de uma alergia alimentícia e Cândida albicans. Devido ao fato de que a cândida pode infectar muitas partes do corpo- sendo as partes mais comuns as orelhas, nariz, região gastrointestinal e intestinos ela também pode ser caracterizada por vários sintomas. Estes incluem constipação, diarréia, colite, dor abdominal, ulcerações, azia persistente, dores musculares e nas articulações, garganta inflamada, congestão nasal, pernas, mãos ou rosto empolados, sensação de formigamento, acne, vaginite, infecções no rim e na bexiga, artrite, depressão, hiperatividade, hipotiroidismo seguido problemas e até mesmo diabete. Algumas pessoas infectadas com cândida podem desenvolver intolerância ao ambiente. Muitas não conseguem suportar o cheiro de borracha, produtos derivados do petróleo, tabaco, fumaça de 5
    • exaustores ou o odor de produtos químicos. Eu cheguei a um ponto no qual eu não conseguia andar nos corredores dos supermercados onde estavam os sabonetes sem que tivesse uma crise asmática. Cândida pode afetar homens e mulheres, no entanto é raramente transmitida sexualmente. A mãe infectada pode passar sapinho ao recém nascido. Na maioria dos casos, a criança irá nascer com a língua vermelha dotadas de pequenos pontos brancos, parecidos com respingos de leite. O sapinho também pode aparecer no bumbum do neném como uma erupção cutânea. Pelo fato de não haver um teste preciso , esta infecção é dificilmente detectada. A mulher diagnosticada com infecção por fungos deveria também fazer o exame de diabete, porque a cavidade genital é mais propícia ao desenvolvimento de fungos; e diabéticas contraem mais facilmente a infecção conhecida como cândida. Portanto se você sofre de qualquer coisa citada anteriormente, se pergunte quando foi a última vez que tomou antibióticos. Se você os tomou nos últimos tempo talvez haja uma boa explicação se você estiver doente. Todo tipo de antibiótico tem efeitos tóxicos, e sua utilização é apenas um grande desperdício de dinheiro ( o nosso, não das indústrias farmacêuticas) e causa sofrimento desnecessário. È chegada a hora de eu apresentar o artigo que me fez conhecer a prata coloidal. Pesquisas demonstram que a prata coloidal é capaz de erradicar todos os problemas acima citados. Durante o período que vivi em Brisbane, tive um ataque cardíaco. Os médicos e enfermeiras do hospital salvaram minha vida e sou muito grato por isto. Me disseram que estive morto por alguns minutos, me encheram de antibióticos e outros remédios. Não posso reclamar, continuo vivo. Eles me salvaram, mas através de toda a medicação eu me encontrei num quadro de infecção por fungos e síndrome de fadiga crônica. Quando retornei à minha casa estava mental e fisicamente desorientado. Os comprimidos que diariamente tomava para manter-me vivo ( como fui forçado a acreditar) enfraqueciam-me e me tornavam miserável. Era incapaz de me concentrar, estava confuso, sofrendo de insônia, fraqueza, dor de cabeça, irritabilidade, indisposição estomacal, disfunções sexuais, stress, dores musculares, dores nas juntas e memória fraca. Esta lista continua. Cada dia que passava me sentia mais morto que vivo. A vida tem sido muito boa para mim, e cada dia que vivi valeu a pena. Após viver este tormento resolvi que chegara a hora de um basta, e acho que minha mulher também. Eu acordava pensando em porque não havia morrido durante a noite, disse à minha mulher que não conseguiria continuar a viver estando doente desta forma. Eu não tinha importância como homem nem como besta. Eu não podia continuar tomando os comprimidos que me enfraqueciam cada vez mais. Eu tinha duas escolhas: melhorar ou morrer para viver em paz. Esta decisão era definitiva em minha vida. Passei a não tomar os comprimidos e nada disse `minha médica, que anteriormente me informara que nunca poderia parar de tomá-los pois minha vida dependia deles. Comecei a manter um controle total de todos os comprimidos que vinha tomando, a dosagem, quantidade e número de dias, para se algum dia algo acontecesse haveria em que se basear. Depois de receber alta do hospital, tive problemas respiratórios, minha asma havia piorado. Isto perdurou por volta de um ano, às vezes tentava respirar fundo e era como se me faltasse o ar. Perguntei aos médicos sobre isso e eles me disseram que era por causa dos comprimidos. Como havia parado de tomar os remédios comecei a enxergar que não poderia ser os comprimidos. Me senti desamparado e traído, porque até então tinha total confiança nos médicos. De volta da cirurgia me dei conta de que somente eu era responsável por minha existência que não deixaria novamente minha vida nas mãos da medicina. Minha pretensão era descobrir de verdade do que sofria, a causa e depois o remédio. Comecei a fazer visitas à homeopatas, especialistas com um modo de vida alternativo. Quanto mais pessoas eu visitava mais séptico me tornava. O último especialista que marquei uma consulta me deixou esperando juntamente com os outros pacientes no hall por mais de três horas. Lá ia eu reclamar com a recepcionista quando a doutora sai de sua sala e nós trocamos algumas palavras e foram realmente algumas apenas. Os outros pacientes permaneceram sentados e nada disseram. No final fui convidado a me retirar ( na realidade fui expulso) eu estava realmente farto de toda a comunidade médica. Esta foi a gota d água para mim. Depois de conversar com muitas pessoas cheguei à conclusão de que os médicos eram apenas induzidores de pílulas ( comprimidos).Do que deveria ter sido feito, sou grato às circunstâncias que me fizeram procurar ajuda alternativa e abandonar as visitas médicas e a prescrição de drogas. Fazia uma eternidade que não me sentia saudável. Minha avó havia me ensinado quando ainda criança sobre a saúde natural, mas terminou como a maioria ,tomando medicamentos para continuar vivendo. Eu me sentia na obrigação de desmascarar a verdade em volta deste milagre da medicina humana- os antibióticos. Em algum lugar eu acharia uma resposta segura e eficaz. Este foi um artigo que descobri em uma revista americana, retirado do periódico Science Digest : Datado de Março de1978, entitulado: A volta da Prata na Medicina: Prata Coloidal como Alternativa Natural aos Antibióticos No início do século 20, uma solução antibacterial chamada prata coloidal se tornou escolha unânime entre os praticantes medicinais. Foi comprovado ser enormemente eficaz contra as infecções do organismo e extremamente segura de se utilizar, sem os efeitos colaterais associados ao uso de medicamentos. Mas a prata coloidal se tornou excessivamente cara fazendo com que a indústria farmacêutica produzisse os antibióticos que conhecemos hoje. A prata foi deixada de lado. No entanto, à medida que nos distanciamos da natureza, imprevistos acontecem. Depois de 40 anos do advento dos antibióticos, muitos tipos de doenças haviam criado resistência aos componentes das fórmulas. Com o passar dos anos a comunidade médica vinha relatando sobre os super micróbios que não podiam ser combatidos com antibióticos. A revista Newsweek publicou em 28 de Março de 1994 que nos Estados Unidos no ano de 1992, 13000 pacientes haviam morrido de infecções que resistiram a todo tipo de medicação dada. Um fato conhecido são os danos causados na flora intestinal e no cólon pelos antibióticos. A prata coloidal não afeta esta região vital. 6
    • Felizmente, o ressurgimento da prata coloidal, devido à nova tecnologia e custo reduzido de produção, tem provado ser o melhor tipo de remédio a ser utilizado pela população para se protegerem. È a prata que tem trazido a esperança do milagre de cura..... talvez era será reconhecida como nosso maior meio de combater os germes ( revista Science digest , março de 1978). A prata é considerada a melhor substância antibiótica universal que o homem já viu. Jim Powell escreveu um artigo na revista Science Digest , dizendo que o antibiótico é capaz de aniquilar em médias sete tipos de doenças no organismo, porém a prata coloidal é capaz de eliminar mais de 650. Apesar dos esforços, foi comprovado que a prata não é tóxica. A volta da prata na medicina se deu por volta de 1970. O veterano Dr. Carl Moyer, cátedra do departamento de Cirurgia da Universidade de Washington, recebeu uma verba para o tratamento de vítimas de queimaduras. Dr. Harry Margraf de St. Louis, como chefe do departamento bioquímico, trabalhou com o Dr. Moyer e outros cirurgiões na busca de um anti-séptico eficaz o suficiente, porém seguro, para ser utilizado em grandes áreas atingidas do corpo. Dr. Margraf tentou 22 tipos de componentes e descobriu controvérsias de utilização em todos eles com exceção da prata que é hoje utilizada em todos os centros de tratamento americano de feridos por queimaduras. E em todo o mundo, laboratórios da U.C.L.A testaram a prata coloidal e descobriram que ela possui eficácia em todos os vírus, bactérias e fungos( mais de 650 deles) utilizados nas pesquisas. Ele percebeu que muitos desses antibióticos eram ineficazes no combate de um número de bactérias prejudiciais, incluindo a mais mortal nos casos de queimaduras, uma bactéria azul esverdeada chamada pseudomonas acruginose. Uma pesquisa extensiva provou que a prata é a medida mais eficaz utilizada na maioria dos centros de queimaduras pelo mundo afora. ALGUMAS UTILIZAÇÕES DA PRATA Várias décadas de uso clínico da prata têm comprovado o tratamento em queimaduras, olhos, ouvidos, nariz, garganta, vagina, reto e infecções urinárias. A prata tem sido prescrita na medicina como auxiliar para o cérebro, problemas reprodutivos nas mulheres e no sistema circulatório. Vem sendo utilizado como remédio para desequilíbrio mental, sonambulismo e anorexia nervosa. Os usos adicionais incluem o tratamento de AIDS, alergias, bacilo do antraz, artrites, parasitas, sangue envenenado, furúnculo, fadiga crônica, meningite, cândida, cólera, colite, cistite, diabete, difteria, disenteria aumento da próstata, gonorréia, herpes, hepatite, doenças infantis, lesões, leucemia, lúpus, Doença de Lyme, reumatismo, plurigo, herpeszoster, câncer de pele, infecções por estafilococos e estreptococos, gripe estomacal, condições da tireóide, amidalite, toxemia, úlcera estomacal, verrugas e coqueluche; apenas para nomear algumas. Poderia esta ser a resposta para o meu problema? Eu decidi procurar saber mais sobre a prata coloidal e perguntei a vários médicos, mas meus inquérito eram desviados e depois esquecidos. Nenhum médico me daria nenhuma informação, apenas perguntariam de onde havia obtido tal. A FANTÁSTICA E INÉDITA HISTÓRIA QUE A CIÊNCIA MÉDICA NUNCA REVELOU O começo Três milhares de milhões de anos atrás a Terra era apenas um amontoado de fragmentos no espaço. Este foi o momento em que a Mãe Natureza criou a prata. Há 2,000 milhões de anos atrás a Terra foi se resfriando gradualmente. O vapor da atmosfera se condensou em água e o oceano surgiu. 1.000 milhões de ano atrás protoplasmas se desenvolveram no processo de mudança química e deles surgiram os primeiros seres vivos aquáticos. Há 500 milhões de anos, animais celulares como as algas e as amebas apareceram nos oceanos. Há 220 milhões de anos atrás as primeiras plantas primitivas germinavam na Terra, e chegavam ao solo os grandes animais e anfíbios; na mesma época surgiam as suárias e os primeiros dinossauros apareceram. As montanhas e os continentes se formaram há 190 milhões de anos. Com a vinda do período terciário, há 70 milhões de anos, mais plantas e animais se desenvolveram. Há 25 milhões de anos os mamutes se tornaram extintos mas os elefantes e rinocerontes sobreviveram. Grandes primatas apareceram. Primatas semelhantes aos seres humanos vivendo em cavernas, surgiram há 1 milhão de anos atrás, produzindo ferramentas de pedras e armas. Na era do homem da pedra surgida há 500 mil anos atrás o ser humano aprendeu o uso do fogo e há 50 mil anos várias raças humanas apareceram. A era cristã surgiu a aproximadamente há 2.000 anos atrás. Os homens acharam outra desculpa para matarem uns aos outros por causa do fanatismo. Durante este século o homem aprendeu a separar o átomo e como matar mais pessoas. Nas eras recentes a ciência e a profissão médica têm aprendido como exterminar mais a vida com o uso dos químicos e drogas das indústrias petroquímicas e médicas. Desde o início dos tempos o homem podia sentir cheiro de chuva no ar, ele podia sentir o movimento da eletricidade em seu corpo ao mesmo tempo que as nuvens da tempestade se aglomeravam para o começo da revitalização do homem, da terra e de toda a vida nela existente. Primeiramente os relâmpagos carregavam de íons a atmosfera e depois a chuva. A partir da origem da criação as quatro estações iam e vinham. Cada e toda estação nutriu a terra através do sol que evaporava a água e a retornava em forma de chuva, granizo ou neve. Este ciclo é contínuo através do ciclo das quatro estações: Primavera, verão, outono e inverno. Neste eterno ciclo contínuo a água eletricamente carregada, filtrou através dos depósitos de prata, ouro, outros minerais e resíduos de elementos, absorvendo-os antes de desaguar nas lagoas, lagos, rios e finalmente o mar. A terra se tornou rica em depósitos. A água filtrava e carregava partículas macroscópicas e microscópicas destes elementos até finalmente que fossem depositadas nos 7
    • ricos solos orgânicos da terra. Primeiro a natureza, depois o homem plantou sementes no solo e, a medida que as sementes começaram a crescer e desenvolver elas absorviam os nutrientes e minerais que a terra oferecia incluindo a prata. Quando estas plantas, sementes e nozes estavam prontas para a colheita elas eram incorporadas na cadeia alimentar dos homens e animais. Durante este processo de vida a terra também criou micro organismos biológicos saudáveis e patológicos, que faiam parte da fonte de vida e morte. Existia um extraordinário equilíbrio da natureza. Uma destas lei irrefutáveis da natureza envolve os efeitos benéficos da prata eletricamente carregada de íons quando partilhada com a extensa proliferação de bactérias benéficas , mantendo as bactérias maléficas, vírus, fungos e levedos sobre controle e ordem. Este era o equilíbrio da vida. Durante e após a Segunda guerra mundial a extensa exploração agrícola. A antiga maneira, como meu avó me ensinou era deixar a terra remanescer por um ano após três de cultivo. Esta não é a maneira utilizada nos dias de hoje. Este era o começo do fim do plantio tradicional como era conhecida. Os fazendeiros começaram a plantar duas safras ano após ano. Fertilizantes químicos eram utilizados para o crescimento da produção. Sprays químicos foram desenvolvidos para aumentar a rentabilidade da produção e árvores eram derrubadas. Hoje, o conhecido sistema alcançou o ponto mais eficiente através do avanço tecnológico dos últimos 50 anos. A medida que a quantidade de comida produzida aumentava os nutrientes e minerais que a terra tinha a oferecer se tornaram menos prevalecentes na terra. Por esta razão a cadeia alimentar não mais suprimia a proteção natural que foi cuidadosamente construída pela mãe natureza. Esta situação de crise que a população mundial enfrenta no consumo das comidas com vitaminas e minerais insuficientes. Frutas e vegetais perdem oitenta por cento de sua benevolência em dois ou três dias após colhidos. Isto ocorreria uma semana antes de chegarem as lojas. (Xerox ilegível). Agora eles apareceram com comidas brilhantes que permanecem mais tempo na prateleira, sementes geneticamente modificadas, assim podendo utilizar spray com químicos e matar qualquer coisa que cresce menos a planta. A grande questão é: O que isto está fazendo com o nosso corpo? PRATA COLOIDAL Nós todos devemos enfrentar o fato de que existe uma crise no tratamento da nossa saúde assim como na existência da flora e fauna. Eles estão até modificando geneticamente a comida que comemos para que nós não possamos cultivá-las. O que a engenharia genética está fazendo com os nossos corpos quando comemos estas comidas artificiais? No momento em que estava escrevendo eu li um artigo que declarava como os grãos de soja estava sendo geneticamente modificados com o rodízio de produtos químicos onde os sprays contra erva daninha poderiam ser utilizados na plantação sem que danificasse os grãos. Os tomates possuem os genes dos porcos que impedem a oxidação e as galinhas são alimentadas com cianida para o aumento da produção de ovos. Eles estão tentando nos dizer o que é seguro . Todo dia profissionais e pesquisadores da área médica estão sendo apresentados a novos grupos de bactérias que foram criadas entre nós por eles e pelas indústrias farmacêuticas a medida que nos tornamos mais resistentes aos medicamentos sintéticos fabricados pelo homem. Me parece que cada vez mais os médicos prescrevem estes antibióticos mais resistentes os grupos se tornam. Esta é uma grave crise da saúde. É severa suficiente para ser conhecida pela imprensa. Vamos enfrentar a realidade, nós as pessoas da rua somos os últimos a saber qualquer coisa da comunidade médica e de acordo com os relatos a tendência é piorar antes que melhore. Desde o início de 1900 existe uma alternativa segura e natural para os antibióticos prejudiciais e outras drogas químicas que existem e é eficaz no combate dos mais resistentes grupos microbianos. A VERDADE OCULTA Desde a metade do século 20 a profissão médica tem considerado a prata um completo antibiótico natural que é mais eficaz que os conhecidos e sem efeitos colaterais. Desconhecido pela grande maioria, a fraternidade médica tem conhecimento do poder anti microbiano da prata desde os primórdios do século. A prata é medicamente comprovada por ser o melhor agente a combater infecções já descoberto. Os chineses usavam agulhas de prata na prática da acupuntura. A prata também tem sido utilizada pela medicina por mais de três mil anos. Foi percebido na china, há 7 mil anos, que os soldados feridos por flechas que algumas vezes se recuperavam das doenças que os afligiam por vários anos. A partir destas observações o princípio envolvido era que a penetração da pele em certos pontos, algumas doenças eram aparentemente curadas. Os chineses então começaram a copiar os efeitos das flechas, furando artificialmente a pele. Em um primeiro momento gravetos pontiagudos de madeira e espinhos eram utilizados, porém, mais tarde, agulhas de bronze e ferro passaram a serem utilizadas. Por volta de 3 mil anos A . C. havia sido observado que metais diferentes produziam efeitos diferentes. Para a cura de algumas doenças era necessária a produção de um efeito estimulado e para outros efeito sedativo. A utilização de agulhas de prata e ouro foi desenvolvida desde que o ouro apareceu como estimulante e a prata como sedativo. Hoje na china, mais de 500 mil médicos utilizam agulhas de prata na acupuntura. No Japão são mais de 30 mil e estendendo-se ao leste o número total provavelmente excede dois milhões. Por toda a parte do mundo existem mais médicos praticando a acupuntura com agulha de prata do que o número de médicos praticando a medicina ocidental. 8
    • ENTÃO, A BUSCA COMEÇA A seguir são apresentadas algumas notas de pesquisa que eu encontrei, cataloguei a documentação colocando a data e a fonte médica para que todas as declarações possam ser verificadas e todos possam ler a verdade. Estas não são minhas informações, são provindas de documentos médicos que foram escondidos do público, são fatos reais e papeis de pesquisa. Você pode ler por você mesmo o maravilhoso potencial da prata coloidal.(Eu tenho fotocópias para inspeção.) PRATA COLOIDAL O QUE É E ALGUNS DE SEUS USOS Por Alfred B. Searle Notícias úteis, E.U.A . 11 de Janeiro de 1991 Volume I, Número 1 A prata coloidal contendo metal na forma coloidal (definição: Colóide Substância composta de partículas extremamente pequenas, porém maiores que a maioria das moléculas normalmente variando de 0,01 a 0,001 microns de diâmetro.) As partículas de um colóide de fato não se dissolvem, mas permanecem convenientemente suspensas gases, líquidos ou sólidos. Muitos materiais associados com a vida cotidiana, como sabonete, maioria dos plásticos, borracha e vidro são produzidos das colóides. As colóides também exercem importante papel na função orgânica, como a digestão e excreção e não apenas como um líquido claro. A cor da prata coloidal pura tem sido largamente expandida no modo de sua preparação na presença ou ausência das mínimas quantidades de eletrólitos. Alguns usos quando preparada sob condições convenientes e devidamente protegidas a prata coloidal é bastante estável até mesmo na presença dessas e de constituintes normais do sangue. Sua ação destrutiva das toxinas é bastante destacada de forma a proteger os coelhos com 10 vezes mais eficácia que a dose de toxinas diftéricas Diferentemente de certos componentes orgânicos da prata o metal coloidal não é organotrópico. Organotropic Organo = orgânico. Trópico tem uma tendência de se voltar e mudar de maneira a responder os estímulos. Doravante Organotrópico = A tendência de mudar em resposta dos estímulos orgânicos não causando necroses sobre os tecidos. Portanto tem sido utilizado consecutivamente por vários meses sem manchar a conjuntiva. (Definição: Conjunção, a membrana mucosa que delimita a superfície interna das pálpebras. E é continuamente fora da parte da pupila.) Tomada internamente, as partículas da prata coloidal são resistentes a ação dos ácidos diluídos e alcalinos do estômago e consequentemente continuam sua ação catalisadora e passam pelo intestino não modificado. T.H. Anderson Wells relata em Lancet ( 16 de fevereiro de1918) que a preparação da prata coloidal é utilizada intravenosa nos casos de septicemia sem qualquer irritação dos rins e nenhuma pigmentação da pele. Este físico descobriu que uma série de injeções intravenosas de prata coloidal a cada 48 horas não produz efeito inconvenientes e a recuperação é rápida. Senhor Malcolm Morris relata no Jornal Médico Britânico ( 12 de Maio de 1917), a prata coloidal é livre de inconvenientes dos preparativos da prata. A dor causada e a descoloração da pele ao invés de produzir irritação tem amenizado claramente os efeitos. Rapidamente domina a inflamação e promove a cicatrização das lesões. Ele possui resultados notáveis no aumento da próstata com irritação da bexiga, no Prurigo e área do eczema perineal e hemorróidas. Ela pode ser utilizada na forma de supositórios, enquanto a solução é aplicada na pele irritada. Na bromidrose da axila e pés ela dá alívio imediato e causa o rápido desaparecimento das verrugas. Sendo não tóxica, ela pode ser utilizada internamente na urticária e outras formas de dermatites, que sugerem a toxemia. Nestes casos o benefício é rapidamente percebido. Na oftalmologia a prata coloidal tem agora amplamente substituído o nitrato de prata. J. Mark Hovell escreve no Jornal Médico Britânico (15 de Dezembro de 1917), que a prata coloidal foi encontrada como sendo permanentemente benéfica na restauração da potência dos tubos eustasianos e para a redução do catarro nasofaringolo. A prata coloidal tem também sido utilizada com êxito nas condições sépticas da boca (incluindo doença alveolite pinorréia de Rigg ), garganta (incluindo amidalite e amidalite severa), ouvido (incluindo sintomas de Menière e o fechamento para inflamação da valsava ), septicemia generalizada, leucemia, cistite, coqueluche, herpeszoster. As declarações do uso da prata coloidal se prolongam nas declarações dos jornais médicos. OS REMÉDIOS COLOIDAIS E SEUS USOS Se voltando agora para o uso dos líquidos coloidais na cura ou alívio de doenças, é importante perceber o simples papel desempenhado por seus agentes em tais diferentes líquidos. Na maioria dos remédios decididamente utilizados com êxito levando em conta suas propriedades coloidais o agente ativo é um metal, tal como a prata, paládio ou um elemento não metal como o iodo e o enxofre. Substâncias mais complexas como a quinina e a cocaína também tem sido utilizadas com sucesso em estado coloidal, porém 9
    • não atingindo a mesma extensão dos elementos anteriormente citados. A razão é bastante simples, somente com um número limitado de pesquisadores é possível se proceder da maneira desejada obter resultados notáveis que se seguiram os elementos em um estado coloidal, naturalmente resultando na concentração da atenção nesses elementos. A grande vantagem que os elementos coloidais possuem sobre seus componentes é a facilidade com que suas ações podem ser estudadas. Se o sal ou outro componente é administrado existe sempre a possibilidade de ocorrer a hidrólise ou ionização da corrente sangüínea ou canal nutritivo, dessa forma desencadeando reações complexas nas quais elementos além dos investigados serão envolvidos. Por exemplo, o ferro pode ser utilizado na forma de carbono que é convertido em clorídrico no estômago e isto, em dissolução é hidrolisado , eventualmente formando hidróxido e clorídrico de ferro. Se o ferro fosse administrado como um elemento estas complicações seriam evitadas e o investigador teria muito mais precisão na hora de traçar suas conclusões. Exceto na forma coloidal é impossível a utilização de elementos em seu estado ativo sem os demais elementos necessários para ocorrer sua solução. Nenhum tipo de método foi ainda descoberto no qual haveria a redução de um elemento a um estado tão puro que eles permaneceriam em suspensão na água por meses sem que houvesse a tendência da deposição. O produto bruto obtido dos processos mais elaborados de trituração é destituído destas propriedades que dão às partículas coloidais seus valores terapêuticos. O efeito da administração de certos elementos em estado coloidal em pessoas com condições patológicas é bastante interessante, parcialmente levando em conta a ausência de complicações que ocorrem quando o mesmo elemento é utilizado de outra forma. Por exemplo o iodo e o mercúrio, como normalmente utilizados, são insatisfatórios por sua grande ação tóxica. Isto praticamente não ocorre quando estes elementos são utilizados na forma coloidal. O fato notável de que a prata coloidal e o iodo não mancham a pele uma vez que as preparações farmacológicas da prata e do iodo são extremamente fortes é uma indicação avançada da impressionante diferença entre as soluções normalmente utilizadas e aquelas coloidais. Amplamente como o aspecto coloidal do metal difere dos mesmos metais usualmente conhecidos e de seus sais, tal aspecto é notavelmente semelhante às enzimas que atuam nas bactérias. A quantidade de metal coloidal produzido sob os experimentos é quase insignificante tornando seu efeito germinativo bastante satisfatório. Ainda mais impressionante são os resultados obtidos com a adição de solução coloidal propriamente preparada para uma inalação média, onde as bactérias são destruídas relativamente em um curto espaço de tempo - tem sido mostrado nas fotografias de pesquisas que existe uma maneira claramente infalível das potencialidades dos metais coloidais mesmo sob condições particularmente desfavoráveis para seu uso. Foi estimado que na zona morta, onde há maior concentração de metal coloidal, este não excede 25 partes por milhão de nutrientes aproximadamente. A ação germicida de certos metais no estado coloidal tem sido demonstrada, apenas nos resta aplicá-la nos humanos; e isso tem sido feito com a obtenção de resultados impressionantes. Não é sugerido que as formas de metais coloidais substituam os costumeiros desinfetantes de excreção, vasos de vários tipos e usos gerais; mas sim para a administração interna, tanto oral como hipodérmica possuindo a vantagem de serem rapidamente fatais para os parasitas bactérias e outros sem ação tóxica para o hospedeiro. O problema com qualquer inovação no avanço da ciência médica é a suspeita que inicialmente é levantada sobre o estabelecimento das relações de dor naqueles de visão mais centrada. Aderindo à sua atitude estruturada e na definição de programas de tratamento, a maioria dos físicos e cientistas são bastante sépticos no embasamento de qualquer mudança ou desafio às suas teorias e concepções. A única elevação efetiva que irá substituir um tratamento já estabelecido e seus conceitos lógicos será a descoberta e publicação da verdade. A verdade por si só na ciência é considerada aquela que se pode repetir várias vezes e ser claramente vista sob diferentes condições de experimentos porque não somos iguais, cada pessoa irá reagir de uma forma à mesma coisa. Enquanto o escândalo permanece também é figurado como uma cara barreira entre uma boa idéia e a prova científica. Isto é para dizer que uma boa quantia de dinheiro pode ser gasta na utilização dessas pesquisas para a prova de uma nova verdade e este dinheiro é quase todo arrecadado de doações dos cofres públicos. Durante toda esta demora, o ponto de vista e padrões de tratamento continuam a ser aqueles conhecidos e utilizados. Uma geração inteira ( ou duas) de médicos e cientistas pode se formar em suas carreiras com informações que vão contra a natureza e sua cura em um momento que a verdade é conhecida por apenas algumas pessoas corajosas. Muitas idéias de cura natural sofreram o fato de serem casualmente esquecidas pela boa reputação dos então chamados estudos científicos . Resguardando a prova científica, informações reais foram evitadas de várias fontes pelo tempo que o intensivo exame científico era feita para determinar mais precisamente o significado e aplicação desta única descoberta que se aproximou do tratamento de doenças sérias. Aqui existe um outro exemplo do problema. È agora estimado que uma em cada quatro mulheres irão desenvolver o câncer de mama ao longo da vida. Escutei de duas mulheres que diziam terem sido curadas do câncer de mama com a prata coloidal. Também, três homens com câncer de próstata que desapareceu e um com câncer nos rins. Todos eles foram diagnosticados através da biópsia. Após o diagnóstico eles tomaram diariamente grande quantidade de prata coloidal até o dia da cirurgia. Um utilizou-se do produto caseiro e outro do produto feito com a prata coloidal. Em todos os casos biópsia do tecido da mama retirada e dos nódulos linfáticos era câncer. A questão é: a prata coloidal funcionará bem em todos os casos de câncer de mama? Provavelmente não, mas n atual conjuntura legal e política nunca saberemos. Nenhuma indústria farmacêutica pode controlar ou monopolizar os direitos da prata coloidal, portanto nenhuma irá financiar as pesquisas que atualmente podem custar alguns milhões de dólares e durar 10 anos. TGA diz que se você alegar que a prata coloidal cura e isto quer dizer de um resfriado ao câncer, ela seria classificada como uma nova droga e o público não pode Ter acesso à novas drogas sem que elas sejam testadas. Usando o modelo de TGA, iria custar um 10
    • bilhão de dólares ao povo para provar ao TGA o que ele já sabe sobre a prata coloidal. Os políticos definitivamente se incluem neste quadro. TGA não quer ser exposto e forçado a ser um incentivador das indústrias de medicamentos e nem ser taxado de não agir em pró dos interesses do público. Enquanto estas idéias não são novidades para alguns de nós, esta seria uma revelação inovadora para que grande porção da população passasse a pensar desta forma. TGA certamente gostaria de evitar este constrangimento das relações públicas . A verdade é que o TGA nunca utilizou o dinheiro dos impostos na realização de nada importante ou publicou nenhuma de suas descobertas em benefício da população, especialmente quando algo tão poderoso, seguro e barato podia ser obtido e feito por ela mesmo. Obviamente, o enfraquecimento da população em ser auto confiante e frugal com sua própria saúde não é de responsabilidade do TGA. A prata coloidal possui claramente algumas capacidades extraordinárias e centenas de usos legítimos. Porém, sem padronização, controle de qualidade e extensos testes médicos, o público nunca saberá como melhor utilizar a prata coloidal em determinada situação. O TGA possa tentar ainda restringir o acesso do público à prata coloidal alegando que ela não é segura, mesmo eles sabendo o quão segura e eficaz ela PODE SER quando utilizada de maneira correta. Na ausência dos dados deste teste autoritário, o as pessoas são deixadas para procurarem e experimentarem as respostas. Há a ameaça de uma briga sobre o acesso da população a prata coloidal porque o custo do cuidado com a saúde neste país é fora do comum e as pessoas estão buscando por soluções mais baratas que realmente funcionem. Desta forma, a prata coloidal poderia ser aquilo que os médicos esperavam. Estudos de pesquisas feitas por Margaret Bayer, PhD, no Fox Chase Cancer Centre na Filadélfia, EUA, mostrou que o crescimento e a reprodução ( expansão) da bactéria da Doença de Lyme ( Borrélia burgdorferi espiroquetas) é medida lentamente ou impedida pela prata coloidal quando observada nos tubos de testes do laboratório. William Burgdorfer,PhD. e Tom Schwan, Ph.D trabalham nos Laboratórios Moutain Rocky, Institutos Nacionais de Saúde, Serviço de Saúde Pública, Departamento americano de Saúde e Serviços Humanos. Em seus estudos de duas bactérias de borrélia B. Burgodorferi ( causadora da Doença de Lyme) e B.hermisii ( causadora da recaída febril) descobriram que misturando os tubos de ensaio com prata coloidal elas se encontravam uniformemente mortas. Helen Buckly, PhD, Professora de Micro biologia e Imunologia na Escola Universitária Temple de Medicina, Filadélfia, Pensilvânia , EUA; declarou que um tratamento secundário poderá estar disponível para os casos de síndrome do levedo tendo sido feito estudos com os tubos de ensaio para vários tipos de Cândida albicans ( cadeia de fungos) e vários criptococus em correntes com neo formas. Criptococose, uma infecção mortal causada por fungos é um grande problema para muitas pessoas que sofrem de AIDS ( ou SIDA) ( síndrome de imuno- deficiência adquirida). Em ambos os casos, a proliferação foi contida na exposição dos tubos em quantidades bastante pequenas da prata coloidal. AIDS, O BIOLÓGICO EQUIVALENTE A UMA GUERRA NUCLEAR Dr. Seale precisamente denominou a AIDS de O BIOLÓGICO TERMONUCLEAR EQUIVALENTE A UMA GUERRA NUCLEAR . E ele e como as autoridades da saúde falharam em tomar medidas apropriadas para refrear a doença e em como a mídia espalhou tantas informações erradas sobre ela .Hoje, na maioria das cidades a AIDS é uma das maiores causadores de morte sem qualquer previsão para sua cura. O que torna a AIDS ainda mais terrível que qualquer outra praga existente é que ela ataca o sistema imunológico deixando as vítimas enfraquecidas para se defenderem de qualquer tipo de doença, desde uma simples gripe à uma tuberculose ou meningite. Esta é uma doença para além de infernal que afeta não só o corpo mas também a mente e o julgamento daquelas que a possuem. E ela está se espalhando por todas as partes do mundo : ninguém mais está seguro. Dr. Claude Newbury disse ao final do ano de 1995 que poderia existir 12.6 milhões de sul- africanos infectados com o vírus da AIDS. A CIA calcula que aproximadamente 75% da população africana no sul do Saara poderia estar infectada com AIDS por volta de 1990. Esta certamente será a pior epidemia que o mundo já testemunhou. O principal problema de saúde que nos chama a atenção agora é a AIDS. O problema é simples: esta é uma doença então chamada mortal sem nenhum aparente tratamento que as multinacionais possam Ter pacientes e ganhar milhões. ( a palavra chave aqui é aparente ). Este problema é reivindicado para o resultado da exposição e infecção por um vírus específico, como o HIV-1 ( Vírus humano de imuno-deficiência , tipo1). A medicina moderna aproximou-se de algumas descobertas no sentido de diminuir a proliferação do vírus dentro do corpo humano mas não há nenhum tratamento que ajude a melhorar o sofrimento. Em 2 de fevereiro de 1995, E.Henderson, PhD, um outro professor de Micro biologia e Imunologia na Escola Universitária Temple de Medicina, publicou um jornal reportando dados empolgantes do uso da prata coloidal. Os experimentos do Dr. Henderson, testaram a habilidade da prata coloidal em bloquear a produção de HIV nas células linfócitas dos humanos ( glóbulos brancos). Em pequenas doses, relatando suas descobertas, a prata coloidal bloqueia a produção viral drasticamente com um pouco ou nada de intoxicação. Estudos tardios no laboratório do DR. Henderson envolviam a linha celular de linfoblastóide-b , um tipo diferente de glóbulo branco e HIV-1 sobrevivente e reativado. Ele mais tarde declarou que a variação de pequenas dosagens da prata coloidal eliminada as infecções causadas pelo HIV ou reduz significantemente a habilidade infectiva. Estes testes foram feitos em tubos de ensaio e encaminham como as futuras pesquisas devem ser feitas. Os medicamentos atualmente utilizados infelizmente não têm sido eficazes contra o vírus HIV. Bastante importante é que os efeitos colaterais do tratamento da AIDS têm algumas vezes sido tão mortais como a própria doença. (erradica-se a doença mas mata-se a patente). Aqui talvez fosse aonde a prata coloidal pudesse realmente ajudar. 11
    • Ele continua e declara que quase ou nenhuma toxidade aos glóbulos brancos ocorreu na dosagem necessária e eficaz contra o vírus HIV. Como ele mesmo diz Estes resultados são bastante encorajadores e sugerem experimentos adicionais que poderiam e deveriam ser feitos. Em parte devido à expansão da AIDS e seus efeitos no sistema imunológico em milhões de pessoas, doenças antigas como a tuberculose estão reemergindo em grande escala por todo o mundo. è perfeitamente claro que a tuberculose e HIV-AIDS caminham juntas explica o Dr. David Rogers da Universidade Médica de Cornell. O Herald of Povo, Utah, 2 de fevereiro de 1992 publicou um artigo na página D-1, no qual um membro administrativo da Universidade Jovem de Brigham pelo nome de Daryl Tichy obteve sucesso nos experimentos com a prata coloidal no tratamento da AIDS, juntamente com verrugas e vírus Parvo em um cão. Tichy disse que ele teve o material (prata coloidal) testado em dois laboratórios diferentes; os resultados mostraram que a solução matou uma variedade de patogenias , incluindo o vírus HIV. Tichy então fala: eu não tenho nenhuma dúvida . Ele disse não ter conseguido subsídio para continuar sua pesquisa. Isto não é uma surpresa, considerando o que outros pesquisadores descobriram. Existem muito mais evidências que comprovam as conclusões de Tichy. Pontos extensos evidenciam ao fato de que a prata coloidal destrói todos tipos de vírus incluindo o vírus da AIDS e reforça o sistema imunológico de forma excelente. A prata coloidal mantém as células T em sua luta contra os organismos estranhos no sangue. Em forma virtual, um segundo sistema imunológico mais precisamente protegendo e defendendo as células T assim como trabalhando por elas. È fortemente indicado por pesquisadores cientistas como o Dr. Gary Smith e vários outros que os íons da prata são essenciais para o sistema imunológico. Em seu livro O uso de Colóides na Saúde e nas Doenças, por Dr. Henry Crookes ele diz : a prata coloidal é altamente anti-viral. Em testes de laboratórios ele descobriu que todos os fungos, vírus, bacilos, estreptococos, estafilococos e outros organismo patógenos são mortos entre três e quatro minutos. De fato, não há nenhum micróbio conhecido que a prata coloidal não mate em seis minutos ou menos, e em dissolução tão pouca como em cinco partes por milhão. Dr. Crookes nos diz não haver nenhum efeito colateral ou qualquer coisa do tipo em concentrações mais elevadas. O cientista pesquisador, Dr. Gary Smith declara que percebeu a correlação entre os níveis baixos da prata, doenças e imuno-deficiência. Ele descobriu que pessoas que possuem baixos níveis de prata possuem um propensão a estarem constantemente doentes e ter inúmeros resfriados, gripes, febre e outras doenças. A pesquisa do Dr. Gary Smith parece sustentar que os benefícios da prata coloidal são inteiramente naturais quanto aos seus agentes de cura. HIV e AIDS são uma dupla condição médica. Primeiro é o vírus HIV que ataca o sistema imunológico e segundo é o principal feito aparente, que são as condições resultantes do enfraquecimento do sistema imunológico. As evidências mostradas nas pesquisas mostram que a prata coloidal é uma faca de dois gumes. Ela ataca direta e eficazmente o vírus HIV e depois forma um sistema imunológico virtual, capacitando-o de se defender de vários outros problemas de saúde que o sistema imunológico não havia sido capaz de vencer. Os parasitas estão sendo conhecidos cada vez mais como responsáveis pela falha na saúde. Hulda Clark, PhD, ND, autora de A Cura para Todos os Canceres e A Cura para o HIV e para AIDS nos diz que nem o câncer nem o HIV podem existir sem a presença de parasitas e, se nós eliminarmos os parasitas a doença irá embora. Saúde e Conscientização, volume 15, n.º 4 diz: Os parasitas também são mortos (pela prata coloidal) a medida que eles atingem o estágio de embriões no ciclo reprodutivo, que é unicelular e mais adiante mortos em seis minutos ou menos. Para a quantidade de parasitas existentes isto pode ser um pouco inconclusivo. Entretanto, testes mostraram que a larva do mosquito é morta eficazmente pela prata coloidal. Deveria ser lembrado que para eliminar um tipo de parasita matando seus embriões ou larvas significa que a pessoa deve continuar o tratamento até que todos os adultos morram provavelmente de velhice . Mais pesquisas são necessárias, mas se a AIDS ou o câncer e outras condições podem ser tratadas eficazmente com a prata coloidal, qualquer efeito aos parasitas é um benefício livre. Na mesma proporção da AIDS é o resultado de um sistema imunológico virtualmente destruído o que seria uma surpresa descobrir que a prata coloidal não possui um efeito dramático sobre a AIDS. A AIDS como uma doença viral, os antibióticos raramente possuem efeitos em nenhum vírus mas a prata coloidal tem se mostrado bastante eficaz. A evidência fortemente sustenta a teoria de que a prata coloidal é altamente eficaz contra as cadeias viróticas curando até mesmo um simples resfriado com dose única. Enquanto muitos medicamentos no mercado mascaram os sintomas da gripe, a prata coloidal é tida para matar os vírus que a fazem persistir. A AIDS, assim como todos outras infecções virais, não está ao alcance dos antibióticos que matam apenas algumas cadeias de bactérias e nenhum são eficazes contra os vírus de leveduras ou fungos. Ainda, pesquisadores estão nos dizendo que a prata coloidal é eficaz para tudo isso antes apresentado. Um séria condição é a típica rapidez com que a AIDS envelhece. O envelhecimento é geralmente devido à diminuição da capacidade do corpo de substituir as células mortas rápido o suficiente. Esta diminuição começa na idade adulta e continua até a terceira idade. Na reportagem: Prata Coloidal, Saúde e Conscientização, vol.15, nº4 lá dizia que a prata na AIDS, ajuda no desenvolvimento do feto em crescimento, saúde e facilita o parto e recuperação. Se a prata coloidal auxilia tão notavelmente o crescimento do feto, poderia ela retardar o processo de envelhecimento? A partir das pesquisas do Dr. Becker, parecia que a prata coloidal produziria as células diferenciadas para a prevenção do retardamento da troca celular. È bem provável que um sistema imunológico enfraquecido é incapaz de produzir indiferentemente o número de células necessárias para a reposição das células. A prata coloidal produz as células necessárias para que isso se torne possível. Tudo isso tem sido descoberto e redescoberto ao mesmo tempo que as doenças causadas por bactérias estão adquirindo resistência aos antibióticos mais modernos. Mais ainda, a imunidade aos antibióticos parece estar se desenvolvendo em todo o mundo até mesmo em áreas isoladas. A comunidade médica está alarmada mas não nos diz nada. Poderia a prata nos salvar? Muitas lideranças de 12
    • autoridades acreditam que sim! VIROSES DESCONHECIDAS O vírus Hanta mais conhecido como doença de quatro cantos não é assim tão misterioso; é classificado como um vírus de vida selvagem. A eclosão, dizem os virologistas, é um caso clássico do que acontece quando se maltrata o ambiente natural. Parte do problema é a explosão da população de ratos. Roedores estão transmitindo cadeias relativas à peste bubônica que quase dizimou a Europa. Atualmente, o vírus de vida selvagem não é transmitido pelos roedores mas sim pelas pulgas neles existentes. O RESURGIMENTO DA CÓLERA Os cientistas médicos estão apreensivos com o fato de que o mundo está enfrentando uma nova epidemia de cólera, possivelmente a maior do século. Uma nova cadeia ( advidas da mutação causada pelos antibióticos) resistente a todas vacinas conhecidas apareceu na Ásia e já está atingindo milhares de vidas. Ao final dos anos 90 é esperado a proliferação para a África, meio-leste e Mediterrâneo. O número de mortes esperado pela Cólera deve dobrar em 10 vezes até tal tempo. Como mencionado anteriormente, a prata coloidal é conhecida por matar o vírus da AIDS, inibindo a reprodução e formação latente, que é admitido como um fato estornante. No entanto, por muitas razões não entraremos no assunto, mas muito de nós sabe ( incluindo a F.D.A. E.U.A e as restrições australianas de T.G.A) que neste momento uma cura para AIDS não pode ser oficialmente anunciada. Mesmo assim, posso apontar que pesquisas em condições laboratoriais provaram que a prata coloidal realmente destruiu o vírus da AIDS em 34 minutos após entrar em contato com ela. John Barltrop, D.Sc e R.C. Relund, D.V.M; reportaram algo mais além e testes com tubos de ensaio: eles resumiram experimentos em que a prata coloidal foi dada à ratos e suas reações foram observadas. Ratos ( apenas me ocorreu o por quê de eles pensarem que os ratos fazem parte da mesma categoria que os humanos? Em outros pensamentos deixarei esta pergunta em aberto) foram injetados com a solução ou foi adicionada à água. Em todos os casos: clínico e comportamental, e avaliações patológicas mostradas, nenhuma evidência aguda ou a longo prazo de mudanças tóxicas ocorreu. As dosagens utilizadas foram variadas, muitas vezes o que foi eficaz em seres humanos em uma variedade de doenças. Verdadeiramente este poderia ser o ponto máximo que o tipo humano procurava para a prevenção e cura de todas as doenças que o homem moderno vem criando. O QUE É A VERDADEIRA PRATA COLOIDAL? Uma prova Antimicrobiano, Científica e Medicamente Testada e Altamente Eficaz no Suporte do Sistema Imunológico È um poderoso produto antibiótico/ antifungio natural reelaborado da primeira descoberta feita no século XXIX por um químico britânico chamado Michael Faraday. È um catalisador que dissolve qualquer enzima de uma bactéria unicelular, fungo ou vírus utilizando-se do oxigênio de seus metabolismos, por sufocação. A prata coloidal mata todo tipo de organismo causador de doenças em contato, até aqueles que são pleomórficos, não importando o quanto eles mutam. Cadeias resistentes não mais podem ser desenvolvidas e o corpo não adquire tolerância. A prata coloidal foi descoberta para ser tanto remédio como prevenção de resfriados, gripes, todos tipos de infecções e fermentações causadas por bactérias, fungos ou vírus, incluindo estafilococos ( dourado ) e estreptococos. A prata coloidal é a forma utilizável mais eficaz conhecida, no combate de doenças que o corpo precisa combater dos organismos causadores de doenças e como auxílio no processo de recuperação. pessoas mais velhas que a utilizam se sentem rejuvenescidas porque energia do corpo é utilizada para algo mais do que combater as doenças e o processo de digestão é melhorado. Pesquisas médicas em torno do mundo, provaram que a prata coloidal promove a regeneração com menos cicatrizes no tecido nos casos de queimaduras profundas. A prata coloidal ajuda no crescimento do feto, saúde e auxilia o parto e recuperação da mãe. A prata coloidal não é um produto químico contendo prata, são crostas microscópicas de prata pura mantidas em suspensão em água destilada por uma carga elétrica carregada em cada átomo. Água desionizada ( para evitar a precipitação de água impura). Se a prata coloidal está em água desionizada, ela não ficará em suspensão. Por outro lado, o processo de destilação desenergiza as moléculas de água reduzindo a proporção de ligação de hidrogênio para que O magnífico processo da Água retorne com a água para seu estado natural. Possuir prata coloidal suficiente no corpo é como possuir um sistema imunológico secundário. EXISTEM EFEITOS COLATERAIS? 13
    • É TÓXICOS? Não existe qualquer indício de efeitos colaterais no uso da prata coloidal e nenhum registo de qualquer outra interação de medicamentos ou qualquer outro remédio. Pelo fato de ser uma formulação pura (99,995% de prata+0,005% de cobre) e água destilada da chuva sem nenhum tipo de aditivo não causa nenhum prejuízo às enzimas humanas ou em qualquer química corporal. Possui uma coloração ligeiramente amarelada, quase sem gosto, e digo quase porque acho que se sua papila for muito sensível ou se você estiver com hortelã na boca é percebido um leve gosto metálico. É inodora e não enjoa no estômago A prata coloidal não é tóxica e não possui aditivos que poderiam ser classificados como suplemento mineral da dieta alimentar, porém nós devemos repassá-la suavemente por causa das restrições estabelecidas pelo T.G.A OS EFEITOS DA PRATA COLOIDAL? Em adição aos estudos que têm sido feitos nos últimos 100 anos reportando os diversos testes de laboratórios alarmantes resultados significantes surgiram: Relatório submetido por LABORATÓRIOS ROCKY MOUNTAIN, E.U.A.A Dr. Willy Burgdorfer, PhD Cientista Eméritos 13 de janeiro de 1995 Preparações da prata coloidal: sua eficácia é avaliada nos estudos pilotos preliminares contra a doença de Lyme spirochaeta, Borrelia burgdorferi(BB1) e contra o agente da febre repentina, B. Hermsii(HS-1). Em ambos os testes, culturas Bsk de espiroquetas foram tratadas com a prata coloidal. Quando examinadas 24 horas depois, nenhuma das culturas continha espiroquetas vivas. Poucas espiroquetas , todos mortos foram observados após 48 horas. CENTRO DO CÂNCER FOX CHASE Estudos preliminares de laboratório nas espiroquetas Borrelia burgdorferi revelaram que a prata coloidal significante e eventualmente levava à morte das células. Mais estudos são indispensáveis para obtenção de um quadro mais claro sobre a interação da proteína da prata e a Borrelia burgdorferi . Como estes estudos preliminares sugerem, o crescimento e reprodução das espiroquetas de Lyme são medidamente inibidos pela prata coloidal. Margaret Bayer, PhD. UNIVERSIDADE DE TEMPLE,EUA 2 de fevereiro de 1995 A professora Helen R. Buckley, PhD, afirma que estudos preliminares da preparação da prata coloidal mostra esta sendo eficaz na inibição e matança das cadeias de Cândida Albicans e cryptococcus em neo formas in vitro. Estudos complementares deveriam ser feitos para avaliação de sua verdadeira eficácia. O professor Earl Henderson, PhD. escreveu: O exame e a habilidade da prata coloidal na inibição do tipo 1 de vírus (HIV-1) da imuno-deficiência humana reaplicado na linhas T das células humanas, SupT1, é medido com a formação da syncytia. Foi descoberto que a prata coloidal inibe a reprodução de HIV-1 nas células SupT1 como mostrado pela redução na cultura celular da syncytia. Houve o aparecimento de uma mínima ou nenhuma toxidade aguda associada à dose de prata coloidal, que inibiu a reprodução de HIV-1. Estes fatos sabidos são bastante encorajadores e sugerem experimentos adicionais que poderiam ser feitos. Ele também declarou : Meu laboratório tem estudado os efeitos de uma formulação especial da prata coloidal na imuno-deficiência humana virótica do tipo1(HIV-1) a sobrevivência e a reativação latente do HIV-1 na linha celular do linfoblastóide B, M57-3. Os resultados do experimento mostram que a exposição do HIV-1 à prata coloidal durante uma hora à 37 graus centígrados elimina completamente a infecção do HIV-1 como medido pela formação de syncytia nas células SupT1. UNIVERSIDADE DE TORONTO 27 de janeiro de 1995 À mais alta dose não foi observado nenhum efeito contrário durante o período de tratamento, os dados não nos permite fazer declarações resguardando o fato metabólico da prata coloidal. Se estes dados pudessem ser extrapolados para a escala humana, então para cada 60 quilogramas individuais seria dado 3,600mg(3,6 gramas) para receber uma quantidade equivalente à aquela utilizada nos testes com animais (ratos0. Isto corresponde à injeção de 1ml de solução contendo 300,000 pp/L ou pp/M ( partes por litro) 14
    • de prata coloidal. TOXIDADE DA PRATA COLOIDAL Soluções medicinais da prata foram desenvolvidas por volta de 1891. Bastante difundido o uso desses produtos por seus praticantes tanto oral como injetável, a antibacteriana ocorreu primeiramente em 1930.existiram vários nomes para os produtos da prata e soluções produzidas por diferentes indústrias manufatureiras e farmacêuticas. Alguns nomes foram Argeti Acetas, Argonin, Argyn, Argirol, Largin e lunosol; apenas para enumerar alguns. A eficácia de soluções da prata como dependente antibactericida nos padrões manufatureiros eclodiram desde a época em que foram fabricados. No geral, as soluções da prata formuladas por físicos do ramo de pós comerciais variaram efetivamente em diferentes graus por mais de 14 dias da data de fabricação. Dependo do processo manufatureiro, manchas na pele poderiam ocorrer quando utilizado topicamente. Mesmo que a soda clorídrica pudesse ser removido do conteúdo, alguns vestígios permaneciam. Nenhum desses produtos foram eficazes no combate à bactéria como a do nitrato de prata. entretanto, o nitrato de prata tinha sérios potenciais, senão fatais, efeitos colaterais devido à sua toxidade. As soluções da prata que possuíam a mais alta eficácia eram aquelas preparadas em consultórios médicos e que eram administradas imediatamente por via oral ou intravenosa. Por volta de1990, havia apenas poucas pessoas fora da comunidade médica fabricando soluções da prata a maioria produtores de suplementos alimentares. Eles mesmo faziam o produto, em pequenas quantidades , desta forma a solução era previamente preparada. Infelizmente, isto resultava em um produto totalmente instável quanto à sua eficácia. Em 1992, o Dr. Joseph Cardot em Arvada, Colorado estava utilizando a prata coloidal. Dr., Cardot percebeu que alguns produtos limitavam a eficácia contra algumas infecções durante um certo tempo mas não eram eficazes contra a mesma infecção outras vezes. Dr. Cardot teve a previsão de acreditar que as soluções da prata tinham o potencial de serem bastante eficazes no tratamento de infecções quando manufaturadas propriamente. Ele então começou a olhar para um possível problema com o produto ou pesquisar a possibilidade de uma melhor fabricação para a solução de prata. Alguns meses depois, um único modo de infusão da prata em água destilada por eletrólise foi descoberto. Isto resultou em uma prata coloidal extremamente estável com o aumento das propriedades antibacterianas. Testes aprofundados confirmaram que o componente era bastante estável. O produto foi então entregue aos médicos, laboratórios e universidades para testes. As notícias correram rapidamente dos médicos utilizadores da nova prata coloidal desenvolvida, na medida em que ela era eficaz no tratamento de cadeia de bactérias resistentes aos antibióticos. Os estudos continuados feitos in-vitro e in-vivo durante vários anos revelaram que as soluções da prata coloidal inibiram ou foram letais contra o HIV. Os mesmos efeitos foram encontrados in vitro à respeito da C. Albicans , C. neoformas, as espiroquetas na doença de Lyme, Estafilococos coli, Estreptococos aureus, S.pneumonise e P. aeruginosa, também parcialmente inibido pelo enterococos in-vitro. Pesquisas aprofundadas da concentração irão sem dúvida provar que esta resistência Dos grupos de bactérias aos antibióticos é também suscetível os efeitos letais para a bactéria da prata coloidal. Declarações advindas dos médicos e praticantes que vêm utilizando a prata coloidal in-vivo por mais de três anos relataram correspondente aos mesmos resultados das universidades utilizadoras do teste in-vitro. OS USOS DA PRATA COLOIDAL Fybromagia (fybromyositis) infecciosa e pacientes com a síndrome de Sjogren têm se beneficiado com a terapia feita com a prata coloidal. A terapia feita com a prata coloidal ajuda muitos pacientes com artrite reumática com infecções por fluídos sinoviais que estão causando inflamação para não mais ser preciso a utilização de esteróides. A sistemática da Cândida albicans tem sido tratada com sucesso pela prata coloidal É muito eficaz, porém você deve começar com doses pequenas ( 2 gotas duas vezes ao dia)para controlar o efeito herxheirmer. Os efeitos de Herxheirmer é uma leve dor de cabeça na parte de trás da nuca, algo como uma dor de cabeça de Clayton . Estafilococos e outras infecções na boca (gengivite) melhoraram drasticamente com a terapia da prata coloidal. Doença espiroqueta de Lyme ( Borrelia burgdorferi) é eliminada com a utilização da terapia pela prata coloidal. Foi observado que pacientes da Lyme que vinham tomando vários antibióticos por três anos ou mais, se tornaram assintomáticos a terapia da prata coloidal em apenas três ou quatro semanas de tratamento A duração média para livrar o corpo da espiroqueta é de três a nove meses. A sistemática da Cândida albicans ocorre frequentemente em pacientes com Lyme complicando e prolongando a duração do tratamento. Doença de Lyme predomina mais do que se é sabido. Lyme foi detectada nos Estados Unidos em 43 estados, em todo o Canadá e também na Austrália ( conhecida como febre da esfregação ), os casos reportados da Lyme representam aproximadamente 20% do número real de casos. Lyme é frequentemente mal diagnosticada e confundida com a meningite ou como uma erupção causada pelo calor. Um exantema vermelho é um sintoma típico da Lyme .A prata coloidal está provando ser eficaz em se livrar da espiroqueta de Lyme quando ela é inclusa no protocolo de tratamento. A coisa mais importante sobre a terapia da prata coloidal é o fato de ela não ser tóxica. Nenhum efeito colateral foi detectado na utilização da prata coloidal no tratamento, e ela tem sido utilizada com pacientes em todos os tipos de infecções. Em condições extremas quatro colheres de sopa por dia foram dadas sem nenhuma reação contrária observada ou relatada. 15
    • Editores notem: para descobrir o quanto de prata coloidal eu poderia tomar sem obter efeitos colaterais, comecei a tomando 50 ml duas vezes ao dia( isto é um quarto de garrafa) durante uma semana .Após alguns dias achei estar com diarréia, mas um exame mais profundo mostrou que era o muco que começava a ser descarregado pelo corpo em quantidade abundante. Eu pensava estar bem até que me disseram que em um grande hospital na Califórnia, existiam três homens fazendo pesquisas e eles estavam tomando um litro por dia sem efeitos colaterais. DOSAGEM A seguir é a quantidade diária que eu vinha tomando. 1ºdia, 1gota, 1 ml de manhã e à noite 2º dia, 2 gotas, 2 ml de manhã e à noite 3ºdia, 3 gotas, 3 ml de manhã e à noite 4ºdia, 4 gotas, 4 ml de manhã e à noite 4mls = uma colher de chá Para os dez dias seguintes eu tomei uma colher de chá duas vezes por dia depois voltei a 1 gota duas vezes ao dia. Isto me deu algum resultado mas lembrem-se que eu já estava doente há poucos anos, estes germes já estavam acomodados em meu corpo. Então decidi passar a tomar uma colher de sopa (12 gotas) de prata coloidal duas vezes ao dia. Comecei a ter uma forte dor de cabeça atrás da nuca e então diminuí para 8 gotas duas vezes ao dia(uma colher de sobremesa).Fiz isso durante poucos dias e depois aumentei para a colher de sopa duas vezes ao dia. Eu sou uma pessoas grande, meu peso varia entre 86 e 90 quilos. A resposta individual pode variar para a quantidade média de prata coloidal necessária para o benefício ótimo de cada pessoa. Descobri nos últimos anos que aproximadamente 17% ou um sexto da população irá atingir os benefícios máximos a partir de uma quantidade diária ainda menor. Por volta de outro sexto descobrirão que eles terão que tomar mais. TITRATION Determinando a quantidade necessária Vamos começar formulando a quantidade diária sugerida. Utilize metade da medida recomendada para crianças e um quarto para bebês. Depois de tomar uma colher de chá diariamente de prata coloidal você pode aumentar ou diminuir a dose, isso dependerá de como se sente, seu corpo irá lhe dizer e o melhor de tudo é que a prata NÃO LHE FARÁ NENHUM MAL. Os adultos poderão diminuir para metade de uma colher de chá diariamente ( e proporcionalmente para peso corporal e crianças). A idéia geral é que quando você estiver em forma novamente seu consumo seja de uma gota embaixo da língua duas vezes ao dia para manutenção. Uma garrafa de 200 ml de prata coloidal deve durar mas de cem dias, isso gira em torno de três meses. Caso a pessoa sinta que está ficando gripada ou resfriada ou ainda qualquer outra porcaria que foi criada, a quantidade deverá ser triplicada ( uma colher de chá três vezes ao dia) por três dias e depois continuar seguindo a orientação acima. Descobri que dessa forma tudo é nocauteado . Algumas pessoas sentirão dormência e sonolência por volta do terceiro ou quarto dia após início do tratamento diário com prata coloidal. Isto é chamado reação de Herxheimer na aproximação da cura. Quando o corpo desintoxica rapidamente eliminando uma grande sobrecarga de toxina de uma só vez, os órgãos excretores podem se sobrecarregar e nesses casos é recomendado a ingestão extra de água para acelerar a amenização dos sintomas. Se uma pessoa tomando uma quantidade diária achar que ela ou ele ainda possuem ocasionalmente alguma infecção, eles devem quadruplicar a dose. Não há qualquer perigo na overdose, no entanto algumas poucas pessoas precisam de quatro doses ao dia. Já que prevenção é a idéia aqui, a pessoa pode errar na margem de segurança tomando apenas a quantidade mínima necessária. Ninguém sabe quando poderá ocorrer a eclosão de alguns vírus em números tão extrapolados em que o sistema imunológico fora fortificado com apenas um nível mínimo de prata coloidal. Também, se ocorrer um ataque de germe com proporções maiores do que o nível de imunologia do corpo sustentar, seria mais seguro aumentar a dosagem para um nível estável de ingestão da prata coloidal diária, podendo ser sentido uma leve desintoxicação pelo indivíduo. Eu descobri porém, que é melhor se prevenir do que se arrepender quando a intenção é ir a shoppings ou ao trabalho na presença de ar acondicionado. CINESIOLOGIA APLICADA Cinesiologista aplicada é uma das maneiras mais fáceis de determinar se um indivíduo necessita ou não da prata coloidal, especialmente se ele não está resfriado ou com qualquer outro tipo de infecção se manifestando. Reavaliando de tempos em tempos 16
    • mas sempre pecando pelo excesso. Cinesiologia pode ser o meio mais eficaz de se determinar a quantidade ideal. Isto pode soar estranho para algumas pessoas; se você possui um animal e quer descobrir qual seria a dosagem para ele peça ao seu Cinesiologista para fazer o teste para você. Eu já vi ser executado e funciona para recém nascidos e crianças muito novas também. FORTALECIMENTO CORPORAL E ELIMINAÇÃO A média para os primeiros benefícios da prata coloidal varia de cinco a sete dias para ser percebida. A prata coloidal irá fortalecer os tecidos para pelo menos uma concentração de cinco partes por milhão (5pp/L ou pp/M) em média por volta do décimo dia. Esta é a concentração efetiva mínima; concentrações maiores são desejadas(9-14 pp/M) devido ao risco de grande exposição a uma doença ou queimaduras profundas. De uma a três semana após cessado ( novamente isto varia de acordo com o indivíduo), a eficácia da prata coloidal é finalmente perdida e é eliminada através dos rins, linfáticos e intestinos. Descrita como uma substância que faz emergir, ela causa uma reação ou ocorrência sem ela mesma participar ou ser consumida. A prata coloidal atua como catalisadora na incapacitação de determinada enzima, melhor descrita como pulmão químico à medida que transfere oxigênio às paredes da células do causador da doença no organismo. O organismo sufoca! A mera proximidade da prata irá inutilizar a atividade da enzima comum a todos os vírus, fungos e bactérias, porém sem afetar as enzimas e tecidos celulares. Relatórios feitos sobre pacientes com HIV positivo, responderam à terapia com a prata coloidal se o tratamento havia sido iniciado antes do estágio avançado do vírus. Aos estudos da Universidade de Temple indicaram que a prata coloidal mata o vírus HIV in vitro. È fortemente acreditado que o HIV pode ser completamente eliminado se utilizada concentrações maiores do que aquelas que conseguem ser absorvidas oralmente. Devido ao fato da prata coloidal não ser tóxica em concentrações superiores isto poderia ser a prova de um tratamento para a vida de milhões que estão sofrendo e morrendo de doenças relacionadas à AIDS. O uso do AZT e outras drogas quimioterapêuticas intravenosas para o tratamento da AIDS são simplesmente uma sentença de morte . Mas enquanto o dinheiro continuar prosperando nas indústrias de medicamentos, estas drogas serão forçadas. È um fato clínico que estes medicamentos destroem o DNA e também o sistema imunológico, um caso de a doença foi erradicada mas matou o paciente . Porque não usar a comprovada prata coloidal não tóxica em pacientes com AIDS ou invés da atual Matem o paciente para curar a doença ? O velho ditado é verdadeiro: Os médicos sepultam seus erros . OUTROS USOS Plurigo: embeba um band-aid em prata coloidal e aplique na infecção, é declarado que a limpeza ocorrerá entre dois e três dias. Pseuríase: ( vírus da pele) há resposta para a prata coloidal, aliada topicamente e ingerida. Em três semanas de tratamento o crescimento de uma nova pele é observado. Pode levar de três a dezoito meses para o tratamento com a prata coloidal curar a psoríase, isto depende dos medicamentos tomados anteriormente e o tempo que o paciente possui o problema. Gengivite: a prata coloidal é tão eficaz no tratamento de doenças da gengiva que ela pode erradicar completamente a doença. Foi relatado que pacientes com severas infecções bucais os quais os sintomas eram: gengiva inchada, língua e bochecha( tornando-os incapacitados de falar ou comer) melhoraram imediatamente. Seguindo a aplicação ( ½ de colher de chá) de prata coloidal limpando em volta da boca maioria das pessoas achou maravilhoso o prazer de comer. Estas severas infecções são completamente limpas após dois ou quatro dias de aplicação de prata coloidal quatro vezes ao dia. Descobri que a melhor maneira é encharcar um longo e fino chumaço de algodão com prata coloidal e deixar na boca entre a gengiva e a bochecha em cima e embaixo adicionando a prata coloidal de 3 a 4 vezes por dia. Isto faz com que a boca fique meio grudenta mas funciona bastante. Herpes genital: excelentes resultados foram documentados na utilização da terapia com prata coloidal na herpes genital. Se a prata coloidal é aplicada topicamente por spray quando a ardência e irritação ocorrerem dando prioridade as erupções vesiculares, ela previne a erupção em mais de 50% dos casos. As erupções são amenas se elas ocorrem. Se continuado o tratamento tópico sobre a área, a infecção desaparece com metade do tempo normal. Os sofredores deveriam começar tomando duas colheres de chá ( uma pela manhã e outra à noite) de prata coloidal por via oral diariamente e permanecerem com uma colher de chá por dia para ajudar na prevenção de erupções futuras. Herpeszoster também tem sido tratada com sucesso. A dor é substancialmente aliviada e o período de erupção reduzido como indicado no caso da H. genital. Os atingidos deveriam da mesma forma tomar duas colheres de chá ( pela manhã e à noite) de prata coloidal por via oral diariamente e permanecerem com uma colher de chá para ajudar na eliminação de futuras eclosões. Pontos marrons. Na época de verão eu adquiro manchinhas marrons no meu braço direito( aquele que fica pendurado do lado de fora do carro!). Manchas de solou pontos marrons aparecem de tempos em tempos. O que faço é mergulhar um band-aid em prata coloidal e deixar sobre o ponto, mantendo o band-aid molhado com algumas gotas na parte inferior com o auxílio de um contador, parece que me livro das manchas em alguns dias. IRRIGAÇÃO COLONIANA Irrigações colonianas são um método duradouro administrado em uma hora de sessão utilizando uma máquina de irrigação coloniana. Se consiste em esterilizar o espéculo do plástico desperdiçado acoplado a um pequeno tubo plástico saindo da unidade contendo água. 17
    • Uma válvula de escape é também utilizada para retirar a matéria desperdiçada. O espéculo é introduzido no reto enquanto os pacientes estão em uma posição reclinada, deitados em uma mesa própria. Através de uma série de válvulas da máquina, água fresca ( alternando entre24 graus C. no final frio e 40 graus C. no fim quente) é bombeada para o cólon ,através do reto, entre uma libra e meia e duas de pressão. Quando a pressão chega ao cólon ela é liberada através da válvula de escape. Isto normalmente leva dois minutos para encher, seguido de três a quatro minutos para o esvaziamento. É bastante suavizante , relaxante e o processo de liberação da pressão é bastante eficaz. O alívio de extrema dor causada pela pressão e o intestino preso é dramática assim como instantânea. Ao mesmo tempo que isto está acontecendo você também receberá um delicado tratamento de acumpressão no cólon, provocando o movimento de matéria fecal através da ascendência e descendência transversal coloniana. Na maioria das vezes que você está neste tratamento, há um acompanhamento de músicas relaxantes e pensamentos positivos enquanto você está deitado descansando. Em algumas máquinas você pode realmente observar a formação dos detritos e dejetos passando pelo cólon doente para o depósito de esgoto que eles pertencem. Você então se dá conta de como seu cólon pode se tornar um imundo depósito de lixo. São estas toxinas formadas, lixo , material fecal impactado, resíduos não digeridos e venenos que estão literalmente estrangulando sua vida e lhe trazendo a doença cada vez mais cedo e causando a morte vespertina. A pressão e a dor é liberada no cólon e os intestino constipado é limpo. O gás também passa pelo intestino trazendo alívio mesmo a mais pressão, dando um novo curso à vida e uma sensação de sangue fresco e oxigênio é trazido de volta para o sistema fazendo com que o processo de regeneração prossiga adiante. Se em algum momento você está sob tratamento o uso da prata coloidal é recomendado. È importante lembrar que um cólon limpo é a chave para uma vida sem doenças. Irrigações colonianas trazem resultados inimagináveis em se tratando de procedimentos prejudiciais e mal feitos. Em algum ponto entre 1940 e 1950, colonianas eram utilizadas como um procedimento médico bastante conhecido e eficaz. De fato, era tão eficaz que eles começaram a substituir os mais caros tratamentos médicos do sistema gastrointestinal. Porém, na minha opinião a cobiça muitas vezes venceu a comunidade médica e hospitais e, companhias de medicamentos fizeram de forma que um modo mais eficaz e natural de tratamento fosse eliminado do acesso público. Que grande perda para a humanidade que sofre! Espero que este método milagroso e eficaz será trazido de volta pra os caminhos dos cuidados com a saúde. Ele substituiria facilmente as longos e atuais procedimentos nos hospitais e todas as drogas feitas com efeito de cura rápida . Irrigações colonianas suprimem um sistema de limpeza dinâmico equipado não apenas para o alívio da dor e sofrimento como também na restauração da saúde de uma pessoa e sua vitalidade. Este procedimento também pode evitar muitas das cirurgias gastrointestinais. DA PENICILINA À PRATA COLOIDAL UMA RESPOSTA PARA A DOENÇA DE LYME SEM ANTIBIÓTICOS Dr. Willy Burgdorfer, PhD Laboratórios Rocky Mountain, E.U.A Em 1949, Dr. Sven Hellerstrom da Clínica Dermatológica do Instituto Karolinska em Estocolmo, Suécia apresentou um artigo: Erythema chronicum migrans Afzelius com meningite no 43ºEncontro Anual da Associação Médica do sudeste de Cincinnati, Ohio. Na apresentação de seu caso, ele abordou evidências convincentes que tanto a Erythema como os subsequentes sintomas da meningo-cerebrospinal se desenvolver um pouco. Ele também relatou sobre sue êxito no tratamento de um paciente com a penicilina, medicamento anteriormente apresentado por seu colega Dr. Hollstrom , por ser um tratamento eficaz no caso de Eritema crônica migrans (ECM). Nos Estados Unidos, EMC foi primeiramente apresentado em 1970 por um pedaço físico achado no noroeste de Wisconsin. O físico atendente, Dr. Rudolf Scrimenti, reconheceu a semelhança da reação da pele do paciente para as lesões da versão européia da EMC e prontamente e com sucesso tratou o paciente à base de penicilina. O tratamento de três pacientes adicionais com penicilina e um com eritromicina resultou resultou na completa resolução dos sintomas dentro de 48 a 72 horas. As lesões na pele não foram consideradas relacionadas ao ECM. Treze dos cinquenta e um residentes do leste de Connecticut, cidades de Lyme, velha Lyme e leste de Haddam, onde, desde de 1972 os habitantes vinham sofrendo com doenças caracterizadas por frequentes ataques dos sintomas de inchaço e dor nas juntas, especialmente nos joelhos. Desde de que estas condições de artrite não eram conhecidas e associadas ao ECM na Europa, a doença parecia ser um novo caso para a entidade médica e foi denominada artrite de Lyme, sendo apenas uma das várias manifestações clinicas da doença. A busca por antibióticos eficazes no tratamento da doença de Lyme começou em 1982 com a descoberta de uma espiroqueta conhecida como borrelia burgdorferi agente causador da doença de Lyme e ECM outras complicações relacionadas(Acrodermatite Crônica Atrófica, Linfodenóides Benigna cútis) na Europa. Os antibióticos eficazes encontrados incluíam Tetraciclinas(Doxyciclina, Minociclina), Penicilinas ( penicilina G, amoxicilina), cefalosporina ( Cefotamina e Ceftriaxona ) e Eritromicina. A aplicação desses medicamentos depende do tempo com que a doença foi diagnosticada. Doença de Lyme jovem é tratada por via oral enquanto a Doença de Lyme tardia requer um paliativos ou a combinação de paliativos e aplicações via oral. Falhas no tratamento foram percebidas 18
    • Para cada uma dessas drogas particularmente para a tetraciclina , elas são eficazes apenas temporariamente a não ser que sejam aplicadas durante muito tempo, meses ou até anos. Controvérsias existem quanto ao alcance do tratamento utilizando a prata coloidal. Alguns pesquisadores consideram de 21a 30 dias insuficiente para a eliminação das espiroquetas , enquanto outros acreditam que os pacientes deveriam ser mantidos em tratamento até que todos os sintomas desapareçam. O diagnóstico da Doença de Lyme é feito clinicamente e baseado no desenvolvimento e reconhecimento da lesão da pele (Eritema migrans) alguns dias, semanas e até meses após o aparecimento da primeira marca(mancha). Infelizmente , nem 40% de pacientes desenvolvem a lesão na pele, não sendo reconhecido e deixando passar. Então, sem nenhum tratamento a doença se espalha por todo o corpo podendo afetar a musculatura, ossos, coração e sistema nervoso. O Dr. Faber E.U.A, recentemente declarou que utilizou a prata coloidal em tratamento próprio para um estágio avançado da Doença de Lyme. Esta declaração vem em u momento no qual milhares de pacientes estão sofrendo desta doença e recusam a se submeterem o tratamento com antibióticos porque seus médicos são incapazes de associar suas manifestações clínicas à Doença de Lyme Ainda que nunca admitido oficialmente ou cientificamente, diz-se que a prata coloidal elimina as enzimas utilizadas pelas bactérias, fungos e agentes virais para a oxigenação de seus metabolismos causando seu sufocamento após contato. Estudos in vitro com a prata coloidal e o espiroquete da Doença de Lyme, B. burgdorferi revelaram um efeito de 100% na matança em menos de cinco minutos após exposição da prata. RESULTADOS DOS TESTES DA PRATA COLOIDAL NA DOENÇA DE LYME Manfred E. Bayer, M.D. membro Sênior Margaret H. Bayer, PhD, Pesquisadora associada sênior Centro de Câncer Fox Chase, Instituto de Pesquisas do Câncer Filadélfia, P.A, E.U.A Pesquisas laboratoriais preliminares na borrelia burgdorferi espiroquetas revelaram que a solução de prata coloidal diminui as taxas de crescimento dessas células substancialmente e eventualmente levam estas células à morte. Tem que ser relevado , entretanto, os espiroquetas testados pertencem a um grupo laboratorial de ATCC que é largamente utilizado nas culturas de células e tecidos e não representa recentemente isolados dos pacientes da Doença de Lyme . Neste experimento, várias concentrações de soluções de proteína da prata foram adicionadas à cultura de borrelia espiroquetas. Pequenas concentrações de solução de proteína da prata ( variando de 2 a 10 partes por milhão) desaceleraram o crescimento de espiroquetas sobre os tempo de rotação de um a três dias. Concentrações elevadas de proteína da prata ( entre15 e 75 partes por milhão) tiveram um efeito de deterioração muito mais rápido na reprodução da célula. A inibição do crescimento dependeu da concentração da proteína da prata e da duração do tratamento. Mais estudos são definitivamente necessários para se obter um quadro mais claro sobre a interação entre a prata coloidal e a borrella burgdorferi. Como estes estudos preliminares sugerem, o crescimento e reprodução da Lyme espiroquetas são medidos a partir da inibição da prata coloidal no momento in vitro. Artigos publicados sobre: ATIVIDADE BACTERICIDA NOS TESTES DAS AMOSTRAS 6 de Maio de 1994 Três experimentos diferentes foram feitos na escherichia coli e estafilococos áureo., duas bactérias comuns utilizadas no teste suscetível antimicrobiano para determinar a atividade bactericida nos testes das espécimes: 1-Aplicação direta da amostra a 1500pp/L ou pp/M e 150pp/L ou pp/M em sangue com uma cultura pobre de bactéria germinado com E. coli e S.aureaus 2-Teste da amostra em dissolução aquosa a150pp/L ou pp/M, 75pp/L ou pp/M, 37,5pp/L ou pp/M e 100 pp/L ou pp/M para atividade bactericida contra E.coli e S.aureaus 3-Teste da amostra em dissolução aquosa nos filtros esterelizantes a 150 pp/L ou pp/M, 75 pp/L ou pp/M e 37,5 pp/L ou pp/M para atividade bactericida contra E.coli e S.aureaus . Os resultados seguintes foram obtidos desses três testes: 1-Aplicação direta da amostra Dez microlitros de amostra esterilizada e filtrada e não filtrada foi bombeada para mistura pobre de sangue e adicionada à E.coli e S.aureus. As lâminas foram então incubadas a 37 graus C. por 24 horas e examinado o crescimento ou não de bactérias nas áreas contento a espécime de análise. A amostra filtrada e esterilizada e a não filtrada e esterilizada , à uma concentração de 1500 pp/ L ou pp/M inibiram o desenvolvimento de E.coli e S.aureus e a amostra filtrada e o mesmo tipo de amostra à concentração de 150 pp/ 19
    • L ou pp/M não inibiram o desenvolvimento dessas bactérias. 2-Teste da amostra em dissolução aquosa O procedimento de dissolução aquosa que é normalmente usado para determinar as concentrações mínimas de bactérias( CMB) e agentes atimicrobianos, foi utilizado para determinar a eficácia do teste da amostra contra E.coli e S.aureus. A amostra em questão foi serialmente diluída em sopa de molho de soja esterilizada e combinada com E.coli e S.aureus a amostra para testes finais nas concentrações de 150 pp/L ou pp/M, 75 pp/L ou pp/M e 37,5 pp/L ou pp/M. Um controle contendo 100 pp/L ou pp/M de amostra também foi incluído. Os tubos que continham a mistura foram incubados a 37 graus C. por 24 horas. Seguidamente deste período de incubação, um tubo inteiro de cada cultura foi traçado em uma lâmina com sangue de ovelha para determinar o desenvolvimento ou não de bactérias. Os seguintes resultados foram obtidos do experimento: O procedimento de dissolução aquosa que é normalmente usado para determinar as concentrações mínimas de bactérias( CMB) e agentes atimicrobianos, foi utilizado para determinar a eficácia do teste da amostra A contra o S. pneumoniae e P. aeruginosa . A amostra de teste A foi serialmente diluída em sopa de molho de soja combinado com P. aeruginosa ( 0,5 nos padrões turvativos de Mc Farland) para a inclusão no teste final da amostra. Em adição, a amostra de teste foi diretamente combinada com S. pneumoniae e P. aeruginosa ( 0,5 nos padrões de turvação de Mc Farland) para atingir a concentração da amostra final à concentração de 750 pp/L ou pp/M. Ambos os tubos aquosos foram incubados a 37 graus C. em um percentual de 5% de incubador de gás carbônico por 24 horas. Logo após este período de incubação, os tubos foram examinados visualmente por sinais de desenvolvimento ( turvação). Um tubo inteiro de cada cultura foi traçado em uma lâmina com sangue de ovelha para determinar o crescimento ou não de bactéria. Os seguintes resultados foram obtidos desse experimento: Resultados expressos de crescimento ou não como visualmente observados nas culturas do líquido ( crescimento ou não determinado pelos traços das culturas contidas nos tubos em uma lâmina contendo sangue de ovelha). Os resultados do crescimento a partir dos traçados da cultura aquosa em uma lâmina com sangue de ovelha são mais confiáveis do que os resultados obtidos a olho nu. A amostra de teste não inibiu o crescimento da droga resistente ao enterococos à concentrações acima de 750 pp/L ou pp/M quando testada pelo procedimento de dissolução aquosa. A amostra pareceu inibir moderadamente ( parcial para completa zona de inibição) o enterococos à concentração de 1500 pp/L ou pp/M mas não à concentração de 300 pp/L ou pp/M durante a aplicação direta germinada com a lâmina de ovelha. Resultados similares foram obtidos com amostras filtradas e esterilizadas e não filtradas. PESQUISA DE CANCER Dr. Bjorn Nordstrom Instituto Karolisnka, Suécia O Dr. Bjorn Nordstrom vem utilizando a prata como componente para seu método de cura do câncer há vários anos. Como um antibiótico, a prata mata mais de 650 organismos causadores de doenças e grupos resistentes não conseguem se desenvolver. A prata é absolutamente atóxica. A prata é a melhor lutadora entre os germes contra a sífilis, cólera, malária, alguns tipos de diabete e queimaduras graves. Richard L. Daves, diretor executivo do Instituto da Prata que monitora a tecnologia da prata em 37 países, declara: Em quatro anos nós descrevemos 87 utilizações importantes para uso médico. Existe um consenso geral que a pata se sujeita ao microorganismo de alguma forma que faz com que ele evacue do corpo. A indução de fagócitos pode ser introduzida, a ingestão oral da prata se torna localizada nas células de Kuppfer no fígado, e os leucócitos quase sempre são detectados no tratamento seguinte. Os utilizadores podem descobrir que a reação de Herxheimeir ( um tipo de desintoxicação) é mais branda com a prata porque as células bacterianas podem não ser priorizadas na limpeza do corpo. Alternativamente ou em adição, a moção de Brownian da colóide pode contribuir para a destruição seletiva dos micróbios. COMO A PRATA AGE CONTRA OS FUNGOS Um fungo é uma série de células únicas possuindo finos tubos de materiais na parede celular estendidas entre as células. Quanto mais linear em seu modo expansivo e espalhado, ou alternadamente mais como um tecido em seu modo reprodutivo, o fungo ainda irá possuir as mesmas características de uma bactéria unicelular. Se sabendo que um tipo particular de pulmão químico que é imediatamente, completamente e permanentemente incapacitado na presença da prata coloidal, qualquer fungo é morto em 6 minutos de contato com a prata no corpo. A prata simplesmente o sufoca! COMO A PRATA AGE CONTRA AS VIROSES 20
    • Um único vírus invade uma célula viva do tecido do corpo, então este patógeno irá dominar o núcleo da célula alterando seu mecanismo de reprodução para multiplicação do vírus ao invés de enzimas, hormônios e outros químicos que a célula normalmente produziria para o corpo. Mais tarde, o novo vírus reproduzido será liberado desta célula para a corrente sangüínea. No entanto algum outro processo interessante ocorre? Como o vírus ataca a célula em benefício próprio, parte da responsabilidade desta célula viva se reverte em uma estrutura primitiva da célula e química. O oxigênio metabolizando a enzima na parede celular também se reverte em uma forma mais primitiva. Esta forma primitiva da enzima é vulnerável ao efeito da prata coloidal. Se o material da prata coloidal fosse retido e armazenado no corpo, como outros metais pesados, nós anteciparíamos a visão de várias injeções mortais, ainda que nós tenhamos lido o contrário em todas documentações feitas. Algumas declarações dramáticas indicam que os colóides são atóxicos ou com uma toxidade bem pequena. Existem algumas menções de mortes causadas por colóides no começo ( início de 1900) mas apenas após grandes doses de injeções e outras coisas. A mensagem principal que tiramos dos tempos modernos é de que a prata é bastante segura. COMPARAÇÃO COM ANTIBIÓTICOS FARMACÊUTICOS A prata coloidal não é tóxica para mamíferos, répteis, plantas ou outro ser que não sejam na estrutura unicelular. A vida unicelular utiliza um método diferente de oxigenação no metabolismo. Nisto mora sua fraqueza e sua enorme força. Desde que a prata coloidal age apenas como catalisador, significa que ela influi na mudança de taxa ou ocorrência de reação em organismos unicelulares mas não entra em nenhuma reação química com os tecidos do corpo. A mera presença da prata coloidal próxima a qualquer vírus, fungos ou bactéria ( doença unicelular causada por patogenias) irá imediatamente amenizar sua enzima de metabolismo oxigenado ou pulmão químico, que então fica sem ar e morre dentro de seis minutos. O sistema imunológico e linfático consequentemente expulsa o organismo morto do corpo. Cada um dos outros antibióticos feitos pelo homem irá matar apenas cinco ou seis tipos de germes. Cada vez mais e mais bactérias estão se tornando resistentes a esses antibióticos. Essas bactérias são referidas muitas vezes como Super Bactérias ( leia o livro a vingança natural das SUPER BACTÉRIAS, escrito por Geoffrey Cannon), no entanto elas são incapazes de criar resistência à prata coloidal que não irá somente matar a bactéria mas também outras formas de viroses; a um pé que nenhum antibiótico feito pelo homem conseguiu atingir este patamar. Uma revisão mais minuciosa de outros antibióticos é que eles irão destruir uma variedade de enzimas essenciais para o corpo, mas a prata coloidal não incapacita ou prejudica de nenhuma forma as enzimas na medida que estas enzimas são particularmente diferentes das enzimas das células unicelulares. A prata coloidal realmente promove uma cura com menos cicatrizes nos tecidos. Nenhum outro antibiótico químico faria isto. A PRATA COMO UM ANTIBIÓTICO CAPAZ DE SALVAR VIDAS NO SÉCULO 21 À medida que nos aproximamos do século 21, eu sinto que é um começo da liberdade das doenças já que sabemos o uso prático da prata coloidal e seu significante poder de cura em algumas das piores doenças existentes no mundo, seja como recomendação a prata coloidal. De acordo com publicações de pesquisas médicas e clínicas de todo o mundo, a prata coloidal é um poderoso, extenso espectro de antibiótico não tóxico que obteve êxito no tratamento de mais de 650 doenças incluindo anti- bacterianas, anti-viral, anti-fungio e anti- levedo. Mesmo que não aceita completamente pela ciência, foi provado que os colóides da prata incapacitam as enzimas utilizadas por agentes bacterianos, fungais e virais para seu metabolismo oxigenado causando seu sufocamento após contato. O problema com os novos e positivos avanços da ciência da cura é a reação negativa com que foi vista pela comunidade médica que se ajustam ao seu estrutural ponto de vista e definidos programas de tratamentos, baseados na premissa de que isto deve ser comercialmente viável ( se isto cura, como podemos produzir dinheiro?). A maioria dos médicos e cientistas estão hesitantes em abraçar qualquer mudança que desafia seus preceitos e teorias. Pelo que eu acredito ser uma visão centrada , a única melhora efetiva que irá modificar um tratamento pré-estabelecido ( antibióticos produzidos pelo homem) é a ascensão e promoção da verdade. Para mim a verdade na ciência e todas outras coisas é considerada aquilo que claramente podemos ver e que ocorra repetidas vezes, não sobre as mesmas condições experimentais porque cada um de nós é diferente. Nós somos seres individuais; nosso corpo reage diferentemente a cada coisa que ingerimos. Todo tratamento com medicamentos farmacêuticos abriram as portas para outras doenças que são possivelmente piores do que a primeira e não pode ser erradicada, como viemos a descobrir nos últimos anos. A mais selvagem é o estafilococus dourados . Os antibióticos estão se tornando menos eficazes à medida que a resistência das bactérias aumenta. Mas na última década, uma enorme resistência aos antibióticos vem aumentando sem qualquer tipo de controle. Pelo fato das bactérias serem capazes de transferir genes entre elas, também a cadeia alimentar é afetada; experts apenas esperam a resistência crescer. Um pesadelo potencial é a CORRENTE DE ANDRÕMEDRA , um micróbio invencível, imune a todos os antibióticos que pode acabar com nosso corpo e 21
    • nossa vida. Deixe enfatizar que neste ponto a epidemia do fungo da cândida que é prevalecente é causada por antibióticos farmacêuticos. Uma vez que eles são prescritos, nós estamos em uma corrida de pesadelos devido ao ataque violento de infecções por fungos síndrome da fadiga crônica ( também causada por antibióticos). Como observamos no passado, milhões de dólares foram levantados de cofres públicos ( somos nós) para serem gastos em projetos de pesquisas para provar uma nova verdade. Eu digo ser uma nova verdade, porque através dos anos fomos levados a acreditar em muitas coisas advindas da comunidade médica. Mas, é isto é um GRANDE mas, eu nunca vi ou ouvi dizer em algum lugar que eles estão procurando pelas causas, apenas a cura. A razão é que acredito que se as causas são conhecidas, elas podem ser erradicadas e então não haverá mais de onde se produzir dinheiro pelas grandes companhias de medicamentos. INDÚSTRIA DE MEDICAMENTOS E O T.G.A Há mais ou menos 500 anos atrás , A Igreja Romana estava produzindo bilhões de Thaler ( uma das primeiras moedas romanas) através da venda de indulgências sagradas uma imaginária chave para o céu , por seus seguidores. Quando esta cena fraudulenta eclodiu, o poder da Igreja também foi posto em questão. Hoje, os negócios farmacêuticos se utilizam do mesmo tipo de fraude. Eles tentam vender a chave para saúde à milhões de pessoas e lucram com bilhões de dólares em troca da nossa ilusão que nos faz acreditar que a indústria farmacêutica está interessada em nossa saúde. A pergunta que me faço e também à comunidade médica é como que milhões de nós ainda estamos dispostos a pagar bilhões de dólares à indústria farmacêutica pela então chamada medicina que mais traz prejuízos do que benefícios com seus vários efeitos colaterais? A resposta para esta pergunta é que nos últimos cem anos a indústria farmacêutica e seu exército de pressionadores construiu uma intrigante massa de controle, infiltração, incentivos econômicos, subornos, manipulação, decepção e ego pessoal. Milhões de pessoas e pacientes foram enganados por essa massa manipuladora de pesquisas, nos fazendo acreditar nos medicamentos sintéticos ao invés das terapias naturais existentes na medicina . Prescrições dessa medicina por médicos que não tiveram nenhuma educação no campo nutricional, ou que sofrem da síndrome de visão centrada ( tome estes comprimidos e volte em duas semanas) ou ainda daqueles que receberam benefícios financeiros por prescreverem medicamentos farmacêuticos e não naturais. Enganados por campanhas publicitárias milionárias dos medicamentos farmacêuticos que deliberadamente enganaram as pessoas quanto aos seus efeitos colaterais e sobre a natureza anti- ética de suas indústrias. Regulamentos anteriormente citados e mais regulações meticulosas passam tarde da noite e nos feriados pela agências regulamentárias e legislativas do governo pelo TGA ( Administração dos Produtos Terapêuticos), sob pressão das companhias farmacêuticas, em desacordo com as normas de saúde estabelecidas para vitaminas e outros remédios naturais. No futuro, nenhuma nação será capaz de carregar o fardo econômico com que as indústrias farmacêuticas crescem como um câncer em despesas com as pessoas, de corporações e setores públicos, que culminará na explosão de custos com a saúde para uma medicina que não cura. O propósito natural e a força que lidera as indústrias farmacêuticas é o aumento de vendas dos medicamentos farmacêuticos nas doenças correntes e na descoberta de novas doenças para os remédios existentes no mercado. Por esta natureza, a indústria farmacêutica não possui interesse em curar doenças. A erradicação de qualquer doença irá inevitavelmente destruir um mercado multimilionário de prescrições de medicamentos com lucro (retorno). Dessa forma, os medicamentos farmacêuticos são desenvolvidos para aliviar os sintomas, mas não para curar. Se terapias de erradicação para as doenças fossem descobertas e desenvolvidas, a indústria farmacêutica teria um inerente interesse para tentar e controlar, senão suprimir, descreditar e obstruir o estabelecimento desses remédios com o intuito de que essas doenças continuem a existir com base em um lucrativo mercado de prescrição de medicamentos. Os interesses econômicos da indústrias farmacêuticas é a razão principal pela qual nenhum novo medicamento foi criado para o controle das doenças mais comuns como as doenças cardiovasculares, pressão sangüínea alta, espasmos do coração, diabete, câncer e osteoporose; sendo este o motivo pelo qual estas doenças continuam como epidemias em uma escala mundial. Pelas mesmas razões econômicas, a indústria farmacêutica formulou um código internacional, intitulado Codex Alimentarius com o intuito de esconder qualquer informação em conexão com vitaminas ou outros produtos para saúde, para tentar e Ter controle sobre todos os produtos de saúde limitando seu livre acesso às terapias naturais com ervas em uma escala mundial. Ao mesmo tempo, as indústrias farmacêuticas estão tentando reter informações públicas sobre os efeitos e riscos de prescrição de medicamentos e tratamentos. Efeitos colaterais que ameaçam a vida são omitidos ou abertamente negados. Em propósito de assegurar o status quo desta cena decepcionante, uma legião de seguidores farmacêuticos são empregados para influenciar a legislação, o controle das agências regulamentárias ( e.g. T.G.A), manipular pesquisas médicas e a natureza da educação das indústria farmacêuticas. Caras campanhas publicitárias e agências de publicidade e propaganda são usadas para enganar as pessoas. Milhões de pessoas e pacientes são fraudados duas vezes: primeiro quando solicitados para doar dinheiro para as campanhas contra o câncer, etc. Acredito que a maioria desse dinheiro livre é utilizado nas pesquisas e depois estimula os lucros da indústria farmacêutica. De volta, eles estão utilizando novos medicamentos e outras maneiras de experimentar em nós o que nem chega a curar. É um fato estatístico e provado como conseqüência direta dos negócios farmacêuticos que mais pessoas morreram de doenças preventivas que em todos os tipos de guerras humanas. Por exemplo, o fato de que a vitamina C estabiliza as paredes arteriais ser conhecido há 200 anos. James Lind descobriu que a deficiência de vitamina C causava perda sangüínea e escorbuto. Qualquer líder de uma Companhia farmacêutica, qualquer PhD ou MD 22
    • que nega saber deste fato está simplesmente tentando te enganar. Por que então, está informação não foi aplicada de forma a combater as doenças cardiovasculares? Por que a dosagem oficial de vitamina C foi afixada em 60mg, quantidade quase insuficiente para prevenir o escorbuto mas certamente baixa o suficiente para se Ter certeza de que essas doenças cardiovasculares se tornariam uma epidemia? As Indústrias Farmacêuticas sabiam que um nível ótimo de suplemento vitamínico da população, levaria ao colapso de um mercado multibilionário de prescrições de medicamentos. Ainda mais que vitaminas e colóides não podem ser patenteados e as margens de lucros não são altas o suficiente. Com base nesta análise, a sobrevivência da indústria farmacêutica se tornou dependente de duas estratégias: obstruir pesquisas, informações e o uso de vitaminas e terapias naturais de todas as formas possíveis. E.g o TGA na Austrália, F.D.A nos EUA e outros corpos governamentais de vários países em torno do mundo a promover a decepção de que estas drogas sintéticas passíveis de patentes são a resposta para as doenças humanas, mesmo que elas não curem e muito freqüentemente prejudiquem! Ao longo do último século, a indústria farmacêutica e seu exército de seguidores criou uma complexa massa de controle, infiltração, incentivos econômicos, subornos, manipulação e decepção. Milhões de nós foram sistematicamente enganados por essa massa manipuladora de pesquisas, então os medicamentos sintéticos ao invés das terapias naturais surgiram na medicina. A prescrição desta medicina por médicos que não tiveram nenhum tipo de ensino na medicina nutricional e que receberam benefícios financeiros na recomendação dessas drogas químicas mas não de terapias naturais. Decepção por campanhas multimilionárias dos medicamentos farmacêuticos que deliberadamente enganaram o público sobre seus efeitos e riscos e sobre a natureza anti- ética da indústria farmacêutica. Regulamentações trazidas pelo governo e agências regulamentadoras. Legislação sob pressão dos seguidores da indústria farmacêutica, em desacordo com as afirmações sobre a saúde estabelecidas pelas vitaminas e outros remédios naturais. Nenhuma nação será capaz de carregar o fardo econômico com que as indústrias farmacêuticas crescem como um câncer em despesas com as pessoas, de corporações e setores públicos, que culminará na explosão de custos com a saúde para uma medicina que não cura. Considerando esta condição não saudável do mundo, a urgência por um novo cuidado com a saúde se torna mais óbvio. A libertação desta matança da indústria farmacêutica irá beneficiar direta e imediatamente a saúde de milhões de pessoas, negócios comunitários e o setor público de todos os países. Nós precisamos de um novo sistema de saúde baseado em um conhecimento inovador e a participação de milhões de pessoas. Boa saúde deveria ser um direito básico, entendido, passível de se exercer e que todos pudessem pagar. Isto deveria ser assegurado pelo governo. Esta é uma era na história humana que nossa saúde foi delegada a uma indústria sem vergonha que tenta nos tirar vantagem, isto deveria estar acabado. Acredito honestamente que nós descobriríamos que podemos viver melhor. Existe um novo sistema de saúde focado no cuidado da saúde primário, prevenção e erradicação de doenças. As companhias farmacêuticas estão ficando preocupadas; este é o motivo pelo qual você saberá que as curas naturais serão impedidas. Neste ponto, consultores de saúde e centros de saúde estão substituindo os centros médicos de hoje. Dedicação faz com que as pessoas se unam com um número crescente de médicos e profissionais preocupados com a saúde ,que possuem uma melhor visão, do que a cobiça por riquezas, construindo um novo sistema para o cuidado da saúde. Alguns profissionais da saúde estão se dando conta de que eles se comprometeram com as indústrias farmacêuticas e se tornaram vítimas de um centro de saúde voltado para medicamentos. A princípio, uma nova pesquisa médica para o cuidado com a saúde tem que ser mantida sob controle público. Fundos públicos para as pesquisas deveriam ser utilizados primariamente para o desenvolvimento de tratamentos para a prevenção e erradicação das doenças ao invés de meramente aliviar os sintomas criando dependência. A HISTÓRIA DA ARGIRIA Enquanto a prata como um metal era bastante conhecida pelos antigos, apenas o ouro e o cobre eram utilizados, sais de prata não são, com certeza, conhecidamente utilizados na medicina até o séc.VIII. Prata metálica era conhecida dos Chaldeans tão cedo quanto o século IV aC. Os gregos antigos tinham muitas minas de prata, e a prata era utilizada de várias formas. Algumas das maneiras eram de um tipo que deve ter induzido de forma ocupacional a Argiria nos trabalhadores ( a permanente descoloração da pele devido aos depósitos de prata), tal como o método de puir a camada com prata do modo descrito por Floras, mas nenhum caso foi datado deste período. Nitrato de prata foi mencionado em uma farmacopéia, publicada em Roma em 69 Ac. Não podemos Ter certeza que estes sais de prata fora medicamente utilizados nesta época, mas é sugerido que Galen especificamente, refletiu todos os remédios metálicos em 131 D. C. O primeiro registro claro do uso de nitrato de prata como um agente medicinal é encontrado em alguns escritos de uma escola fundada por Geber ( 702-765 DC) . É por esta escola Mohammedan , que era uma combinação de astrologia e alquimia, que nós devemos atribuir o primeiro uso da prata terapeuticamente. Em 980DC, Aviconna, que recebeu educação de escolas em Bagdá, utilizou a prata medicinalmente de várias formas, incluindo comprimidos de prata e o uso de recheio de prata como purificador do sangue para respiração ofensiva e palpitação cardíaca. Uma descoloração azulada no como resultado da ingestão de prata foi descrita na patologia de Avicenna, e isto provavelmente é o 23
    • primeiro registro de Argiria disponível. A teoria dos alquimistas desflorou nos séculos XIV e XV. O Panteísmo Caldáico foi bastante empregado. Esta era a doutrina de um anima mundi de todas as coisas do mundo, e foi aplicado particularmente em substâncias que podia ser extraídas do fogo. Os sete metais conhecidos eram ouro, prata, ferro, cobre, mercúrio, estanho e chumbo, correspondentes ao sete planetas e sete dias da semana . Desta forma, os alquimistas ligavam as coisas do céu e terra. Cada metal correspondia a uma parte da anatomia humana. O conhecimento existente disponível em relação à farmacologia da prata de forma a se relacionar com os problemas clínicos da Argiria pode ser brevemente resumido. O propósito deste estudo justifica a ênfase em certas falhas de registros relacionado ao fato da administração da prata pelo homem. Existentes muitas evidências para indicar que com exceção do óxido de prata, a absorção significante dos componentes da prata não ocorre através da pele afetada. Aplicações contínuas dos componentes da prata na pele afetada pode resultar facilmente na produção de Argiria localizada e na Argiria generalizada se a área de aplicação é grande ou se o período de aplicações for prolongado. Não é conhecido com certeza o quanto de absorção é feita através do curso respiratório no homem. A região gastrointestinal é provavelmente o maior foco de absorção da prata na atual prática médica. Existe alguma evidência para indicar que o local principal de absorção é na parte superior do intestino delgado, disponível de forma a indicar que a significante absorção da prata pode ocorrer a partir de qualquer cavidade do corpo na qual é introduzida( boca, reto, canal vaginal, nariz e ouvido). O conhecimento à respeito dos fatores que podem aumentar a absorção de prata ou acelerar sua excreção é esparsa e insuficiente para ser passível de aplicação médica. O efeito da taxa de administração dos produtos da prata não é conhecido até este ponto. Não existe qualquer tipo de evidência indicando que em se utilizando quantidades pequenas de prata por um período prolongado não diminui o perigo da Argiria de qualquer quantidade de produtos da prata dados. As modificações que ocorrem aos produtos da prata antes e durante a absorção na região gastrointestinal tem sido um objeto considerável de discussão teórica a qual não é facilmente resumida. O transporte no corpo é feito principalmente através da corrente sanguínea e por algumas vias dos linfáticos. A maioria dos investigadores acreditam que ela é transportada em forma de clorídio ou albumina. Tem sido mostrado que a prata é um constituinte normal de tecidos dos mais remotos animais e homens. A quantidade de prata no corpo aparentemente diminui ao longo dos anos até mesmo em pessoas que tenham feito uso da prata de forma intencional. Existem evidências suficientes indicando que a prata é depositada na maioria das estruturas do corpo na Argiria , com a possível exceção do tecido nervoso e músculos. A quantidade de prata varia em diferentes órgãos, mas o método de deposição é o mesmo que na Argiria generalizada, sem considerar o componente original administrado ou a rota pela qual é dada. A deposição regular da prata nos vasos sangüíneos e tecido conjuntivo é uma característica típica da Argiria. É de comum acordo que o epitélio da pele não está envolvido. O produto exato que é depositado nos tecidos parece não Ter sido definido ainda. É pensado ser a prata metálica ou a óxido de prata principalmente, uma variedade de métodos para detecção estão disponíveis. O melhor método para a determinação de quantidade é o spectrométrico e os meios mais precisos para o estudo microscópico de sua distribuição nos tecidos parece ser o campo escuro de Hoffman. A evidência disponível indica que a determinação da quantidade de prata na amostra da pele indica com considerável precisão o total de retenção da prata no corpo. Uma característica típica da Argiria é a ausência de qualquer evidência que os depósitos de prata produzem um distúrbio fisiológico significante no envolvimento de tecidos e órgãos. Foi por um longo tempo suposto que a ingestão ou injeção de quantidades excessivas de produtos inorgânicos da prata pode produzir distúrbios tóxicos locais ou generalizados e que a administração intravenosa da prata coloidal pode produzir reações, mas isto é apenas uma suposição. A prata no entanto, não é frequentemente empregada desta forma nas terapias atuais. O mais importante é o recente avanço da evidência indicando que a introdução de produtos da prata coloidal com aditivos estabiliza a coloração ou os sais podem Ter efeitos adversos na fisiologia do homem. No entanto, quaisquer que possam ser os efeitos iniciais da administração da prata, após absorção e deposição do metal puro ocorrer nos tecidos, a ausência da evidência de distúrbios produzido pela prata coloidal é atingida. Ao lado do depósito de pigmento, a aparência bruta e microscópica dos tecidos envolvidos é normal. Argiria é, portanto, significante apenas do ponto de vista da aparência cosmética. O diagnóstico de um caso típico de Argiria não é difícil. O exame da pele em busca de prata, preferencialmente spectro-metricamente, irá estabelecer o diagnósticos em caso de dúvida. A quantidade de prata na pele de diferentes partes do corpo da pessoa afetada é a mesma de onde a pigmentação é evidente ou não. POR FAVOR NOTE: Devido ao moderno método de produção de Prata Coloidal no século XXI em tal tamanho de mícron 0,001-0,005, não há reação contrária no corpo que foi utilizado métodos mais antigos de produção da prata. PRATA COLOIDAL NÃO É ALERGÊNICO Não houve nenhuma reação alergênica à prata declarada no registro histórico do uso medicinal da prata coloidal, porque a prata coloidal afeta apenas a taxa e ocorrência de um patógeno aeróbio- atividade metabólica descrita anteriormente. Prata Coloidal é muito mais do que u metal inerte. Pesquisas médicas no último século revelou que a prata coloidal tem um grande alcance e aplicações médicas poderosas. Até mesmo hoje, a prata coloidal é usada para o tratamento de queimaduras, infecções e inflamações 24
    • dos olhos, ouvidos, nariz, garganta e muitas outras infecções de infestações microbianas que normalmente requerem o uso de antibióticos. Quando utilizada na forma pura, as moléculas de prata coloidal são eficientemente absorvidas pelos tecidos. INGERINDO PRATA COLOIDAL Tomada oralmente, é sem sabor, inodora e não irrita os tecidos sensitivos como os olhos, então ela pode ser utilizada como spray de primeiros socorros nos cortes, escoriações, queimaduras e picadas de inseto . A solução de prata coloidal é absorvida da boca até a corrente sanguínea e então transportada rapidamente às células do corpo. Colocando a solução de prata coloidal sob a língua um pouco antes de engoli-la assegura a rápida absorção. Quando comecei a me tratar fiz todas as diferentes concentrações de prata até chegar a uma que hoje gira em torno de 9-14 pp/L ou pp/M, o que parece funcionar para todas as pessoas que a estão utilizando. Em três ou quatro dias a prata coloidal irá acumular nos tecidos suficientemente para que os benefícios comecem. Já que a maioria da prata coloidal é eliminada através dos rins, sistema linfático e intestino depois de três semanas, um ingestão regular diária é recomendada como proteção contra aos perigosos patógenos. È possível que germes unicelulares se transformarem em resistentes formas da prata, como ocorre com os antibióticos convencionais. Também, a prata coloidal não pode interagir ou interferir em outros medicamentos que estão sendo tomados. A prata coloidal é verdadeiramente um remédio natural para várias doenças humanas. A comunidade médica possui diferentes usos terapêuticos para a prata coloidal. Ela tem sido utilizada no tratamento de cistite e infecções urinárias nas crianças. Sais de prata mostraram eficácia no tratamento de verrugas. Um produto da prata conhecido como sulfadiazina de prata é normalmente utilizado em 70% dos centros de queimaduras em todo mundo. A utilização de 1% de nitrato de prata nos olhos de crianças recém nascidas elimina virtualmente as doenças que causam cegueira nessas crianças desde 1884. O QUE É COLOIDAL? Pesquisas mostraram que a solução de prata coloidal é uma excelente maneira de usar a prata na medicina. Um colóide é normalmente definido como uma substância que passará através de uma membrana animal ou humana. A seguir é a maneira mais prática de se explicar: Se você pegar um papel e o cortar ao meio, pegue uma das metades e a divida, depois pegue a outra metade e divida-a novamente, repetindo a operação continuamente, obtendo metades cada vez menores você logo perceberá que não será possível fazer a divisão sem a utilização de instrumentos delicados ou eletricidade. Eventualmente, você culminará em um ponto que a subdivisão não será mais possível sem o envolvimento de mudanças de caráter físico. Você terá atingido então o tamanho molecular. Agora, entre a menor partícula visível e da molécula, o tamanho aparente gira em torno do referido como uma zona de matéria sombria? È em torno deste alcance que o comportamento da prata ocorre. Um colóide ocorre quando partículas bem finas de um material são suspensas em outro meio. As partículas podem ser gasosas, líquidas ou sólidas. Neste caso a prata é sólida e a água destilada da chuva é líquida. Colóides ocorrem não como matéria sólida ou líquida em líquido dos meios ( emulsões), mas também como partículas de matéria sólida em meio gasoso ( fumaça) e líquidos em meios gasosos ( misto). Em todo colóide existem duas tendências ou fases. Existe uma tendência para as finas partículas divididas em repelir uma as outras e permanecerem separadas como é o caso da prata coloidal. Existe também uma tendência para as partículas diminuírem, crescerem ou se juntarem de forma a formarem um corpo ou associação. Estas duas fases são conhecidas na química coloidal como as fases sólidas e em forma de gel. A fase sólida rotula a tendência de permanecer finamente dividida ( ou em alguns casos pode ocorrer até o aumento da subdivisão ou suspensão); a fase em forma de gel rotula a união em unidades maiores com a eventual cessão do estado coloidal. Um colóide é tido como morto quando o sólido se transforma irreversivelmente em gel. Nós podemos considerar estas duas tendências como sendo a tendência à máxima subdivisão, quando a proporção da superfície exposta ao volume de material é tão grande que a superfície elétrica carregada causa as partículas se repelirem ( como polaridades se repelem) para um grau superior que a carga interna tende a unir. A tendência à mínima subdivisão ocorre quando a energia tendenciosa a unir, coagular, flocular ou precipitar predomina. A maioria dos colóides são instáveis, mas alguns são mais do que os outros. À medida que o estado se move de forma a aumentar o gel, o colóide é tido envelhecido. Em alguns colóides este processo de envelhecimento é reversível e as mudanças tomam forma de mudanças na viscosidade. Algumas mudanças são lentas e outras são rápidas. È geral e cientificamente aceito que toda vida ocorre apenas onde existem protoplasmos se comportando coloidalmente. Em estruturas e organismos vivos, os colóides são extremamente sensitivos com enorme potencialidade resguardando a estabilidade, reversibilidade de fase, etc. uma das características da vida é periodicidade ou ritmo, em outras palavras, flutuação entre a predominância das fases sólidas e em forma de gel. Todos os colóide vivos são eletricamente sensíveis. Sistemas vivos dependem de seu comportamento ritmado sobre uma película quimicamente alterável ( superfície de película tencionada se comportando como uma membrana), o qual divide as fases eletricamente conduzidas. Organismos vivos podem ser descritos como película saltada e sistemas parcialmente irritáveis: o qual é 25
    • para se dizer sensível a correntes elétricas. Existem diversos fatores que podem causar distúrbios ou mudanças no balanço coloidal ( estrutura) que se dizendo, aceleram ou retardam uma fase ou outra, como por exemplo todas as formas conhecidas de energia radiante podem afetar ou alterar os colóides. Em um organismo vivo saudável, o complexo das totalidades da estrutura da prata copiada se comportam com periodicidade e ritmo apropriados entre certos limites de fase. Qualquer fase ou qualquer sistema coloidal que vá além do limite apropriado ou falha no alcance do limite em tempo próprio irá afetar a saúde do organismo como um todo. Desta forma, qualquer fator intrínseco ou extrínseco, capaz de alterar o comportamento coloidal irá possuir um efeito marcante ,de um modo ou de outro, sobre o bem estar de um organismo. Materiais com uma subdivisão bastante fina que envolvem superfícies ativas e características elétricas mostram comportamento coloidal. Todos os processos vitais envolvem pelo menos correntes elétricas. Correntes elétricas e outras formas de energia são capazes de afetar a estrutura coloidal sobre a qual nossas características físicas são dependentes. Eles influenciam nossos corpos e mentes. Toda vida é caracterizada por protoplasmos se comportando de maneira coloidal. Nos últimos anos, um número de produtos da prata coloidal surgiram no mercado confundindo a maioria dos consumidores. A melhor forma de determinar se um produto é um verdadeiro colóide da prata é examinar os ingredientes. Se conter um estabilizante ou qualquer traço de elementos além da prata, o produto não é aconselhável para todas as pessoas, algumas podem ter reações adversas como tremores ou resfriamentos, elas podem também serem alérgicas ao tempo transportado .Também, estabilizantes tendem a bloquear os efeitos benéficos das partículas da prata. Se os produtos requerem refrigeração ele pode conter algum outro ingrediente que pode estragar à temperatura ambiente e isto poderia ser prejudicial ao seu bem estar. A mais alta qualidade de prata coloidal é produzida por método eletro-coloidal/não químico. As partículas de prata e água foram completamente e até mesmo dispersas e mantidas em suspensão por corrente elétrica feita através de combinação. Este é o único processo conhecido para criar uma verdadeira e homogênea ( mesmo distribuída) de solução, contendo partículas super finas de prata em uma proporção de 0,001-0,005 micros de diâmetro. As partículas em um colóide 0,001-0,005 microns de diâmetro em torno de quatrocentos milésimos a quatro milionésimos de polegada. Aproximadamente , um bilhão dessas partículas podem caber em um cubo de um centésimo de polegada. Elas são suspensas e água destilada reenergizada sem a necessidade de nenhum químico, estabilizante, coloração ou qualquer outro ingrediente. Não devia existir nenhum agrupamento de prata visível tanto na solução ou no fundo da garrafa. Os melhores produtos irão conter o maior número de partículas da menor quantidade de prata. Uma carga elétrica artificial aplicada em qualquer elemento , incluindo a prata, não pode ser mantida indefinidamente- como uma bateria, sua carga irá se dissipar. No entanto, prata eletro-coloidal não pode Ter a expectativa de poder ser mantida eternamente nas prateleiras, alguma radioatividade pode ocorrer em qualquer produto coloidal após um longo período de tempo. Se as partículas da prata estão entre uma proporção de 410.000 para 4.000.000 de polegada de diâmetro e são uniformemente carregadas, um estabilizador não é necessário para manter as partículas suspensas. A força magnética repelente irá iniciar atração da gravidade nas partículas, que serão animadas por movimento de Brownian e permanecerão em suspensão em um líquido médio quase indefinidamente. Sua estabilidade depende do tamanho das partículas e do processo médio utilizado no processo de manufatura empregado. QUALIDADES VISUAIS Um indicador da qualidade da prata coloidal é a sua cor. À medida que o tamanho de cada partícula de prata aumenta, a cor em suspensão varia de âmbar/ amarelada( quase) marrom a vermelho, cinza e preto (inferior). O aumento do tamanho das partículas tanta reflete proporcionalmente o declínio de qualidade do produto. Colóides da prata que são produzidos usando o método eletro-coloidal possuem cor diferente que as formas de métodos químicos e por trituração. A regra geral se aplica, exceto nos casos de algumas marcas que utilizam tinta amarela artificial para falsificar a cor própria. A variação também depende da concentração, estabilizantes e da presença ou ausência de outros traços de elementos. A COR AMARELA Existe uma quantidade considerável de controvérsias na literatura pública em relação à aparência da cor amarela. A prata não é amarela. Eu finalmente encontrei o que acredito ser a resposta certa para esta questão em um livro chamado: Practical Colloid Chemistry ( Química Prática de Colóides), publicado em Londres (1926) na seção de Cores dos metais Coloidais , subseção em Polimorfismo de soluções da prata, página 69. Eu encontrei as seguintes declarações: A contínua mudança de cor de amarelo ao azul/roxo corresponde a uma mudança na absorção máxima de menor para o mais longo comprimento de ondas com um grau menor de dispersão. Este é um fenômeno geral na química coloidal ilustrando a relação entre a cor e o grau de dispersão. Esta seção continua a descrever as cores que aparecem em uma grande variedade de soluções de metais coloidais. Interessantemente, todos eles possuem uma fase amarela. Para a verdadeira prata eletro-coloidal : o tamanho da partícula que pode aparecer amarela varia de 0.01 a 0.001 microns ( 10 a 100 angstroms), porque este é o tamanho da partícula de prata que melhor absorve o azul claro. Deixando apenas a cor inversa, amarelo, para ser observada. A aparência final de amarelo transparente apenas aparece depois que as partículas se tornaram totalmente dispersas. 26
    • As partículas mantêm-se longe uma das outras em suspensão, por causa de sua carga elétrica positiva (+) e estes tipos de cargas repelem umas as outras. Qualquer coisa que possa destituir esta carga das partículas irá denegrir a qualidade da prata coloidal por um processo chamado re-coagulação, onde as partículas se agrupam novamente para formarem agregados maiores. Luz ultravioleta do sol e vários plásticos podem causar este processo. No entanto, prata coloidal é melhor armazenada em âmbar escuro, recipientes de vidro e não em plástico. A forma ideal de prata coloidal será quase sem cor ou em um amarelo bem claro . Além de comprar de uma companhia com nome reputável e a checagem visual de cor do produto, uma outra maneira rápida de ver se uma solução contém colóides é observando o efeito cônico de Faraday-Tyndall. Quando uma lâmina ou intenso feixe de luz, como um raio laser, passa através de uma solução coloidal, uma trajetória de luz irá parecer túrbida. O caminho de luz é também alterado, ele irá formar uma forma de viga na solução. A melhor maneira de observar isto é fazendo um teste de tubo de prata coloidal em um quarto escuro e luminar uma luz bem brilhante através dele. O MELHOR TIPO DE PRATA COLOIDAL Em minha pesquisa como leigo, nos últimos anos, eu encontrei várias companhias que seguiram a moda de produzir os então chamados produtos coloidais. Muitos são instáveis, sendo eles de nenhum uso. A maioria são formulados com muito pouca suspensões de prata. ( ver denotação no fim do livro). A prata coloidal é conhecida por ser mais eficaz em concentrações baixas, entre 9-14 pp/L ou pp/M. ( partes por litro ou partes por milhão indicando o peso ao peso proporcional de prata a água). A declaração menos é mais é frequentemente feita em se referindo à prata coloidal e à tecnologia coloidal em geral. O que isto significa é que o número de partículas da prata determina a qualidade e eficácia da prata coloidal, e não simplesmente a concentração. Exemplo: Um produto com concentração entre 9-14 pp/L ou pp/M com uma média de tamanho das partículas de 001-005 micros de fato possui mais prata em microns do que outro produto de 25 ou mais mg/l e é ainda mais seguro e eficaz. A partícula grande de prata coloidal irá atacar a bactéria fora da célula, mas não pode chegar ao seu interior. Lembrando que as bactérias e viroses se localizam fora da célula e viróides e prions dentro da célula. Quando a solução é fina ( pelo menos 0.001-0.005 microns) tudo que pode PASSAR PARA E EM VOLTA das células, atacando vírus, viróides, trabalhando com o mesmo princípio da homeopatia. SEGURANÇA E EFICÁCIA Documentações específicas da potência ótima ou dosagem para eficácia é esparsa. Existem várias diferentes opiniões de diferentes pesquisadores. Isto levou a uma vasta proporção de produtos de variadas potências - todos dizendo ser o melhor, mas a coisa mais importante para se perguntar, leia a impressão fina, é julgar por você mesmo. THOMPSOM Do Laboratório de Saúde Runcorn, Inglaterra A concentração de prata necessária para esterilizar água contaminada com bactérias patogênicas é de 40-200 gama, ou .004 a.0.2 pp/ L ou pp/M ( 1pp/L ou pp/M = 1000 gama). Em 1940 e 1966, respectivamente, R. A. Kehoe e T. H. Tipton reportaram que sob circunstâncias normais, a média de dieta diária irá render aproximadamente 50 mcg a 100 mcg de prata. ( Nota: a redução de prata na média da dieta, devido à produção técnica comercial, é similar ao que aconteceu com outros traços minerais incluindo o cromo, zinco e selênio. ( Selênio para o uso humano foi banido na Austrália mas pode ser obtido para animais e tomado de acordo com o peso). Estes são conhecidos por serem essenciais à boa saúde. Esta redução pode atuar na epidemia mundial de infecções crônicas. No entanto, parece ser lógico que a concentração de 3a 5 pp/L ou pp/M produzindo 15mcg a 25 mcg de prata por colher de chá ,será uma concentração suficiente para ser tanto segura como eficaz no consumo diário. Um recipiente de 4 oz/ 100ml de prata coloidal a uma concentração de 3pp/L ou pp/M irá conter aproximadamente 355 mcg de prata total- muito abaixo que qualquer nível tóxico relatado de consumo oral da prata - até mesmo se muitas onças ( 28.35g) forem consumidas diariamente por vários anos. Concentrações maiores, acima de 14 pp/L ou pp/M, ou por volta de 591 mcg de prata total em um recipiente de 4 oz/100ml, pode causar acúmulo de prata no sistema e não é necessariamente mais eficaz. Por exemplo, uma solução a 25pp/L ou pp/M iria produzir 2.96 mg (2,960 mcg), uma solução a 500 pp/L ou pp/M iria produzir 59 mg ( 59,000 mcg) e uma solução a 5.000 pp/L ou pp/M iria produzir 590 mg ( 590,000 mcg) ! Qualquer produto contendo concentrações mais alta, por exemplo possuindo níveis mais altos do que podem ser encontrados na média diária da dieta, deveriam definitivamente serem tomados com cuidado e somente durante o tempo necessário e não por períodos mais extensos. 27
    • A declaração menos é mais é freqüentemente feita em se referindo à prata coloidal e à tecnologia coloidal em geral. O que isto significa é que o número de partículas da prata determina a qualidade e eficácia da prata coloidal, e não simplesmente a concentração. O termo pp/L ou partes por litro ou partes por miligrama é confuso , pelo fato de que ele não está se referindo ao número de partes ou partículas, esta é realmente uma forma de expressar o peso total ou a quantidade total de prata no líquido. Desde que um produto coloidal pode Ter partículas com tamanho variando de 1 n a 100 n, é difícil de julgar a qualidade de um produto pelo simples conhecimento de pp/L ou pp/M. Por exemplo, um produto com concentração de 5 pp/L ou pp/M com uma média de tamanho da partícula de 5n iria realmente conter mais partículas de prata que outro produto de 25pp/L ou pp/M com tamanho médio de 50n e seria mais seguro e eficaz. Estabilidade, especialmente em termos longos, é um outro aspecto importante dos produtos da prata coloidal. Para evitar o caimento algumas companhias adicionam proteína ou estabilizante químico, permitindo concentrações maiores de prata com um nível melhor de estabilidade. O ponto base é que todos estabilizantes criam vínculos e no entanto reduzem o efeito antimicrobiano da prata. Tais produtos contêm níveis mais altos de prata total para compensar e devem ser tomados com extremo cuidado porque em todos os casos documentados ou toxidade da prata, chamada Argiria. O produto em questão continha concentrações altas de componentes da prata com estabilizantes como nitrato de prata ou acetato de prata. Argiria nunca foi relatada da prata eletro-coloidal pura sem proteína e estabilizantes. OS EFEITOS NAS BACTÉRIAS BENÉFICAS Outra vantagem da prata corretamente manufaturada é que com a partícula bem abaixo de 1 mícron de 3 a 14 pp/L ou pp/M de concentração de prata, não é comum afetar as bactérias intestinais benéficas. Quando tomada oralmente, a absorção sublingual na boca diretamente na corrente sanguínea deve ocorrer antes das partículas da prata tenham a oportunidade de migrar para os intestinos grosso e delgado onde a bactéria intestinal normalmente domina. Entretanto, no caso de uma sabida infeção intestinal, enemas ou coloniais da prata coloidal poderiam ser utilizados para a exposição direta da infecção ao benefício esterilizante da prata coloidal. O consumo diário de prata coloidal iria reduzir significantemente a incidência da infecção. A habilidade de se fazer isto de forma segura poderia ser uma medida poderosa de prevenção a ameaça de vida de milhões de pessoas suscetíveis a infecções crônicas. Esta é uma oportunidade oferecida somente pela prata eletro-coloidal propriamente preparada que contém 99,995% de prata pura sem qualquer agente sujeitante. Isto é prata coloidal em solução ultrafina de prata ( 99,995%+) de partículas suspensas em um líquido ( água de chuva destilada e reenergizada). As partículas no líquido são expostas a uma carga elétrica especial que permite cada partícula permanecer em suspensão no líquido. A vantagem da preparação da prata coloidal é que partículas suspensas são pequenas o suficiente para serem rápida e eficazmente absorvidas através da mucosa sensível e finas do estômago e intestinos. Isto significa que preparações como a prata coloidal são extremamente leves, assimiladas e entregues aos máximos resultados sem nenhum stress digestivo. Uma outra vantagem que a prata coloidal possui é que o processo eletro-coloidal preserva um nível extremamente alto de elementos terapêuticos ativos, então você obtém os melhores benefícios possíveis da terapia de forma natural! Agora comprovadamente poderoso antibiótico natural, é a forma mais utilizada de doenças eficazes, como os germes, vírus e aniquilador de fungos conhecido. Foi descoberto ser tanto remédio como prevenção para resfriados, gripe, todas infecções e todas fermentações causadas por bactérias, fungos ou vírus, especialmente estáfilo (estafilococos) e estreptos (estreptococos) , que são normalmente achados em condições de doença. Foi relatado que domina rapidamente a inflamação e promove cura mais rápido. O corpo precisa de prata coloidal para lutar contra organismos causadores de doenças e para ajudar na cura. Tomada diariamente, a prata coloidal promove um segundo sistema imunológico resultando em mais energia, vitalidade, vigor, relaxamento, cura mais rápida e toxinas corporais reduzidas. À medida que o corpo começa a envelhecer ou não consegue assimilar a prata por alguma razão, nós desenvolvemos uma deficiência de prata e um sistema imunológico prejudicado que pode levar ao câncer e outras doenças. Alguns pesquisadores suspeitam que a deficiência de prata é uma das principais razões para a existência do câncer e seu aumento alarmante nos dias de hoje. Dr. Robert Becker percebeu a correlação entre níveis baixos de prata e doenças. Pessoas que tinham níveis baixos ficavam frequentemente doentes, tinham inúmeros resfriados, gripes, febres e outras doenças. Ele declarou que a deficiência de prata no corpo era a razão para o funcionamento impróprio do sistema imunológico. Ele descobriu que a prata atua em um vasto leque de bactérias. Sem efeitos colaterais ou danos às células do corpo, e pode simular maior crescimento do tecido atingido. Ainda que o uso de colóides da prata contra o HIV ainda tenha que ser vastamente explorado, a prata coloidal foi utilizada com êxito como antibiótico nos primeiros anos do século. Notavelmente eficaz contra a Cândida Albicans , a prata pode ser um tratamento para a cândida intestinal e trush. A prata coloidal também se mostrou eficaz contra pseudônimas aeruginosa, que pode causar a pneumonia, gonorréia, estafilococos e estreptococos( garganta estrepto). Um paciente que relatou a história de nascimento de verrugas em seus pés, não teve sorte com outras terapias que havia tentado. Após aplicar a prata coloidal nas verrugas por uma semana, elas acabaram. 28
    • A prata coloidal adere-se, aparentemente, às paredes de organismos unicelulares como as bactérias, levedo e fungos, deixando a membrana do organismo fraca e suscetível à rupturas. A prata coloidal também pode estimular bactérias que se alimentam de células ( fagócitos) a entrarem em ação. Pesquisas conflitantes sobre a absorção intestinal da prata existem, como você leu até agora. Um fabricante reclama que , como colóides, as partículas não costumam atravessar a parede intestinal e alcançar a corrente sanguínea. No entanto, esta companhia também diz que a prata tomada oralmente tende a ser encontrada em células fagócitas no fígado e em outro lugar que indique absorção intestinal. Mesmo que a forma mais benéfica de utilização da prata seja assunto para debate, alguns acordos sobre o produto existem. Nas dosagens necessárias para tratar infecção, a prata aparenta ser não tóxica. A prata coloidal é eficaz na matança de organismos em concentrações tão baixas como 5 a 14 partes por milhão. A dosagem para terapia é em microgramas ( um micrograma é igual um milésimo de grama). A forma eletro coloidal da prata possui uma matiz amarelo-dourada. Eu descobri ser esta a mais pura e mais eficaz prata coloidal, ela pode ser utilizada no enxágue da boca em gengivas feridas, trush ou aplicada topicamente para condições da pele. Ela pode ser aplicada diretamente em cortes, esfolamentos e feridas abertas, após um período muito curto de tempo ela começa a fazer efeito. Também, algumas gotas em um band- aid pode ser colocada sobre verrugas, cortes, abrasões ou qualquer ferida aberta. Ela pode ser pincelada diretamente em eczema de qualquer tipo, acne, mordida de insetos ou vários problemas de pele. È também um ótimo conservante de comida e pode ser utilizada no enlatamento a 1/8 c.c por quarto. Eu vi uma melhora da acne em poucos dias em uma jovem senhorita, que vinha sofrendo com este problema desde os 11 anos. O sorriso em seu rosto e sua atitude em relação à vida era além do acreditável. Em questão de uma ou duas semanas sua vida inteira mudou para melhor. Descobri que a utilização de leite de soja em pó tende a azedar depois de poucos dias misturado à água.; tentei adicionar algumas gotas de prata coloidal e ele se manteve fresco. Aqueles que utilizaram a prata coloidal disseram Ter pego resfriados e gripes mais brandas e em menor quantidade, isso quando pegavam. A ênfase, claro, é a prevenção de todas as infecções. A prata coloidal deve ser tomada por seu praticante mentalmente holístico que possui conhecimento sobre a prata coloidal. EFEITOS ADVERSOS A Prata coloidal nunca causa nenhum mal ao fígado, rins ou qualquer órgão ou sistema do corpo. Enquanto o fígado e rins podem ser prejudicados pelos antibióticos químicos, a prata coloidal promove a cura e nunca ocorreu a overdose com ninguém. Pesquisas mostraram que a prata coloidal é bastante estável , mesmo na presença de sais e constituintes normais do sangue. Sua ação destrutiva nas toxinas é bastante marcante, então isto irá proteger os coelhos do laboratório de uma dose letal de toxinas teutônicas e diftéricas em até 10 vezes. Diferentemente de certos produtos orgânicos da prata, o metal coloidal não é organotrópico ( definição: organotrópico - organo = orgânico, trópico = a tendência de modificar a resposta a um estímulo orgânico) e não causa a necrose ( definição: necrose: morte localizada de tecido vivo dos limites do tecido). Enquanto ela tem sido utilizada consecutivamente por vários meses sem manchar a conjuntiva, (definição: conjuntivo- a membrana mucosa que delineia a superfície interna das pálpebras e continua na parte em volta da pupila.) Tomada internamente, as partículas de prata coloidal são resistentes `ação de ácidos diluídos e alcalinos do estômago e consequentemente continuam sua ação catalisadora passando pelo intestino não modificado. T.H. Anderson Wells relata em Lancet, 16 de fevereiro de 1918, que nesta época, a preparação de prata coloidal era utilizada por meio intravenoso no caso de septicemia puerperal sem qualquer irritação dos rins e sem nenhuma pigmentação da pele. Este médico descobriu que uma série de injeções intravenosa, cada uma de prata coloidal a cada 48 horas, não produzia nenhum efeito prejudicial e a recuperação era rápida. O senhor Malcom Morris relata no Jornal Médico Britânico, 12 de Maio de 1947 que a prata coloidal é livre de inconvenientes de outras preparações que causam dor e descoloração da pele. Ao invés de causar irritação, ele amenizou notavelmente os efeitos. Ela domina rapidamente a inflamação ( anti- inflamatória) e promove a recuperação de lesões. Ele teve resultados notáveis no alargamento da próstata com irritação da bexiga, em Prurigo ani , eczema perineal e hemorróidas. Ela pode ser utilizada em forma de supositórios enquanto a solução é simultaneamente aplicada na pele irritada. Na bromidrosis axilar e nos pés, dá alivio rápido. Ela causa rápido desaparecimento de verrugas. Sendo não tóxica, ela pode ser dada internamente na urticária e outras formas de dermatites, que é sugestiva à toxemia. Nestes casos, ela é rapidamente benéfica. Na oftalmologia, a prata coloidal substitui altamente o nitrato de prata nos dias de hoje. Para os olhos, ouvidos e especialistas nasais, o seguinte irá provar ser interessante.. J. Mark Hovell escreve no Jornal Médico Britânico, 15 de Dezembro de 1917 que a prata coloidal tem sido utilizada com sucesso nas condições sépticas da boca ( incluindo a pinorréia ,doença de alvéolos), garganta ( incluindo os sintomas da Doença de Menière e fechamento da inflamação de Valsava) , septicemia generalizada leucorréia, cistite, coqueluche e herpeszoster. DOSAGEM SUGERIDA 29
    • Eu comecei com doses orais de uma gota ( por volta de um quarto de colher) de manhã e à noite por um dia. Depois aumentei para duas gotas completas no segundo dia, aumentando o consumo para três gotas no terceiro dia, e então no quarto dia aumentei para uma colher cheia de manhã e à noite. Eu tomei esta quantidade por sete dias e depois voltei a tomar uma gota . No momento em que decidi tomar 100 ml ( isto é metade de uma garrafa de 200ml) em um tempo para ver o que acontecia. Eu estava preocupado que talvez isto pudesse causar uma overdose. Esta quantidade era tomada de estômago vazio. Eu pensei que havia me dado diarréia, mas em uma investigação mais profunda descobri que estava limpando todo o muco do meu corpo. Após três dias isto parou e o funcionamento intestinal voltou ao normal. No total, eu tomei esta quantidade por 10 dias e não experimentei nenhum efeito colateral. Eu sinto meu corpo realmente lipo e eu não me tornei cinza ou azul. Pensei que essa era uma quantidade muito grande para se tomar , MAS eu descobri que existe um grupo pesquisando e todos eles bebem cinco litros por dia sem nenhum efeito colateral. O consumo diário regular é recomendado como proteção contra os perigosos patógenos. Em caso de queimaduras graves, uma aplicação de prata coloidal pode amenizar a dor, melhorar a recuperação, ao mesmo tempo diminuindo a cicatriz e infecção mortal. Mais uma vez eu sou uma prova viva disso, sofri queimaduras sérias há alguns anos atrás. Minhas mãos pareciam um monte de lingüiças para churrasco e meu rosto não parecia muito melhor. O médico com o qual eu estava tratando vinha da Hungria. Ele foi bastante teimoso para que o hospital utilizasse a prata nas minhas queimaduras. Vinte e cinco anos depois, você mal pode ver as queimaduras em minhas mãos e a face possui apenas pequenas cicatrizes . A dose ideal pode requerer mais ou menos prata, dependendo do estado do sistema imunológico. Teste cinesiológicos e testes musculares são os mais eficazes para se obter a dosagem. ( lembre-se que este é um mineral puro e seguro e a overdose não ocorre. Não existe nenhum efeito colateral conhecido). SPRAY OU INALADOR Para problemas nasais ou pulmonares, utilize o spray no nariz/ boca para seus pulmões quando inalando. È mais fácil neblinar sua boca e nariz várias vezes do que trabalhar com contadores. Minha mulher utiliza uma garrafa de vidro com spray, é eficaz e você pode facilmente controlar o spray. Olhos: coloque algumas gotas ( ou utilize o spray) em seus olhos, toda noite antes de ir para cama. È seguro para os olhos dos bebês também. Duchas & Colonianas: adicione uma colher de sopa a quatro litros de água morna, depois utilize quando necessário. Auxiliar digestivo: adicione à água para purificar, beba um litro da mistura acima em uma hora do dia, especialmente com as refeições. Isto ajuda na eliminação da fermentação da comida em seu corpo e não há tantos gases. Marcas de sol: eu comecei a Ter algumas manchas pequenas de sol no meu braço direito, ( aquele que fica pendurado do lado de fora do carro). Eu tentei como à seguir; utilizando um band aid, algumas gotas de prata coloidal foram encharcadas em uma gaze e colocada sobre o lugar marrom. Mantendo o band aid úmido por três dias seguidos, a mancha desapareceu. Eu sugeriria que se a mancha fosse maior que um band-aid, você poderia usar atadura que é mais larga e mais grossa que uma gaze. Para animais: o seguinte depende do tamanho do animal. Animais podem ser testados através da Cinesiologia, pelo uso do método de dosagem substituto é encontrado fácil e seguramente. Utilize um contador para colocar a prata coloidal garganta abaixo ou coloque apenas na água ou comida de seu animal de estimação. Se você partir do princípio de que um animal pequeno é como um bebê você não estará errado. Minha esposa colocou prata coloidal na água das galinhas. As galinhas pareciam estar sempre correndo atrás dos galos. Poderia este ser um bom sinal? Para plantas: para todos os ataques bacterianos, fungicidas e viróticos nas plantas, flores e frutas, simplesmente utilize o spray diluído de prata coloidal nas folhas e também acrescente à água ( misturando uma colher de sopa por litro). Eu coloquei prata em meu sistema hipodrônico pra erradicar o apodrecimento das raízes. Um amigo meu cultiva orquídeas muito raras; estas são vendidas além dos oceanos por muito dinheiro. Ele estava tendo alguns fungos crescendo em algumas delas e elas se tornaram sem valor. Nos surgiu a idéia de que a prata poderia erradicar o fungo já que ela o faz em humanos e animais. Então por que não tentar? Isto funcionou e ele é um homem muito feliz. Ele faz uso do spray em intervalos regulares e nunca mais teve problemas desde então. A vida de milhões de pessoas suscetíveis a infecções crônicas de baixo escalão, podem se livrar dessas infecções por esta poderosa medida preventiva. As infecções de que estou falando são aquelas que te dão Eu sinto um pouco de dor, mas não posso colocar o de do em cima . PARA CONDIÇÕES CRÔNICAS OU SÉRIAS É sugerido o aumento e dobrar ou triplicar a quantidade recomendada por 30-45 dias e então reduzir a uma dosagem de manutenção. Se o seu corpo está extremamente doente ou se você está intoxicado há muito tempo, não tenha pressa em se livrar de tudo de uma só vez. Se os patógenos são mortos muito rapidamente, os cinco canais elementares do corpo, i.e., o fígado, rins, pele, pulmões e 30
    • intestino, podem ser temporariamente sobrecarregados; causando condições de gripe, dor de cabeça, fadiga extrema, vertigem, náusea e dor muscular. Diminua a prata coloidal para níveis de manutenção e aumente o consumo de água pura para no mínimo oito copos diários. Funcionamento normal dos intestinos é norma, no intuito de aliviar o desconforto da desintoxicação. Decida por diminuir o açúcar, farinha branca e gordura saturada de sua dieta e se exercite mais. Dada a oportunidade, a habilidade de recuperação provinda do corpo irá te assustar. SE VOCÊ FUMA DESISTA, OU O CIGARRO DESISTIRÁ VOCÊ. Se você acha que por um minuto a prata coloidal irá funcionar enquanto v fuma, você está sonhando o sonho impossível. A presença de prata coloidal próxima a um vírus, fungo, bactéria ou qualquer patógeno unicelular, desativa sua enzima metabólica oxigenada, seu pulmão químico para então dizer. Dentro de poucos minutos, o patógeno é sufocado e morre , e é eliminado do corpo pelos sistemas imunológico, linfático e excretor. Diferentemente dos antibióticos farmacêuticos, que destroem as enzimas benéficas, a prata coloidal deixa esse tecido de células enzimáticas intacto, à medida que ela é radicalmente diferente da enzima da primeira célula unicelular viva. Além de que, a prata coloidal é absolutamente segura para os humanos, répteis, plantas e vida pluricelular. RESISTÊNCIA DE ORGANISMOS QUE CAUSAM DOENÇAS É impossível para um germe unicelular mutar para formas resistentes à prata, como ocorre com os antibióticos convencionais. No entanto, nenhuma tolerância à prata coloidal foi jamais desenvolvida. Também, a prata coloidal não pode interagir ou interferir em outros medicamentos que estejam sendo tomados. A prata não forma componentes tóxicos dentro do corpo, nem reage com nada além da enzima metabólica oxigenada dos germes. A prata coloidal é realmente segura e remédio natural pra todos os tipos de doenças humanas quando utilizada com moderação. ELIMINANDO VENENOS MORTAIS Firmas Japonesas cinco novas tecnologias que utilizam a prata para purificar o ar. Uma companhia converte 50 partes por milhão de monóxido de carbono pela passagem de gás através de telas revestidas com produtos da prata. Uma outra, utiliza produtos da prata para remover cianeto vinil, cianeto metil e ácido hidrocianeto de seu desempenho. Uma companhia de gás químico retira todas as 200 partes de óxido nítrico pela passagem de gás através de seus produtos da prata. COMBATENDO DOENÇAS TRANSMITIDAS PELA ÁGUA Mais da metade das companhias aéreas mundiais utilizam filtros de água de prata: British Airways, Swissair, Scandinavian Airlines, Lufhansa, Olympic, Canadian Pacific Airlines, Alitalia, KLM, Japan Airlines e Pan Am. O governo suíço aprovou todos os filtros de prata que são usados em casas e escritórios em todo o país. Vinte e três métodos de purificação da água foram submetidos à testes. NASA selecionou o sistema da prata para suas expedições espaciais. A seguir, uma carta ao editor que apareceu no Jornal da Associação Médica Americana ( J.A .M.A), em 18 de outubro de 1995; vol. 274, nº15. Os médicos escreveram este artigo a partir da Administração Americana de Alimentos e Medicamentos, sobre os perigos da prata. PROTEÍNAS DA PRATA COLOIDAL VENDIDAS COMO SUPLEMENTO PARA SAÚDE Ao Editor: Produtos da prata têm sido utilizados como um medicamento há séculos. (1) No século XIX, a prata coloidal era promovida como prevenção , cura e tratamento de doenças como o tétano e reumatismo. Desde século em diante até a Segunda Guerra Mundial, era amplamente utilizada para tratar resfriados e gonorréia. No entanto, em décadas recentes, o uso medicinal da prata foi largamente substituído por terapias mais seguras e eficazes. ( Nota do Editor: Neste momento, muitas pessoas podem perguntar quais são essas terapias mais seguras e eficazes? ) Desde de 1990, o interesse de promover produtos da prata ressurgiu como suplementos essenciais com múltiplas reivindicações para a saúde. ( Roma Egli, E. D. A Aliança Não Tradicional do Ramo de Medicamentos, comunicação escrita, Fevereiro de 1995). Por 31
    • exemplo, o anúncio de produtos em lojas de alimentos para a saúde promovendo o uso da prata coloidal em mais de 650 doenças. As proteínas de prata coloidal ( proteínas adicionadas à prata poderiam prejudicar o efeito da prata) são também ditas ser um poderoso anti-germicida contra vírus, bactérias, parasitas e fungos, incluindo o vírus de imuno-deficiência humana (HIV), herpes, cândida e tuberculose. A prata coloidal tem sido também anunciada como um sistema imune estimulante e agente anti- inflamatório, para ser utilizado em condições de diabete, síndrome da fadiga crônica, alergias e câncer. Um produtor citou um pesquisador em um artigo não publicado: se não podemos assimilar a prata por alguma razão ou o tecido envelhece, nós desenvolvemos uma deficiência da prata e prejudicamos o sistema imunológico levando ao câncer. Quando a prata está presente, a célula cancerígena de-diferencia e o corpo é restaurado. Inicialmente disponível nos estados do nordeste da América, pratas coloidais são agora, amplamente disponíveis em todo os Estados Unidos e em todo o mundo por causa do marketing agressivo pelos distribuidores de marketing multifacetados. Eles recomendam o uso em adultos, mulheres grávidas e amamentando e crianças. Elas estão disponíveis em soluções orais, em aerosol, limpezas intravaginais e injetáveis e são rotuladas como não tóxicas e sem interações com medicamentos. Recentemente, combinações de produtos se tornaram disponíveis em forma de suplementos minerais misturados e em forma de prata coloidal misturada bronze coloidal produto de menta para pequenas doenças de pele. Este é o ponto em que a mentira se torna ainda maior . ( comentário do autor) Ao contrário dessas declarações promocionais, a prata não é um suplemento mineral essencial e não contém nenhuma função fisiológica conhecida. O uso de produtos da prata como um germicida foi deliberadamente substituído. Reivindicações na eficácia de tratamento de doenças infecciosas como a tuberculose, malária, infecções sistemática por fungos, prevenção do câncer, síndrome de deficiência imuno-adquirida (AIDS) e diabete permanecem dentro do reino da ciência médica sem nenhuma prova. Corpos governamentais estão repassando a mensagem que o uso de tais produtos sem declarações médicas substanciais, podem retardar uma intervenção médica apropriada, resultando em conseqüências prejudiciais. (1) A prata não é atóxica. A prata em certo grau é acumulada no corpo e tem resultado em descoloração azulada da pele ( Argiria) (2) Enquanto os depósitos da prata derivam da dieta ( i.e., cogumelos, leite e aveia), exposição industrial ou ambiental, o uso indiscriminado de prata coloidal e outros medicamentos da prata adiciona exposições desnecessárias e pode resultar em Argiria . mesmo que primariamente com preocupação cosmética, a Argiria é irreversível e não tem tratamento eficaz. (3) Em adição, déficits neurológicos e deposição difusa da prata em órgãos viscerais tem sido relatados com o uso oral prolongado da prata. Danos renais e febre fumegante metal foi relatada à grande exposição da prata. ( Nota do autor: isto é verdade apenas se você trabalha em ambiente industrial. Ex: fabricação de espelho ou película) Nós estamos preocupados que a volta do interesse na prata coloidal entre os entusiásticos de comida saudável possam levar ao aumento da toxidade. A Administração Americana do ramo de Alimentos e Medicamentos está atualmente, avaliando a legitimidade do marketing desses produtos. Desta forma, é possível suprir os pacientes de conselhos apropriados. É essencial para os físicos questionaram a contagem extra do uso de suplementos alimentícios e de medicamentos. Assinado: Man C. Fung, MD. Michael Weintraub, MD. Debra L. Bowen,MD. Administração Alimentícia e de medicamentos. ( Nota do autor: Eu acredito serem estas táticas, assustadoras) è bastante conhecido e provado, o fato de que companhias multinacionais possuem maior influência na Administração Americana de Alimentos e medicamentos; isto poderia ser possivelmente verdade na Administração Terapêutica de produtos da Austrália e se todos tomassem a prata coloidal e tivéssemos perfeita saúde. O que eles farão com todos os comprimidos e outras confecções que estão nas prateleiras de lojas de químicos? Mais uma vez foi declarado pela comunidade médica; em todas suas pesquisas ao longo dos anos, que não existe nenhum organismo causador de doença conhecido que possa sobreviver na presença ou até mesmo vestígios de prata metálica. A prata coloidal é altamente germicida, não prejudicial aos humanos e absolutamente atóxica. Houve rumores de que qualquer quantidade em excesso de 20 partes por litro pode atribuir a sua pele uma coloração permanente azul que permanece com você por toda vida, se ingerir grande quantidade de prata coloidal por muito tempo. Eu tenho tomado minha própria prata coloidal por anos, assim que me sentir melhor suspenderei a dosagem para uma gota duas vezes ao dia. Eu tomarei prata coloidal até o dia em que eu morrer. Eu não sou um grisalho de tudo, mais eu brilho um pouco ( careca). Após você Ter consertado seu corpo, diminua a ingestão para uma gota duas vezes ao dia. Isto deve manter seu sistema imunológico funcionando a todo vapor. A vantagem da preparação da prata é que as partículas suspensas são suficientemente pequenas para serem rápida e eficazmente absorvidas através da mucosa sensível e delicada do estômago e intestinos. Isto significa que, preparações como as da prata coloidal são extremamente leves, assimiláveis e proporcionam o máximo de resultados sem qualquer complicação digestiva. Uma outra vantagem da prata coloidal é que o processo eletro-coloidal ,preserva um grau extremamente alto de elementos terapêuticos ativos; então você adquire ótimas possibilidades de benefício da terapia em sua forma natural! Também, até o momento em que estava escrevendo, não há qualquer tipo de reações com prescrições de medicamentos registradas ( mas confirme com seu médico para estar completamente certo e depois adquira uma Segunda opinião). Se o seu médico não lhe comunicar qualquer informação sobre a prata coloidal, procure por um que vá lhe ajudar a seguir esta direção. 32
    • BACTÉRIA SE TORNANDO INCONTROLÁVEL ATRAVÉS DE ORGANISMOS ANTIBIÓTICOS ENVOLVIDAS COM TODAS AS FOR MEDICAMENTOS Alexander Tomaz MD Universidade Rockfeller de Nova Iorque, EUA Bactéria comum que causa a pneumonia, infeções no ouvido de crianças e muitas outras doenças estão se desenvolvendo em formas não passivas de tratamento pelos medicamentos conhecidos, a era ameaçadora apavorante pós antibiótico está ameaçando um desastre médico. Ele disse no Sábado. Nós ainda dizemos: No mundo pós antibiótico, as infecções mais simples podem agora , rapidamente se desenvolverem para um quadro de doença fatal. O primeiro antibiótico, penicilina, tornou-se largamente disponível em 1940; e por 50 anos, a maioria das infecções bacterianas têm sido tratadas . Mas agora, com o passar dos anos, certas bactérias incomuns desenvolveram grupos intratáveis. Em adição, experimentos laboratoriais provaram que a mesma coisa pode acontecer ã bactéria comum. diz Thomaz. Thomaz soou o alarme enquanto palestrando no encontro anual de Associação Americana para o Avanço da Ciência. Ele é uma autoridade líder nas bactérias que são resistentes ao tratamento por antibióticos. Suas preocupações são divididas pelo lado cuidadoso de classe médica mundo afora. Dr. Mitchell Cohen do Centro de Doença e Prevenção em Atlanta, declarou: É potencialmente um problema extremamente sério que está fora do controle. Novas drogas sintéticas, que devem ser desenvolvidas para interagirem com estas bactérias mortais, estão pelo menos longe em 5 anos, e Companhias Farmacêuticas não estão querendo-as no mercado mais cedo. Coehn disse: por causa da crença de que existe pouco mercado para eles agora, porque a propaganda existente anuncia que os medicamentos existentes são bem sucedidos . Certos agrupamentos de pneumococos, que causam a pneumonia, são tratados com apenas um antibiótico chamado vascimicina, os pesquisadores disseram. Se estas bactérias se tornassem resistentes as vascimicinas, não haveria nenhum tratamento. Os médicos estão preocupados sobre a resistência das drogas na tuberculose. No entanto, doenças causadas pelos pneumococos e estafilococos são muito mais comuns que a tuberculose. Certas correntes de enterococos que causam feridas e infecções no sangue já se tornaram resistentes à vascimicina e todos os antibióticos conhecidos. Pesquisadores preveram que tais bactérias resistentes irão tomar conta do planeta em questão de anos. Eles viram o que aconteceu com a penicilina. As boas notícias, de acordo com o Dr. Joe Cardot, ND, PhD, um doutor que se especializou em prata coloidal, é que a mutação não irá proteger as viroses, bactéria ou fungo de uma solução de prata coloidal. O artigo à seguir apareceu no Health Brief`s seção do Houston Chronicle, um dos maiores jornais americanos aos domingos, 20 de Fevereiro de 1994: DESASTRE MÉDICO INEVITÁVEL Bactéria comum que causa pneumonia, infecção no ouvido de crianças e muitas outras doenças estão se desenvolvendo de formas intratáveis pelos medicamentos conhecidos, era ameaçadora de aquecimento que não seria nada menos do que um desastre médico um pesquisador disse no Sábado. De acordo com muitos especialistas, como em vista a situação, nós estamos sentados em uma bomba letal que poderia facilmente superar a AIDS, doença de Lyme e a infecção de Cândida por levedo. A Cândida na infecção por levedo, é um exemplo perfeito deste aviso que já se tornou realidade e que agora é a terceira maior epidemia no mundo, com a AIDS sendo a primeira e a Cândida causada por fungos é a Segunda maior epidemia. Deveria ser verificado novamente que a cândida causada por infecção de fungos era causada introgeneticamente. ( induzida pelo médico) Mesmo evidências que surgiram depois desta pendência e do presente desastre era feita em público em 19 de dezembro de 1993, em um Sábado. O Houston Chronicle circulou com o seguinte artigo chocante e revelador nas notícias metropolitanas, escrito por Ruth Sorlle, escritor médico: a bactéria que causa infecção no ouvido, pneumonia e meningite está se tornando resistente aos antibióticos comuns e mais difícil de se tratar, dizem os especialistas em Houston em Atlanta. A bactéria de pneumococos é uma dos organismos hospedeiros incluindo a tuberculose- que está se tornando menos suscetível às drogas normalmente utilizadas contra eles . Disse o Dr. Sheldon Kaplan, professor de pediatria na Universidade de Medicina Bayor e também chefe das Doenças infecciosas no Hospital da Criança no Texas. Nós poderíamos Ter problemas reais, como na era pré-antibiótica, quando possuíamos todos estes germes e nada para tratá-los. Ele disse o aumento dos casos de resistência da doença associada com tratamentos mais antigos cronicamente doentes, tornam a vacina importante. Neste momento existe uma vacina que funciona em adultos e os hospitais voluntários estão trabalhando para Ter pessoas mais 33
    • velhas propriamente imunizadas. Apenas cerca de 15% destes quais a vacina é recomendada realmente a receberam. Nota: a imunização é mais uma droga da engenharia genética farmacêutica. Que está proporcionando efeitos colaterais e matando as pessoas mais velhas. Isto me faz lembrar de um filme que via há muitos anos atrás, qualquer um com mais de 30 era colocado em uma casa e lhe eram dados alguns comprimidos para mantê-lo feliz, mas as pessoas mais velhas desabaram como moscas. Poderia ser este o futuro de todos nós? Dr. Kaplan disse mais pesquisa é necessária ser feita para criar uma vacina para prevenir a doença em crianças menores de dois anos para quem a corrente imunização é ineficaz. Antes de 1986, tanto o Dr. Kaplan quanto o seu colega Dr. Edward O . Mason, viram evidência da resistência do estreptococos da bactéria da pneumonia no Centro infantil do Texas ( isto é diferente da infecção por estreptococos). E até 1989, apenas duas das três crianças tratadas desenvolveram a resistência- 21% de todas estas infecções que foram investigadas nos laboratórios dos hospitais. É um problema de crescimento rápido disse o Dr. Jeff Duchin, um físico epidêmico. No entanto, O Centro para o Controle e Prevenção de Doenças não sabe o quão grande isto é, porque não existe uma infecção reportada. Nós temos uma suspeita de que existem altos níveis de drogas resistentes em algumas partes do mundo Duchin disse em uma entrevista à televisão. Nós estamos estabelecendo um relatório mandatório na resistência das drogas. Kaplan e Mason estão chefiando um estudo multi-centro para determinar o quão frequente a resistência das drogas ocorre nas crianças. Dr. Edwars Septimus, especialista em doenças infecciosas no Memorial Hospital System, está disposto a fazer estudo similar para determinar quantos adultos em Houston possuem resistência aos medicamentos nas doenças. Uma equipe do Centro para o Controle de Doença têm monitorado bactérias resistentes em 13 hospitais de 12 estados. Em reportagem recente em um encontro de doenças infecciosas, especialistas, membros da equipe CDC disseram que eles descobriram que 6.6% das amostras, submetidas em 1991-1992, eram resistentes às bactérias. Para comparação, um estudo conduzido em 1979-1987 indicava que apenas 4.8% dos isolados eram resistentes. No entanto, o aumento eram nos isolados, ele disse. Os doutores Duchin e Houston disseram que um teste rotineiro para determinar se os pacientes com infecções pneumônicas possuem resistência à doença é necessário. Duchin disse que tais resultados tem que ser reportados ao CDC para que os problemas possam ser monitorados. Um culpado no aumento da resistência pode ser a própria cura. À medida que a penicilina ataca a bactéria, a bactéria irá achar um modo em torno deste ataque através da mudança de estrutura. Por esta razão, Kaplan alertou que os antibióticos deveriam ser utilizados com cuidado. Ele disse que os pacientes frequentemente esperam pelos antibióticos quando vão ao médico, mesmo que suas infecções virais não necessitem de tal tratamento. A Austrália e muitos outros países possuem altos níveis de organismos resistentes. Disse Kaplan. Por exemplo na Espanha, Hungria e África do Sul, 70% das amostras testadas são resistentes à penicilina. Neste momento, infecções resistentes são tratadas com um forma de cefalosporina um antibiótico. No entanto, cefalosporinas são extremamente caras e alguns dos organismos estão se tornando resistentes a essas drogas. Mason disse. Em Memphis, Tennessee, por exemplo, os médicos utilizam normalmente uma combinação de duas drogas para combater a doença. O CDC tem investigado nos últimos anos os principais surtos epidêmicos em Memphis, uma área rural do Kentucky e o Alasca. Disse Duchin. É relativamente recente o assunto para os Estados Unidos disse Septimus. Ele também disse que doenças pneumônicas ocupam a Sexta posição entre as 10 doenças que mais matam nos mais velhos. Muitos artigos de jornais e revistas estão relatando sobre uma nova e virulenta corrente da bactéria da tuberculose, que está causando um novo ressurgimento da doença em todo o mundo. De novo, este é meramente um exemplo do que está por vir se nós não alterarmos nossos métodos de tratamento de doenças. Existem relatos mais aprofundados de uma nova forma mutante do vírus da AIDS. Isto continua. O problema base é que as companhias Farmacêuticas, um grupo medicamente orientado, parecem criar novas doenças as quais não podemos controlar pelo uso de medicamentos químicos. Eu acredito que qualquer substância que seja inorgânica e não naturalmente encontrada na natureza, carrega consigo uma ameaça potencial de criação formas novas, mutantes e virulentas de doença, à medida que ela não vibra com a natureza. Quem pode dizer o que os químicos da ciência moderna fizeram às populações microbianas e de insetos, que são parte de toda uma cadeia que suporta a vida neste planeta e que o homem depende para qualquer tipo de sua existência? (os sapos em volta do mundo estão desaparecendo). Quantas bactérias mutantes e organismos virais a raça humana criou e disseminou entre nós? Apenas olhe para o esgotamento da camada de ozônio como um outro exemplo deste abuso, ignorância e violação da natureza. Os equilíbrios com a natureza são intricados e frágeis assim como interconectados. O homem não pode continuar a desapontar este equilíbrio através da ignorância e cobiça sem colher estes resultados desastrosos. Eu direi novamente que eu acredito firmemente que muitas destas pragas modernas foram trazidas através do próprio homem e abuso da ciência. Acredito termos cometido um lente e dolorosa epidemia planetária de suicídio, indo contra as leis naturais que regem a Mão Natureza. Apenas olhem o que eles fizeram ao grão de soja. É aparente a partir de todos os papéis e artigos reveladores que um desastre médico grande explodiu e ainda está por vir. É possível que o homem com seu extinto tente curar doenças ao invés de erradicar a causa, copulada com impaciência, abuso de ignorância, ego e talvez uma falta de preocupação própria com os efeitos de termo longo das drogas tenha criado um desastre médico? A partir de todas as evidências que surgiram, parece não haver nenhuma dúvida de que é este o caso. Em adição, eu sinto que a vacinação é a resposta. Quantas vezes em nossa História, incluindo mas não limitando-se, a vacina para gripe e para pólio, provaram não ser o caso? A vacina contra gripe, de fato causaram sintomas piores e mais longos do a gripe por si mesma ( o que nunca realmente aconteceu) poderia Ter causado. No mais, dados históricos de que a vacina de pólio, até 34
    • substituída por uma nova vacina, de fato causou sintomas de pólio ao invés de curá-los. A.I.D.S. (Síndrome de Doença Imuno Adquirida) AIDS é acreditada ser uma desordem de deficiência do sistema imunológico que altera repentinamente a habilidade do corpo de se defender. O vírus da AIDS invade as células T e multiplica, causando o surto do sistema imunológico do corpo, eventualmente levando a uma infecção sobrecarregada e/ou câncer, levando ao final à morte. Muito daqueles que morrem de AIDS, tem doenças respiratórias que o sistema imunológico não é capaz de combater ( i.e.,pneumocystis carinii pneumonia. Um parasite encontrado em cerca de 60% dos pacientes com AIDS). Neste ponto, não há nenhum conhecimento médico para a cura da AIDS. Oitenta porcento ( aqueles diagnosticados com o flagelo completo da AIDS desde 1984) já morreram. O vírus que causa a AIDS é chamado HIV, que fica como um vírus humano de imuno-deficiência. A origem do vírus é desconhecida. O caso que foi documentado mais cedo de AIDS surgiu em 1981, mas médicos se dão conta de que existiam provavelmente, casos não identificados nos anos 70. Muitas pessoas que carregam consigo o HIV não têm conhecimento de possuir o vírus. Eles espalham primariamente o vírus através de contato sexual ou através do compartilhamento de agulhas no uso de drogas intravenosas. Aqueles que abusam das drogas nunca deveriam compartilhar agulhas. Aqueles que ingressam no intercurso sexual ( anal, vaginal ou oral) com pessoas em que o histórico sexual é desconhecido ou com múltiplos parceiros, deveriam considerar as consequências. Precauções adequadas deveriam ser tomadas por aqueles que continuam a praticar somente a monogamia. Camisinhas, juntamente com espermicida, deveriam ser utilizadas se as relações monogâmicas não pode ser mantidas. Elas representam 90% de eficácia contra a transmissão do HIV. É de forma conservadora, que estima-se que 30% daqueles infectados com o vírus HIV contraem AIDS. Pessoas infectadas com este vírus estão mais propensas a contrair AIDS se o sistema imunológico delas estiver suprimido. Quando o sistema imunológico está funcionando de forma correta, o vírus é tomado nos glóbulos brancos e destruído. Quando uma pessoa tem um caso de inteira explosão da AIDS, o vírus da AIDS é trazido para dentro do corpo mas os glóbulos brancos não são capazes de matá-los e o vírus reproduz de forma incontrolável. O risco de desenvolver AIDS é proporcional ao nível de supressão imune e, claro, a quantidade e duração da exposição ao vírus da AIDS. Com um funcionamento ótimo do sistema imunológico, a AIDS pode ser evitada mesmo em grupos de alto risco. Estudos mostraram repetidamente que uma pessoa comprometida imunemente possui maior risco de se sucumbir à AIDS. Por causa de um sistema imunológico fragilizado, a resistência a vários vírus e bactérias resulta em um aumento da suscetibilidade a infecções, um raro tipo de câncer chamado Karposi s sarcoma, Epstein Barr vírus, cytomegalovirus, vírus da herpes simples , Cândida, salmonela, microbactéria, aviumintraceltulare, tuberculose e taxoplasmose. Além de contatos sexuais, os usuários de drogas injetáveis e transfusões de sangue espalham primariamente a AIDS através do compartilhamento de agulhas. Nos Estados Unidos, assim como em várias outras partes do mundo, o sangue é testado para HIV e descartado se descoberto conter o vírus. Ocasionalmente, no entanto, sangue infectado por HIV passa por esta triagem, porque o vírus nem sempre aparece nos testes se foi recentemente contraído. A AIDS também é passada de mãe com o vírus para o filho durante o nascimento. Também é possível para dentistas e trabalhadores da área médica que entram em contato próximo com fluídos corporais de pessoas infectadas se tornarem infectados se eles falharem na utilização de extremos cuidados. Muitos usam luvas de borracha para evitar o possível contato com os produtos sanguíneos ou salivares. Enquanto existem diferentes pontos de vista, nós acreditamos que o vírus possa viver por muitos dias, mesmo em um estado inativo seco e então se tornar infeccioso novamente. Se leva de dois a cinco anos ( se não for mais) depois que a infecções por sintomas do vírus da AIDS apareçam. Quando o vírus se torna ativo, muitos dos sintomas não são específicos e são variáveis. Eles incluem febre, fadiga, perda de peso e apetite, nódulos linfáticos inchados, diarréia , suadeira noturna, doenças de pele e alargamento do fígado e/ou sonolência. O primeiro sintoma pode ser a língua que é coberta com bolhas brancas. Isto é candidíase oral ou thrush. Candidíase indica um sistema imunológico compromissado. O sistema imunológico é o fator mais importante na prevenção de doenças. Neste ponto, restaurar o sistema imunológico é a melhor defesa a vítimas potenciais de AIDS. Uma dieta correta, suplementos adequados, exercício, ambiente próprio e uma consciência correta desempenham papéis significantes na manutenção do sistema imunológico funcionando adequadamente o tempo todo. A aproximação essencial no tratamento é eliminar todas as causas conhecidas de supressão imune e implementar o uso de terapias que irão rejuvenescer e estimular o sistema imunológico, de forma que ele funcionará com total capacidade. A Administração Federal de Medicamentos nos EUA, declararam que você não pode utilizar a prata coloidal para tratar a AIDS, mas se eu tivesse AIDS eu iria me opor a qualquer um que me ditasse o que eu devo ou não fazer. ENTENDENDO E PREVENINDO O RESFRIADO Incluindo: Infecção crônica, gripe, amidalite, catarro brônquio, resfriados crônicos. Antes que você possa se defender contra alguma coisa, você tem que primeiro entender o que você vai combater. O resfriado é provavelmente um dos mais enganadores e menos compreendidos dos fenômenos na sintomatologia médica. Tudo, da mudança do tempo a bactérias, tem sido o culpado para sua causa. 35
    • Uma pessoa pode pegar um resfriado e descrevê-lo como uma congestão, outra como uma inflamação, outra como febre, enquanto uma outra descreve como uma tosse. Eles estão todos corretos de sua forma, mas estão todos errados no que falharam em observar o todo. Os mitos médicos sobre o resfriado precisam ser dissipados e as etapas básicas que podem ser tomadas para erradicar e aliviar a angústia desnecessária do resfriado. A resposta imediata ao resfriado é a prata coloidal que ataca e destrói , tanto a bactéria como a causa viral do microorganismo, que inicia o resfriado quando alguém permitiu que a resistência do sistema imunológico se tornasse impróprio ou depauperado. O QUE É O RESFRIADO? ( Uma definição de Layman) A natureza, em sua sabedoria, forneceu ao homem perfeita cura ou ferramenta de limpeza para a desintoxicação, que irá automaticamente engrenar na ação quando o corpo chega ao ponto onde doenças mais sérias possam se desenvolver. Esta ferramenta de cura, que é um processo bastante positivo na natureza, é o resfriado, mesmo que a maioria das pessoas considerem-no um processo negativo pela falta de conhecimento. È de propósito e delineado pela natureza um melhor entendimento pelo traçamento de maneira positiva de seus sintomas. Primeiro você fica com febre. Esta é uma adaptação da natureza de que os instrumentos do corpo estão em ordem para eliminar o lixo tóxico e as bactérias causadoras de doenças. Depois vem a congestão, que é o resultado da tentativa do corpo de se limpar do excesso de muco e veneno nas linfas que se formaram no corpo. À medida que o muco se forma, a tosse começa. Esta é a ferramenta corporal para trazer o excesso de muco e fleuma dos pulmões e garganta e evacuá-los do corpo. Isto é também motivo de espirros. Quando o resfriado toma conta do corpo realmente, a inflamação começa na garganta, pulmão e em todo o corpo no intuito de eliminar produtos de lixo tóxico. Neste ponto você se sente mais morto do que vivo. Algumas vezes, diarréia ocorre no intuito de expurgar o cólon de materiais tóxicos, bactérias maléficas e tampões de muco. Enquanto tudo isso acontece, a dor de cabeça aparece com dores corporais por causa das toxinas que estão passando pela corrente sanguínea; é de propósito, através da dor e vibrações , que se faça com que uma pessoa saiba que algo precisa desesperadamente de correção para que o corpo possa retornar ao modo saudável em busca de alívio. A dor é geralmente um sinal de alerta, seu propósito nunca foi de punição, mas sim um sinal natural de que algo está errado e precisa ser corrigido. Sem estes receptores de dor no nosso sistema nervoso nós não sobreviveríamos como espécie porque qualquer ferida pequena tem a possibilidade de se tornar pior e matar se não tratada. A dor deveria ser respeitada, é como se o seu corpo tentasse te dizer que algo está errado. Tudo o que fosse possível deveria ser feito para removê-la e aliviá-la para afetar a cura, mas nunca deveria ser encoberta com comprimidos para dor, relaxantes musculares, tranquilizantes ou qualquer outra cisa que é anunciada. Isto seria equivalente em disparar um alarme de incêndio enquanto permitindo que o fogo cresça em proporção e se torne fora de controle. Todos os sintomas do resfriado deveriam ser respeitados e expelidos através de métodos naturais ao invés de bloqueados e encobertos. È fácil perceber que o resfriado é um processo holístico da natureza, que se permitido persistir sem lidar com sua causa, pode eventualmente levar a complicações mais sérias. Deveria ser visto como um processo de eliminação natural. Com esta lógica, será muito mais fácil aproximar estas etapas necessárias com a natureza que irão agilizar o processo de recuperação ao invés de torná-lo mais lento ou escondê-lo. Pergunta: É verdade que os portadores do resfriado são bactérias ou viroses maléficas? Resposta: A causa do resfriado não é de bactérias ou viroses, mas da fraca resistência do corpo que então proporciona um campo propício para a bactéria ou vírus prosperarem. Se você aumenta a resistência do corpo através de métodos naturais, então você irá cessar seu campo fértil para reprodução e ambiente. A bactéria não é a causa da doença mas ao invés do iniciante dos sintomas desta doença chamada de resfriado, quando é permitido tomar as rédeas , por causa do funcionamento impróprio do sistema imunológico. Pergunta: É sábia a utilização de antibióticos convencionais para curar o resfriado? Resposta: Antibióticos nunca curaram nada. Apenas a natureza cura. Tudo o que o antibiótico pode fazer é matar ou mudar a bactéria. O problema com isto é que ele também mata as bactérias benéficas no cólon e no corpo, que irá levar a doença mais tarde. Ele torna mais lento o sistema imunológico. Seu corpo, em seu trabalho diário ( comida e bebida), deve gerar anticorpos que ele precisa naturalmente. Todos os antibióticos deveriam ser evitados e a prata coloidal deveria ser utilizada em seu lugar. Também é importante manter alto o nível de acidófilos em se ingerindo iogurte e tomando suplementos de acidófilos. Pergunta: Os anti histaminicos para a descongestão são prejudiciais ao corpo? Resposta: Sim, eles são. Eles causam o secamento das membranas mucosas e linfáticas; consequentemente bloqueando o caminho para o excesso de muco e linfa que estão carregando bactérias prejudiciais para saírem do corpo. Anti histamínicos convencionais e antibióticos derrubam todo o propósito para o qual o corpo implementa os sintomas do resfriado em primeiro lugar e isto pode deixar o corpo bem vulnerável e com ambiente propício à reprodução para doenças piores. Quantas vezes você tomou antibióticos e depois do resfriado Ter passado você contraiu outro em poucos dias? Pergunta: E quanto ao uso de aspirina para aliviar a dor e abaixar a febre? Resposta: A aspirina, quando usada em excesso, é uma droga perigosa vendida livremente, que pode causar úlcera assim como irritação aos tecidos suaves que revestem o corpo. Tentar encobrir a dor é como varrer a poeira para baixo do tapete. Alguém deveria esforçar-se em aliviar a causa da dor. 36
    • É importante reiterar que a causa do resfriado não é causada por vírus e bactérias nem por mudanças de tempo, mas ao contrário, por uma resistência mais baixa do corpo. Tudo o que uma mudança no tempo faz é estimular o corpo, como um catalisador, para começar seu processo de moção. Este é o caminho da natureza em alcançar e causar este processo eliminatório. Ainda se segue que a mudança das estações fortalece o corpo. Este é o motivo pelo qual o homem moderno, com seu ambiente sintético ( aquecimento central e ar condicionado) sempre possui uma resistência mais baixa , a não ser que ele se exponha constantemente às matérias primas da natureza que o tornarão mais forte. Pergunta: É verdade que beber muitos fluídos como a água ou bebidas quentes irão ajudar a superar um resfriado se feito em conjunto com repouso? Resposta: repouso absoluto é necessário durante o tratamento das causas dos sintomas do resfriado. É sábio também beber vários fluídos como suco de laranja, suco de uva, água mineral e chá de ervas. Entretanto, os elementos dos refrigerantes, como a coca entopem e diminuem a resistência corporal com calda de açúcar branco e produtos químicos. Pergunta: É verdade que, então, que um pode curar o resfriado por métodos naturais e que as antigas técnicas para lidar com o resfriado são ilógicas e antiquadas? Resposta: Uma pessoa utilizando métodos naturais não procura pela cura do resfriado coletivo, mas ao contrário, busca a restauração do corpo para um estado mais elevado de resistência natural na qual os sintomas do resfriado ( ou processo de eliminação natural) podem ser acelerados por suas conclusões naturais o mais rápido possível. Isto restaura a flora corporal para um estado mais elevado de resistência na qual o processo da doença não pode se manifestar. Um praticante holístico não busca curar a cura para o resfriado, mas ao invés disso, ajuda a natureza na cura do paciente que tem o resfriado. No entanto, em se utilizando a prata coloidal, isto irá matar imediatamente qualquer vírus ou bactéria, prevenindo totalmente o resfriado do início ao fim em poucos dias. Uma pessoa precisa então, para fortalecer ou restaurar o sistema imunológico, tomar a prata coloidal continuamente na estação do resfriado . Esta é a sua primeira linha de segurança e defesa para a prevenção. GRIPE Em 1993, uma epidemia misteriosa de gripe eclodiu. Mas isto não foi surpresa para os virologistas, que vinham prevendo essa intrusão humana na natureza e que iria eventualmente se manifestar na Austrália e outras nações desenvolvidas, doenças exóticas previamente confinadas a países de terceiro mundo. Foi escrito extensivamente sobre os resultados devastadores e complicações do homem atrapalhando-se com a natureza com pouco respeito sobre suas consequências. Também foi apontado uma extensão de novas viroses causadas , primariamente pela mutação criada pelo homem no combate às doenças. Deveria ser notado aqui, que foi provado que a prata coloidal mata o bacilo que causa a peste bubônica, juntamente com outras viroses e bactérias que causam centenas de doenças. É interessante que todas as doenças mencionadas nesta seção, da malária à cólera, ao Hanta vírus e também ao Ebola e ao E. coli, todos eles são mortos pela prata coloidal. Eu aconselho aos leitores a lerem os rótulos dos produtos de prata coloidal que eles possam pensar em comprar. LEMBREM-SE que a prata coloidal não deve conter nada além de água da chuva destilada e prata. Se você se reter a isso, nunca se enganará. Minha esposa e eu tomamos prata coloidal todos os dias , por agora, durante u tempo considerável e a única coisa azul em meu corpo são os meus olhos, que são desse jeito desde que nasci. Por causa da dosagem diária de prata coloidal, eu não contrai nenhuma infecção viral, bacterial ou por fungos. É como se eu tivesse um segundo sistema imunológico. Em 1996 havia uma epidemia de gripe e algumas gripes exóticas que estava atacando a todos em minha volta. Algumas pessoas me aconselharam por causa da minha idade ( um novo de 68 funcionando como se tivesse40) a tomar uma vacina contra gripe. Eu recusei por duas estações. Primeiro porque ouvi dizer que algumas pessoas tiveram reações adversas a esta vacina; segundo eu queria ver quão boa a prata coloidal era. Até mesmo minha esposa estava apreensiva no que diz respeito à minha decisão, porque nos invernos anteriores alguém podia espirrar a mais de 1km de distância que eu ficaria doente. Isto era o quanto eu era vulnerável. Então eu iria viver perigosamente. Eu fui ao shopping center onde espirros e tosses estavam por toda parte. Nos poucos dias seguintes nada. Eu tomei alguma coragem e fiquei conversando com pessoas que tinham resfriados e tosse. Antes de tomar a prata coloidal eu correria uma milha e qualquer pessoa que estivesse tossindo seria banida de minha casa; isto era o quanto eu era paranóico. Bom, para encurtar uma longa história, eu não estive um dia sequer doente em toda esta epidemia. Que sentimento maravilhoso o de se estar em forma, de saber que nunca terei um resfriado novamente. Palavras não podem expressar o sentimento que você tem no seu corpo. Em contraste, muitos de meus amigos e pessoas que conheço estiveram doentes por semanas. MALÁRIA Uma outra doença que todos pensavam estar erradicada é a malária. Em 1955, a Organização Mundial de Saúde, de fato, informou ao mundo que a doença seria em breve erradicada. Ela uma vez, matou mais pessoas pelo mundo que qualquer outra doença. Em 1995, foi publicado que o parasita da malária, agora infecta um número estimado em dois milhões de pessoas por ano, matando até dois milhões ( muito mais que o vírus da AIDS) e causando , pelo menos, 10 milhões de casos de doença aguda. As pessoas estão se aglomerando em clínicas de malária em um número sem precedentes o Dr. Louis Miller, chefe de pesquisa de malária no Instituto Nacional de Saúde em Maryland, Estados Unidos, admite que a malária é mais epidêmica do que ela era em 1950. 37
    • A HISTÓRIA FINAL Após pesquisar todas as informações que pude encontrar sobre a prata coloidal, como um homem leigo, eu cheguei à conclusão que desde que os antibióticos convencionais consistem tanto na penicilina como na cefalosporina, eles eram ineficazes em me auxiliar a voltar-me aos meus pés e ao a recuperar da infecção por fungos da Cândida; eu preciso ir para uma direção diferente. Desde que li que a prata coloidal era o tratamento do dia para os médicos, decidi que se trabalhasse sem nenhum efeito colateral eu tentaria. Eu experimentei algumas pratas coloidais diferentes disponíveis no mercado, a maioria vinda dos Estados Unidos. Cheguei à conclusão que eu estava indo na direção certa, mas haviam alguns elementos importantes que ainda estavam faltando. Para propósito de responsabilidade, eu não irei discutir nenhuma marca em particular. Eu tive em torno de 16 diferentes pratas coloidais analisadas e os resultados me espantaram. Distribui para algumas companhias que ficaram chupando o dedo por assim dizer. Estes dados estão disponíveis a qualquer um que me escreva. Ao contrário, eu irei discutir, na minha opinião ,as propriedades que separam uma boa prata coloidal de uma não tão boa. 1-Muitas das fórmulas possuem muitas partes por milhão (pp/M) ou partes por litro ( pp/L) como 100, 300, 400 e 500. Para mim é muito alta. Eu descobri que baixa pp/L ou pp/M é melhor por volta de 9-14 pp/L ou pp/M. Algumas possuíam tão baixa pp/L ou pp/M, que de tão fracas eram ineficazes. 2-Muitas das fórmulas tinham tamanho muito grande de mícron por partícula. Algumas tinham tamanho de mícron variando de 0.5 a 1.0 e maior. A prata coloidal é entre 0.001a 0.005 Microns. 3-A maioria das fórmulas continham nitritos e nitratos que são tóxicos, diminuem a eficácia da prata e na maioria das pessoas causa efeitos colaterais adversos. 4-A maioria das fórmulas possuíam excesso de sódio causando um PH desbalanceado. 5-Muitas das fórmulas não eram suspensas naturalmente e tinham uma tendência de saírem da solução e permanecerem no fundo da garrafa de seus recipientes. 6-Muita tinham uma coloração cinza escura, amarela e cor de ameixa indicando formulação imprópria devido aos microns que eram muito grandes e com muito pp/L ou pp/M. 7-A questão que foi levantada em minha mente, no que diz respeito a algumas companhias que produzem coloidais, era a integridade e ética , assim como seu propósito em estarem envolvidas na área. Seria seu propósito meramente financeiro ou haveriam intenções humanitárias? Você , consumidor, tem que separar a ganância do bom. 8-Muitas pratas coloidais eram feitas através de processos químicos muito nocivos ao corpo e não faziam o trabalho que lhes era pretendido. 9-Após olhar em volta todas as diferentes pratas coloidais, decidi experimentar e achar a fórmula perfeita, se isso fosse possível. Depois de um tempo considerável, pesquisa e algum conhecimento de amigos, eu cheguei à Prata Coloidal Original. Esta fórmula é baseada no primeiro método mas produzida com técnicas do século 21. Eu posso dizer honestamente que ela é boa, não apenas m minha opinião, mas de todos os telefonemas e cartas que tenho recebido, todas as reações positivas das pessoas que utilizaram a prata coloidal, como você verá nas cartas de recomendações que me foram mandadas. A melhor coisa de tudo é o sentimento dentro de mim, sabendo que alguma outra pessoa está tendo as mesmas sensações que eu tive quando estava me tornando mais saudável. Se você está doente e está melhorando, você sabe que sensação maravilhosa. Se você é saudável, aprecie esta sensação e atente manter sempre com você. Eu te convido a abraçar esta oportunidade com ambas as mãos e um coração aberto para abrir as portas para sua própria saúde. Você poderia ser sua primeira testemunha nos primeiros passos pela confirmação do que eu acredito em minha alma e que, irá ser mostrado, eventualmente, a todos aqueles capazes de abrirem suas mentes a uma cura maior natural para toda a humanidade compartilhar. Todos nós possuímos uma séria responsabilidade para conosco e as pessoas que amamos de viver uma vida longa e saudável ( para mim a vida é linda quando você está em forma e bem). Deixe-nos Ter certeza de que esta aproximação sobreviva às críticas, cujas vocês se tornam cada vez mais altas. É meu objetivo garantir que cada leitor esteja bem informado sobre a prata coloidal, para que ele ou ela não seja levado por toda reportagem escrita ou verba ou qualquer revisão estranha. A pessoa tem que estar precavida sobre as declarações feitas por pessoas desinformadas que não sabem sobre a prata coloidal, aqueles que apenas pensam saber algo porque uma vez leram um relato preconceituoso em um folheto ,ouviram uma entrevista na rádio ou assistiram na televisão uma reportagem alertando contra o uso da prata coloidal. O comentário negativo de tais pessoas me faz lembrar de um Chinês dizendo: Quanto menos eles sabem mais eles têm certeza . Desde que comecei a pesquisar e escrever sobre a prata coloidal , alguns contos corriqueiros me neutralizaram; eu utilizo a palavra corriqueiro assim como retirada do DICIONÁRIO DE INGLÊS DE OXFORD. Significando que a utilização de tal linguagem como a única licença de um bufão iria ser suficiente. È muito raro que algo seja completamente e minuciosamente sabido, completamente compreendido e verdadeiramente reportado. Informações anteriores algumas vezes têm que ser corrigidas; os fatos alegados não são tão confiáveis como o informante queria que nós acreditássemos. Se qualquer um tenha que tomar cuidado contra o uso da prata coloidal, eu sugeriria que você descubra de quem e de onde estes conselhos brotaram. Esta pessoa é competente o suficiente para contribuir para o seu conhecimento sobre a prata coloidal? Em que eles se baseiam neste conselho? Que interesses estão por trás? 38
    • Onde há alternativas, a escolha da decisão certa deveria ser deixada para o leitor. Sua escolha pode se tornar totalmente diferente da próxima pessoa e ainda, a relação com outra pessoa. Eles podem sentir que sua decisão possa ser a correta, o quanto tomam e por quanto tempo? Primeiro, você tem que Ter todos os fatos possíveis de maneira chegar à decisão correta. Você tem que pesar todos os prós e contras. Então, você é capaz de comparar e contrastar, tentar seus próprios experimentos, mesmo cometer enganos. A prata coloidal não causa nenhum mal, mas no final você chega a suas próprias conclusões. Existem muitas centenas de milhares de pessoas em todo o mundo que estão totalmente convencidas sobre os efeitos positivos e as muitas utilizações que a prata pode ser posta em prática, nos trazendo de volta a um caminho em direção a uma saúde melhor. Você irá ler os vários relatos e escutar comentários positivos de muitas pessoas preocupadas em melhorar sua saúde. Você não pode ignorar a confiança e entusiasmo que muitas pessoas e eu nos posicionamos, uma confiança baseada na experiência pessoal. Uma vida mais saudável depende da capacidade, acima mencionada, em cometer erros, juntamente com a habilidade de aprender. Este é a causa de eu nunca querer abandonar tanto minha capacidade de errar quanto a minha habilidade em aprender. Este livro reflete o presente estado de conhecimento limitado. Para leitura futura, o Chinês possui um dito : Aprender é como remar contra a correnteza. Assim que você parar ela o levará de volta . Eu também estou convencido sobre os usos positivos que a prata coloidal pode ser utilizada, nos proporcionando um estilo de vida mais saudável feliz e duradouro. Quando você lê ou escuta muita coisa de pessoas que utilizaram este exílio, você não pode simplesmente ignorara confiança que tantos depositaram nela; uma confiança baseada na experiência pessoal. Só porque nem tudo é dissecado de forma analítica ou precisa, não é para ser deixado de lado tanta ilusão. Os relatos de vários países, onde pesquisas científicas da prata coloidal foram ou ainda estão sendo feitas, perturbam até mesmo aqueles de pensamentos mais sérios de pensamento sobre os fatos. Apenas me resta desejar a você todo sucesso em sua busca para a prata coloidal e eu espero que você irá colher os mais ricos e saudáveis benefícios de sua utilização. A prata coloidal irá vir a ocupar o lugar que ela merece em sua vida diária de bem estar. Deixe-nos ver que promessas ela mantém em preservar e aumentar não somente nossas próprias vidas mas também de nossas crianças e netos. O desafio de descobrir a verdade irá continuar , não se importando com que grandes negócios ou governos tentem fazer com a gente. Muitas pessoas estão o fazendo por si mesmas, para aprofundar seu conhecimento procure na internet. Nem todos são de prata; alguns irão abrir seus olhos e mentes para o que está acontecendo e como as companhias farmacêuticas e corpos governamentais estão tentando nos restringir em nossas vidas. A PRIMEIRA VITÓRIA INTERNACIONAL CONTRA A INDÚSTRIA FARMACÊUTICA Com a batalha de tornar as prescrições de itens vitamínicos no EUA perdidas, a indústria farmacêutica decidiu reagrupar ao nível internacional. Em 1995, esta indústria fundou um cartel farmacêutico internacional, sob os auspícios das Organizações das Nações Unidas de Comércio Exterior e o governo alemão. Eles camuflaram seus esforços com um nome código: Codex Alimentarius . O ápice do cartel de Codex não é nada além de maquiagem para a derrota sofrida pelos EUA e para limitar o livre acesso a vitaminas- neste momento para todos os países membros das Nações Unidas em todo o mundo. O cartel de Codex é um esforço indireto da indústria farmacêutica internacional em assegurar sua sobrevivência, como sabemos hoje. Se eles perderem esta batalha internacional, similar à derrota dos EUA nas vitaminas, irá se tornar aceito em todo o mundo, como agentes preventivos e terapêuticos, beneficiando milhões de pessoas e reduzindo, substancialmente, os mercados para prescrição das drogas. Particularmente digno de notação, é o apoio político para os planos do Codex anti éticos pelo governo alemão. O cenário: O primeiro empregador do Chanceler alemão Helmut Kohl foi o cartel alemão da indústria farmacêutica. De 1957 a 1967, ele os serviu como um apoio pago. Sem apoio financeiro da indústria química e farmacêutica da Alemanha, Helmut Kohl não seria chanceler hoje. A conexão próxima entre a indústria farmacêutica e o governo através do século 20 é resumida à seguir. Não é nenhuma surpresa que o Governo Alemão é o ponta de lança internacional do cartel do Codex e hospeda encontros regulares em Bonn e Alemanha. Em seu último encontro de plenário,, em outubro de 1996, o cartel do Codex decidiu em procurar uma proibição de todas as informações preventivas e terapêuticas em conexão com as vitaminas e outras terapias naturais para todos os países membros das Nações Unidas, incluindo a Austrália. Para ter certeza de que estas leis controversiais iriam permanecer onde a resistência seria grande, como na Austrália, o Cartel ameaça sanções de Comércio exterior no caso de não cumprimento! Em outras palavras, se o povo australiano e o Governo da Austrália recusarem em dar prescrições de vitaminas, o cartel da indústria farmacêutica iria impor o Comércio Exterior das Nações Unidas para Ford, Microsoft, GP e outras indústria. Com esta estratégia, o cartel da indústria farmacêutica força uma corporação mundial para o seu lado, e ao mesmo tempo, declara guerra aos interesses da saúde de milhões de pessoas. Neste momento, o cartel do Codex era um esforço secreto e apressado e pelo final de 1996 ele já havia alcançado o estágio 5 de processo com 8 estágios, antes dos planos do Codex se tornassem lei. Esta era a situação até 21 de junho de 1997. Neste dia, um discurso foi dado em frente a 3.400 pessoas em Chernnitz, Alemanha; expondo a conexão entre o cartel do Codex , O Governo 39
    • Alemão e suas raízes na tradição daquelas companhias responsáveis pela Segunda Guerra Mundial e do Holocausto. Com vista das consequências devastadoras dos planos do Codex para a saúde humana , que foram declarados; duas vezes neste século, sofrimento indescritível de todo o mundo e morte originada da indústria farmacêutica. Isto não pode acontecer pela terceira vez. Em 25 de junho de 1997, quatro dias depois, o comitê executivo do cartel de codex encontrou-se em Geneva. Surpreendentemente, o presidente do cartel, um oficial do governo alemão, não compareceu. Ele havia sido chamado para longe . Em sua ausência, as delegações destes países que eram séticos sobre os planos do cartel prevalecer, e, os planos do Codex Alimentarius foram forçados a voltar para o estágio 3- o estágio de deliberação. Com esta decisão, os planos do codex não são ainda derrotados, mas nós ganhamos dois anos. O discurso de Chernnitz foi um outro importante marco no processo global de libertação da vitamina. Pela exposição pública dos antecedentes do Cartel de Codex , estes planos anti éticos se tornaram imediatamente uma responsabilidade política. No tempo de escrever, o Codex Alimentarius estão abertos aos seus truques novamente, com a total cooperação do governo Australiano através de Produtos da Administração Terapêutica. UM SÉCULO DE ALIANÇA ENTRE O CARTEL DA INDÚSTRIA FARMACÊUTICA E O GOVERNO ALEMÃO A Alemanha é frequentemente descrita como a farmácia do mundo e as grandes indústrias farmacêuticas australianas tiveram sua origem na Alemanha. As maiores Multinacionais farmacêuticas são baseadas na Alemanha, BASF, Bayer e Hoechst possuem subsidiárias em mais de 120 países. Ao longo deste século, estas multinacionais estiveram manipulando e devastando influência nos assuntos globais como mostrado nas páginas da história: 1920s BASF, Bayer e Hoeschst formaram o primeiro cartel, IG Farben 1932 IG deram 400.000 marcos alemães para financiar a campanha de eleição de Hitler, a única maior doação de qualquer companhia que o Tribunal de Nuremberg declarou: sem a IG Farben, a Segunda Guerra Mundial nunca teria sido possível. Em troca, IG Farben participou no saqueamento de todos os países dominados pelo NAZI Wehrmachat, incluindo a Áustria, Checoslováquia, Polônia, Noruega, Holanda, Bélgica, França e o resto da Europa. Em 1941, IG Farben estabeleceu a maior fábrica química mundial em Auschwitz, se aproveitando da mão de obra barata dos campos de concentração de Auschwitz. O gás ZykionB, utilizado para exterminar milhões de vítimas nas câmaras de gás, veio dos Laboratórios IG Farben. No Tribunal de Guerra de Nuremberg , 24 executivos do IG Farben foram condenados de assassinato em massa. Escravidão, saques e outros crimes, mas por volta de 1951 todos eles estavam de volta aos negócios. O Tribunal de Guerra de Nuremberg dissecou o IG Farben em BASF, Bayer e Hoechst, mas a tradição continuou: Até os anos 70, os presidentes administrativos de todas as três companhias eram membros formais do partido Nazista: Carl Wurster (BASF), Curt Hansen (Bayer) e Carl Winnacker ( Hoechst). A tradição do cartel de IG Farben continuou sob um novo nome, a Indústria Verband der Chemischen, VCI ( ASSOCIAÇÃO DA Indústria Química.) Até mesmo a tradição de se construir políticos servis continuou. O chanceler alemão, Helmut Kohl foi empregado como um pressionador para o cartel VCI. Com o apoio financeiro e de relações públicas do cartel, ele se tornou chanceler da Alemanha e agora serve aos interesses do cartel internacional de Codex. Parece que agora estes tentáculos químicos atingiram a Austrália, a tradição de se formarem políticos servis continua na saúde e nas despesas de nós as pessoas que votaram para este governo. A maioria à seguir foi extraída da Internet. CODEX: O que isso significa? O seguinte artigo abaixo foi escrito por um proeminente M.D. canadense, um dos melhores que escreveram sobre o tópico, que foi distribuído por um grupo americano buscando parar o CODEX nos Estados Unidos. Os efeitos do CODEX nos EUA, Canadá e todas as nações membro das Nações Unidades, que incluem a Austrália e Nova Zelândia. Eu desejo que vocês o leiam e decidam se talvez, apenas talvez, é finalmente o tempo para você utilizar o tão chamado processo democrático HOJE para preservar o futuro de você e sua família AMANHÂ. Se você valoriza a liberdade de escolha no cuidado com a saúde, talvez não seja tarde para ajudar a parar o mundo pendente de ampla supressão da Medicina Complementar. Se a comissão do Codex Alimentarius ( Código de Nutrição) possui sua maneira, então ervas, vitaminas, minerais, remédios homeopáticos, aminoácidos e outros remédios naturais que você tenha tomado por mérito da maioria de sua vida irão embora. O nome do jogo para o Codex é mudar todos os remédios sob a categoria de prescrição que seria controlado, exclusivamente pelo monopólio médico e seus chefes, as principais firmas farmacêuticas. Este cenário foi premeditadamente negado tanto pela Associação de Comida e Saúde Canadense ( CHFA) e o Ramo de Proteção de Saúde ( HPB ou Hocus Pocus Bunch). Também, o TGA australiano. Nem por um minuto acreditem nessas pessoas. 40
    • Deixe-me explicar: Codex, é oficialmente conhecido como Organização Mundial de Saúde das Nações Unidas ( QUEM) , Comissão do Codex Alimentarius ( Código de Nutrição). Ele se encontra a cada dois anos, normalmente em Roma e muito pouco apareceu na imprensa, apenas que alguns poly foram para Roma em busca de turismo sob nossas custas. Contudo, a documentação apoia a possibilidade de que o Codex é a maior ameaça a liberdade da saúde no mundo de hoje. A maioria das informações que temos sobre este grupo secreto pode ser encontrada na Internet. O Codex é autorizado pelo governo para estabelecer padrões de operação para a indústria farmacêutica. Mais de 90% das organizações internacionais permitiram mandar delegações aos encontros representando as Corporações Multinacionais Farmacêuticas. A única organização consumidora é a Organização Internacional das Uniões de Consumidores. Nem a indústria de tratamento natural de saúde ou o público em geral possui nenhuma representação nos encontros do Codex. Em outubro de 1996, O Codex se encontrou em Bonn, Alemanha para fazer mudanças radicais nas regras na administração de suplementos de dietas para as nações membros. Os propósitos da grande preocupação eram aqueles feitos pela delegação alemã ( princípios gerais dos rascunhos propostos para suplementos de dietas) e sendo patrocinado pela Bayer, Hoechst e BASF. Estas são três companhias de medicamentos formadas quando os Julgamentos de Guerra de Nuremberg desbandaram o IG Farben, manufatureiro do gás venenoso utilizado nos campos nazistas de concentração. Esta não é a primeira vez que as Nações Unidas foram ligadas com os crimes de guerra nazistas. Ostensivamente, o existe um propósito e eu cito: criar uma série de padrões internacionais para guiar a produção das indústrias alimentícias do mundo e proteger a saúde dos consumidores. Esta é apenas mais uma mentira encoberta que as companhias de medicamentos trouxeram para os propósitos chamados: nenhuma vitamina, mineral, erva etc. pode ser vendido com razões profiláticas ( preventivas) ou terapêuticas. Remédios naturais podem ser vendidos como comida mas eles não podem exceder os níveis de potência (dosagem) estabelecidos pela comissão. Isto significa que o acesso do consumidor aos suplementos dietéticos será limitado à permissão recomendada diariamente do RDA (e quem, posso perguntar, estabeleceu este padrão), a dosagem como a máxima limitada para as vitaminas (Vitamina C 60 Mg, Vitamina E 15 Mg, Etc.). Suplementos sem um RDA (e.g. coenzima Q 10) seria ilegais para venda porque eles se tornariam todos drogas. Regulações do codex para suplementos dietéticos se tornariam atados a eliminação da cláusula de escape dentro da central de acordo de tarifas e trocas (CATT) que permite uma nação estabelecer seus próprios padrões. Isto se aplica a todos os países membros das N.U. Qualquer nação que não aceite ou aplique estes novos padrões serão severamente multados pela Organização Mundial do Comércio (OMC), criando um potencial de enfraquecimento de todos os setores da economia das nações. Todos os novos suplementos seriam banidos, a não ser, que eles passem pelo processo de aprovação do codex. Cinco passos já foram dados no processo do codex nos últimos anos. Lembra que a Lei Canadense C7 que passou eventualmente no Canadá para C8? A similaridade do processo, o segredo e as palavras entre os propósitos do codex e as leis canadenses é estranha votando a favor da adoção o propósito Alemão foi sobrecarregado (16 a favor e 2 contra nas mais recentes votações). O processo do codex está agora no quinto nível de formalização e debate no que diz respeito a características específicas. Em dois anos, o codex pode pular do nível A para o B, para finalizar estas restrições. Os propósitos do codex já existem como lei na Noruega e Alemanha, onde toda a indústria de alimento e saúde literalmente tomou conta pelas companhias de medicamentos. Nestes países, vitamina C acima de 200Mg é ilegal, assim como vitamina E acima de 45 UI, vitamina B1 acima de 2,4Mg e assim por diante. Shering Plough, um gigante farmacêutico da Noruega, controla agora uma tintura Echinacea que foi vendida lá como uma droga OTC a preços grosseiramente inflacionados. O mesmo é verdade do Gingo e muitas outras ervas; e apenas uma farmácia controlada pelo governo tem o direito de importar suplementos como medicamentos, os quais eles podem vender para lojas de comida saudável, lojas de conveniência ou farmácias. De acordo com o Doutor Matthias Rath, pesquisador e autor que descobriu a correlação entre deficiência de vitamina C e a doença de coração, as três companhias de medicamentos ligadas ao nazismo pressionaram tanto para o propósito alemão, Hoechst, Bayer, BASF, são também manufatores para o remédio para o coração. Obviamente, com a competição de vitamina acabada, nada irá impedir seus lucros. Sim, muito mais que isto. De acordo com John C. Hammell, advogado legal da fundação de extensão da vida dos EUA, as propostas ligadas ao nazismo possuem por trás comissões representativas do codex canadense e francês. Em junho de 1996, o comitê executivo do codex estará criando um júri com experiência em ervas, o qual deve gerar uma lista negativa para prevenir o acesso público a certas ervas internacionalmente. A formação deste júri experiente foi advogada por ninguém mais que os representantes canadenses. Por que então o HPB e o CHFA estão negando que as propostas do codex não terão nenhum impacto na disponibilidade dos suplementos nutricionais no Canadá? Ou os porta vozes para estes dois grupos são ignorantes sobre os propósitos ou eles estão mentindo para o público para proteger os lucros das indústrias farmacêuticos. Depois de todos os vários membros votarem do CHFA são pertencentes por ou são subsidiários das principais cadeias farmacêuticas ou manufatureiras de medicamentos. Nenhum grupo pode ser confiado para da resposta direta para o público sobre o Codex. Eles estão em conflito claro de interesses desde que eles tentam ganhar financeiramente quando os preços dos suplementos são jogados lá para cima. Evidências tardias do envolvimento canadense é a posição do HPB (Hocus Pocus Bunch) no que é ou não uma comida ou um medicamento. Este ramo é muito inteligente sobre seu apoio no que diz respeito à indústria farmacêutica ou apenas muito idiota. Por exemplo, alho, gengibre, liquorice e hortelã são consideradas comidas quando vendidos como condimentos. Se um gerente de supermercado faz reivindicações sobre seus efeitos terapêuticos, eles então se tornam drogas por um mecanismo hocus pocus que ainda permanece por ser definido. Como é agora no Canadá ( e estas mudanças constantes proporcionam o humor, nível de açúcar no sangue ou venetas dos oficiais no HPB) a lista a seguir de comidas saudáveis disponíveis de lojas de suprimentos nutricionais 41
    • são consideradas nebulosamente como sendo uma droga (medicamento). Uma droga, mesmo na ausência de reivindicações ou de uma nova droga com reivindicações: Aloe Vera, Billberry Capsicum, cascara sagrada, Cats claw, Camomila, dong Quai, Echinacea augustifoha, Echinacea purpurea, Ephedra ( Ma huang), Fever few, alho, gengibre, Gingo biloba, Ginseng, Golden Seal, gotu Kola, hawthorne, Kava-Kava, Liquorice leite de cardo, Pau D arco ( Taheebo), Hortelã, Psyllium, Salsaparilha, saw palmetto, Yohimbe. Nota: esta lista parcial é dos EUA, Austrália, Canadá e maioria dos países da Europa. Esta lista é provável de expansão nos próximos dois anos. Se o Codex e o HPB possuem sua maneira, todos os suplementos serão substituídos por caros, patenteados, fora do controle ou prescrição de medicamentos. Olhe o que já aconteceu a aminoácidos como o tryptophan. Uma vez disponível por menos de $20 por frasco de 100 comprimidos de 500 mg. Em uma loja de produtos saudáveis d sua região, o mesmo comprimido é agora disponível através de prescrição a um custo de mais de $120 na farmácia. Acima disso, para você poder Ter uma prescrição de tryptophan, você terá que pagar por uma consulta médica e então convencer o médico a te dar uma. É mais fácil falar do que fazer simplesmente porque a maioria dos médicos não tem nenhuma idéia do que o tryptophan faz ou acreditam que ele seja tóxico. Projetando este pensamento superficial às ervas listadas acima , se torna quase claro que o acesso do público a remédios naturais será uma coisa do passado. Para mais informações, documentação e um plano de ação para combater os propósitos do Codex, contate John Hammell, Advogado legislativo, Fundação de Extensão da vida. 2411 Monroe St. #2 Hollywood, FL 30020 EUA Tel: 800-333-2553, 954-929-2905 Fax: 954-929-0507 Clham@ccncentric.net Site na web: http://www/let.orollet/index..btrnl Debbie Mc Donald email para: lullwatr@flash.net Por favor telefone, passe um fax e passe um e-mail para todos da sua lista que você possa pensar. Mande-os esta informação e peça a eles para telefonarem também. Para se manter atualizado ao que fazer, mas a coisa mais importante é agir, antes que seja tarde demais. CARTAS DE RECOMENDAÇÃO Lilian, Currumbin Qld Eu estava sofrendo de um problema de gengiva que estava me afligindo por um dentista incompetente. Meses agonizando e a agonia sobre a perda de três dentes de ciso e dor contínua. O dentista totalmente inútil. O médico prescreveu Augmentin. Eu evitei antibióticos o máximo possível e Augmentin tomado anteriormente para a cistite havia me dado úlceras na boca terríveis. Então escrevi em NEXUS para prata coloidal e endereços de Montville. Telefonei para Keith Courtenay, Montville, Sexta-feira, 13 de dezembro, a prata coloidal chegou na Segunda dia 16. Me disseram por volta de 15 dias para ver os resultados. Não entendendo a solução, encontrei dificuldade em servir uma colher de chá cheia. Tomei uma dose ( aproximadamente 1 colher de chá) às 3 horas da tarde e outra às 9 da noite. Segunda. Tomei três doses na Terça. Terça à noite às 9 horas eu vomitei meu jantar em um jato gigante. Quarta pela manhã fui limpar o banheiro e percebi que o liquido do vômito era em sua maioria óleo e gordura. Pense que meu estômago teve uma boa lavada. Também, acho que abusei da dosagem no meu frágil estado. Entretanto, nunca mais me senti doente ou com náuseas desde então. Recebi conselhos de medir com gotas duas vezes ao dia, o que eu fiz. Domingo, 22 de dezembro, minha dor diminui nos dentes, que estava muito frouxo na tomada, entre os lábios e a gengiva se formou agora uma protuberância abscessa familiar. A partir de um fino algodão esterilizado eu cortei pequenas tiras embebidas e enroladas na mistura de prata coloidal e coloquei o material enrolado entre o lábio e a gengiva no abscesso formado e estendendo até o outro lado. Eu fiz isto 3 vezes ao dia, mantendo o algodão durante toda a noite os resultados eram evidentes no dia de Natal, quando todos os vestígios do abscesso, incluindo a dor, tinham sido totalmente dominados e acabados. Eu estava muito feliz. Agora estou tomando a mistura 2 vezes ao dia. O dente ainda está bambo e estou tomando uma variedade de sais bioquímicos incluindo o fluoreto de cálcio e sílica, como aconselhada por um amigo que me passou seu nome, número de telefone e informação fotocopiada. Ela também o contatou e comprou mistura de prata, o que me agrada muito. No entanto, eu escrevi a ela e disse que minha vista estava afetada e que eu estava sofrendo com dores de cabeça intermináveis e imaginando se era verdade que a prata coloidal não acumula no corpo, como eu pensava poder Ter afetado meus olhos. Eu fui a um médico indiano sábado passado ( não o meu anterior) pensando que eu tinha cistite também. O teste de urina estava limpo. Com muito cuidado o doutor diagnosticou que os músculos do meu pescoço estavam com cãibra e espasmos e colocou uma luz no meu pescoço 15 minutos de cada lado. Alívio abençoado. Ele me aconselhou a Ter massagens no pescoço, o que eu irei fazer no próximo dia de pensão. Eu tinha dores de cabeça durante todo o tempo 42
    • do meu problema de dentes mas eu não sofro de cefaléia crônica. Então quando a dor do dente e da gengiva pararam, foi quando percebi mais a dor de cabeça. E claro que eu estava tensa e com cãibra da dor mas não pude perceber isto. Eu irei dizer então que a prata coloidal é definitivamente 100% segura e eficaz. E eu acredito que não sofrerei novamente de cistite que costumava irromper de 3 a 4 vezes por ano. Foi minha infamiliaridade com o produto que me causou ansiedade. Informação em como servir seria uma boa idéia. Alternativamente, em se usar um conta gota. Eu contei a várias pessoas sobre você e seu produto. Acho que seu pacote é excelente. Acabei de abrir o segundo frasco esta manhã. Tenho certeza que este irá durar muito mais que o primeiro, mas eu não hesitarei em pedir novas remessas. Muito obrigada, eu sou uma senhora muito grata. Sinceramente, Lilian PS: também o meu apetite está lentamente retornando e estou me sentindo muito mais radiante Senhora C., Montville Qld Eu gostaria que você soubesse o quanto eu estou feliz por Ter sido apresentada aos seu produto da prata coloidal. E vinha sofrendo de alergias na pele desde de 1978, indo e vindo, por isso escolhi a profissão de enfermeira. Médicos me diagnosticaram com dermatite e me deram todos os tipos de prescrição, mais unguento e/ou pomadas incluindo cortisona. Eu tenho usado medicamentos prescritos e unguentos por 12 anos. A alergia começou em meus dedos esquerdos e se espalhou gradualmente ao meu rosto e para extremidades mais baixas. O homeopata disse que era psoríase e me receitou um tratamento para isto, mas a situação de indo e vindo continuou. Também tentei outros tratamento de auto cura. Todo verão e outros tempos de stress meu pescoço normalmente ficava coberto de feridas. Tentei a prata coloidal, honestamente, eu não esperava muito dela. Eu estou tomando prata coloidal oralmente de manhã e à noite, também em uma bola de algodão esfregando em minha pele, onde a alergia costumava aparecer, além de algumas gotas em meus olhos antes de ir para cama. Depois de dois meses, percebi que minha vista está mais clara, eu não tenho que usar meus óculos todos os dias. Agora o verão já está quase acabando e esta é a primeira vez que eu não passo pela experiência de uma alergia da pele. Tomando mais tarde, eu coloco gotas de prata coloidal em meus ouvidos toda vez que tenho dor de ouvido, coceira, inflamação ou apenas para limpá-los. Isto ajuda muito. Especialmente meu ouvido direito que tem o tímpano rompido. Mais uma vez, eu agradeço sinceramente a você por seu cuidado e compreensão, não apenas comigo como com outras pessoas. Eu sempre terei um frasco em minha frasqueira de remédios. Seus mais sinceros, Senhora C. Kathleen, Ingham Q Querido Keith, Eu tenho boas notícias sobre a prata coloidal. Eu osso seguramente dizer agora, que minha cândida acabou. Deste vez eu a combati fortemente com 4 grandes colheres de chá duas vezes ao dia por 10 dias sem interrupção. Eu também conheço duas mulheres que me disseram Ter tido sucesso no vírus da herpes tipo 2. Em adição, um amigo meu salvou um pato com uma asa quebrada há três meses atrás. O osso estava ressaltando dos dois lados do pescoço. Ela colocou a prata nos ossos, então colocou um algodão saturado com um pano em volta da asa quebrada. Eu disse a ela que era perda de tempo, ele estaria morto por gangrena dentro de 4 dias. No terceiro dia o pato estava alisando suas penas. Ela também colocou algumas gotas de prata na garganta do pato- então tudo está bem por lá também. O câncer de bexiga de Noels ninguém pode ver, ele utilizou um frasco de ouro , que você enviou gentilmente a ele e ele toma a prata todos os dias. Felicidades Hazel. Strathpne Gardens. Q. Estou escrevendo para outro frasco de Prata Coloidal Original. Eu quero muito tentar melhorar e me manter longe dos antibióticos. Realmente acredito nos últimos meses, que os antibióticos estão me tornando mais doente cada vez que eu os tomo. Como o médico disse, se eles falharem em me ajudar com a minha dor e doença, eles tomariam conta do intestino. Eu frequentemente pensei estar morrendo lentamente, mas após ler o seu livro e como você se ajudou com a prata coloidal eu disse a mim mesmo por que não dar uma 43
    • chance e ver o que acontece. Eu realmente não sei o que é se sentir bem e eu continuarei tentando. EXPERIMENTAÇÃO PRÓPRIA MAIS PROFUNDA Á medida que pesquisei para informações mais a fundo na prata, eu desenterei informações que me fizeram abrir os olhos ainda mais e apenas me deixaram imaginando. Quando escrevo estou experimentando, eu mesmo, com o seguinte: COBRE O cobre é um metal comum encontrado em todo o mundo. Acredita-se que o nome seja derivado da palavra grega kyprios, a ilha de Ciprus, onde o cobre foi inicialmente encontrado e explorado em tempos antigos. O nome cobre também vem do latim da palavra cuprum. ( Allison Buttset), Copper: The Science and Technology of Metals, Its Alloy and Compouds ( Nova York: Reinhold Publishing Corp. Publicado em 1954). Cobre puro é a cor do cobre vermelha. Na homeopatia, o cobre é usado para tratar cãibras, convulsões, desordens nervosas, disfunções do órgão sexual e exaustão física e mental vindas da sobre-extersão da mente ou de noites mal dormidas. Nos últimos anos, existiram várias pesquisas do efeito clínico sobre a utilização de braceletes de cobre. Resultados preliminares sugerem que a utilização do bracelete de cobre, de fato, alivia a artrite, reumatismo e a AIDS na assimilação de cobre no corpo. ( S. Beveridge, W. Walker e M. Whitehouse), Medicamentos de cobre da derme: O Bracelete de Cobre e Cu (H) Complexos Salicílicos , Agentes e Ações , Vffl ( Sup.1981), páginas 359-367. ( D. Keats e W. Walker) Uma Investigação Terapêutica do Valor da assimilação do Bracelete de Cobre nas Condições de Artrite e Reumatismo , Agentes e Ações, IV ( julho de 1976), páginas 454-459. Uma extensa pesquisa foi feita em 1981 em como a medicina ortodoxa utilizava o cobre. ( Jo Sorenson), desenvolvimento dos Complexos de Cobre para Uso Terapêutico Potencial , Agentes e Ações, Vffl ( Sup. 1981), páginas 305-325. O cobre vai em uma direção um pouco diferente no corpo. Nós estamos agora, mas do que antes ( por causa dos medicamentos dos homens), em um tempo que a invasão de parasitas pelos mosquitos transmissores de doença se tornaram uma epidemia. O cobre é conhecido por ser, especificamente, apropriado para problemas de articulação que são causados normalmente por invasão de parasitas, como a Malária, Dengue e infecção febril de Ross River; apenas para nomear três delas. Elas são causadas por insetos transmissores que picam e introduzem os parasitas quando eles furam a pele, sempre deixando parasitas se o inseto hospedeiro estiver infectado. Cobre coloidal também tem sido utilizado como remédio para cabelo branco, queimaduras, artrite, parasitas e infecções por vírus e bactérias. Pesquisas mostraram que o cobre coloidal pode matar mais de 600 micróbios. Ela tem sido utilizada para tratar um amplo raio de inflamações, incluindo a anquilose, espondilose, artrite, Eritema nodosum, osteoartrite, febre reumática, artrite reumática, ciática e doença de Wilson. O cobre alivia a anemia e deficiência de molibdênio. E o mecanismo de cobre intra-uterino ( DIU) é hoje, normalmente recomendado e utilizado no controle de natalidade. O cobre pode ser utilizado para ajudar na estabilização e equilíbrio do fluxo de sangue dentro do corpo, também ajudando a aumentar as funções circulatórias quando necessário. Pode ser utilizado para limpar feridas e para combater infecções bacterianas. Também tem sido utilizado no tratamento de artrite, bursite, reumatismo e para estimular o processo metabólico. Na medicina antroposófica, o cobre é utilizado para harmonizar e balancear a ação do corpo astral com o corpo físico. Um desequilíbrio entre estes dois corpos pode resultar em um amplo raio de desordens físicas e mentais. O cobre é chamado de metal da assimilação porque ele alivia desordens intestinais e estimula o metabolismo. Pode existir subnutrição com distúrbios circulatórios, especialmente com os vasos da cavidade abdominal e extremidades mais baixas. O cobre é considerado a escolha de remédio para disfunções renais, espasmódicas e de cãibras. Algumas doenças específicas ele é utilizado incluindo a disenteria, disminorréia, epilepsia, condições do fígado, nefrite, disfunções da tireóide, tifóide, úlceras, varizes, e constipação espasmódica e atônica. Steiner também notou que o cobre aumenta a aceitação própria e as emoções são equilibradas. A pessoa que precisa de cobre pode estar cansada, excitada, apática, neurótica ou exibir estágios menos avançados de psicose. ( L.F.C. Mees, M. D) Living Metals ( Londres, Editora Regency, 1974), pág. 19-27. ( Wilhelm Pelikan). Os Segredos dos Metais ( Sring Valley, NY: Editora Antroposophical, 1984), páginas:04-118. Os antigos utilizavam o cobre no tratamento da cólera, gotejamento, eczema, resfriado, disfunções da bexiga, hérnia, icterícia, neuralgia, palpitações do coração , febre escarlatina, esquizofrenia e para esticar os órgãos sexuais. Outros problemas que ele é utilizado incluem calafrios, tonteiras, náuseas, febre noturna e pulso fraco. Funções das glândulas melhoram e o cobre promove ação capilar e formação de corpúsculos vermelhos. Também tem sido utilizado para aliviar problemas de garganta incluindo a tosse, rouquidão, catarro laríngeo e dificuldade de engolir. O cobre também facilita o medo da morte, memória fraca e a inabilidade de reter pensamentos. No papíreo de Ebers da18ª dinastia dos antigos egípcios, é sugerido que a pulverização de cobre é utilizada para inflamações granulomatas, especialmente nos olhos. Hippocrates usou o cobre para a efizema, hemofilia e pneumonia. Paracecelsus usou-o para tratar a histeria, sífilis e desestabilidade pulmonar. Na Índia, os brincos de cobre são usados para prevenira ciática. Edgar Cayce disse que o cobre estabiliza as emoções de forma que o espírito natural e mental fiquem alinhados. Acredita-se que AIDS Cobre no cenário cármico como um dos elementos comuns na lamúria para estabelecer parceiros genéticos gerais, para o então desenvolvimento do corpo físico e tecido ósseo da forma anatômica anterior. Isto foi feito de forma a não ter nenhuma opressão à forma gelatinosa, que foi por vezes típica da anatomia dos dias de hoje, particularmente nas primeiras fazes da 44
    • infância. ( Max Heidel) Princípios Ocultos da Saúde e da Cura ( Oceanside, Califórnia, EUA. The Rousicrucian fellowship,1938) página 15 ( Max Heidel) A Cosmo-Concepção Rosicrucian ( Oceanside, Califórnia, The Rousicrucian fellowship, 1977) páginas 275 e 346. É bem documentado que em diferentes línguas o cobre é utilizado para a cura e crescimento do espírito. O cobre pode ser utilizado em um amplo raio de condições inflamatórias como a artrite, reumatismo, inflamações no córtex cerebral, atividades do ouvido e disfunções intestinais. Várias disfunções associadas com o diafragma, como a respiração fraca pode ser tratada com o cobre porque ele aumenta as funções neurológicas. Maior flexibilidade entre os tecidos ósseos, incluindo a cartilagem, ligamentos, tendões e tecido sinuoso. Utilize o cobre em doenças do lado esquerdo do cérebro como o autismo, dislexia, epilepsia, disfunção neurológica, problemas de coordenação motora e problemas na visão. E adição, as glândulas pineal e pituitária são estendidas. O cobre também alivia a anemia perniciosa. Em se tomando cobre coloidal, ele ajuda como um antídoto às radiações do microondas e aumenta a assimilação de cobre. No campo esotérico da vida para combater a letargia, passividade, inquietação, irritabilidade e a não aceitação de si mesmo é conhecido como um mineral. Ele pode estimular a iniciativa, otimismo, diplomacia e independência. São convenientes as mensagens de que não há nenhuma necessidade em buscar amor ou constante busca por vida e que definitivamente, existe uma busca e liberação de todas as restrições que se instalaram dentro de nós. Ele emite uma energia filosófica, livre da ortodoxia e preconceito. É excelente para o policiamento e formação de polícia, promovendo uma luz para as avenidas e correto posicionamento em todas as áreas. O cobre ativa e abre a base e os pontos chakras, abre o coração, avançando e equilibrando as energias de intuição, sexualidade, desejo e vitalidade; direcionando estas energias em direção à busca da evolução de cada um. Ele permite a alguém, magnificar a energia transferida do curador, ou provinda de minerais ou cristais, ao objeto da cura. Utilizado em conjunção com a Prata, Ouro ou Platina, ele pode equilibrar as energias do corpo e ajudar a manter a estabilidade e bem estar dentro da química sanguínea e estruturas celulares; também todos os corpos sutis são alinhados. O cobre reconhece as barreiras, que estão no caminho do desenvolvimento de alguém. Isto criam um alarme total de capacidade própria e genérica de uma tremenda confiança psico-espiritual. Os indivíduos atingem gradualmente o equilíbrio entre todos os níveis de sua forma e todos os níveis de sua existência. O cobre é um dos elementos metais básicos de alta propriedade de condução; então as propriedades elétricas do corpo são ativadas e ela pode conduzir impulsos elétricos e possui uma propriedade peculiar de aumento ou diminuição das influências astrológicas. ( Os signos astrológicos do cobre é o Touro & Sagitário) Pelo aumento das capacidades eletromagnéticas da física e corpos sutis. Isto torna o cobre um excelente elixir para o tratamento da radiação cósmica. O cobre pode também ser utilizado para atingir a amplitude total do pensamento. Ele também pode ser aplicado externamente, especialmente quando há necessidade, não obstante ao fato de que o indivíduo pode ter muito em um nível celular do corpo. É frequentemente melhor aplicar o cobre à potência homeopática baixa, como no estado coloidal. Exposição ao sol amplifica o cobre, propriedades masculinas são levemente acentuadas e pode ser usado em todo o corpo. O cobre colocado no local do terceiro olho tem sido conhecido por estimular os campos eletromagnéticos médios para uma melhor ligação entre as glândulas pineal e pituitária. A ação unificada dessas glândulas ajuda a criar as atividades do terceiro olho . Nos próximos anos, este elixir pode atingir grande importância porque ele pode ser utilizado para tratar radiação cósmica e provinda do microondas. O cobre proporciona uma conexão harmônica entre os corpos físico e astral e alinha os corpos sutis. Tem sido usado com sucesso para amplificar e transmitir pensamento. É dito ser um conferimento do produto , trazendo benefício ao usuário. VACINA DE DNA, UM ÚTIL REJUVENESCEDOR DA FORÇA DE ENERGIA DA VIDA Seu DNA está comprometido pela exposição a vários elementos tóxicos do século 21, ambos materiais e emocionais. Cobre Coloidal Original é documentado como um dos principais rejuvenescedores das forças vitais entre nós, trabalhando profundamente na célula de DNA para criar o ambiente interno necessário para o corpo reverter as condições degenerativas. Também ajuda a produzir freqüência harmônica que otimiza as funções do DNA e ajuda o corpo a corrigir estados degenerativos como o câncer, artrite e outros tipos de autoimune desequilíbrios. Ele também ajuda a aumentar a ressonância total da frequência harmônica da célula. Também, elementos naturais a partir de água energisada contida nesta fórmula, são conhecidos por seu papel na produção de energia no corpo; ele ajuda a manter e estabilizar as frequências eletromagnéticas e parceiros específicos ao Cobre Coloidal. Quando o DNA da célula vibrando à sua frequência ótima, é uma dança de nenhuma doença poder dançar e o corpo permanece em um estado de equilíbrio e saúde ótima. Mesmo que eu não seja autorizado a fazer nenhuma reivindicação médica, porque eu não sou um médico ( a não ser pela minha saúde vibrante) para coloidais, eu proporciono informação clínica e médica quanto aos usos terapêuticos destas substâncias. Mais informações podem ser extraídas da Internet. Está destinado a você, leitor, determinar a veracidade desta informação. Eu posso dizer que em minha experiência pessoal com coloidais, muitos resultados positivos foram atingidos por mim, minha família e amigos; também declarados por muitas outras fontes ao redor do mundo. Muitas pessoas estão gradualmente se voltando para os benefícios das propriedades da cura natural encontradas no bronze. Nós 45
    • proporcionamos uma qualidade de solução de bronze coloidal para aqueles que desejam explorar suas possibilidades de saúde ( sem nenhum efeito colateral) . Bronze coloidal é conhecido em ajudar na formação do osso, hemoglobina e glóbulos vermelhos ,e fortemente acreditado em trabalhar no equilíbrio com o zinco e a vitamina C para formar a elastina. Ele está envolvido no processo de recuperação, produção de energia, coloração da pele e cabelo e sensibilidade do paladar. Este mineral é também necessário aos nervos saudáveis. Um dos primeiros sinais da deficiência de bronze é a osteoporose. O bronze é essencial para a formação de colágeno que constrói o tecido conjuntivo da matriz do osso. As pessoas, mais uma vez, estão começando a usar o Bronze Coloidal para ajudar na prevenção dos cabelos grisalhos, estiramento das veias e artérias, matar parasitas e prevenir rugas. Não há nenhuma reação adversa com este bronze em sua forma de micron, lembrando que antigamente algumas pessoas costumavam usar cobre em seu pulso ou tornozelo para absorver o bronze no corpo. Bronze Coloidal Original é em torno de 40 vezes mais forte e 400 vezes mais fina que o tamanho do micron. FÓRMULA DO BRONZE COLOIDAL ORIGINAL Bronze Coloidal original combina as qualidades dos benefícios naturais do vestígio de Bronze mineral com a última tecnologia desenvolvida em coloidal para proporcionar a habilidade natural do corpo de alcançar a saúde como um todo e bem estar. O Bronze Coloidal original como designado de forma muito nutricional suporta todo o seu programa de saúde de baixa gordura, muitas fibras e exercícios diários. O bronze coloidal original pode lhe ajudar a alcançar seu objetivo de perfeita saúde nos estressantes dias do mundo atual. O bronze tem sido utilizado através dos séculos por suas propriedades restauradoras e de total bem estar. É conhecido por melhorar muitas condições difíceis, e nenhuma coloração é dada na água pela presença de bronze. Impurezas de sais e outros contaminadores são criados apenas como um produto de técnicas de manufaturas inferiores que são encontradas no mercado. Hoje, pesquisas melhoradas e técnicas de produção melhores, garantem que nosso bronze coloidal original seja o mais puro de mais alta qualidade e as melhores somas disponíveis em qualquer lugar do mundo. Esta é a nossa garantia. Ingredientes chaves do bronze coloidal original. Água destilada da chuva, triplamente filtrada e reenergizada com processo Grander Living Water (99,95% da alto nível de platina pura) contendo nenhum sal, ingredientes artificiais, conservantes, colorantes ou aditivo. Bronze (Cu) 2,5Mg por litro . PH. 7,2. Edward H. Ochsner, MD, BS, F.A.C.S, cirurgião consultor do Hospital Augustana, EUA. Sugeriu a seguinte dosagem: Adultos: 8 ml. = 2 Gotas cheias. Crianças: 4 ml. = 1 Gota cheia Para aplicação tópica utilize uma mistura fina de spray várias vezes ao dia para reduzir a dor e promover a cura. Por último, para aqueles que estudam a numerologia e a astrologia. O bronze vibra para o número 1. Signo astrológico: Touro/Sagitário OURO Este elemento é encontrado em várias tonalidades de amarelo e é extraído por todo o mundo. O nome vem de uma terminologia antiga anglo-saxônica no sentido e significado. Medicina moderna. Pesquisa médica e clínica tem mostrado que muitas utilizações do ouro, incluem o tratamento da artrite reumatismo e disfunções venéreas. Foi provado ser benéfico em casos de tuberculose, esclerose múltipla, disfunção sexual, lúpus discóide, disfunção glandular e nervosa, asma bronquial e algumas operações sem fim. O ouro coloidal é conhecido por Ter efeito direto nas células, especialmente aquelas do cérebro e nervos. Tem sido mostrado possuir propriedades sedativas notáveis, sem, no entanto, impedindo o poder dos nervos de transmitir impulsos. O ouro é normalmente utilizado na medicina, no meio deles, instrumentos cirúrgicos, implantes de ossos e agulhas de acupuntura. O ouro coloidal e o câncer: em um artigo médico escrito sobre o câncer inoperável, Edwar H. Ochsner, MD, BS, F.A.C.S, cirurgião consultor do hospital Augustana, EUA; relatou que o ouro coloidal pode Ter um efeito inibitório significante no crescimento do câncer. Sua pesquisa descobriu que ele pode ajudar a reduzir o tamanho dos tumores, alivia a dor, melhorar o apetite e digestão, aumentar o peso e a força. Nós acreditamos que o nosso ouro coloidal original é o melhor suplemento Homeopático de ouro no atual mercado. Ele contém as qualidades rejuvenescedoras do ouro (90%), os efeitos germicidas da prata (5%) e as propriedades 46
    • ameaçadoras da vida do bronze (5%): três elementos essenciais cuidadosamente formulados em um só produto. Todos estes suplementos naturais e minerais puros são coloidados ,isto é, eles são carregados eletromagneticamente. A medida que eles são carregados eles são compostos em partículas de micron e suspensas em água destilada Grander Living . Ele é sem sabor e não tóxico. Ele é preparado sem qualquer transportador, aditivos ou tintas. Este é o mesmo processo utilizado para produzir a nossa Prata coloidal original . O ouro tem sido utilizado por muito tempo para propósitos medicinais. Ele tem fortes efeitos desiguais no corpo físico, nas áreas de saúde e de doença. Por volta de 1885, o ouro coloidal era normalmente utilizado na América como cura para a dipsomania (desejo incontrolável por álcool). O ouro coloidal original é conhecido por seu poder anti inflamatório. Ele tem sido conhecido por aliviar as dores e luxações da artrite, reumatismo bursite e tendinite. Em tempos formais ele era utilizado para abrandar a tara por álcool e tem sido utilizado como um remédio para disfunções digestiva, problemas circulatórios, depressão, obesidade e queimaduras. Ele é reputável por ser um poderoso rejuvenescedor glandular com vida extensa e no melhoramento de possibilidades de funções cerebrais. Enquanto o ouro coloidal original não possui a mesma ação germicida/anti bactericida da prata coloidal original, ele pode Ter um efeito balanceador e harmonizante no corpo, particularmente no que diz respeito a estado emocional e mental instáveis, como a depressão S.A.D (Disfunção afetiva sazonal) , melancolia, arrependimento, medo, dispersão, angústia, frustração e tendências suicidas... As doenças mais comuns atribuídas como Doenças do coração . O ouro tem sido conhecido através dos anos por ter uma efeito direto nas atividades do coração, ajudando a melhorar a circulação sanguínea. Ele é conhecido por ser benéfico ao rejuvenescimento de órgãos deteriorados, especialmente no sistema digestivo e do cérebro. O ouro tem sido utilizado em casos de disfunções glandulares e nervosas, ajudando no rejuvenescimento das glândulas, estimulando os nervos e aliviando a pressão nervosa. O mecanismo de temperatura corporal pode ser positivamente afetado pelo ouro, particularmente no caso de calafrios, ondas de calor e suadeira noturna. Utilizada diariamente com a Prata Coloidal Original, o Ouro Coloidal original pode proporcionar ao nosso corpo um sistema de defesa natural contra a doença e ajuda a promover uma vitalidade e longevidade renovada. Os doutores Nilo Cairo e A . Brinckmann escreveram um trabalho best seller Matéria Médica ( São Paulo, Brasil, 19ª edição, 1965), no qual o Ouro Coloidal foi listado como o remédio número um contra a obesidade .Em julho de 1935, a revista periódica médica Clinical, Medicine & Surgery tinha um artigo entitulado Ouro Coloidal no Câncer Inoperável , escrito por Edward H. Ochsner, MD, B.S., F.A .C.S., Cirurgião Consultor de Chicago, Hospital Augustana. Ele declarou Quando as condições são sem esperança, o Ouro Coloidal ajuda a prolongar a vida e torna a vida muito mais agradável para o paciente e aqueles em volta, porque ele diminui o período de caquexia (desperdício de condição física e desnutrição associada com doenças crônicas) e reduz bastante a dor e o desconforto. Na maioria dos casos diminui a necessidade de opiatos ( narcóticos). Fórmula do Ouro Coloidal original: o Ouro Coloidal Original combina as qualidades dos benefícios naturais do vestígio de Ouro mineral com a última tecnologia desenvolvida em coloidal para proporcionar a habilidade natural do corpo de alcançar a saúde como um todo e bem estar. O Ouro Coloidal Original é designado para proporcionar nutricionalmente todo o seu programa de saúde de baixa gordura, muitas fibras e exercícios diários. O Ouro Coloidal Original pode lhe ajudar a alcançar seu objetivo de perfeita saúde nos estressantes dias do mundo atual. O ouro tem sido utilizado através dos séculos por suas propriedades restauradoras e de total bem estar. É conhecido por melhorar muitas condições difíceis, e nenhuma coloração é dada na água pela presença de ouro. Impurezas de sais e outros contaminadores são criados apenas como um produto de técnicas de manufaturas inferiores que são encontradas no mercado. Hoje, a busca contínua para melhores pesquisas e técnicas de produção, acreditamos que nosso Ouro Coloidal Original é o mais puro, de maior qualidade e o melhor disponível em qualquer lugar do mundo. Edward H. Ochsner, MD, BS, F.A.C.S, cirurgião consultor do Hospital Augustana, EUA. Sugeriu a seguinte dosagem: Adultos: 4.2 ml. = 4 Gotas cheias. Crianças: 2 ml. = 2 Gotas cheias. Ingredientes chave do Ouro Coloidal Original. Água de chuva destilada com o processo de Grander Living , ( 99.90% de uma série de ouro médico puro + 5% prata 5% bronze) contendo nenhum ingrediente artificial, conservantes, colorantes ou aditivos. OURO ( Au) 2.3 mg/L. pH7.4 Vacina de DNA, um útil rejuvenescedor da força da vida. A energia da força da vida é comprometida pela exposição de elementos tóxicos, ambos materiais e emocionais. Ouro Coloidal Original é documentado como um dos principais rejuvenescedores das forças vitais entre nós, trabalhando profundamente na célula de DNA para criar o ambiente interno necessário para o corpo reverter as condições degenerativas. Ele ajuda a produzir freqüência harmônica que otimiza as funções do DNA e ajuda o corpo a corrigir estados degenerativos como o câncer, artrite e outros tipos de auto imune desequilíbrios. Ele também ajuda a aumentar a ressonância total da frequência harmônica da célula. Também, elementos naturais a partir de água energisada contida nesta fórmula, são conhecidos por seu papel na produção de energia no corpo; ele ajuda a manter e estabilizar as frequências eletromagnéticas e parceiros específicos ao Ouro Coloidal. 47
    • Quando o DNA da célula vibrando à sua frequência ótima, é uma dança de nenhuma doença poder dançar e o corpo permanece em um estado de equilíbrio e saúde ótima. Mesmo que eu não faça nenhuma reivindicação médica ( além da minha saúde vibrante) para coloidais, eu forneço informação clínica e médica quanto aos usos terapêuticos destas substâncias. Mais informações podem ser extraídas da Internet. Está destinado a você, leitor, determinar a veracidade desta informação. Eu posso dizer que em minha experiência pessoal com coloidais, muitos resultados positivos foram atingidos por mim, minha família e amigos; também declarados por muitas outras fontes ao redor do mundo. Max Heidel disse que o ouro simboliza o espirito universal e sua pureza perfeita. Então, ele purifica o denso corpo físico. Max Heidel, Rosicrucian Christianity Lectures ( Oceanside, Califórnia) The Rosicrucian Fellowshiup,1972, página 272. Alice Bailey disse que o ouro simboliza nossos desejos em várias áreas. Alice Bailey Esoteric Astrology ( NY: Lucis Publishing Co. ,1979) páginas 378-379. Cayce disse que o ouro reconstrói o sistema nervoso e é bom para esclerose múltipla. Medicines for the New Age ( Londres: Editora Rudolf Steiner,1976), páginas 146. O ouro é extensivamente utilizado na medicina antroposófica. Ele melhora a circulação, respiração e regula nossa temperatura. Ele pode ser indicado para calafrios, febres, ondas de calor e suadeira noturna. A digestão pode melhorar e é uma boa pomada para o lúpus. Com o ouro, o senso de responsabilidade e consciência pode se desenvolver. Pode haver uma necessidade do ouro quando existir conflito do ego, frustração na vida e alguém pode estar sobrecarregado de responsabilidade. Ele também é bom para pessoa deprimida com muita auto reprovação e pensamentos suicidas. É bom também para a pessoa maníaca com tendências megalomaníacas assim como a excitação ou a raiva. Este é um excelente remédio para pôr um fim na psicoterapia. O ouro tem sido utilizado também para câncer de pele, especialmente na exposição exagerada à radiação. Wilhelm Pelikan The Secrets of Metals (Spring Valley, NY: Editora Antroposófica ) páginas 87-103. L. F. C. Mees, Living Metals (Londres: Editora Regência,1974) páginas 57-69. Na homeopatia, o ouro é indicado para depressão profunda e tendências suicidas. A pessoa pode estar com ausência de confiança própria e se sentirem inferiores ou super sensíveis sexualmente. Pode haver uma neuralgia ou falta de sol, especialmente durante as longas noites de inverno. Pode haver anemia, problemas nos olhos, dores de cabeças, pesadelos, paralisias, pneumonia, sífilis ou doenças vasculares. Na medicina ocidental, o ouro tem sido por muito tempo um proeminente remédio para várias artrites, reumatismo e disfunções venéreas. Também tem sido utilizado para a tuberculose, doença do coração, ataxia locomotora, disfunção sexual, disfunções da pele como a lepra e o lúpus, problemas espinais, estimulação do cérebro ou digestão. Outros utilizaram o ouro para implantes ósseos, instrumentos cirúrgicos e agulhas de acupuntura. (Wm. Beatty e Geoffrey Marks, The Precious Metals of Medicine (NY: Charles Scribner s Sons,1975) páginas 22-27,190-191,195,216,228,230,235-236) Arthur T. risbrook, et al., Gold leaf In the Treatment of Leg Ulcers , Jornal da associação Americana de Geriatras, XXI (Julho de 1973), páginas: 325,329. James D. Gowas e Mohammad Salami, Resposta para a Artrite Reumática Com Leucopoenia Para sais de Ouro, New England Journal of Medicine, CCLXXXXVII. (10 de Maio de 1973), 1007-1008. Acredita-se que o ouro tenha sua origem em Atlantis, onde seu uso na cura era maravilhado até mesmo nestes dias, entre os vários mestres de cura (curandeiros). Ele foi primariamente utilizado no desenvolvimento do chakra do coração. Ele também foi utilizado por sua habilidade da amplificação da forma de pensamento. A pureza do ouro preserva pensamentos mais altos para uma futura recuperação. Suas propriedades altamente condutivas para eletricidade e formas de pensamento o fizeram um metal caro, onde é utilizado para alguns poucos procedimentos cirúrgicos que a sociedade está envolvida. O Ouro também era utilizado para abrir o terceiro olho. ( veja as tradições da origem Vedic ). Sua resistência à acidez e deterioração, fizeram do ouro um metal perfeito para utilizar nas horas de implantar vários talismãs diretamente no corpo físico. A resistência do ouro ao calor e outro tipos de vida permitiram a essas implantações no corpo físico. Tais implantações podem ser encontradas em restos mumificados de diversas civilizações como a China, Egito, Incas, Maia e até mesmo na Europa. As propriedades de cura do ouro sempre foram buscadas e bem documentadas por todas as grandes culturas. Ele foi, claro, sempre a unidade padrão pela qual vários sistemas monetários mediram seu valor. O ouro , em sua coloração, promove a recuperação e trabalha profundamente na inconsciência coletiva do homem em ambos os níveis genético e telepático. O ouro se tornou um símbolo dominante universal na consciência de todos os homens e mulheres. O ouro é o grande balanceador do chakra do coração, que é talvez, o mais poderoso dos pontos chakras. Há sempre uma falsa concepção de que os chakras de cima são mais poderosos. O chakra do coração precisa do metal mais puro para atuar como um ótimo equilibrador. Este é o motivo pelo qual, o ouro sempre foi um ótimo vínculo da alquimia com o homem. O coração é, claro, essencial para o fluxo circulatório do corpo físico. Este sozinho iria fazer uma cura mestre. No entanto, o ouro possui interconexão com o timo. Com mais esta propriedade, nós achamos que ouro possui propriedades de cura por toda a forma física. As atividades do coração e do timo são então designadas para balancear a estrutura psicofísica durante os primeiros sete anos da vida, e mesmo penetra e rejuvenesce todo o sistema endócrino. Estas atividades acontecem com o elixir coloidal ou quando existe um suplemento de ouro físico na dieta diária. O ouro também costumava ser encontrado na beterraba, camomila, dandélia, algas marinhas, planta marinha e trigo, especialmente se ele era cultivado pelo vestígio de ouro encontrado no solo. O elixir do ouro é dado também na AIDS pela absorção de ouro, magnésio, oxigênio, fósforo, prata e vitaminas A, B,D e E. Muito pouco ouro no corpo é uma das principais causas de esclerose múltipla. Este é um fator frequente em várias desordens neurológicas. Uma quantidade pequena de ouro no sistema possui uma tendência de desapontar a habilidade básica de assimilação do completo espectro de minerais e vitaminas, particularmente nos tecidos musculares e sistema nervoso. A regeneração do corpo desenvolve-se a partir da ingestão de ouro fisicamente na comida, 48
    • assim como pelo uso de elixir coloidal. A relação antagônica que o ouro possui com outros minerais. Por exemplo, Dr. Kolm na Finlândia disse que havia uma relação antagônica entre o ouro e o selênio. Hans Kolm, MD, Organothropia as a Basis of Teraphy, 12ª edição. ( Finlândia: n.p. 1978). Um balanço impróprio entre o ouro e o selênio causa problemas no sistema nervoso que pode desencadear uma doença psicossomática, talvez desencadeando até mesmo um comportamento epiléptico ou esquizofrênico. Pode haver o desenvolvimento de uma depressão, paranóia, medos sobrenaturais, letargia e impotência. Um outro problema proeminente ocorre quando existe um desequilíbrio entre o enxofre e o ouro. Então pode haver degeneração do coração, fígado e tecido dos rins.. o ouro irá ser indicado em todas as vezes para aliviar todos estes estados. Este desequilíbrio em vários minerais e vitaminas pode afetar nossa saúde física e mental como bem documentada na medicina ocidental. Contudo, as interações dos vestígios de elementos, especialmente aqueles obscuros e como isto afeta nossa saúde na maioria dos casos de pesquisa futura. O uso mais eficaz do ouro é como um ótimo equilibrante, mesmo da forma como ele procede na sociedade como um metal industrial com alto grau de condutividade. Esta propriedade, juntamente com a habilidade de resistir às mais diferentes formas de corrosão, como a oxidação e acidez, assim como seu alto nível de estabilidade na resistência da maioria das formas de radiação; e suas propriedades elétricas o tornam um perfeito transportador de certas propriedades no fluxo etéreo. Este ouro tão integrado com o corpo fisiológico também faz um perfeito campo para a distribuição de fluído etéreo por toda a forma física. O ouro estimula o desejo por iluminação do ser superior. Alguém se torna mais iluminado ou busca por intelecto mais rápido em direção a esses objetivos. O coração, testa, coroa e cinco chakras acima da coroa são abertos causando o alinhamento de visões espirituais mais altas. O ouro é também excelente para o armazenamento de formas de pensamento e pensamento de forma geral de amplificação. Acredita-se que o ouro carregue muitas propriedades etéreas ameaçadoras mesmo em sua forma física; é como se uma forma de pensamento ampliada que um possa utilizar na meditação e durante a visualização criativa para ser tomada como umas formas de pensamentos compassados e possui o corpo físico penetrado com isto como uma força positiva. É possível que um indivíduo possa ser bombardeado com muitas formas de pensamentos pela utilização de muito ouro. Indivíduos suscetíveis às formas de pensamentos são aqueles que prepararam sua consciência psicológica para estar aberta a isto. Estas pessoas colocam forte ênfase ao que está acontecendo no seu sistema de crença. Isto normalmente envolve a construção da personalidade necessária para manter o ser. Entretanto, este assunto é de menos importância e poucos deviam se preocupar com isto. 9 note que a palavra chave é suscetível). O ouro, que equilibra as propriedades masculinas, pode ser usado em qualquer lugar do corpo. Todos os meridianos e pontos mais baixos são estendidos e os corpos espirituais, emocionais e espirituais são alinhados. O ouro é também bastante eficaz no tratamento de diversas desordens mentais e a tintura pode ser usada em uma banheira. Para amplificar o ouro, coloque-o em uma pirâmide e exponha sua luz amarela por quinze minutos. Este elixir pode ser aplicado externamente quando misturado com óleo de jojoba, amendoim e girassol. Os pontos de testes são o coração, pituitária e medula oblongata. A vibração do ouro é o número 2. Signo Astrológico: Leão PLATINA Este mineral se cristaliza na forma de grãos, escamas e, muito raramente, emcristais cúbicos. A cor é cinza-ferro ao branco. Ela é encontrada nos EUA, Brasil, Canadá e Europa. O nome é derivado da palavra espânica Plata, significando prata. Quando muito a platina parece uma prata. Na homeopatia, este é um proeminente remédio para as mulheres. Ela tem sido utilizada para constipação, surdez, dores de cabeças, problemas menstruais, espasmos nervosos, paralisias, dormência, e muito interesse na sexualidade. O orgulho individual retirado de outros pode precisar deste remédio. Pode haver arrogância, ansiedade, medo, histeria, choque, grande desapontamento, excitamento prolongado e grande senso de superioridade. Pessoas para quem este remédio é útil, normalmente escondem suas emoções e possuem um ar de superioridade. Na medicina ocidental, a platina é utilizada para tratar o câncer. (T.A Conners e J.J.Roberts, Eds). Platinum coordination Complexes in Cancer NY: Sringer-Verlag New York, Inc. 1974. ( Stephen J. Lippard ), ed., Platinum and Other Metal Chemotherapeutic Agents Washington, D.C.: Sociedade Química Americana, 1983. A platina tem sido utilizada também como um metal para implante nas fraturas ósseas e marca passos do coração. ( Wm. Beatty e Geoffrey Marks), The Precious Metals of Medicine NY: Charles Scribner s Sons, 1975, páginas 230, 239.) Ela pode ser usada para estimular a saúde dos olhos, trazendo a eles uma condição melhorada. A Platina também proporciona uma conexão com a estrutura celular do corpo físico e ativa, na memória de cada célula, o reconhecimento da condição de saúde e dos processos necessários para manter esta condição pela estimulação do sistema imunológico; uma vez que as células tenham entendido, elas podem eficazmente realizar a dissipação das desordens dentro de suas estruturas. Ela também atende no funcionamento próprio do sistema digestivo e melhora a assimilação de nutrientes. 49
    • A super exposição à Platina grosseira pode causar a platinose , irritação do nariz ou respiração, região ao redor dos olhos, tosse ou espirros. Pode existir também, alguns sintomas da asma, como a diminuição da respiração, chiação e peito cheio, além de poder ocorrer lesões na pele. ( Ethal Browning), Toxity of Industrials Metals , Londres: Butterworths, 1969. Páginas 270-275. Nossa Platina Coloidal Original é produzida à potência homeopática. Platina Coloidal é conhecida por ajudar na absorção de outras vitaminas e minerais no corpo. VACINA DE DNA, UM ÚTIL REJUVENESCEDOR DA FORÇA DE ENERGIA DA VIDA Seu DNA está comprometido pela exposição a vários elementos tóxicos do século 21, ambos materiais e emocionais. A Platina Coloidal Original é documentado como um dos principais rejuvenescedores das forças vitais entre nós, trabalhando profundamente na célula de DNA para criar o ambiente interno necessário para o corpo reverter as condições degenerativas. Também ajuda a produzir freqüência harmônica que otimiza as funções do DNA e ajuda o corpo a corrigir estados degenerativos como os desequilíbrios do sistema imunológico. Ele também ajuda a aumentar a ressonância total da frequência harmônica da célula. Também, elementos naturais a partir de água energisada contida nesta fórmula, são conhecidos por seu papel na produção de energia no corpo; ele ajuda a manter e estabilizar as frequências eletromagnéticas e parceiros específicos à Platina Coloidal. Quando o DNA da célula vibrando à sua frequência ótima, é uma dança de nenhuma doença poder dançar e o corpo permanece em um estado de equilíbrio e saúde ótima. Mesmo que a lei não me permita fazer nenhuma reivindicação médica, porque eu não sou um médico ( a não ser pela minha saúde vibrante) para coloidais, eu proporciono informação clínica e médica quanto aos usos terapêuticos destas substâncias. Mais informações podem ser extraídas da Internet. A ajuda da Platina na regeneração do tecido cardíaco, timo e todo o sistema endócrino. Ela aumenta a transmissão elétrica sobre as sinapses no cérebro; contudo, ela ajuda na regeneração geral do tecido dos tecidos neurológicos. Todas as vértebras são alinhadas e existe um aumento na eficiência de informação recebida por todos os tecidos neurológicos. Há um facilitamento dos miasmas petroquímicos e tuberculares, e existe uma melhora na absorção de todos os nutrientes, particularmente aqueles que influenciam nos acordos neurológicos. A Platina é um anti-depressivo. A memória melhora, particularmente quando a perda da memória foi causada por um choque, ansiedade, ou atividades similares. As faculdades de Clarividência aumentam de forma mediana e existe uma pequena melhora na interpretação de tais experiências interiores. A Platina pode ser utilizada para amplificação do pensamento geral, com estas propriedades em acordo ao paralelismo deste quartzo. Isto é em sua maioria devido a esta substância metálica possuir a habilidade de manter propriedades magnéticas. A platina mantém o nível de energia de uma pessoa para alcançar o feito e o complemento de objetivos. Ela tem sido utilizada para estimular a glândula pineal e pode aumentar a intuição, habilidades físicas e o conhecimentos dos níveis de inteligência. Platina é a pedra da qual Arquimedes falou quando em sua busca para a centralização da situação . Ele acreditava que esta pedra proporcionava as bases da habilidade para que alguém pudesse mover a Terra . Ela também ajuda a alguém no reconhecimento, visão e sentimento do florescer do espírito trazendo a quarta força dos alcances interiores de alguém. Qualidades femininas são mais equilibradas com este elixir. Os meridianos e as partes inferiores são ativadas e a Platina possui a rara qualidade de abertura dos cinco chakras acima do chakra da coroa. FÓRMULA DA PLATINA COLOIDAL ORIGINAL A nossa Platina Coloidal original é produzida à uma potência homeopática e combina as qualidades dos benefícios naturais do vestígio de Platina mineral com a última tecnologia desenvolvida em coloidal para proporcionar a habilidade natural do corpo de alcançar a saúde como um todo e bem estar. A Platina Coloidal Original é designada para proporcionar nutricionalmente todo o seu programa de saúde de baixa gordura, muitas fibras e exercícios diários. A Platina Coloidal Original pode lhe ajudar a alcançar seu objetivo de perfeita saúde nos estressantes dias do mundo atual. A Platina tem sido utilizada através dos séculos por suas propriedades restauradoras e de total bem estar. É conhecida por melhorar muitas condições difíceis, e nenhuma coloração é dada na água pela presença de ouro. Impurezas de sais e outros contaminadores são criados apenas como um produto de técnicas de manufaturas inferiores que são encontradas no mercado. Nossa busca contínua para melhores pesquisas e técnicas de produção nos faz acreditar que nossa Platina Coloidal Original é a mais pura, de maior qualidade e a melhor disponível em qualquer lugar do mundo. Ingredientes chave para Platina Coloidal original. Água destilada da chuva, filtrada triplamente e água reenergizada no processo de Grander Living , ( 99.95% de série pura de Platina. 0.5% Bronze ) contendo nenhum sal, ingredientes artificiais, conservantes, colorantes ou aditivos. 50
    • Platina. (Pt) 2.0 miligramas por litro. PH 7.4 Edward H. Oschsner, M.D., B.S., F.A.C.S, Consultor cirurgião do Hospital Augustana, EUA, sugeriu a seguinte dosagem: Adultos: 8 ml = duas gotas cheias Crianças; 4 ml = uma gota cheia Para aplicação tópica, use uma fina névoa de spray várias vezes ao dia para reduzir a dor e promover a cura. Por último, para aqueles que estudam Numerologia e Astrologia: A Platina vibra para o Número 7. Signo astrológico: Leão. 51
    • Segunda Parte DESCOBERTA DA AÇÃO GERMICIDA DOS COLÓIDES DA PRATA Em 1834, o obstetra alemão F. Crede administrou 1% de nitrato de prata aos olhos de crianças recém nascidas, eliminando virtualmente a incidência das doenças causadoras da cegueira em bebês. No entanto, não foi até o final de 1800 que os cientistas ocidentais foram capazes de provar o que já era conhecido na medicina oriental há milhares de anos, que a prata era comprovadamente um combate aos germes. Uma vez que a descoberta de que os fluídos chefes para o corpo eram coloidal na natureza, as infinitas possibilidades que poderiam surgir do uso das colóides na medicina foram reconhecidas. Consequentemente, uma solução da prata conhecida como prata coloidal tornou-se amplamente utilizada na medicina como uma das principais maneiras de tratamento antimicrobiano, até que as grandes companhias de medicamentos vieram com os mega dólares e transformaram o dinheiro no principal propósito da profissão médica. O que foi realmente feito foi a redescobrimento de que a prata mata germes. Dr. Robert Becker M.D., declarou ela não é tóxica em micro concentrações de 3-5 partes por milhão . Os estudos de Thomas Graham em 1862 em relação à diálise, na qual se originaram os termos cristalóides e colóide , permaneceram sem qualquer aplicação industrial ou terapêutica por vários anos. Os colóides dos tempos de Graham eram principalmente substâncias orgânicas anologicamente a cola ou a gelatina. Mesmo que alguns colóides orgânicos fossem conhecidos, como a forma coloidal do hidróxido de ferro, formalmente conhecido como ferro dialisado. As substâncias que eram difusas pela operação de diálise eram chamadas cristalóides, enquanto substâncias que não eram difusas eram chamadas colóides. 52
    • DISPENSÁRIO DOS EUA Datado de 1907, parte 2 Declarado o seguinte: Diversas modificações alotrópicas da prata foram descobertas por Carey Lea, uma delas "prata solúvel" ( argênteo solúvel) que foi introduzida à medicina. Isto foi originalmente utilizada como germicida não venenoso para ser usada em várias infecções como a septicemia, difteria e tuberculose; ela era aplicada por meio de injeções. Ela permanecia dissolvida se a solução estivesse misturada a um soro. Foram necessárias 12 horas de contato para matar a bactéria patogênica. Ela foi aplicada subcutâneamente ou por meio intravenoso e não teve nenhum efeito adverso em humanos ou animais. Algumas pessoas tiveram calafrios mas isto descobriu-se ser causado por aditivos, portanto apenas água destilada pura deve ser usada. As aplicações de prata coloidal foram aprofundadas por Mr. Crede, um químico da virada do século. Ela foi depois comercializada pelo Dr. Henry Crookes que escreveu o livro chamado O Uso da Prata Coloidal. Ele foi cuidadosamente guardado pela comunidade médica. O USO DE COLÓIDES NA SAÚDE E NA DOENÇA Colóides como germicida e desinfetante Há muito tempo é de desejo dos físicos e sanitaristas em encontrar uma substância que irá destruir os germes causadores de doenças e ainda provar ser inofensiva para os humanos ou até mesmo para animais domésticos e pássaros. Muitas tentativas foram feitas para se obter produtos análogos ao ácido carbólico, com alto poder germicida e baixo poder tóxico, mas somente um escasso nível de sucesso foi alcançado. Isto é apenas esperado quando se derem conta de que o organismo humano é composto de um número indefinido de células e que qualquer substância que elimine as bactérias ou qualquer organismo causador de doenças estará , com quase toda certeza, tendo o mesmo efeito nestas células. A diferença na ação é meramente o grau e é ainda uma matéria de limitação acompanhado de riscos que estão longe de serem satisfatórios. Mais ainda, alguns dos germes mais virulentos são capazes de prosperar em soluções de ácido carbólico ( fenol), outro conhecido desinfetante de força que seria nocivo aos seres humanos. Em adição, a evolução de germes de um tipo em reprodução quase harmônica em busca de um germe venenoso geral, o qual não é tóxico para o ser humano. Felizmente, o reconhecimento de bactérias e seus produtos essencialmente coloidais em caráter, tem facilitado de forma ótima os estudos de desinfecção. Agora é percebido que não se levando em conta que a bactéria está viva, eles podem, graças ao seu caráter coloidal e às toxinas e outras substâncias que eles produzem, ser destruídas por substâncias que se aproximam de uma carga elétrica oposta da bactéria ou seu coloidal. O efeito de um desinfetante comum na bactéria é o resultado da absorção pelo último, tanto formando um componente químico, como para ser o caso do formol ou a distribuição de várias fases em acordo com a conhecida lei de absorção dos colóides. No último caso de colóides com carga elétrica oposta, irá precipitar um ao outro por tanto tempo que nem mesmo um grande excesso , mas os dois colóides em grande excesso irão se tornar inativos já que nenhuma precipitação pode ocorrer. A grande vantagem em se lidar com germes como colóides se deve ao fato de que os agentes utilizados para sua coagulação e conseqüente destruição não são necessariamente nocivos, uma vantagem que se torna extremamente importante quando o esperado é destruir a bactéria que no corpo vive. Em outros casos, onde o uso do fenol e outras substâncias venenosas são menos visadas, seu custo menor deve ser corretamente levado em consideração. Alguns dos mais promissores resultados nesta linha de pesquisa, são aqueles que se seguiram da descoberta do atrasado Henry Crookes em 1910. Alguns metais, quando no estado coloidal, possuem uma ação germicida mais alta, mas são inofensivos aos seres humanos . Era previamente sabido que certos metais divididos possuem uma fraca ação tóxica em formas mais primitivas de vida. Em adição, este poder germicida de certos sais metálicos dependem largamente no grau de ionização e nas propriedades específicas de ions individuais, aqueles que possuem o poder germicida chefe, em outras palavras, a maior extensão a qual um metal é deixado em produtos fisiológicos. A atividade de ambos é otimamente aumentada em solução alcalina até um ponto máximo, que é seguido por uma redução de atividade com o aumento da alcalinidade. Existe também um paralelismo vital entre a ação de envenenamento de várias substâncias ( ácido prúrico, sulfeto hidrogenado e mercúrio clorídeo) em uma solução metálica ( uma solução coloidal) e em uma enzima. Pesquisas recentes na ação de várias glândulas mostraram também que os fluídos excretados não possuem somente caráter coloidal, mas em vários instantes eles continham constituintes essenciais, alguns elementos que não são normalmente considerados como parte integral do organismo. Isto, a dependência dos fluídos tireoidianos em iodo, apenas foi estabelecida nos últimos 4 anos. De uma forma similar, a quantidade por minuto de enxofre, fósforo e ferro, que são presentes no organismo animal, não são adversas. Elas atuam de forma definida e sua ausência ou diminuição resultam em distúrbios sérios das funções. Iodo insuficiente na glândula tireóide, induz as doenças de cretinismo e análogo; e a insuficiência de fósforo é responsável por alguns distúrbios nervosos. Uma quantidade pequena de ferro no sangue resulta em anemia e a privação de enxofre é característica de doenças reumáticas. 53
    • O intenso poder de reação que algumas soluções elementares possuem é essencial. Eles podem induzir a reações químicas que de outra forma iriam requerer condições de temperatura e pressão quase inalcansáveis no objeto humano. Ainda, soluções metálicas têm ação catalisadora tão poderosa quanto a platina preta, e pode causar mudanças como a união de hidrogênio e oxigênio no frio ,a oxidação de ácido hidrótico por oxigênio em solução e a decomposição do dióxido de hidrogênio. A atividade de alguns metais é tão boa como sendo quase concebível. Desta maneira, a platina apresentou propriedades catalisadoras quando apenas 0,0000002 grãos de metal estão presentes! Este intenso poder de promover reações entre substâncias e deixando-as livre ao fim da reação, resulta em uma quantidade muito pequena de resíduos sendo capazes de mudanças que afetem, que são completamente desproporcionais à quantidade de resíduo presente. Isto também explica porque as mudanças que possuem caráter extremamente complexo, quando um catalisador está ausente, pode ser afetada facilmente na presença de um sólido elementar e, mais tarde que a administração de tal sólido irá produzir resultados em um curto espaço de tempo o qual iria requerer um longo período se afetada por meio de longas e sucessivas série de reações. Partes de metais possuem vantagem terapêutica aprofundada de ação mais rápida em soluções alcalina vagas, então quando corretamente preparada elas não são afetadas adversamente pelo sangue normal. Antes que um medicamento possa exercer sua completa ação terapêutica, ele deve ser convertido em estado ionizado ou coloidal. Infelizmente, um elemento no estado ionizado é usualmente associado com seus íons correspondentes de sais dos quais são produzidos. Desta maneira cloreto de mercúrio, quando ionizado, é separado em íons de mercúrio e íons de cloreto e a rede de carga elétrica do sistema é neutralizada. Quando um elemento como o mercúrio é administrado no estado coloidal, no entanto ele, e ele somente, é introduzido como um agente ativo e a carga nas partículas quase definidas e sua atividade correspondem de forma ótima. Consequentemente existe muita verdade na declaração de que um medicamento para ser totalmente eficiente tem que estar no estado coloidal ou convertido no corpo da pessoa. A conversão de um colóide em uma forma requerida pelo organismo é mais rápida quando o produto é injetado por meio intramuscular, mas há menos dor e igualmente bom, porém com resultados mais lentos: a) solução aquosa em garrafas ou ampolas b) Massa em base glycolatin c) Ungüento em base de lanolina d) Supositórios e pessários. Diferentemente de alguns produtos da prata, o metal coloidal não é organotrópico e não causa necroses abaixo do tecido. Daí, ele tem sido utilizado por vários meses consecutivamente sem causar manchas na conjuntiva. Tomado internamente, as partículas de prata coloidal são resistentes à ação de ácidos diluídos e alcalinos do estômago, e consequentemente permanecem com sua ação catalisadora e passa pelo intestino não modificado. A importância disto é óbvia em tais condições como úlcera urticária e outras formas de dermatites como a toxemia, disenteria por bacilo, diarréia e colite. A utilização de Argênteo de prata na prática oftálmica , no catarro nasal e seu efeito clínico afetado por injeção intravenosa na septicemia são relatadas em publicações médicas. PRATA COLOIDAL TEM SIDO UTILIZADA COM MARCADO SUCESSO NOS CASOS SEGUINTES Citado por C. E. A MacLeod Jornal Médico Britânico LANCET Amidalite séptica e folicular, angina de Vincent, conjuntivite vesicular, conjuntivite gonorréica, catarro , impetigo, acne contagiosa da face e corpo, úlcera séptica das pernas, plurigo do corpo, pequenas escoriações. Apendicite supurada após operação ( as feridas limpas rapidamente), eczema postular de escalpo e pubes, eczema crônica do meato do ouvido com furúnculos e também eczema de feridas anteriores, descarga ofensiva em caso de supuração crônica de otite média, bromidrose do pé, axila e furúnculos no pescoço. Por injeção, gonorréia e cistite crônica ( local), folhas metálicas epidemíticas. Senho James Cantle descobriu que ele é particularmente efetiva em casos de espru, disenteria e problemas intestinais. Sendo não tóxica, a dose pode ser aumentada de um, dois ou mais drachms ( a oitava parte dos farmacêuticos) um, duas ou três vezes ao dia. Dr. A Legge Roe trata da prata coloidal estável como a preparação mais útil na prática oftálmica e particularmente em casos de oftalmia gonorréica. Oftalmia purulenta em recém nascidos infectados por úlcera nas córneas em úlcera do tipo hipopiana no interior de uma câmara de cautere e outros procedimentos operacionais ,sendo raramente requeridos, ao mesmo tempo sua possível perfuração não ocorre, é menor e mais gerenciável queratite intersticial, blefarite, dacriocistite ,queimaduras e outras feridas da córnea. De acordo com esta autoridade, a grande chernose, a qual normalmente acompanha o uso de nitrato de prata é evitada e em sua opinião, se a prata coloidal é adotada em todo caso de oftalmia purulenta de recém nascidos não existiria tal coisa como vista prejudicada ou cegueira desta forma. Ele teve muitos casos de queratite intersticial em adultos, na qual a completa opacidade da córnea se tornou absolutamente clara de três a cinco meses, e ninguém que teve tanta experiência com essa doença em adultos sabe com que frequência permanente vista prejudicada resulta e quanto tempo o tratamento utilizado dura, especialmente se os irritantes tivessem sido utilizados anteriormente ao tratamento coloidal. O olho é mantido sob atropina ou preferencialmente escopolamina e o produto coloidal pingado três vezes ao dia, o olho mantido fechado depois de tudo por cinco minutos. Quando todos os sintomas ativos desaparecerem, e não antes disso se qualquer opacidade permanecer, óxido amarelo ou mercúrio unguento pode ser utilizado, porém se tratado como descrito acima, isto raramente será necessário. Em dasiocistite, Dr. Roe recomenda após pesquisado, que o 54
    • saco deva ser drenado com solução salina e depois que qualquer resquício permanecer, o saco deva ser preenchido com prata coloidal através do uso de seringa. Em casos de longa permanência , isto não será suficiente; o saco deve ser inserido e ligado com esparadrapo e por volta de uma semana ele deve ser embebido e inserido em gaze com 10% de solução de potássio biocromado ou a membrana do saco deve ser jogada fora. A ferida é permitida então a se fechar e as injeções de prata coloidal continuam. T. H. Anderson Wells a utilizava de forma intravenosa em caso de septicemia puerperal sem qualquer irritação dos rins e sem pigmentação da pele. Estes físicos descobriram que uma série de injeções intravenosas cada uma de Argênteo de prata colosol a cada 48 horas não produziam nenhum efeito contrário e a recuperação era rápida. Senhor Malcom Morris descobriu que a prata coloidal é livre de desvantagem de outros preparativos da prata, viz., a dor causada e a descoloração da pele, ao invés da produção de irritação ela distintamente ameniza os efeitos e rapidamente domina a inflamação e promove a recuperação das lesões. Ele teve resultados notáveis no alargamento da próstata com irritação da bexiga, em Prurigo ani, eczema perineal e hemorróidas. Ela pode ser utilizada em forma de supositórios enquanto a solução é simultaneamente aplicada na pele irritada. Na bromidrose axilar e nos pés, dá alivio rápido. Ela causa rápido desaparecimento de verrugas. Sendo não tóxica, ela pode ser dada internamente na urticária e outras formas de dermatites, que é sugestiva à toxemia. Nestes casos, ela é rapidamente benéfica. Na oftalmologia, a prata coloidal substitui altamente o nitrato de prata nos dias de hoje. Dr. J. Mark Hovell descobriu que a prata coloidal é benéfica para restauração permanente da potência dos tubos Eustasianos e para a redução do catarro nasofaríngeo. A prata coloidal tem sido utilizada com sucesso nas condições sépticas da boca ( incluindo a pinorréia ,doença de alvéolos), garganta ( incluindo amidalite e amidalite severa), ouvido ( incluindo os sintomas da Doença de Menière e fechamento da inflamação de Valsava) , septicemia generalizada leucorréia, cistite, coqueluche e herpeszoster. A preparação de prata coloidal, que é opaca ao raio x, provou ser inestimável a certos diagnósticos. Dr. J Mac Munn utilizou a prata coloidal com sucesso em casos de uretrite blenorrágica crônica gonorréia prostática pela injeção através do endoscópio na sustância da glândula da próstata. Argênteo de prata colosol também provou ser útil na gripe, tanto com propósitos profiláticos como de cura, quando aplicado em forma de spray nas narinas, lavando os olhos e em forma de gargarejo para a garganta. Dr. B. Seymor Jones utilizou um spray intranasal de prata coloidal em um caso de meningite cerebrospinal. Ele também usou a prata coloidal com vantagens marcantes em vários casos de rinite e alargamento de edemas nos fins posteriores dos turbinados médio e inferior sem verdadeira hiperpiese. O uso de produtos específicos na medicina não é nenhuma cura total universal mas tal como a administração de químicos puros como o hidrocloreto de quinino, marcou um grande avanço sobre o uso de tintura crua da casca cinchona, então a utilização de certos elementos na forma de sólidos demarcam uma linha ainda mais profunda no progresso de conquista das doenças. Levando-se em conta os principais produtos coloidais, os quais tem sido usados medicinalmente, nós podemos mencionar diversos produtos metais: O ouro coloidal foi primeiramente preparado em um estado suficientemente puro para o eficaz exame por Michael Faraday, um químico em 1857, mas era sabido que nos tempos da idade média, já que suas propriedades mais importantes não eram reconhecidas. Tão cedo como em 1885, foi largamente utilizada nos estados Unidos coo base na cura para a dipsomania, mas até então era apenas um de um número de ingredientes de uma complexa mistura que o produtor parecia não saber sobre as propriedades do ouro em seus preparativos, não se esquecendo das declarações e propagandas deste dia. Ouro coloidal é caracterizado pela grande diferença em sua coloração quando é preparado por diferentes métodos. Como normalmente preparado pela redução de uma fraca solução alcalina ou clorídeo de ouro com formaldeído ou fósforo, é um líquido intensamente vermelho com partículas que são negativamente carregadas, mas pela adição de eletrólitos convenientes ( sais de alumínio) é também possível a produção de uma solução azul com partículas positivamente carregadas. Uma amostra sem coloração do ouro é produzida se o campo elétrico é fortemente carregado com cargas negativas ou positivas. Experimentos com granada ( pedra preciosa) no índice retrativo de amostras coloidais de ouro, prata e cobre mostram que no caso de cada metal que esteja em suspensão na forma de esferas bem pequenas ,diferentes cores de amostra de ouro são devidas às partículas de metal e não por alguma diferença inerente na natureza de partículas dispersas. Ouro coloidal é sem gosto e não prejudicial, mas bases e sais corretamente precipitam o metal, então não é satisfatoriamente administrado. Mais ainda, a ação germicida do ouro é muito pequena então seu uso terapêutico é limitado. Por outro lado, ela é tão facilmente preparada e tão sensível que o ouro é principalmente usado como padrão para que outros possam ser comparados. Prata coloidal contendo 0.05% de metal, em um estado coloidal e não como um sal, é claramente vista como um vermelho cereja que possui uma ação oxidante marcante em adição ao seu poder de coagulação dos colóides de carga elétrica oposta. A cor da prata pura depende amplamente da maneira de que foi preparada e da presença ou ausência de quantidades mínimas de eletrólitos. Até mesmo o vidro da vasilha em que foi preparada pode afetar a coloração pelos traços de soda, sílica e qualquer outro tipo de óxido. Quando preparado sobre condições viáveis e devidamente protegidas a amostra é bastante estável mesmo na presença de sais e dos constituintes normais do sangue. Sua ação destrutiva nas toxinas é bastante marcante de forma que irá proteger os coelhos de doses letais dez vezes mais do que a toxina teutônica ou diftérica. ( Nota do EditorJð Lembre-se que todos os experimentos foram feitos no início do século. Ação Antiséptica Alguns experimentos da ação anti-séptica nas duas amostras foram feitas pela adição de quantidades conhecidas de 5 c.c. de nutriente em média, e depois de tudo inoculada com a totalidade de emulsão e incubação de microorganismos. A partir destes experimentos, será visto que ambas as preparações possuem considerável poder anti-séptico e que a prata coloidal é a mais poderosa 55
    • das duas. Considerando a ausência de ação bacteriana quando testado sob condições favoráveis , a ação anti-séptica desta preparação é interessante. COLÓIDES ELETRO METÁLICOS E SUAS APLICAÇÕES TERAPÊUTICAS Faculdade de Medicina, Paris, França Jornal Médico Britânico, The Lancet Por B. G. Duhamel M.D. 13 de Janeiro de 1912 A introdução de colóides metálicos na medicina, constitui um novo começo na terapia. A importância é ainda não ter sido reconhecida por todos. Um coloidal é normalmente definido por ser uma substância que não irá passar através da membrana animal, gelatinosa, albumina e dextrina são momentos típicos. Até pouco tempo isso era tudo o que se conhecia sobre eles, mesmo que o organismo animal seja composto em sua totalidade por colóides, e seja apenas um conhecimento de sua interação e reação tomando espaço no organismo humano, como era entendido. Ele se aprofunda em seu artigo dizendo que a descoberta é capaz de converter determinados metais e sais metálicos em estado coloidal, e o estudo cuidadoso desses colóides metálicos no entanto, mostram que eles são reduzidos em partículas indefinidamente pequenas, mas tão pequenas, que só podem ser visíveis com a ajuda de um ultra microscópio. Para Ter idéia de quão pequena estas partículas podem ser e a partir do fato de que um milímetro cúbico de ouro é estimado em conter milhões delas , o que seria considerada uma solução de partículas finas com pelo menos o dobro da quantidade. Estas finas partículas ou granulados são animados pelo que é conhecido como movimento de Brownian e são desativadas para manter em suspensão em um líquido médio quase indefinido. Ele ainda continua dizendo que existem duas maneiras de produzir colóides metálicos: quimicamente e fisicamente ( elétrico). A preparação química de um metal coloidal é afetado pela reação lenta do sal do mineral, também é o estado físico da substância melhor do que na natureza que irá determinar o efeito. Estes metais coloidais, como colóides em geral possuem uma carga elétrica especial e graças ao presente estado de divisão fina, eles possuem um certo poder catalisador. Isto é para dizer que por sua mera presença eles podem determinar uma ação química bastante poderosa, fora de qualquer proporção de qualidade no que diz respeito ao que é trazido em questão. Quando os colóides são misturados eles se tornam complexos possuidores de propriedades do corpo que são trazidas originalmente em contato. Isto é devido à afinidade dos colóides pelos outros que nós devemos buscar a explicação da ação das toxinas e anti- toxinas e de fato, elucidar o mais recente fenômeno biológico. Já que o organismo é um complexo aglomerado de colóides, nós temos tudo para ganhar com a introdução de substâncias médicas no estado coloidal, de fato, a ação dos metais coloidais, ambos localmente e constitucionalmente declarados à uma extraordinária bactéria, energia anti infectiva diretamente e através de defesas orgânicas. ARGIRIA, A FARMACOLOGIA DA PRATA Por William Hill M. D. Instrutor em Dermatologia E Donald M. Pillsbury M.A , M. D. Professor associado de Dermatologia Universidade da Pensilvânia Datado de 1912 Esta é uma forma alotrópica solúvel da água de prata metálica dita, contendo 85% a 87% de prata metálica e uma pequena porcentagem de albumina com produtos de sua oxidação. Isto ocorre em um sólido pequeno e quebradiço, preto-azulado, tipo escala em pedaços , solúvel em 20 partes de água destilada, produzindo uma solução verde escura na qual permanece estável por meses. Nenhuma partícula separada da prata pode ser distinguida na solução, até mesmo maximizada no mais alto grau sob um microscópio e eles possuem todas as características da solução. A adição de albumina ao colargol previne ou retarda sua precipitação através de ácidos ou sais. Uma quantidade suficiente de albumina para a prevenção da sua precipitação em condições normais e , entretanto, adicionada durante sua fabricação. Enquanto a prata coloidal, mesmo dissolvida em água boa ou da nascente , contendo sais naturais, não ocorre mudanças e se mantém inalterada pela fervura; considerando que a prata coloidal não contendo albumina se precipitada 56
    • quando fervida. Uma solução de collargol não reage diretamente aos testes para prata, ela não deveria ser exposta à luz ou ao ar. Ela é incompatível com os reagentes usuais da prata. Collargol é geralmente um anti-séptico germicida que pode ser utilizado interno ou externamente. Pode ser introduzido no sistema local sem causar reações ou efeitos de envenenamento geral. Na maioria dos casos, é melhor empregado no local em forma de unguento a 15%, 30 a 60 grãos sendo massageado minuciosamente na pele. Ele também precisa de uma solução aquosa de 2-5 % para injeção intravenosa na septicemia e piemia; 0.5 a 1% de soluções glicerinadas para injeções. Também, em 1/50 a 1% de solução para lavagens, em 3% para limpeza de pó em sondas contendo três grãos e em supositórios vaginais contendo ¼ de grão. Internamente, uma solução de 1:500 a 1:100 é dada livremente em doses de colheres de chá; também dada em pílulas ou comprimidos contendo 1/3 a 1 grão. EXPERIMENTOS NA AÇÃO GERMICIDA DA PRATA COLOIDAL W.J. simpson. O.M.G., M.D. Adberd F.R C.P. Londres Professor de Higiene, Universidade Kings de Londres E R. Tanner Hewlett, Md Londres. F.R. C.P. Londres Professor de Bacteriologia na Universidade de Londres The Lancet 12 de Dezembro de 1914 Há alguns anos atrás, Senhor Henry Crookes ( veja Chemical News- Notícias Químicas- 3 de maio de 1914, página 217) observou uma ação peculiar em alguns metais na inibição do crescimento de bactérias e à sua volta. Isto foi mais tarde reconhecido como sendo devido à ação germicida trazida pelos metais em estado coloidal. Todos os experimentos foram conduzidos pelo bacilo tifóide através dos seguintes métodos. Pelo Ride Walker ou método de gotejamento contido neste o poder desinfetante do coloidal no bacilo tifóide na água comparado com o fenol sob circunstâncias idênticas; o período máximo de exposição ao desinfetante é de 15 minutos. Nós descobrimos que durante este período, mesmo uma solução coloidal a 1: 2000 não mata o bacilo tifóide ( i. e., dentro de 15 minutos), isto sendo apenas concretizado em uma solução de 1: 500. Este resultado que o coloidal seria mais lento em sua ação se utilizado como um desinfetante comum. A preparação é, no entanto, muito cara para ser empregada e não é sugerida para este propósito. Nós depois testamos o coloidal pelo método sugerido pelo senhor Crookes; a solução coloidal foi misturada com nutriente em forma de caldo para dar 500 por 1,000,000 de força. Outra diluição disso foi preparada 100,50,25,10 e 5 por 1,000,000 com nutriente em forma de caldo. Seis tubos, cada um contendo 10 c.c dessas várias diluições foram preparadas e inoculadas com um gota de cultura de caldo a cada 24 horas de bacilo tifóide. Os tubos inoculados foram incubados a 37ºC e subculturas foram feitas após 24 horas. Foi descoberto que nenhum crescimento ocorreu nos tubos inoculados exceto na solução mais fraca ( 5 por 1,000,000). Subculturas feitas com 3 totalidades desses tubos foram mostradas similarmente ao não crescimento, com exceção da subcultura feita a partir ( 5 por 1,000,000) da diluição. De acordo com as determinações feitas pelo método Ride Walker indicando uma força maior que 1:500, iria ser necessária para ser eficiente a experimentos de curta exposição como os que foram feitos acima pelo método sugerido pelo senhor Crookes Subculturas foram feitas dos tubos inoculados à 15 minutos, 30 minutos, uma hora e duas horas após a inoculação em adição à 24 horas. O resultado foi o crescimento que ocorreu na maioria das diluições após 15 e 30 minutos de exposição. Não podem haver dúvidas quanto ao andamento do experimento da prata coloidal em forma de colóides como um germicida ativo. Nós entendemos que estes produtos são inofensivos e foram administrados internamente. Nota do editor: existem muitas coisas mais escritas neste artigo mas começaram a ficar muito técnicas. A seguir foi lido no Jornal Médico Britânico. Em um encontro da sessão de farmacologia durante o encontro anual da Associação Médica Britânica em Aberdee, Escócia. A AÇÃO BACTERIOLÓGICA DOS COLOSOIS DA PRATA E MERCÚRIO Por Professor C.R. Marshall, MD E G.B. Killoh MD Escola Médica, Dundee, Escócia Jornal Médico Britânico 16 de Janeiro de 1915 57
    • Em março de 1911, Crookes introduziu duas novas preparações de colosol Argênteo de prata ( prata coloidal) e colosol hidrafírico, contendo 1 em 2.000 de prata e de mercúrio respectivamente em uma forma coloidal. A partir destes experimentos bacteriológicos com estas preparações ele conclui: Eu não conheço nenhum micróbio que não seja morto em experimentos laboratoriais em 6 minutos . Estes experimentos consistiram em adicionar colosol ao nutriente em forma de caldo infectado com um microorganismo , formando culturas listradas em lâminas de ágar à intervalos definidos de tempo. Este método e esta pequena modificação no caso de experiências com gonococos nos mostraram ser um pouco mais do que a ação anti- séptica destas preparações , desde que após a subcultura em um módulo semi-sólido como um ágar gelatinoso, microorganismos ladrilhados ainda são parte do ambiente do anti-séptico pouco desprovido de força à aquele da mistura original. Nós ainda executamos o seguinte experimento: Após vigorosas 24 horas com o bacilo coli communis no ágar sobrecarregado com colosol Argênteo de prata , o colosol foi despejado após 10 minutos e as culturas cuidadosamente lavadas com água destilada esterilizada para remover qualquer colosol que estivesse aderido ao microorganismo ou ao médio. Inoculações foram então feitas no ágar e no médio de MacConkey, e os tubos foram inoculados por 24 horas à 37 º C, crescimento ocorreu em ambos os meios. Experimentos Bactericidas O método adotado para determinar a ação bactericida foi adicionar uma volta cheia de emulsão de microorganismo a 5c.c do médio de MacConkey ou caldo de lemco, de acordo com o microorganismo usado. Com a totalidade da mistura e incubando a 37ºC. A emulsão de microorganismo foi feita pela adição de três ou quatro voltas inteiras de um crescimento de 24 horas de vários organismos no ágar a 1 c.c de água destilada esterilizada. Um grupo controle utilizado em todas as experiências e as precauções sépticas comuns foram tomadas. Um grande número de experimentos foram feitos com várias diluições e com resultados praticamente iguais. Em poucos casos com diluições em volta limite do poder bactericida, algumas vezes resultados negativos, outras vezes resultados positivos, foram obtidos. Os químicos e médicos fizeram vários outros experimentos de mesma natureza, todos agregando valor aos colosols como bactericidas. Em 20 de maio de 1913, duas lâminas de nutriente gelatinoso foram expostas na janela por meia hora. A amostra A foi coberta previamente com prata coloidal por cinco minutos; a mostra B não foi tratada. Ambas as lâminas foram incubadas por 48 horas à 20ºC, depois as quais permaneceram esterilizadas enquanto B continha em torno de 350 colônias de micróbios. Pode se sugerido que um líquido contendo apenas uma parte de metal coloidal em 2.0000 ml de fluído, seria muito fraco para ser utilizado, mas este não é o caso. Existem pelo menos 20,000 milhões de partículas de metal ativas em 1c.c ( 15 gotas) de prata coloidal corretamente preparada nesta concentração, e uma grande vantagem dos elementos coloidais em concentração tão baixa é a completa falta de riscos que oferece aos pacientes. Nem todos os elementos no estado coloidal oferecem ação germicida. O quadro a seguir, baseado nas investigações de Henry Crookes, é interessante nesta conexão: Nenhuma ação germicida: ouro, platina, paládio, ródio, irídio, tantalum, cádmio, magnésio, estanho, grafite, enxofre de selênio. ( enxofre tem uma forte ação estimulante ). Leve ação germicida: bismuto, chumbo, alumínio, zinco e cobre. Forte ação germicida: tório, cobalto, prata, mercúrio, antimonio, cianida de mercúrio, cloreto de mercúrio e ácido arsênico. No exame do prato contendo metal germicida, será visto que circundando o último, existe um espaço livre no qual nenhuma bactéria se desenvolveu. É um denso ( xerox ilegível) no qual os germes se desenvolveram em um grau anormal ,e entre os anéis e a circunferência do prato, o desenvolvimento, é praticamente o mesmo que o pensamento de que o germicida estava presente. A causa para este tipo de arranjo, que é particularmente marcado no caso da prata, é a ação germicida da quantidade mínima de prata coloidal, que se formou imediatamente em volta do metal, enquanto em outra maneira mais aprofundada, uma proporção ainda assim pequena de prata coloidal, possui ação estimulante. Estes experimentos foram repetidos com prata e colóides de mercúrio com a força normal de uma parte em 2.000. Em todo caso, B. coli communis foi morta em 10 segundos, o único crescimento nas lâminas de ágar foram aqueles com traços de um controle não tratado. Vários testes comparativos foram feitos com o crescimento de gonococos nas lâminas de ágar untadas com sangue fresco com as precauções de costume. Uma lâmina mostra o crescimento vigoroso em resposta ao teste típico. A grama negativa não apresentou nenhum crescimento na gelatina ou ágar a 20ºC sem sangue fresco, mas um crescimento vigoroso a 37ºC no ágar com sangue fresco ocorreu. Uma conhecida manifestação de diplococos em células de pus foi embebida com prata coloidal por dois minutos. Após o tempo que as fracas culturas foram levadas e transplantadas às lâminas de ágar untadas com sangue fresco, como antes, em intervalos de duas, quatro, seis, oito e dez horas; e incubada de maneira usual a 37ºC, os resultados foram de nenhum tipo de crescimento. Várias séries de experimentos semelhantes a estes tiveram resultados similares, por exemplo, o jovem crescimento vigoroso de tuberculose foi morto pela prata coloidal ( 1 em 2000) em quatro minutos. Estafilococos piogênicos, diversos estreptococos e outros organismos patogênicos foram mortos em três ou quatro minutos; não há nenhum micróbio conhecido que não morra em seis minutos pelo teste de colóide em experiências laboratoriais. As seguintes experiências por: 58
    • W.J.SIMPSON. C.M.G. M.D Professor de Higiene Universidade de Kings, Londres, Inglaterra E R. TANNER HEWLEFLER. M.D. F.R. C.P. (LONDRES) Professor de Bacteriologia Na Universidade de Londres, Inglaterra Publicado no The Lancet 12 de Dezembro de 1914 Os doutores Simpson e Hewlefler misturaram prata coloidal com nutrientes em forma de caldo em várias diluições, utilizando10cc. para cada tubo. estes foram inoculados com uma gota de uma cultura de bacilos tifóides há 24 horas, incubados; e subculturas feitas após espaços de tempos variados. Para o bem da comparação, experimentos semelhantes foram feitos com sublimação corrosiva sob as mesmas condições, obtendo os mesmos resultados acima. Nota do Editor: Você tem que lembrar que o último artigo publicado em 1915 e os efeitos devastadores do mercúrio, não se tornaram conhecidos na comunidade médica. ( os médicos ignoram seus erros) EXPERIMENTOS NA AÇÃO GERMICIDA DA PRATA COLOIDAL Por W.J.Simpson The Lancet, Jornal Médico Britânico Dezembro de 1914, página 1359 Alguns anos atrás, o senhor Crookes observou uma ação peculiar de alguns metais na inibição na inibição do crescimento de bactérias e à sua volta. Isto foi mais tarde reconhecido como sendo devido à ação germicida trazida pelos metais em estado coloidal. Nós fizemos recentemente, alguns experimentos nas propriedades germicidas da prata coloidal em forma de coloidal líquido preparado pelo Senhor Crookes. Todos os experimentos foram conduzidos pelo bacilo tifóide através dos seguintes métodos: Pelo método Ride Walker ou de gotejamento, no poder desinfetante do colóide no bacilo tifóide na água foi comparado com aquela do fenol em condições idênticas do período máximo de exposição ao desinfetante, sendo este de 15 minutos. Nós descobrimos que dentro deste período, uma solução coloidal de 21:2000 não mata o bacilo tifóide ( i.e, dentro de 15 minutos), ocorrendo isto somente com uma solução de 1:500. Isto indica que o coloidal seria atuante se utilizado como um desinfetante comum. A preparação é, no entanto, bastante cara para ser empregada e não é aconselhada para este propósito. Nós depois testamos o colossal pelo método utilizado pelo Senhor Crookes viz., a solução coloidal misturada com nutriente líquido para dar 15:1,000,000 de força. Outras diluições desta viz. Preparada, 100,50,25,10 e 5 por 1000 com nutriente líquido; e seis tubos, contendo cada um 10cc. dessas várias diluições, foram preparados e inoculados com uma gota de cultura irmã do bacilo tifóide. Os tubos inoculados foram incubados a 37ºC e subculturas foram formadas após 24 horas. Foi descoberto que nenhum crescimento ocorreu nos tubos inoculados , exceto na diluição mais fraca ( 5 por 1,000,000). Subculturas feitas com três tubos cheios mostraram semelhança no não crescimento, com exceção da subcultura feita a partir da diluição de 5 por 1,000,000. As determinações feitas pelo método Ride Walker indicaram que uma força maior do que esta de viz., 1:500 iria ser necessária para a eficácia de curtas exposições. De acordo com as determinações feitas pelo método Ride Walker indicando uma força maior que 1:500, iria ser necessária para ser eficiente a experimentos de curta exposição como os que foram feitos acima pelo método sugerido pelo senhor Crookes Subculturas foram feitas dos tubos inoculados à 15 minutos, 30 minutos, uma hora e duas horas após a inoculação em adição à 24 horas. O resultado foi o crescimento que ocorreu na maioria das diluições após 15 e 30 minutos de exposição. Quanto mais pura a diluição dos sais maior é o poder bactericida da solução. Em se convertendo o metal para o estado coloidal, ele pode ser aplicado em uma forma mais concentrada e com resultados correspondentes melhores. A importância desse fato ambíguo é bastante obscura parcialmente pelas propriedades germicidas de algumas substâncias ,separadas de seu nível iônico de dissociação, parcialmente pela maneira na qual algumas substâncias são absorvidas pelos produtos acompanhantes das bactérias e são então, entregues inertes antes que os últimos sejam afetados; e ainda, parcialmente pela ignorância das formas de preparação dos metais coloidais de um modo suficientemente estável para a administração na medicina. Igualmente infeliz, foi a morte do Senhor Crookes antes que ele fosse capaz de aumentar seus resultados da descoberta. Estas dificuldades e inconvenientes foram superados e chefiados por interesses históricos. Agora é definitivamente conhecido que as propriedades germicidas de alguns metais coloidais são baseadas, parcialmente, na ação química dos próprios metais Matais diferentes possuem maior ação específica em algumas bactérias do que em outras, mas lideradas pelo fato de que os metais estão em estado coloidal. Estes metais coloidais, os quais o ouro e a prata são os mais conhecidos, consistem em partículas tão pequenas que a última tem amplo espaço para um movimento extremamente ativo, sem encostarem umas nas outras. Ainda mais, pela virtude propriamente conhecida 59
    • na física das partículas contendo carga elétrica, a qual tendem repelir umas as outras, enquanto há aumento da estabilidade do líquido? Quando tais partículas metálicas são adicionadas em um fluído contento solução, suspensão ou em estado intermediário, nós reconhecemos como coloidal. Partículas beirando a carga elétrica oposta ou em alguns casos se as partículas são neutras, coagulação ou precipitação pode ocorrer rapidamente. A ação germicida dos metais coloidais, como a prata e o mercúrio à concentração de 1:20,000 é claramente mostrada pelo seguinte teste feito por Henry Crookes: Sais coloidais de prata e mercúrio de força normal ( 1 em 2000) foram diluídos em 9 vezes sua quantidade de nutrientes líquidos ( 1 em 20,000) e 10 cc. desta mistura foi infectada por duas voltas inteiras de vigorosa cultura de B. coli communis após balançar, assim a mistura estaria homogênea. Culturas fracas foram formadas rapidamente nas lâminas de ágar, a primeira dentro de 10 segundos, depois em intervalos de dois, quatro, seis, oito e dez minutos. Estas lâminas foram incubadas a 37ºC por 48 horas e foram obtidos os seguintes resultados: Prata coloidal (1 em 20,000) com B. coli communis: Depois de 10 segundos crescimento Depois de 2 minutos não crescimento Depois de 4 minutos - não crescimento Depois de 6 minutos não crescimento Depois de 8 minutos não crescimento Depois de 10 minutos - não crescimento Mercúrio coloidal ( 1 em 20,000) com B. coli communis: Depois de 10 segundos crescimento Depois de 2 minutos não crescimento Depois de 4 minutos - não crescimento Depois de 6 minutos não crescimento Depois de 8 minutos não crescimento Depois de 10 minutos - não crescimento Em cada caso, a fraca lacuna ou controle obteve um crescimento vigoroso. Isto mostra novamente que os colóides são de alguma forma lentos na ação, os melhores resultados são obtidos apenas após mais de uma hora de exposição. Fui ensinado que isto deve ser interessante testar o mercúrio clorídrico da mesma maneira para a comparação batida. Uma solução fresca de 1:500 de mercúrio clorídrico foi feita e diluída com um caldo de maneira precisa como a de 1:500 coloidal, e testada no último experimento citado. Sulfídio de amônia foi adicionado para neutralizar qualquer vestígio de mercúrio clorídrico. Os resultados obtidos com mercúrio clorídrico são , no entanto, bastante similares daqueles obtidos com o coloidal, mas em qualquer coisa o mercúrio clorídrico provou ser mais inibidor que o coloidal nos tubos originais. È para ser notado que na presença do caldo peptônico de mercúrio, ele é altamente transformado em estado coloidal e evidencia grande atividade. Não pode haver dúvidas dos experimentos em andamento que a prata coloidal na forma de colóide é um germicida ativo. Nós sabemos que os coloidais não são venenosos e que foram administrados internamente. SEPTICEMIA PUERPERAL TRATADA COM SUCESSO Por T.H. Sanderson-Wells M.D., Londres, Inglaterra M.R. C.S. Eng., L.R. C.P. Londres, Inglaterra Extraído do Jornal Médico Brotânico, The Lancet 16 de fevereiro de 1916, página 258 No tratamento do problema a ser lidado, em respeito em quanto mais eficiente o organismo infeccioso enfraquece ou destrói com o mínimo dano ou redução de vitalidade os tecidos dos pacientes. A injeção intravenosa de salvarsan e seus vários substitutos na sífilis, têm sugerido possibilidades em outras doenças dos presentes casos, eu acho, como uma ilustração. Até que um número de casos tenham sido publicados e na opinião formada por eles, é difícil se saber até onde isto vai. Várias vezes depois, eu tratei casos desesperadores de septicemia com injeções intravenosas de melro. Em cada caso houve uma marcante melhora, mas em cada caso as injeções intravenosas foram deixadas para depois que todos os tratamentos disponíveis foram utilizados. E eu estava determinado que os casos deveriam desaflorar para começar novamente mais cedo. Os resultados nestes casos, que foram marcadamente benéficos, pareciam valorizar a publicação. 60
    • Leia antes a Associação Americana de Obstretas e Ginecologistas de Pittsburgh, Pa; em 14-16 de Setembro de 1915: PRATA COLOIDAL NA SEPSE Por G. Van Amber Brown, M.D. Detroit, Michigan, EUA Transações da associação americana De Obstretas e Ginecologistas È um fato bastante conhecido que durante a imunização específica, corpos preventivos são formados, que circulam no sangue e fornecem proteção contra infecção ou intoxicação pelas toxinas neutralizantes e bactérias destrutivas ou na preparação delas para ingestão pelos fagócitos. A era serológica nos trouxe intenções para provocar estas ações em outros organismos. O soro era feito apenas para sua ação atóxica e obteve grande sucesso, porém o soro bacteriológico fracassou. Sua ação catabólica em destruir a bactéria obteve êxito, mas destruindo-as, as endotoxinas das bactérias eram liberadas e o soro fracassou na neutralização das endotoxinas, ao mesmo tempo que este soro foi desapontante. Todas as experiências para se obter a imunização contra as toxinas falharam, tanto que Wolfe Risne declarou que isto era impossível. Wassermann explica te fracasso pela falta de habilidade em encaixar o amboceptors. Os amboceptors são aumentados durante a imunização, mas o complemento permanece o mesmo. Desde que os amboceptors sem complemento permanece inativo, até mesmo o soro mais forte é pouco eficaz, em acordo com seu conteúdo complementar. Com a imunização estreptocócia, a ineficiência do efeito curativo é mostrada suficientemente pelos numerosos métodos que os diferentes serologistas se utilizaram para obter o soro perfeito. Os soros de Marmorek, de Arazon, de Menzer ou de Meyer Ruppel, não serviram no propósito de febre puerperal. Lavern mostrou que a adição de arsênio iria destruir os tripanossomas no sangue, por um estudo de tripanossomas e estreptococos. Paul Ehrlich introduziu uma nova fase n cromoterapia terapêutica em contradição à farmaco-terapia. Nos diferentes tipos de sepses, a prata é um conhecido fator terapêutico. Porém, a prata possui uma grande tendência em penetrar na combinação insolúvel com os clorídeos e prostatos do plasma sangüíneo, o qual minimiza sua efeito anti-séptico. Em 1897, Konig mostrou experimentalmente, que a ação anti-séptica de diferentes sais de equivalente concentração molecular, diferiam de acordo com o grau de dissociação. Quanto mais associado maior a atividade anti-séptica. Uma nova teoria foi introduzida na psico-química, conhecida como uma teoria eletrônica. Isto surgiu quando Lenard descobriu o raio x e os estudos deles por Rontgen e seus colaboradores; juntamente com o estudo da emissão de raios a partir de certos metais. De acordo com esta teoria, os átomos não são a última parte fracionada das moléculas, eles estão apenas teoricamente lá. Cada átomo é composto de várias centenas de elétrons. O átomo hidrogenado, por exemplo, possui cerca de 800 elétrons, cada um eletricamente carregado. Não importando quando um componente entra em solução, existe um movimento perpétuo dos íons em direções indefinidas. Quando uma corrente elétrica é mandada através de uma solução, ela converte mais moléculas em íons e se torna definitivamente direcionada em seus errantes, cada íon possuindo uma carga elétrica. O mercúrio como germicida é um bom exemplo da atividade iônica.. Se nós estudarmos o mercúrio iódico e mercúrio bromídrico, cada um contendo a mesma quantidade de mercúrio por volume, nos descobriríamos que eles têm uma atividade diferente em cima de cada bactéria viva. Ò estado iônico individual que é importante e não a quantidade de mercúrio. Os laboratórios prepararam por eletrólise uma prata coloidal chamada electrargol. O electrargol é heterogêneo, incluindo duas partes essenciais de líquido médio e partículas sólidas. As partículas sólidas são vistas apenas com a ajuda do ultra microscópio em um fundo preto com uma multidão de ( 0.1-0.01 micron) de partículas móveis na solução, estas possuindo carga elétrica. Todo íon possui seu próprio poder anti-séptico; no entanto, o electrargol representa uma superfície maior de poder anti-séptico do que os sais coloidais da prata. O que esperamos de um anti-séptico ideal geral? Primeiramente, uma ação catabólica completa e real na bactéria e em segundo lugar, uma influência protegida no corpo pela simulação dos leucócitos à fagocitose a partir deste ponto ideal do electrargol. Nós obtemos estreptococos virulentos de Parke Davis, feitas culturas ascite( hidro-peritoneal ) líquida, colocando cinco gotas de electrargol em cada tubo. Nenhum crescimento foi obtido. Utilizamos o spray de electrargol no crescimento de bactéria com ágar ascite. Transportamos as ilhas que estavam expostas ao electrargol e aquelas que não estavam. Obtemos crescimentos em nossos tubos com culturas daqueles que não estavam expostos ao spray de electrargol, mas nenhum crescimento do outro. À mediada que era feita a simulação de leucocidade, nós injetamos nos coelhos 0.5 cc. de eletrargol. Os glóbulos brancos do sangue aumentaram de 6000 para 10.000-13.000, os leucócitos polimorfonuclear de 50 ou 60% pra 80%. È interessante mostrar que 12 horas após a injeção apareceram pequenas leucocitoses ( 7000 a 6600 após 24 horas, os leucócitos altos sempre apareciam). Nós utilizamos a seguinte linha de experimentos para coelhos de 4 libras e bactérias de virulidade uniforme. Duas classes de animais foram estudadas, aquelas injetadas com estreptococos virulentos e a outra protegida, pela injeção e electrargol e mais tarde com a injeção de estreptocócio. Apenas um animal de cada classe é notado neste relato, já que cada um é uma lustração justa ao que aconteceu a cada animal tratado. 61
    • Coelho A., 4 libras. Temperatura de 96 graus. Leucócitos com uma contagem de 6600 com 34%de polimorfonucleares. Injetados com emulsão intraperineal de estreptococos com 0.5 cc. No dia seguinte, quieto, alimentou-se normalmente, temperatura de 96,4 ºC. Contagem de leucócitos de 15.000 com 76% de polimorfonucleares. Após três dias de descanso, contagem de leucócitos de 17.000, temperatura de 102. Cultura sangüínea mostra estreptococos. Morre após sete dias. Coelho B, 4 libras. Temperatura de 96,5 graus. Contagem de leucócitos de 8000 com 34% de polimorfonucleares. Injeção de 3cc. de electrargol. Doze horas depois injetada com a mesma quantidade 0.5 cc. da mesma emulsão de estreptococos que a utilizada no coelho A, mantendo-se calmo e agindo normalmente. No dia seguinte, contagem de leucócitos de 10.000 com 60% de polimorfonucleares. Após 48 horas, cultura sangüínea não mostrava nenhum crescimento. Após 72 horas, o coelho está vivo, sem desenvolver nenhum sintoma de doença. Contagem de leucócitos de 9.000, o animal permanece bem, nós vimos tanto em vivo quanto em vitro que a prata coloidal possui os quesitos necessários para um anti-séptico químico no geral. O electrargol não vai em precipitação insolúvel com albumina ou clorídeos do plasma sangüíneo, já que sua eficácia é retina na corrente sangüínea. Sendo um colóide não , como um cristalóide, passando através da membrana animal pela diálise, sua eliminação seria permitida desta forma, porém se mantém por um longo período nos tecidos, formando sua ação anti-séptica. Nós notamos em nossos pacientes fazendo uso do electrargol um outro ponto. A temperatura aumenta de três a cinco horas após a administração. Nós acreditamos que isto mostra que após destruir a bactéria, as toxinas são liberadas na corrente sanguinea e que a albumina externa causa intoxicação, sendo esta rapidamente corrigida pela ação do medicamento. A prata coloidal é, como sabemos, utilizada em casos sépticos muito antes e existe muito mais literatura sobre o assunto. O Collargol se difere do electrargol no que diz respeito à prata coloidal quimicamente produzida; enquanto o electrorgol é obtido por meios elétricos, isto é, pela passagem de corrente elétrica através da solução fazendo com que os íons vagem na solução estritamente de acordo com as leis da física que permite que cada íon cumpra sua ação bactericida e fermentativa separadamente. O electrargol, nos últimos anos, tem sido bastante utilizado em diferentes condições sépticas, mas não no entanto, até onde eu sei, na bactéria. Aqui os resultados são bastante satisfatórios. Deixe-me citar alguns de nossos casos que foram ,por uma exceção, tratados No Hospital Provinciano. Caso 1- Referido pelo doutor George, que mais tarde relatou-me o seguinte: G.L, moldador, inglês. 6 de Março de 1915. Recebeu um pequeno arranhão na dorsal do dedo mínimo (mindinho) da mão esquerda. Ele me consultou no dia seguinte com o desenvolvimento de uma linfagite. Glândulas da axila um pouco maiores e macias, dor de cabeça, etc... teve um calafrio. O dedo estava revestido de álcool, ácido bórico e uma bolsa de gelo foi aplicada. No 21º dia, pulso 84, temperatura 96, respiração normal. No 22º dia, um outro calafrio, temperatura 102, pulso 100. O dedo foi cortado e os curativos renovados. Uma erupção cutânea escarlática apareceu na face, pescoço e peito. Dor de cabeça intensa, reclamando de manchas escuras nos olhos. Nenhum tipo de delírio. No décimo terceiro dia, pela manhã, pulso 100, temperatura 100. Às três horas da tarde um outro calafrio, pulso 118, temperatura 102,3. A erupção cutânea se alastrou na parte restante do corpo. No 24º dia, pela manhã, pulso 105, temperatura 101. Ele foi encaminho para consulta à tarde com o Dr. Brown, às três da tarde 5cc de electrargol foram administradas por meio intravenoso; pulso 120, temperatura 103. Às seis horas da tarde, pulso 135 e temperatura 104. Pela manhã, 25ºdia, pulso 110, temperatura 101. Décimo sexto dia, à tarde: pulso 100, temperatura 98,8; à noite: pulso 100, temperatura 99,7. À tarde, 27ºdia: pulso 60, temperatura 98,8. A erupção cutânea havia diminuído. A descamação da epiderme estava ocorrendo nas mãos os pés estavam descascando em castas de acordo coma forma dos dedos. No dia 5 de abril ele pode me visitar em meu consultório e disse que se sentia capaz de voltar ao trabalho leve. Em 6 de abril sua mãe me ligou dizendo que ele havia pego uma gripe forte. Ele contraiu uma gripe que o manteve na cama por vários dias. Ele se recuperou e está, no presente momento, com boa saúde. Caso 2 referido pelo doutor Meddaugh. Senhorita G.S., 25 anos, dona de casa. O histórico prévio não tem nenhuma importância. Foi confinada em 8 de março. No sexto dia, sua temperatura foi a 100, ela estava irrequieta, com pulso 100 e respiração normal 30. Ela foi levada ao hospital. No dia 5 de março, sua temperatura aumentou repentinamente a 104, pulso 130, respiração 30, contagem de leucócitos de 13.000 com 83% de polimorfonuclear. Durante a tarde ela teve um calafrio com a duração de 30 minutos, outro calafrio às seis da tarde e outro às dez da noite. A temperatura aumentou a 106,2 após o último calafrio. Teve delírios durante toda a noite. No dia 16, ela teve três calafrios durante o dia, cada um com duração de 20 a 30 minutos, temperatura 106,8, pulso 130 e respiração 30. Com bastante cianose, irrequieta e com delírio. Manchas cervicais mostraram estreptococos e estafilococos. Tratamento com apenas duchas locais e bromidoses . No dia 17, electrargol por meio intravenoso, 5 cc às dez da manhã. A temperatura caiu no dia 18, com calafrio com duração de 30 minutos. A temperatura aumentou para 105 , pulso 130, vômito, perspiração e erupção cutânea surgiu nas extremidades. No dia 19, electrargol por meio intravenoso ( 5cc.), temperatura 106, pulso 130. Às seis horas da manhã, a temperatura caiu repentinamente para 97 e pulso 60. No dia 20, electrargol por meio intravenoso. Temperatura aumentou para 104, pulso 140. Após quatro horas, a temperatura caiu para 100. Paciente ainda irracional, mas sem calafrios. Dias 21 e 22, sem calafrios com temperatura variando entre 97 e 102, dor de cabeça mas quieta. Dia 23, electrargol intravenoso(5cc.), temperatura 100, pulso 60. Dia 24: temperatura 98, pulso 90, respiração 20; dormiu bem sem nenhum aumento de temperatura. Deixou o Hospital no dia 28 de março, 16ºdia. Caso 3 Referido pelo doutor Haverstock. Este caso é de interesse pelo fato dos dados exatos de temperatura e pulso após a injeção de electrargol . Senhorita S., séptica após aborto. Temperatura variando de 98 a 105. Estafilococos encontrados na cultura 62
    • cervical e estreptococos puro no sangue. Ela sofria de nefrite aguda e hemiplegia aguda. Caso desesperador sem qualquer esperança. A resistência na entrada da paciente era tão baixa que a contagem de leucócitos era de apenas 5.000 com 90% de polimorfonucleares . calafrios a toda hora, inconsciente. A paciente não pôde ser salva, mas a injeção de electrargol cessou os calafrios por 48 horas. Previamente, A vacina de Van Cottis aumentou a temperatura de 102 para 104. Electrargol intravenoso teve os seguintes efeitos: dado às 10:30, temperatura 101, pulso 120; às 11:00, temperatura 102, pulso 120, respiração 24. Às 12 horas, temperatura 101, pulso 100, respiração 22; uma hora, temperatura 100, pulso 98, respiração 24. Às duas horas, temperatura 100, pulso 94, respiração 22; a temperatura permaneceu por 24 horas abaixo de 101.de novo, temperatura 104, pulso 130, respiração 30. Electrargol intravenoso ( 5cc.) às 10 horas da manhã. Às 11:00 da manhã, temperatura 102,4, pulso 110, respiração 24, temperatura 102, pulso 108, respiração 104. À uma hora da tarde, temperatura 101, pulso 100, respiração 22. O mesmo às 6 da tarde e 10 da noite. Caso 4 mulher polonesa, 19 anos, baixa estatura. Após um longo trabalho de parto, deu ,instrumentalmente, à luz a um menino de 12 ½ libras. Ela foi cortada através da parede reto-vaginal até quase o cérvix. Alguns dias depois ela desenvolveu febre. Quando deu entrada no hospital, sua temperatura era de 105 e pulso 130. Ela estava delirando e não tinha qualquer lembrança das primeiras quatro semanas no hospital. Durante os primeiros onze dias, ela estava em outro serviço onde o tratamento usual era feito. Sua condição era desesperadora. Temperatura variando de 98 a 106 e pulso de 80 a 135. Através de cortesia do outro serviço, nos permitiram experimentar a terapia de prata coloidal. O exame geral era de exaustão. Pele verde limão clara com manchas marrons. Faeces séptico. Mente em branco. Descobertas negativas de machucados locais na vagina. Temperatura 104 e pulso 90. Cultura a partir do cérvix mostrou um bacilo e estreptococos, cultura sanguínea, estafilococos; a contagem de leucócitos era de 9.600. Dois dias depois, às 9:00 da manhã, temperatura 99, pulso 90. Injeção de electrargol às 10:00 da manhã, à tarde temperatura 102, pulso 105. No dia seguinte, temperatura 100,8, pulso 100. Injeção de electrargol ao meio dia, temperatura 101,7, pulso 100. Nunca mais acima de 100. Após 48 horas os primeiros índices de curas começaram a aparecer. Ela teve uma recuperação esplêndida, deixando o hospital e quatro semanas em boas condições físicas. Ela depois contou que está há alguns meses grávida. Caso 5 Um resultado bastante interessante foi obtido à seguir, referido pelo doutor H. W. Yates. Mulher polonesa, 25 anos. Deu entrada no hospital dia 31 de julho. No nono dia de confinamento, temperatura 104, pulso 130, respiração 40. Língua seca, fezes sépticas, inquietação, contagem de leucócitos de 15.000 com 97 % de polimorfonucleares .Quinino e conhaque eram dados a cada três horas. Primeiro de agosto, temperatura 104,4 , pulso 120, respiração 30. Dia 3 de agosto, electrargol intravenoso ( 5cc.). A temperatura caiu para 99, pulso 110 e respiração 24. No dia seguinte a temperatura se manteve à 99, mas a paciente estava mais confortável e sossegada, língua úmida. Após uma semana, a contagem de leucócitos era de apenas 6.700, mostrando o efeito imediato na infecção pela elevação de temperatura na primeira hora, seguida imediatamente por uma queda gradual, porém fixa. Os agradecimentos são dedicados ao meu sócio, Dr. Nickolas Galonyi, quem dirigiu a maioria das experiências laboratoriais e à senhora Gertrude beno, minha técnica, que fez muito do trabalho detalhado. Discussão Dr. Baughman, Richmond, Virgínia. Este é certamente um papel bastante importante. Me leva de volta à 1900 quando visitei Crede o mais novo em Dresden. Você é sem sombras de dúvidas familiar com o colóide ungüento de Crede. Ele convidou me para vê-lo operar. Ele colocou um sonda engarrafada dentro do abscesso, colocando um pouco de sua solução de prata nela e ofereceu-me para colocar em minha boca. Eu não me importei em fazê-lo, mas ele colocou de fato em sua própria boca. Ele me disse que esta solução de prata iria curar qualquer tipo de problema séptico. Eu sou muito interessado nesta questão. Eu já vi alguns casos de sepse e eu havia utilizado unguento no tratamento desses casos sépticos. Dr. Brown nos deu uma explicação inteligente e interessante sobre a fé de Crede que tinham nele. Eu acredito que casos de septicemia que não são originários de estreptococos vão melhorar. Na infecção por estreptococos, acho que dando a eles ar fresco e o mínimo de interferência possível. Agora estou falando de septicemia puerperal. Eu descartei o método de unguento de Crede por algum tempo, porque não observei nenhuma melhora com ele. Não vi nenhum efeito prático a partir deste método como os que temos aqui no método de injeção de prata, recomendado e defendido pelo Dr. Brown. Seu papel é profundamente importante para mim. Dr. Henry Schwarz, St. Louis, Missouri.: - Para mim, o papel desempenhado pelo Dr. Brown é a mais importante contribuição para este encontro, pela razão de que nos casos de septicemia puerperal nós somos, para registro, absolutamente inúteis; eu não me importo que sistema ou método de tratamento é utilizado. Em qualquer caso, onde existe um estreptococos virulento no sangue, a mulher vai morrer. Pegue um caso que não é de uma variedade normal de estreptococos, mas os estreptococos trazidos de um caso em que houve morte por Erisipela ou qualquer outra coisa. Nós experimentamos repetidamente cada nova coisa que apareceu. Nós experimentamos soro anti-estreptococos e vacinas, e pela razão declarada por essaísta, o soro, enquanto eles trabalhavam bem nos animais e em experimentos animais; porém não trabalharam tão bem em estreptocosi humana, porque em passagem pelos a animais eles não alteram seus receptores. Nós temos utilizado o unguento de Crede, mas isto é totalmente diferente da prata, a qual o Dr. Brown se referiu. No unguento de Crede, nós não fomos capazes, nas experimentações com animais, de demonstrar os resultados exatos, que os Dr. Brown obteve. Eu gostaria que o Dr. Brown no fechamento fosse um pouco mais explícito. Eu não entendi direito quando ele disse que não era possível alcançar com a infecção ou não, se ele poderia dar uma volta completa nesta cultura em animais e obteve morte seguida no final de 63
    • 48 horas; enquanto o outro animal que recebeu electrargol seis horas após a infecção Ter se instalado, recuperou-se. No jornal que eu li no encontro de Syracuse, eu disse que tentamos fazer uma vacina de estreptococos e que em nossos experimentos com animais nunca fomos capazes de atingir a infecção. Nós podíamos imunizar o coelho pelo início da imunização com semanas de antecedência. Nós podíamos imunizar o coelho contra os estreptococos que iriam matar o grupo controle sempre, mas nós nunca conseguimos controlar a infecção depois de iniciada, sendo que isso ocorria rapidamente. Claro que, nos casos de sepse puerperal onde os estreptococos eram encontrados no sangue, parecia haver evidência conclusiva de que o electrargol que nós tínhamos, possuía um potente agente que seria tarefa de qualquer homem em minha posição experimentá-lo. Será uma das próximas coisas que farei. É a primeira vez que escuto sobre este trabalho e quando ouço de tal coisa, eu a começo imediatamente. Há algum tempo atrás, li em um jornal, que certo homem em Nova York utilizou injeções de formaldeído e curou a septicemia. Acho que foi o Dr. Elbrecht ou meu assistente que conversou sobre isto comigo. Nós temos trabalhado e experimentado desde então, mas ainda não conseguimos descobrir nada que irá cessar a infecção de estreptococos se essa é a virulência correta em uma puerperal desta mulher. Dr. Brown ( fechando a discussão): -Alguém disse que os casos de estreptococos raramente melhoram, enquanto os casos de estafilococos recuperam se deixados de lado. Claro que existe uma vasta diferença na maneira pela qual cada infecção atua. Uma infecção de estreptococos nunca se aloja por ela mesma. Em um desses casos, nós tivemos uma bactéria devido ao estafilococos aureus . Em dois, nós tivemos um estreptococos. Em um dos outros, o caso não foi seguido adiante porque meus dois assistentes estavam fora da cidade na época. O quinto caso era um em particular e nós não tivemos a oportunidade de estudá-lo como desejado. Um erro é frequentemente cometido na tentativa de se utilizar muitos anti-sépticos, perdendo o foco no fato de que a ionização do medicamento é o fator que nos traz bons resultados. Eu não vejo nenhuma esperança no tratamento de estreptococemia de nenhuma outra maneira a não ser àquela que é feita pela corrente sanguinea. Pegue um coelho que acabou de dar a luz a seus filhotes e introduza estreptococos na cavidade uterina. Em seis minutos o animal morre, demonstrando o estreptococos no fígado. Você pode ver como é inútil a utilização de qualquer coisa por meios locais. Nós temos que considerar a coisa sistematicamente e colocar algo que é diretamente anti-séptico no sangue. Para isso, o electrargol, que é mais altamente ionizado que qualquer outro sal de prata, será a primeira escolha a ser feita. Ele vem à granel, também em ampolas de 5 e 20 cc. e cada ampola acompanha uma ampola de solução salina normal que é adicionada ao electrargol, tornando-o isotônico. OS EFEITOS TERAPÊUTICOS DAS PREPARAÇOES COLOIDAIS Por: senhor Malcom Morris, K. C. V. O Jornal Médico Britânico 11 de Maio de 1917 Nota preliminar O convite do editor do Jornal Médico Britânico para relatar minha experiência dos efeitos terapêuticos das drogas no estado coloidal é um dos quais estou ansioso em responder. Por mais de um ano eu venho empregando as preparações coloidais dos Laboratórios Crookes e obtive resultados que não me deixam dúvida quanto à sua superioridade. Tenho que dizer com toda vontade para que seja evitada a aparência de exagero, sua grande superioridade às mesmas drogas no estado não coloidal. Eles são resultados que tornam óbvia a tarefa de sugestão que o processo em larga escala deveria ser dado em forma de medicação que prometa afetar uma revolução farmacêutica. Em infecções cutâneas, como todo dermatologista sabe, as desvantagens do uso de Argênteo de prata são as dores que ele causa e a descoloração que é deixada para trás. Com a prata coloidal estes efeitos são inteiramente nulos, ao invés de produzir irritação, de fato, ela tem um efeito distinto de amenizar o efeito , dominando rapidamente a inflamação e promove a recuperação de lesões. Eu tenho tido resultados notáveis no alargamento da próstata com irritação da bexiga no Prurido , eczema perineal e hemorróidas. Ela pode ser usada na forma de supositórios enquanto a solução é aplicada na pele irritada. Na bromidose nas axilas e pés, ela promove alívio rápido, causando também o rápido desaparecimento de verrugas. Sendo não tóxica, pode ser dada internamente na urticária e em outras formas de dermatites que podem levar à toxemia. Em tais casos, ela é rapidamente benéfica, assim como na diarréia. O iodo coloidal, que , assim como a prata coloidal não é irritante e não produz corante, provei a eficácia em certas formas de eczema e em alguns destes casos de frieiras no primeiro estágio, que uma mulher de 37 anos, a qual os dedos estavam tão inchados que pareciam salsichas; sob a aplicação de iodo colossal massageando com óleo por quatro ou cinco minutos ao dia, cada traço da condição desapareceu em quatro dias. De igual valor é este colossal em casos severos de frieiras com ulceração, na qual é também excelente profilático. É também mais útil em vários casos de escoriações graves de Charcot, que são tão problemáticas quando existem complicações de lesões espinais em hospitais militares. Nos primeiros estágios inflamatórios do lúpus eritemático , antes que o estrófico seja superado, é muito mais viável que a forma comum de medicamento por causa da ausência de irritação. Similarmente, é para ser preferido para a administração interna no último estágio da sífilis, porque o praticante pode sair de sua mente ao evocamento de qualquer sintoma de iodismo. 64
    • AFECÇÕES PARASÍTICAS De novo, uma mostra da impressionante acessibilidade deste remédio. Em um caso de prurido de Dhobie , no qual a doença se espalhou a partir da virilha e invadiu i tronco, pernas e braços sob uma aplicação quase sem dor do óleo de iodo colosol , as lesões extensivas sumiram em três semanas; com remédios normais o caso iria sem dúvida ter sido mais demorado. No mais, o tratamento iria inevitavelmente colocado o paciente em um quadro de dor. Entre as infecções que o enxofre coloidal é benéfica, se dá de várias formas de acne, incluindo acne rosácea e seborréia. Para o alívio de dermatite generalizada, em psoríase aguda e em fibrose dolorida, a não ser tecido conjuntivo dos músculos ou juntas. Duchas medicadas com este coloidal na experiência amenizam de uma vez e curam rapidamente. No caso de um oficial da frente que ficou aleijado com a fibrose e teve eczema severa, um banho diário de enxofre coloidal o aliviou de todos os sintomas em uma semana. Estes não foram os únicos coloidais com os quais obtivemos resultados gratificantes, mas nessa ocasião eu não preciso entrar em detalhes, já disse o suficiente. Eu espero mostrar que estas preparações, para colocar o caso em sua marca mais baixa com consideráveis avanços terapêuticos. Eles atuam com singular rapidez, são livres de desvantagens, inseparáveis das mesmas drogas no estado normal e sua ampla utilização iria afetar uma enorme economia no consumo de medicamentos. Não uma consideração importante em um tempo no qual não existem substâncias medicinais suficientes para circular. PRATA COLOIDAL NA URETRITE BLEMORRÁGICA CRÔNICA PROSTÁTICA ERRADICADA MÉDICO CIRÚRGICO, OBSTETRÍCIA Por James Mac Munn, Londres, Inglaterra Jornal Médico Britânico 26 de Maio de 1917 As notações de senhor M. Morris no Jornal Médico Britânico, 12 de Maio de 1917, nas preparações coloidais me deram a oportunidade de trazer à atenção para uma forma de utilizar o Argênteo de prata no colosol , o qual achei útil, nomeadamente, suas injeções na substância da glândula prostática. Uretrite prostática gonorréica crônica define remédios e ocasionalmente leva a tais estragos na glândula que a prostectomia tem sido feito na América e Continente. A dificuldade maior é a impossibilidade mesmo pela ionização de obter medicamentos em contato com o epitélio dos dutos, tão longo e sinuoso estes últimos, tão peculiarmente guardados em sua boca e tão repleto de secreção. Mais ainda, abscessos residuais e cavidade abscessa freqüentemente espalhados pela glândula. Em tais circunstâncias, eu injetei com sucesso a glândula através do endoscópio com a ajuda da visão. Uma agulha hipodérmica é inserida em um longo tubo de prata. Para o fim próximo, uma pequena seringa é anexada. O veru montanum é o ponto marcado e a agulha é dirigida para as cavidades prostáticas em cada lado, ou, talvez, no lado sozinho onde o pus é visto para filtrar-se. O procedimento é bastante fácil. Por estes meios, os dutos são trespassados e o medicamento é trazido em contato direto com a doença. Menos que isso, eu empreguei por anos sucção alternada e injeções sob pressão. As linhas prostáticas permaneceram tingidas 9 manchadas) por um dia ou dois, devendo o medicamento de permanganato colorido ser utilizado para provar que medicamentos alcançam os dutos em tais circunstâncias. Antes de empregar qualquer tratamento drástico para a próstata, é bom aplicar anestesia e injetar morfina e fenazona no reto. SÉPSE GASTRO-INTESTINAL UMA CAUSA DOS SINTOMAS DE MENIERE Por T. Mark Howell, F.R C. S. Edin Jornal Médico Britânico, The Lancet 15 de Dezembro de 1917 Desde que o jornal de Menière tratando de uma série de sintomas produzidos pela hemorragia no labirinto e consequentemente produzindo uma forma incurável de morte, foi publicado em 9 de fevereiro de 1861, este conjunto de sintomas com os quais seu nome foi associado, têm levado a comunidade médica à uma vasta idéia da condição do ouvido para o alívio que pode ser um pouco dado. Mesmo que cirurgiões auriculares dos últimos anos, claramente delimitaram uma distinção entre doença da classe de casos aos quais 65
    • Menière se referiu em seu relato ocorrendo repentinamente em pacientes com problemas prévios no ouvido e complexos sintomas ocorridos em pacientes que sofriam de uma infecção no ouvido médio as quais as condições por muitos anos eu preferi chamar pelo termo mais simples: sintomas. A distinção ainda não é compreendida universalmente pela profissão e existe em conseqüência, uma tendência, exceto com auristes , para qualquer paciente sofrendo do grupo de sintomas que Menière descreveu para ser observado como tendo uma doença no ouvido incurável, que este tratamento paliativo é tudo que se é possível fazer. Não é minha intenção agora, tratar de casos nos quais os sintomas são produzidos pela injeção na orelha quando a perfuração do tímpano existe, pela rápida rotação de paciente, pela supuração à altura do labirinto, quando descoberto no curso uma doença aguda da inflamação ou processos infectivos provindos do mesmo, com ataques de tontura e zumbido que ocorrem algumas vezes como parte de distúrbios rasmoter que são acompanhados da menopausa ou qualquer um dos casos os quais as causas são óbvias.; mas sim, para me confinar a estes que ocorrem em pacientes que sofrem da doença do ouvido médio que aparecem sem qualquer razão aparente. Tendo percebido uma similaridade geral nas condições dos pacientes que se tornaram afetados deste modo, comecei a prestar mais atenção ao problema e descobri que o tratamento adotado não apenas diminuía bastante a freqüência e severidade dos ataques, mas em alguns casos praticamente livrava os pacientes das condições estressantes. Muitos dos pacientes que vi possui estas mesmas condições na primeira visita. Uma língua funed (xerox ilegível) , faringe congestionada com catarro nasofaríngeo , rinite hipertrófica, freqüente flatulência causando quantidade considerável de distensão e constipação mesmo que algumas vezes as moções fossem quebradas e levemente coloridas. Muitos pacientes me disseram que antes de um ataque os sinais foram observados por serem especialmente ofensivos. Eu não me surpreendo em encontrar freqüentemente estes sintomas, mesmo que não invariavelmente, a pressão sangüínea alta, para toxemia causada pela sepse intestinal é uma causa comum d aumento da pressão sangüínea e deve ser esperada alguma dilatação do coração freqüentemente existente. Mesmo que estes sintomas não estejam sempre presentes. Não é de costume habitual examinar o tamanho do coração pelo exame gentil do assobio da parede peitoral com um estetoscópio contra o peito, se isso fosse feito, a transição do som claro para mais surdo, indicando que a área cardíaca fora alcançada, poderia ser facilmente apreciado e a dilatação iria ser descoberta sendo ainda mais presente que geralmente suposta. Mesmo que eu tenha mencionado apenas a toxemia causa pela sepse intestinal, sepse oral causada pela pinorréia, dente podre, coroas, ou pontes não podem ser ou qualquer outra condição que possa tender a produzir este resultado. Com os pacientes no estado que eu descrevi, não é de se surpreender que o fechamento dos tubos Eustasianos está usualmente presente quando os sintomas existem para o desarranjo gastro-intestinal é uma causa comum de congestão da faringe e catarro nasofaríngeo e consequente fechamento fechamento e catarro dos tubos Eustasianos . também não é para espantar-se que a tonteira e zumbido são encontrados quando a toxemia é presente, estes sintomas sendo mais o resultado desta condição do que causado pela pressão sanguinea alta quando existente. Com a condição que descrevi é presente, é óbvio que em muitos momentos isso iria materialmente adicionar ao conforto e bem estar do paciente se o conjunto de sintomas conhecidos, como levamos no primeiro momento, a impressão de existência de desarranjo gastro-intestinal melhor dito do que o presente na condição incurável do ouvido para o qual os pensamentos base anteriores iriam viajar a anti-sépticos gastro-intestinais, remédios para redução da pressão sanguínea e corretivo para desarranjo intestinal como a desaconselhável ou de outra forma como medida preventiva de lavagem estomacal com uma solução alcalina da maneira usual pelo meio de um funil fixado a um tubo flexível de borracha. Em alguns casos eu obtive a amostra a partir do estômago durante a rápida vacina preparada e administrada como um adjunto a um outro tratamento. Com consideração à pressão sanguínea, eu devo mencionar em passagem, que a solução de adrenalina clorídrica tomada internamente causa , por várias suposições, aumento da pressão sanguínea, mas na realidade uma pequena dose faz com que esta reduza e de três a cinco gotas com um pouco de ácido hidroclorídrico diluído, propriamente aromatizado, produz uma mistura útil e agradável. Porém, à medida que o remédio é dado com o intuito de reduzir a pressão sanguínea, irá produzir resultados satisfatórios , a não ser que a flora intestinal seja restaurada para uma condição saudável e como primeiro passo para um tratamento médico, eu sou à favor de uma dose cheia de óleo de rinício. Mesmo que a remoção da causa seja essencial para um tratamento de sucesso do caso, medidas locais também produzem alívio material; o mais importante disso é restaurar a latência dos tubos Eustasianos em muitos momentos, a mera injeção de ar no tímpano diminui os sintomas angustiantes, mas eu acho que para a permanente restauração da saúde dos tubos Eustasianos , a injeção neles através de um catéter de algumas gotas de Argênteo de prata coloidal ( prata coloidal) é frequentemente seguida por um resultado benéfico. O da seringa que injeta a droga no catéter não pode encaixar apertado ou a droga deve ser forçada diretamente nos tubos Eustasianos ao invés de ser mandado em (xerox ilegível) forma de um spray por ar bombeado de um saco de ar, o bico que encaixa bem perto o catéter. Para diminuição do catarro nasofaríngeo, o Argênteo de prata coloidal ( prata coloidal) ou iodo coloidal é útil, utilizado o spray pelo lado contrário através das narinas por um spray todo de vidro ou vulcanite que alcança a faringe nasal e orifícios dos tubos Eustasianos. A injeção de algumas gotas de Argênteo de prata coloidal ( prata coloidal) ou em alguns casos de iodo coloidal, nos tubos Eustasianos com o propósito de restaurar sua potência, é útil não apenas nos pacientes que sofrem da Síndrome de Menière mas também no fechamento dos tubos à inflamação de Valsava devido a qualquer causa. Eu vi muitos momentos nos quais este tratamento aliviou otimamente ou removeu o zumbido quando o fechamento dos tubos existiu, mesmo que o paciente tenha sofrido de surdez incurável devido a doenças ou outras condições mesmo que seja o caso, o zumbido é devido à congestão produzida pelo longo e contínuo fechamento dos tubos e a restauração da potência pela remoção faz com que o zumbido abaixe ou quando é devido aos tecidos sendo afetados pela droga, eu não sou capaz de dizer. Este simples método de retirar o zumbido, frequentemente antigo, que é na 66
    • maioria das vezes o paciente o causador; vale a pena lembrar que o zumbido sempre foi um sintoma difícil de se livrar, mesmo com o melhor tratamento para cura do problema pela medicação iônica quando alivia, não é sempre seguida pelo completo cessar. Eu descobri que o Argênteo de prata coloidal (prata coloidal) é também útil para parar a dor de ouvido e usualmente aplicado para este propósito pela colocação do paciente de forma que o ouvido fique virado para cima e então completo com a medicação permitindo que esta fique lá. Iodo coloidal ou mercúrio coloidal não deve, isso me disseram, ser dado em conjunção com arsênico, como envenenamento por mercúrio ou iodismo são seguidos rapidamente. Eu não tive nenhuma experiência pessoal com o resultado destas drogas sendo administradas juntas ou em sucessão próxima. PRATA Por J.P. Remington Extraída do Dispensatory of the USA Edition 20ª Edição, publicada em 1918 Propriedades A prata é um metal branco, muito brilhante, tenaz e dúctil. Em maleabilidade e ductilidade, ela é inferior apenas ao ouro. È mais sólida (dura) que o ouro, porém mais macia que o cobre. Seu peso atômico é de 107,88 , símbolo Ag e s.p.gr. De 10/4 a 10/5. O que chamado prata molecular é obtida como um pó bem refinado pela redução de clorídeo de prata fresco com formaldeído na presença de carbonato de potássio. Prata coloidal é obtida pelo aquecimento a 100 graus Celsius , citrato de prata em uma corrente de hidrogênio ou pela passagem de uma corrente elétrica entre os eletrodos de prata na água. Ela se dissolve em água em uma solução vermelha, que não se dialisa. Ambas destas formas alotrópicas são convertidas em um fusão normal da prata. Formas da prata, mas uma bem caracterizada como óxido. Exposta em um calor muito intenso, ela entra em fusão, derretendo a 954 graus C. e exibe aparência brilhante. Ela não é oxidada com o ar, mas contrai uma opacidade de sulfeto de prata pela ação do sulfeto de hidrogênio na atmosfera, da qual pode se livrar pela lavagem dela com uma solução forte de cianureto de potássio e assim que ela se torna brilhante, lavando-a com água e a secando. Ela é inteiramente solúvel em ácido nítrico diluído. Se qualquer tipo de ouro está presente, ela irá permanecer não dissolvida como um pó colorido escuro. A partir da solução nítrica, a totalidade da prata pode ser jogada à baixo pelo cloreto de sódio, como uma precipitação branca de cloreto de prata, caracterizada por ser completamente solúvel em amônia. Se a solução restante contém cobre ou chumbo, ela será afetada pelo sulfeto de hidrogênio. A solução, pobre em prata por meio de cloreto de sódio, e filtrada, não é colorida, ou apenas fracamente e não é precipitada por ácido hidro-sulfúrico. ( E.U.A 1870) Se a amônia for adicionada em excesso a uma solução de metal em ácido nítrico, o fluído resultante não exibe cor ou turvidade ( Br. 1885), comprovando a ausência de cobre, chumbo e outros metais. Se grãos dissolvidos em um pouco de ácido nítrico , a solução diluída em água e diluída em ácido hidroclorídrico adicionado com um pouco de excesso, produção e precipitação branca , as quais quando completamente lavadas, secas e aquecidas pesam 13,25 grãos. Os estudos de Thomas Graham em 1862 à respeito de diálise, nos quais ele originou os termos cristalóides e colóide permaneceram sem qualquer aplicação terapêutica ou industrial por muitos anos. Ultimamente muito trabalho tem sido feito em cima desta matéria de alguma forma negligenciada e alguns maravilhosos resultados obtidos. Os colóides dos tempos de Graham eram principalmente substâncias orgânicas análogas à cola ou gelatina, mesmo que alguns colóides inorgânicos fossem conhecidos, como a forma coloidal do hidróxido de ferro formalmente conhecido como ferro dialisado. À medida que a pressão osmótica observada nas soluções coloidais era extremamente pequena, nós podemos deduzir que os colóides possuem altos pesos moleculares. Eles não formam verdadeiras soluções, mas sim, pseudo-soluções conhecidas como íons ou hidrofólico quando colocados em água. A substância separada do sal ou hidrosol é chamada gel ou hidrogel e o fenômeno de separação é chamado gelatinação. No caso de suspensão de um sólido muito fino em líquido por meio de colóides de sal, é chamado suspensoid ou se glóbulos líquidos são suspensos, chamado emulsão. Hidrosols possuem uma aparência extrema de solução verdadeira porque eles são homogêneos e podem ser filtrados sem deixar resíduos sólidos no flitro e não mostram partículas visíveis sob a observação do microscópio comum. As partículas pequenas de hidrosol suspensas podem ser claramente vistas com o ultra microscópio ( microscópio no qual um raio luminoso é concentrado pelo meio de lentes e campo de iluminação microscópica produzido por raios diretos nos ângulos certos para a visão) como mostrado pelas pesquisas de Siedentof e Zsigomndy em 1903. As partículas então observadas são visíveis como pontos luminosos que estão em movimento constante chamados movimentos de Brownian. O tamanho das partículas variam de 1/10.000 m.m a 1/200.000m.m.; solução coloidal de ouro contendo 0.005 gm por mil, contém cerca de um milhão de partículas de ouro suspensas por cu. m.m , que é equivalente a um imenso aumento de superfície exposta e que conta pelo maravilhoso efeito de soluções de metais coloidais, particularmente catalíticos. Metais coloidais, ouro, prata, ferro, etc.; são encontrados hoje no mercado sob várias designações. Eles são preparados tanto por métodos químicos ou elétricos. O método elétrico compreende no uso de eletricidade passando entre duas partes de um dado metal sob a água, produzindo pulverização microscópica de metal, resultando em uma solução coloidal 9 então chamada) ou hidrosol de determinado metal. O método químico consiste na aplicação de um poderoso químico reduzindo o agente em uma solução de sal do elemento desejado. Suspensões coloidais de sais metálicos, como cloreto mercuroso ou óxido bismuto estão também sendo colocados em uso. 67
    • Em vista ao número decrescente e importância das preparações da prata coloidal, a análise para produtos da prata coloidal têm recebido considerável atenção de diversas autoridades. O metais coloidais em alguns casos, produzem efeitos catalisadores similares àqueles produzidos por certas enzimas, como, por exemplo, a inversão de cana de açúcar pela platina coloidal. Os hidrosois metálicos são desta forma, algumas vezes chamados fermentos metálicos. As soluções coloidais de matais normalmente exibem dicroísmo até um certo grau; isto é, eles são claros pela luz transmitida e turva refletida. A coloração do famoso vidro de rubi é devido a um estado coloidal das partículas de ouro metálico nele contido. O amadurecimento das lâminas de gelatina de brometo de prata na fotografia e certas cerâmicas de argila, as quais requerem muitos meses de tratamento empírico para produzir o correto grau de elasticidade, é agora conhecido por ser devido `formação e ação de colóides. Em 1905, Robin relatou os resultados de algumas observações dos efeitos de injeções subcutâneas de hidrosois. Ele descobriu que eles produziam um aumento na excreção de uréia e ácido úrico e marcadamente leucócitos. Ele reportou resultados clínicos favoráveis na pneumonia e reumatismo reticular a partir de seu uso. Izar e Hergage confirmaram seus resultados em 1909, que também descobriram que não tinha importância qual metal era empregado. Enquanto muitos declararam bons resultados em várias doenças infecciosas com estes agentes, Pardel ( Lo sperimental, 1909) descobriu que hidrosol de prata não possuía propriedades bacterianas ou anti tóxicas e que animais infectados morriam com o tratamento prontamente dado com o hidrosol como o animal controle; e Caspeldi chegou à conclusão que os hidrosois eram inúteis na pneumonia. As soluções metais que foram empregadas, continham quantidades bastante pequenas de conjunto de metais à mais de 2 partes em 10.000. a quantidade de tal solução que havia sido normalmente injetada é em torno de 100, mínimo. O valor dos colóides na medicina deve ser lembrado como um estado experimental. JORNAL MÉDICO INTERESTADUAL AMERICANO Dezembro de 1912 e Janeiro de 1913 Wolza reportou resultados favoráveis no câncer, à partir de cobre coloidal. Outros metas colidais que merecem destaque são: Electergol, uma forma de prata coloidal. Electeurol, uma forma de ouro coloidal. Collsurum , uma outra forma de ouro coloidal. Ellectrouprol , uma forma de cobre coloidal. Electroplatimol , uma forma de platina coloidal. Electropalladiol , uma forma de paládio coloidal. Electrorhodiol, uma forma de ródio coloidal. Electromerourol, uma forma de mercúrio coloidal. Electrosselenium, uma forma de selênio coloidal. Electromertiol, uma forma de ferro coloidal. Cuprase, uma forma de cobre coloidal. CONSELHO EM FARMÁCIA E QUÍMICA E DA ASSOCIAÇÃO DE LABORATÓRIOS Jornal para a Propaganda da Reforma 7 de Junho de 1919 Neste departamento, aparecem reportagens juntas com outro conteúdo tendendo à ajudar a prescrição inteligente e se opor à fraude médica para com o público e na profissão. Preparações coloidais O conselho adotou e autorizou a publicação do relato no qual aparece à seguir declarando que o Argênteo de prata coloidal, arsênio coloidal, cocaína coloidal, cobre coloidal, ferro coloidal, hidroargila coloidal, iodo coloidal, manganês coloidal, quinino coloidal e enxofre coloidal são inadmissíveis para remédios novos e não oficiais por causa que sua composição é incerta ( conflito com a regra número 1) Nos poucos casos nos quais as reivindicações terapêuticas para estas preparações foram examinadas, foram descobertas serem improváveis ou exageradas ( conflito com as regras 6 e 10), como tendo havida a necessidade de rejeição destes produtos. W. A Puckner, secretário. A Anglo-French Drug Co., Ltd., Londres e Nova Iorque, em Novembro de 1918, solicitou ao Conselho considerar os produtos Argênteo de prata coloidal, arsênio coloidal, cocaína coloidal, cobre coloidal, ferro coloidal, hidroargila coloidal, iodo coloidal, manganês coloidal, quinino coloidal e enxofre coloidal. O termo colosol coloidal) parece ser um designação grupal para a qual é reivindicada a ser soluções coloidais permanentes, comercializadas pela Anglo-French Drug Co., ltd. 68
    • Foram estas reivindicações corretas, colosois deveriam conter seus constituintes ativos em forma microscópica ou ultra-microscópica suspensa, protegida contra precipitação espontânea pela presença de proteínas ou algum estabilizador similar. De acordo com as especificações da patente original para colosois, os metais são precipitados ou tratados com peptina, que age como suspensor ou agente estabilizante. O método da utilização de peptina faz com que se torne duvidoso, em primeiro lugar, mesmo que a maioria dos metais seja presente em forma coloidal ou meramente em forma de peptídeos, i.e, como sais comuns. Mais ainda, os últimos pacientes indicam que os produtos foram insatisfatórios. Experiências mostraram que alguns metais coloidais sob certas condições não são completamente compreendidos, possuem uma tendência de se partirem após determinado período ( patente Americana nº1,116246). Fenol, é reivindicado, possui uma tendência de neutralizar esta decomposição e a patente cobre o uso do fenol para este propósito. `difícil de perceber como o fenol poderia possivelmente possuir tal ação. De fato, obviamente não tem, para um número de amostras de colosois submetidas ao Conselho separaram. Por exemplo, hidroargila coloidal não era de todo uma solução coloidal, mas a suspensão de um pó grosseiro. As ampolas de ferro coloidal continham uma quantidade considerável de precipitação floculenta. Se uma destas preparações fossem injetadas de forma intravenosa ou não, poderia resultar morte, tornando fisicamente moral se não legalmente viável. A imprudência das reivindicações serão mais tardiamente ilustradas pelo conselho destas misturas indefinidas de metais venenosos injetados em quantidades ilimitadas. Desta maneira, Crookes declarou ( Chemical News, 7 de Maio de 1914, pág. 218) que colosois contém uma proporção tão pequena de metal, viz., 1 em 2000, que mesmo um corpo venenoso como o arsênico pode ser usado com impunidade. Ele disse que eles podem ser aplicados como uma loção, por injeção intramuscular ou intravenosa e que uma pinta ou mais pode ser injetada por meio intravenoso. No caso de cocaína colosol, como trazido à tona na declaração do Conselho, publicada no Jornal em 12 de Abril de 1919, os manufatores admitiram que o produto não é o que eles vinham declarando para ele. A declaração do A MA , Laboratório Químico em produtos colosois foi mandada pelo Conselho para o escritório de Nova Iorque da Anglo-French Drug Co., Ltd, em duplicata para facilitar a referência ao escritório de Londres. Isto foi há alguns meses atrás. A informação que a corte pediu ainda não foi recebida, nem recebeu também a Anglo-French Drug Co., Ltd, indicando sua intenção em fornece tal informação. Por outro lado, reivindicações para a qual objeção específica foi feita, continua a aparecer em propagandas recentes. De acordo com o Conselho, ele autoriza a publicação desta reportagem e declara que as preparações colosois ( coloidais) nomeia previamente os remédios novos e não oficiais. COLOSOIS UM EDITORIAL ENDOSSADO NÃO CRÍTICO AMERICANO Jornal da Associação Médica Americana 18 de Outubro de 1919 página 1218 Sob as suspeitas da associação Britânica para o Avanço da Ciência, apenas apareceu uma declaração do presente status de colóide químico. O trabalho foi reconhecido como suficientemente importante para receber o endosso do departamento de Pesquisa Científica e Industrial do governo. De interesse particular dos físicos é o capítulo em Administração de Colóides na Doença, escrito por Alfred B. Searle, consultor químico, Sheffield. Após algum tipo de generalização acadêmica das drogas coloidais, a tese é largamente devotada ao proprietário das preparações coloidais feitas pelos laboratórios Crookes. A evidência científica apresentada por Searle para colóides na medicina é lida como uma propaganda promocional sobre a preocupação de Crookes, considerada uma ampla fonte de informação. Desta forma: manganês coloidal além de ser utilizado com resultados marcantes e surpreendentes tratamento de doenças de pele cocogênicas , proporciona excelentes resultados no impetigo, seborréia crônica, eczema e foliculite aguda quando empregada em conjunção com a intramina. o grave perigo da terapia de intramina é conhecido há mais de dois anos tanto ,aqui como lá fora, de fato, um autor declarou que no caso de injeções de intramina , a dor é uma não diluída tortura. Em estilo bombástico e prolixo como o órgão doméstico escrito comum, a reportangem imprudente detalha todos os tipos de condições nas quais, os então chamados colóides particularmente os colosois- foram recomendados, mas achados pejorativos são visíveis por sua omissão. Até mesmo o senhor malcom Morris é citado como emprestando seu nome e título para o endossamento de Colosois. Nos Estados Unidos, os profissionais médicos criaram meios pelos quais tais altas autoridades não precisem enganar os físicos, como tem sido evidentemente o caso com nossos Conterrâneos Ingleses. Mais uma vez, o valor do Conselho em Farmácia e Química é manifestado de forma a ser atingido causando impressão. Quais são os fatos à respeito do Colosol? O Conselho declarou que um número de preparações colosais não eram de nenhuma forma colóides e se injetados por meio intravenoso como de modo direto, poderia resultar em morte, fazendo com que os físicos e sua moralidade se tornassem legalmente não confiáveis. Isto nos casos nos quais as reivindicações terapêuticas foram examinadas, as reclamações foram achadas como sendo improváveis em excesso ou exageradas, ainda mais, que a AMA, Laboratório Químico encontrou Cocaína Colosol, na análise, para conter apenas 40% da quantidade declarada de cocaína. Tais são as descobertas que foram apresentadas aos físicos americanos. No entanto, físicos britânicos estão sendo objetos de intensivas campanhas publicitárias para Colosois, baseadas em parte em um endosso não crítico pseudo governamental. Tão antiga como a profissão inglesa não irá se proteger pela criação de um quadro competente para examinar e julgar os medicamentos próprios 69
    • e para controlar métodos de exploração, tão no entanto irá extravasar ou até mesmo enganar cruelmente as declarações continuando a impedir o avanço da ciência em tratamentos. COLÓIDES Jornal da Associação Médica Americana 18 de Março de 1922, página 442 O livro de Hatcher Introduction to Physics and Chemistry of Colloids (Introdução à Física e à Química dos Colóides) lida com o conhecimento científico do assunto adquirido até o tempo presente. Muitos dos fatos que dependem das propriedades coloidais estão entre os mais familiares da vida cotidiana, ainda que os assuntos d experiência comum tenham recebido tão pouca atenção científica como estes por tanto tempo depois da fundação para seus estudos tendo sido feita por Thomas Graham há mais d 50 anos atrás. A razão para atrasos passados seguido de investigações no fenômeno de colóides, era, aparentemente a sugestão que leva ao experimento; estava então faltando através da vontade de informação subsidiária em relação às causas em questão. Com o crescimento da ciência em outros ramos da física molecular vieram sugestões úteis e mais recentemente, apelo direto a experimentos têm trazido resultados frequentes e produtivos. A informação entregue de trabalho experimental tem, no entanto, sido quase inacessível para o leitor que não pôde devotar seu tempo para o estudo de memorando originais ou trabalhar por si mesmo as inferências dedutíveis à partir de diferentes feitos. O déficit agora, é reparar no admirável pequeno volume sob revisão. Ele trata o assunto de maneira fácil que cativa o interesse. Descreve as qualidades de produtos coloidais e seu comportamento sob experimentos com efeito bem vívido, fazendo com que o leitor possa facilmente visualizar o experimento, mesmo que ele seja alheio ( estranho) aos materiais postos em questão. As explicações de teoria são igualmente lúcidas. A brevidade de expressão com a qual é feita, adiciona a necessidade de se elogiar o autor. Uma série variada e boa de fatos são tratados e nada de especial ou ordinário parece Ter sido omitido; as discussões dos fatos e teoria são entregues em tamanha ordem, da melhor forma para facilitar a compreensão de todo o assunto e para proporcionar idéias conjuntas do fenômeno relatado. Do começo ao fim do texto, o reconhecimento próprio é dado para aqueles que fizeram o trabalho científico e as referências de publicações originais são numerosas o suficiente para atingir as necessidades até mesmo do leitor especialista. Ninguém que é interessado no estudo de colóides devido à sua importância na biologia, indústria e outras relações deve negligir a se tornar sabido pelo conteúdo deste livro. Estudantes mais velhos devem não menos apreciá-lo por seus mais novos; e para os últimos, devem existir muitos que irão provar ser um forte incentivo para pesquisa. Jornal Médico Britânico The Lancet 3 de junho de 1922, página879 As pesquisas de W. Pauli nas proteínas com referência ao comportamento coloidal, tiveram uma fatia importante no desenvolvimento de nosso conhecimento presente dos colóides e adicionaram consideravelmente às nossas informações nas propriedades da molécula de proteína. A aparência de um livro d uma caneta deste investigador não é, no entanto, de interesse suficiente para atrair a nota de tudo para quem estuda química em sua relação com a biologia. Seu livro que foi traduzido para o inglês por P. C. L. Throne, sob o título Colloidal Chemistry of the Proteins não é um livro de mão completo no assunto, mas seu propósito de dar uma idéia conectada das investigações do autor e das conclusões teóricas tiradas delas. Se presume o leitor possuir algum conhecimento com as características dos colóides tal qual pode ser adquirida pela leitura de um trabalho de introdução, como por exemplo o de E. Hatschek, recentemente publicado; para quem o conhecimento por conselho útil é expressado no prefácio do tradutor para a edição em inglês. Os métodos empregados pelo autor são descritos e os resultados alcançados por ele são apresentados em sua relação àqueles outros trabalhos com o intuito de conectar e coordenar os pontos de vista teóricos que possuem um trabalho experimental como suporte. Os métodos que foram principalmente empregados, foram aqueles os quais são designados eletrométrico e eletroforético Eles foram necessários para determinar qual extensão de formação de sal prevalece sob condições variantes entre proteínas e estes ácidos e bases que são capazes de combinação com proteínas. O grau de dissociação hidrolítica e de ionização dos sais formada, é ilustrada pelos resultados de extensivas investigações. Nenhuma demanda fora do comum é feita no conhecimento do leitor de física química de maneira a seguir os resultados de experimentos e a parte teórica, discussões; eles são aproximados a partir de pontos de partida familiares à todos e são apresentados em termos claros e livres de ambiguidade que frequentemente acontecem na tradução. Nós não podemos deixar de notar que amplos dados são entregues o que pode ser valioso para aqueles que o interesse é mais prático e direto. 70
    • AS PROPRIEDADES DE ALGUMAS PREPARAÇÕES COLOIDAIS DE METAIS Por A. J. Clark, C., M.D., F.R C.P. Departamento Farmacológico, University College (Colégio Universitário), Londres , Inglaterra Jornal Médico britânico 17 de fevereiro de 1923 Nota Acompanhando a Troca de Cartas, página 273 Considerável atenção tem sido dada durante a última década às ações terapêuticas dos metais na forma coloidal. A literatura clínica associada com este assunto é bastante extensa e os resultados registrados são extremamente notáveis, de fato, a pesquisa percursora deste assunto deixa a impressão que o metal coloidal age como cura específica de toda doença que é conhecida. Todas as declarações da terapia coloidal será encontrada nos trabalhos de Searle. Infelizmente, a qualidade desta literatura não corresponde à sua quantidade. Dale, em uma revisão do livro de Searle, aponta que as declarações feitas lá , à respeito da ação de metais coloidais, violava as mais comuns leis da fisiologia. O Jornal da associação Médica Americana criticou Searle em uma reportagem à seguir: Em estilo bombástico e prolixo como o órgão doméstico escrito comum, a reportagem imprudente detalha todos os tipos de condições nas quais, os então chamados colóides particularmente os colosois- foram recomendados, mas achados pejorativos são visíveis por sua omissão. Um exame da literatura clínica mais a fundo mostra que a grande massa é inteiramente não crítica e que alguns experimentos com animais e observações terapêuticas, as quais foram feitas com controle correto, tendo a maioria obtido resultados negativos. Desde que a literatura científica sobre este assunto é tão sem crítica, que é mais do que natural que os manufatores de preparações coloidais deveriam ter feito declarações terapêuticas brilhantes melhor do que anunciando estas preparações. O autor, no convite Jornal Médico Britânico, investigou as propriedades de algumas preparações coloidais anunciadas. As preparações investigadas eram de determinados colosois ( Laboratórios Crooke) e de ósculos ( Messrs, Oppenheimer e Son, Ltd). As preparações foram compradas em mercado aberto, mas o cuidado foi tomado para assegurar que eles vieram recentemente do produtor. O preço de oferta do colosol variava de 2 a 6 xelins (moeda inglesa) e os de ósculos de 2 a 15 xelins, 4-oz/100mL, a garrafa. Propriedades Quimico-Físicas As preparações contém na maioria dos casos 1 em 2000 de metal, junto com 0.6% de cloreto de sódio e de 0.5% a 5% de matéria orgânica. A matéria orgânica nos colosois é em alguns casos declarada como aminoácido derivado da goma arábica e em outros casos sendo glutamato ácido derivado da gelatina nas especificações da patente os peptídeos são ditos ser utilizados como agente para suspensão. A matéria orgânica atua como um preventivo ao metal coloidal o mantém em suspensão. Ultra filtração mostrou que matéria orgânica era parcialmente em forma coloidal e parcialmente em solução verdadeira para a maior parte dela passando através das membranas coloidianas , porém um parte disso era vendida. O ponto principal para ser determinado é quando um ou nenhum dos princípios ativos, nos vários tipos de preparações, estavam em verdadeira suspensão coloidal. À seguir são os principais testes pelos quais as soluções coloidais são distinguidas das soluções puras: 1-Examinação ultra-microscópica O ultramicroscópio mostra a solução coloidal repleta de microns, os quais aparecem como pontos brilhantes sob o rápido comando do movimento de Brownian 2-Viga de Tyndall. Um feixe de luz que passou através da solução coloidal ilumina sua trajetória, tal como um raio do sol é visto em um quarto escurecido quando o ar contém poeira ou fumaça. 3-Kataphoresis Uma corrente elétrica que passou através de uma solução coloidal contida em um tubo, causa que a solução se mova em direção a um dos eletrodos. 4-Diálise e ultra-filtração- partículas coloidais não passam através de tal membrana como pergaminho ou colóide 5-Partículas coloidais difusas em água muito mais lenta do que as moléculas ou ions. Partículas coloidais não difundem em gelatina. Estes testes podem ser facilmente aplicados a soluções puras de metais coloidais, mas a presença de uma quantidade considerável de matéria orgânica nas preparações testadas fizeram com que os testes se tornassem muito mais difíceis. Os produtores aparentemente se baseiam na examinação ultra-microscópica para determinação do estado de suspensão do metal, para sua ênfase em seus anúncios que as preparações mostram movimento de Brownian sob o ultra microscópio e declaram que esta é uma 71
    • evidência da natureza coloidal das preparações. A ausência de partículas na examinação microscópica é evidência de ausência de matéria coloidal, por outro lado, devem as formas de matéria coloidal mostrarem partículas visíveis sob a observação ultra microscópica. Por um momento, a examinação ultra microscópica de água ensaboada mostra uma figura extremamente brilhante de microns no movimento de Brownian ativo. O ultra microscópio não pode, no entanto, fornecer nenhuma evidência segura que quando os metais misturados com excesso de matéria orgânica em estado coloidal, as partículas podem ser vistas como metálicas ou orgânicas. Evidência pode ser obtida que provavelmente alguns dos metais estão na forma coloidal, mas isto não é possível sob estas condições para se estimar o quanto de metal está em suspensão coloidal. Kataphoresis também é de pouco valor como um teste para o estado físico destas soluções. A passagem de uma corrente elétrica através dessas soluções, causou um movimento da solução em direção ao anódio, mas isto pode ser devido à matéria organo-coloidal presente. Diálise através do pergaminho dedal foi depois testada. As soluções eram colocadas em pergaminhos dedais e dialisadas por seis dias. Os resultados são mostrados no quadro I. Este teste mostrou que o ósculo ferro e o ósculo Argênteo de prata eram soluções coloidais verdadeiras, para nenhum destes metais passados através do pergaminho. Isto sugere dúvidas à medida que estas preparações eram coloidais, mas o teste é aberto para a objeção que as soluções possam Ter sido oxidadas em exposição ao ar. Kulz examinou a preparação de argênteo coloidal e descobriu quem exposição ao ar livre o ácido arsênico era lentamente liberado com uma solução de 0.1% de arsênico em forma coloidal; depois de três dias de exposição ao ar, 0.07% de ácido arsênico livre foi liberado. Experimentos de Ultra Filtração Já que a diálise era inconclusiva, a ultra filtração foi empregada, membranas coloidais foram utilizadas. Primeiramente, as membranas foram feitas de colodium dissolvido em partes iguais de éter e álcool em 7%; as membranas eram feitas para servir em funis de Buchner e o fluido era levado sob uma pressão de menos duas atmosferas. Em experimentos feitos depois, dedais de colodium foram feitos de 9% de colodium em partes iguais de éter e álcool. O dedal era fixado em uma rolha de borracha que passava em um tubo de vidro, e uma pressão de 100 cc. de água foi utilizada para levar o fluído através do dedal. Em todos os casos, filtrando através deles soluções de Congo vermelho ou hemoglobina testavam as membranas utilizadas; e apenas estas membranas foram utilizadas . Elas retinham 93% dessas substâncias. Por volta de 5cc. de fluído podia ser filtrado de uma a três horas por estes métodos. As preparações coloidais foram testadas pela ingestão de 20 cc. da preparação filtrada a 10 cc. e então, estimadas sua quantidade de metais no filtro e nos resíduos. Preparações de ferro foram estimadas metricamente coloridas com férricocianida. Arsênico e antimônio foram estimados gravimetricamente pela precipitação como sulfeto; em alguns casos o arsênico também foi estimado quantitativamente pelo teste de Marsh. Quinino foi estimado pela extração da solução com clorofôrmio e então estimado pelo resíduo obtido a partir do clorofôrmio volumetricamente pela utilização do reagente de Mayer, como mostrado por Schmidt. Prata foi estimada volumetricamente com solução de cianida. Os resultados destes experimentos indicam que o papel do metal presente no ósculo ferro e o ósculo Argênteo de prata está em forma coloidal e que ele não se transforma em solução pura em contato com o ar. Antimônio coloidal, arsênico, ósculo arsênico e estíbio pareceram conter uma mistura de metal coloidal e não-coloidal, porém, em exposição ao ar, os metais tendem a passaram para solução verdadeira. Uma quantidade muito pequena de quinino em quinino colossal parece estar em forma coloidal e nenhuma quantidade demonstrada de ferro em ferro colosol pareceu estar em forma coloidal. Experimentos de Difusão Experimentos mais profundos foram feitos para medir a taxa de difusão na água. Tubos de 27 cm de comprimento com diâmetro de 6mm foram fechados em um e preenchidos com água, os tubos podiam ser invertidos sem o escapamento de água. Uma solução coloidal foi colocada em uma pequena garrafa; um tubo mergulhado na solução; a garrafa fechada com um anel de borracha e depois deixada em um recinto escuro por 16 dias. Ao final deste período, o conteúdo metálico de solução com e sem o tubo foi estimado. Este método é um método difícil para se medir a difusão, mas testes controles mostraram uma diferença marcante entre substâncias coloidais e não coloidais. Será visto que com substâncias não coloidais , a concentração dentro do tubo é em torno de 1/7 daquela fora da solução, enquanto que em substâncias coloidais, a concentração dentro do tubo é de apenas 1/70 daquela fora da solução. Ósculo ferro comportou-se como uma solução coloidal, mas ferro colosol e ósculo iodo comportaram-se como substâncias não coloidais. O conteúdo de iodo de iodo coloidal era tão lento que foi impossível sua medição exata. Experimentos mais profundos foram feitos para se medir a taxa de difusão do ferro colossal e outras soluções férricas na gelatina. 72
    • Um tubo foi enchido pela metade com 10% de gelatina e 5cc. de solução foi derramada por cima da gelatina. No final de uma semana a foi notada a difusão na cor da gelatina e as quantidades de ferro no fluído e na solução foram estimadas. Será visto que ferro coloidal difundiu na gelatina como uma solução não coloidal de ferro. Os resultados da experiência de difusão confirmam a opinião previamente expressada de que o ferro em ferro colossal é uma forma não coloidal. Eles sugerem também que o iodo em ósculo iodo é tanto uma forma coloidal como também passa para uma solução verdadeira bem avermelhada. Iodo colosol é anunciado como iodo coloidal de crookes e a declaração é feita iodo colosol consiste em 0.2% de solução coloidal de iodo. Em uma publicação mais recente, a declaração feita é de que iodo colosol é de 0.05% de solução coloidal de iodo corretamente protegido e iodo colosol aquoso ( Crookes) é descrito como 1 em 500 ( 0.2%). DECLARAÇÃO ANALÍTICA SOBRE IODO COLOSOL Jornal médico Britânico Datado de 1923 Eu imploro em relatar que eu venho analisando amostras de iodo colosol, com resultados que mostram que este consiste essencialmente em uma solução aquosa de iodo com cloreto de sódio e gelatina. A composição quantitativa foi descoberta variar em três garrafas compradas em diferentes ocasiões, mas em nenhum caso o iodo foi descoberto em exceder o que podia ser dissolvido pela água contendo cloreto de sódio isolado sem a gelatina. O iodo, no entanto, é presente na forma de solução aquosa total de caráter simples. A adição de gelatina não exerce influência na sua natureza molecular ou atividade. Portanto, o iodo não é em nenhum senso coloidal, nem de fato existe uma qualidade coloidal na preparação, exceto o atributo coloidal da gelatina dissolvida. O efeito mais notável da gelatina nesta composição é reduzir uma parte do iodo ao ácido hidrótico, que se torna neutralizado pela gelatina. O efeito é visível com perda da coloração. A referência de perda da coloração é feita separadamente no rótulo da garrafa. PREPARAÇÕES COLOIDAIS DE METAIS Datado de 1923 Kulz descobriu, no entanto, que a toxidade de uma preparação purificada de arsênico coloidal era muito menor do que a de ácido arsênico. A dose letal mínima de ácido arsênico injetado intravenosamente como ácido arsênico em um coelho é de 0.005 a 0,007 gramas por quilo, porém, Kulz descobriu que a dose letal mínima de sua preparação sob estas condições era de 0.03 a 0.035 gramas por quilo. Estes resultados levaram à conclusão que arsênico coloidal é em torno de 1/6 tóxico como o ácido arsênico. Isto mostra que o arsênico colosol e ósculo e o antimônio eram quase tão tóxicos como as soluções não coloidais n injeção intravenosa, mas que os anteriores eram quase ½ tóxicos como os últimos de injeção intramuscular. Os resultados com injeção intramuscular podem ser devido à matéria orgânica nas preparações coloidais mascarando a absorção. Estes resultados confirmam a conclusão de que uma considerável proporção de arsênico e antimônio , presentes nessas preparações, são soluções puras e sugere que o restante seja rapidamente convertido no corpo em solução verdadeira. A ação tripanocidal dessas substâncias foram testadas a partir de ratos infectados com Tripanossoma equidermo. Dr. C. M. Wenyon do Laboratório Welcome Research gentilmente forneceu os tripanossomas. O rato foi infectado com 0.1 cc. de sangue de um rato fortemente infectado; esta infecção produziu , na maioria dos casos, uma contagem de 100.000 a 300.000 tripanossomas por milímetro cúbico de sangue após três ou quatro dias. Os grupos controles não tratados morreram , em todos os casos, dentro de 10 dias e normalmente dentro de 7 dias de infecção. A dose mínima de arsênico ou arsênico e antimono , que livrou o sangue dos tripanossomas após quatro dias, foi determinada. Os resultados mostram que o tártaro emético no rato é superior tanto aos antimonos colosois quanto no ósculo estíbio como agente tripanocidal e que não existe nenhuma diferença pronunciada entre a atividade do ácido arsênico e do arsênico colosol. As doses curativas mínimas obtidas a partir do tártaro emético e ácido arsênico vão bem de acordo com aquelas obtidas por Voeghtlin e Smith. Estes resultados mostram que preparações especiais de arsênico e antimono possuem a mesma ação tirânica que o arsênico coloidal e antimono . Os resultados mostram que as preparações colosois testadas possuem quase a mesma toxidade que as preparações não coloidais das mesmas substâncias. Heubner descobriu que com injeções intravenosas em coelhos, a dose letal mínima da prata não coloidal tiosulfato era de 0.01 a 0. 03 gramas por quilo, enquanto a dose letal mínima de prata coloidal era de 0.065 gramas por quilo. Isto é para dizer que a prata coloidal era menos da metade de vezes tóxica do que um sal de prata comum. AÇÃO FARMACOLÓGICA DE METAIS COLOIDAIS 73
    • Os fatos com o das ações farmacológicas dos metais coloidais tem sido obscuros pelos vários efeitos descritos sem a evidência adequada e também, muitos trabalhadores tem utilizado preparações as quais foram amplamente prolongadas para não coloidais. Metais na forma coloidal parecem exercer apenas uma fraca ação desinfetante in vitro. Marshall preparou soluções coloidais pura da prata e descobriu que quando elas são testadas por períodos mais longos que 10 minutos, a prata coloidal teve uma ação desinfetante de apenas 1/10 de força do nitrato de prata. Marshall e Killoh descobriram que após a B.coli Ter sido coberta com Argênteo de prata colosol diluído ( 1 em 2000 prata) por 10 minutos, um crescimento vigoroso foi obtido quando a solução foi removida; por outro lado, nitrato de prata matou B.coli em cinco minutos em um diluição de 1 em 2.000.000. estes resultados tendem a mostrar que os metais coloidais não exercem uma ação desinfetante rápida. Metais coloidais, se deixados em contato com bactérias por períodos prolongados, irão, no entanto, agir como eficientes anti sépticos. Simpsom e Hewlett descobriram que em uma exposição de 24 horas ao Argênteo de prata colossal atuou como um desinfetante em diluição de 1 a 200.000 . esta ação de metais coloidais, eu acho, provavelmente devido ao seu lento colapso e liberação de íons livres. Desde que matais em uma forma coloidal não são irritantes, esta lente ação exercida pode ser de considerável valor terapêutico. DESTINO DOS METAIS COLOIDAIS NO CORPO A sugestão frequentemente feita de que metais na forma coloidal irão continuar a circular por um longo período no sangue, isto é incorreto, como demostraram sete trabalhadores. Dubamel descobriu que quando a prata coloidal era injetada em um coelho, 60% do metal injetado era fixado no fígado dentro de 15 minutos. Voight, em experimentos similares, descobriu que após três horas, 81% da prata foi fixada no fígado e nada permaneceu no sangue. Parece que a partir desses experimentos, metais coloidais não irão circular no sangue e atuar lá como um desinfetante por mais de alguns minutos. Os resultados indicados neste jornal em relação a ação do colosol, antimônio ósculo e arsênico, levam-me a concluir que estes não são superiores como os tripanocídeos para as preparações não coloidais; estes resultados são inconclusivos como me recordo os méritos relativos das preparações coloidais e não coloidais porque a proporção de metal coloidal nessas preparações são incertas. Kulz descobriu que o arsênico em ação coloidal pura não era superior ao ácido arsênico como a tripanocida em ratos. A ação coloidal principal dos metais coloidais quando dada de forma intravenosa, parece produzir uma reação geral similar a aquela produzida pela injeção de peptídios ou vacinas não específicas. Peterson seleciona metais coloidais entre os agentes, que produzem choque protéico e considera seus usos como um exemplo particular de terapia protéica não específica. Já que muitos dos colosois e ósculos contém produtos que provocam colapso de proteínas, em quantidade considerável como colóides preventivos, a injeção de tais preparações são , particularmente propensas a produzir a reação conhecida como choque protéico. Infelizmente, nossa presente informação quanto ao valor não específico da terapia protéica é tão vaga que o conhecimento que as preparações coloidais podem pertencer a esta classe de preparação , dá pouca orientação ao seu valor terapêutico. Sumário Os testes psico-químicos empregados, indicaram que os princípios ativos de muitas das preparações coloidais investigadas, estavam inteiramente na forma coloidal. Em outros casos, os princípios ativos estavam parcialmente em forma coloidal e parcialmente em solução pura. Whilst, em alguns casos, o papel do princípio ativo pareceu estar em solução pura. Críticas prévias das propriedades psico-químicas de algumas dessas preparações apareceram no jornal. Os testes farmacológicos empregados, falharam em mostrar qualquer diferença marcante entre a ação das preparações coloidais testadas e a ação das mesmas substâncias e solução verdadeira. PREPARAÇÕES COLOIDAIS E A EXAMINAÇÃO DE SOLUÇÕES COLOIDAIS Por Senhor William J. Pope, K.B.E., F.R.S, D.Sc, Professor de Química, Universidade de Cambridge Em um artigo recente do professor AJ. Clark ( Jornal Médico Britânico 1923, página 273) contém uma discussão sobre os métodos comuns para distinção de soluções coloidais daquelas de cristalóides e detalha os resultados da examinação de um número de preparações coloidais encontradas no comércio. È declarado que o trabalho foi custeado pela Associação Médica Britânica e isso pode, no entanto, ser presumido com isso a 74
    • autoridade e aprovação deste corpo importante. Estas últimas circunstâncias se tornam particularmente sem sorte que muitos, se não todos, os resultados das experiências indicados no artigo são errôneos e enganosos. Isto, em conseqüência, as conclusões traçadas são injustificadas. A refutação de um erro é sempre um processo mais lento do que a declaração original, sem a discutir detalhes pelo detalhamento da seqüência de erros cometidos no artigo sob discussão irá ser suficiente e os interesses da brevidade serão atendidos se as conclusões do Professor Clark à respeito d uma entre várias preparações com as quais ele lidou, têm se mostrado infundadas. A solução conhecida como ferro de Crooke coloidal, contém 0.05% de ferro como componente férrico coloidal , com 0.5% de gelatina e por volta de 3.5% de glicose, como pode ser verificado por qualquer analista competente. Ela passa através de um filtro de papel sem deixar uma precipitada e fraca reação alcalina devido à presença de pequenas proporções de hidróxido de sódio. Presumivelmente, todos estão conscientes que sais férricos são precipitados por hidróxido de sódio, a não ser que a solução coloidal fosse retida por algumas substâncias preventivas. O fato de que açúcares retém ferro férrico em solução coloidal foi relatado por Thomas Graham em seu primeiro artigo famoso em colóides (Philosophical Transactions of the Royal Society, datado de 1861, páginas 151,183) e têm sido assunto de muitos outros estudos experimentais. A prova simples e direta que tais soluções contém o ferro na forma de partículas coloidalmente suspensas, que podem ser vistas através do ultra microscópio, é tão completa que o caráter coloidal destas preparações nunca foi impugnado. No entanto, o Professor Clark desconsidera o efeito da gelatina e da glicose e não percebe a alcalinidade dos fatores da solução, que provam diretamente a condição coloidal do ferro na preparação. Ele observa que os componentes férricos passam através de um filtro coloidiano e então conclui que o ferro não pode estar em uma condição coloidal, inconsciente do fato de que filtros coloidais são de uso comum para a fina separação e o curso de suspensões coloidais, o mais fino avermelhado atravessando o filtro. Professor Clark nota que as declarações extravagantes à respeito das preparações coloidais foram bastante registradas e esta quantidade de literatura científica no assunto não é crítica, isto arrependidamente verdade como a literatura médica é preocupada e faz com que seja ainda mais desejável que a Associação Médica Britânica e o Professor Clark devam esquecer os métodos do passado e confinar-se às publicações propriamente verificadas dos fatos com suas conclusões lógicas. Dr. H.H. Dale representou elouquentemente os perigos de não fazer isto. OBSERVAÇÕES DO ARTIGO ACIMA Carta por AJ. Clark, M.D, F.B C.P. Professor de farmacologia, University College, Londres Eu li o artigo acima pelo senhor William Pope com surpresa. Ele declara que meu artigo dos muitos, senão a maioria, de resultados experimentais registrados no artigo são errôneos e enganosos. Ele não, no entanto, indica nenhuma evidência em mostrar que um único experimento encontrado em meu artigo é incorreto. Isto é claro; contrário a qualquer tradição da controvérsia científica em se fazer uma acusação generalizada com esta sem estabelece- la plenamente. Isto é, entretanto, uma questão d menos importância. O Sr. William Pope concentra sua atenção em minhas descobertas como considera o ferro colosol e diz: A solução conhecida como ferro coloidal de Crookes contém 0.05% de ferro como componente férrico coloidal, com aproximadamente 0.5% de gelatina e 305% de glicose, como pode ser percebido por qualquer analista competente. Ela passa através de um filtro de papel sem deixar precipitada e fraca alcalina pela reação existente na presença de uma pequena proporção de hidróxido de sódio. Todavia, o Professor Clark desconsidera o efeito da gelatina e da glicose e não nota a alcalinidade da solução, os fatores que provam diretamente a condição coloidal do ferro na preparação. Messrs. Crokes, pelo que eu sei, não possui nenhuma preparação chamada ferro coloidal de Crookes . A substância que eu investiguei era ferro colosol de Crookes e eu presumo que o Sr. Willian Pope está se referindo a isto, de outra forma suas notações são sem sentido. Durante o último ano, testei seis garrafas separadas de ferro colosol de Crookes, compradas sobre o período de Janeiro de 1922 e Abril de 1923, algumas foram compradas de liquidação e outras de preços comuns de químicos. Em todo momento, a solução era ácida. Hoje ( 19 de Abril), abri duas novas garrafas de ferro colosol, uma garrafa havia sido recentemente obtida de um químico com preço normal e a outra veio hoje do estabelecimento do Dr. Crookes na Rua Chenics. O conteúdo das garrafas eram ácidos, a acidez correspondia a aproximadamente N/22 e N/500, respectivamente. Tendo feito estas observações e medido o grau de acidez, , eu não posso discutir coma declaração do Sr. William Pope de que eu não havia notado a alcalinidade da solução. Ferro colosol proporciona todas as reações características de uma solução diluída do auto denominado ferrous, uma cor azul escura com potássio férricocianida que desenvolve imediatamente, um azul pálido com potássio férricocianida que desenvolve lentamente e nenhuma coloração com amônia sulfocianida. Estas reações são totalmente diferentes daquelas dadas tanto por soluções comuns de ferro e sal como pela solução de ferro coloidal. Como notado precipitadamente, cinco das seis amostras, que eu examinei, deixaram uma alta precipitação quando filtradas através do 75
    • filtro de papel. Uma das duas garrafas examinadas hoje produziu 0.08% de precipitação na filtração; a outra garrafa obtida fresca hoje, do Sr. Crookes, não proporciona nenhuma precipitação. Como mostra a condição coloidal, eu mostrei em meu artigo que o ferro no ferro colosol quando tratado por diálise, ultra-filtração ou difusão, comportou-se exatamente como em solução verdadeira. Sr. William Pope argumenta que o ferro em ferro coloidal tem que ser colidal porque é um estado férrico e a solução é alcalina. O ferro, no entanto, está em estado ferroso e a solução é ácida. Pelo que eu entendo do Sr. William Pope, a única outra evidência que ele induz é que a solução apresenta partículas coloidais na examinação ultra microscópica e contém gelatina e açúcar. Se minha interpretação da declaração do Sr. William Pope está correta, eu irei deixar isto para os químicos com experiência em química coloidal para dizerem o que eles acham do argumento de que o ferro em uma solução tem que ser coloidal se a solução contém partículas visíveis sob o ultra microscópio, e também, contém gelatina e açúcar. O Sr. William Pope, no entanto, realmente baseia seu argumento na reação alcalina do fluído. Quando uma pessoa em sua posição se baseia em um importante argumento de um fato elementar como este, e alguém acha que esta declaração é completamente incorreta, como demonstra as seis amostras da substância sob investigação, a discussão se torna bastante difícil. Nas circunstâncias acima, parece ser desnecessário notar as observações indelicadas do Sr. William Pope sobre meus métodos de pesquisa. Em meu artigo, eu lido com ferroso colosol de Crookes como é vendido pela comunidade médica. O Sr. William Poe me ridicularizou publicamente por Ter falhado em notar que ela é alcalina. Eu digo que a solução é ácida e que ninguém que esteja em dúvida pode determinar este ponto por ele mesmo com um pedaço de papel tornassol. A EXAMINAÇÃO DE SOLUÇÕES COLOIDAIS Professor Clark Em suas notas recentes do Jornal Médico Britânico 1923, página 731 Ele nota que o ferro colosol de Crookes, o qual ele examinou, é muito pouco ácido na reação, mesmo que a minha fosse fracamente alcalina: neste ponto ele cessa o experimento e não prossegue em fazer sua solução pouco alcalina e então nota se o ferro é precipitado. O ferro não é jogado fora da solução quando a solução é distintamente feita alcalina; esta é uma das indicações de que está no estado coloidal e envolve um teste simples, o qual ele deve Ter feito prontamente. A adição de uma pequena quantidade de hidróxido de sódio, suficiente para converter uma solução ácida de N/300 para uma solução alcalina de N/300 é necessária para a reação inversa. Minha conclusão portanto, permanece de que o ferro colosol de Crookes é uma preparação de um componente do ferro coloidal do tipo de açúcar descrito por Graham em 1861. Deixe-me oferecer uma outra demonstração simples de estado coloidal do ferro na solução que está e discussão. Os componentes capazes de formar partículas coloidais de gelatina e ferro é presente em uma proporção de aproximadamente 0.5%. a solução de gelatina desta concentração, examinada no ultra microscópio, mostra uma pequena concentração de muito poucas partículas em movimento, mostra um insignificante efeito de Tyndall; isto quer dizer, um feixe de luz dirigido através da solução aparece meramente como uma trilha fracamente iluminada. Em se diluindo os 0.5%, de gelatina 50 vezes, proporcionalmente à menos, porém partículas derretidas são observadas no ultra microscópio e o efeito Tyndall é quase nulo. A influência da gelatina, no que diz respeito ao efeito Tyndall- e isto pode ser observado por qualquer um- e as aparências no ultra microscópio pode ser mais tarde avaliada, o único outro fator coloidal envolvido é o ferro. Ferro Colosol é tão densamente embrulhado com partículas coloidais quase que opacas ao feixe de luz que produz o efeito Tyndall ou é utilizado no ultra microscópio; porém, em se diluindo isto 50 vezes, a solução é obtida e mostra que o efeito Tyndall é bastante presente e dá ao campo microscópio a reunião de partículas coloidais em intensa agitação de Brownian. Este resultado, o último momento quer a gelatina foi observada e permitida, deixa sem sombra de dúvidas, que o ferro no estado coloidal é responsável pela aparência notada. Deveria ser notado que o ferro colossal é um colóide negativo isto é, as partículas coloidais são negativamente carregadas enquanto as soluções coloidais de ferro obtidas pela diálise de soluções férricas ou pela fervura prolongada de soluções de acetato férrico são colides positivos. Os dois tipos de colóides mostram propriedades bastante diferentes, e quando misturados, precipitam mutualmente cada um, então em se misturando ferro colosol com a solução diluída de ferro dialisado, praticamente a totalidade de ferro em ambas as soluções é eliminada como uma gelatina precipitada. Esta é uma demonstração mais profunda de que o ferro no ferro colosol é coloidal. Mesmo que o ferro colosol não proporcione nenhuma cor diretamente com o sulfato de cianeto amônico, ele dá uma característica de cor vermelha com este reagente após a adição de ácido sulfúrico; o ferro coloidal férrico, não reage portanto com o sulfato de cianeto até que ele esteja dissolvido no ácido sulfúrico. Professor Clark, enquanto voando pelos dentes da prudência por seus métodos inadequados de demonstração que muitas soluções coloidais conhecidas não são coloidais, expressa a indignação a minha declaração que muitos, se não a maioria, dos resultados experimentais relatados em seu jornal anterior (British Medical Journal, datado de 1923. Página 273.) são errôneos e enganosos. 76
    • Ele reclama que eu não produzo nenhuma evidência em mostrar que um único fato experimental declarado em seu jornal é incorreto. Eu irei retificar a omissão, se houvesse uma. Ele nos disse que ele encontrou um total de iodo livre combinado no iodo colosol aquoso (Crookes) de 0,04%. Em adição, é apoiado nisto pelo analista selecionado pelo British Medical Journal. Minhas análises mostram que a solução contém quase exatamente, 5 vezes esta percentagem de iodo. Métodos de trabalho, que levaram a 4/5 do iodo presente sendo perdido em uma análise, provocaram notas indelicadas. Mas eu não concordo que eu tenha publicamente ridicularizado o Professor Clark. Eu meramente mostrei que ele foi levado, por estudos superficiais e possui suspeitas infundadas sobre a natureza de um número de colóides totalmente reputáveis. Eu adiciono (xerox ilegível) na nota do professor Senhor Willian Bayllim (British Medical Journal, 1923, Página 786) que o ferro colosol, diluído em 130 vezes deveria parecer povoado com partículas coloidais, este é o caso tanto com o ácido e todas as soluções alcalinas. Observações comparativas feitas em 0,5% de gelatina e solução colosol, cada uma diluída 130 vezes, indicam que estas partículas coloidais podem apenas consistir de componente de ferro coloidal. A reunião deliciosa do Doutor Dale irá levar a uma releitura quando é de acordo, que experimento inteligente provam o que experimentos presunçosos negaram nomeadamente, que o ferro colosol contém um colóide de ferro. Olim, meminius juvilit eu sou, etc. Nós referimos esta carta ao professor Clark, que escreve, Senhor Willian Pope em sua primeira carta declarando que o ferro colosol tem que ser uma preparação coloidal porque ela era alcalina e o ferro estava no estado férrico. Este foi um argumento infeliz, porque em primeiro lugar o ferro colosol é ácido em reação e a parte principal do ferro está na condição ferrosa; em segundo lugar, é perfeitamente fácil de se fazer uma mistura diluída de ferro não coloidal e gelatina, que irá proporcionar todas as reações para os sais férricos, mas que não irá precipitar pelo forte moderadamente alcalino. Os fatos do Senhor Willian Pope eram errados, e mesmo se estivessem certos, seu argumento era sem valor. Eu fiz a maioria dos experimentos descritos na última carta do Senhor Willian Pope, a mais de um ano. Foi o Senhor Willian Pope que deu ênfase a importância da reação do ferro colossal. Eu sabia que o ponto era sem valor no que diz respeito em provar o caráter coloidal ou não coloidal do ferro colosol, por outro lado eu pensei ser o ponto de grande valor com um simples teste de cuidado e precisão com o qual o Senhor Willian Pope preparou estranho ataque que direcionou contra mim. Ele diz que a amostra que ele testou era alcalina, mas é certo de que a vasta maioria, se não todas a amostras de ferro colosol à venda são ácidas a reação; e se o Senhor Willian Pope tivesse se importado em testar um raio certo de amostras ele iria ter se salvado de cometer um erro um tanto quanto ridículo se baseando em conclusões generalizadas de uma amostra atípica. Assim como é, sua primeira carta consiste em uma mistura desagradável de critica violenta e erros elementares. Os fatos declarados em sua Segunda carta eu acredito serem corretos, mas algumas das deduções são absurdas. Eu lidei com as deduções no que diz respeito da reação do fluido. No que diz respeito a examinação ultra microscópica, o ferro colosol é um fluido viscoso e turvo, que normalmente deposita uma precipitação considerável. Naturalmente ele é povoado com partículas ultra microscópicas, mas a evidência de que estas partículas são compostas de ferro, é necessária. No mais, eu não estou preparado para dizer que nenhum traço de ferro coloidal esta presente. O que eu tenho a dizer é que qualquer fração de ferro que possa estar em forma coloidal é muito pequena para ser demonstrada pelos teste usuais de diálise e ultra filtração. Assim como declaro o Senhor Willian Pope é quase verdade que o ferro colosol precipita ferro dialisado, mas ele declarou anteriormente que o colosol contém 0,5% de gelatina e ele tem que saber com certeza, que a gelatina precipita ferro dialisado e que mais tarde, este teste não é nenhuma prova de que o colosol contém ferro coloidal. Senhor Willian Pope finalmente se volta para discutir o meu trabalho sobre o iodo colosol. Eu descobri que esta substancia continha ¼ da quantidade de iodo anunciada e eu fiquei tão surpreso que eu tive a associação médica britânica a submeter uma análise independente. O Senhor Tickla, analista do distrito de Devoshire o fez, e seus resultados concordavam exatamente com minha análise. Enquanto este trabalho estava sendo feito, Messrs.,Crookes aparentemente revisou suas idéias no que diz respeito ao conteúdo iônico do iodo colosol. Por algum tempo o rótulo na garrafa continuou declarando que ele possuía 0,8% a solução que eles declararam em sua literatura de que ela continha 0,05% de iodo coloidal. Por volta de 3 meses depois da publicação do meu artigo, o Senhor Willian Pope descobre que agora sua preparação contém 0,2% de iodo livre e combinado; e toma isto como uma evidência de que ambos, eu e um analista experiente, fizemos independentemente, uma série idêntica de erros grossos em um pedaço extremamente simples de análise química. As análises dadas em meu artigo declaravam corretamente a composição do iodo colosol no tempo em que foram feitos. Eu não estou sugerindo que a recente análise do Senhor Willian Pope é incorreta, mas ela obviamente não prova que os resultados anteriores eram incorretos. Eu desejo obter algum espaço no Jornal Médico Britânico com um assunto pessoal, mas eu sinto que é de interesse público se proteger contra o tom que o Senhor Willian Pope parece ter adotado em sua controvérsia. À pedido da associação médica britânica, eu examinei certas preparações comerciais e alguns dos fatos observados não concordavam com as exigências anunciadas. O Senhor Willian Pope por razões não declaradas, fez uma exceção violenta à minha ousadia em criticar esta preparações comerciais e atacou meu trabalho com uma violência que não é usual na literatura científica. Felizmente para mim a imprecisão de seus fatos proporcionaram ao Senhor Willian Pope um ataque ineficaz. Ele declarou que muitos, se não a maioria, dos meus resultados experimentais são errôneos e que meus métodos são não críticos e inadequados. Eu não estou reivindicando infalibilidade, mas o Senhor Willian Pope ainda não mostrou que um único resultado experimental meu é incorreto. 77
    • Certamente, ele tem que se dar conta de que acusações generalizadas, como as acima, tem que ser totalmente substanciais ou retiradas. Eu sou, etc. A. J. Clark CIRURGIA,GINECOLOGIA E OBSTETRÍCIA Julho de 1922 Chicago O valor germicida dos sais da prata coloidal. Sais da prata coloidal , notavelmente o cloreto, de acordo com Ballenger e Elder, dão emanações germicidas. Estas emanações previnem o crescimento de microorganismos nas lâminas de ágar Petrie na área imediatamente em volta dos tubos de vidro vedados contento cloreto de prata coloidal. Uma preparação de 1% possui um valor germicida quase igual ao fenol puro, ainda que com preparações muito mais fortes. Nenhuma irritação é produzida quando aplicado em membranas mucosas como a bexiga, nariz, garganta, narinas e também quando usado para vestir com umidade feridas infectadas, mastóide, incisão, etc. Diluída 4.000 vezes a 5%. A preparação matou as espiroquetas de uma boca inteira em 4 minutos. Dada intravenosa a coelhos artificialmente infectados com estafilococos, 1cc. de 1%. A preparação curou os coelhos, esterilizando o sangue dentro de 24horas, enquanto o grupo controle, não tratado, morreu em 48-72 horas com abcessos múltiplos no fígado, rim, coração e outros órgãos. SUMÁRIO DO JORNAL DE UROLOGIA Jornal da Associação Médica Americana 24 de Março de 1923, Baltimore O valor do cloreto de prata como um germicida. Ballenger e Elder declaram mais tarde sobre seu trabalho experimental com o cloreto de prata coloidal como um germicida. O trabalho preliminar mostra ser inofensivo quando utilizado em superfícies inflamáveis e em certas condições. Ele pode ser dado por meio intravenoso em doses eficazes. Química do colóide A perseguição de conhecimento no domínio da química do colóide ganhou novo ímpeto a partir da publicação de Loss s Proteins and The Theory of Colloidal Behaviour . O livro é fundado a partir do próprio experimento de Loeb, que levou a conclusões que iriam explicar de uma maneira bem simples um número de formas do comportamento do colóide, no qual até aqui permaneceu uma fonte de perplexidade ou foi estimado por explicações a perder de vista. Ele considera que no trabalho experimental de outros investigadores existe uma certa tendência a negligir os efeitos da concentração do íon de hidrogênio nos líquidos sujeitados ao experimento e ele buscou métodos pelos quais o efeito desse fator poderia ser controlado. Eles o levaram a conclusões de que a combinação de proteínas com ácidos e bases é totalmente obediente às leis stoi-quiométricas. Isto pavimentou o caminho para conclusões mais profundas que apenas a valência do íon e seus sinais de carga participam na determinação das propriedades físicas características dos colóides. Loeb interpretou os experimentos de acordo com Ostwald e Fischer , diferentemente de Zigmondy. Seus experimentos na eficiência relativa de diferentes íons foram feitos sem se preocupar com a concentração de íons de hidrogênio. Então, Loeb retruca, os experimentos de Oswald apenas provaram que os ácidos bórico e acídico são mais fracos que o nítrico e não que o os íons de acetato e borato possuem melhor efeito depressivo na inchação da gelatina do que o ânion de nitrato. Similarmente ao trabalho de Fischer, ele acha que isto apenas prova que os citratos e acetatos são sais pára-choque e não que os ânions de acetato e citrato possuem efeito depressivo superior na inchação da gelatina que os ânions de cloreto e nitrato. Loeb entreteve enquanto pôde a hipótese de que o comportamento das proteínas sob a influência de eletrólitos pode ser explicada pela Teoria de Donnan do equilíbrio da membrana. Seu trabalho foi especificamente direcionado para testar este ponto de vista. Loeb atacou o problema de substâncias coloidais a partir de um novo ponto. Seus resultados parecem levar à conclusão de que os dados da química clássica são suficientes para explicar o comportamento coloidal tanto qualitativo quanto quantitativo; estas são leis stoi-quiométricas e a Teoria de Donnan . O teste de volume contém as evidências a partir deste ponto. A inchação da gelatina é explicada simplesmente pela consideração que as forças de coesão entre as moléculas de gelatina produzem as condições de um líquido coberto por uma superfície que age como uma membrana limite exibindo o efeito de Donnan. As diferenças de potencial demandada pela Teoria de Donnan, inutilmente buscadas por Ebrenberg, foram, Loeb diz, finalmente encontradas. Uma contagem completa é dada no experimento do autor, trabalho começando com a preparação de proteínas livre de impurezas ionegênicas. Os métodos adotados não mostram defeitos no princípio e os resultados tabulados concordam com a demanda da teoria. Mais tarde, foi descoberto que o que havia sido feito com a gelatina poderia ser repetido ponto por ponto com a albumina de ovo cristalina e outras proteínas. Se isto fosse aceito, então a absorção da teoria, a teoria agregada e a teoria de hidratação se tornaram desnecessárias e a série de íons de Holmeister perde toda validade. Loeb tem a impressão de que a sugestão de que as leis da química clássica tem que ser substituídas por outras leis peculiares à química do colóide não tem nenhum fundamento e reivindica ter obtido sucesso não apenas na satisfação dos postulados que surgem de seu ponto de vista, mas apresenta novas razões de confirmação experimental da falsidade das visões conflituosas por si mesmo. A 78
    • maneira na qual ele escreve forças verdadeiras no trabalho experimental do autor. Enquanto advogando suas conclusões na maneira convincente dos assuntos em discussão, que admitem controvérsias, são tanto temperada como justa. No que diz respeito ao caráter radical das conclusões alcançadas , é difícil de se esperar que qualquer um sem desejo aceitará sua seriedade. Eles serão ,sem dúvida, submetidos a procurar o criticismo, ambos experimental e motivado, mas, a não ser que o autor falhou fundamentalmente ,o trabalho irá marcar um estado distinto no progresso do conhecimento do domínio do estudo. Sir William Bayliss, neste livro, The Colloidal State In Its Medical And Physiological Aspects, dá uma contagem bem clara e concisa desses vestígios da química coloidal, que são de interesse particular na medicina e fisiologia. A química coloidal é um assunto difícil porque muitos dos princípios fundamentais ainda são matérias de disputa e infelizmente estes problemas, que são de interesse principal na fisiologia acontecem de ser a porção mais complexa e obscura da matéria. Sir William Bayliss declara que fatos salientes tão simples e curtos quanto possível e os leitores, serão agradavelmente surpreendidos para descobrir o quanto da química coloidal pode ser explicada sem a ajuda de uma terminologia especial extensiva; e também sem o uso de fórmulas matemáticas. Ele presta considerável atenção às propriedades de soluções de proteína e é interessante notar que ele não aceita a grande proporção de teorias recentemente expostas por Loeb. O livro de Loeb revisto acima, tem atraído grande atenção. Em seu ponto de vista, o comportamento das proteínas pode ser explicado por leis químicas comuns, não havendo nenhuma necessidade de aceitar a ocorrência de tais processos especiais como a absorção, etc. ; na qual a maioria dos trabalhadores acharam necessário assumir para explicar seus resultados. Isto, se verdade, iria resultar em uma simplificação muito melhor do assunto como um todo; Bayliss, no entanto, considera que a teoria ainda não foi provada e declara: O trabalho de Loeb trouxe à luz, sem dúvida, muitos fatos importantes sobre condições particulares de seus experimentos, mas existem razões para dúvida como a qual todas as propriedades de proteínas podem ser explicadas pelas combinações com ácidos de bases em proporções equivalentes, separadas das mudanças no estado físico ou absorção. Todo o assunto de química coloidal é fascinante e desde que o corpo animal é composto de soluções coloidais, o conhecimento de leis especiais governando as reações coloidais é essencial para a compreensão dos processos fisiológicos. O assunto é, no entanto, comparativamente novo e foi vedado do ponto de vista comum por uma terminologia complexa e uso extensivo de fórmulas matemáticas. Consequentemente, existe uma tendência no que diz respeito aos colóides como algo um tanto quanto misterioso. Este livro do Sir Willians Bayliss aparece, contudo, muito oportuno. Qualquer um com um pequeno conhecimento da química geral pode entender seus argumentos , pode aprender o que são os colóides e quais são suas principais propriedades. È de se esperar que o livro será lido vastamente por médicos, a partir do qual eles aprenderão que quando um medicamento é preparado no estado coloidal ela não adquire necessariamente qualquer qualidade terapêutica especial. SUMÁRIO JORNAL DA ASSOCIAÇÃO MÉDICA AMERICANA 21 de Fevereiro de 1925, página 634 Traduzido por Munchener Medizinische Wochenschrift, Munique 2 de Janeiro de 1925 Morte após Injeção Intravenosa de Prata Coloidal O paciente de Zangemeister tornou-se febril no quarto dia após o nascimento e teve um calafrio no sexto. Estreptococos hemolítico estavam nos lóquios, mas nenhuma localização de infecção podia ser encontrada. A condição do paciente se tornou muito pior 15 minutos antes da injeção intravenosa de prata coloidal. Ela morreu 12 horas depois. Desde que estas estatísticas não mostram nenhuma vantagem na aplicação de injeções em outros casos de febre puerperal, foi decidido utilizar a droga no futuro, se ao final de tudo, apenas intramuscular ou em uma enema. A PROPAGANDA PARA A REFORMA Jornal da Associação Médica Americana 7 de agosto de 1926, página 430 No departamento aparecem reportagens do Jornal do escritório de investigações, do Conselho de Farmácia e Química e da associação laboratorial, juntos com outros materiais gerais de natureza informativa. O Conselho de Farmácia e Química pediu ao Laboratório da associação Médica Americana para examinar as preparações de proteína da prata que foi descoberta aceita para inclusão nos Novos e Não Remédios para determinar se eles continham ou não os padrões necessários requeridos pela Farmacopéia Americana X. Amostras originais de cada uma das preparações a seguir foram compradas em mercado aberto: Todas a preparações passaram pelo teste de fermentação de fungos como descrito pela, exceto cargentos e vargol. Desses, cargentos era apenas um pouco mais forte que o limite imposto pela Farmacopéia X EUA; e o vargol era oito vezes mais forte. 79
    • Em escrevendo par Companhia Química Hoyden em referência ao vargol, a companhia respondeu que era retirando o vargol do mercado e suprindo um produto sobre o mesmo nome adotado pela Farmacopéia EUA, viz, proteína da prata branda que responde a todos os requerimentos da Farmacopéia X EUA. O Cargento estava tão perto de alcançar os requerimentos da Farmacopéia X EUA que a variação não foi considerada suficiente para excluir o produto da classificação da Farmacopéia X EUA. Os manufatores do argyn( Os Laboratórios Abbott) informaram ao Conselho que a variação de produto da prata de argyn estava sendo reduzida para que o produto cumprisse agora às normas da Farmacopéia EUA neste respeito. Sumário Todas as amostras do mercado de preparações de proteína da prata tanto branda ( tipo Argirol) como forte ( tipo protargol) descritas nos Remédios Novos e Não Oficiais foram examinadas e descobertas compatíveis com os novos padrões da Farmacopéia EUA para estas preparações. JORNAL DA ASSOCIAÇÃO MÉDICA AMERICANA Publicado : Dezembro de 1926 Zeitschrift F. D. Ges. Experimentelle Medizin, Berlin 11 de Setembro de 1926 Toxidade da Prata Coloidal Voigt injetou soluções de prata coloidal por meio intravenoso em coelhos e estudou sua distribuição no corpo. Ele descobriu que a combinação de diferentes substâncias coloidais no corpo, com a prata injetada sob certas circunstâncias causava envenenamento. Ele sita a partir da literatura de casos fatais de terapia coloidal da sífilis e gonorréia, e refere aos envenenamentos observados por ele. Ele alerta contra o uso terapêutico de preparação de coloides químicos, que não foram testados em experimentos animais. SUMÁRIO Jornal da Associação Médica Americana Lancet, Londres 25 de Setembro de 1926. Epidemia Severa de Encefalite Fuller reporta um caso de epidemia de encefalite tratada com sucesso por injeções de ouro e prata eletrocoloidal. No sétimo dia de doença, apareceram poucas chances de recuperação, mas, sabendo que os metais eletrocoloidais, particularmente colóides de prata e combinação de prata e ouro, foram empregadas com sucesso no tratamento de infecções gerais. Fuller, no entanto, decidiu dar injeção intravenosa de 0,05% de suspensão de colóide de ouro-prata. O primeiro resultado foi o retorno da consciência dentro de uma hora e melhora geral dos sintomas . foram dadas mais duas injeções intravenosas e na noite seguinte intramuscular. Elas foram então todas suspensas por alguns dias, mas a melhora persistia. No décimo sexto dia, as injeções de prata-ouro coloidal foram recomeçadas diariamente para quatro dias, a mediada que a condição mental não era satisfatória e a medida que não estava melhorando o pari-passu com os outros sintomas. O resultado foi marcado. Ao final da sexta semana, além de debilidade geral, não havia nenhum sintoma anormal. Cinco meses depois dos sintomas agudos terem sido dominados, não havia nenhum sinal anormal físico ou mental e o paciente retomou sua vida social usual. SUMÁRIO Jornal da Associação Médica Americana Comptes Rendus De La Societe De Biologie, Paris. 19 de Outubro de 1926. Bloqueando o Sistema Retículo-Endotelial e Glicemia Em vinte e dois fortes cachorros, o sistema Retículo-Endotelial foi bloqueado por injeção intravenosa de prata colidal. O açúcar do sangue aumentou de 6 para 65%, o aumento começando meia hora depois da injeção. Em outra séries de experimentos, a hiperglicemia foi desta forma induzida, foi descoberta ser menos pronunciada em animais famintos que nos normalmente alimentados. Isso foi quase inteiramente prevenido quando o bloqueamento foi precedido pela administração de epinefrina ou phlorizin. Quando o baço foi removido o bloqueamento causou apenas um leve aumento no açúcar do sangue. É obvio, diz Damant, que o Sistema Retículo-Endotelial toma parte no metabolismo dos carboidratos. 80
    • VALOR COMPARATIVO DO NEO-SILVOL E PRATA COLOIDAL (ARGIROL) Jornal da Associação Médica Americana 1927, Página 227 Ao editor: o Neo-Silvol é considerado tão bom quanto o Argirol para infecções do olho e uretrite gonorréica? Por favor omita o nome. C.K.R Resposta: Em um experimento comparativo, no qual o fungo foi utilizado como um organismo teste, Pilcher e Sollmann descobriram que o Neo-Silvol é decididamente inferior ao argirol. Sua eficiência anti séptica foi encontrada muito baixa para ser medida pelo método de fungos, enquanto o argirol teve o valor anti séptico definido. O Neo-Silvol é evidentemente destituído de poder para matar fungos, ele também não possui ação fungicida. Por outro lado H.C. Hamilton, trabalhando no departamento de pesquisa do manufaturador, acha que o Neo-Silvol possui uma ação decidida e melhor específica contra os gonococos, como comparada com seu efeito em outros organismos. A comparação direta entre o argirol e o Neo-Silvol em cocos não está disponível. Argirose a partir dos Pacotes de Argirol da Prata Coloidal Ao Editor: Existe algum perigo de Argirose a partir do uso prolongado de pacotes intranasais de argirol? Quanto tempo um tratamento que é dado três vezes por semana deve ser aplicado em uma criança de oito anos sem correr qualquer risco de argirose? Por favor, omita meu nome. Resposta: A tendência à Argirose é problemática, devido ao fato de que alguns indivíduos são capazes de utilizar sais orgânicos de prata em contato com suas membranas mucosas por longos períodos de tempo sem qualquer dificuldade, enquanto outros desenvolvem a argirose após um tempo razoável de uso. É impossível declarar quanto tempo o tratamento deve ser utilizado três vezes, semanalmente, em uma criança de oito anos; porém utilizando-o sistematicamente por mais de alguns meses é repleto de certeza o elemento de perigo. Após a utilização do pacote de prata coloidal (argirol) por um ou dois meses, seria melhor que durante um período de três ou quatro meses meramente fossem utilizados adstringentes como solução diluída de preparações de epinefrina antes de retornar novamente ao tratamento de prata coloidal. Desta forma, mesmo que não possa ser garantido, haveria pouco risco de argirose. MEMORANDOS: MÉDICO, CIRÚRGICO e OBSTÉTRICO CELULITE DO COURO CABELUDO TRATADO POR PRATA COLOIDAL INTRAVENOSA Jornal Médico Britânico 22 de Janeiro de 1927 Eu acho que o caso a seguir é de interesse assim como pareceria indicar um tratamento simples para sérias condições. Em 29 de novembro de 1926, uma mulher com 62 anos deu entrada no Hospital Andover War Memorial sofrendo de ferida no couro cabeludo na região occipital (cerca de 1 ½ polegadas) e um médio grau de concussão. Para os poucos dias a seguir, ela teve alta temperatura noturna e parecia muito doente. Ela reclamava apenas de dor de cabeça severa e tinha toda a aparência de estar sofrendo de toxemia contra a qual era incapaz de lutar. Um exame geral falhou em revelar qualquer causa definida para sua condição. O único fato notado era que a ferida, mesmo após a alta, estava se espaçando e mostrando nenhum sinal de recuperação. Em 6 de Dezembro, o diagnóstico da condição da paciente foi feito obviamente pela aparência de um adesivo isolado da celulite sobre a testa. Ela parecia muito doente, quase moribunda. No dia seguinte, a área afetada havia se expandido, mesmo que a inflamação parecesse, se muito, menos intensa. Uma injeção intravenosa de 10cc. De Argênteo de prata colosol foi dada. Houve uma melhora imediata e certeira na condição da paciente e dois dias depois a celulite tinha quase que completamente desaparecido. A língua estava limpa e não havia dor de cabeça. As extremidades da ferida estavam melhorando levemente, parecia mais saudável e estavam se aproximando. O tratamento foi repetido e a paciente fez uma descoberta não usual, tendo tido alta bem em 21 de dezembro. Ao que sei, prata coloidal não havia sido previamente utilizada em um caso similar. Assinado R.S. Weir, MB,CH.B. O TRATAMENTO DA GONORRÉIA AGUDA COM ANTI SÉPTICOS NA GELATINA Russel D. Herrold. M.D. e Harry Culver, M.D., Chicago Jornal da Associação Médica Americana 12 de Fevereiro de 1927 página 459 81
    • A gonorréia aguda é uma inflamação generalizada da membrana mucosa da uretra anterior resultante a partir da presença de gonococos e de produtos tóxicos. O grau de extensão à uretra posterior ou oculta nos tecidos submucosos da extensão da uretra anterior, varia diretamente com o controle de sucesso durante os estágios iniciantes de infecção. Várias percentagens da extensão na uretra posterior, são dadas por diferentes autores, mas é declarado que em muitos livros-textos de Gonorréia,, que é alto assim como 75%, se tornam posteriores. È duvidável que tal proporção elevada se torne posterior na presente experiência de urologistas, mas em nossas observações antes do uso do presente método parece ser altamente frequente. É geralmente percebido que o índice organotrópico de uma droga deve ser considerado assim como o índice de gonococos na determinação do desempenho do remédio para tratamento local. Nós decidimos tentar outras soluções aquosas de anti-séptico com a idéia de que menos danos podem ser feitos nos tecidos, e se o poder anti-séptico da mistura não fosse diminuído a qualquer ótima extensão ele iria então, se aproximar da combinação ideal. Acriflavina neutra foi utilizada na gelatina com bons resultados. Sem nenhuma dúvida, muitas outras drogas fariam uma combinação satisfatória com a gelatina. Acriflavina neutra é conhecida por ser gonococidal em diluição alta e melhor que a penetrabilidade média, mas em água ou solução fisiológica de cloreto de sódio, ela é frequentemente irritante a não ser quanto utilizadas em diluições maiores que 1:2000 , e alguns aconselham que ela não deve ser utilizada mais forte que 1:4000. Ela não parece produzir nenhum sintoma subjetivo ou objetivo de irritação em diluições tão baixas quanto 1:400 de água de gelatina contendo de 10 a 15% de gelatina. A droga é primeiro adicionada à água destilada para a força desejada e então aquecida por volta de 60 graus C.; então as folhas de gelatina são colocadas na mistura e mexida até dissolver. A gelatina sozinha não inibe o crescimento de gonococos nos médios artificiais, mas a acriflavina neutra em 10% de gelatina mata os gonococos em diluição de 1:4000. Utilizando várias diluições de acriflavina em 10% de gelatina feito de testes gonococidais e suspensão incubada de um crescimento de24 horas de gonococos por 15 minutos a 37 graus C. Transplantes da mistura de fosfato áscito em lâminas de ágar foram feitos. Pode ser também que a gelatina neutralize alguma extensão à gonotoxina na uretra. A gonotoxina conteúdo do pus digerido de extraído durante o estado agudo é alto. Uma cultura filtrada de gonococos no caldo , quando injetado na uretra normal é seguida de algumas horas por sintomas subjetivos de ardência e coçeira, levemente purulento de desempenho e retalhos profusos na urina por 24 horas. Existe uma limpeza gradual da urina e ela se torna normal em três ou quatro dias. Quando a mesma cultura filtrada é combinada com gelatina a 10% antes da injeção, ela produz apenas sintomas muito subjetivos ou objetivos de irritação. Existe provavelmente uma ação hidroscópia pela gelatina, desde que ela tenha a tendência de pegar a mistura quando não saturada, como se fosse um colóide protetor. Os resultados parecem indicar que existem algumas infecções foliculares que em soluções aquosas. A solução grossa e densa permanece na uretra por um período mais longo após tratamento do que as soluções aquosas. Finalmente, é um colóide emulsante ou protetor e possui todas as vantagens adicionadas peculiar aos colóides no tratamento de infecções da membrana mucosa. A mistura de acriflavina gelatinosa solidifica à temperatura ambiente, então era necessário utilizar jarras de vácuo de oito onças que mantinham a gelatina em estado de semi-fluido de 10 a 12 horas. Isto é praticamente para utilização de consultório desde que seja necessário apenas aquecer a mistura cada manhã e colocar nas jarras de vácuo. As injeções uretrais foram dadas diariamente e retidas por oito minutos. O paciente completou o tratamento em casa por injeção de uma preparação branda de prata, mas o rápido controle do desempenho e o alívio dos sintomas de irritação, frequentemente após a primeira ou Segunda injeção, parecia não deixar nenhuma dúvida do efeito direto da acriflavina na gelatina. Proteína forte da prata foi utilizada em solução de 1%,com 2% de gelatina como segundo passo do tratamento no consultório e serviu como um teste intermediário entre a acriflavina e o final ou os testes provocativos da prata. É possível utilizar a mistura de gelatina para outro além de tratamentos no consultório quando pequenas quantidades de gelatina são utilizadas como em 1%, à medida que ela não coagule com a proteína de prata forte e muitos outros anti-sépticos. Ela tem sido utilizada deste modo, em tempos presentes, em alguns casos. Os pacientes incluídos neste relato foram particularmente favoráveis para observação, desde que eles eram todos pacientes particulares e sob um controle muito melhor do que a média de pacientes clínicos eram. A limpeza completa mais cedo da urina de muitos pacientes tratados, frequentemente sem nenhum estágio intermediário marcante de pedaços e flóculos, iriam parecer indicar que existe menos descamação do que quando soluções aquosas são utilizadas. Um dos resultados atingidos notados foi a baixa porcentagem de casos complicados por infecção posterior. Houve apenas 18 ou 16.5% de infecções posteriores de 109 selecionados para o método em andamento de tratamento. Os casos selecionados foram, o mais próximo que pode ser determinado, de infecções recentes exacerbações agudas de infecções crônicas. Apenas poucos pacientes tiveram o efeito maior que quatro dias na examinação inicial. Houve uma grande proporção de complicações posteriores entre estes que tiveram o efeito por vários dias antes do tratamento do que aqueles com efeito de curta duração. A média de duração do efeito antes do tratamento em casos nos quais ultimamente haviam complicações, foi de 5.4 dias, enquanto a média de duração destes que permaneceram descomplicados foi de 2.5 dias. O tempo médio até a cura de casos descomplicados foi de 3.2 semanas. No mais, a média de tempo até a cura de pacientes com complicações posteriores foi de 8.4 semanas. Este método de tratamento tem sido utilizado por aproximadamente dois anos e muitos pacientes incluídos neste relato foram mantidos sob observação por mais de seis meses para o aparecimento de relapsos ou sequelas tardias, tal como austeridão. Houve em grande proporção tais casos quase que imediatamente impedidos do efeito , inflamação aguda e dor na uretra. Os dados de cada um de nós foram mantidos separadamente e os dados resumidos independentemente antes que as estatísticas combinadas fossem feitas. Os resultados separados foram quase idênticos. O método possui algumas falhas, mas houve o aumento de eficácia com a gelatina. Outros 82
    • gels ou gelatinas combinadas com outras drogas pode provar superioridade, mas observações parecem convencer que tais bases são melhores que soluções aquosas. Sumário A utilização de acriflavina neutra na gelatina proporcionou resultados distintamente superiores à qualquer rotina prévia de tratamento. Existem porcentagens mais baixas de complicações e em casos descomplicados, existe uma redução marcante no período de tempo até a cura ser efetiva. Existe uma adição notável do declínio de sequelas, o qual é aparentemente, devido ao menor envolvimento de glândulas uretrais e menos áreas localizadas de ulceração ou infiltração; e isto pareceria indicar que pode não ser tão tarde ou a patologia gonorréica subsequente modifica com este método de tratamento. INATIVAÇÃO DA EPINEFRINA POR CERTAS PREPARAÇÕES DE PRATA COLOIDAL Por: J.D. Pilcher, M.D Cleveland Jornal da Associação Médica Americana 5 de Março de 1927, Vol.:88 página 720 Para diminuir a secreção, normalmente em infecções nasais agudas, a epinefrina é frequentemente utilizada localmente, tanto sozinha ou em combinação com várias soluções supostamente anti-sépticas, notavelmente com preparações de proteína da prata. Como a maioria das preparações de prata em solução liberam íons de prata, isso pareceria que eles podem desativar a epinefrina, assim como muitos sais metálicos destroem a epinefrina e outros componentes alcalóides. A investigação reportada aqui foi incumbida , no entanto, para determinar a duração da ação de epinefrina em tais componentes da prata. Método A epinefrina diminui a secreção nasal, provavelmente diminuindo a circulação através de vasoconstrição local. Como a vasoconstrição é prontamente determinada por tingimento local da pele quando a epinefrina é introduzida na pele por arranhões, este método foi escolhido para determinar a atividade da epinefrina. Para aplicação nasal, a epinefrina é comumente utilizada em uma força de uma parte de solução a 1:1000 à 3 ou 4 partes de preparação de prata, fazendo grosseiramente uma solução de epinefrina a 1:4000. Para o propósito de investigação, ela foi utilizada em diluição de 1:4000 e 1:1000, a força tardia para comparação, mesmo que pareça não ser utilizado na prática. A epinefrina foi misturada com soluções de preparações da prata e a mistura foi testada em intervalos viáveis até que o tingimento da pele falhasse em aparecer. Foi encontrado em trabalho prévio que, preparações orgânicas da prata foram menos anti-sépticas ( em células de fungos) em solução fisiológica de cloreto de sódio que em solução aquosa. A interpretação sendo que a prata ativada fosse precipitada pelo cloreto, pela analogia iria parecer que a solução salina deveria proteger a epinefrina da ação dos íons de prata ou em outras palavras, que a epinefrina, teoricamente por último, iria permanecer ativa por mais tempo em solução salina do que em soluções orgânicas aquosas de prata. Portanto, como as preparações normalmente utilizadas de epinefrina, a diluição de 1:1000 ou os comprimidos, contém cloreto de sódio. Os experimentos foram feitos primeiramente com isto e os resultados checados com soluções de cloreto livre. As soluções de cloreto livre foram feitas pelo dissolvimento da epinefrina alcalóide em ácido nítrico 9 1:1000) ou bórico (1: 250) diluídos, nenhuma das quais soluções precipita com o nitrato de prata. A epinefrina nestas soluções retinha sua atividade por mais tempo que qualquer outra solução de prata orgânica. Uma mistura de epinefrina 1:1000 em ácido nítrico 1:1000, reteve sua força original por mais de quatro meses e duas misturas da mesma concentração de epinefrina em ácido bórico 1:250, um exemplo de solução salina, reteve muito de sua atividade após 90 dias. Todas as misturas foram mantidas à temperatura ambiente e luz natural do dia. As preparações de prata examinadas foram protargol, representando o tipo forte de proteína da prata, argirol e solargêntio do tipo médio, neo-silvol ( um iodato de prata coloidal) e nitrato de prata. Estas foram utilizadas em concentrações usuais comum no terapeutismo. Pelo menos duas amostras de cada produto foram examinadas. Resultados Será visto que , utilizada normalmente, protargol, solargêntio e argirol destroem a atividade da epinefrina na concentração normalmente utilizada (1:4000) em 3 a 12 horas; e a solução de 1:1000 de alguma forma aumenta o tempo, porém não mais que 20 horas. O neo-silvol ,no entanto, em 25% solução, possui uma leve ação destrutiva em concentrações similares de epinefrina. A ação de solução à 1:4000 persistiu em uma amostra sete dias, em outra por 12 dias e a solução de 1:1000 permaneceu ativa por volta de 25 dias. Estes períodos correspondem à inativação completa da epinefrina, mas para propósitos terapêuticos, a manifestação da ação vasoconstritora seria perdida em um tempo consideravelmente curto. Um resultado vibrante foi aquele com o argirol, solargêntio e neo-silvol. A taxa de destruição da epinefrina no conteúdo de cloreto e em soluções de cloreto livre foram similares. A ação destrutiva do protargol. No entanto, foi muito atrasada pela presença de cloreto, para a solução de cloreto livre de 10% inativou a epinefrina de uma vez em duas amostras e em menos de uma 83
    • hora em uma Segunda amostra, em experimentos bem controlados. Em uma solução de 2% também, muito mais rapidamente do que na presença do cloreto. Estes resultados parecem indicar que, no caso do protargol, os íons de prata liberados inativaram a epinefrina e que esta ação foi diminuída pela precipitação de prata como cloreto de prata. Esta concepção pareceria confirmada pelo fato de que o neo-silvol, que não libera íons de prata ou melhor, libera-os bem devagar, inativa a epinefrina lentamente sob as mesmas condições. Entretanto, este não é o caso, para soluções de nitrato de prata( cloreto livre), mesmo maior concentração que 10%, inativa a epinefrina mutio mais lentamente que as preparações de prata coloidal, com a exceção do neo-silvol. A concentração de epinefrina de 1:1000 reteve parte de sua atividade, como declarado na tabela, de 5 a 10 dias em solução de nitrato de prata à 10% e a de 1:4000 permaneceu ativa por oito horas enquanto as soluções em concentrações de epinefrina à 1:1000 e nitrato de prata à 1:1000 perderam suas atividades apenas após trinta dias. Estas soluções iriam conter concentrações mais altas de prata ionizada do que seria encontrado nas preparações coloidais utilizadas. Parece justificável concluir, no entanto, que a inativação da epinefrina pelas preparações de prata coloidal não foram devidas os íons de prata liberados. Como a epinefrina se manteve ativa por vários dias nas soluções de neo-silvol , gelatina e tragacanta, a inativação não poderia ter sido causada pelos poderes de sujeitação ou absorção de colóides das preparações de prata. Dr. Sollman sugere que a alcalinidade das soluções de proteína de prata pode ser a causa da destruição da epinefrina, para alcalóides inativos ou precipitados. Este não foi o caso no entanto. A reação destas soluções foram testadas napele, três amostras diferentes de cada droga. Foi determinado pela dialização através de bolsas coloidianas e as reações ( concentração de íon de hidrogênio) foram as seguintes: protargol,6.8; argirol,9.0; neo silvol, de 6.7 a6.8. Então, as soluções de protargol, que inativaram a epinefrina mais rapidamente e a solução de neo silvol, que inativa a epinefrina bem lentamente, possuem aproximadamente a mesma reação que é levemente ácida, enquanto as soluções de argirol e solargêntio são distintamente alcalinas. Mais tarde, soluções de epinefrina, 1:4000 e 1:1000, com uma concentração de íons de hidrogênio de 8.8, i.e, distintamente alcalina, permaneceu ativa por muitos dias. Então, a reação das soluções não foi fator determinante na destruição da epinefrina. Acredita-se que o protargol é feito com base peptídica, então as soluções de peptídeos e o conteúdo da albumina do ovo foram examinadas; porém, a epinefrina permaneceu ativa por vários dias. Depois disso, a causa da inativação da epinefrina por componentes orgânicos de prata não foi investigada. Conclusão Tem sido mostrado que certos membros dos componentes orgânicos da prata protargol, argirol, solargento, nas soluções usualmente utilizadas, epinefrina inativa dentro de poucas horas, portanto, se o local afetado de epinefrina nas membranas mucosas nasais é desejado, não se deveria usar a combinação com estas substâncias ou as misturas deveriam ser feitas na hora. Neo-silvol e soluções de nitrato de prata inativa epinefrina mais devagar. TRATAMENTO DE INFECÇÕES POR GONOCOCOS NAS MULHERES Jornal da Associação Médica Americana 25 de Março de 1927. Ao Editor: Você poderia gentilmente dar a sua opinião no que diz respeito ao tratamento da infecção crônica por gonococos nas mulheres? Por favor omita meu nome. Resposta: O primeiro requisito no tratamento da infecção Gonorreica nas mulheres é a eliminação das fontes da permanente reinfecção. Coabitação impura deve ser evitada, glândulas infectadas de Bartholin cortadas fora e supuração periuratral dos criptococos abertas, destruídas e calterizadas. A uretrite crônica aumenta imediatamente a dilatação sistemática e a injeção de alguma solução adstringênica. A vaginite, se presente, irá ser curada a medida que a uretrite, a infecção da servical e a mucosa uterina forem dominadas. Os dois últimos envolvidos representam o ponto crucial de todo o problema. Nos processos gonorreicos de qualquer duração, os gonococos não estão somente na superfície mucosa mais também colonizam nas glândulas afundadas nas camadas submucosas e chegam até a migrar para a musculatura uterina. Estes fatos explicam a falha de todos os métodos apontando a destruição da mucosa pela aplicação de soluções causticas fortes, cauterização ou escaldamento da mucosa com vaporização viva. Tanto esta destruição não alcança os gonococos em sua localidades profundas ou, se a destruição se estende a tal profundidade, a subsequente descamação ainda produz pós efeitos indesejáveis, como a completa ou parcial destruição da cavidade uterina. No entanto, os insentivos terapêuticos deveriam ser direcionados, como em qualquer outra infecção gonorréica, em direção à mudança de solo . Aplicações locais e administração geral completam isto. Para a produção de um edema artificial com subsequente escurecimento do epitélio, soluções ligeiramente irritantes, como a solução de 1% de proteína da prata forte são colocadas entre o cervix e a cavidade uterina. Introduzindo chumaços de algodão embebidos no fluido nos canais cervicais e uterinos é a melhor forma de se fazer isto. Antes desta aplicação, a mucosa é limpa pela introdução de solução saturada de 84
    • bicarbonato de sódio. Estes tratamentos são aplicados diariamente. Em se administrando estas aplicações intra uterinas, algumas precauções tem que ser tomadas. Os chumaços de algodão não devem ser volumosos a ponto de que seja necessário o forçamento para sua introdução e todas as manipulações tem que ser executadas com alguma habilidade. Em alguns momentos a inserção de um chumaço de algodão necessita de fixação da porção com um tentáculo fino. No entanto, este tentáculo não deve ser utilizado para demolição do cervix e útero. forçando para baixo estes órgãos levam ao esticamento das amarras uterinas e compressão dos linfáticos. A liberação pode levar a uma aspiração dos materiais infectados acumulados na mucosa e nas estruturas subalternas. As aplicações locais são seguidas bela inserção na vagina de um tampão, o qual pode ser embebido em uma solução consistente de partes iguais de glicerina e aderente sufaltado na manhã seguinte, o tampão é removido e uma ducha de limpeza com alguns fluidos indiferentes são utilizados. Então, o local de aplicação é renovado. Como procedimento geral, três métodos são disponíveis: os preparativos para as condições higiênicas melhores possíveis, o aquecimento dos órgãos pélvicos ,instrumental produzindo uma hiperemia ativa e a injeção de proteínas heterogêneas. Uma dieta suave com a exclusão de bebidas alcóolicas e supervisão severa nas funções do fígado são essenciais. O aquecimento dos órgãos pélvicos é melhor se feito por diatermia médica. O eletrodo inerte é colocado no abdomem e um eletrodo em forma de xícara é introduzido na vagina e localizado atrás da porção. A introdução de eletrodos no cérvix e útero sempre envolve o risco de complicações como a perimetrite e do salol. isto é também desnecessário, porque todo o calor almejado dos órgãos intra- pélvicos pode ser atingido pelo método acima descrito. A corrente é aumentada até que o paciente declare distinta sensação de calor. A percepção do calor pronunciado pede uma redução da corrente. A idéia de se matar os gonococos dentro dos tecidos pelo calor é baseada em premissas errôneas. A bexiga e o reto devem ser esvaziados antes dos tratamentos diatérmicos. Estes tratamentos, cada vez, deveriam ser estendidos por uma período maior que uma hora e deve ser precedido de aplicações locais. A injeçáo intra muscular de proteínas estranhas atuam como um estimulante aos poderes de defesa e absorção do sistema vásculo-reticular. De acordo com o grau de reação desejado, tanto as emulsões de leite e caseína, como obtidas no mercado, são utilizadas. Estas injeções podem ser repetidas após a reação local e geral terem sido dominadas. Para evidência da cura, amostras de vem ser coletadas imediatamente antes ou depois do período menstrual ou ainda, durante o tempo de reação seguido de injeção da proteína estrangeira. Se os testes de culturas são empregados, o material para inoculação deve ser tomado sob as mesmas condições. O tratamento da Gonorréia crônica pede incentivos sistemáticos e assíduos, e como uma regra, deve ser estendido por longos períodos. SUMÁRIO Jornal da Associação Médica americana Policlínico, Roma, Itália 1927 Tratamento de peritonite com prata coloidal Em 118 laparatomias para condições sépticas, solieri injetado de 5 a 30cc. de solução de prata coloidal ( como utilizada nas injeções intravenosas) na cavidade peritoneal. Quando utilizada como preventiva ( livre de pus na cavidade) a mortalidade foi de 4% entre 50 casos. Na peritonite purulenta difusa, a mortalidade foi de 20% TRATAMENTO DE RESFRIADO COM INFLAMAÇÃO DA MUCOSA NASAL Virginia Medical Monthly, Richmond Novembro de 1927 Para se tratar uma coriza, Edmond aplica uma solução de prata coloidal à membrana mucosa de ambas as fossas nasais. Em torno de 20 grãos ( 1.3 mg) de cristais coloidais de prata são adicionados à cerca de dois dracmas ( 7,5 cc.) de água e misturado com um aplicador de madeira até que uma cor marrom escura se desenvolva. Parece ser desnecessário a utilização de uma solução com um nível de porcentagem definido, mas ela deve ser preparada fresca. É de extrema importância cobrir a membrana mucosa toda, para que após isso um novo chumaço de algodão leve uma pequena quantidade de uma preparação líquida petrolada para dentro das narinas. O sabor cânfora-mentolado é sempre bem recebido pelo paciente e constitui de alguma forma uma terminação favorável de uma experiência de outra forma agradável. Este passo é útil, também, em açoitar qualquer excesso de prata coloidal que pode ser gota a gota colocada no nariz inclinado. TRATAMENTO DA INFLAMAÇÃO PÉLVICA Lucius E. Burch, M. D Jornal da Associação Mádica Americana Nashville, Tenessee EUA 85
    • 1928 Sintomas locais da Gonorréia são sempre brando nas mulheres, tão brandos que muitas vezes o paciente não se dá conta de sua condição. Quando a inflamação ataca os tubos, ela sabe que algo está errado e se apresenta para tratamento. Depois que sintomas agudos tomam são dominados, ela se considera bem e não presta mais atenção aos sintomas locais brandos da doença. Esta atitude de parte das pacientes é , sem dúvida, irresponsável para a vista que os tubos são removidos da paciente para que ela fique boa. Isto é verdade para alguma extensão, mas que preço a pagar para uma cura sintomática. Eu vi muitos desses pacientes retornarem anos depois da salpingo-ophorectemia e mesmo histerectomia e na examinação, descobri que a lesão cervical ainda é positiva. Os resultados finais da cirurgia tradicional nos tubos e ovários não tem sido brilhantes e muitos dos melhores homens foram forçados a abandoná-la para medidas mais radicais. A profissão teve recentemente desses casos sem dar muita atenção e começou a se dar conta de que o paciente com Gonorréia oferece um problema, a resposta a isso é mais difícil que a remoção da trompa de fallopio . Eu voltei minha atenção para as partes acessórias ( de um órgão) ao foco da infecção. Existem três localidades favoráveis na genitália das mulheres para o alojamento do gonococus. Duas dessas, glândulas Skene e Bartholin, são facilmente acessíveis e por esta razão estes dois pontos podem ser livrados dos invasores por tratamento direto próprio. O canal fechado do cervix fornece uma localidade ideal para o gonococus, onde eles permanecem indefinidamente, normalmente como uma infecção latente e afloram em atividade quando menos se espera. É a partir desta localidade que os invasores viajam através do útero nos tubos, produzindo ataques recorrentes da inflamação pélvica. Eu me impressionei muitas vezes no passado por maneiras quase milagrosas na qual a natureza deu conta da inflamação pélvica. Tive vários casos mostrando um abscesso grande, no qual eu operei subsequentemente para outras condições e descobri que os órgãos estavam praticamente normais. Pacientes para quem a cirurgia havia sido aconselhada e recusaram mais tarde através dos mesmos tubos que eu queria remover. Estas experiências me levaram a conclusão de que eu iria tentar um tratamento conservador, consistindo de aplicações cervicais locais, cauterizações radiais, duchas, diatermia e terapia de proteína. Eu estava dispostamente surpreso com meus resultados, mas ele foi trazido à minha atenção forçadamente para curar a Gonorréia cervical é uma tarefa longa, dura e extremamente tediosa. Isto é porque o ponto de infecção não é acessível ao tratamento e frequentemente não existem oportunidades suficientes para drenagem. De acordo, eu aconselhei uma operação simples, a qual tem sido utilizada em uma série de 50 casos. O objetivo do procedimento é mudar a fonte de infecção a partir do canal cervical para uma superfície aberta. Isto dá a drenagem livre e torna a aplicação de germicidas fácil. O cervix é pegado lateralmente com tentáculo ou garras e trazido o mais perto do interior possível. A vulva e a vagina são protegidas com uma gaze úmida. Corretamente colocada a espécula mantém a exposição. O cervix é então aberto anteriormente e posteriormente com o cautere atual. A incisão se estende a parte interna. Primariamente a hemorragia é insignificante. O germicida é então aplicado ao endocervix por meios de pacotes de gaze, que permanece por 24 horas. Seguindo a operação, o paciente recebe uma ducha de 20 minutos cada dia. O pacote anti-séptico é substituído dia sim dia não ou de três em três dias. Leite desnatado é injetado na região dos glúteos, 5cc. é a dose inicial e 7 cc. é dado no terceiro dia., 10cc. no décimo dia e 10 cc. a cada três dias a partir de então. A operação não tem sido utilizada o tempo suficiente para me habilitar de determinar seu efeito na gravidez. O cervix se recupera bem e deixa uma cicatriz linear nos lábios anteriores e posteriores. Dr. Ernest Goodpasture, Chefe do Departamento de Patologia do Hospital Vanderbit, declara assim como segue o cervix amputado no qual esta operação foi feita seis meses antes: Vulgarmente, a amostra consiste em utera cervix recentemente removida na operação. A superfície externa é suave e parece estar inteiramente coberta por uma membrana mucosa. Nenhum pus é observado. Vários bloqueios longitudinais foram cortados e reservados na solução de Zenker para estudo histológico. Sessões de parafina foram tingidas com hematoxilina e eosin e com a mancha de Giensa na tentativa de demonstrar o gonococos. Histologicamente, é encontrado no epitélio escamoso linhas externas assim como se estende sobre a superfície do canal cervical para aparentemente, em torno de uma metade de diâmetro longitudinal. A camada epitelial escamosa é consideravelmente mais grossa que o normal, especialmente ao ponto de origem das glândulas cervicais. Pequenas projeções papilares do epitélio escamoso parecem ser também mais grossa e mais vascular que o normal, como se suas camadas superficiais tivessem sido novamente formadas. A maioria do epitélio da metade próxima do canal é ausente, mesmo a partir da descamação ou a partir da remoção mecânica. Mas onde ele pode ser visto se consiste em única fina camada celular de epitélio cuibodal ou colunar baixo. Glândulas cervicais são abundantes. Estas distais são levemente dilatadas e seu lumen contém um pouco de muco que são suspensos poucos leucócitos polimorfonucleares. Existe uma pequena evidência de reação inflamatória. Por volta de algumas glândulas distais, existem pequenas acumulações de tecido conjuntivo do externo assim como existe alguma infiltração peri-vascular com linfócitos. A musculatura do cervix não apresenta nenhuma anormalidade evidente. Nas preparações tingidas pelo método de Giemsa, nenhum gonococos foi encontrado e apenas um pouco de polimorfonucleares na lúmina das glândulas cervicais indicam a possibilidade da existência de uma infecção. Cinco pacientes com disminorréia obstrutiva foram livrados dos sintomas que seguem a operação. O leite tem sido uma ajuda decisiva no tratamento; injeções foram dadas com apenas um abscesso. Houve um caso de tenosinovite gonorréica. Ela desapareceu rapidamente com a eliminação do foco de infecção. O mesmo resultado foi alcançado em três casos de reumatismo gonorréico. Em um caso de plebite dupla, mercúrio cromo- prata coloidal foi injetado por meio intravenoso. O resultado foi maravilhoso. A dor 86
    • e o inchamento foram rapidamente dominados e a mancha se tornou negativa e assim permaneceu. Tentei então mercúrio cromo em casos não complicados, mas nunca mais fui capaz de ver que ele ajudava na gonorréia. Os germicidas utilizados foram a prata coloidal, mercúrio cromo, proteína forte da prata, trinitofenol, tintura de iodo, cloreto de zinco e acriflavina. Eu não tracei nenhuma conclusão quanto a sua eficácia. Diatermia e fulguração não tem sido benéficas em um pequeno número de casos. Anestesia sacral foi utilizada muito satisfatoriamente em 20 casos. Quatro dos 50 pacientes deixaram o hospital sem o meu consentimento. Dois retornaram ao dispensário e receberam tratamento até curados. Os pacientes remanescentes cooperaram bem. Todos foram considerados curados. Todos foram acompanhados por dois meses e foram examinados antes e depois da Segunda menstruação. A operação mencionada possui as seguintes vantagens: é simples e fácil, ela cura a gonorréia e impede a liberação leucorreal, ela elimina o foco de infecção, ela previne a chance de reinfecção aos tubos e proporciona à natureza, auxiliada pela terapia da proteína , uma oportunidade de promover a absorção de produtos inflamatórios. Tratamento paliativo para esta condição não é nada de novo. Existem poucos advogados neste país e tem sido utilizados extensivamente na Alemanha. O fraco ligamento na cadeia no tratamento paliativo tem sido a não eliminação do foco de infecção. É de costume nos hospitais Americanos tratar todos os casos de modo paliativo antes que os sintomas agudos sejam dominados e então se opera. Nenhum tipo de atenção é dada ao foco de infecção, o resultado é que muitas mulheres jovens perdem seus ovários mas não a Gonorréia. Eu estou firmemente convencido que o tempo está próximo , quando os cirurgiões serão chamados para explicar em encontros de pessoal porque os órgãos reprodutivos destas mulheres infelizes foram removidos. A gonorréia é a mais vastamente distribuída de todas as doenças com exceção do sarampo e seu distribuidor principal são as mulheres. Eu fui suficientemente longe neste trabalho para saber que este simples procedimento seguido por um cuidadoso pós-tratamento irá eliminar os gonococos do canal cervical. Se todos os focos forem eliminados, muitos destes pacientes com inflamação pélvica irão se recuperar sem a necessidade da operação de mutilação. CARGEL NÃO ACEITÁVEL PARA O N.N.R. Conselho de Farmácia e Química Jornal da Associação Médica Americana 4 de Agosto de 1928 Cargel é o nome proprietário aplicado pela HD Mulford Company para uma emulsão de lanolina em solução aquosa de prata coloidal e caseína. De acordo com a informação fornecida pelo conselho, a mistura é preparada por caseína dissolvida em solução alcalina de sódio, potássio e hidróxidos de cálcio, incorporando uma quantidade de lanolina igual à caseína e então adicionado a solução de prata coloidal, em tal quantidade, que o produto final contém de 1 a 1.25% de prata metálica, equivalente a 5% de solução de prata coloidal. Na examinação do material submetido, o Conselho encontrou um número de objeções ao produto no campo de imprecisões da descrição e objeção mais tarde no campo da utilização de um nome não descritivo e enganoso. A preparação é uma mistura farmacêutica, que não apresenta nenhuma originalidade especial ou avanço, e a qual, contudo, não é intitulada a um nome cunhado sob as regulamentações que regem o Conselho no reconhecimento de nomes próprios para misturas. Ainda mais, o Conselho manteve o nome enganoso desde, de acordo com o manufatureiro, que ele tivesse a intenção de indicar que a substância é um gel , considerando de fato que ele é apenas uma emulsão cremosa. A firma foi informada que o produto seria aceito se as objeções fossem atendidas satisfatoriamente. Em resposta, a firma ofereceu fazer as mudanças necessárias para cumprir com todas as objeções do Conselho, exceto aquela que dizia respeito do uso de nome próprio e não informante do produto. O rótulo, no entanto, ainda contém reivindicações no que diz respeito à composição e qualidades tingidas que foram desaprovadas pelo Conselho. O Conselho foi então obrigado a declarar o cargel inaceitável para os Remédios novo e não oficiais porque o nome é enganoso e não é descrita a composição do produto para o qual é aplicada. INJEÇÕES DE VAS NAS INFECÇÕES DAS VESÍCULAS SEMINAIS Jornal de Urologia Jornal da Associação Médica Americana Baltimore, EUA Agosto de 1928 Baker afirma que a medicação de vesículas seminais pela injeção de vas é eficiente no afetamento da cura, em talvez, 40% dos casos de infecção genital crônica. Baker injeta de 10 a 20 cc. de solução fresca preparada de 5 a 10% de collargol. Um número igual de pacientes irão requerer massagem prostática, sons e irrigações por causa das condições alheias à visiculite seminal, enquanto em não poucos casos, a injeção não pode ser feita por causa da oclusão inflamatória da vasa. Entretanto, a injeção com sucesso das 87
    • vesículas, sem dúvida, diminui o curso do tratamento requerido para a cura. O procedimento deveria ser reservado para estes casos, que obstinadamente resistiram a vários meses bem conhecidos, métodos bem tentados de tratamento, mas o cirurgião deve ser muito otimista em assegurar ao paciente que a cura pode ser obtida pela injeção de vas somente. O perigo de esterilidade segue o procedimento por causa da oclusão traumática da vasa, podendo ser evidente se a medicação é injetada diretamente no lumen do vas ( picada de vas) ao invés de vas incisão preliminar.( vasotomia). TRATAMENTO DA CISTITE QUANDO A URINA É ALCALINA JORNAL DA ASSOCIAÇÃO MÉDICA AMERICANA Vol.:91,1928 Ao Editor: qual é o último tratamento de cistite com urina alcalina? Por favor dê em detalhes a solução e a quantidade de tempo que ela leva para neutralizar a urina alcalina. Por favor omita o nome. Resposta: Uma terapia racional de cistite depende da finalização de um diagnóstico completo. Ele tem que ser verificado se existe alguma obstrução do canal urinário, como uretra austera e aumento da próstata. Também tem que ser determinado se a região urinária está envolvida ou não. Pyoneprosis, por exemplo, não irá fornecer urina alcalina, mas também mantém uma cistite existente pela reinfecção permanente devido ao fluxo de urina contaminada na bexiga. Finalmente, a capacidade da bexiga, o grau de intolerância da reação sistêmica como significantes pelos desarranjos digestivos e de temperatura, tem que ser considerados. A examinação deve incluir os órgãos adjacentes da bexiga: vesículas seminais no homem, suplementos uterinos nas mulheres. Vesículas seminais inflamadas e dilatadas, paramétricas exudadas ou pyosalpix grudado na bexiga pode atuar como causas que contribuem para a sustentação da cistite. Um esforço decidido e sustentado deve ser feito para acidificar a urina. Isto pode ser alcançado pela administração inorgânica de pascidos como hipocloreto diluído ,ácido fosfórico ou ácido sódio fosfato ( sódio biofosfato U.S.P.). A administração coincidente de metenamina U.S.P. irá exercer uma influência anti-séptica branda. O tratamento local é regulado por regras gerais e pelo estudo cistoscópio. A bexiga deve ser limpa pela abundância com um fluído indiferente como solução de ácido bórico a 2% ou uma solução de mercúrio oxicianida a 1: 3.000. Muco viscoso bastante aderente às paredes da bexiga é melhor removido por irrigações com solução fisiológica de cloreto de sódio. A limpeza da bexiga nunca deve ser carregada à distinta distensão da bexiga, um órgão inflamado não reagindo bem sob o esticamento. O leve sentimento de desconforto chama para a interrupção da injeção, a qual no entanto, pode ser repetida até que o retorno do fluído apareça estar claro ou pelo menos livre para grandes flocos. Envolvimento difuso da mucosa chama para a deposição na bexiga de soluções de baixa porcentagem seguindo à limpeza. Envolvimento inflamatório do trigone responde melhor à instilação de soluções de concentração mais alta. Para isto, soluções com propósito de sais de prata parecem ser mais eficazes. Como as aplicações de série mais branda , soluções de nitrato de prata 1:3.000 ou soluções de proteína de prata forte ( tipo protargol ) 1:500 são utilizadas para instalações de concentração mais alta, proteína de prata forte de 0.25 a 1%. Após a bexiga ter sido limpo e esvaziada, de 30 a 60 cc. (1a2 onças) de solução selecionada, é depositada e deixada na bexiga. A concentração de aplicação tópica é aumentada com o progresso do tratamento. A produção de dor decidida pela instilação, indica uma concentração muito alta de solução aplicada. TRATAMENTO DE ARTRITE CRÔNICA COM PRATA COLOIDAL Klinische Wonchenscrift, berlin 23 de Setembro de 1928 Injeções intravenosas de collargol deram excelentes resultados em 15 casos de reumatismo articular severo, tratado por Loewenstein e Fee. Eles descobriram, contudo, que grandes doses ( perto do limite de tolerância) eram necessárias para dar estes resultados e dois casos de choque severo em pacientes, que nunca haviam sido tratados com proteínas de qualquer tipo antes, alertaram que o tratamento tem que ser levado com muito cuidado, nunca em prática laboratorial ou apenas em uma clínica. O principal fator nos 88
    • resultados terapêuticos não parecem ter sido influenciado pela febre, mas sim pela prata. Curvas de leucócitos ,durante o período de tratamento, foram dadas e discutidas. JORNAL DA ASSOSSIAÇÃO MÉDICA AMERICANA Vol.:91, 1928 Aplicação retal de prata coloidal em Doenças Sépticas- Em 13 casos de sepse estafilococos, Moos observou bons resultados a partir de 5% de solução de collargol dado em enemas, em quantidades de 25 a 100 cc. MEDICAÇÃO INTRA-ARTERIAL DE DIFUSÃO DE MUCO PROFUNDA DA MÃO Jornal da associação Médica Americana Policlínico, Roma, Itália 23 de Novembro de 1929 Um paciente do Dr. Bonoli, um operário de 17 anos, quatro dias antes da examinação, havia furado a palma de sua mão direita com a ponta de um arame. Seguidamente, a mão esteve gradualmente inchando e se tornando dolorosa. Em examinação, um nódulo linfático doloroso do tamanho de uma avelã foi notado. A temperatura era de 38.5 graus C.( 101.3 F); a mão inteira estava mais inchada e dolorida ao toque. A pele estava vermelha, tensa e brilhante. Não havia nenhum sinal de pus. Era a difusão profunda de muco no estado de infiltração. Duas horas depois, sob anestesia, sem a aplicação de um torniquete, Bonoli expôs a artéria braquial arterial no meio termo do braço e inserindo uma agulha bastante fina no lúmen da artéria. Ele injetou cerca de 7cc. de solução isotônica de preparação de prata coloidal quando o paciente mostrou sinais de choque devido à anestesia defectiva, ao que a agulha escorregou do lúmen arterial. O cirurgião perfurou a artéria novamente, mas um segundo choque causou a saída da agulha pela segunda vez. Não querendo traumatizar a artéria, mesmo desapontado pela pequena quantidade de prata injetada ( em tudo, um pouco mais que 8cc.), ele fechou a ferida deixando a mão sem nenhuma atadura. Quando ele viu o paciente no dia seguinte, ele mais tarde declarou que foi capaz de dormir pela primeira vez em várias noites. Ele não teve nenhuma dor na mão e a temperatura axilar era de 30 graus C. ( 100 F.). Durante as próximas 22 horas, ele não teve nenhum desconforto de nenhuma espécie. A inchação da mão retrocedeu marcadamente. A pele não estava mais tensa e brilhante, mas enrugada e seca. Não havia nenhuma vermelhidão, nenhum sentimento de calafrio e nenhum formigamento. A sensibilidade da pele era normal. Havia ainda um leve ferimento na mão sob pressão. No sétimo dia, as culturas foram removidas a partir da ferida perfeitamente asséptica e no 12° dia, o paciente foi liberado totalmente curado. Tratamento de Muco Profundo da Mão por Injeção intra-arterial de Prata Coloidal. Scollo descreveu o caso com resultado negativo. Ele acha que o método é de valor duvidável e que, se os bons resultados fossem seguros, eles eram possivelmente por causa da simpatectomia peri-arterial. NOVO MÉTODO DE ESTERILIZAÇÃO DE ÁGUA POTÁVEL Klinische Wochenschrift, Berlin, Alemanha Sumário Jornal da Associação Médica Americana 19 de Fevereiro de 1929 Degkwitz revisa experimentos, os quais levaram à descoberta de que substâncias que são consideradas insolúveis, são capazes de tornar a água, que vêm em contato, com sua oligodinâmica. Ele menciona tais metais como o cobre e prata, e suas dificuldades de sais solúveis. Foi provado que a água adquiriu este poder oligodinâmico pelo contato com tais substâncias que continham ação germicida na bactéria patogênica. Testes foram feitos com água na qual o bacilo do cólon, bacilo paratifóide e tifóide e streptococos, foram introduzidos. O agente oligodinâmico foi a prata. Foi observado que, se tal água fosse passada através de um filtro de areia de quartzo com um conteúdo de 10%(1) um grande número de germes foram mantidos no filtro: (2) estes bacilos foram mortos instantaneamente através do contato com a prata: (3) a água adquiriu um poder oligodinâmico, na qual não apenas destruiu os germes que não tinham sido retidos pelo filtro, mas também matou aqueles que foram colocados na água depois que ela tinha saído do filtro. O autor assegura que este método de esterilização da água potável é especialmente valioso para pequenos trabalhos de água em distritos de países onde a clorinatação não seja possível. SUMÁRIO DO TRATAMENTO DO DIA ATUAL DA GONORRÉIA NOS HOMENS 89
    • Howard S. Jeck, M.D. Jornal da Associação Médica Americana 1929 Se a medicina no geral é uma arte, para assim ser dita, então a medicina como aplicada ao tratamento da gonorréia em particular, é uma arte aumentada ou nono grau. Esta nota introdutória implica dificuldades com as quais alguém é atacado nas tentativas de descrever o tratamento de uma condição na qual o número de curas é um legião, mas o qual é dito recuperar por si mesmo se deixado sozinho. Existem quatro princípios pendentes que estão por baixo do tratamento de sucesso da gonorréia: (10 suavidade,(2) o evitamento de um tratamento,(3) o reconhecimento da gonorréia como uma doença auto-limitada,(4) paciência- ou eu deveria chamar paciência de virtude? Eu irei citar cinco casos hipotéticos, típicos de um grande grupo de pacientes com reclamações uretrais que consultaram o urologista. Casos Hipotéticos Deixe-nos supor que o primeiro paciente é um homem solteiro de 21 anos que veio para conselho e tratamento por causa de uma disfunção uretral e disúria. A história prévia é negativa para qualquer tipo de uretrite. Ele declara que tem este desempenho por quatro dias e que um amigo, vamos assim dizer, suspeitando que o problema fosse gonorréia, aconselhou-o de se injetar com o mesmo medicamento que le, o amigo, empregou no conselho de um médico quando em situação semelhante. Este conselho, o paciente o acolheu religiosamente, injetando o medicamento quatro vezes ao dia e segurando-o na uretra de 5 a 10 minutos em cada injeção. O paciente acha que seu desempenho aumentou e que considerando que no começo havia apenas uma leve queimação ou urinação, isto é agora severo. Desta forma, é necessário para ele, urinar toda hora pelo dia e duas ou três vezes durante a noite. Examinação física revela um desempenho purulento profuso doe uma coloração amarelo-esverdeada e a boca do meato inflamada. Após manchas formadas a partir do desempenho uretral, o paciente é instruído a colocar sua urina em dois vidros. O primeiro vidro contém uma urina turva, enquanto o segundo vidro é apenas nublado. Examinação microscópica das manchas, tingidas pelo método de Gram, revelam grandes grupos negativos intracelulares de diplococos gram-negativos. De acordo com a examinação retal digital, a glândula prostática parece ser normal. O diagnóstico é agora completo: aguda, de fato, uretrite gonorréica hiperaguda. Aqui, até onde diz respeito ao tratamento, não importa se é uma uretrite anterior, posterior ou ambas. O grau do condição aguda é superior. O tratamento para este paciente é como à seguir: localmente, nada foi empregado. Pela boca, o óleo de santal por hora honrado, 10 mínimos (0.6cc.) foram dados tanto três vezes por dia ou bicarbonato de sódio em quantidade suficiente para tornar a urina distintamente alcalina. Desde que certos pacientes possuem melhor progresso no óleo de santal e outros em bicarbonato de sódio, não deve haver nenhuma hesitação em mudar a medicação interna de uma droga para a outra. É meu plano experimentar o óleo de santal primeiro. A maioria dos pacientes suportam-no bem e aparentemente melhoram. No entanto, o paciente que está tomando óleo de santal deveria ser aconselhado a tomar os fluídos de forma exatamente contrária ao conselho normalmente dado. Isto é, ele deve tomar apenas tais fluídos que sua necessidade requer, para a limpeza da água derrotar muito o objeto para o qual o óleo é dado(nomeadamente, aquele de suavização da uretra inflamada) pela interpretação dela muito diluída. Por outro lado, o bicarbonato de sódio tem a vantagem de permitir que o paciente beba grande quantidade de água, que necessita de frequente fluxo da uretra em adição ao suprimento definitivamente do alcalino médio, que é inimigo do crescimento de gonococos. O paciente é então instruído à uma dieta e higiene como à seguir: Ele não deve desfrutar de nenhuma bebida alcoólica ou outras bebidas irritantes, as quais a ala do gengibre é o melhor exemplo. A proibição de chá e café por muitos médicos é uma tarefa árdua para a média de pacientes, o que é aparentemente injustificado. Ele deve fazer uma dieta a mais branda possível, evitando condimentos. A ingestão de carne de qualquer tipo, não é muito restrita, aparentemente ela não causa nenhum dano. Ele deve evitar todas as formas de excitamento sexual. Para alguns pacientes tem que ser explicado que este conselho não se aplica à coabitação sozinha, mas a qualquer estímulo sexual que possa causar a ereção. Ele não deve fazer exercícios desnecessários. Exceto para pacientes com a própria mente em paz, não é necessário que o médico o veja novamente por pelo menos três dias. Se o paciente é d tipo que se preocupa muito e sente que está sendo negligenciado, a não ser que ele tenha atenção médica diariamente, então ele deve receber atenção médica diária. Porém, tal uretrite aguda como descrita, raramente é dominada o suficientemente em menos de três dias para permitir que o ataque da gonorréia se torne mais vigoroso. É dito então para o paciente para não retornar em três dias, a não ser que algum sintoma ocorra neste tempo. Quando o paciente é visto na Segunda visita, vamos assumir que o progresso esperado tenha sido feito. Enquanto o desempenho se tornará profuso, continuará mostrando diplococos gram-negativos, mesmo enquanto o segundo vidro de urina é agora nublado como o primeiro. È gratificante notar as seguintes mudanças: o meato não está mais fazendo beicinho e livre da vermelhidão, a queimação durante a urina cessou e o aumento da frequência diminuiu otimamente. Em outras palavras, a condição hiperaguda foi dominada. Ele está pronto agora para o próximo passo do tratamento. Mas, é claro, o período de três dias alocado para esta melhora é arbitrário. Se ele não melhorou durante este intervalo, como a maioria deles não o fazem, o tratamento e conselho é dados na primeira visita são continuados. Ênfase é posta particularmente no conselho, o paciente e encorajado de Ter esperança de tempos 90
    • melhores e ele é mandado novamente para outro curto período de tratamento expectante. Neste primeiro ataque de gonorréia, ele vai ao médico convencido tanto de que ele será curado em duas semanas ou que ele nunca ficará curado. Se ele tomar um ponto de vista otimista, com convicção equivalente à que ele acredita que a chance para a terminação breve e feliz deste problema é diretamente proporcional à intensidade do tratamento, i.e, quanto mais a injeção for concentrada e mais frequente empregada, mais rápida será a cura. Se ele tomar o ponto de vista despontado, ele precisa ainda mais de conselho sábio. Portanto, eu acho de extremamente útil, de fato não uma necessidade, de empregar tempo suficiente na primeira visita daquela nova vítima de gonorréia para dar à ele um conselho que, resumido, brevemente contenha isto: Ele pode e será curado de sua gonorréia,, ele não deve esperar ser curado antes de seis semanas e mais provavelmente seis meses, se ele é solteiro e deseja se casar, ele pode fazê-lo sem medo de futuras consequências após pronunciada a cura e ele pode esperar por crianças saudáveis, a não ser que ele desenvolva epididimite bilateral. Finalmente, tão paradoxal que isto possa soar para ele, o tratamento local da gonorréia é obrigado apenas quando a gonorréia piora, e é tudo cessado quando há a regressão ou mesmo o não desenvolvimento em um período de tempo razoável. O paciente 1, tendo atingido o estágio quando o tratamento local pôde ser instituído, é agora tratado pela maneira descrita para o paciente 2. Este paciente é também um homem jovem com gonorréia aguda, mas ele já teve a doença antes. No entanto, tendo melhorado pela experiência de ataque prévio ou ataques, ele se apresenta ao médico no segundo dia de seu desempenho. De fato, ele teria se apresentado no primeiro dia que o desempenho foi notado, mas desde de então era bastante leve e não havia queimação quando urinava. Ele estava tendencioso a pensar um pouco nisto. Seus ataques prévios de gonorréia sempre causaram queimação na urinação desde o começo. O meato neste caso não estava inchado e não está totalmente vermelho. Uma mancha uretral mostra diplococos intracelulares gram-negativos. A primeira urina passada é nublada, o segundo vidro ela é clara. Este paciente se surpreendeu quando lhe foi falado que estava com gonorréia, cada sintoma era muito diferente de seu ataque prévio. Após convencê-lo de que era isto, alguém imediatamente começou a dar injeções uretrais. Eu prefiro a acriflavina em diluição de 1:5000. Cerca de 1.5 drachms desta solução é injetada gentilmente na uretra anterior com uma agulheta embotoada no bulbo da seringa uretral. A solução é retida por um minuto. È dado então ao paciente o mesmo conselho quanto à dieta e higiene que foi empregado no paciente 1, mas lhe é falado para retornar no dia seguinte. Novamente, as observações físicas são por voltas das mesmas que no dia anterior exceto que pode haver menos desempenho. De novo, um injeção posterior de acriflavina a 1:5000 é dada, a qual é expelida após o tempo Ter se acabado. À medida que não existe nenhum sinal de irritação uretral como a sisúria , meato fazendo beicinho ou ambos, as injeções diárias de acriflavina são continuadas de cinco a dez dias desde o início. Se tudo tiver corrido bem, é seguro neste momento permitir que o paciente perfome as injeções, com, obviamente, a necessidade de visitas diárias ao médico. Qual solução deve ser posta na mão do paciente para injeção? Acriflavina, a qual ele tem respondido tão bem? De nenhuma forma e existem duas razões para isto: primeiro, a acriflavina é subitamente irritante e deve ser utilizada apenas pelo médico; segundo, desde que se acredite que os gonococos desenvolvem uma tolerância à certas drogas utilizadas repetidamente, é aconselhável neste tempo empregar uma injeção diferente. Um dos sais orgânicos de prata é de minha preferência e por causa de a prata coloidal ser tão suja, eu normalmente prescrevo proteína forte da prata em solução de 0.25%. Mas, o paciente deve exibir o mínimo sinal de irritação, lhe é falado para omitir todas as injeções por um dia ou dois e então quando as injeções são resumidas, utilizar um solução de 10% de prata coloidal. Por um momento, a prata coloidal e a proteína da prata forte parecem ser igualmente efetivas na matança de gonococos. Eu acredito que a prata coloidal é a menos irritante das duas. Errando talvez no lado sob tratamento do que o tratamento acabado, é de costume meu aconselhar a utilização de tanto média como forte proteína da prata primeiramente apenas duas vezes ao dia, a solução a ser retida apenas três minutos, proveniente de não queimação. A solução é para ser expelida no momento que a queimação começa. No período de uma semana, durante a qual o paciente se trata dia sim dia não e vê o médico em dias alternados, o paciente 2 se dá conta da descoberta de que ele não possui mais desempenho uretral. Ambos os vidros de urina estão claros agora, o segundo tendo sempre permanecido desta forma desde o início da doença. Em outras palavras, parece que este homem pertence à um pequeno grupo felizardo de pacientes que são curados antes que a infecção invada a uretra posterior. Todo o tratamento é, no entanto, mantido por dois ou três dias. Assumindo que o desempenho não tenha retornado e que a urina está bem clara, uma sonda( número 20 na França) é passada na uretra, quase na base do músculo. O paciente retorna em dois dias e declara um ausência contínua do incômodo uretral. Uma mancha é feita a partir de um chumaço de algodão, que é gentilmente introduzido entre o meato. Ele mostra apenas alguns leucócitos espalhados e nenhum gonococo. Ambos os vidros de urina continuam claros, a não ser por uma ou duas pequenas manchas no primeiro vidro. Nesta visita, uma sonda francesa 24 é gentilmente passada até o músculo limite e o paciente é mandado para um outro período de dois dias. Sua próxima examinação, feita de maneira semelhante à precedente, é tão favorável quanto: apenas células espalhadas de pus e nenhum gonococos são observados na mancha uretral e ambos os vidros de urina estão claros. No mais, o paciente declara nenhum leve sinal de desempenho na interina. Ele acredita estar curado, realmente, seu otimismo parece justificado. Mas é necessário tomar cuidado por um período um pouco mais longo. Mesmo que não haja razões para suspeitar de envolvimento prostático neste paciente, a infecção ao que tudo aparenta, tendo sido confinada à uretra anterior, a próstata é contudo massageada e a secreção resultante examinada para pus e gonococos. Elas não são encontradas. Com instruções de retornar em caso de qualquer sintoma desfavorável surgir, o paciente é mandado para uma semana. Mas agora ele dá certas liberdades para a dieta e para a higiene, que foram, até agora, sendo negadas por ele. Ele permitido de esquecer muitos 91
    • exercícios e de tomar um drinque ou dois de uísque. No entanto, a proibição da atividade sexual não é ainda liberada. A semana do período de proibição passada sem nenhuma consequência doente, os testes finais são feitos. Isto significa a passagem de uma sonda ( não menos que a francesa 26) por todo o caminho da bexiga. Nos dois dias após, não importando se o desempenho é produzido ou não, manchas uretrais são feitas antes que o paciente deposite a primeira urina do dia. Para assegurar a obtenção de qualquer tipo de desempenho; o método do algodão é empregado. Se as manchas então obtidas são negativas para o pus e gonococos e a urina está clara, mesmo que ela ainda possa mostrar uma ou duas tiras, o paciente é pronunciado curado. Para o paciente 1, deve ser lembrado que ele possui ambas uretrite gonorréica anterior e posterior. Mas assumindo que ele suportou bem as injeções uretrais anteriores de acriflavina e alguns outros sais orgânicos de prata, nós ainda observamos que ambos os vidros de urina continuam permanecendo nublados, o primeiro vidro sendo talvez um pouco mais turvo que o segundo. Como a uretrite posterior aguda deve ser atacada? Wolburst, em seu artigo no tratamento da gonorréia, o qual ele leu apenas recentemente antes da seção genito-urinária da Academia Médica de Nova York, diz: a melhor maneira de tratar a uretrite aguda posterior gonorréica é deixá-la quieta. Este conselho soa exatamente como dito. Nenhuma tentativa direta é contudo, feita para alcançar a uretra posterior com injeções de qualquer tipo. O método de Janet de forças através e através da irrigação com permanganato de potássio não é empregado. O seguinte quadro é a seguir apresentado: Existe um pouco, senão nenhum, desempenho uretral, o primeiro vidro de urina contém retalhos e é nublado; o segundo vidro contém menos retalhos e é nublado. Pus é encontrado na mancha teuretral, mas a busca comum por gonococos falha ao revelá-los: não existe nenhum sintoma subjetivo. O próximo passo é a omissão de tratamento por parte do paciente. Suas visitas ao médico podem agora serem cortadas para duas por semana ou uma a cada cinco dias. A próstata, apalpada gentilmente, é encontrada estando de alguma forma aumentada e possui uma sensação confusa. A secreção expressa irá provavelmente mostrar, microscópicamente, pus variando de uma grande quantidade. Esta é a deixa para a massagem prostática, mas isto é feito normalmente a cada cinco dias não com a idéia de expressar a última célula de pus remanescente a cada massagem. Suavidade deve ser novamente empregada. Na massagem sozinha, a urina do paciente pode se tornar clara. Se ela não mostrar sinais de clareamento dentro de um tempo razoável, sondas serão ocasionalmente passadas, mas não mais frequente que uma vez por semana. Isto, no entanto, não significar arranhar a maior sonda no armamentário de alguém e fazendo beicinho por toda a uretra. Processos com sondas devem ser feitos como descrito no caso 2. A uretra é irrigada antes e depois da passagem da sonda com qualquer solução anti-séptica cabível, provenientemente fraca. Permanganato de potássio 1:5000, nitrato de prata 1:10.000 e acriflavina 1:5000 são as soluções de preferência. A irrigação é conduzida tanto por meio de pequenos bulbos de seringa ou como a seguir: Um pequeno catéter é suavemente passado na bexiga, que é esvaziada: cerca de 8 onças(236 cc.) de solução é injetada e a última metade de onça ou então, é passada através do catéter e é lentamente removida. Isto permite que parte da solução molhe toda a uretra. Após a sonda ser passada, o paciente expele a solução. Quando ambas as amostras de urina se tornaram clara e permaneceram desta forma por uma semana, quando o desempenho tanto cessou inteiramente ou é presente apenas na primeira gota da manhã, alguém está pronto para testar o paciente para ver se ele ainda está infeccioso. A não infecciosidade realmente constitui a cura, apesar das gotas matutinas, prostatite crônica e o gosto. Durante a passagem de sondas, as manchas uretrais foram examinadas de tempo em tempo e a ausência de gonococos é notada. Isto indica que estes novos focos na uretra foram abertos para começar uma reinfecção. De certa forma, enquanto notado o efeito da massagem no conteúdo do pus da próstata, falhou-se em encontrar gonococos nas manchas uretrais. Ela apenas permaneceu então ao tratamento descontinuado e levantou a proibição por cerca de uma semana, em tudo primeiramente interditado, exceto a coabitação. No retorno do paciente, a urina, a mancha uretral e a mancha prostática são novamente examinadas para gonococos. A urina ainda está clara, a mancha uretral pode mostar leucócito ocasional e a mancha prostática possuiu uma leve quantidade de pus. Porém, gonococos não são vistos em nenhuma parte. O sangue para um teste de fixação complementar é feito e mandado para o laboratório, o resultado retorna negativo ou 1+ e o paciente é dado alta como curado. Mas, o paciente questiona: doutor, e quanto à pequena quantidade de pus que você disse permanecer em minha próstata? Posso estar curado e ainda possuir a gota matinal? à primeira questão a resposta é: Volte novamente em três meses para fazermos a checagem da condição ; à Segunda questão: sim, esqueça isso. . O terceiro paciente possui uma história que se estendeu por um longo período de tempo, talvez uma ano ou mais, mas o sumário é breve: três ataques de gonorréia, o último tendo começado dois anos antes da visita. Ele acha que nunca foi curado. Não possui sintomas subjetivos, mas suas principais reclamações são uma gota ocasional pela manhã e uma urina que ele retrata como terrível. Se tornando desencorajado, ele não recebeu nenhum tipo de tratamento nos últimos seis meses. O resultado da examinação física é como a seguir: a mancha uretral mostra uma leve quantidade de pus e quase toda variedade de bactéria, exceto gonocococs. Ambos os vidros de urina estão levemente nublados e o primeiro vidro contém vários retalhos de todos os tamanhos. A próstata, por apalpação digital retal, é de alguma forma pantanosa. A mancha obtida após a massagem mostra uma pequena quantidade de pus. Deve se suspeitar da presença de uma de duas possibilidades: tanto de estrutura maior de cavidade larga ou inflamação crônica da uretra prostática com granulações. Para diagnosticar a primeira condição, uma sonda francesa 26 é passada. Uma sonda não irá fazer, como a resistência oferecida por uma sonda de extremidade maior não é suficiente para incapacitar alguém de detectar. Se a definição de espera é obtida, o paciente é tratado por dilatação ou, de fato, uma eretotomia seguida pela dilatação. Se a estreitura não existe ou se la foi diagnosticada e a sonda não ajuda no clareamento da urina, o paciente é examinada com um uretroscópio. Nove vezes de 10, granulações foram encontradas na uretra posterior inflamada. Aplicação tópica com pequenos chumaços de algodão de nitrato mercuroso é normalmente suficiente para medicar a situação, através de várias aplicações com intervalos de aproximadamente dez dias, poderão ser necessárias. Com a retirada do uretrosópio, glândulas infectadas e criptos 92
    • são buscados na uretra anterior. Tais lesões, se resistente à passagem de sondas, podem também, ocasionalmente responder à aplicação direta de mercúrio nitrato. Não é prático tratar infecções mais profundas das glândulas propriamente por meios de fulguração. O quarto paciente, um homem casado de meia idade, dá uma história similar àquela do caso 3. Este paciente gosta de chatear o médico com o recital detalhado de sua história, cobrindo pelo menos os últimos dois anos e coloca stress particular no número de médicos que ele já consultou e dos vários remédios que ele tentou para aliviar seu sofrimento, tudo para não se avaliar. Um ponto de sua história, no entanto, chama a atenção. Com menos medo, ele ainda tem gonorréia e tem então se abstido da coabitação com sua esposa e por mais de uma ano ele se sentiu culpado ocasionalmente mas um tanto irregular nas relações sexuais ilícitas. A examinação física é também similar ao caso 3. Ela difere, no entanto, que no primeiro vidro de urina contém apenas alguns retalhos , enquanto a próstata e vesículas são definitivamente aumentadas e possuem uma sensação pantanosa. A história deste paciente sozinha, sugere que ele não tem mais gonorréia. Não se esquecendo da mancha uretral , da urina e da secreção prostática são examinadas para gonococos. Estas amostras foram descobertas negativas, sondas foram passadas em uma tentativa de aumentar qualquer gonococo que possa estar presente e finalmente o sangue para o teste de fixação complementar para gonococos é feito. Neste tempo devido, é declarado negativo e a examinação é completa. Nada irá ajudar este paciente exceto o exercício de higiene sexual correta. Por estes hábitos sexuais regulares, combinado possivelmente com muito tratamento, ele não deu a chance da próstata e da vesícula melhorarem. Ele é contudo, aconselhado de diminuir suas relações sexuais normais com sua esposa com a segurança de que nenhum mal será feito a ela. È dito à ele então, com ênfase, para se manter longe dos médicos. O quinto paciente vem com um leve, mais ou menos aguado, desempenho uretral e slide de microscópio previamente tingido. Ele é um homem jovem cuja história passada é negativa para doença venérea e ele é contudo, muito perturbado sobre sua situação, porque ele tem gonorréia e traz isolado o slide para provar isto. Seu médico fez a mancha, mandou para o laboratório de farmácia e recebeu a declaração: amostra sugestiva de gonorréia . Sua última exposição sexual foi 12 dias antes do aparecimento do desempenho. Não existe nenhum sintoma urinário. Após Ter sido feita a mancha uretral, o paciente coloca a urina em dois vidros; ambos são grosseiramente claros e pálidos. Entre outras coisas, ele possui uma poliúria devido ao medo. O slide, que ele trouxe, é examinado e numerosas bactérias, as quais em primeiro plano parecem ser diplococos, são vistas. Algumas células de pus são presentes. Se um tinge a mancha por ele mesmo pelo método de Gram, o quadro que ele vê é o seguinte: algumas células de pus, e um perfeito bando de bactérias, algumas das quais, gram-negativas e também intracelulares, parecer ser diplococas mas elas não parecem certas. Elas são muito pequenas para a gonocococia ou elas são talvez bacilos? À qualquer taxa, tanto o slide de retrato não clínico é convincente no menor grau. O paciente é reassegurado por lhe dizer que as chances são ótimas contra ele Ter gonorréia. Ele é mantido sob observação sem medicação pelos próximos dois ou três dias e gonococos não sendo encontrados nas manchas repetidas; uma sonda é finalmente passada. Desta forma não produz nenhum gonococos e o diagnóstico é completo: nomeadamente, uretrite não gonorréica. É permitido ao paciente continuar sem tratamento por uma semana. Se o desempenho ainda persistir, muito do mesmo tratamento que foi descrito no caso 2 pode ser aplicado com resultados satisfatórios. Considerações Especiais Existem poucos pontos relativos à examinação do paciente com gonorréia, os quais eu acho valem a pena menção especial. Eles são: (a) A formação de mancha uretral, (b) Obtenção de secreção prostática para examinação, (c) Cultura de versos sonoros para propósitos de diagnósticos, (d) O complemento de gonococos no teste de fixação, (e) injeção versos irrigação e as soluções empregadas, (f) Massagem prostática, (g) Uso interno de metenamina, (h) meatotomia, (i) Circuncisão ou corte dorsal, (j) Vacinas. a.Manchas uretrais deveriam ser feitas por meio de pequenas aplicações de algodão, o qual é introduzido gentilmente apenas entre o meato. O esfregão feito de algodão esterilizado absorvente, aguenta uma mancha mais segura que o antigo modo de pressionar um slide de vidro contra o meato, o qual frequentemente resulta na obtenção de apenas poucas células epiteliais e esmegma. Finalmente, pelo esfregão, alguém é sempre capaz de obter alguma coisa da uretra para examinação, mesmo que possa não haver nenhum desempenho bruto da uretra. b.Secreção prostática não é infrequentemente difícil de se obter. Porém, se nenhum fluido prostático é visível no meato, após massagem, não é sábio esfregar a próstata imediatamente de novo, desta vez mais forte e por mais tempo na esperança de obter a gota cobiçada. Tal prática pode resultar no desencadeamento de prostatite aguda ou inflamação do epidídimo, ou ambas. Se nenhum fluido prostático é obtido no início, o paciente é instruído a beber um copo d água e então esvaziar depois disto o mais rápido possível. Apenas algumas gotas de urina serão suficientes. A mostra desta forma obtida é então examinada, ao invés da secreção prostática inalterada. c.Culturas para propósitos de diagnóstico são insatisfatórias por causa do tempo que demandam e a dificuldade de crescimento de gonococos em médios artificiais. Mas, é relativamente fácil criar gonococos na uretra humana. Se eles estão presentes mas silenciosos, a passagem de um som irá traze-los a atividade. Os gonococos serão então encontrados na mancha uretral dentro de 12 a 48 horas. d.Mais esperança deveriam ser colocadas no complemento gonococo no teste de fixação. Enquanto não tão esperançosa quanto a reação de Wassermann, é uma ajuda definitiva no diagnóstico. Dois pontos em particular relativos ao teste devem receber ênfase: (1) Ele não se tornará positivo até após a uretra posterior Ter sido infectada: (2) Ele algumas vezes permanece positivo pela variação 93
    • de comprimentos do tempo após todos os sinais clínicos da gonorréia terem desaparecido. Porém, sob tais circunstâncias, se o paciente está realmente curado, o teste feito em intervalos frequêntes se tornam cada vez menos positivos. Este rápido declínio na positividade indica a cura. e.No tratamento de gonorréia aguda, a tendência é em direção do empregamento de infeções ao invés de irrigações. O sistema Janet de irrigação forçada uma vez é um grande favor, especialmente entre especialistas continentais, está agora descontinuamente vindo da maioria dos urologistas deste país. A objeção para isto é que a uretra, através da distensão, está em perigo de trauma. Mais tarde, foi provado por Kohnstamm e Cave (citado por Wolbarst) que o fluido pode ser levado para as vesículas seminais por tal irrigação forçada. Não é inconcebível no entanto que estas bactérias possam ser carregadas para as vesículas seminais da mesma forma. Nos casos hipotéticos a acriflavina como uma injeção foi mencionada quase para exclusão de outros anti sépticos uretrais. Enquanto este é um favorito comigo, quando ele funciona bem, ainda emprego sais orgânicos de prata, principalmente prata coloidal (proteína forte da prata) e ocasionalmente eu procuro um paciente que não tolerará nada na uretra, exceto um outro remédio por hora honrado permanganato de potássio. A vantagem de utilizar a acriflavina está baseado no fato de que seu empregamento, uma vez por dia, na uretrite aguda é normalmente suficiente. No mais, quando ele é efetiva na checagem do desempenho, que parece fazer em mais da metade dos casos nos quais é empregado, e faz seu trabalho muito melhor, acredito eu, que qualquer outro anti séptico uretral. Por outro lado, quando ela irrita, a irritação é mais marcante que aquela causada por sais orgânicos da prata e a acriflavina deve ser descontinuada de uma só vez. Em minha experiência, quando um paciente foi bem nas injeções diárias de acriflavina por cinco dias ou uma semana, se injeções tardias são necessárias é um bom plano mudar para proteína de prata coloidal. Uma destas preparações então utilizada para maior parte do tratamento, enquanto a acriflavina é empregada ocasionalmente, uma vez em três ou quatro dias como um auxiliar. Este sistema parece possuir duas vantagens, como explicada sob o caso dois: ele reduz a chance para irritação de acriflavina e rende menos probabilidade da tendência que os gonococos se tornarão rápidos a qualquer anti-séptico dado. Quando a bexiga é cheia por meio de um catéter, com a idéia de irrigar a uretra profunda a medida que o paciente subsequentemente expele a solução a acriflavina é normalmente melhor para este propósito do que, tanto o permanganato de potássio ou o nitrato de prata, soluções fracas que são frequentemente empregadas. A acriflavina não é modificada pelo contato com a urina, considerando que ambos o permanganato e o nitrato de prata são mais retribuídos ou menos inertes. Eu não utilizo o mercúrio cromo uma injeção na uretrite aguda porque ele é muito irritante. Ele parece ser de um valor definido em um tipo muito crônico de uretrite posterior, para a qual eu emprego uma solução de 0,5 a 1% como uma instilação. f.Massagem prostática como feita pela maioria dos médicos é, eu sinto, de uma forma média muito violenta e muito frequentemente. Eu já vi mais de um paciente que se submeteu diariamente e evidentemente à massagem muito árdua pela parte de alguns médicos entusiastas. É de se imaginar que as tiras na urina e o desempenho uretral persistiram por meses? Eu já me referi ao perigo real que pode resultar da massagem prolongada e vigorosa. A mesma quantidade de dano pode ser obtida pela frequente repetição, mesmo que a próstata não seja esfregada com força. A melhor regra é pecar pelo lado seguro para massagear gentilmente por trinta ou quarenta segundos e não mais de uma vez em cinco dias. g.É surpreendente ao número de médicos que prescrevem metenamina, em qualquer tipo de infeção uretral. Eles parecem esquecer que alguma retenção de urina é necessária para que o formoldeídeo resultante possa terminar seu trabalho. No mais, para que o formoldeídeo possa ser liberado, a urina deve estar em reação ácida. Eu vi pacientes que estavam tomando metenamina e ao mesmo tempo bicarbonato de sódio suficiente para tornar a urina distintamente alcalina. h.Um meato anormalmente pequeno, não é infrequentemente a causa de uma uretrite prolongada, tanto gonorréica ou não gonorréica. Meatotomia deve ser utilizada assim que a anormalidade é descoberta, a qual muitos casos é infelizmente adiada até que chegue o tempo para a passagem de som ou outros instrumentos uretrais. Mas uma vez que o meato é suficientemente aumentado (uma sonda francesa, é o menor instrumento que deve ser admitido), a uretrite, quase sem exceção é limpa imediatamente. i.Um prepúcio alongado pode de certa forma interferir com a drenagem uretral própria que a uretrite é desnecessariamente prolongada. Isto é especialmente verdade se existe uma fimose associada. Circuncisão é uma das melhores maneiras de aliviar a situação ( mesmo em sua presença de uma gonorréia aguda), mais quando isto não parece ser prático, uma fenda dorsal será normalmente suficiente. j.O valor das vacinas na gonorréia é ainda questionado. Elas são empregadas com dois propósitos diferentes em vista: Tanto (1) para seu efeito específico ou (2) para produzir uma reação de proteína estrangeira. 1. Eu acredito que tive ocasionalmente visto bons resultados seguido do uso de vacina de gonococos no tipo muito crônico de gonorréia, na qual alguns gonococos são propensos a serem encontrados na mancha uretral. Todas as outras formas de tratamento foram suspensos durante a administração da vacina e por causa deste fato, alguma dúvida pode ser posta na potência da vacina como um fator no melhoramento do paciente. Vacinas são aparentemente úteis no tratamento de infecções gonorréicas metastáticas, nas quais o reumatismo gonorréico é o exemplo mais familiar. 2. Resultados relevantes podem ser com frequência obtidos em qualquer tipo de gonorréia quando a vacina é administrada para produzir uma reação de proteína estrangeira. Porém, este procedimento não está isento de perigo. Para obter bons resultados, estou para trazer cerca de muito ou menos reação severa pelo tamanho da dose e do método de administração ( intravenoso). Tal reação, não infrequentemente, assume proporções alarmantes. De fato, eu vi uma morte que resultou de injeção intravenosa de uma grande dose de vacina tifóidica. 94
    • Novos Métodos de Tratamento Com uma ou duas exceções, eu tive até aqui, apresentado um pouco ou nada que seja novo no tratamento da gonorréia. O título deste discurso pode parecer implicar muito do que é novo e de fato, nova medida do controle da gonorréia e sua complicações aparecem quase todos os dias. Mas quando testada, a grande maioria são encontrados querendo. A diatermia é um dos mais recentes tratamentos comparativos cerca dos quais se ouve falar. Seu status não está ainda definitivamente estabelecido. Isto é afirmado por alguns resultados brilhantes que foram alcançados pelo uso da diatermia no tratamento da uretrite aguda e crônica. Outros que tentaram isto não dividiram neste entusiasmo. Eu nunca empreguei a diatermia em tais casos mas tenho obtido resultados muito satisfatórios na prostatite aguda e uretrite posterior a aguda por meio de irrigações retais quentes. Depois de tudo, é o calor, de qualquer modo aplicado, que se torna o truque. No serviço urológico no hospital Bellevue nós empregamos muitas das novas preparações e tratamentos que receberam mais ou menos publicidade. No mais, nós as tentamos principalmente em paciente sofrendo de reumatismo de gonorréia e epididimite gonorréica aguda, casos que nós consideramos como não usuais apropriados para tais medidas. Em uma série de casos de reumatismo gonorréico, mercúrio cromo foi dado intravenosamente, em outra série, iodo sódico intravenosamente, em outra série metafena e ainda em outra o próprio sangue do paciente foi injetado intramuscularmente. Diatermia e preparação média proprietária foram de certa forma testadas em várias série de epidididmite aguda. O que vem disto tudo? Nenhum destes tratamentos produziram resultados suficentemente impressionantes para recomendar nossa adoção como uma medida rotineira. Mas eu acredito que não possa ser entendido como condenando totalmente o uso das medidas em questão, por outros observadores que tiveram sucesso aparentemente onde nós falhamos. Eu desejo meramente dar ênfase ao ponto de que alguém emprega Mercúrio Cromo, diatermia ou qualquer outro medicamento e métodos recentes, muito da forma pelas quais os resultados não devam ser esperados. Sumário 1.Métodos do tempo presente de tratar a gonorréia são ainda largamente métodos de décadas atrás. Comparativamente, algumas novas drogas e tratamentos foram adicionados ao equipamento terapêutico. Dos novos remédios empregados como injeções uretrais, a acriflavina é a mais proeminente. Mercúrio cromo é de grande valor na uretrite crônica posterior como uma instilação. As preparações mais antigas de prata orgânica, viz., prata e proteína forte da prata, não foi de nenhum modo suplantado. Permanganato de potássio ainda é amplamente utilizado e não há nenhuma indicação que será esquecido no futuro próximo. 2.Omitindo os melhores tratos de tratamentos locais. Uretrite gonorréica muito aguda. 3.Na média dos casos, sondas e teste de fixação complementar são o melhor critério de cura em uma cultura. 4.Tratamento da uretra inflamada por injeções é mais seguro que irrigações forçadas. 5.Massagem prostática deveria ser feita não tão vigorosamente nem com tanta frequencia. 6.O meatos pequeno e o prepúcio grande são fatores significantes em uma uretrite prolongada. 7.Metenamina em uretrite gonorréica descomplicada é pior que inútil. 8.O valor das vacinas é questionável. Dados por seus valores específicos, elas aparentemente exercem uma influência favorável em certos tipos de gonorréia crônica e infecções gonorréicas metastáticas. Seu empregamento para produzir uma reação protéica estrangeira não ocorre sem perigo. 9.O status da diatermia não foi ainda estabelecido. Alguns observadores declararam que tiveram brilhantes resultados com ela enquanto outros não parecem impressionados por sua virtude. 10.Os resultados do mercúrio cromo, metafena, iodo de sódio, diatermia, um estéril médio proprietário e a auto soroterapia como testados em complicações da gonorréia no Hospital Bellevue, foram desapontantes. ARGIROSE DA CONJUNTIVA M.B,Weymann, M.D. Los Angeles. E.U.A Jornal da Associação Médica Americana 2 de Novembro de 1929 Argirose da conjuntiva não é uma condição incomum e normalmente segue uma medicação local prolongada com nitrato de prata ou componentes de prata, principalmente prata. Até o presente momento, não houve nenhum método de remoção de colcur objectionable com sucesso, o qual é presente na argirose da conjuntiva. Na argirose conjuntiva, existe uma albumina de prata precipitada e óxido de prata no tecido conjuntivo. Puch mostra que o epitélio é inafetado mas que as fibras elásticas parecem conter grânulos interrompidos e existem alguns grânulos extra fibrilares. Ele declara que a prata está presente como um componente orgânico. Gettler, Rhoads e Weiss descrevem as partículas de prata na pele como sendo encontradas em fibras elásticas e fibras de colágeno, mas nenhuma é intracelular. Parece que à medida que a conjuntiva é exposta à luz, da mesma maneira como uma lâmina fotográfica, um pouco da prata pode existir como prata metálica. A presença no tecido desses grânulos de prata não causa uma reação e é detestável apenas por causa da cor marrom acinzentada da 95
    • conjuntiva, particularmente da conjuntiva bulbar. A maioria dos casos severos de argirose que vi, foram causados pela instilação prolongada de prata coloidal, provavelmente pelo fato de que este fluído pesado tende a permanecer na bolsa conjuntiva por um longo período de tempo e é lentamente absorvido. Recentemente, Stillians e Lawless tentaram remover a pigmentação na argirose da pele com algum sucesso. Eles tentaram uma solução redutora utilizada na fotografia para reduzir a superexposição e super desenvolvimento das lâminas e filmes. A solução redutora normal da fotografia, consistindo de tiosulfato de sódio e potássio férricocianida , contém cerca de uma parte do último para 36 partes do anterior. Porém, no caso deles, eles queriam uma redução a mais rápida possível, então eles utilizaram finalmente uma solução consistindo de partes iguais de 12% de solução de tiosulfato de sódio e 2% de solução de potássio férricocianida. Eles testaram a toxidade de férricocianida em coelhos e descobriram que 1.025 % do peso corporal dado por meio intravenoso não causou nenhum sintoma. Então se uma pessoa pesa em média 160 libras ( 73 Kg), poderia ficar em , no mínimo, 2 mg. Por meio intravenoso sem qualquer perigo. À medida que a droga é rapidamente absorvida nos pulmões, o perigo é diminuído quando a absorção é lenta como na injeção intradérmica ou subconjuntiva. Stillians e Lawless descobriram que eles eram capazes de remover o pigmento da argirose na pele por injeção intradérmica da solução mencionada, mas que o tingimento ocorria diretamente apenas na área na qual a solução havia sido injetada. Isto tornou o tratamento de grandes áreas muito difícil, mas possível. Para testar o poder redutor de sua solução, apliquei-a à exposição de uma lâmina fotográfica desenvolvida. A solução de tiosulfato 12% sozinha , teve uma leve redução do efeito em dois minutos, a férricocianida a 2% atuou mais no efeito, mas a combinação de paters iguais das duas possui uma ação marcante na dissolução do filme de prata na lâmina. Na lâmina, uma solução de duas partes de férricocianida para uma de tiosulfato, teve cerca do mesmo efeito que a solução contendo partes iguais , mesmo que clinicamente eu obtive um efeito mais marcante com a última solução. Instalações de tiosulfato de sódio no tratamento da argirose, foram sugeridos por Zur Nedden, mas em dois casos relatados por Terlinck, nos quais o método foi utilizado, muita pouca remoção dos pigmentos foi encontrada. Stillians e Lawless tentaram tiosulfato de sódio e metenamina intravenosa em seu caso de argirose sem resultado. Eles mostraram que a mistura de tiosulfato-férricocianida causou um pouco de irritação quando injetada na pele. Eu determinei tentar isso em um paciente com argirose conjuntiva. Relato de um caso Um homem, com 41 anos, tem instilado prata coloidal em ambos os olhos diariamente por três anos. Ela foi prescrita primeiramente para conjuntivite, mas ele descobriu que ela passava pelo duto de lágrima em seu nariz e achou que isto tornava seus ataques de coriza menos frequentes, então continuou utilizando-a mesmo após a conjuntivite ter sido dominada. Eu o vi pela primeira vez em 20 de dezembro de 1928 e neste tempo tanto a irritação quanto os sintomas devido a argirose foram notados, mas a cor da conjuntiva bulbar proporcionou uma aparência nada agradável a seus olhos. A examinação mostrou uma pigmentação cinza amarronzada da dobra da conjuntiva bulbar e palpebral de ambos os olhos. A coloração era mais intensa na porção mais baixa, como é comum. Os dois olhos estavam quase que igualmente afetados. Foi decidido tentar a solução em apenas um olho e comparar com o outro olho para resultados. A instilação da mistura não causou nenhuma irritação ou perda da pigmentação,, no entanto, como uma série, em 17 de janeiro de 1929, 4 mínimos(0.24 cc.) da mistura de partes iguais de 12% de tiosulfato de sódio e solução de 2% de potássio férricocianida foi injetada abaixo do fórnix da conjuntiva, para a qual faria pouco mal. Um clareamento imediato do pigmento em volta da ponta da agulha foi notado. No momento da injeção houve uma dor considerável da picada que durou de meia à uma hora.No outro dia havia ainda pouca reação e após três ou quatro dias pode ser notado marcadamente a diminuição do pigmento na área injetada. Uma agulha de aço inox foi utilizada mas a solução a corroeu, então deixando uma marca como a agulha faria. Uma agulha de platina, como aconselhado por Stillians e Lawless foi utilizada para as outras injeções. Anestesia de cocaína de 5% foi utilizada e quando a dobra foi infltrada, pó de cocaína foi pulverizado sobre o ponto de injeção. Epinefrina foi instilada antes da injeção para retardar a absorção. 18 de Janeiro, várias injeções de duas a três mínimas (0,12 a 0,18 cc.) cada foram feitas nas mais baixas regiões do fornix e dobras, a mesma solução sendo utilizada. Houve uma limpeza marcante nos pontos injetados e muito pouca reação. À medida que a solução parecia irritar tão pouco, eu experimentei um injeção sobconjuntiva de 10 mínimos (0,6cc.) de uma solução de duas partes de 2% de potássio ferrico cianida e uma parte de 12% de tiosulfato de sódio na conjuntiva bulbar mais baixa. 24 de Janeiro, a solução foi injetada logo abaixo da conjuntiva e o ponto da agulha foi movido em volta para que a solução fresca da seringa pudesse entrar em contato com toda a área. Isto foi descoberto ser um tanto importante, já que a solução possui pouco efeito nos grânulos se ela for difusa através de muito t6ecido para alcançá-los. A solução também tem que ser utilizada no instante que as duas são misturadas, para que a mistura seja instável. A dor no momento desta injeção foi um tanto quanto severa, mas a utilização de anestesia infiltrada foi descoberta por Stillians e Lawless para diminuir o efeito das injeções. Houve menos reação do que alguém teria a partir de uma injeção subconjuntiva da mesma quantidade de solução salina à 5%. No outro dia o olho se tornou quase calmo e não houve nenhuma dor uma hora após a injeção. 6 de Fevereiro, foi injetada na dobra uma mistura ou 10 mínimos de uma das duas. A reação foi novamente muito leve. Esta injeção limpou a parte visível da conjuntiva que foi considerada invisível, por causa da dor, para tentar limpar a pálpebra conjuntiva. O efeito cosmético obtido foi suficiente. Eu não tenho certeza se a conjuntiva tarsal poderia ser injetada por causa da sua aderência próxima ao tarso. 11 de Fevereiro, cinco dias depois da última injeção, fotografias reproduzidas nas ilustrações acompanhantes foram feitas. 96
    • Qualquer um pode ver que a reação desapareceu completamente da aplicação na dobra, já que não há nenhuma hiperemia. Existe ainda alguns traços de pigmentos na dobra, mas não suficiente para ser notado. O segundo olho está agora sendo tratado e eu estou apresentando este único caso porque ele prova sem dúvida que este método, enquanto não há resultados perfeitos dele, oferece a primeira oportunidade de remover os depósitos de prata da conjuntiva bulbar suficientemente suave para proporcionar um bom resultado cosmético. A suavidade da remoção depende da vontade do paciente de suportar a dor e o desconforto de repetidas injeções. Tem sido sugerido que a morfina ou a morfina e a escopolamina, possam ser utilizadas em pacientes sensíveis antes das injeções. A ação química destas soluções não é clara, mas M.E.H. Volwiler declarou que era capaz que a prata fosse convertida primeiro em preta ferro cianida e então em sulfídeo pelo tiosulfato. A excreção é então levada até que o tiosulfato remova o mercúrio do sistema. A ação exata não é clara, mas os resultados clínicos são bons. A técnica mais satisfatória pode ser dada claramente em resumo. Utilizando água e garrafas esterilizadas, alguém deve fazer primeiro uma solução de 12% de tiosulfato de sódio e uma solução de 2% de potássio ferrico cianida, não ferro cianida. As soluções não são esterilizadas mais tarde. A conjuntiva é cocainizada com uma solução de 5% e a epinefrina é instilada. Duas partes de solução ferrico cianida são misturadas em uma parte de solução de tiosulfato e de 10 a 15 mínimos (0,6 a 0,9 cc.) é colocada em uma seringa de 2 cc. com uma agulha de platina número 26. A solução é injetada o mais superficial possível sob a conjuntiva pigmentada, sendo que a ponta da agulha estava sendo movida para as mais diferentes áreas possíveis enquanto o fluido estava sendo injetada. Depois da retirada da agulha, a bleb deve ser massageada suavemente através das pálpebras fechadas. As injeções são repetidas quando o pigmento está quase denso. Nas áreas nas quais duas injeções foram sobrepostas, houve um clareamento mais tarde na segunda injeção. Eu desejo novamente enfatizar o perigo da argirose a partir da utilização prolongada de prata coloidal e de soluções da prata coloidal. Resumo da discussão Para retardar e para uma extensão menor, o farmacêutico da esquina possui três remédios exterlinos para o tratamento de qualque doença no olho nomeadamente ácido bórico, proteína de prata e unguento de óxido mercúrico amarelo. Ácido bórico e oxido mercúrico amarelo não são prejudiciais ao olho a salvo que sua utilização prenuncie um diagnóstico próprio da doença, no mais, desperdiçando o tempo valioso e arriscando o olho. Toda a série de preparações de proteína da prata tem, no entanto, que ser utilizada com algum cuidado. Dois casos de argirose generalizada devido ao uso prolongado de proteína da prata por gotas foram recentemente relatados. As gotas foram prescritas pelo pediatra para coriza, mas a mãe continuou a utilizá-las muito depois da condição aguda ter sido curada, na esperança de prevenir futuros resfriados. Argirose generalizada foi o resultado. Um de meus colegas em São Francisco, me contou recentemente de um caso de tingimento permanente da córnea que resultou de aplicação prolongada de proteína da prata à uma extensa abrasão da córnea. Argirose da conjuntiva é normalmente contornável. Em nossa experiência, a maioria desses casos ocorreram nas infecções crônicas da bolsa de lágrimas na qual o paciente esforçou-se para limpar a disfunção purulenta e o acompanhamento da conjuntivite pela longa e contínua aplicação da proteína de prata. Eu acho que os praticantes e pediatras gerais são muito cuidadosos na freqüência com a qual eles prescrevem componentes da prata. Conhecidos por retardarem as preparações perfeitamente inofensivas, experiências mostraram que eles não inofensivos.Existem poucas prateleiras de medicamentos neste país que não contenham uma garrafa de prata coliodal, mais ou menos antiga, da qual aplicações contínuas e sem cuidado foram feitas aos olhos, nariz e garganta quando a ocasião aflorou. EXPERIÊNCIA COM PRATA COLOIDAL TRATAMENTO DO CÂNCER I.A Stone, M.D., Los Angeles. EUA Jornal da Associação Médica Americana 30 de Novembro de 1929 Cinco casos de câncer inoperáveis foram selecionados por Stone para o tratamento por prata coloidal. Deles, três eram de carcinomas mamários, um era de carcinoma gástrico e o outro era de carcinoma do cérvix uterino. A injeção intravenosa de solução de prata coloidal provocou uma reação sistemática imediata, porém temporária, composta de calafrios, febre, náusea e vômito. Esta reação constitucional limitou a quantidade de colóide metálico injetado em uma dose única de 30 mg. A introdução de prata coloidal induziu a nenhuma mudança discernida na composição do sangue e da urina. Estas observações contradizem os relatos de outros investigadores de que a prata coloidal induziu a hipoglicemia quando administrada por meio intravenoso. Estudo microscópio de um desses carcinomas, removidos na necropsia,não mostra nenhuma evidência histológica de qualquer influência da prata coloidal nas células do carcinoma ou no estroma do tumor. Existiram dois exemplos de melhora temporária subjetiva, os quais foram, provavelmente, devido à influência física da medicação intravenosa. Um paciente ganhou peso. Nunca houve nenhuma diminuição verdadeira no tamanho das massas de qualquer tumor. O progresso da doença parecia inalterado. Isto é notado ao mais provável resultado benéfico ocasional, obtido na terapia do câncer pelo uso de colóides de metais pesados, notavelmente o chumbo , mas não devido a sua ação biológica com colóides estrangeiros per se , por causa de colóide similar, nomeadamente prata, não produz nenhum efeito demonstrável no câncer. CÁLCIO LÁCTEO NA NEFRITE 97
    • TRATAMENTO ÁCIDO NA FEBRE DO FENO Jornal da associação Médica Americana 1930 Ao Editor: Por favor, me dê a seguinte informação: 1. Discuta o uso de prata coloidal, tal como choeval, dada por meio intravenoso em casos de inflamação ou pedra na bexiga. 2. Discuta a eficácia de grandes doses de cálcio lácteo na nefrite e edema. 3. Discuta o valor do ácido nitro-hidroclórico no tratamento da febre do feno. F.R. Perfect, M.D., Lykens. Pa. Resposta: 1. choeval é designado como sendo uma preparação de prata coloidal com sal de ácido da bile como colóide protetor. È um pó preto amarronzado solúvel em água, com uso intravenoso de doses de 10cc. de solução de 1% quer mal administrou os processos inflamatórios das passagens biliares. Seu valor nesta condição não foi estabelecido e não foi admitido nos Remédios Novos e Não Oficiais. 2., Cálcio lácteo, mesmo em grandes doses, não é um remédio importante no edema. Cloreto de cálcio em doses mais altas é , sem dúvida, mais eficiente, mas também mais desagradável. 3. Ácido nitrohidroclórico parece ser útil em alguns casos de febre do feno e falhou completamente em outras. Quanto ao efeito favorável, quando tal foi observado, foi devido à associação acidental, para sugestão ou à mobilização do cálcio como parte do efeito da tendência à acidificação do sistema, quando ainda não decidido. PROFILAXIA DA OFTALMIA NEONATÓRIO AW. Warnock,M.D., San Pedro, Califórnia Jornal da Associação Médica Americana 1930 Ao Editor: Nós tivemos um problema considerável no Hospital Geral de San Pedro na forma de irritação nos olhos de crianças recém nascidas a partir do nitrato de prata utilizado como germicida contra a oftalmia neonatório. Para eliminar esta dificuldade, que é principalmente objecionada por causa destes efeitos desconcertantes nos pais, nós estamos cogitando a utilização de outro anti-séptico igualmente eficiente. Por esta razão nós apreciaríamos sua opinião nos seguintes assuntos: 1-A prata coloidal (argirol) é tão efetiva como o nitrato de prata? 2-Se sim, qual a porcentagem você sugeriria para a concentração da solução? Por quanto tempo tal solução pode ser guardada sem perder suas qualidades anti-sépticas ou se tornar irritante?Você sugeriria alguma outra coisa? Resposta:1.Nenhuma prata coloidal ou proteína da prata é tão eficiente como o nitrato de prata na prevenção da oftalmia gonorréica. 2.Mercúrio cromo a 1% -220 solúvel foi utilizado com sucesso como prevenção, mas nenhuma estatística foi compilada nisto ou este ponto de vista foi dividido por todos oftalmologistas. 3. Melhor continuar a utilizar uma solução de 1% de nitrato de prata e estar seguro. RETENÇÃO DA FUNÇÃO DO FÍGADO Traduzido dos Jornais Médicos Russos Arkhiv Viologicheskikh Jornal da Associação Médica Americana Nauk, Leningrado 25 de Abril de 1931 Para determinar a distribuição no organismo de tinturas coloidais introduzidas no portal da veia, Konstantinov injetou soluções de azul, carmina de lítio e prata coloidal e suspensão de tinta da Índia e de estafilococo nas veias auricular e mesentérica dos coelhos. Uma única injeção ou várias injeções foram dadas dentro de poucos dias, então os animais foram mortos e seus órgãos examinados sob microscópio ou pelométodo colormétrico. A absorção pelo fígado de colóides possuindo alto grau de dispersão, como as tintas, não foi diminuido, no mais, sua distribuição no organismo provou ser a mesma que quando injetadas nas veias de grande circulação. Por outro lado, uma grande quantidade de substâncias contendo um baixo grau de dispersão, como a tinta da Índia e estafilococo foram retidos no fígado, nomeadamente, nas células do Kupffer, no entanto uma pequena quantidade dessas substâncias penetraram nos órgãos ou não penetraram de forma alguma. A absorção de prata coloidal foi menos pronunciada que aquelas das tintas. O aumento da retenção da função do fígado foi mais marcante quando doses pequenas foram injetadas repetidamente. O autor indica que uma analogia pode existir entre o comportamento do fígado para as tintas e suspensões introduzidas para o portal do sangue em condição normal e que em direção de substâncias coloidais, como microorganismos e toxinas, entrando o portal de sangue em condições patológicas. EFEITOS DA PRATA COLOIDAL NO SISTEMA HEMATOPOÉTICO Shouse e Whimple 98
    • Jornal da Associação Médica Americana 1930 É notado que a prata coloidal não possui nenhuma ação específica no tutano do osso do cachorro mas é uma poção sistemática, a qual pode causar anorexia, fraqueza e perda de peso, anemia e morte. Hemólise pode ser demonstrada após grandes doses de prata coloidal e a anemia é presumidamente devida em parte, pelo menos pela destruição de eritrócitos nas circulações perineais. A prata coloidal, injetada intravenosamente, é depositada em forma de grânulos ,quase exclusivamente, nas células do sistema após da maneira de substâncias particulares. Injeções repedidas de quantidades não letais dessa substância são invariavelmente seguidos pela hiperplexia do tutano do osso. Grandes doses desse material causa morte rápida em 12 horas ou menos, caracterizada por congestão preliminar. Um aumento inicial do número pode ocorrer seguidamente de pequenas quantidades de prata, mas injeções repetidas causam uma anemia considerável, sem aumento definido na contagem de morte. EFEITOS DA PRATA COLOIDAL E RADIAÇÃO ROENTGEN De acordo com Shouse e Warren, os efeitos destrutivos individuais da prata coloidal e radiação filtrada pesadamente são ainda evidentes quando os dois são utilizados juntamente. Os efeitos combinados são correlativos em pequenas doses são mais destrutivas quando alguma delas é utilizada sozinha. Os efeitos resultantes da injeção de prata coloidal não suporta a proteção contra a leucemia terminal seguida da radiação. JORNAL DE CIRURGIA MÉDICA E CIRURGIA Paris, França Maio de 1931 Tratamento da Gonorréia Janet dá indicações principais para a utilização de vários substitutos de permanganato de potássio no tratamento da gonorréia. Para tratamento abortivo, ele recomenda uma solução de 20% de prata coloidal. Se no curso deste tratamento o gonococo reapareça, isto indica que o tratamento abortivo falhou. Se os gonococos são numerosos e a secreção purulenta é profusa, a pessoa deve empregar lavagens de solução de permanganato de potássio seguido pela injeção de prata coloidal. Se os gonococos não são numerosos e a quantidade de secreção é extremamente pequena. É bom para aumentar o tratamento pela introdução na uretra de um lápis medicado contendo 1% de prata coloidal. Se o tratamento abortivo falha durante o período de observação e se o gonococo começa a reaparecer, existe uma escolha entre dois métodos: Um pode ser o tratamento abortivo suplementado ou não pela introdução de um lápis medicado contendo 1% de prata coloidal ou alguém pode fazer uma série de lavagens com solução de permanganato de potássio. O autor acredita que o primeiro método oferece resultados mais rápido. Na gonorréia típica além do período abortivo, a lavagem com permanganato de potássio constitui o tratamento de escolha, no entanto, a adição de oxicianida mercúrico para a solução de permanganato de potássio rapidamente clareia a urina que esteve nublada por um longo tempo. Na gonorréia que já foi tratada irregularmente por um longo tempo com doses variadas de solução de permanganato de potássio, a pessoa deve abandonar o permanganato de potássio e substituí-lo por oxicianida mercúrico sozinho, produzindo o último não aumenta a supuração. No caso desta substituição não trazer resultados, nós devíamos terminar cada lavagem pela introdução de lápis medicado contendo prata coloidal de 1 a 5%, produzindo isto não irrita a uretra. Finalmente, alguém deve procurar por um foco de infecção que é normalmente localizada no diverticulam formado na dobra de Guerin, em todos os casos nos quais a descarga reaparece após o tratamento ser descontinuado por causa da cura aparente. A injeção de solução de prata coloidal nesta válvula rapidamente a desinfeta. MODIFICAÇÃO DA FLORA MICRÓBICA NO TRATAMENTO DA CISTITE HEMORRÁGICA Como baseado em suas observações no bacilo coli e inflamação estreptocócia da bexiga em consideração a semiologia, quadro cistoscópico, caráter de infecções em desenvolvimento e finalmente a resposta ao tratamento. Ele descobriu que a cistite colibacilar é uma infecção secundária, a fonte primária sendo o trato urinário mais alto e cistite colibacilar responde ao tratamento. Por outro lado, cistite estreptocóci e microcócia é uma infecção primária e muito mais difícil de erradicar. Quando tratamento geral e local dos cocos da cistite não estava disponível, o autor decidiu substituir pela flora de estreptococos e micrococos e flora de bacilo coli. Isto tornou o tratamento subseqüente muito mais eficaz. A reação da urina foi de grande importância no processo de transição. Os seguintes procedimentos foram incorporados: Acidificação da urina foi atingida por dieta e pela administração, três ou quatro vezes por dia, de 15 a 20 gotas de ácido 99
    • hipoclorídrico diluído e 0.5 Gm. De metenamina. Terapia local consistida na lavagem da bexiga com solução de 3% de dióxido de hidrogênio seguido pela instilação de solução a 0.5% de nitrato de prata ou solução de 2% de proteína concentrada de prata.Isto foi continuado até que a pseudomembrana que cobria a mucosa desaparecesse (controlado por cistoscópio). A remoção da pseudomembrana removeu as coleções de bactéria e urina que protegiam o ajustamento da reação e a ação de agentes terapêuticos. Então, seguido de injeção na bexiga de 10cc. de uma suspensão de 24 a 48 horas de cultura de agar de bacilo coli( 1 bilhão de organismos). O processo de acidificação da urina foi continuado, mas a metenamina foi inteiramente descontinuada e a terapia local foi descontinuada por dois ou três dias. Controle bacteriológico da flora não requeria nenhuma repetição da injeção da suspensão bacterial. Quando a flora foi mudada para uma injeção monobactericida, o processo de acidificação é descontinuado e o tratamento usual para cistite colibacilar é instituído.Lavagem da bexiga pode preceder ou não o tratamento. O tratamento consiste de lavagem preliminar da bexiga com solução de permanganato de potássio a 0.05%; instilações com solução de nitrato de prata a 0.5% ou solução de prata coloidal de uma proteína de prata concentrada a 2%. Uma vez que a infecção tenha mudado para cistite colibacilar, tratamento alcalino supera a acidificação. È importante saber que a acidez da urina favorece o desenvolvimento do B. coli e a alcalinidade , o desenvolvimento dos estreptococos. No entanto, o autor lembra que o bacilo proteus pode desenvolver-se igualmente bem em ácido alcalino concentrado ou ácido marcantemente médio. Quatro casos de histórias( três de cistite crônica e um de cistite hemorrágica aguda) são revistos. PRATA CATADIN Jornal Médico Britânico 2 de Abril de 1932 É sabido que certos sais metálicos possuem propriedades antibactericidas, um exemplo notável sendo cloreto mercúrico como empregado na cirurgia. Alguns elementos metálicos, também, quando imersos em água, podem reagir com eles de tal maneira para inibir ou matar qualquer bactéria presente. A prata é reputada por ser um dos metais mais potentes doadores e um esforço para levar suas energias em conta, foi feito por Dr. Krause no seu método catadin de purificação de água. A maneira precisa de preparação do agente efetivo não foi revelada por seu inventor, mas é entendido que a prata é borifada sobre a areia. Então a areia se torna coberta com metal e esta prata coberta de areia, com a terminologia de areia de catadin quando empregada como uma filtração média, ativa a passagem de água através de seus interstícios pela comunicação para ele em uma qualidade germicida que pode durar por um número de meses. A ação bactericida é dita ser devido às cargas elétricas de íons da prata na água. Em sua análise bacteriológica da eficiência de seu método, o inventor utilizou cultura média sólida apenas, blindando a 1cc. de água para ser testada. Suckling, que estava rendendo um serviço útil de testar o método com média líquida, descobriu quando águas destiladas contendo 2. 000 e 10.000 B.coli por cc. foram rapidamente filtradas através da areia de catadin e inoculdas no líquido médio de MacConkey, ambas foram esterilizadas em 1cc. em duas horas.Quando a água de torneira foi usada ao invés de água destilada, levou-se 4 horaspara atingir o mesmo resultado. Estes testes revelam uma ação bactericida definida, mas B.coli ausente de 1cc. Não seria lembrada como uma purificação de alto nível no caso de fornecimento de água pública. Dr. Suckling descobriu mais tarde que a água de Londres, para a qual B.coli tifoso fora adicionada em tal quantidade como apresentada em 0.1 cc., mostru, após a filtração através da areia de catadin, que o organismo ausente de 100cc. quatro horas depois. O mesmo resultado foi obtido com B. paratifoso B, originalmente presente em 0.01 cc. Dr. Suckling notou que água clara e brilhante era essencial ao trabalho com sucesso, à medida que se dissolvia prata combinada com matéria orgânica presente, e então, tendesse a espalhar a bactéria enquanto partículas orgânicas em suspensão cobria a camada de prata nos grãos de areia e preveniram a entrega do metal para a água. Em se perdendo a eficiência através da presença de matéria orgânica de catadin que lembra o clorídio, mas considerando que a água turva pode ser preparada pela clorinatação por pré filtração com filtro de alumínio em filtro mecânico, não pode de uma maneira similar ser preparada por tratamento pela areia de catadin, desde que o floco de alumínio hidrato iniba a ação da prata. A quantidade de prata levada pela água no processo catadin é da ordem de 0.015 a 0.06 partes por milhão, o mais alto valor o qual é apenas cerca de um terço de uma dose baixa de cloro. Contra isto, no entanto, podem ser estipuladas considerações dietéticas que as pratas são substâncias estrangeiras aos tecidos, enquanto o cloro não. Mais tarde, enquanto o cloro pode ser medido precisamente e a quantidade introduzida em fornecimento ajustado qualidades mutantes na água, não aparecem que ajustes similares podem prontamente ser feitos com prata catadin. Por último, a ação germicida do cloro é rápida, enquanto aquela da prata catadin, como Dr. Suckling mostra, é comparativamente lenta. È correto que estas comparações devem ser feitas, devido à fama do cloro, que é mais firmemente estabelecida na América do Norte, diferente da rotina e condições de emergência e para fornecimento, ambos ótimos e pequenos, e é normalmente crescente à favor deste país. Testes tardios e experiência aprofundada pode revelar ótimos méitos no novo método não revelados hiterto, mas na informação disponível presente, prata catadin não parece tendenciosa a se tornar um sério rival do cloro para a purificação do fornecimento de água pública. O SISTEMA HIDRÁULICO BRITÂNICO Dr. E.V. Suckling Jornal Publicado em 1921 100
    • É um processo delicado suscetível à interferência por muitos fatores tais como a temperatura, turvidade, sulfídio, cloretos, ferro e matéria orgânica. Ao que o fornecimento de água é sabido, o processo é aplicável para alguns poucos e selecionados casos. Ele é superior ao cloretamento em alguns aspectos menos importantes, como a ausência completa de odor e gosto na produção. Ele pode encontrar um grande sentido nos meios de esterilizar a água no caso de pequenos fornecimento, casas de campo, etc. Três conclusões ele justificou totalmente pelo trabalho experimental e eleas são em grande parte confirmadas pelas mais recentes observações do Senhor James Gibbard de Ottawa. O processo consiste na permissão da água em permanecer em contato com a preparação de prata metálica, espalhada na superfície de porcelana não esmaltada por um período que varia, claro, com o grau de poluição. Dr. Gibbard conclui a partir de seus estudos que : Mesmo que a aplicação de ação oligodinâmica da prata metálica para o tratamento de água possua alguns pontos de interesse considerável, ela não pode, no presente momento, ser recomendada para uso prático. A temperatura de constituintes orgânicos e inorgânicos definitivamente influem na ação oligodinâmica da prata em direção à B. Coli, à um grau que proporciona os resultados insatisfatórios para a aplicação prática. Este julgamento, isto será visto, é um pouco mais desfavorável que o do Dr. Suckling e seguida de experimentos catalogados. Ao mesmo tempo, em alguns deles, Givvard não parece Ter utilizado líquidos tão contaminados para render, obviamente, inadequação para tratamento por tal processo. Claramente, a quantidade de prata tomada na solução ou quase-solução tem que ser muito pequena quando o soluto é prata metálica , superfície de óxido ou algum outro componente da prata brilhante. A ação mais provável, depende da formação de um componente ou outra associação de prata com proteína bacteriana e tem tendência de ser retardada ou parada pela presença de substâncias com as quais a prata se associa mais rapidamente. ESTERILIZAÇÃO DA ÁGUA POR PRATA Jornal Médico Britânico, The Lancet Drogas Não- Oficiais 1934 A ação oligodinâmica da prata, primeiro descrita ( e nomeada) em 1983 por Naegeli, tem sido ultimamente utilizada para a esterilização de água potável e grandes reclamações foram feitas para a eficácia de um processo o qual seja mais ou menos secreto. DISPENSATÓRIO dos EUA Ed. H. C. Wood Drogas Não- Oficiais 1937 Nesta seção, estão incluidas drogas e preparações não oficiais nos Estados Unidos ou Grã- Bretanha, mas as quais, por várias razões, requerem admissão em um trabalho enciclopédico desta natureza. Certas sustãncias agora raramente utilizadas, são incluídas por causa do seu longo uso doméstico ou medicina profissional. O interesse contínuo em sua história e propriedades tóxicas e a possibilidade da pesquisa moderna poder descobrir novas aplicações para elas são garantia suficiente para elas serem inclusas aqui. Um grande número de novas drogas derivadas tanto do reino vegetal quanto animal ou o produto do laboratório químico estão sendo continuamente trazidos para agentes remediais. Destes, que não são ainda estabelecidos suficientemente para justificar o reconhecimento oficial, muitos são mais ou menos empregados pela comunidade médica. Nós temos nos empenhado em incluir todas as medicações mais novas que estão comercialmente disponíveis neste país, excetuando-se aquelas as quais são meramente misturas farmacêuticas. Em adição, tem sido aconselhável julgar para descrever um número de químicos que, enquanto não empregados para propósitos médicos, possuem importância tanto tóxico quanto industrialmente. No entanto, o limite mesmo deste volume exaustivo proíbe uma descrição detalhada de todas estas substâncias. Porém, um esforço tem sido feito para dar uma contagem precisa de suas propriedades mais importantes e também para fornecer ao leitor particularmente interessado, uma literatura chave no que lhes diz respeito. COLÓIDES Os estudos de Thomas Graham em 1862 em conexão com a diálise, na qual ele originou os termos cristalóide e colóide , permaneceram sem qualquer aplicação terapêutica especialmente industrial por muitos anos. Os colóides do tempo de Graham eram principalmente substâncias orgânicas análogas à cola ou gelatina, mesmo que alguns colóides inorgânicos fossem conhecidos, tal como a forma coloidal de hidróxido de ferro, formalmente conhecido como ferro dialisado. Graham chamou as substâncias difusas pela operação de diálise de cristalóides, enquanto substâncias que não foram difusas foram chamadas de colóides. A distinção entre colóides e cristalóides foi derrubada como um resultado do moderno desenvolvimento na química do colóide. Foi mostrado que membranas podem ser obtidas com poros tão pequenos para reter moléculas ou grandes o suficiente para permitir que 101
    • alguns colóides possam ser difusos através. Novamente, desde que seja possível preparar a maioria das substâncias em um estado coloidal, a distinção entre cristalóides e colóides se torna uma questão do tamanho de uma partícula apenas. Pareceria que partículas coloidais são necessariamente partículas de sólidos. Mesmo que as propriedades de sólidos fossem as primeiras a serem estudadas no desenvolvimento da química do colóide, a similaridade do comportamento de pequeno volume de gases e líquidos, justifica sua inclusão no domínio da química do colóide. Então, Dr. Bancroft nos dá uma defininação mutio flexível que a química do colóide é a química de bolhas refinadamente divididas ou dispersas, gotas, grãos e mesmo filamentos de filmes. A inclusão dos últimos dois pode ser de certa forma uma surpresa, mas em observação cuidadosa nós descobrimos que as propriedades de ambos, filamentos e filmes, depende da pequenez de pelo menos uma de suas dimensões. Colóides não formam soluções verdadeiras, mas formam pseudo- soluções conhecidas como sols ou hidrosol em um líquido por meio de colóides, o sol é chamado de um suspensório ou se glóbulos de um líquido são suspensos, ele é chamado de emulsor . Colóides são também conhecidos como colóides reversíveis ou não reversíveis, de acordo com a estabilidade quando evaporados ou re- dissolvidos. Como uma regra, soluções coloidais são decompostas pela presença de componentes íon sensíveis em quantidades razoáveis. Algumas substâncias coloidais como a gelatina, caseína, etc., promovem estabilidade de formas coloidais de outras substâncias e são então conhecidas como colóides protetores. Muitas preparações coloidais tal como a prata, mercúrio, etc., são preparadas desta forma e são muito mais estáveis que a forma coloidal de elementos puros. Hidrosóis possuem toda a aparência externa de soluções verdadeiras porque elas são homogêneas e podem ser filtradas sem deixar nenhum resíduo sólido no filtro e não mostram partículas visíveis sob observação microscópica normal. As pequenas partículas suspensas de hidrosóis podem ser vistas claramente com o ultra- microscópio ( um microscópio no qual um raio luminoso é concentrado por meio de lentes e a iluminação do campo microscópico produzida pelo raio diretamente nos ângulos certo à direção da visão, como mostrado por pesquisadores de Siedentopt e Zigmondy em 1933). As partículas então observadas são visíveis como pontos luminosos, que estão em moção constante, chamado movimento de Brownian. O aumento das partículas varia de 10/ 10000 mm. à 200/10000 m. Uma solução coloidal de ouro contendo 0.005 gr. por cc., contém cerca de 1000 milhões de partículas de ouro suspensas por cm.mm., o que é equivalente a um imenso aumento de superfície exposta e a qual a contagem de alguns dos maravilhosos efeitos de soluções de metais coloidais, particularmente como um catalisador. Substâncias no estado coloidal muito frequentemente podem ser precipitadas de forma que partículas individuais se tornam um quanto tanto grandes. O termo coagulação é aplicado a esta precipitação de substâncias coloidais na forma de agregados maiores. Com a formação de agregados maiores, as propriedades características do estado coloidal que são devidas ao tamanho imediatamente desaparecer. A operação reversa, i.e., da dispersão de agregados maiores em menores, é conhecida como petisação. Colóides podem ser coagulados pela adição de vários químicos ou pela passagem de corrente elétrica de alta tensão. Praticamente, todas as partículas coloidais mostraram carregar cargas de eletricidade que podem ser tanto positiva quanto negativa em caráter. Este fato pode ser verificado pela passagem de uma corrente direta através de uma solução de um colóide se o último que é carregado positivamente gradualmente migre para o pólo negativo, enquanto aquele carregado negativamente se movimente em direção do pólo positivo . Este fenômeno é conhecido como eletroforese. Metais colidais, ouro, prata, ferro, etc., são todos achados no mercado no tempo presente sob várias designações. Eles são preparados tanto por método químico ou elétrico. O método elétrico comprime o uso da eletricidade são os quais, passando entre dois pedaços de um dado metal, resultando em solução coloidal( então chamada) ou hidrosol de um metal particular. O método químico, consiste na aplicação de um agente químico redutor poderoso para uma solução de sal do elemento desejado. Suspensórios coloidais de sais metálicos estão também passando a serem utilizados. Os metais coloidais, em alguns casos, produzem efeitos catalísticos similares àqueles produzidos por certas enzimas, como por exemplo, a inversão de cana de açúcar pela platina coloidal. Os hidrosóis metálicos são, no entanto, algumas vezes chamados de fermentos metálicos. As soluções coloidais de metais, normalmente exibem dicroísmo para um certo grau; isto é, elas são limpas por transmissão da luz turva refletida. A coloração do famoso vidro de rubi é devido ao estado coloidal das partículas de ouro metálico nele contidas. O amadurecimento das lâminas de gelatina de brometo de prata na fotografia e certas argilas na cerâmica, que requer vários meses de tratamento empírico para produzir um grau certo de elasticidade, é agora conhecido ser devido à formação e ação dos colóides. Em 1905, Dr. Robin relatou os resultados de algumas observações dos efeitos de injeções subcutâneas de hidrosóis. Ele descobriu que eles produziam uma excreção aumentada de uréia e ácido úrico e leucocitose marcante. Ele de certa forma, declarou resultados clínicos favoráveis na pneumonia e reumatismo articular a partir de seu emprego. Este fato, tomado juntamente com as declarações de Paderi de que a prata hidrosol não contém propriedades bactericidas e anti- sépticas e especialmente do ponto de vista de quantidade extremamente pequena de metal em solução em muitas das preparações utilizadas, apontam fortemente em direção à conclusão de que tal benefício, assim como resultado a partir do uso de metais coloidais, é para ser atribuído aos efeitos no status coloidal do sangue ao invés do que a influência dos próprios metais. O seguinte foi lido do Jornal Médico Britânico em um encontro da seção de Farmacologia no encontro anual da Associação Médica Britânica em Aberdeen, Escócia. A AÇÃO BACTERICIDA DE COLOSÓIS Da Prata e Mercúrio Por Professor C.R. Marshall, M.D. 102
    • E G.B. Killoh. M.D. Escola Médica de Dundee, Escócia 16 de Janeiro de 1915 Em março de 1911, Crookes introduziu duas novas preparações- argêntio de prata colosol e hidragoga colosol, contendo um em 2000 de prata e de mercúrio respectivamente em forma coloidal. A partir de seus experimentos bacteriológicos com estas preparações, ele conclui: Eu não conheço nenhum micróbio que não seja morto em experimentos laboratoriais em seis minutos . Estes experimentos consistiram na adição de colosol à cultura de nutriente infectado com microorganismo e fazendo culturas listradas a partir da mistura nas lâminas de ágar em intervalos definidos de tempo. Este método e a leve modificação disto adotada no caso de experimentos gonocócicos pareceram nos mostrar um pouco mais do ação anti- séptica destas preparações desde após a subcultura em uma gelatina média semi sólida, telhas de microrgasmos estão ainda no ambiente do anti- séptico pouco removido no experimento. Vigorosas 24 horas com o bacilo coli communis no ágar foi permutado com argêntio de prata colosol e após 10 minutos, o colosol foi pulverizado e as culturas cuidadosamente lavadas com água destilada esterilizada para remover qualquer aderência do colosol aos microorganismos ou ao médio. Inoculações foram então feitas no ágar e o médio de MacConkey e os tubos inoculados por 24 horas a 37 graus C. Crescimento ocorreu em ambos controles. EXPERIMENTOS BACTERICIDAS O método adotado para determinar a ação bactericida foi adicionar uma emulsão completa de microorganismos a 5cc. do médio de MacConkey ou cultura de lemco, de acordo com o microorganismo utilizado, com um ciclo completo da mistura e incubando a 37 graus C. A emulsão de microorganismos foi feita pela adição de 3 ou 4 ciclos de um crescimento de 24 horas de vários organismos no ágar para 1cc. de água destilada esterilizada. Grupos controles foram empregados em todos os experimentos e as precauções asépticas usuais foram tomadas. Um grande número de experimentos foram feitos com várias diluições e com resultados praticamente uniformes. Em alguns momentos, com diluições por volta do limite do poder bactericida ,algumas vezes obtendo-se resultado positivo, outras vezes resultado negativo. Químicos e médicos fizeram muitos outros experimentos de natureza similar, todos testemunhando ao valor dos colosóis como bactericidas. Em 20 de maio de 1913, duas lâminas de gelatina nutriente foram expostas no parapeito da janela por meia hora. A- Foi coberta previamente com argêntio de prata colosol ( prata coloidal) por 5 minutos, B- não foitratada. Ambas as lâminas foram incubadas por 48 horas a 20 grausC., depois de que A permaneceu esterilizado enquanto B. continha cerca de 350 colônias de micróbios. Pode ser sugerido que um líquido contendo apenas uma parte de metal coloidal em 2000 de fluído seria muito fraco para ser de uso, mas este não é o caso. Existem, pelo menos, 20000 milhões de partículas ativas de metal em 1cc. (15 gotas) de prata coloidal preparada corretamente desta concentração e uma grande vantagem de elementos coloidais em tão baixa concentração é ser completamento inofensivo ao paciente. Nem todos os elementos no estado coloidal possuem ação germicida. A seguinte lista, baseada nas investigações de Henry Crookes, é interessante nesta conexão: Nenhuma ação germicida: ouro, platina, paládio, ródio, irídio,tantálo, cádio e magnésio. Estanho, grafite, enxofre de selênio( enxofre possui uma forte ação estimulante). Pouca ação germicida: bismuto, chumbo, alumínio, zinco e cobre. Forte ação germicida: tório, cobalto, prata, mercúrio, antimônio, cianida mercúrico, cloreto mercúrico , ácido arsênico. Na examinação de um prato contendo um metal germicida, será visto que em rodeando o último, existe um espaço livre no qual nenhuma bactéria se desenvolveu, em volta, existe um grande anel no qual os germes desenvolveram em um grau anormal e entre este anel e a circunferência do prato é praticamente o mesmo que como se nenhum germicida estivesse presente causando este ajuste, que é marcado particularmente no caso da prata Ter uma ação germicida da quantidade mínima de prata coloidal que foi formada imediatamente em volta do metal, enquanto mais longe, uma proporção ainda pequena de prata coloidal teve uma ação deupaperadamente estimulante. Estes experimentos foram repetidos com prata e mercúrio colosol a uma concentração normal de uma parte em dois mil. Em cada caso, B. coli communis foi morta dentro de 10 segundos; os únicos crescimentos na lâmina de ágar sendo aqueles de grupos controles não tratados. Vários testes comparativos foram feitos com o crescimento de gonococos nas lâminas de ágar espalhados com sangue fresco, com as precauções usuais. Uma lâmina mostrando crescimento vigoroso em resposta aos testes típicos, viz., gram-negativos, nenhum crescimento na gelatina ou ágar a 20 graus C. sem sangue fresco, porém, crescimento vigoroso a 37 graus C. no ágar com sangue fresco e desempenho dos tão conhecidos diplococos nas células de pus; foi embebida com prata colosol por dois minutos. Após o tempo que as culturas foram levadas e transplantadas ás lãminas de ágar untadas com sangue fresco, assim como antes, a intervalos de dois, quatro, seis, oito e 10 minutos e incubadas na forma normal a 37 graus C. resultados: Nenhum tipo de crescimento. Várias séries de experimentos similares a este para proporcionar resultados similares, por exemplo. Um crescimento vigoroso cedo 103
    • de B. tuberculosis foi morto por prata colosol( 1 em 2000) em 4 minutos. Estafilococos piogenes, vários estreptococos e outros organismos patogênicos foram mortos em três ou quatro minutos, de fato, nenhum micróbio é conhecido que não morra por este colóide em experimentos laboratoriais em seis minutos. W.J.SIMPSON. C.M.G ETC. Professor de Higiene, universidade de Kings. Londres. Inglaterra E R. Tanner Hewlefler. M.D. F.R. C.P. Professor de Bacteriologia Universidade de Londres, Inglaterra Publicado no The Lancet 12 de Dezembro de 1914 os doutores Simpson e Hewlefler misturaram solução de prata colosol com cultura de nutriente de várias diluições, com 10cc. de cada tubo. Estes foram inoculados com uma gota de cultura líquida a 24 horas do bacilo tifóide, incubado. Experimentos similares foram feitos com a sublimação corrosiva sob as mesmas condições produzindo os mesmos resultados acima. O F.D.A NOS EUA E O T.G.A NA AUSTRÁLIA O problema com o FDA nos E.U.A é seu esforço arbitrário e interpretação da lei. O FDA tem sido mais do que um músculo pago para o complexo farmacêutico médico por décadas. A corrupção do FDA não está nem em questão; é um problema não resolvido. O principal propósito do FDA é prevenir a competição e encorajar negócios e ideologias de certas companhias e sociedades. O FDA, convenientemente olha de outro modo como as pessoas estão armando-se de um número assustador de drogas, etc., produzidas pelas companhias farmacêuticas. Isto é parte da realidade diária da administração do FDA da Indústria da Saúde. Ninguém nega a necessidade para o FDA; ou do TGA na Austrália, ser apenas uma hipocrisia de seu comportamento que está sendo criticado. A solução real ao comportamento do FDA ou ao TGA está a um nível legislativo. Nós precisamos urgentemente de uma liberdade de conta para corrigir os excessos do FDA. O FDA ou o TGA não precisa ir atrás de pessoas ou companhias, porque eles são charlatões pregando peças em pacientes doentes desesperados e amentado- os e suas famílias com milhares de dólares, como descobri tendo analisado algumas das pratas que estão sendo vendidas. Quando se olha em volta, você surge com muitas idéias controversas naturais , mas o que surge da prática desses tratamentos? Eu sei de pessoas colocaram suas vidas nas mãos de médicos e se ajudaram por seu próprio tratamento. O ponto principal é que pessoas pelos muitos milhares que foram ajudados por zappers , remédios de ervas, limpadores do fígado, prata coloidal e outros tratamentos. O TGA na Austrália está apenas em sua infância, por assim dizer, mas eu acredito que as companhias farmacêuticas já se infiltraram. Em minha opinião, o TGA irá seguir os caminhos do TGA como já foi provado pelo modo traiçoeiro que eles estão conquistando o parlamento tarde da noite e em tempo de feriado... ASSOCIAÇÃO DE PESQUISA DA PRATA COLOIDAL Existem fortes rumores no que diz respeito às companhias farmacêuticas estarem tentando dificultar o acesso público à prata coloidal e outros colóides, isto já foi feito no reino unido e Europa. Você tem que ir ao médico para obter uma receita; o custo de uma garrafa de 100 ml é cerca de £63. Através do químico. Eu me preparei para este problema lançando: A ASSOCIAÇÃO DE PESQUISA DA PRATA COLOIDAL. Uma organização sem fins lucrativo isso não há nenhuma restrição na obtenção de boa prata coloidal. 1-Você automaticamente se torna um membro vitalício quando você adquiri prata coloidal da THE HOUSE OF COURTENAY. Isto te torna um colega pesquisador. 2-A ASSOCIAÇÃO DE PESQUISA DA PRATA COLOIDAL irá comprar da THE HOUSE OF COURTENAY 3-THE HOUSE OF COURTENAY irá fornecer em pedido à ASSOCIAÇÃO DE PESQUISA DA PRATA COLOIDAL. Qualquer declaração a colóides que tenha que ser analisada, por QUEENSLAND HEALTH SCIENTIFIC SERVICES. 104
    • 4-Todos os lucros irão para coletar mais informação de pesquisa em todo o mundo 5-Uma página na web será feita na internet, trazendo a todos as últimas informações para qualquer um que logar. 6-Pesquisadores serão requisitados para passar as informações dos resultados e benefícios que eles obtiveram utilizando os colóides. Esta informação será colocada na página da web da ASSOCIAÇÃO DE PESQUISA DA PRATA COLOIDAL sem dar nenhum nome publicada em um jornal (4 vezes ao ano) que será enviado a todos os pesquisadores que não tiverem acesso à internet, para prestar informações nas utilizações e benefícios dos colóides. Em adição, reportagens atualizadas de todo o mundo irão às suas mãos da internet. MANTENHA-SE SAUDÁVEL E UMA LONGA VIDA BOA PARA TODOS. Dr. Keith Courtenay ( Metafísica. ULC, EUA) Se você precisa de informações em Pratas coloidais diferentes, por favor mande um grande envelope com endereço próprio selado (2 selos). Se você precisa de mais informações sobre os colóides acima, por favor, contate: INTERNET: csilver@coastnet.net.au Para informações aprofundadas, procure qualquer um dos seguintes endereços na internet: http://www.harveyopolis.com/educate-yourself.html www.iahf.com/index1.html silver-list@eskimo.com A VERDADE IRÁ TE LIBERTAR OUTROS LIVROS PARA LER DO NOT DRINK YOUR MILK Por Dr. Frank A Oski e Dr. Davi Phillips. Os mais novos fatos médicos sobre o nutriente mais acima da média do mundo. Publicado pela Editora Pythagorean, c/o Aquarian Distributors Ltda. ARGYRIA,The Pharmacology of Silver Por William R. Hill M.D & M. Pillsbury M.A, M.D. Publicado em 1939. The Williams & Wilkins Company, Baltimore THE BETRAYAL OF HEALTH 105
    • Por Dr. Joseph Beasley O objetivo do próprio médico e imensa retrospectiva nas razões pelas quais a medicina convencional moderna falhou para curar doenças e dar uma condição do tipo humana de saúde física, mental e de bem estar. THE INFORMED CONSUMER S PHARMACY Por Ellen Hodgson Brown e Lynne Paige Walker Um guia de valor para o entendimento da verdade real e efeitos colaterais da terapia de droga sintética. 1990 PILLS THAT DON T WORK Por Sidney Wolfe e Christopher M. Coley, Farrar, Strauss e Giroux. Um guia do consumidor com mais de 600 drogas prescritas que faltam a evid~encia da eficácia. 1980 MEDICINE ON TRIAL Por Charles B. Inlander Lowell S. Levin e Ed Weiner. Editora Prentice Hall. A estória pavorosa de inatitude, impropriedade, negligência e arrogância. 1988 WHAT YOUR DOCTOR DIDN T LEARN IN MEDICAL SCHOOL and What Can You Do About IT Por Stuart M. Berger, M.D. SIMPLE DIAGNOSTIC TESTS YOU CAN DO AT HOME Por Martha M. Cristy. Como utilizar e interpretar em casa os testes de urina que são agora comercialmente disponíveis para testas as condições , tal como as infecções de bexiga e rins, níveis de açúcar (glicose), função do fígado, sangue na urina, gravidez e teste de ovulação, etc. Também mostra como detectar as condições de saúde através da observação e interpretação da cor e aparência de sua urina. SUPERBUG Por Geoffrey Cannon. Revanche da Natureza. Por que antibióticos podem gerar doença. Virgin publishing co. ISBN: 1 85227 364 X FORMA PARA PEDIDO The House Of Courtenay Caixa Postal 125 Montville 4560 Queensland, Austrália Telefone: 075442-9555 Fax:07-5442-590 E-MAIL: csilver@coastnet.net.au 1-Por favor mande ____ garrafas de Prata Coloidal 200ml @ ao valor $19.95 porgarrafa mais taxa $3.50 de postagem e embalagem. Postagem para além do oceano e segura, por favor adicione $15.00 2-Por favor mande ____ Cópias de PRATA COLOIDAL. As verdades Ocultas. @ Ao custo de $ 29.95 taxa $5.50 postagem e embalagem Postagem para além do oceano e segura, por favor adicione $15.00 Eu inclui um cheque/dinheiro postal de $_______________ Por favor remetam para: NOME__________________________________________ 106
    • TELEFONE______________________________________ ENDEREÇO_____________________________________ CIDADE________________________________________ ESTADO______________CEP______________________ PAÍS___________________________________________ 107