SemináRio

2,320 views

Published on

Published in: Education, Travel
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
2,320
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
4
Actions
Shares
0
Downloads
64
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

SemináRio

  1. 1. MULTICULTURALISMO<br />CURRÍCULOS E FORMAÇÃO DE PROFESSORES<br />
  2. 2. CULTURA<br />CULTURA<br />
  3. 3. O QUE É CULTURA?<br />O QUE É CULTURA?<br />Seu significado foi mudando ao longo dos séculos. No latim, falado em Roma, significava inicialmente “ cultivo a terra “; e, logo por extensão metafórica “ cultivo das espécies humanas” . Às vezes, alternava com civilização, que também deriva do latim e se usava como algo oposto ao selvagem, a barbárie ou até mesmo ao rústico. Civilizado era o homemeducado. <br />
  4. 4. UM POUQUINHO DE HISTÓRIA<br />Desde o século XVIII, o romantismo impôs uma diferença entre civilização e cultura. O primeiro  termo se utilizava para nomear o desenvolvimento econômico e tecnológico, o  material. Já o segundo, para referir-se ao espiritual, ou seja, ao cultivo das faculdades intelectuais.<br />UM POUQUINHO DE HISTÓRIA<br />
  5. 5. UM POUQUINHO DE HISTÓRIA<br />O uso da palavra cultura cabia então com tudo que tivesse a ver com a filosofia, ciência, arte, religião. Além disso, estendia- se a qualidade de culto não tanto como um traço social, mas sim como individual.<br /> Desta forma, chegou–se a 3 denominações: <br />UM POUQUINHO DE HISTÓRIA<br /><ul><li>Cultura - Saberes, Literatura, Filosofia.
  6. 6. cultura - Traços  e características de um povo.
  7. 7. Kultura - cultura midiática; fama pelos meios de comunicação. Ex: Ícones com Madona, Paulo Coelho...</li></li></ul><li>A princípio começa definindo Aculturação. <br />DISCUSSÃO SOBRE CULTURA E SUAS VARIAÇÕES<br />DISCUSSÃO SOBRE CULTURA E SUAS VARIAÇÕES<br />por Fernando Ortiz em Del fenômeno social de la “transculturación” y de su importância en Cuba. <br /><ul><li>Explicação para o melhor entendimento do vocábulo Aculturación:</li></ul>Aculturación: A- Vem de ad do inglês. Em espanhol significa añadir = agregar, acrescentar.<br />Aculturación - Por” aculturación”,   deseja- se significar o processo de trânsito de uma cultura para outra e suas repercussões sociais de todo gênero. <br />Transculturación:” Temos escolhido o vocábulo “transculturación” para expressar os variadíssimos  fenômenos que se originam em Cuba por meio das complexas transmutações de culturas que aqui se verificam e que sem conhecê-las , é impossível entender a evolução  do povo cubano .”  <br />
  8. 8. PRINCIPAIS FATORES CONTRUBUINTES PARA O RECONHECIMENTO DE UMA DETERMINADA CULTURA<br /><ul><li>Valores econômicos;
  9. 9. Valores Institucionais;
  10. 10. Valores jurídicos;
  11. 11. Valores religiosos;
  12. 12. Valores artísticos;
  13. 13. Valores lingüísticos;
  14. 14. Valores psicológicos;
  15. 15. Valores sexuais; </li></ul>PRINCIPAIS FATORES CONTRIBUINTES PARA O RECONHECIMENTO DE UMA DETERMINADA CULTURA<br />
  16. 16. ACULTURAÇÃO E DESCULTURAÇÃO<br />Após ter discutido sobre cultura sob diferentes pontos de vista, chego a seguinte dialética: <br />Aculturação (tese)         +        Desculturação (antítese)<br />= <br />Neoculturação ( Transculturação )<br />ACULTURAÇÃO E DESCULTURAÇÃO<br />
  17. 17. TEXTOS COMPLEMENTARES<br />Textos que apontam para cultura sob um enfoque crítico, abordando aspectos da geografia, política, sociologia, antropologia e lingüística: <br />TEXTOS COMPLEMENTARES<br />Hispanoamérica: Carta geográfica de su cultura. Certidumbre de América  <br />Não é a Taco Bell: Apontamentos sobre McOndo e o neoliberalismo mágico – Alberto Fuguet. In: RESENDE, Beatriz(org). A literatura latino- americana do séc.XXI.RJ Aeroplano, 2005. <br />Los hijos de la Malinche. PAZ, Octavio. El labirinto de la soledad .Méx.: F.C.E., 2001. <br />
  18. 18. GLOBALIZAÇÃO<br />GLOBALIZAÇÃO<br />
  19. 19. O QUE É GLOBALIZAÇÃO?<br />O QUE É GLOBALIZAÇÃO?<br />Para Barbe, seu caráter é um fenômeno político-econômico, onde a democracia não se capacita mais como forma política para os dois tipos econômicos que descreve como pré-industrialismotribalista ou o pós-industrialismo globalizado.<br />No que tange a cultura, ela acaba por se tornar um instrumento na mão da economia por através da ajuda dos veículos de comunicação ditar qual deve ser o interesse da população mundial que nesse momento é dominado pelos Estados Unidos da América.<br /> A globalização é um fenômeno que aprofunda a integração entre economia, social, cultura e política.<br />Possui quatro teóricos importantes: Antonio Negri, Daniele Conversi r, Samuel P. Huntington e Benjamim Barbe.<br />Para os três primeiros, a globalização possui um cunho mais cultural e como falado por Huntington como sendo um processo de expansão da cultura ocidental e do sistema capitalista sobre os demais modos de vida e de produção do mundo.<br />
  20. 20. Na educação brasileira, esse fenômeno é muito bem mostrado já que a globalização no seu lado mais perverso, evidencia a indiferença que existe entre os países tidos por desenvolvidos em relação aos países de terceiro mundo. Como noticiado pelo jornal eletrônico da PUC/SP em 26/11/2007, que diz:<br />Brasil fica para trás na globalização da educação<br />Alto custo do estudo no exterior deixa brasileiros em desvantagem; atrás do México, Brasil está em 16º lugar no ranking dos países que mais enviam alunos para os EUA; China e Índia vêm primeiro.<br />A INFLUÊNCIA DA GLOBALIZAÇÃO NA EDUCAÇÃO BRASILEIRA<br />A INFLUÊNCIA DA GLOBALIZAÇÃO NA EDUCAÇÃO BRASILEIRA<br />
  21. 21. Não é apenas na economia que os países asiáticos em desenvolvimento estão dominando mais mercados que a América Latina.<br /> Lá, a globalização na educação também está andando a passos mais largos. De acordo com uma pesquisa do Instituto de Educação Internacional (IIE, na sigla em inglês), de Nova York, indianos e chineses são 26% dos estudantes nas universidades dos Estados Unidos no ano letivo 2006/2007 e ocupam os primeiros lugares de um ranking sobre estrangeiros em escolas americanas.<br />Além dos asiáticos do Bric (sigla para os emergentes Brasil, Rússia, Índia e China), Coréia do Sul, Japão e Taiwan também aparecem no topo no estudo Open Doors (Portas Abertas). O Brasil, em 16º lugar é, depois do México, o latino-americano mais bem colocado.<br />A INFLUÊNCIA DA GLOBALIZAÇÃO NA EDUCAÇÃO BRASILEIRA<br />A INFLUÊNCIA DA GLOBALIZAÇÃO NA EDUCAÇÃO BRASILEIRA<br />
  22. 22. TEORIA DO MULTICULTURALISMO<br />TEORIA DO MULTICULTURALISMO<br />
  23. 23. POSIÇÕES EM RELAÇÃO À PRESENÇA DE DISTINTOS GRUPOS CULTURAIS EM UMA MESMA SOCIEDADE<br /><ul><li>Multiculturalismo conservador
  24. 24. Multiculturalismo liberal
  25. 25. Multiculturalismo liberal de esquerda
  26. 26. Multiculturalismo crítico </li></ul>POSIÇÕES EM RELAÇÃO À PRESENÇA DE DISTINTOS GRUPOS CULTURAIS EM UMA MESMA SOCIEDADE<br />
  27. 27. MULTICULTURALISMO CONSERVADOR<br /><ul><li>Ilustrado pelas representações referentes aos afro-americanos como escravos e servos, comum na atitude imperialista da Europa e dos Estados Unidos em relação a eles.
  28. 28. Pressupõe a inferioridade e a incapacidade de outros grupos raciais.
  29. 29. A elite cultural branca busca construir uma cultura comum, minimizando ou anulando os saberes, os dialetos, as crenças, os costumes e os comportamentos de grupos subordinados.
  30. 30. Pressupõe  a hegemonia do capital cultural da classe média.</li></ul>MULTICULTURALISMO CONSERVADOR<br />
  31. 31. MULTICULTURALISMO LIBERAL<br /><ul><li>Defende a igualdade natural entre brancos, afro-americanos, latinos, asiáticos e outros grupos étnicos.
  32. 32. Considera que todos apresentam a mesma capacidade intelectual e, portanto capazes de competir e ascender na sociedade capitalista.
  33. 33. Crença na possibilidade de remoção de obstáculos injustos através de reformas não traumáticas.
  34. 34. Criticada por secundarizar a força das restrições estruturais lhe conferindo um caráter ingênuo.</li></ul>MULTICULTURALISMO LIBERAL<br />
  35. 35. MULTICULTURALISMO LIBERAL DE ESQUERDA<br /><ul><li>Aceita as diferenças entre as raças.
  36. 36. Considera que a visão de igualdade termina por negligenciar as importantes características que diferem uma raça de outra.
  37. 37. Seus adeptos terminam desconsiderando a cultura dominante e privilegiando um conjunto não questionando manifestações culturais de grupos oprimidos. </li></ul>MULTICULTURALISMO LIBERAL DE ESQUERDA<br />
  38. 38. MULTICULTURALISMO CRÍTICO<br /><ul><li>Enfatiza o papel da linguagem e das representações na construção do significado e da identidade.
  39. 39. As lutas sociais são entendidas como resultado das representações de raça, classe e gênero.
  40. 40. Necessidade de transformação das relações sociais, culturais e institucionais nas quais o significado das representações (raça, classe e gênero) é visto como lutas sociais. </li></ul>MULTICULTURALISMO CRÍTICO<br />
  41. 41. MULTICULTURALISMO E FORMAÇÃO DOS PROFESSORES<br />MULTICULTURALISMO E FORMAÇÃO DOS PROFESSORES<br />
  42. 42. MULTICULTURALISMO E EDUCAÇÃO<br />MULTICULTURALISMO E EDUCAÇÃO<br /> Diante do contexto multicultural em que a educação está inserida atualmente faz-se necessário uma concepção de  pedagogia que compreenda as diferentes culturas, buscando harmonizá-las  de modo que os alunos sintam-se a vontade para discutir e refletir sobre o diferente excluindo-se de  preconceitos e possíveis rixas entre os grupos sociais, étnicos ou religiosos.  <br />
  43. 43. A proposta de uma formação docente em que o professor esteja preparado para construir com seus alunos essas concepção a cerca do difrente são discutidas por diversos autores, como  Moreira e Lima.  <br />Para Moreira, esse profissional não deve apenas estar aberto ao diálogo com as diferentes manisfestações culturais, mas também ter as habilidades necessárias à promoção de um diálogo que favoreça a crítica e a autocrítica. <br />Moreira propõe ainda alguns principios básicos que facilitariam a formação desse profissional, dentre eles destaca-se:  formação de professores menos preconceituosos; literatura mais específica que trate desse assunto; organização de um currículo que favoreça aos professores, mostrando-lhes os caminhos a seguir; associação de  literatura específica  a um professor culturalmente comprometido., é aqui que Moreira e Lima se fundem.  <br />A FORMAÇÃO DOCENTE<br />A FORMAÇÃO DOCENTE<br />
  44. 44. Para Lima  um professor culturalmente comprometido, ou seja, a ideia de um professor como intelectual, que é &quot;capaz se engajar em um diálogo crítico  com o mundo&quot; , &quot; um herdeiro, crítico e intérprtete da cultura, para um função escolar&quot;; um profissional que seja capaz de  propor práticas em que os alunos foram levados a lidar com difrerente, a refletir sobre essas questões. <br />Interessante lembrar que Lima, em seu texto afirma que uma formação sólida  apenas parte do conjunto de condições necessárias ao professor culturalmente comprometido, ainda é necessário boas condições de trabalho e de carreira.  Não é possível exigir que corra apenas por conta do empenho pessoal de cada professor. <br />A FORMAÇÃO DOCENTE<br />A FORMAÇÃO DOCENTE<br />
  45. 45. É necessário também atentar ao fato de que com o intuito de refletir sobre o multiculturalismo em sala de aula nossos professores não supervalorizem preocupações com questões pessoais nos procedimentos escolares.  Novas maneiras de pensar o diferente devem ser analizadas e postas em prática com o intuito de pensar sobre, refletir e estabelecer meios de aceitar a diversidade e a complexidade individual. <br />CONCLUSÃO<br />CONCLUSÃO<br />
  46. 46. PERGUNTAS<br />
  47. 47. SEMINÁRIO APRESENTADO POR:<br />Amanda<br />Glória Paz Brum<br />Talita<br />Thamires Gonçalves<br />Thallyta<br />Ueslei Reis<br />

×