Your SlideShare is downloading. ×
ApresentaçãO Da SessãO 4
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Saving this for later?

Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime - even offline.

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

ApresentaçãO Da SessãO 4

213
views

Published on


0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
213
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. “Está comprovado que quando os bibliotecários e os professores trabalham em conjunto, os alunos atingem níveis mais elevados, de leitura, de aprendizagem, de resolução de problemas e competências no domínio das tecnologias de informação e comunicação.”(IFLA/ENESCO,1999
    Novembro - Rosa Serra
  • 2. O modelo de auto avaliação o que é?
    É um instrumento de trabalho, de carácter pedagógico e de melhoria contínua, que vai permitir a todos avaliar o trabalho desenvolvido na Biblioteca Escolar, bem como o impacto deste trabalho na escola e, consequentemente, nas aprendizagens dos alunos.
    Novembro - Rosa Serra
  • 3. O processo de avaliação da BE antes e agora…
    Avaliação centrada na
    gestão dos recursos
    Avaliação perspectivada
    em termos de impacto
    no ensino /aprendizagem
    Avaliação
    como um
    sector à parte da
    vida escolar Avaliação como parte
    integrante da auto – avaliação
    de toda a escola
    Avaliação baseada
    em relatos
    Avaliação baseada
    em demonstrações
    Novembro - Rosa Serra
  • 4. AVALIAR PORQUÊ?
    Porque a auto avaliação pode ser uma grande oportunidade para a mudança
    Porque é um instrumento de regulação e de melhoria.
    Porque provoca a reflexão, orientada para mudanças concretas na prática
    Novembro - Rosa Serra
  • 5. Porque é fundamental para uma boa gestão da biblioteca escolar,
    Para se identificarem pontos fortes e fracos
    Para verificar a eficácia dos serviços prestados
    • Para saber o grau de satisfação dos seus utilizadores
    • 6. Para obter evidências que validem o trabalho da BE e sustentem o trabalho a desenvolver.
    • 7. Para se identificarem percursos a seguir com vista à melhoria do seu desempenho
    Novembro - Rosa Serra
  • 8. Perguntas subjacentes à avaliação:
    Como actuar?
    Identificar o estádio
    em que a BE se encontra
    Como saber?
    Identificar as evidências
    para poder agir
    Como fazer?
    Identificar caminhos
    necessários
    à melhoria
    Novembro - Rosa Serra
  • 9. Vantagens da auto-avaliação
    É um momento de reflexão e de acção, destinado a identificar:
    Pontos Fortes Estamos a fazer bem
    Pontos Fracos Em áreas mais problemáticas
    Oportunidades O que podemos fazer
    Ameaças O que pode ser obstáculo
    Novembro - Rosa Serra
  • 10. A auto - avaliação irá permitir:
    Melhorar práticas de trabalho No sentido em que pode sugerir mudanças
    Melhorar o ensino aprendizagem – Valorizando e demonstrando o contributo da BE para o ensino/aprendizagem
    Promover O seu valor na comunidade educativa e melhorar as suas práticas
    Planear melhoramentos Estabelecer prioridades nas necessidades e objectivos
    Novembro - Rosa Serra
  • 11. Elaborar relatórios As evidências constatadas podem ser inseridas no relatório anual para demonstrar êxito ou indicar áreas a melhorar;
    Orçamentar A recolha de evidências pode estabelecer prioridades e identificar áreas que carecem maior investimento;
    Gerir a equipa Permite indicar modos de tornar a equipa mais eficaz;
    Divulgar Pode ser um meio de evidenciar a sua importância na própria escola, a nível local e nacional
    Novembro - Rosa Serra
  • 12. O envolvimento na Escola
    O processo deve ter a intervenção de todos os elementos da comunidade escolar:
    Professor Bibliotecário e equipa
    Director
    Órgãos executivos
    Professores
    Alunos
    Encarregados de Educação
    Funcionários
    Novembro - Rosa Serra
  • 13. Envolvimento dos utilizadores
    O modelo indica o caminho, a metodologia, a operacionalização e pressupõe:
    A motivação individual dos membros
    A liderança forte do professor coordenador, que tem de mobilizar a escola para a necessidade e implementação o processo avaliativo.
    A comunicação constante com o Conselho Executivo, justificando a necessidade e o valor do processo,
    Avaliação da BE pressupõe:
    A necessidade de envolvimento de todos os intervenientes no processo educativo com uma adopção de uma Cultura de Avaliação
    Novembro - Rosa Serra
  • 14. Implementação do modelo
    Critérios
    Diversidade de alunos da escola;
    Vários níveis de escolaridade;
    Representatividade em termos de sexo
    Alunos com necessidades educativas especiais;
    Diversidade de professores
    Recolher dados em diferentes momentos do ano lectivo

    Novembro - Rosa Serra
  • 15. Integração dos resultados na Auto - Avaliação da Escola
    Apresentação do relatório de auto - avaliação e medidas para a melhoria no CP que deverá emitir o seu parecer;
    Integração da síntese no relatório de auto - avaliação da escola;
    Os resultados devem servir de base de trabalho para a avaliação externa da escola pela IGE, cujo relatório final deverá avaliar o impacto da BE na Escola .
    Novembro - Rosa Serra
  • 16. Conclusão
    A Auto – Avaliação deverá ser:
    Parte integrante da auto – avaliação da escola;
    Um processo contínuo que inclui a identificação de prioridades para a melhoria;
    Um processo constante na vida escolar;
    Novembro - Rosa Serra
  • 17. Bibliografia
    Textos da Sessão:” O modelo de auto-avaliação no contexto da Escola/ Agrupamento
    Conde, Elsa “ Modelo de auto - avaliação da Biblioteca Escolar: Princípios estrutura e metodologias de operacionalização, RBE newsletter nº5
    Johnson, Doug (2005) “GetingthemostfromyourSchoolLibrary Media Program”
    IFLA/ENESCO Manifesto da Biblioteca Escolar - Lisboa: Ministério da Educação - Gabinete da Rede de Bibliotecas Escolares,1999
    TODD, Ross – Schoollibrarian as teachers: learningoutcomesandevidence - basedpratice - August. 2002
    Novembro - Rosa Serra