Relatorio Logconsult

  • 580 views
Uploaded on

Resultado do estudo de logística do Soro do Leite na Região do Polo de Excelência de Leite e Derivados

Resultado do estudo de logística do Soro do Leite na Região do Polo de Excelência de Leite e Derivados

More in: Business , Technology
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
580
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
5
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. ESTUDO DA LOGÍSTICA PARA COLETA E BENEFICIAMENTO DE SORO DE LEITE A PARTIR DA FABRICAÇÃO DE QUEIJO ZONA DA MATA E NO CAMPO DAS VERTENTES DE MINAS GERAIS Responsáveis técnicos Ricardo S. Martins Osmar Vieira Souza Filho Belo Horizonte – MG Outubro - 2009 www.logconsultprojetos.com [email_address]
  • 2. www.logconsultprojetos.com [email_address]
  • 3. CGEE-MOP Governo de Minas Gerais
  • 4. Introdução
    • Soro: visto por muito tempo como subproduto ou material de descarte
    • Soro atualmente é produto : as aplicações do soro são inúmeras, englobando as indústrias de lácteos, carnes, misturas secas (para condimentar), panificação, chocolate, aperitivos e bebidas, farmacêutica, entre outras.
    • Porém, se não houver planejamento para o beneficiamento, este produto de alto valor nutritivo potencial é perdido: estima-se que metade da produção mundial de soro ainda seja descartada em efluentes e sem qualquer tratamento
    • Alta Demanda Bioquímica de Oxigênio ( DBO ) associada, principalmente, à presença de lactose e proteínas , constitui-se num forte agente de poluição ambiental equivalente à poluição diária de cerca de 470 pessoas nos sistemas de saneamento
  • 5. Referências do estudo
    • Para contrapor-se a esta indesejada e inadequada disposição deste resíduo , é necessário encontrar viabilidade técnico-econômica referente ao processamento do soro, recuperando seu valor enquanto matéria-prima para produtos nobres, levando-se em conta aspectos diversos, como o de localização e logística , específicos para empreendimentos que considerem pequena e média escala de produção e dispersão geográfica da matéria-prima, condicionados pelo caráter de extrema perecibilidade do soro
    • A missão da logística é, segundo Ballou (2001, p.21) “dispor o produto ou o serviço certo, no lugar certo, no tempo certo e nas condições desejadas, ao mesmo tempo que fornece a maior contribuição à empresa”
    • Princípio teórico: Teoria da localização, por meio de modelos matemáticos de otimização
  • 6. Mercado Mundial
    • O mercado mundial para o soro beneficiado foi estimado em 3,2 milhões de toneladas em 2008
    • Especificamente o mercado de proteína – WPC e WPI – foi estimado em e US$3,8 bilhões em 2008
    • Taxas de crescimento de mercado:
    • WPC 80 - 15%
    • WPI - 11%
    • WPC 35 - 5%
    • DWP - 5%
  • 7. Mercado Mundial
    • Mais de 6.500 novos produtos contendo soro e seus derivados foram lançados em 2008 , a uma taxa de crescimento anual de aproximadamente 15%
    • O Brasil foi o segundo país em número de novos produtos lançados à base de soro em 2008
    • Interesse especial pelos benefícios potenciais do soro do leite à saúde humana fazem com que o interesse seja crescente em suas aplicações na indústria de alimentos saudáveis, dietéticos, para idosos e para crianças : segmentos de saúde e bem-estar; energia e esportivo e complemento alimentar e gestão do peso
  • 8. Comércio externo brasileiro Importações de Soro pelo Brasil (em t), 2003-2009 (até maio)
  • 9. Comércio externo brasileiro Preços médios do soro importado pelo Brasil (em FOB US$/kg) , 2003-2009 (até maio) O preço médio de pago pelo soro importado FOB em 2008 foi US$1,19/kg
  • 10. Estudo da logística do soro do leite para Zona da Mata e Campo das Vertentes
  • 11. Aspectos metodológicos
    • Questionários aplicados nos laticínios pela Empresa Júnior do IFET de Rio Pomba
    • Informações levantadas pertinentes à logística:
    • Existência de produção de queijo no laticínio e, consequentemente, da geração de soro de leite
    • Volume diário de soro gerado (em litros) e respectiva destinação
    • Volume de soro destinado a venda
    • Local de coleta do soro vendido
    • Frequência de coleta ou despacho do soro vendido
    • Tempo de duração do relacionamento com a empresa adquirente do soro
    • Responsabilidade de pagamento do custo de transporte do soro vendido
  • 12. Amostra Incidência da fabricação de queijo nas empresas (em número de empresas) Fonte: Dados tabulados pela LOGConsult Total de questionários enviados Fonte: Dados tabulados pela LOGConsult
  • 13. Amostra Destinação do soro gerado (em milhares de litros/dia) Fonte: Dados tabulados pela LOGConsult
  • 14. Soro em MG: localização e quantidades Estimativas do volume de soro, por cidade Cidade Volume soro (l/dia) % do total % cumula-tivo Antônio Carlos 89.500 12,7% 12,7% Entre Rios de Minas 80.000 11,4% 24,1% Nazareno 46.500 6,6% 30,7% Lima Duarte 43.500 6,2% 36,9% Guiricema 42.500 6,0% 43,0% Lavras 40.000 5,7% 48,7% Carangola 35.000 5,0% 53,6% Juiz de Fora 34.500 4,9% 58,5% Leopoldina 30.900 4,4% 62,9% Madre de Deus 30.000 4,3% 67,2% Lagoa Dourada 25.000 3,6% 70,8% São Geraldo 24.000 3,4% 74,2% Patrocínio do Muriaé 20.000 2,8% 77,0% São João Del Rei 16.000 2,3% 79,3% Ingaí 12.000 1,7% 81,0% Guarani 9.900 1,4% 82,4% Barbacena 8.000 1,1% 83,5% Rio Pomba 7.380 1,0% 84,6% Além Paraíba 7.000 1,0% 85,6% Oliveira 7.000 1,0% 86,6% Raul Soares 7.000 1,0% 87,6% Divinésia 6.000 0,9% 88,4% Tabuleiro 5.800 0,8% 89,3% Viçosa 5.467 0,8% 90,0% Cristiano Otoni 5.000 0,7% 90,8% Luminárias 5.000 0,7% 91,5% Piau 5.000 0,7% 92,2% Santa Rita do Ibitipoca 4.500 0,6% 92,8% Oliveira Fortes 4.200 0,6% 93,4% Carrancas 4.000 0,6% 94,0% Desterro de Melo 4.000 0,6% 94,6%
  • 15. Soro em MG: localização e quantidades Estimativas do volume de soro, por cidade Cidade Volume soro (l/dia) % do total % cumula-tivo Rio Espera 4.000 0,6% 95,1% Santana dos Montes 4.000 0,6% 95,7% Merces 3.700 0,5% 96,2% Visconde Rio Branco 3.500 0,5% 96,7% Chácara 3.000 0,4% 97,1% Paula Cândido 3.000 0,4% 97,6% São Tiago 3.000 0,4% 98,0% Ubá 3.000 0,4% 98,4% Bicas 1.800 0,3% 98,7% Guaraciaba 1.800 0,3% 98,9% Faria Lemos 1.000 0,1% 99,1% Guarará 1.000 0,1% 99,2% Muriaé 1.000 0,1% 99,4% Teixeiras 1.000 0,1% 99,5% Miraí 800 0,1% 99,6% Carandaí 750 0,1% 99,7% Coimbra 600 0,1% 99,8% Santos Dumont 600 0,1% 99,9% Tocantins 450 0,1% 100,0% Volta Grande 200 0,0% 100,0% Rio Preto 100 0,0% 100,0% Volume total: 702.947  
  • 16. Soro em MG: localização e quantidades Estimativas do volume de soro, por cidade Cidade Volume soro (l/dia) % do total % cumula-tivo Antônio Carlos 89.500 12,7% 12,7% Entre Rios de Minas 80.000 11,4% 24,1% Nazareno 46.500 6,6% 30,7% Lima Duarte 43.500 6,2% 36,9% Guiricema 42.500 6,0% 43,0% Lavras 40.000 5,7% 48,7% Carangola 35.000 5,0% 53,6% Juiz de Fora 34.500 4,9% 58,5% Leopoldina 30.900 4,4% 62,9% Madre de Deus 30.000 4,3% 67,2% Lagoa Dourada 25.000 3,6% 70,8% São Geraldo 24.000 3,4% 74,2% Patrocínio do Muriaé 20.000 2,8% 77,0% São João Del Rei 16.000 2,3% 79,3% Ingaí 12.000 1,7% 81,0% Guarani 9.900 1,4% 82,4% Barbacena 8.000 1,1% 83,5% Rio Pomba 7.380 1,0% 84,6% Além Paraíba 7.000 1,0% 85,6% Oliveira 7.000 1,0% 86,6% Raul Soares 7.000 1,0% 87,6% Divinésia 6.000 0,9% 88,4% Tabuleiro 5.800 0,8% 89,3% Viçosa 5.467 0,8% 90,0% Cristiano Otoni 5.000 0,7% 90,8% Luminárias 5.000 0,7% 91,5% Piau 5.000 0,7% 92,2% Santa Rita do Ibitipoca 4.500 0,6% 92,8% Oliveira Fortes 4.200 0,6% 93,4% Carrancas 4.000 0,6% 94,0% Desterro de Melo 4.000 0,6% 94,6%
  • 17. Aspectos metodológicos
    • Ponto de corte: laticínios com produção diária inferior a 1.000 litros
    • Produção das regiões diária: 693.000 litros
    • Resultados são condicionados pela qualidade da informação prestada pelos laticínios
  • 18. Soro em MG: localização e quantidades
  • 19. Teoria da localização
    • O que, quanto e quando produzir? ONDE PRODUZIR?
    • Primeiras décadas do século XIX, através de Von Thünen
    • Alfred Weber
    • Lugar Central: Conceitos de referência:
    • - extensão (distância) e
    • - limiar (viabilidade técnica)
  • 20.  
  • 21. Processos Figura 1 – Processos do soro Fonte: Elaboração da equipe da LOGConsult
  • 22. Modelo da logística Secagem Descarte Resfria-mento Pré-concentração LATICÍNIO
  • 23. Soro em MG: Impedância – malha rodoviária
  • 24. Soro em MG: Cidades candidatas a localização de unidades industriais de Pré-Concentração e Secagem Pré-concentração Secagem Antônio Carlos Antônio Carlos Entre Rios de Minas Entre Rios de Minas Nazareno Nazareno Lima Duarte Juiz de Fora Guiricema Guiricema Lavras Lavras Carangola Juiz de Fora Leopoldina Madre de Deus
  • 25. RESULTADOS
  • 26. MODELO 1 LOGÍSTICA COM PRÉ-CONCENTRAÇÃO Cidades candidatas a localização de unidades de Pré-Concentração Pré-concentração Clusters Volumes de soro consolidado (l/dia) Antônio Carlos Antônio Carlos, Lagoa Dourada, Barbacena, Desterro de Melo, Rio Espera 130.500 Entre Rios de Minas Entre Rios de Minas, Cristiano Otoni, Santana dos Montes, São Tiago 92.000 Nazareno Nazareno, Oliveira, Carrancas 57.500 Lima Duarte Lima Duarte, Santa Rita do Ibitipoca 48.000 Guiricema Guiricema, São Geraldo, Divinésia, Viçosa, Teixeiras, Visconde do Rio Branco, Paula Cândido, Ubá, Guaraciaba, Muriaé 91.000 Lavras Lavras, Ingaí, Luminárias 57.000 Carangola Carangola, Raul Soares, Faria Lemos 43.000 Juiz de Fora Juiz de Fora, Guarani, Rio Pomba, Tabuleiro, Piau, Mercês, Chácara, Bicas 57.000 Leopoldina Leopoldina, Patrocínio do Muriaé, Além Paraíba 71.100 Madre de Deus Madre de Deus, São João Del Rei 46.000
  • 27. MODELO 2 LOGÍSTICA COM PRÉ-CONCENTRAÇÃO Cidades pré-selecionadas a localização de unidades de Pré-Concentração Pré-concentração Clusters Volumes de soro consolidados (l/dia) Antônio Carlos Antônio Carlos, Lagoa Dourada, Barbacena, Desterro de Melo, Rio Espera, Madre de Deus, Carrancas, Luminárias, Lavras 208.500 Entre Rios de Minas Entre Rios de Minas, Cristiano Otoni, Santana dos Montes, São Tiago, São João Del Rei, Nazareno, Oliveira, Ingaí 174.500 Guiricema Guiricema, São Geraldo, Divinésia, Viçosa, Teixeiras, Visconde do Rio Branco, Paula Cândido, Ubá, Guaraciaba, Muriaé, Carangola, Raul Soares, Faria Lemos, Leopoldina, Patrocínio do Muriaé 184.000 Juiz de Fora Juiz de Fora, Guarani, Rio Pomba, Tabuleiro, Piau, Mercês, Chácara, Bicas, Além Paraíba, Lima Duarte, Santa Rita Ibitipoca 126.000
  • 28. Soro em MG: Cidades selecionadas para sediar unidades de Pré-Concentração
  • 29. MODELO 3 LOGÍSTICA SECAGEM DIRETA Cidades candidatas a localização de unidades de Secagem Candidatas Pré-selecionadas Antônio Carlos Antônio Carlos Entre Rios de Minas Entre Rios de Minas Nazareno Nazareno Juiz de Fora Guiricema Guiricema Lavras
  • 30. Indicador de Conveniência Logística (Quanto menor, melhor)
  • 31. Indicador de Conveniência Logística (Quanto menor, melhor) Cidades indicam a localização de torres de secagem INDIRETO DIRETO
  • 32. Análise de Viabilidade Econômico-financeira
    • Simulações a partir das melhores opções definidas no modelo de Conveniência Logística
    • Taxa Interna de Retorno (TIR): Taxa que viabiliza o retorno do capital investido, descontados os custos operacionais
    • Informações de mercado de agosto de 2009
    • Visita a profissionais e empreendimentos localizados na área de interesse
  • 33. Análise de Viabilidade Econômico-financeira Notas: 1 – Valores médios estimados 2 – Valor atualmente praticado 3 – Inviável financeiramente Fonte: Resultados - LOGConsult Localização Capacidade 1 TIR (% a.a.) Pré-concentrado (litros/dia) Seco (kg/dia) Preço de compra (fluido) Preço de venda (pré-concentrado) R$0,02/l R$0,015/l R$0,01/l R$0,012/l R$0,045/l 2 Pré-concentração Guiricema 61.333 14% 14% * 3 Juiz de Fora 42.000 5% 5% * 3 Antônio Carlos 69.000 17% 17% * 3 Entre Rios de Minas 58.000 13% 13% * 3 Secagem Guiricema 14.200 -6,06% 0,25% 12,49% Antônio Carlos 19.750 -0,50% 6,80% 21,46%
  • 34. MODELO SUGERIDO
  • 35. Localização apropriada para unidades de Pré-concentração
  • 36. Localização apropriada para unidades de Secagem
  • 37. Modelo de rede logística
    • Secagem
    • Unidades e capacidades (soro pré-concentrado/dia)
    • - Guiricema (150.000l) e
    • - Antônio Carlos (81.000l),
    • com estimativa de produção regular de 70% das capacidades instaladas, produzindo em média, respectivamente,
    • 10.000 kg de soro seco/dia e
    • 19.000 kg de soro seco/dia
    • Valores de compra e venda :
    • Compra soro pré-concentrado a R$0,12 a 0,15/l e
    • Venda o soro seco a R$2,30/kg
    • Pré-concentração
    • Unidades e capacidades (soro fluido/dia)
    • - Guiricema (184 mil l),
    • - Juiz de Fora (126 mil l),
    • - Entre Rios de Minas (174,5 mil l) e
    • Antônio Carlos (208,5 l),
    • Valores de compra e venda :
    • - Compra soro fluido a R$0,01/l
    • - Venda pré-concentrado a R$0,12/l a R$0,15/l
  • 38. Considerações finais
    • Partiu-se do pressuposto de que para poder ser beneficiado, é necessário que o soro de leite seja resfriado assim que produzido, ainda no laticínio. Muito embora haja relatos de aproveitamento de soro “quente” para fabricação direta de alguns produtos, tal descrição não é conhecida dos técnicos de mercado. É improvável que tal processo possa ocorrer em escala razoável
    • Governança baseada na integração vertical (pré-concentração e secagem)
    • Preço do soro importado é competitivo
    • Custos ambientais
    • Inovação em processos e em equipamentos
    • Políticas públicas para estimular a organização desta cadeia
  • 39. ESTUDO DA LOGÍSTICA PARA COLETA E BENEFICIAMENTO DE SORO DE LEITE A PARTIR DA FABRICAÇÃO DE QUEIJO NA ZONA DA MATA E NO CAMPO DAS VERTENTES DE MINAS GERAIS Ricardo S. Martins – [email_address] – 31-8717-9564 Osmar Vieira Souza Filho – [email_address] – 31-9981-0914 www.logconsultprojetos.com [email_address]