Conflitos
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Conflitos

on

  • 35,961 views

 

Statistics

Views

Total Views
35,961
Views on SlideShare
35,912
Embed Views
49

Actions

Likes
7
Downloads
550
Comments
0

4 Embeds 49

http://www.slideshare.net 38
http://turma5sefa.blogspot.pt 6
http://turma5sefa.blogspot.com.br 3
http://turma5sefa.blogspot.com 2

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Conflitos Conflitos Presentation Transcript

    • O Conflito Negociação e Ética 1
    • O conflito Indivíduos e grupos Com objectivos nem sempre concordantes Logo estratégias de actuação divergentes Inerentes situações de conflito (Crozier e Friedberg, 1977) Negociação e Ética 2
    • O conflito O que é o conflito? “É um estado de espírito que se baseia essencialmente na percepção existente nas partes envolvidas de que um determinado alvo ou estímulo lhes provoca respostas antagónicas.” Negociação e Ética 3
    • O conflito Não existe conflito se as partes envolvidas não tiverem a percepção da sua exstência. Negociação e Ética 4
    • O conflito O conflito tanto pode trazer beneficios como elevados custos. Deve-se conseguir manter o conflito a um nível tão baixo que permita assim tirar o máximo partido dele, eliminando os prejuízos associados. Negociação e Ética 5
    • O conflito – Outras definições “Estado em que o indivíduo se encontra quando está motivado a dar duas respostas incompatíveis entre si.”, Jones e Gerard (1967) Negociação e Ética 6
    • O conflito – Outras definições “Tensão entre duas ou mais entidades sociais (indivíduos, grupos ou organizações maiores) ocasionada pelas respostas dadas ou pela preparação das mesmas.” Raven e Kruglanski (1970) Negociação e Ética 7
    • O conflito – Outras definições “Processo que se inicia quando uma das partes se apercebe que a outra vai ou está a afectá-la negativamente em assuntos do seu interesse ou que lhe são particularmente importantes.” Robbins (1979) Negociação e Ética 8
    • O conflito - Esquema resumo: Interesses opostos entre indivíduos ou grupos Crença de uns de que os outros vão ameaçar os seus interesses Reconhecimento desses interesses como antagónicos Acções que possam produzir esse antagonismo CONFLITO Negociação e Ética 9
    • O conflito - Visão Tradicional Vs Visão Actual Tradicionalmente: “mal a evitar” Inexistência de conflitos (indivíduos/grupos) = competência Saber evitá-lo sistematicamente Quando surgiam: eliminados pela autoridade e poder Negociação e Ética 10
    • O conflito - Visão Tradicional Vs Visão Actual • Pressupostos desta visão: Conflitos são o resultado de comportamentos de indivíduos indesejáveis Conflito está associado a raiva/agressividade/batalha física, verbal, comportamentos negativos, etc… Criticas a essa perspectiva: Limitada e inadequada Negociação e Ética 11
    • O conflito - Visão Tradicional Vs Visão Actual Actualmente: Reconhece-se utilidade da existência do conflito Existe em qualquer relação, não significando que sejam destrutivos São causas de mudanças positivas Sinal de tomada de consciência de problemas Negociação e Ética 12
    • Tipos de conflitos (Worchel e Cooper, 1976) 1- Intrapessoal: Aquele que ocorre na própria pessoa. 2- Interpessoal: Aquele que acontece entre duas ou mais pessoas. 3- Intragrupal: Aquele que é na própria organização. 4- Intergrupal: Aquele que ocorre entre organizações. Negociação e Ética 13
    • Tipos de conflitos (Worchel e Cooper, 1976) • Intrapessoal “ O conflito é um dos mecanismos fundamentais que activa os processos afectivos, desorganizando o comportamento humano (…)”, Luria (1976) Resolução: Maximização das vantagens e minimização das desvantagens Negociação e Ética 14
    • Tipos de conflitos (Worchel e Cooper, 1976) 1- Aproximação-Aproximação: Indivíduo tem á escolha 2 alvos igualmente atraentes, dos quais só pode atingir 1. - Conflito mais simples - O individuo aproxima-se daquele que julgar estar mais perto ou ser mais fácil de atingir. Negociação e Ética 15
    • Tipos de conflitos (Worchel e Cooper, 1976) Exemplo: Uma criança tem á escolha 1 gelado e 1 chocolate, dos quais gosta igualmente. Qual irá escolher? Se tiver 50 cêntimos no bolso, e o chocolate custar 50 cts e o gelado 1€, não ficará á espera do resto do dinheiro para ficar com o gelado. Contudo, se o seu gosto pelo gelado for grande e os seus pais não demorarem, talvez aguarde. Negociação e Ética 16
    • Tipos de conflitos (Worchel e Cooper, 1976) 2- Afastamento – Afastamento: O indivíduo tem de decidir entre 2 alvos igualmente desagradáveis. - Menos fácil de resolver Negociação e Ética 17
    • Tipos de conflitos (Worchel e Cooper, 1976) Exemplo: Escolher entre ficar sem a casa ou sem os seus rendimentos (idênticos), a escolha pode ser muito demorada e até prolongar-se indefinidamente. Negociação e Ética 18
    • Tipos de conflitos (Worchel e Cooper, 1976) 3- Aproximação – Afastamento: O indivíduo tem de decidir se deve aproximar-se ou afastar-se de um alvo que ao mesmo tempo lhe causa atracção e receio. Negociação e Ética 19
    • Tipos de conflitos (Worchel e Cooper, 1976) Exemplo: Uma pessoa diabética que vê lindos bolos na montra de uma pastelaria. Entra na pastelaria ou vai-se embora? Se entra e come os bolos, terá muito prazer mas fará mal á sua saúde; se vai embora, fica aborrecida mas não fará mal á sua saúde. Negociação e Ética 20
    • Tipos de conflitos (Worchel e Cooper, 1976) 4- Dupla Aproximação - Afastamento: O indivíduo tem de decidir entre dois alvos, qualquer um deles com aspectos positivos e negativos. Negociação e Ética 21
    • Tipos de conflitos (Worchel e Cooper, 1976) Exemplo: No sequestro de reféns, a polícia deve entrar em confronto directo ou negociar com os sequestradores? Tanto confronto directo como a negociação podem ser êxitos ou fracassos. Negociação e Ética 22
    • Outros tipos de conflito Funcionais: melhoram o desempenho do grupo Disfuncionais: estragam o desempenho e até podem destruir o grupo ou até a organização Negociação e Ética 23
    • Outros tipos de conflito Latentes: comportamento percursor de uma atitude conflituosa (incompatibilidade de objectivos, desejos de autonomia) Pode estar latente durante tempo indeterminado sem que estala a crise. Suposto: associa-se com a dimensão afectiva (stress, hostilidade, ansiedade) Conduz necessariamente a um conflito declarado. Negociação e Ética 24
    • Outros tipos de conflito Declarado: Manifesta-se de maneira visível e através de trocas verbais ou escritas sobre pontos vitais de desacordo (preços, promoções, condições de pagamento). Residual: Conjunto de percepções residuais e sentimentos que permanecem depois de terminado o conflito e influenciam comportamentos em negociações futuras. Negociação e Ética 25
    • Perspectivas do conflito Importante: provocar conflitos funcionais, evitando os disfuncionais! Demarcação ente funcional / dusfuncional, não é fácil. Depende de: Momento Lugar Pessoas Objectivos Negociação e Ética 26
    • 4 técnicas necessárias para criar conflitos funcionais – Perspectiva Interaccionista (Robbins, 1974) • Objectivo: Melhorar o desempenho do grupo, eficácia e criatividade: Comunicação: uso de mensagens ambíguas para criar ou aumentar o conflito Recorrer a pessoas estranhas ao grupo: incluir novos indivíduos com valores, opiniões, ideias diferentes Negociação e Ética 27
    • 4 técnicas necessárias para criar conflitos funcionais – Perspectiva Interaccionista (Robbins, 1974) Reestruturar o grupo /organização: alterar a composição/ normas do grupo ou criar dificuldades que exijam novas soluções Recorrer ao “Advogado do diabo”: usar alguém que critique as posições tomadas pela maioria do grupo Negociação e Ética 28
    • Perspectivas do conflito • 1- P. Tradicionalista e unitária (Hawthorne) Anos 30 e 40 Conflito era maléfico e devia ser evitado (indicava o mau funcionamento do indivíduo ou do sistema) Empresas ou organizações seriam cooperantes/ harmoniosas, sem conflitos de interesse (ocorreriam excepcionalmente devido á má comunicação, falta de confiança, etc… Tb devido á incapacidade dos gestores em satisfazerem as necessidades dos indivíduos) Negociação e Ética 29
    • Perspectivas do conflito • 2- P. Pluralista (Escola das Relações Humanas) Anos 40-70 Conflito é natural e inevitável em qq indivíduo, grupo ou organização Pode não ser maléfico, pois possui o potencial de uma força positiva no desempenho do grupo. Negociação e Ética 30
    • Perspectivas do conflito Possui uma força positiva no desempenho O Conflito dentro de limites aceitáveis ajuda a uma mudança evolutiva Conflito surge a partir de grupos que se formam e prosseguem os seus objectivos / interesses A função da gestão: decidir tendo em conta a diversidade de interesses, gerindo as diferenças entre os diferentes grupos; Assim: compromisso e colaboração (melhor para as partes) Negociação e Ética 31
    • Perspectivas do conflito • 3- P. da Escola Interaccionista Mais recente Aceita o conflito: inevitável e necessário para que haja actuação com eficácia Não existência de conflito: denota monotonia, sem capacidade de responder á mudança John Akers, da IBM: provocar e manter o conflito a um nível mínimo – evitando o conformismo – grupo mais autocrítico – mudança e inovação Negociação e Ética 32
    • Conflito e Desempenho Situação Nível Tipo Clima Desempenho conflito Conflito trabalho A Reduzido ou Disfuncional Apatia, Reduzido Nulo estagnação B Apropriado Funcional Autocrítico, Elevado inovador C Elevado Disfuncional Caótico, não Reduzido colaborante Negociação e Ética 33
    • Vantagens do conflito Falta de conflito Passividade (Estudo de Robbins, 1974) Faz surgir ou ressurgir problemas que foram ignorados no passado Incentiva o indivíduo a conhecer melhor o outro Motiva o aparecer de novas ideias / soluções Aumenta o nível de lealdade e sentimento de pertença ao grupo (bem como a colaboração) Negociação e Ética 34
    • Desvantagens do conflito Interfere na comunicação entre os indivíduos ou o grupo (atraso nas comunicações) Reduz a coesão do grupo Conflito pode ser destrutivo e levar ao desmembramento do grupo (c. disfuncional) Realça as diferenças entre nós (bons) e eles (maus) Negociação e Ética 35
    • 5 causas de conflitos nas organizações (Eldridge, 1968) Relações de trabalho: Conflito tipo 1: Relação força Trabalho/Salário Equivalência atribuída á troca do trabalho com o salário recebido Conflito tipo 2: Relacionamento Subordinação/Autoridade entre empregador/empregado Negociação e Ética 36
    • 5 causas de conflitos nas organizações (Eldridge, 1968) Competição em função de recursos escassos Dinheiro Modo como são partilhados Espaço podem ser fontes de Equipamentos Conflitos Negociação e Ética 37
    • 5 causas de conflitos nas organizações (Eldridge, 1968) Ambiguidade na autoridade e responsabilidade Acontece quando não há clareza acerca de quem “manda” e quem deve “obedecer” Negociação e Ética 38
    • 5 causas de conflitos nas organizações (Eldridge, 1968) Interdependência Quando existe interdependência de algumas pessoas em relação a outras para realizarem algumas tarefas, o não cumprimento atempado/ correcto das obrigações poderá levar a conflitos (uns sentem-se prejudicados pelo incumprimento dos outros) Negociação e Ética 39
    • 5 causas de conflitos nas organizações (Eldridge, 1968) Diferenciação Acontece quando existe diferenciação das tarefas/ funções entre “nós” e “eles” (especialmente quando se estabelece a competitividade intergrupal) Negociação e Ética 40
    • Manifestações de conflitos nas organizações (Eldridge, 1968) Individual: desorganizado, esporádico (p.e. Acções de sabotagem, aumento de acidentes de trabalho, absentismo,etc) Colectivo: mais organizado (p.e. Greves, reivindações) Negociação e Ética 41
    • Conflito – Processo e Fases do Modelo de Robbins (1979) Negociação e Ética 42
    • O Processo de Conflito Fase 1 Fase 2 Fase 3 Fase 4 Fase 5 Incompatibilidade Conhecimento Intenções de Comportamento Resultados ou oposição ou reposta personalização Condições Percepção do Manipulação Conflito Melhoria do antecedentes: conflito do conflito: declarado: desempenho de Comunicação Confronto Comportamento grupo Estrutura Colaboração duma das Aumento da Variáveis pessoais Compromisso partes satisfação Conflito Evitamento Reacção da Redução do sentido outra desempenho de Conformismo grupo Diminuição da satisfação Negociação e Ética 43
    • Fase I: Incompatibilidade ou oposição Condições antecedentes: Comunicação: • Dificuldades semânticas: A palavra pode não ter o mesmo significado para as duas partes,logo pode provocar desentendimentos. • Incompreensão / Mal entendidos: Uma das partes pode não perceber o que a outra diz, podendo surgir desentendimento. • Ruídos nos canais: Não devem haver “ruídos” por forma a não distorcer a emissão e logo a recepção ser com um significado diferente. Negociação e Ética 44
    • Fase I: Incompatibilidade ou oposição Condições antecedentes: • Diferença de educação: o passado afectou a socialização da pessoa e estruturou a sua personalidade, de acordo com a cultura onde viveu, isso vai influenciar a Comunicação / Percepção (p.e. significado das cores: em França, o amarelo é infidelidade) • Percepção selectiva: A educação que cada um teve de acordo com a cultura onde esteja inserido (p.e. Arroto na cultura hindu significa satisfação; caso não o faça por delicadeza, não terá demonstrado satisfação). • Informação Inadequada: Inadequada, ou em excesso (numa tentativa de explicar ainda melhor) ou em deficit poderão ser condutoras de situações de dúvida. ADEQUADA E SUFICIENTE Negociação e Ética 45
    • Fase I: Incompatibilidade ou oposição Condições antecedentes: Estrutura: • Tamanho: Quanto maior é o grupo, maior é a possibilidade de eclosão do conflito. • Grau de especialização: A maior: - Diversidade das tarefas - Idade diferentes dos protagonistas - Rotatividade dos membros Aumentam a probabilidade da existência de conflito Negociação e Ética 46
    • Fase I: Incompatibilidade ou oposição Condições antecedentes: • Clareza das normas: Ausência de normas claras evitam a existência de conflitos entre grupos (p.e.grupo das compras a preços baixos, para produção atempada e a preços competitivos, para uma determinada data, havendo uma campanha MKT associada. Qualquer falha num destes elementos poderia originar conflito.) • Compatibilidade entre os membros: pequenas falhas que podem provocar uma baixa no desempenho dos membros do grupo podem ser ocasionadas pela incompatibilidade dos membros. Negociação e Ética 47
    • Fase I: Incompatibilidade ou oposição Condições antecedentes: • Estilo de liderança: Uma supervisão apertada e constante dos indivíduos pode reduzir a sua produtividade , da mesma forma quando há elevado laxismo. • Sistemas de recompensa: Recompensas devem ser ponderadas e devidamente distribuídas, sem prejudicar outro. Se alguém se sentir prejudicado em prol de outra, vai entrar em conflito. Negociação e Ética 48
    • Fase I: Incompatibilidade ou oposição Condições antecedentes • Grau de dependência intergrupal: Quando um grupo depende de outro para alcançar o seu objectivo, pode entrar em conflito com o segundo. Negociação e Ética 49
    • Fase I: Incompatibilidade ou oposição Condições antecedentes: Variáveis pessoais: • Valores e crenças individuais: Cada pessoa tem uma educação e cultura que vão influenciar a formação da sua personalidade, assim como particularidades da sua acção, percepção e pensamento. • Características de personalidade: Todos temos traço de personalidade hereditários (p.e. auto estima, auto-realização baseiam-se nesses traços de personalidade). Negociação e Ética 50
    • Fase II: Conhecimento ou personalização Conflito é percebido por qualquer das partes; Não significa que seja assumido como tal; I.e. se uma das partes se sente ansiosa/ irritada por se ter apercebido dum conflito, não quer dizer que a outra se sinta igual. Conflito é definido como tal É importante verificar se existem sentimentos positivos/negativos em relação á outra parte (pois vai condicionar, de algum modo, o resultado do conflito) Negociação e Ética 51
    • Fase II: Conhecimento ou personalização Percepção do conflito: Após fase 1, passa a existir, em cada parte, a percepção do conflito (não quer dizer que o mesmo seja personalizado) Assunção do conflito: Trata-se do conhecimento ou assunção (personalização) do conflito. Negociação e Ética 52
    • Fase III: Intenções de resposta As percepções e as emoções das partes passam a relacionar-se com as intenções; As intenções vão influenciar as decisões das partes para agir de uma determinada maneira. Fase que se caracteriza pela intenção/decisão que cada uma das partes adopta relativamente á forma de actuar no processo de conflito. Negociação e Ética 53
    • Fase III: Intenções de resposta • Atitude Intencional: de uma das partes, baseia-se na inferência que ela faz da outra atribuindo-lhe determinadas intenções, bem como na imaginação de que a outra poderá agir de um modo específico. • Quando as 2 fases anteriores tiverem afectado uma das partes, a qual infere que existe um conflito, com toda a carga emocional que lhe está associada, começa esta fase de INTENÇÕES de respostas a ser dadas. Negociação e Ética 54
    • Fase III: Intenções de resposta • Intenções de agir: Estratégicas: - Traduzem aspectos mais gerais - E de maior abrangência temporal Tácticas: - Mais especificas - Temporalmente mais restritas - Representam um meio de realizar as intenções estratégicas - Caracterizam as posturas comportamentais adoptadas no decurso de uma resolução de conflito Negociação e Ética 55
    • Notas: Competição • Elevada preocupação em satisfazer os interesses próprios • Reduzida atenção pelos interesses dos outros Exemplos: Conflito de objectivos Alcançar os objectivos próprios, sacrificando os da outra parte (objectivos de produzir X euros de seguros) Conflito por Intenção competitiva é de tentar convencer interpretação de algo a outra parte de que a nossa visão do problema é a correcta; a outra parte está a ver erradamente a situação (interpretar o casto de um arbitro) Negociação e Ética 56
    • Notas: Competição • Adequada em casos de elevada urgência • Quando não há tempo de satisfazer o interesse da outra parte. Negociação e Ética 57
    • Notas: Colaboração • Assenta na procura da satisfação dos interesses de ambas as partes • Requer muita paciência e empenhamento • Implica uma actuação por etapas: - Descobrir interesses escondidos - Diferir benefícios - Controlar resultados - Solicitar a intervenção de terceiros Negociação e Ética 58
    • Notas: • Útil na melhoria das relações de trabalho • Quando é necessário o envolvimento das partes • Quando existe disponibilidade de tempo • Quando o assunto é muito importante e complexo • Não adequado quanto se necessita de uma decisão urgente Negociação e Ética 59
    • Notas: Exemplos: Conflito de Colaborar traduz-se em encontrar objectivos uma solução que satisfaça os objectivos de ambas as partes Conflito por Intenção colaborante é de tentar interpretação de encontrar uma síntese que algo incorpore os pontos de vista de ambas as partes Negociação e Ética 60
    • Notas: Evitamento • É uma intenção estratégica caracterizada por não tomar qualquer posição no problema • E em que o resultado é um impasse • Não envolver-se no problema • As partes aguardam que o problema se resolva por si, com o passar do tempo • Adequada em casos de: - Impossibilidade de concretização dos interesses das partes - Quando exigem muito tempo - Em situações de trivialidade Negociação e Ética 61
    • Notas: Acomodação • Caracteriza-se por uma das partes considerar mais os interesses da outra parte do que os seus próprios interesses • Exemplos Conflito de objectivos Encontrar uma solução que satisfaça os interesses da outra parte, sacrificando os próprios interesses Conflito por Apoiar a interpretação dos outros, interpretação de algo apesar das próprias reservas Negociação e Ética 62
    • Notas: Acomodação • Adequada em casos de : - É importante manter o relacionamento - Quando se está numa situação de inferioridade - Quando se pretende ceder agora para reivindicar mais tarde - Contudo, se for levada ao extremo, pode fazer com que a outra aumente as suas exigências e subjugue os interesses da outra. Negociação e Ética 63
    • Notas: Compromisso • Cada uma das partes cederá algo dos seus interesses para obter um resultado satisfatório. • Pressupõe que cada uma das partes está disposta a ceder algo dos seus interesses para obter um resultado satisfatório para ambas as partes. Negociação e Ética 64
    • Notas: • Exemplos: Conflito de Encontrar uma solução que objectivos satisfaça parcialmente os interesses das partes Conflito por Chegar a um acordo parcial da interpretação de interpretação algo Negociação e Ética 65
    • Notas: Compromisso • Inadequado em casos de: -Uma das partes e mais poderosa • Adequado em casos de: - Quando hajam prazos limite - Quando os objectivos são muito semelhantes para se continuar em incompatibilidade - Sempre que exista equilibrio na quantidade de poder das partes - Quando a colaboração e competição não são eficazes Negociação e Ética 66
    • Fase III: Intenções de resposta Tácticas: - Mais especificas - Temporalmente mais restritas - Representam um meio de realizar as intenções estratégicas - Caracterizam as posturas comportamentais adoptadas no decurso de uma resolução de conflito Negociação e Ética 67
    • Fase III: Intenções de resposta Este tipo de intenções tem sido desenvolvido a partir das investigações em matéria de negociação Dimensão distributiva Representa a intenção de cada parte em distribuir proporcionalmente a quantidade de satisfação esperada por cada uma das partes; Trata-se de um “dar e receber” Implica um resultado de soma zero I.e. o ganho de uma parte é obtido pela perda da outra. Negociação e Ética 68
    • COMPETIÇÃO: traduz-se em receber o máximo ACOMODAÇÃO: significa dar o menos possível Negociação e Ética 69
    • Fase III: Intenções de resposta Dimensão integrativa Representa uma postura face ao conflito de que ambas as partes podem sair ganhadores na solução encontrada P.e. duas irmãs a disputarem uma laranja A solução DISTRIBUTIVA: uma ficar com a laranja toda, outra sem a laranja A solução INTEGRATIVA: ambas deveriam revelar as suas preferências Negociação e Ética 70
    • Fase III: Intenções de resposta Pressupõe então que as partes comuniquem Troca de informação de uma forma explicita Tentar avaliar os verdadeiros interesses de ambas as partes Busca de soluções que conciliem os objectivos de ambas as partes. Negociação e Ética 71
    • Fase IV: Comportamento Quando se fala em conflito, pensa-se só nesta fase Ignora-se todas as outras e são essenciais para a acção a desenvolver Porquê??? Todas as afirmações, acções e reacções das partes só aqui se tornam visíveis As anteriores, que de facto estimularam o conflito, passam despercebidas. Negociação e Ética 72
    • Fase IV: Comportamento Inicia-se quando uma parte desencadeia a acção que frusta a obtenção dos objectivos ou necessidades de outra parte (acção subtil, indirecta e muito controlada até atitudes directas, agressivas, violentas e descontroladas) Têm também inicio a maioria dos comportamentos que visam lidar com conflito Negociação e Ética 73
    • Estratégias para lidar com conflitos (Thomas, 1992) Competir Nossos Colaborar interesses Compromisso Acomodar Evitar Interesses dos outros Negociação e Ética 74
    • Notas adicionais COMPETIÇÃO: num conflito de objectivos, alcançar os objectivos próprios, sacrificando os do outro COLABORAÇÃO: busca do interesse de ambas as partes; num conflito de objectivos, tentar atingir os objectivos de ambas as partes. EVITAMENTO: resultado é um impasse, por isso não se decide nada ACOMODAÇÃO: uma das partes considera mais os interesses da outra parte do que os seus. COMPROMISSO: cada uma das partes cederá algo dos seus interesses para obter um resultado satisfatório. Negociação e Ética 75
    • Fase V: Resultados / Efeitos Resultados: - Tanto se podem traduzir em melhoria do desempenho - Como em actuações que levam á redução da eficácia, até se podendo desagregar o grupo. Das acções/ reacções podem resultar consequências: - Funcionais: benéficas para o grupo - Disfuncionais: prejudiciais para o seu funcionamento e até sua desagregação. Negociação e Ética 76
    • Efeitos positivos/construtivos/funcionais - Mobilização para a acção - Estimulação de mudanças, da criatividade e da inovação - Melhor qualidade das decisões - Aumento da coesão interna (conflitos intergrupais) Negociação e Ética 77
    • Efeitos negativos/destrutivos/disfuncionais – Redução da coesão – Informação insuficiente e atrasada (de forma intencional) – Diminuição de interacções positivas – Baixa qualidade das decisões – Primazia das lutas entre os membros (secundarização dos objectivos) – Perda de recursos, energia e tempo Negociação e Ética 78
    • Outras técnicas de Gestão de conflitos (Robbins, 1974) Resolução de problemas: reunir as partes para encontrarem uma solução através da discussão: Objectivos superiores: descobrir um objectivo superior que exija a colaboração das partes em conflito; Aumento dos recursos: aumento das questões: Financeiras Espaço disponível Promoções Negociação e Ética 79
    • Outras técnicas de Gestão de conflitos (Robbins, 1974) Maleabilização: reduzir as diferenças e realçar as semelhanças; Intervenção de figuras de autoridade: ao gestores resolvem o conflito dos seus subordinados, comunicando-lhe posteriormente a sua decisão; Alterações de variáveis estruturais: transferências, rotação, alteração de competências e obrigações. Negociação e Ética 80