Biodiversidade ppt

41,459
-1

Published on

Published in: Business, Technology
1 Comment
40 Likes
Statistics
Notes
  • obrigada elos belos trabalhos postados
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
No Downloads
Views
Total Views
41,459
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
18
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
1
Likes
40
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Biodiversidade ppt

  1. 1. Biodiversidade Módulo inicial
  2. 2. Biosfera Conjunto de todas as áreas da Terra onde existe vida (incluindo zonas profundas dos oceanos e parte da atmosfera) O conjunto dos seres vivos que habitam a terra, ou o espaço ocupado pelos mesmos seres. O quot;ecossistemaquot; inteiro da Terra
  3. 3. Biomas
  4. 4. Ecossistemas
  5. 5. Comunidades
  6. 6. População
  7. 7. Espécie
  8. 8. Biodiversidade O sentido de reverência face à complexidade e às maravilhas da vida deveria ser suficiente para incentivar o Homem a preservar a Biodiversidade.
  9. 9. 1. O que é a Biodiversidade A Diversidade Biológica significa a variabilidade entre os seres vivos provenientes de todas as origens incluindo entre outras, ecossistemas terrestres, marinhos e outros ecossistemas aquáticos, e os complexos ecológicos de que fazem parte; isto inclui diversidade intra- específica, inter-específica e dos ecossistemas. Artigo 2 da Convenção sobre Diversidade Biológica, assinada por 156 nações na Cimeira da Terra, no Rio de Janeiro em 1992.
  10. 10. Níveis de Biodiversidade Componente genética: variabilidade dentro de uma espécie. Componente taxonómica: variabilidade entre espécies e taxas supra-específicos. Componente ecológica: variabilidade de interacções dentro de um ecossistema e entre ecossistemas.
  11. 11. Componente genética A perda de variabilidade genética enfraquece as capacidades adaptativas, pelo que a diminuição de populações naturais para efectivos baixos se torna perigosa. As plantas cultivadas em grande escala (arroz, batata, milho, trigo ) estão-se a tornar cada vez mais uniformes do ponto de vista genético e por isso mais susceptíveis a doenças que as possam devastar.
  12. 12. É preocupante a diminuição da variabilidade genética de populações selvagens numa altura, como a actual, em que as condições ambientais se deterioram. Muitas estirpes agrícolas dependem de determinadas condições ideais (em termos de irrigação, nutrientes etc.) e é de prever que alterações ambientais como as que ocorrem devido ao aquecimento global, à diminuição da camada de ozono etc. poderão resultar em stress, em relação ao qual as plantas podem não ter capacidade de resposta.
  13. 13. Diversidade taxonómica Refere-se a diferenças entre espécies. Há cerca de 1.5 milhões de espécies descritas, mas calcula-se que existam pelo menos o dobro (May, 1992). As estimativas variam entre 2 a 30 milhões de espécies.
  14. 14. Diversidade ecológica Ocorre a um nível supra-específico, dos ecossistemas e das comunidades. As populações locais não vivem isoladamente, mantém interacções com outras espécies e com o meio abiótico, (tróficas, competitivas, mutualistas etc.)
  15. 15. Como se organiza a biodiversidade Os três domínios
  16. 16. Países que possuem, em conjunto, mais de dois terços da biodiversidade da Terra. 1. Austrália 10. Malásia 2. Brasil 11. México 3. China 12. Perú 4. Colômbia 13. Filipinas 5. Congo 14. África do Sul 6. Equador 15. Papua Nova Guiné 7. Índia 16. Estados Unidos 8. Indonésia 17. Venezuela 9. Madagáscar
  17. 17. 2. Ameaças à Biodiversidade o que é a crise da biodiversidade Crescimento da população humana (nascem 10000 pessoas a cada hora que passa)
  18. 18. Qual é a tua pegada ecológica? www.earthday.net,
  19. 19. Extinção de espécies Constituem o indicador mais claro de que as comunidades e os ecossistemas estão a ser afectados pelo homem.
  20. 20. Extinções Estimativas sobre a taxa actual de extinção apontam para um valor 100 a 1000 maior do que a taxa natural na ausência do Homem. Corresponde a uma taxa da mesma ordem de grandeza de algumas das maiores extinções maciças do passado, como no final do Cretácico.
  21. 21. Porque é a perda de biodiversidade uma crise Perda de valor económico Perda de benefícios ecológicos Ecossistemas ficam mais vulneráveis à sua degradação
  22. 22. Factores responsáveis pela perda de Biodiversidade Destruição ou degradação do habitat Fragmentação do habitat Sobre-exploração(ex. baleia, atum, bacalhau) Introdução de exóticas Poluição Alterações globais do clima
  23. 23. Quais as principais causas Destruição e fragmentação dos habitats Modificação dos habitats Introdução de espécies invasoras Sobre-exploração
  24. 24. Destruição e fragmentação do habitat
  25. 25. Modificação dos habitats
  26. 26. Derrames de petróleo
  27. 27. Esgotos Esgotos
  28. 28. Introdução de espécies exóticas Espécies não nativas da área onde foram introduzidas.
  29. 29. Extinções A causa mais óbvia para a extinção de uma espécie é a sobre-exploração. Madeiras, peles, conchas, animais de estimação, marfim, chifres de rinoceronte, carne e óleo de baleia . Colapso da exploração piscícola. 100 milhões de toneladas de pescado por ano, mais 27 milhões de toneladas apanhadas e deitadas fora.
  30. 30. 3. Porquê preservar a biodiversidade Motivos éticos e culturais Benefícios económicos imediatos Benefícios indirectos
  31. 31. Valor económico Benefícios económicos imediatos Recursos, como os alimentares Medicina, medicamentos Genes e biotecnologia
  32. 32. Utilitários Prevenir a erosão Purificar a água Reciclar o CO2 Regular o clima Reciclar nutrientes (decompositores)
  33. 33. Benefícios indirectos da biodiversidade As espécies, nas comunidades naturais fornecem gratuitamente serviços sem os quais muitas actividades humanas e a própria vida em geral seriam impossíveis.
  34. 34. O oxigénio que respiramos é fornecido pelas plantas
  35. 35. A decomposição e a reciclagem da matéria orgânica é feita por seres vivos
  36. 36. As larvas de muitos peixes e mariscos desenvolvem-se em estuários, sapais, ou mangais. Estes juvenis irão enriquecer os stocks costeiros.
  37. 37. Cerca de 1/3 da alimentação humana depende directa ou indirectamente da polinização. Os pesticidas eliminam os polinizadores
  38. 38. As espécies de qualquer ecossistema estão envolvidas em complexas interacções, em grande parte desconhecidas, e dada a dificuldade de as identificar em estudos de campo de curta duração, não podemos prever quais as consequências que a extinção, ou a diminuição de uma espécie, podem ter. Assim a única recomendação é prudência!
  39. 39. Como preservar a biodiversidade In situ Ex situ 1. Áreas protegidas 2. Esforço de classificação 3. Comércio de espécies 4. Alterações climáticas globais 5. Conservação extra-reservas 6. Desenvolvimento sustentável
  40. 40. A actual legislação portuguesa respeitante a Áreas Protegidas consagra cinco figuras classificatórias: Parque Nacional, Parque Natural, Reserva Natural, Monumento Natural e Paisagem Protegida. http://portal.icn.pt
  41. 41. Parque nacional Área com ecossistemas pouco alterados pelo homem, amostras de regiões naturais características, paisagens naturais ou humanizadas, locais geomorfológicos ou habitats de espécies com interesse ecológico, científico e educacional.
  42. 42. Parque natural Área que se caracteriza por conter paisagens naturais, seminaturais e humanizadas, de interesse nacional, sendo exemplo de integração harmoniosa da actividade humana e da Natureza e que apresenta amostras de um bioma ou região natural.
  43. 43. Existem actualmente treze Parques Naturais: Montesinho, Douro Internacional, Litoral Norte, Alvão, Serra da Estrela, Tejo Internacional, Serras d'Aire e Candeeiros, São Mamede, Sintra-Cascais, Arrábida, Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina, Vale do Guadiana Ria Formosa.
  44. 44. Reserva natural Área destinada à protecção de habitats da flora e fauna.
  45. 45. Paisagem protegida Área com paisagens naturais, seminaturais e humanizadas, de interesse regional ou local, resultantes da interacção harmoniosa do homem e da Natureza que evidencia grande valor estético ou natural.
  46. 46. Monumento natural Ocorrência natural contendo um ou mais aspectos que, pela sua singularidade, raridade ou representatividade em termos ecológicos, estéticos, científicos e culturais exigem a sua conservação e a manutenção da sua integridade.
  47. 47. A humanidade tem a responsabilidade moral e ética de cuidar a vida na Terra A diversidade de espécies é indicadora da forma como gerimos o planeta, de modo sustentado ou não, da gestão que fazemos dos recursos naturais.

×