R&C 0301 07 1
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

R&C 0301 07 1

on

  • 615 views

 

Statistics

Views

Total Views
615
Views on SlideShare
615
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
4
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

R&C 0301 07 1 R&C 0301 07 1 Presentation Transcript

    • 3ª Parte
    • Protocolos de Transporte
  • 3.1 - X.25
    • Protocolo X.25:
      • Desenvolvido no inicio dos anos 70 pelo CCITT (Comité Consultivo de Telefones e Telégrafos Internacional), agora ITU ( International Telecommunications Union )
        • Protocolo standard de telecomunicações, (ainda) utilizado
          • Ex. rede Telepac
      • Protocolo de comutação de pacotes:
        • Encaminhamento de pacotes de dimensão variável
        • Necessidade de processamento de pacotes por nós
        • + Utilizadores Atrasos de transmissão
        • Controlo de erros/fluxo ponto-a-ponto (protocolo fiável)
        • 1 canal físico partilhado por diferentes utilizadores
    • Protocolo X.25:
      • Protocolo Connection-oriented
        • Todas as mensagens efectuam o mesmo percurso na rede (Circuito Virtual)
        • Garante ordem cronológica na chegada de pacotes
        • Utilização de circuitos virtuais, possibilita:
          • Circuitos temporários por chamada
          • Circuitos permanentes
      • Pouco apropriado para aplicações de tempo-real
        • Pacotes sujeitos a atrasos variáveis
        • Baixas velocidade (64 Kbps)
          • Transporta de bastante informação de controlo ( overhead )
    3.1 - X.25
      • Pacotes de vários utilizadores (clientes) de uma rede X.25 (fornecedor) são multiplexados numa única ligação para acederem a serviços e/ou outras redes
    3.1 - X.25 A B C R C C C C B A C B A R Link X.25 A A A B B B Servidor Remoto Gateway c Interface X.25 Rede X.25
  • Aplicação Apresentação Sessão Transporte Rede Ligação de dados Física X.25 - PLP OSI X.25 LAPB X.21 Relação entre X.25 e modelo OSI 3.1 - X.25
      • Camada Física
        • Possibilidade de utilização de uma série de protocolos standards : X21, X21bis
          • Comunicação Terminal (DTE) / Rede (DCE)
      • Camada Ligação de Dados
        • Protocolo LAPB ( Link Access Procedure-Balanced )
          • Comunicação fiável ao nível da trama
      • Camada Rede
        • Protocolo PLP ( Packet Layer Protocol)
          • Gestão de estabelecimento de ligações virtuais
    3.1 - X.25
  • 3.1 - X.25 Equipamentos de Rede X.25: DTE – Data Terminal Equipment DCE – Data Communication Equipment PSE – Packet Switching Exchange PAD – Packet Assembler / Disassembler * Buffering – armazenamento de pacotes * Assemblar/Desassemblar pacotes * Inserção/Remoção de cabeçalho * Acoplado a DTE
  • 3.1 - X.25 Circuito Físico vs. Circuito Virtual em Rede X.25:
    • 2 tipos de Circuito Virtual:
    • SVC – Switched Virtual Circuit
      • ligação lógica temporária estabelecida durante a comunicação DTE-DTE
    • PVC – Permanent Virtual Circuit
      • ligação lógica permanente sem necessidade de estabelecimento prévio
    • ligação sempre activa.
  • 3.1 - X.25 GFI – General Format Identifier Identificador de formato de pacote: * Dados ou Controlo LCI – Local Channel Identifier Identificador de circuito virtual PTI – Packet Type Identifier Identificador de tipo de pacote: * ex. setup , reset de ligação
  • 3.1 - X.25 Flag – Delimitador de trama Address – Endereço de nó destino Control – Especifica Numero de sequência + tipo de trama: * Trama S (Supervisão), I (Informação) ou U(não numerada) Data – contém o pacote PLP de layer 3 FCS – Frame Check Sequence Checksum de trama
    • Protocolo Frame-Relay
      • Protocolo de transporte de tramas - normas ITU-T Q.922 e Q.933
        • Implementado em meados do anos 80, com o objectivo de contornar limitações de velocidade de X.25
      • Apropriado para redes rápidas e fiáveis - fibras ópticas
        • Controlo de Fluxo
        • Controlo de Erros
        • Nós apenas realizam funções de encaminhamento das tramas:
          • Não detectam erros
          • Eliminam tramas se não as reconhecerem (endereços)
        • Suporta e garante maiores velocidades de transmissão
          • n x 64 Kpbs
      • Connection Oriented - circuitos virtuais
      • Garantia de ritmo de transmissão (CIR)
    3.2 – Frame Relay Realizado nos Protocolos das camadas Superiores (Terminais) Não requerem retransmissão
    • Protocolo Frame-Relay
      • Connection Oriented - circuitos virtuais:
        • PVC - Permanent Virtual Circuit Circuito Permanente
          • Gestão mais simples de rede
          • Pré-Definição de características de ligação
            • Velocidade
            • Dimensão de pacotes
        • SVC - Switched Virtual Circuit Circuito Comutado
          • Gestão dinâmica de rede
    3.2 - Frame Relay
      • Interligação de LANs (clientes) através de uma rede de pública de comutação de pacotes (fornecedor)
    3.2 - Frame Relay FRAD Rede Frame-Relay - Fornecedor: FRAD PVC Gw Gw Hub R FRAD - Frame Relay Access Device FRS - Frame Relay Switch PVC - Permanent Virtual Circuit Cliente Cliente FRS
  • Aplicação Apresentação Sessão Transporte Rede Ligação de dados Física OSI Frame Relay Frame Relay Relação entre Frame-Relay e modelo OSI 3.2 - Frame Relay
      • Estrutura de trama Frame-Relay
        • Flag - padrão de bits que identifica inicio/fim de trama
        • Cabeçalho:
          • DLCI - Data Link Connection Identifier
            • Identificador de Circuito Virtual
          • DE - Bit Discard Eligibility
            • Identificador de tramas menos prioritárias
          • FECN - Forward Explicit Congestion Notification
          • BECN - Backward Explicit Congestion Notification
        • FCS - Frame Check Sequence
          • Checksum do cabeçalho da trama
    3.2 - Frame Relay Bits de Notificação de congestionamento nos sentidos E>R (FECN) e R>E (BECN) Flag Cabeçalho Informação FCS Flag
      • Controlo de congestionamento na rede Garantia de QoS:
        • Contrato Débito de Ligação - parâmetros negociados Rede/Utilizador:
          • CIR - Commited Information Rate
            • Velocidade média que rede se compromete a disponibilizar
          • CBS - Commited Burst Size
            • Dimensão média de pacote de dados ( bits ) que rede se compromete a transmitir por unidade tempo T
            • CIR = CBS / T
          • AR – Access Rate
            • Velocidade máxima do canal do utilizador
          • EBS - Excess Burst Size
            • Dimensão máxima de pacote de dados (acima de CBS) que rede tentará transmitir por unidade de tempo T
            • AR = EBS / T
    3.2 - Frame Relay
  • 3.2 - Frame Relay Ritmo Máximo Canal (AR) CIR Ritmo Tx Tempo Transmissão Garantida Transmissão se possível Excesso Eliminado
      • Controlo de congestionamento na rede:
        • Utilizador compromete-se a respeitar contrato c auto-disciplina
        • Rede compromete-se a respeitar o contrato com:
          • Controlo de Policiamento (utilizadores correntes)
          • Controlo de Admissão (novos utilizadores)
        • Utilização de parâmetros FECN/BECN
          • FECN: Indicar a elemento de rede que recebe trama que foi detectado congestionamento no caminho que percorreu
            • Receptor recebe trama e reduz ritmo de transmissão (inversa)
          • BECN: Informação transportada por tramas que fazem percurso inverso ao das tramas que encontram congestionamento
            • Emissor recebe trama e reduz ritmo de transmissão
          • Bit DE=1 em tramas de Aplicações:
            • -- Prioritárias
            • Não cumpridoras de valores de Contrato de Tráfego
    3.2 - Frame Relay
    • RDIS - Rede Digital com Integração de Serviços
    3.3 - RDIS
      • Integração de serviços dispersos por várias redes numa única rede
        • Ex: telefone, telex e dados
      • Melhor qualidade Rede Digital
      • Acessos simultâneos / Maior velocidade (do que rede analógicas)
    Comutação digital Comutação digital
    • Interfaces RDIS
      • Acesso Básico (BA - Basic Access )
        • 2 Canais B - Dados a 64 Kbit/s
        • 1 Canal D - Sinalização a 16 Kbit/s
      • Acesso Primário (PA - Primary Access )
        • 30 Canais B (Versão americana tem 23 canais)
        • 1 Canal D - Sinalização a 64 Kbit/s
        • 1 Canal de sincronismo de 64 Kbit/s
    3.3 - RDIS
  • Sessão Aplicação Apresentação LAPD ISDN Modelo OSI / Protocolos ISDN LAPD - Link Acess Procedure on D Channel 3.3 - RDIS Rede Transporte Ligação de dados Física
  • 3.3 - RDIS i) Serviços de suporte Serviços de telecomunicações são classificados em 3 grupos ii) Teleserviços iii) Serviços suplementares
    • Serviços de Suporte
      • Possibilitam a transferência de informação digital entre utilizadores
      • Caracterizados pelo seguinte conjunto de atributos:
        • Transferência de Informação
        • Acesso
        • Gerais
    3.3 - RDIS Atributos de transferência de informação Serviços Suplementares oferecidos pela rede Canal (D/B) + Ritmo de Acesso Modo de Tx: CS / PS Tipo de Serviço: * Dados, Audio, Video RDIS Atributos de Acesso Atributos Gerais
    • Teleserviços
      • Serviço de comunicação entre:
        • 2 Utilizadores
        • Utilizador/Servidor de Rede
      • Tipos de Teleserviços:
        • Telefonia - Transmissão bidireccional de um sinal de voz com largura de banda 3,1 KHz
        • Teletexto - Transmissão de informação em modo carácter
        • Telefax - Transmissão de informação em modo facsimile
          • Documentos com resolução até 400 dpi
        • Videotexto - Transmissão de informação em modo alfa-fotográfico
          • Texto + Gráficos + Imagens
    3.3 - RDIS
    • Serviços Suplementares
      • Modificam/complementam um serviço básico de telecomunicações (teleserviço)
      • Não têm existência autónoma
        • São disponibilizados em associação com serviços básicos
      • Existem 8 tipos de Serviços Suplementares:
        • Identificação de número
        • Oferta de chamadas
        • Estabelecimento de chamadas
        • Multi-utilizador
        • Comunidade de utilizadores
        • Taxação
        • Transferência de informação adicional
    3.3 - RDIS
    • Identificação de Número
      • DDI - Direct Dialing In
      • MSN - Multiple Subscriber Number
      • CLIP - Calling Line Id. Presentation
      • CLIR - Calling Line Id. Restriction
      • COLP - Connected Line Id. Presentation
      • COLR - Connectede Line Id. Restriction
      • MCID - Malicious Call IDentification
    • Oferta de Chamadas
      • CT - Call Transfer
      • CFB - Call Forwarding Busy
      • CFNR - Call Forwarding No Reply
      • CFW - Call Forwarding Immediate
    • Estabelecimento de Chamadas
      • CW - Call Waiting
      • TP- Terminal Portability
    • Multi-utilizador
      • CONF - Conference Call
      • 3PTY - Three-Party Service
    • Comunidade de Utilizadores
      • CUG - Closed User Group
    • Tarifação
      • AOC - Advice Of Charging
      • RC - Reverse Charging
    • Transferência de Informação Adicional
      • UUS - User-to-User Signaling
    3.3 - RDIS Resumo dos serviços suplementares
    • Identificação de número - permitem facilidades adicionais relacionadas com endereços
      • Marcação Directa de Entrada (DDI)
        • Permite a um utilizador chamar directamente outro utilizador, num sistema privado, sem intervenção de operadora
      • Identificação de Linha Chamadora (CLIP)
        • Serviço oferecido ao utilizador chamado, que lhe fornece o número RDIS do chamador
      • Restrição de Identificação de Linha Chamadora (CLIR)
        • Serviço oferecido ao utilizador chamador, restringe a apresentação do seu número RDIS no terminal chamado
      • Identificação de Linha Ligada (COLP)
        • Serviço oferecido ao utilizador chamador, que lhe fornece o número RDIS do utilizador ao qual ele está efectivamente ligado
    3.3 - RDIS
      • Restrição de Identificação de Linha Ligada (COLR)
        • Serviço oferecido ao utilizador ligado, que restringe a apresentação do seu número ao chamador
      • Anulação de Restrição de Id. de Linha Chamadora (CLIR override )
        • Permite a identificação do número RDIS do chamador, mesmo quando este possui CLIR
      • Identificação de Chamada Mal Intencionada (MCID)
        • Permite ao utilizador que recebe uma chamada mal intencionada a identificação do chamador (sobrepondo-se ao CLIR). Esta chamada fica identificada na central
      • Número de Utilizador Múltiplo (MSN)
        • Permite atribuir múltiplos números RDIS a uma única interface
    3.3 - RDIS
    • Oferta de chamadas - permitem efectuar operações de redireccionamento de chamadas
      • Transferência de Chamadas (CT)
        • Permite a um utilizador transferir uma chamada estabelecida para um terceiro terminal, independentemente de ter sido originada ou recebida pelo utilizador
      • Redireccionamento se Ocupado (CFB)
        • Permite a um utilizador ter as suas chamadas de entrada reencaminhadas para outro terminal, se o seu se encontrar ocupado
      • Redireccionamento se Não Responder (CFNR)
        • Permite a um utilizador ter as suas chamadas de entrada reencaminhadas para outro terminal, se o seu não as atender
      • Redireccionamento Incondicional (CFU)
        • Permite a um utilizador ter as suas chamadas de entrada reencaminhadas para outro terminal incondicionalmente
    3.3 - RDIS
    • Estabelecimento de chamadas - Permitem efectuar operações de controlo de estabelecimento de chamadas
      • Chamada em Espera (CW)
        • Permite a um utilizador ser avisado da existência de uma chamada de entrada, com a indicação de que não há canal de informação (B) disponível na interface
      • Portabilidade de Terminal (TP)
        • Permite ao utilizador interromper uma chamada existente e posteriormente restabelecer a ligação noutro local
    3.3 - RDIS
    • Multi-utilizador - Permitem efectuar operações de controlo de chamadas envolvendo vários interlocutores
      • Chamada de Conferência (CONF)
        • Permite a um utilizador comunicar simultaneamente com vários utilizadores, os quais podem também comunicar entre si
      • Conferência Tripartida (3PTY)
        • Permite a um utilizador juntar 2 chamadas numa conversação a três
    3.3 - RDIS
    • Comunidade de Utilizadores - permitem a definição de atributos a grupos de utilizadores
      • Grupo Fechado de Utilizadores (CUG)
        • Permite formar grupos de utilizadores para os quais o acesso é restrito (ex.: elementos desse grupo podem comunicar entre si mas não para fora desse grupo)
    • Taxação - serviços relacionados com a contabilização de custos de chamadas
      • Aviso de Taxação (AOC)
        • Permite ao utilizador que paga a chamada receber informação da taxação relativa a essa chamada, no inicio, durante ou no fim da chamada
      • Tarifação no Destinatário (REV)
        • Permite imputar ao receptor de uma chamada o custo da mesma
    3.3 - RDIS
    • Transferência de informação adicional - permitem definir formas adicionais de transferência de informação
      • User-to-User Signaling (UUS)
        • Permite a um utilizador RDIS enviar/receber informação de/para outro utilizador RDIS, sobre o canal de sinalização em associação com uma chamada para outro utilizador RDIS
    3.3 - RDIS