ConcordâNicia Verbal

2,062 views
1,961 views

Published on

Essa

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
2,062
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
4
Actions
Shares
0
Downloads
50
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

ConcordâNicia Verbal

  1. 1. © 2004 Cintia Cecília Barreto Concordância Verbal a) O verbo vai para a 3ª pessoa do plural caso o sujeito seja composto e anteposto ao verbo. Se o sujeito composto é posposto ao verbo, este irá para o plural ou concordará com o substantivo mais próximo. Mesmo na concordância atrativa, o verbo refere-se, ideologicamente, a todos os elementos mencionados. Ex1.: Luís e Laura passaram na prova. Ex2.: Chegaram o aluno e a professora cedo à palestra. Ex3.: Chegou o professor e a aluna cedo à palestra. (os dois chegaram cedo à palestra) Ex4.: Entraram os professores e o aluno representante na sala do diretor. b) O verbo haver, no sentido existir ou referindo-se a tempo, é impessoal, não admite sujeito. O mesmo ocorre com o verbo fazer referindo-se a tempo. Estes verbos ficam na 3ª pessoa do singular. As locuções, com esses verbos, ficarão no singular também. Ex1.: Há meses não vejo meus amigos. Ex2.: Havia pessoas interessantes no curso. Ex3.: Faz vinte minutos que ele saiu daqui. Ex4.: Deve haver pessoas que não fizeram a prova. (deve haver = há = impessoal no sentido de existir) Ex5.: Deve fazer oito anos que não o vejo. (deve fazer = faz = impessoal = tempo decorrido) Obs.: o verbo haver, quando não possui o sentido de existir, ele é o primeiro verbo da locução. Ex1.: Haviam ocorrido fraudes no último concurso. Ex2.: Haviam feito boas provas de português. c) O verbo ficará no singular ou no plural se o sujeito coletivo for especificado com substantivo no plural. Ex1.: Um bando chegou ao estádio. Ex2.: Um bando de torcedores chegou (ou chegaram) ao estádio. Este texto está disponível via Internet no endereço http://www.cintiabarreto.com.br Seu uso está sujeito à condição de que ele não pode, por nenhum meio, ser reproduzido em todo ou em parte ou comercializado sem a autorização escrita da autora. Impressão para uso pessoal é permitida assim como o empréstimo para fins de divulgação.
  2. 2. © 2004 Cintia Cecília Barreto d) Havendo exclusão na palavra ou, o verbo fica no singular. Se o verbo se referir aos dois sujeitos, irá para o plural. Ex1.: Flamengo ou Fluminense ganhará o campeonato. (Somente um time poderá ser campeão, portanto há idéia de exclusão) Ex2.: O ônibus ou a barca passam em Niterói. (Os dois transportes passam em Niterói.) e) Quando o sujeito é composto por pessoas diferentes, o verbo vai para o plural, de acordo com a pessoa mais importante (a 1ª pessoa é mais importante que a 2ª e a 2ª pessoa é mais importante que a 3ª). Ex1.: Eu, tu e ele viajaremos. Ex2.: Tu e ele viajareis. (vós) Ou Ex3.: Tu e ele viajarão. (vocês) f) Se aparecerem os sujeitos expressos relógio, sino, etc., o verbo concordará com esses sujeitos. Se não aparecerem sujeitos, o verbo concordará coma palavra hora ou horas. Ex1.: Deram doze horas no sino da igreja. (no sino = adjunto adverbial) Ex2.: O sino da igreja deu doze horas. (o sino = sujeito) g) Se o substantivo é um nome próprio usado com artigo plural, o verbo concordará com o artigo. Ex1.: Os Estudos Unidos atacaram o Iraque. Ex2.: O Amazonas fica no norte do país. Ex3.: Os Lusíadas contam a viagem de Vasco da Gama. Ex4.: Os Miseráveis é um clássico de Victor Hugo. (Em nomes de obras, dá-se o singular, quando o verbo “ser” vier seguido de palavra no singular ou se surgir a palavra “livro”). Este texto está disponível via Internet no endereço http://www.cintiabarreto.com.br Seu uso está sujeito à condição de que ele não pode, por nenhum meio, ser reproduzido em todo ou em parte ou comercializado sem a autorização escrita da autora. Impressão para uso pessoal é permitida assim como o empréstimo para fins de divulgação.
  3. 3. © 2004 Cintia Cecília Barreto Ex5.: Os Sertões é o livro de Euclides da Cunha. h) Quando aparece nas expressões é muito, é pouco, é suficiente, é bastante, que denotam quantidade, distância, peso etc., o verbo ser fica sempre no singular. Ex1.: Cem metros é pouco. Ex2.: Dois reais é pouco. Ex3.: Dez quilos é suficiente. i) O verbo ser concorda com o predicativo, se o sujeito está representado pelos pronomes interrogativos quem ou que. Ex1.: Quem são os rapazes do curso? Ex2.: Que são as alegrias do trabalho? j) Quando o sujeito for o pronome tudo, o verbo ser concorda com o predicativo. O mesmo ocorre com os sujeitos isto, isso, aquilo. Ex.: Na vida, nem tudo são flores. (Embora seja admissível a outra forma: Tudo é flores) l) Quando o sujeito é o pronome relativo que , o verbo concorda com o termo antecedente do pronome relativo. Por outro lado, quando o sujeito é o pronome relativo quem, o verbo deve ficar, geralmente, na 3ª pessoa do singular, concordando com ele. Porém, são freqüentes os casos em que o verbo concorda com o termo antecedente do pronome relativo quem. Ex1.: Fui eu que escrevi a proposta. Ex2.: Foste tu que escreveste a proposta. Ex3.: Fui eu quem escreveu a proposta. (3ª pessoa do singular) Ex4.: Fui eu quem escrevi a proposta. Ex5.: Fomos nós quem escreveu a proposta. (3ª pessoa do singular) Este texto está disponível via Internet no endereço http://www.cintiabarreto.com.br Seu uso está sujeito à condição de que ele não pode, por nenhum meio, ser reproduzido em todo ou em parte ou comercializado sem a autorização escrita da autora. Impressão para uso pessoal é permitida assim como o empréstimo para fins de divulgação.
  4. 4. © 2004 Cintia Cecília Barreto m) Quando o sujeito, que indica quantidade aproximada, é formado de um número plural precedido das expressões cerca de, mais de, menos de, o verbo vai para o plural. Ex1.: Cerca de cem pessoas compareceram ao salão de convenções. Ex2.: Restaram, na reunião, mais de cinco empresários. n) A expressão mais de um deixa o verbo no singular. Se houver idéia de reciprocidade, o verbo vai para o plural. Ex1.: Mais de um aluno chegou atrasado. Ex2.: Mais de um político se criticaram. (idéia de reciprocidade) Ex3.: Mais de um amigo se cumprimentaram. (idéia de reciprocidade) Ex4.: Mais de dois professores elaboraram o simulado. (o verbo, aqui, concorda com o numeral) o) Quando o sujeito é representado por expressão indicativa de porcentagem, o verbo pode concordar com o numeral ou com o substantivo a que se refere a porcentagem. Se o numeral vier com determinantes (artigos, pronomes, etc.), o verbo concordará, obrigatoriamente, com eles. Por outro lado, o verbo concordará com o numeral, quando vier anteposto à expressão de porcentagem. Vale lembrar que com as expressões cerca de, perto de, mais de, menos de, antes da porcentagem, o verbo concordará apenas com a porcentagem. Com 1%, o verbo fica no singular. Ex1.: 20% da população acreditam em suas idéias. Ex2.: 20% da população acredita em suas idéias. Ex3.: 45% dos estudantes acreditam em suas idéias. (Aqui os dois elementos estão no plural, então o verbo só pode ficar no plural) Ex4.: Os 75% da turma querem aula aos sábados. Ex5.: Os comentados 5% da dívida foram pagos ontem. Ex6.: Este 1% dos estudantes estudou pouco crase. Ex7.: Foram importados 60% da produção de biquínis brasileiros. Ex8.: Fizeram a prova, no domingo, 85% dos candidatos. Este texto está disponível via Internet no endereço http://www.cintiabarreto.com.br Seu uso está sujeito à condição de que ele não pode, por nenhum meio, ser reproduzido em todo ou em parte ou comercializado sem a autorização escrita da autora. Impressão para uso pessoal é permitida assim como o empréstimo para fins de divulgação.
  5. 5. © 2004 Cintia Cecília Barreto Ex9.: Cerca de 30% dos alunos estudaram bastante a gramática. Ex10.: Mais de 1% dos convidados levou presentes ao aniversariante. Ex11.: 1% dos candidatos faltou à prova de hoje. p) Quando o sujeito é representado pelas expressões um e outro e nem um nem outro, o verbo pode ficar no singular ou pode ir para o plural. No entanto, se houver idéia de reciprocidade de ação, o verbo irá para o plural. Ex1.: Um e outro dormia/ dormiam nas aulas da noite. Ex2.: Nem e nem outro dormia/ dormiam nas aulas da noite. Ex3.: Um e outro amigo se abraçavam freqüentemente. (idéia de reciprocidade) Ex4.: Nem um nem outro irmão se agridem mais. (idéia de reciprocidade) q) Quando o sujeito é ligado pela preposição com, o verbo vai para o plural, se houver desejo de indicar a ação de todos os elementos do sujeito. Em contrapartida, o verbo ficará no singular, quando se deseja enfatizar a ação apenas do primeiro elemento do sujeito. Nesse caso, recomenda-se isolar por meio de vírgulas o adjunto adverbial de companhia. Ex1.: A professora com os alunos resolveram as questões da prova anterior. Ex2.: A professora, com os alunos, resolveu as questões da prova anterior. Ex4.: O presidente com os assessores viajaram para a China. Ex5.: O presidente, com os assessores, viajou para a China. r) Sujeito representado por um ou outro, o verbo fica no singular, já que há idéia de exclusão. Ex1.: Um ou outro estudante ganhará o campeonato de xadrez. s) Quando o se é pronome apassivador (também chamado de partícula apassivadora), o verbo concorda com o sujeito paciente. Isso ocorre com os verbos transitivos diretos ou transitivos diretos e indiretos. Portanto, a frase está na voz passiva sintética. Este texto está disponível via Internet no endereço http://www.cintiabarreto.com.br Seu uso está sujeito à condição de que ele não pode, por nenhum meio, ser reproduzido em todo ou em parte ou comercializado sem a autorização escrita da autora. Impressão para uso pessoal é permitida assim como o empréstimo para fins de divulgação.
  6. 6. © 2004 Cintia Cecília Barreto Ex1.: Aluga-se casa no Itanhangá. (Casa é alugada no Itanhangá – sujeito = casa) Ex2.: Vendem-se casas e apartamentos no Itanhangá. (sujeito= casas e apartamentos) Ex3.: Consertam-se sapatos. Ex4.: Ofereceram-se bolsas de estudo aos melhores alunos do curso. t) Quando o se é índice de indeterminação do sujeito, o verbo fica no singular. Isso ocorre com os verbos transitivos indiretos, intransitivos ou de ligação. Ex1.: Precisa-se de webdesigners. (v. t. i.) Ex2.: Trabalha-se muito aqui. (v. i.) Ex3.: Está-se feliz estudando. (v.l.) Ex4.: Confia-se em professores especializados. (v.t. i.) u) Na indicação de datas, horas e distâncias, o verbo ser concorda com a palavra a que se refere, mesmo sendo impessoal. Ex1.: É meio-dia e meia. Ex2.: É 13h59min. Ex3.: São duas horas da tarde. Ex4.: São 26 de dezembro: dia do meu aniversário, lembra?! Obs.: deve-se perguntar: “Que horas são?” e não “Que horas tem?”. v) A expressão Haja vista admite três possibilidades: com preposição, é invariável; sem preposição, tanto pode ficar no singular quanto concordar com a palavra a que se refere. Ex1.: Haja vista a prova feita. Ex2.: Haja vista aos exercícios propostos. Ex3.: Hajam vista os métodos utilizados. Obs.: haja visto é tempo composto do verbo ver. Este texto está disponível via Internet no endereço http://www.cintiabarreto.com.br Seu uso está sujeito à condição de que ele não pode, por nenhum meio, ser reproduzido em todo ou em parte ou comercializado sem a autorização escrita da autora. Impressão para uso pessoal é permitida assim como o empréstimo para fins de divulgação.
  7. 7. © 2004 Cintia Cecília Barreto Ex.: Espero que os alunos já hajam visto todas as exceções sobre o assunto. (tenham visto) x) Com o verbo parecer + infinitivo, flexiona-se o verbo parecer, e o infinitivo fica invariável ou flexiona-se o infinitivo e o parecer fica invariável. Ex1.: As provas parecem demorar a chegar. Ex2.: As provas parece demorarem a chegar. z) Quando o sujeito vem seguido de aposto resumidor (tudo, nada, ninguém, cada um), o verbo concorda com o aposto. Ex1.: Fiel, carinhoso, divertido, tudo a encantou naquele homem. Ex2.: Festas, passeios, jogos, nada o afastava de seu objetivo de passar naquele concurso. Ex3.: Diretores, coordenadores, professores, ninguém ficou sem dar sua opinião. Este texto está disponível via Internet no endereço http://www.cintiabarreto.com.br Seu uso está sujeito à condição de que ele não pode, por nenhum meio, ser reproduzido em todo ou em parte ou comercializado sem a autorização escrita da autora. Impressão para uso pessoal é permitida assim como o empréstimo para fins de divulgação.

×