Produção do som Autor :  Ronald de Souza Co-autor :  Rubens A. Grochowski Orientadora :  Junia Novaes Braga
De  Galeno  a  Sangalo
Evolução do conceito de produção da voz mística  metafísica  tradicional  realista... Claudius Galeno  (130-200)  Leonardo...
-colocou um pequeno espelho de cabo longo na cavidade oral -com um segundo espelho manejado fora da boca, direcionou a luz...
Aspectos neurológicos básicos da produção vocal  ♫   o mecanismo neurofisiológico não é completamente compreendido ♫   Pie...
Primeiro estágio da produção vocal:  exalação ♫  durante a fonação ocorre subida progressiva do diafragma e retorno lento ...
Primeiro estágio da produção vocal: exalação     glote:  compreende    as pregas vocais, junta-   mente com o espaço en-  ...
♫  Laringe: delimitação e cartilagens Morfologia da laringe
<ul><li>♫   Laringe: músculos extrínsecos  (músculos </li></ul><ul><li>com uma inserção na laringe e outra fora dela)   </...
♫   Laringe: músculos intrínsecos - maior proporção de fibras intermediárias ( contração rápida , resistente à fadiga  com...
<ul><li>♫   Laringe: músculos intrínsecos </li></ul><ul><li>m. cricotireóideo (CT) </li></ul><ul><li>. origina-se no arco ...
<ul><li>♫  Laringe: músculos intrínsecos </li></ul><ul><li>m. cricoaritenóideo posterior (CAP) </li></ul><ul><li>. gira os...
♫   Laringe: músculos intrínsecos - m. aritenóideo  . fechamento 13 posterior das pregas vocais Morfologia da laringe <ul>...
♫   Laringe: músculos intrínsecos  & voz do negro - m. ariepigótico (AE) . localização  . geralmente inexistente em negros...
<ul><li>♫   Laringe: irrigação </li></ul><ul><li>o  aporte vascular da laringe  e feito por dois ramos </li></ul><ul><li>....
<ul><li>♫   Laringe: inervação </li></ul><ul><li>-  </li></ul><ul><li>- n. laríngeo recorrente </li></ul><ul><li>. inervaç...
♫   Vibração  das  pregas vocais : voz  grave  e aguda  - voz grave  - voz aguda Segundo estágio da produção da vocal: fon...
♫ Efeito Bernoulli Segundo estágio da produção da vocal: fonação - FI (força de abertura ppvv devido a pressão subglótica)...
♫   Laringe: histologia das pregas vocais Morfologia da laringe - do ponto de vista ultra-estrutural,as pregas vocais são ...
<ul><li>♫  Ressonância:  fenômeno pelo qual um corpo sonoro vibra quando o atinge vibrações produzidas por outro </li></ul...
Morfologia aplicada
Morfologia aplicada <ul><li>RESSONÂNCIA LARÍNGO-FARÍNGEO </li></ul><ul><li>RESSONÂNCIA CUL DE SAC </li></ul><ul><li>RESSON...
Morfologia aplicada NASAL FARÍNGEA USO DE BANDA CUL DE SAC  TENSA ESTRANGULADA LARÍNGEA LARIGO-FARÍNGEA
Morfologia aplicada <ul><li>Ima Sumac </li></ul><ul><li>Janis Joplin </li></ul><ul><li>O Rappa </li></ul><ul><li>Scissor S...
♫  Versatilidade da voz de Ivete Sangalo  Morfologia aplicada
♫  Versatilidade da voz de Ivete Sangalo  Morfologia aplicada
De boca em boca   (referências bibliográficas) <ul><li>LIVROS </li></ul><ul><li>Behlau, M. (2001) Voz o livro do especiali...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

ProduçãO Do Som

14,138 views

Published on

Published in: Travel, Entertainment & Humor

ProduçãO Do Som

  1. 1. Produção do som Autor : Ronald de Souza Co-autor : Rubens A. Grochowski Orientadora : Junia Novaes Braga
  2. 2. De Galeno a Sangalo
  3. 3. Evolução do conceito de produção da voz mística metafísica tradicional realista... Claudius Galeno (130-200) Leonardo Da médico dos gladiadores Vinci (1452-1519) cartilagens e músculos da laringe apertava os pulmões de gansos para observar se produziam sons de tons variados Marcio Cardoso dança da laringe (+/- 1997)
  4. 4. -colocou um pequeno espelho de cabo longo na cavidade oral -com um segundo espelho manejado fora da boca, direcionou a luz do sol -observou cordas vocais pela primeira vez em ação em 1865 1865,um marco do estudo morfológico da função vocal ♫ Manoel Garcia: - espanhol - professor de canto na França
  5. 5. Aspectos neurológicos básicos da produção vocal ♫ o mecanismo neurofisiológico não é completamente compreendido ♫ Pierre Paul BROCA(1824-1880) : - atuante cirurgião parisiense - área do hemisfério cerebral esquerdo considerada responsável pelo planejamento da linguagem falada ( giro de broca) ♫ a partir do cérebro, a informação desce através das vias motoras produzindo a voz ♫ a produção vocal se dá em três estágios: - exalação - fonação - ressonância e articulação
  6. 6. Primeiro estágio da produção vocal: exalação ♫ durante a fonação ocorre subida progressiva do diafragma e retorno lento das costelas a posição inicial de repouso ♫ controle da intensidade, do volume da voz ♫ importante para cantores
  7. 7. Primeiro estágio da produção vocal: exalação glote: compreende as pregas vocais, junta- mente com o espaço en- tre elas (ondas se pressão com f audível)
  8. 8. ♫ Laringe: delimitação e cartilagens Morfologia da laringe
  9. 9. <ul><li>♫ Laringe: músculos extrínsecos (músculos </li></ul><ul><li>com uma inserção na laringe e outra fora dela) </li></ul><ul><li>- função básica: manter estabilidade laríngea </li></ul><ul><li>para musculatura intrínseca trabalhar efetivamente </li></ul><ul><li>mecanismo secundário no controle </li></ul><ul><li>da freqüência da voz e do canto </li></ul><ul><li>a musculatura supra-hióidea é </li></ul><ul><li>predominantemente elevadora da laringe </li></ul><ul><li>a infra-hióidea é predominantemente </li></ul><ul><li>abaixadora da laringe </li></ul><ul><li>cantores clássicos a mantém abaixada </li></ul>Morfologia da laringe
  10. 10. ♫ Laringe: músculos intrínsecos - maior proporção de fibras intermediárias ( contração rápida , resistente à fadiga com metabolismo principalmente oxidativo) Morfologia da laringe
  11. 11. <ul><li>♫ Laringe: músculos intrínsecos </li></ul><ul><li>m. cricotireóideo (CT) </li></ul><ul><li>. origina-se no arco da cricóide e insere-se em forma de leque na borda inferior da cartilagem tireóidea </li></ul><ul><li>. alongamento das pregas vocais </li></ul><ul><li>. emissão de tons agudos </li></ul><ul><li>. aproximação das cartilagens cricóide e tireóidea (movimento de báscula) </li></ul>Morfologia da laringe
  12. 12. <ul><li>♫ Laringe: músculos intrínsecos </li></ul><ul><li>m. cricoaritenóideo posterior (CAP) </li></ul><ul><li>. gira os processos musculares das aritenóides . ; . ...,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,, posteriormente, promovendo uma abertura das </li></ul><ul><li>pregas vocais (ppvv) </li></ul><ul><li>. único abdutor das ppvv </li></ul><ul><li>. músculo da vida: respiração </li></ul><ul><li>. fibras musculares vermelhas : contração lenta e repetitiva; não fadigam facilmente </li></ul><ul><li>- m. cricoaritenóideo lateral (CAL) </li></ul><ul><li>. gira o processo muscular anteriormente </li></ul><ul><li>. contração: aduz 2/3 anteriores das pregas vocais </li></ul>Morfologia da laringe
  13. 13. ♫ Laringe: músculos intrínsecos - m. aritenóideo . fechamento 13 posterior das pregas vocais Morfologia da laringe <ul><li>m. tireoaritenóideo externo </li></ul><ul><li>. adutor ( ação discutida : sons fortes) </li></ul><ul><li>-m. vocal ( m.tireoaritenóideo interno) </li></ul><ul><li>. sons graves </li></ul>
  14. 14. ♫ Laringe: músculos intrínsecos & voz do negro - m. ariepigótico (AE) . localização . geralmente inexistente em negros (Boshoff, 1945) . essa ausência é associada à presença de musculatura intrínseca mais vigorosa que o branco . essas variações morfológicas estão relacionadas a uma qualidade vocal mais áspera da voz do negro... Morfologia aplicada
  15. 15. <ul><li>♫ Laringe: irrigação </li></ul><ul><li>o aporte vascular da laringe e feito por dois ramos </li></ul><ul><li>. a. laríngea superior </li></ul><ul><li>ramo da artéria tireóidea superior </li></ul><ul><li>. a. laríngea inferior </li></ul><ul><li>ramo da artéria tireóidea inferior </li></ul>Morfologia da laringe
  16. 16. <ul><li>♫ Laringe: inervação </li></ul><ul><li>- </li></ul><ul><li>- n. laríngeo recorrente </li></ul><ul><li>. inervação dos m. intrínsecos, exceto o </li></ul><ul><li>m. cricotireóideo </li></ul><ul><li>n. laríngeo superior </li></ul><ul><li>. ramo interno: sensibilidade </li></ul><ul><li>. ramo externo: inervação do m. cricotireóideo </li></ul>Morfologia da laringe
  17. 17. ♫ Vibração das pregas vocais : voz grave e aguda - voz grave - voz aguda Segundo estágio da produção da vocal: fonação
  18. 18. ♫ Efeito Bernoulli Segundo estágio da produção da vocal: fonação - FI (força de abertura ppvv devido a pressão subglótica) - força de fechamento ppvv . FM (ação dos músculos) . FB (efeito Bernoulli) “ EFEITO BERNOULLI”: no momento que o fluxo em alta velocidade passa pela glote uma pressão negativa perpendicular é criada, desencadeando esse efeito de sucção que aproxima as ppvv. (fechamento da glote)
  19. 19. ♫ Laringe: histologia das pregas vocais Morfologia da laringe - do ponto de vista ultra-estrutural,as pregas vocais são organizadas em camadas com propriedades estruturais e mecânicas diferentes,sendo mais flexível na superfície, tornando-se mais rígidas em direção ao músculo vocal o que e essencial para o adequado movimento vibratório desta prega vocal. - mucosa: . epitélio estrat. pavimentoso não queratinizado (protege e mantém a forma da ppvv) . lâmina própria: *membrana basal ( aderência entre epitélio e lâmina própia) *camada superficial ( é a que mais vibra durante fonação) *camada intermediária ( predominam fibras elásticas) *camada profunda ( predominam fibras de colágeno) - músculo
  20. 20. <ul><li>♫ Ressonância: fenômeno pelo qual um corpo sonoro vibra quando o atinge vibrações produzidas por outro </li></ul><ul><li>♫ caixas de ressonância: cavidades da laringe da faringe da boca e do nariz </li></ul><ul><li>♫ Órgãos fonoarticulatórios </li></ul><ul><li>palato mole </li></ul><ul><li>bochechas </li></ul><ul><li>lábios </li></ul><ul><li>língua </li></ul><ul><li>mandíbula </li></ul><ul><li>♫ Focos principais </li></ul><ul><li>- nasal </li></ul><ul><li>faríngeo </li></ul><ul><li>cul de sac </li></ul><ul><li>laringo-faríngeo </li></ul>Terceiro estágio da produção da vocal: ressonância e articulação
  21. 21. Morfologia aplicada
  22. 22. Morfologia aplicada <ul><li>RESSONÂNCIA LARÍNGO-FARÍNGEO </li></ul><ul><li>RESSONÂNCIA CUL DE SAC </li></ul><ul><li>RESSONÂNCIA FARÍNGEA </li></ul><ul><li>RESSONÂNCIA NASAL </li></ul><ul><li>DOIS FOCOS: CUL DE SAC COM FARÍNGEA </li></ul>
  23. 23. Morfologia aplicada NASAL FARÍNGEA USO DE BANDA CUL DE SAC TENSA ESTRANGULADA LARÍNGEA LARIGO-FARÍNGEA
  24. 24. Morfologia aplicada <ul><li>Ima Sumac </li></ul><ul><li>Janis Joplin </li></ul><ul><li>O Rappa </li></ul><ul><li>Scissor Sisters </li></ul><ul><li>Elis Regina </li></ul><ul><li>Fugazi </li></ul><ul><li>Tati quebra-barraco </li></ul>Versatilidade da Voz
  25. 25. ♫ Versatilidade da voz de Ivete Sangalo Morfologia aplicada
  26. 26. ♫ Versatilidade da voz de Ivete Sangalo Morfologia aplicada
  27. 27. De boca em boca (referências bibliográficas) <ul><li>LIVROS </li></ul><ul><li>Behlau, M. (2001) Voz o livro do especialista </li></ul><ul><li>Isshik,N; Tsuji, D; Sennes, L (1999) Tireoplasias </li></ul><ul><li>Pinho, S (2003) Fundamentos em fonoaudiologia) </li></ul><ul><li>Gartner,L; Hiatt,J (1993) Atlas de histologia </li></ul><ul><li>Netter, F (2004) Atlas de anatomia humana </li></ul><ul><li>Gardner; Gray; O’Rahilly Anatomia </li></ul><ul><li>SITES RECOMENDADOS </li></ul><ul><li>www.periodicos.capes.gov.br </li></ul><ul><li>. Journal of voice </li></ul><ul><li>- Revista brasileira de otorrinolaringologia </li></ul><ul><li>. Melo, E- Artigo Histologia e ultra estrutura da prega vocal humana/ufpb </li></ul><ul><li>Vieira, Maurílio- Artigo Uma introdução à acustica da voz cantada/ufmg-icex </li></ul><ul><li>www.cefac.org </li></ul><ul><li>. Pimenta, J. - Artigo Voz do negro </li></ul>

×