Your SlideShare is downloading. ×
Aula fisiologia da reprodução
Aula fisiologia da reprodução
Aula fisiologia da reprodução
Aula fisiologia da reprodução
Aula fisiologia da reprodução
Aula fisiologia da reprodução
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Aula fisiologia da reprodução

17,562

Published on

1 Comment
2 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total Views
17,562
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
185
Comments
1
Likes
2
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. DIFERENCIAÇÃO SEXUAL - Desenvolvimento das gônadas - Desenvolvimento do trato genital interno - Desenvolvimento da genitália externa Sexo Genético: aquele determinado pelos cromossomas – XX nas mulheres e XY nos homens. - O Cromossoma Y é necessário, porém não é suficiente para a masculinidade; - A expressão total da masculinidade depende também dos hormônios androgênicos, secretados pelos testículos Sexo Gonádico: é definido pela presença das gônadas masculinas e femininas (compostas por células germinativas e por células secretoras). - Nas semanas gestacionais de 6 a 7, nos homens, os testículos começam a se diferenciar - Nas 9a semana gestacional os ovários começam a se diferenciar Sexo Fenotípico: é definido pelas características físicas do trato genital interno e da genitália externa. - A testosterona estimula o crescimento e diferenciação dos ductos de Wolff no trato genital masculino - O hormônio antimülleriano promove a atrofia dos ductos de Müller que se desenvolveria em trato genital feminino PUBERDADE - a função da Gônada é dirigida pelo eixo hipotálamo-hipofisário e varia durante toda a vida - o evento primário na puberdade é o início da secreção pulsátil de GnRH, levando a secreção pulsátil de FSH e LH - o FSH e LH por sua vez levam a secreção de testosterona ou estradiol, responsáveis pelo aparecimento dos caracteres sexuais secundários - os mecanismos que determinam essa secreção pulsátil não são conhecidos - o estresse extremo e a privação calórica, nas meninas, retardam o início da puberdade
  • 2. FISIOLOGIA REPRODUTIVA MASCULINA ESTRUTURA DO TESTÍCULO - funções: espermatogênese e secreção de testosterona - mantido na bolsa escrotal: 35-36 oC - 80% túbulos seminíferos: alças convolutas possuindo no seu revestimento epitelial 3 tipos de células: espermatogônias, espermatócitos e células de Sertoli - funções das células de Sertoli: fornecer nutrientes para os espermatozóides em diferenciação, ser barreira sangue- testículos, produzir uma secreção aquosa para o lúmen - 20% tecido conjuntivo: células de Leydig (produção de testosterona) ESPERMATOGÊNESE - ocorre durante toda a vida reprodutiva masculina, da puberdade até a senescência - é dividida em: divisões mitóticas das espermatogônias, divisões meióticas dos espermatócitos e espermiogênese - um ciclo completo leva 64 dias, com produção diária de 128 milhões de espermatozóides EPIDÍDIMO - principal local para a maturação a armazenamento dos espermatozóides - permanecendo viáveis por meses EJACULAÇÃO - os espermatozóides são espelidos pelo canal deferente para a uretra - âmpula do canal deferente: citrato e frutose - vesículas seminais: frutose, citrato, PGs e fibrinogênio - próstata: solução aquosa rica em citrato, cálcio e enzimas - sêmen: 10% espermatozóides, 90% secreções CAPACITAÇÃO - ocorre após 4 a 6 horas depois - remoção de fatores seminais inibitórios - influxo de cálcio - reação acrossômica
  • 3. AÇÕES DOS ANDROGÊNIOS MEDIADAS PELA TESTOSTERONA - diferenciação do epidídimo, canal deferente e vesículas seminais - aumento da massa muscular - surto de crescimento puberal - fechamento das epífises - crescimento do pênis e das vesículas seminais - abaixamento do timbre das voz - espermatogênese - libido AÇÕES DOS ANDROGÊNIOS MEDIADAS PELA DIIDROTESTOSTERONA - diferenciação do pênis, saco escrotal e próstata - padrão masculino de implantação de cabelos - padrão masculino de calvície - atividade das glândulas sebáceas - crescimento da próstata FISIOLOGIA REPRODUTIVA FEMININA OVÁRIOS - córtex: revestida por epitélio germinativa, contém todos os oócitos, cada um incluso em um folículo - medula: mistura de tipos celulares - hilo: vasos sanguíneos e linfáticos - unidade funcional: folículo ovariano individual: célula germinativa cercada de células endócrinas FOLÍCULO OVARIANO - fornece nutrientes para o oócito em desenvolvimento - libera o oócito no tempo devido (ovulação) - prepara a vagina e as trompas de Falópio para ajudar na fertilização - prepara o revestimento interno do útero para a implatação do óvulo fecundado - mantém a produção de hormônios esteróides para o feto até que a placenta possa assumir essa função
  • 4. OOGÊNESE - nos ovários em desenvolvimento, as células germinativas produzem oogônias por divisão mitótica até a 24a semana de gestação - a partir da 9a semana de gestação algumas dessas oogônias entram na prófase da meiose, tornando-se oócitos primários - o processo continua até o 6o mês após o nascimento, permanecendo o processo suspenso até a puberdade DESENVOLVIMENTO DOS FOLÍCULOS OVARIANOS SÍNTESE E SECREÇÃO DE ESTROGÊNIO E PROGESTERONA - as células da teca sintetizam e secretam a progesterona e testosterona que se difunde para as células da granulosa - as células da granulosa possuem a aromatase que converte a testosterona em estradiol REGULAÇÃO DA FUNÇÃO OVARIANA AÇÕES DO ESTROGÊNIO SOBRE OS TECIDOS-ALVO - maturação e manutenção do útero, trompas, cérvix e vagina - desenvolvimento dos caracteres sexuais secundários - necessário para o desenvolvimento mamário - responsável pela proliferação e desenvolvimento das células da granulosa ovariana - regulação para cima dos receptores para estrogênio, progesterona e LH - manutenção da gravidez - abaixa o limiar uterino para os estímulos de contração - estimula a secreção de prolactina - bloqueia a ação da prolactina sobre as mamas AÇÕES DA PROGESTERONA SOBRE OS TECIDOS-ALVO - manutenção da atividade secretória do útero durante a fase lútea - desenvolvimento das mamas - manutenção da gravidez - aumenta o limiar uterino para os estímulos de contração, durante a gravidez
  • 5. EVENTOS DO CICLO MENSTRUAL - se repete a cada 28 dias (variando de 21 a 35 dias), durante o período reprodutivo da mulher - a fase lútea possui duração constante - coitarca, menarca, menopausa e climatério 1. Fase Folicular ou Proliferativa: o folículo primordial se desenvolve até um folículo de Graaf, se tornando o folículo dominante com a degeneração dos vinzinhos - é dominada pelo estradiol: promovem a proliferação do revestimento endometrial uterino 2. Ovulação: ocorre sempre 14 dias antes do fim do ciclo menstrual - se segue ao surto de secreção de estradiol no fim da fase folicular, que passa a exercer feefback positivo sobre a secreção de LH e FSH pela adeno-hipófise 3. Fase Lútea ou Secretória: vai da ovulação até a menstruação - o corpo amarelo começa a sintetizar estradiol e progesterona - os altos níveis de progesterona durante essa fase estimulam a atividade secretora do endométrio e aumentam sua vascularização - a progesterona também aumenta a temperatura corporal basal - se não ocorrer fertilização do óvulo o corpo amarelo regride e os níveis de estrogênio e progesterona caem rapidamente 4. Menstruação: a regressão do corpo amarelo faz com que o revestimento endometrial descame, durando tipicamente 4 dias, e reiniciando novo ciclo menstrual GRAVIDEZ - nos humanos dura 38 ± 2 semanas - os níveis de estrogênio e progesterona aumentam continuamente para manutenção do endométrio, desenvolvimento das mamas, lactação, e supressão de novos folículos ovarianos
  • 6. - no primeiro trimestre a fonte de hormônios esteróides é o corpo amarelo, em seguida a fonte passa a ser a placenta EVENTOS INICIAIS NA GRAVIDEZ Dias após a Ovulação Ovulação 0 Fertilização 1 Blastocisto chega a cavidade uterina 4 Implantação 5 Forma-se o trofoblasto que se fixa ao endométrio 6 Trofoblasto começa a secretar HCG 8 HCG (≈ LH) “resgata” o corpo amarelo 10 CONTRACEPÇÃO - os contraceptivos orais são combinações de estrogênio e progesterona - impedem a gravidez por meio de Feedback negativo sobre a secreção de FSH e LH, e conseqüentemente sobre a ovulação MENOPAUSA - cessação dos ciclos menstruais nas mulheres - ocorre aproximadamente aos 50 anos de idade - a secreção de estrogênios declina gradualmente, e aumenta o FSH e o LH - sintomas: adelgaçamento do epitélio vaginal, secreções vaginais diminuídas, menor massa mamária, massa óssea reduzida, instabilidade vascular (“fogachos”), labilidade emocional.

×