Your SlideShare is downloading. ×
Consumo Alimentar Residual
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Introducing the official SlideShare app

Stunning, full-screen experience for iPhone and Android

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Consumo Alimentar Residual

474
views

Published on

Published in: Technology

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
474
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
8
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. CONSUMO ALIMENTAR RESIDUAL Renata Helena Branco Pesquisadora Centro Avançado de Pesquisa em Pecuária de Corte Instituto de Zootecnia
  • 2.  
  • 3.
    • Introdução:
      • Custo alimentação  60 a 65%
      • Utilização dos nutrientes  idade, raça, sexo;
      • Variação genética para eficiência de utilização de nutrientes;
      • Critérios de seleção  melhoria resultados econômicos de produção
  • 4.
    • Introdução :
      • Eficiência Alimentar  Conversão Alimentar  CMS e GMD  negativamente correlacionada com ganho de peso e peso a idade adulta.
        • Diferenças  exigências de mantença e crescimento.
      • Koch et al. (1963)  modelo estatístico para ajustar o consumo alimentar para as diferenças de ganho (CAR) ou ganhos ajustados para as diferenças de consumo (ganho residual).
  • 5.
    • Introdução :
      • Basarab et al. (2001)  CAR  requerimentos necessários para mantença do animal, independente do crescimento, do tamanho ou apetite do animal.
      • CAR  medida alternativa de eficiência independente do nível de produção e do tamanho do animal.
    CAR = Consumo observado – Consumo estimado (PV médio, GP e parâmetro de composição corporal)
  • 6.
    • Objetivo
    • Apresentar consumo alimentar residual e as implicações da utilização em bovinos de corte
  • 7.
    • Medidas de Eficiência Alimentar
    • Consumo  tamanho corporal e nível de produção  relacionados com eficiência do sistema;
        • CA e EA;
        • Eficiência Parcial de Crescimento: GMD e a diferença do CMS observado e esperado para manutenção;
        • a taxa de crescimento relativo (TCR), definida como porcentagem da diferença entre o log do PVF e PVI sobre o número de dias do teste;
        • e a taxa de kleiber (TK), relação entre GMD e peso metabólico
        • Eficiência par Vaca / bezerro;
        • CAR
  • 8.
    • Medidas de Eficiência Alimentar
    • Animais jovens:
      • Relacionadas ao crescimento:
        • EPC:
        • Conversão Alimentar
        • Consumo Residual
      • Correlações genéticas entre as medidas  altas
  • 9.
    • Consumo Alimentar Residual
    • Consumo alimentar:
    • - CAR = Consumo Observado – Consumo Estimado
    • (f{PV, GMD, composição GMD, característica de carcaça })
    • 2 GMD (1,44 vs 1,40 kg dia) e PV ( 384 vs. 381 Kg)
    CAR ( -0,54 vs. +0,70 kg/d) vs ( 9,4 vs. 10,6 kg/MS) CMS --1,2 kg/MS Animais mais eficientes apresentam CAR negativo
  • 10. Não associação PVI e CMS Respostas positivas Não dependentes CMS
  • 11. Bases fisiológicas para a variação do Consumo Residual
  • 12.
    • Consumo Alimentar Residual
    • Bovinos
  • 13.  
  • 14. Baixo CAR Alto CAR 73% baixo e médio CAR Figura 1. Distribuição do consumo de matéria seca (CMS) predito e observado de novilhas nelore submetidas à seleção para peso pós-desmame NeC NeS
  • 15. Figura 2. Distribuição do ganho médio diário (GMD) e CAR de bezerros nelore submetidos à seleção para peso pós-desmame 1,09:0,373 1,16:-0,462
  • 16.  
  • 17.  
  • 18.
    • Resposta à seleção
      • Bovinos
  • 19.
    • Barreiras para adoção
    • Custo
    • Consumo individual
    • Duração dos testes
  • 20.  
  • 21.  
  • 22.
    • Considerações
    • O consumo alimentar residual pode ser usado como medida alternativa de eficiência alimentar, sendo independente de características de desempenho e variações ambientais que provoquem alterações no tamanho corporal ou maturidade dos animais.
  • 23. Muito Obrigada!!! [email_address]