Your SlideShare is downloading. ×
  • Like
  • Save
Universo Totvs 2009 Fortaleza
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Now you can save presentations on your phone or tablet

Available for both IPhone and Android

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Universo Totvs 2009 Fortaleza

  • 1,280 views
Published

Apresentação sobre ERP SCM no Universo TOTVS em Fortaleza.

Apresentação sobre ERP SCM no Universo TOTVS em Fortaleza.

Published in Business , Technology
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
1,280
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
0
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide
  • Masdependemos de um fator de sucesso! Sabequal é? VOCÊO que move o mundo: ENERGIA, DENSIDADE, MASSA, ESPAÇO(VOLUME), TEMPO(VELOCIDADE DA LUZ)

Transcript

  • 1. ERP SCM Supply Chain Management Sergio Grisa Gestão de Segmentos 08-2009 1
  • 2. ERP-SCM ÍNDICE I) Quem são nossos Clientes? II) Formação da Cadeia de Suprimentos? III) TI como Processo Viabilizador? IV) Quais são os Resultados? V) Quais são as tendências I) Título do Primeiro Capítulo • Quem é cliente e quem é fornecedor! 2
  • 3. Cadeia de Suprimentos 3
  • 4. ERP-SCM ÍNDICE I) Quem são nossos Clientes? II) Formação da Cadeia de Suprimentos? III) TI como Processos Viabilizador? IV) Quais são os Resultados? V) Quais são as tendências I) Estratégias da Cadeia de Suprimentos 1. • 4-3-3 2. • 4-5-1 3. • 3-5-2 4. • Criar seu próprio fluxo! 4
  • 5. 4-3-3 Anos 70-80 1. Contabilidade 2. Previsão de vendas 3. Estoque 4. Compras 5. Planejamento 6. A pagar 7. Expedição 8. A receber 9. Vendas 10. Produção 11. Faturamento • Verticalizadas, processo internos, sem cooperação, sistemas ilhas, quatro paredes, ótimo local, auto independência, não gerencia o relacionamento DEPARTAMENTOS SEM INTEGRAÇÃO 5
  • 6. 4-5-1 Anos 80-90 1. Contabilidade 2. Previsão de vendas 3. Estoque 4. Compras 5. MRP II 6. Fornecedor 15. Transporte 8. Logística 9. Produção 10. Vendas 11. Faturamento • Just in Time, Kanban, Qualidade Total, terceirizações, maior sinergia entre fornecedores. Vendas procurando explorar a demanda. Busca por relacionamento interno CHOQUE DE GESTÃO COM QUALIDADE TOTAL 6
  • 7. 4 - 4 - 2 ou 3 - 5 - 2 Anos 90 em diante 12. Financeiro CFO 14. Armazenagem 3. Suprimentos 20. Fornecedor 15. Produção sincronizada 8. Transporte 6. Distribuição Logística 10. Atacado Distribuidor 7. Varejo 17. Cliente 25. Gestão da Demanda • Interdependência, core competência, fronteiras, sinergia, pedido perfeito, custo operacional,mais tecnologia, mais processos e gestão, inventários menores, maiores níveis de serviços, vantagem competitiva. FLUXO DE MERCADORIAS, DOCUMENTAÇÃO, FINANCEIRO E DA INFORMAÇÃO 7
  • 8. Criar seu próprio fluxo! Puxar o fluxo! DISTRIBUIÇÃO LOGÍSTICA 8
  • 9. ERP-SCM ÍNDICE I) Quem são nossos Clientes? II) Formação da Cadeia de Suprimentos? III) TI como Processo Viabilizador? IV) Quais são os Resultados? V) Quais são as tendências I) Tecnologia da Informação como viabilizador 1. • O que são processos viabilizadores 6. • Supply Chain Processos 2. • Forças Lógicas do Comportamento 7. • Supply Chain Processos 3. • A percepção de Serviço pelo Cliente 8. • Supply Chain Processos 4. • Cadeias pelo comportamento de compra 9. • TOTVS Consulting 5. • Supply Chain Processos 9
  • 10. GESTÃO Grandes avanços do Supply Chain Milk Run CPFR JIT Kanban CRM Lean 6 sigma SCOR Supply Chain Operations Reference – model) http://www.supply-chain.org/ 10
  • 11. O que são processos viabilizadores TI SCOR Supply Chain Operations Reference – model) http://www.supply-chain.org/ 11
  • 12. Valor Como segmentar a cadeia de valor pelo comportamento de compra do consumidor para ter maior vantagem competitiva? Soluções de TI
  • 13. Forças Lógicas do Comportamento A relação do comportamento humano no alinhamento da cadeia de valor Força para coesão, cooperação Força para criatividade, e relacionamento mudança e flexibilidade I Senti E mento Intuição A Sensa P Pensa ção mento Forças para análise, sistemas e Forças para energia, ação e controle resultados Quatro forças lógicas do comportamento predominante I- Integrador; A- Administrador; P- Produtor; D- Empreendedor 13
  • 14. A percepção de Serviço pelo Cliente A Percepção de Serviço pelo cliente Empatia e Inovativo com respostas relacionamento criativa para necessidades especiais I Me Senti E Surpree compr Intuição mento nda-me eenda A Seja Sensa consis P Pensa Respo ção mento nda tente Confiabilidade Previsibilidade e Resposta rápida em consistência um modelo comercial Quatro forças lógicas do comportamento predominante I- Integrador; A- Administrador; P- Produtor; E- Empreendedor 14
  • 15. Cadeias pelo comportamento de compra “Diferentes perfis necessitam e valorizam diferentes abordagens de atendimento, requerendo da empresa cadeias de valor distintas” Segmentação Fluxo Tipo de Foco da Cadeia demanda Cadeia Soluções Inovadoras Imprevisível Flexível Foco na capacidade de entrega rápida de Baixa Sensibilidade soluções inovadoras ou Preço E Resposta Rápida Irregular Rápida Foco na resposta rápida e comercial para Baixa fidelidade demandas pouco previsíveis. Consciente preço P Eficiência e Consistência Previsíveis Enxuta Foco em economia de escala, sinergias e Foco em eficiência produção de baixo custo Sensíveis a preço A Colaboração Regular Relaciona Foco no desenvolvimento de Fidelidade relação de mento relacionamento de fidelidade de clientes trabalho próximo com confiabilidade e serviços confiáveis I Quatro tipo de cadeia em função do comportamento de compra I- Integrador; A- Administrador; P- Produtor; E- Empreendedor 15
  • 16. Solução Além do controle temos soluções para produtividade, relacionamento e colaboração para gestão da cadeia de suprimentos! Fluxo Correto
  • 17. Supply Chain Processos Atividades de TI para suportar o Supply Chain Planejamento de distribuição e da Gerenciamento Gerenciamento Otimização de produção de do Pedido Estoque Armazéns ERP ERP ERP WMS 88% 85% 83% 81% CONTROLE CONTROLE PRODUTIVIDADE PRODUTIVIDADE
  • 18. Supply Chain Processos Visão do líder da cadeia Planejamento de Gerenciamento e demanda Planejamento de Peças Gerenciamento de de reposição Transporte ERP TMS ERP 78% 77% 74% RELACIONAMENTO PRODUTIVIDADE CONTROLE
  • 19. Supply Chain Processos Desempenho e Indicadores Visibilidade e desempenho do supply chain ERP 63% Sistema de planejamento S&OP 70% de vendas e Produção Planejamento e 73% programação da ERP capacidade
  • 20. Supply Chain Processos Colaboração Previsão Colaborativa ERP 43% Gerenciamento de COMEX 51% transaçães internacionais 53% Sistemas de VMI ERP
  • 21. Como! Melhores práticas de Gestão, serviços de consultoria além da implementação de software e entendimento dos patamares de gestão! Expansão
  • 22. Ciclos de Gestão Entendendo o modelo dinâmico de Gestão Diferencial competitivo Em cada ciclo de gestão uma indicação de implementação de softwares e processos Maior relação de retorno de investimento e resultados
  • 23. TOTVS Consulting Supply Chain é a linha de serviço que lida com a cadeia de suprimentos das empresas. Seja revendo a estratégia de compras de nossos clientes, seja otimizando estoques ou malhas de transporte, essa prática tem se mostrado de grande valor imediato para os nossos clientes. Casos de Sucesso E-business Otimização do Pátio Otimização da Gestão Produtos dos Estoques 2007 2006 2007  Strategic Sourcing Mapeamento dos processos do e- Otimização logística do principal Avaliação e melhoria da gestão business do Submarino e da pátio de transporte da Tegma do depósito de produtos da  Supply Chain Optimization Americanas.com Dadalto  E-Business Supply Chain  Logistic Diagnostic Experiências anteriores de nossos profissionais: Petrobras (Diversos) SHV Gas (Strategic Sourcing) Chevron (Logistic Diagnostic) Shell (Logistic Diagnostic) Ultragaz (Sourcing e Portal) Vale (SC Processes & Tools) Votorantim (SC Optimization) Supply Chain Cemig (SC Optimization e E-Business)
  • 24. ERP-SCM ÍNDICE I) Quem são nossos Clientes? II) Formação da Cadeia de Suprimentos? III) TI como Processo Viabilizador! IV) Quais são os Resultados? V) Quais são as tendências I) Título do Primeiro Capítulo 1. • Performance 2. • Trade-offs 3. • Resultados 24
  • 25. Performance Atributos de controle e resultado Modelo SCOR(Supply Chain Operations Reference Model) http://www.supply-chain.org 25
  • 26. Trade-offs Os resultados estão relacionados com as escolhas • Impacto dos atributos sobre as diferentes escolhas relativas a gestão da cadeia; – Um modo de diminuir o prazo de entrega de quem produz contra pedidos é passar a estocar o produto final: conseqüentemente, aumentam-se os estoques – Ser flexível e aceitar pedidos de venda muito além do previsto inicialmente pode acarretar custos extras de fretes e de produção. – A garantia de altos níveis de confiabilidade de entrega pode implicar na não-aceitação de pedidos urgentes que poderiam afetar a programação de entrega de demais pedidos já colocados. Significa dizer que a cada escolha existe uma renúncia 26
  • 27. Os resultados Os resultados estão relacionados com as escolhas • Confiabilidade representa a capacidade de entrega – O produto correto – No local correto – Na data correta – Nas condições corretas – Na quantidade correta – Com a documentação correta – Para o cliente correto • Rapidez representa a velocidade com que a cadeia entrega produtos • Flexibilidade é a capacidade de resposta da cadeia a mudanças de mercado para ganhar ou manter a vantagem competitiva • Custos associados a operação da cadeia como um todo • Ativos através da eficácia na sua gestão para suportar a demanda. Incluímos a gestão de todos os ativos fixos e de capital de giro Resultados alcançados com as SOLUÇÕES TOTVS 27
  • 28. ERP-SCM ÍNDICE I) Quem são nossos Clientes? II) Formação da Cadeia de Suprimentos? III) TI como Processo Viabilizador! IV) Quais são os Resultados? V) Quais são as tendências de Logística? I) Título do Primeiro Capítulo 1. • Caminhos 2. • Velhos Sapatos 3. • Novos Sapatos 4. • Characteristics Of The Future Supply Chain 2016 5. •As Is Situation: The Future Supply Chain 2016 6. •To Be Situation: The Future Supply Chain 2016 7. •Recomendação 28
  • 29. Caminhos Novos caminhos com velhos sapatos? Prof Dr Orlando Fontes Lima Jr LALT Laboratório de Aprendizagem em Logística e Transportes UNICAMP
  • 30. Velhos Sapatos  Volatilização de ativos  Gestão de risco  Operações colaborativas e integradas  Cadeias de Suprimentos sustentaveis  Uso intensivo de tecnologia  Crescimento das Pessoas
  • 31. Novos Sapatos  Mobilidade  Disponibilidade  Conectividade  Micro x Macro logística  Redes e sustentabilidade
  • 32. O que buscamos Entregar softwares e serviços para atender a necessidade de confiabilidade, flexibilidade, rapidez, custos e uso dos ativos para todos os nossos Clientes em toda a cadeia! Para os Novos Sapatos
  • 33. NOVOS RESULTADOS Baixos estoques de Fim do matérias-primas transporte e produtos perdido acabados NA CADEIA DE SUPRIMENTOS Fim de Fim da Alta Produtos queima de disponibilida Obsoletos produtos par de de no estoque a geração Produtos de caixa 33
  • 34. NOVOS RESULTADOS Menor Fim das Fidelidade nível de vendas do cliente descontos perdidas NA CADEIA DE SUPRIMENTOS Disponibilidade Aumento Aumento de de caixa para de vendas margem crescimento da empresa 34
  • 35. Characteristics Of The Future Supply Chain 2016 http://www.futuresupplychain.com/
  • 36. As Is Situation: The Future Supply Chain 2016 http://www.futuresupplychain.com/
  • 37. To Be Situation: The Future Supply Chain 2016 http://www.futuresupplychain.com/
  • 38. Tempos exponenciais DISTRIBUIÇÃO LOGÍSTICA 38
  • 39. Recomendação Correndo como os antílopes e comendo como os leões
  • 40. Conclusões QUESTÕES Palestrante sergio.grisa@totvs.com.br