Biografia do General Wellesley
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Biografia do General Wellesley

on

  • 2,378 views

 

Statistics

Views

Total Views
2,378
Views on SlideShare
2,358
Embed Views
20

Actions

Likes
0
Downloads
10
Comments
0

2 Embeds 20

http://historiantes.blogs.sapo.pt 14
http://www.slideshare.net 6

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Biografia do General Wellesley Biografia do General Wellesley Presentation Transcript

  • Biografia sobre general WELLESLEY
  • General Wellesley
    • Militar britânico nascido em Dublin, Irlanda, então pertencente ao império britânico, chamado de o duque de ferro por suas vitórias militares nasceu em 1769 e morreu em (1846) em walmer castle.
    • Entretanto, a Inglaterra(nossa aliada e a quem Portugal tinha pedido auxílio) mandou desembarcar cerca de 9000 militares ingleses na praia de lavos ( próximo da figueira da foz ). Deve-se-lhe a organização das tropas portuguesas e inglesas, formando o exército anglo-português. Foi o responsável pelas várias vitórias obtidas sobre as tropas francesas comandadas pelo general junot que comandou a primeira invasão francesa
    • No entanto, Napoleão não desistiu de
    Conquistar Portugal e , em Março de 1809,
    Deu-se a 2ªinvasão Francesa ,comandada
    Pelo marechal Soult , em direcção.
  • General WELLESLEY
  • A vida do general wellesley
    As intenções do irmão de aproveitar a guerra na Europa para expandir o domínio britânico na Índia, permitiram a Arthur wellesley ascender ao generalato. Participou, logo em 1799, na campanha contra o sultão Tipu. O Tigre de Misore, sendo nomeado governador de Seringapatan, a capital do potentado, após a sua conquista em Abril. Em 1802, já major-general, foi responsável pela luta contra os potentados maratas que tinham deposto Baji Rau, fundador da dinastia dos Pexuás e organizar da Confederação Marata, tornado, por necessidade, aliado da Companhia das Índias Orientais. A batalha de Assaye, em 23 de Setembro de 1803, e o combate de Argaum, em 29 de Novembro decidiram a contenda. A guerra retomou em 1804, mas o general pediu para regressar à Europa. Em 1 de Setembro foi feito cavaleiro da Ordem do Banho, no dia 10 seguinte desembarcou em Dover.
  • Quartel ocupado por Wellesley em Portugal
  • Reconstituição da chegada de Wellesley
  • Invasões Francesas
  • 1ª Invasão
    Sob o comando do general Junot, as tropas francesas ingressaram na Espanha em 18 de Outubro de 1807, cruzando o seu território em marcha acelerada em pleno Inverno e alcançando a fronteira portuguesa em 20 de Novembro. Sem encontrar resistência, uma coluna de tropas invasoras atingiu Abrantes a 24, em busca de provisões. Faminto e desgastado pela marcha e pelo rigor do Inverno, o exército francês teve dificuldade para ultrapassar o rio Zêzere, entrando em Santarém a 28, de onde partiu no mesmo dia, rumo a Lisboa, onde entrou a 30, à frente de dois regimentos em mau-estado.
  • 1ª invasão (continuação)
    No dia anterior, a Família Real e a Corte portuguesa haviam largado ferros da barra do rio Tejo, rumo ao Brasil, levando em 34 navios de guerra portugueses, cerca de 15.000 pessoas, deixando o governo de Portugal nas mãos de uma regência, com instruções para não resistir aos invasores. No ano seguinte, em Agosto, uma força britânica sob o comando do general ArthurWellesley (depois duque de Wellington), desembarcava em Portugal, avançando sobre Lisboa. Travaram-se, na sequência, a batalha de Roliça e a batalha do Vimeiro, vencidas pelos ingleses, forçando à Convenção de Sintra.
  • 2ª invasão
    Enquanto em Portugal se lutava contra a ocupação francesa, Napoleão mantinha no trono espanhol o seu irmão José Bonaparte. Os espanhóis, em revolta contra os usurpadores franceses, obtêm apoio das tropas britânicas estacionadas no norte de Portugal. Sob o comando de John Moore, os Britânicos passam a fronteira no início de 1809, para serem derrotados, na Corunha, pelo Marechal Nicolas Jean de Dieu Soult. Obrigadas a retirar, deixaram a descoberto a fronteira com Portugal, permitindo a Soult invadir o país pela fronteira de Trás-os-Montes e Alto Douro (Chaves) em Março de 1809, vencendo a Batalha do Carvalho d'Este e avançando até à cidade do Porto, que ocuparam a 24 desse mês, fixando fronteira no rio Douro.
    A 12 Maio desse mesmo ano, tropas Luso-Britânicas sob o comando do General Arthur Wellesley e do comandante-em-chefe o Marechal William Carr Beresford, atravessaram o Rio Douro e venceram a chamada batalha do Douro, reconquistando a cidade do Porto (29 de Maio) e expulsando o invasor, que se retirou para a Galiza. Seguindo para o sul, as tropas de Wellesley travaram a batalha de Talavera em território espanhol e regressaram a Portugal.
  • 2º invasão (continuação)
    A 12 Maio desse mesmo ano, tropas Luso-Britânicas sob o comando do General ArthurWellesley e do comandante-em-chefe o Marechal William CarrBeresford, atravessaram o Rio Douro e venceram a chamada batalha do Douro, reconquistando a cidade do Porto (29 de Maio) e expulsando o invasor, que se retirou para a Galiza. Seguindo para o sul, as tropas de Wellesley travaram a batalha de Talavera em território espanhol e regressaram a Portugal.
  • Fim
    Trabalho realizado por :
    • André Pacheco
    • Guilherme Ribeiro
    • José Silva
    • Paulo Marques
    • Leandro Carvalho
    • Jorge Moreira