• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Mulheres!
 

Mulheres!

on

  • 1,086 views

 

Statistics

Views

Total Views
1,086
Views on SlideShare
1,086
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
9
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Mulheres! Mulheres! Document Transcript

    • Mulheres! Guião
    • Michael era um homem comum, como todos os outros da cidade... bebia cerveja, berrava com a mulher e o seu emprego era mal pago. Mas um dia, de repente, tudo mudou. Eram 9 horas da manhã e, ele estava na taberna habitual, a tomar o café habitual antes do emprego habitual, quando, a porta de entrada abre-se bruscamente. Eram duas ou talvez três mulheres, com a roupa apertada e lindas de morrer! Mas Mike só se concentrava num, mais tarde veio a aperceber-se do seu erro. As mulheres dirigiram-se ao balcão e, pediram três cervejas. À espera das cervejas, as mulheres repararam no Mike e dirigiram-lhe a palavra: - Quem és tu? - Ah!? Bem... Eu... Sou...Michael... – disse Mike gaguejando - Michael não, Mike! - exigiu ela. Depois de beberem as cervejas as mulheres foram embora enquanto uma piscava o olho a Mike. Mike, que se tinha distraído, olhou para o relógio, eram 9 horas e 45 minutos. Repentinamente, levantou-se e foi a correr para o carro ouvindo o senhor empregado berrar: - O senhor não pagou a conta!!! São 60 cêntimos! Mas não lhe adiantou de nada, para além de Mike estar atrasado, ele não tirou aquela mulher da cabeça. Quando chegou ao seu emprego, aliás, ele era um contabilista, trocou as facturas todas e enganou-se nas contas principais... o seu patrão foi ver o que se passava e quando chegou à sua beira reparou que ele tinha numa folha de papel um esboço de uma mulher que ele não conhecia!
    • - Michael! – chamou o patrão - Diga senhor. - Está despedido, apanhei esta folha no seu escritório, o senhor anda a brincar no seu trabalho! - Mas... por favor... – tentou Mike - Nem pensar! Mike foi-se embora do seu ex-gabinete e levou todas as suas coisas. Quando chegou a casa, mais cedo do que o habitual, a mulher perguntou-lhe: - Então homem? Agora andas a descansar em vez deires ganhar dinheiro!? Sabes que tens que sustentar esta família... - Florinda, tenho que te dizer uma coisa... fui despedido do emprego... - Mas, porquê? – perguntou indignada Florinda - Distracções... – respondeu meio envergonhado - Que tipo de distracções? - Ai, mulher! Também tens de saber tudo, é? Olha mas não contes às crianças... Amanha vou arranjar emprego, logo de manha cedinho. - Ai! – suspirou Florinda – ‘Tá bem. Enquanto Florinda preparava o jantar, Mike foi buscar os seus filhos à escola. Quando lá chegou, em frente ao portão da escola, estava uma mulher fardada de funcionária escolar. Passado pouco tempo Mike reparou que era ela... a mesma
    • mulher do café. Os seus filhos viram-no e foram a correr para ele. - Papá! – disseram - Olá! Então como foi o vosso dia? - Eu magoei-me a jogar futebol – disse um - Eu estive a conhecer melhor a nova funcionária a D. Amy. - Amy ah!? – murmurou Mike pensativo – Vamos para o carro! Quando chegaram a casa, o jantar já estava pronto e na mesa. Sentaram-se e, embora Florinda tenha tentado falar de assuntos que agradassem a Mike, este estava calado e a olhando para o vazio... - Que se passa homem? – perguntou-lhe Florinda Mike, tentando esconder o facto de estar atrapalhado, respondeu agressivamente: - Nada, mulher! Já nem se pode comer nesta casa! – disse Mike fugindo para o carro. Ligou o motor e foi dar uma volta à beira-mar, caminhou um pouco até a areia até que decidiu, ir ao mar. Correndo em direcção ao mar, pareceu-lhe ver um vulto em cima da água. Caminhou, caminhou, caminhou até que reparou que era Amy, tocou-lhe no braço mas não consegui. Tentou outra vez, e trespassou o braço de Amy. Então, Mike, tentou beijá-la mas, ao tentar consegui e a mulher caiu ao mar (pois a mulher estava suspensa). Olhou para trás e, viu a mulher, na areia, fazendo-lhe sinal para vir ter com ela. Mike, sem hesitações foi ter com ela. - Agora eu estava...- disse Mike
    • - Eu sei querido, estás preocupado por causa do emprego, cansado e farto. E depois, eu ainda te aborreci mais, portanto, peço-te desculpa... Volta para casa. - Mas... – disse Mike arrependido do que fizera Foi para o carro e, quando olhou para trás, já não estava lá Amy... No dia seguinte, Mike, exigiu em levar os filhos à escola. À entrada, estava Amy, que os recebeu de forma acolhedora e de seguida disse: - Meninos, agora vão para a vossa sala que eu preciso de falar com o vosso paizinho. Os meninos obedeceram. - Olhe, o senhor já deve conhecer a minha irmã gémea que trabalha no bar da praia. Ela disse-me que o senhor a beijou, ontem á noite, no mar. E antes ainda a tentou tocar mas ela desviou-se. Também começou a olhar muito para mim quando eu fui à tasca beber uma cerveja. Precisa de alguma coisa nossa? Sabe eu sou casada, e a minha irmã está noiva! - B...B...B...em... Eu não preciso de nada. Apenas... Raios! Esqueça. Eu não quero nada convosco, sou casado. Apenas achei, estranho as coincidências em que encontrei a mesma pessoa. Mas agora que já sei que são gémeas, já está tudo claro. - Obrigado. Já lhe disse tudo o que tinha a dizer. Pode-se ir embora. AH! E a minha irmã não gostou nada do beijo de ontem. Mike envergonhado, deprimido e sentindo-se culpado, dirigiu-se a casa, e contou a verdade à mulher. Florinda, ficando chateada com o marido saiu de casa a correr chorando e
    • murmurando que casar tinha sido um erro. Então, Mike, pegou no carro e foi ao bar da praia pedir desculpa à irmã gémea de Amy. Quando lá chegou, deparou-se logo com ela e redimiu-se: - Olhe, desculpe por ontem. Eu, estava confuso. Mas, juro que não volta a acontecer. Se quiser, até posso fazer de conta que nunca a conheci. - Deixe estar. Obrigado por vir aqui redimir-se, e as desculpas estão aceites. Olhe, gostaria de me ajudar aqui no bar, temos pouco pessoal e ninguém se candidata ao emprego... - EU CANDIDATO. - Muito bem está contratado começa a trabalhar amanhã. - Ok! Mike, desesperadamente foi buscar os miúdos à escola e levou-os para casa. Ligou para todos os seus familiares para os convidar a vir até sua casa no dia seguinte. Pois nesse dia iria ser aniversário de casamento entre Mike e Florinda. Preparou tudo e ficou a pé até às 4 da manhã. Entretanto Florinda já tinha chegado e já estava a dormir. Mike foi dormir e preparou a festa para a mulher. No dia seguinte... Florinda acordou e foi até à sua cozinha onde se encontravam todos os seus familiares que lhe gritaram: - PARABÉNS! Florinda olhou para cima dos familiares. Havia um cartaz que dizia:
    • Parabéns! 14 anos já é muito! Olha para trás... Florinda, olhou para trás, e viu o seu marido com o fato do casamento, de joelhos, com um anel na mão. - Desculpa-me Florinda. Cometi um erro muito grande mas nunca mais volta a acontecer. Até já arranjei emprego no bar da praia. Preparei este almoço todo, fui eu que cozinhei. Por favor aceita este anel e as minhas desculpas. - Mmmmm... – respondeu pensativa Florinda – Claro que aceito! (vê-se imagens do almoço) FIM! Filipe Lopes http://mundofsl.blogs.sapo.pt