Plano De Trabalho Docente

74,334 views
73,945 views

Published on

Como auxiliar o Professor no Plano de Trabalho Docente - Modelo do Plano para ser desenvolvido.

Published in: Education, Technology
4 Comments
7 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
74,334
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
780
Comments
4
Likes
7
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Plano De Trabalho Docente

  1. 1. <ul><li>O que é um PTD? </li></ul><ul><li>É o mesmo que planejamento e plano de aula? </li></ul><ul><li>Como ele é construído? Que variáveis precisam ser consideradas nesse momento? </li></ul>Plano de Trabalho Docente
  2. 2. <ul><li>Tem um formato específico? </li></ul><ul><li>Quem participa da sua construção? </li></ul><ul><li>Que elementos ele deve conter? </li></ul>Plano de Trabalho Docente
  3. 3. <ul><li>Dimensão Legal: </li></ul><ul><li>Aparece no Artigo 13, II e IV da LDB como Plano de Trabalho que deve ser feito pelo professor, isso justifica o termo Plano de Trabalho Docente. </li></ul>Plano de Trabalho Docente
  4. 4. <ul><li>Contribuir para o desenvolvimento da proposta pedagógica curricular dos estabelecimentos de ensino em que atuar; </li></ul><ul><li>Elaborar Plano de Trabalho Docente e trabalhar pelo seu cumprimento em consonância com a proposta pedagógica do estabelecimento de ensino, com os princípios norteadores das políticas educacionais da SEED e com a legislação vigente para a Educação Nacional. </li></ul>Edital de Concurso
  5. 5. <ul><li>Parte da Proposta Pedagógica Curricular; </li></ul><ul><li>Organiza o ensino aprendizagem em sala de aula. </li></ul><ul><li>E o que é Aprendizagem? (DCE, p. 54; p. 56; p. 62 e 63; p. 65; p. 66; p. 68). </li></ul><ul><li>OBS: D.C.E. > DIRETRIZES CURRICULARES ESTADUAIS </li></ul>
  6. 6. <ul><li>É um documento que registra o que se pensa fazer, como fazer, quando fazer, com que fazer e com quem fazer; </li></ul><ul><li>É uma diretriz para as ações educacionais do professor; </li></ul>
  7. 7. <ul><li>Plano é a formalização dos diferentes momentos do processo de planejamento; </li></ul><ul><li>É a apresentação sistematizada e justificada das decisões tomadas. </li></ul>
  8. 8. <ul><li>Implica no registro escrito e sistematizado do planejamento do professor; </li></ul><ul><li>Antecipa a ação do professor, organizando o tempo e o material de forma adequada; </li></ul><ul><li>É um instrumento político e pedagógico que permite a dimensão transformadora do conteúdo. </li></ul>
  9. 9. <ul><li>Permite uma avaliação do processo de ensino e aprendizagem; </li></ul><ul><li>Possibilita compreender a concepção de ensino-aprendizagem e de avaliação do professor; </li></ul>
  10. 10. <ul><li>Orienta /direciona o trabalho do professor </li></ul><ul><li>Requer conhecimento prévio da Proposta Pedagógica Curricular; </li></ul><ul><li>Pressupõe a reflexão sistemática da prática educativa. </li></ul>
  11. 11. <ul><li>1. Conteúdos específicos </li></ul><ul><ul><li>2. Justificativa </li></ul></ul><ul><ul><li>3. Encaminhamentos metodológicos (métodos, recursos, estratégias) </li></ul></ul><ul><ul><li>4. Avaliação (critérios, instrumentos) </li></ul></ul><ul><ul><li>5. Referências </li></ul></ul>
  12. 12. <ul><ul><li>1. Conteúdos específicos: O professor organiza a escolha dos conteúdos, trabalhando de forma contextualizada e atualizada, possibilitando ao aluno estabelecer relações e análises críticas sobre ele. </li></ul></ul>
  13. 13. Conteúdo Estruturante Conteúdo Básico Conceitos Conteúdos Específicos
  14. 14. <ul><ul><li>2. Justificativa: Explicita a escolha dos conteúdos estruturantes e específicos como opção política, educativa e formativa. </li></ul></ul>
  15. 15. 3. Encaminhamentos metodológicos: O conjunto de determinados princípios, métodos, recursos e estratégias para chegar aos objetivos; o processo de investigação teórica e de ação prática.
  16. 16. 4. A valiação: seleção de instrumentos e definição de critérios que estabelecem os propósitos e a dimensão do que se avalia. Para cada conteúdo específico é preciso ter claro o que se deseja ensinar, desenvolver e, portanto, avaliar.
  17. 17. 5. Referências : permitem perceber em que material e em qual concepção o professor vem fundamentando seu conteúdo. Fundamentar conteúdos de forma historicamente situada implica buscar outras referências além dos livros didáticos.
  18. 18. Colégio Estadual Zacarias Cardoso de Cristo Professor(a): ....................... Disciplina: ........................ Série:............... Período:.............. Ano letivo:..................... PLANO DE TRABALHO DOCENTE Referências Critérios de avaliação Encaminhamento metodológico e recursos didáticos Justificativa e Objetivos Conteúdos
  19. 19. <ul><li>  </li></ul><ul><li>As Diretrizes Curriculares da Educação Básica do Paraná </li></ul><ul><li>As Diretrizes Curriculares para a educação pública do Estado do Paraná chegam às escolas como um documento oficial que traz a característica principal de sua construção: a horizontalidade, pois contou com a participação de todas as escolas e Núcleos Regionais de Educação do Estado, e faz ressoar nela as vozes de todos os professores das escolas públicas paranaenses. Este é um documento que traça estratégias que visam nortear o trabalho do professor e garantir a apropriação do conhecimento pelos estudantes da rede pública. Os mesmos princípios democráticos que fundamentaram a construção destas Diretrizes solicitam, dos professores, o engajamento para uma contínua reflexão sobre este documento, para que sua participação crítica, constante e transformadora efetive, nas escolas de todo o Estado, um currículo dinâmico e democrático. Nesses cadernos estão contemplados o texto Educação Básica e a opção pelo currículo disciplinar, que discorre principalmente sobre a concepção de currículo para a Educação Básica paranaense, as Diretrizes Curriculares Estaduais (DCE) de sua disciplina e, no anexo, ao final do caderno, a Tabela de Conteúdos Básicos construída e sistematizada pelas equipes disciplinares do Departamento de Educação Básica. Os conteúdos são organizados por séries e devem ser tomados como ponto de partida para a organização da proposta pedagógica curricular das escolas. </li></ul>

×