Proposta Pedagógica EEEM Gomes Cardim
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Like this? Share it with your network

Share

Proposta Pedagógica EEEM Gomes Cardim

  • 5,785 views
Uploaded on

Projeto Político Pedagógico da Escola Estadual Gomes Cardim em Vitória -ES

Projeto Político Pedagógico da Escola Estadual Gomes Cardim em Vitória -ES

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
5,785
On Slideshare
5,763
From Embeds
22
Number of Embeds
4

Actions

Shares
Downloads
53
Comments
0
Likes
0

Embeds 22

http://localhost 19
http://ad-rp.com 1
http://www.ad-rp.com 1
https://twimg0-a.akamaihd.net 1

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. GOVERNO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO PROPOSTA PEDAGÓGICA DA EEEM “GOMES CARDIM” 2011
  • 2. SUMÁRIOI-IDENTIFICAÇÃO DA ESCOLA.....................................................................................II- CARACTERIZAÇÃO DA INSTITUIÇÃO.....................................................................III-CARACTERIZAÇÃO DA DEMANDA ATENDIDA PELA ESCOLA E PELA COMUNIDADE...........................................................................................................................IV- CARACTERIZAÇÃO DO CORPO DOCENTE E ESPECIALISTAS..........................V- PRECEITOS FILOSÓFICOS E PEDAGÓGICOS......................................................VI--ORGANIZAÇÃO CURRICULAR ..............................................................................VII- ESPAÇOS FÍSICOS E EQUIPAMENTOS...............................................................VIII- PROPOSIÇÕES DE INSERÇÃO SOCIAL DE ALUNOS COM NECESSIDADESESPECIAIS E ATENDIMENTO AO ALUNO TRABALHADOR.......................................IX- RELAÇÕES OU PARCERIAS COM A COMUNIDADE LOCAL,REGIONALE NACIONAL...................................................................................................................X-ARTICULAÇÃO ENTRE FAMÍLIA/ESCOLA/COMUNIDADE.....................................XI- PROVIDÊNCIAS PARA MELHORIA DA QUALIDADE DE ENSINO.......................XII-MECANISMOS DE AVALIAÇÃO............................................................................... 2
  • 3. I-IDENTIFICAÇÃO DA ESCOLAA Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Gomes Cardim, com sede à ruaWilson Freitas s/n, centro, Vitória- ES é uma instituição de Ensino Público Estadual,vinculada ao Sistema Estadual de Educação mantida pelo Governo do Estado do EspíritoSanto através da Secretaria de Estado da Educação – SEDU, sob a jurisdição daSuperintendência Regional de Carapina. Inscrita no Cadastro Geral de Contribuição doMinistério da Fazenda sob o nº -03380975/0001-80.Telefone (027) 3222-2332 e-mailescolagomescardim@sedu.es.gov.br. Funciona nos três turnos: Matutino, Vespertino eNoturno. Diretor WALACE BONICENHA, Secretário Escolar Ana Cristina Burgos. Acapacidade de matrícula é de 1200 alunos, os níveis de ensino ofertados são Ensino Médio eEducação Profissional. A seguir discriminamos os cursos ofertados e seus respectivos atosautorizativos. Lei nº 166 de 05/09/1908-criação da escola Resolução CEE/ES nº 41/75-28/11/75-aprovação da escola com a oferta das séries iniciais do ensinofundamental.Portaria E nº 3514- 16/07/99- transformação da escola em EPSG e criação doEnsino Médio.Portaria 055-R de 12/06/02-classificação das EPG,EPSG e ESG da redeestadual para EEEF,EEEFM e EEEM em função da lei nº 9394/96. Aprovação do Curso deEnsino Médio: Parecer CEE nº 2.764/2010 da Resolução CEE nº 2.451/2010, publicada DIOde 22/09/2010. Oferta do Ensino Fundamental foi encerrada pelo parecer do CEE2.864/2010, Resolução 2.541/2010. Curso Técnico em Comércio-Portaria nº49-R,de24/03/2006-criação do curso Resolução CEE/ES nº1478/07-06/06/2007 Aprovação do cursoTécnico em Comércio por 03 anos.Curso Técnico em Informática-Portaria nº 50-R,de24/03/2006-criação do curso Resolução CEE/ES nº 1511/07- 20/08/2007 Aprovação do cursoTécnico em Informática por 03 anos.Resolução CEE/ES nº 1721/08-02/09/2008-aprovaçãoda ampliação de vagas para os cursos técnicos em Comércio e Informática..ResoluçãoCEE/ES nº 2042/09-09/09/2009-convalidação dos estudos dos alunos do Ensino Médio até ofinal do ano letivo de 2009..Curso Técnico em Guia de Turismo-Portaria nº 108-R, de07/10/2009 -criação do curso Resolução CEE/ES nº2155/2010,de 26/01/2010-aprovação docurso Técnico em Guia de Turismo por 03 anos Curso Técnico em Administração- Portarianº 111-R, de 07/10/2009 -criação do curso Resolução CEE/ES nº2142/2009,de 07/01/2010-aprovação do curso Técnico em Administração por 03 anos.Curso Técnico em Lazer-Portaria nº 110-R, de 07/10/2009 -criação do curso Resolução CEE/ES nº2154/2010,de26/01/2010-aprovação do Curso Técnico em Lazer por 03 anos.Curso Técnico emBiblioteconomia- Portaria nº 116-R, de 15/10/2009 -criação do curso Resolução CEE/ESnº2146/2009,de 07/01/2010-aprovação do curso Técnico em Biblioteconomia por 03anos.Curso Técnico em Manutenção e Suporte em Informática- Portaria nº 109-R, de07/10/2009 -criação do curso Resolução CEE/ES nº2140/2009,de 07/01/2010-aprovação docurso Técnico em Manutenção e Suporte em Informática por 03 anos. Curso Técnico emRedes Portaria nº059-R ,de 28/05/2010 -criação do curso Resolução CEE/ESnº2322/2010,de 30/06/2010-aprovação do Curso Técnico em Redes de Computadores por03 anos. Curso Técnico em Internet Portaria nº059-R de 28/05/2010 -criação do cursoResolução CEE/ES nº2322/2010,de 30/06/2010-aprovação do Curso Técnico em Internetpor 03 anos. Curso Técnico em Eventos Portaria nº059-R de 28/05/2010 -criação do cursoResolução CEE/ES nº2322/2010,de 30/06/2010-aprovação do Curso Técnico em Eventospor 03 anos.Curso Técnico em Transações Imobiliárias Portaria nº044-R de 06/06/2011-criação do curso Resolução CEE/ES 3198/2011,de 20/09/2011-aprovação do CursoTécnico em Transações Imobiliárias por 03 anos. Curso Técnico em Serviços deCondomínio Portaria nº044-R de 06/06/2011 -criação do curso Resolução CEE/ES3206/2011,de 20/09/2011-aprovação do Curso Técnico em Serviços de Condomínio por 03anos. 3
  • 4. Curso Técnico em Agenciamento de Viagem Portaria nº044-R de 06/06/2011 -criação docurso Resolução CEE/ES 3204/2011,de 20/09/2011-aprovação do Curso Técnico emAgenciamento de Viagem por 03 anos. Curso Técnico em Logística Portaria nº044-R de06/06/2011 -criação do curso Resolução CEE/ES 3203/2011,de 20/09/2011-aprovação doCurso Técnico em Logística por 03 anos. Curso Técnico em Secretariado Portaria nº044-Rde 06/06/2011 -criação do curso Resolução CEE/ES 3205/2011,de 20/09/2011-aprovaçãodo Curso Técnico em Secretariado por 03 anos. Curso Técnico em Comércio ExteriorPortaria nº044-R de 06/06/2011 -criação do curso Resolução CEE/ES 3199/2011,de20/09/2011-aprovação do Curso Técnico em Comércio Exterior por 03 anos. 4
  • 5. NOME DA ESCOLA:ESCOLA ESTADUAL DE ENSINO MÉDIO “GOMES CARDIM”CNPJ:03.381.661/0001-00ENDEREÇO: RUA WILSOM FREITAS S/N, CENTRO. CIDADE:VITÓRIA,ES.EMAIL:escolagomescardim@sedu.es.gov.br TEL: 027 3222-2332TURNO DE FUNCIONAMENTO: MANTENEDOR: SEDU-MATUTINO,VESPERTINO E NOTURNO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO-GOVERNO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTODIRETOR: WALACE BONICENHASECRETARIO: ANA CRISTINA BURGOSCAPACIDADE DE MATRÍCULA: 1200 ALUNOSNÍVEIS DE ENSINO OFERTADOS: ENSINO MÉDIO E EDUCAÇÃO PROFISSIONALCURSOS OFERTADOS E RESPECTIVOS ATOS AUTORIZATIVOSLei nº 166 de 05/09/1908-criação da escolaResolução CEE/ES nº 41/75-28/11/75-aprovação da escola com a oferta das séries iniciaisdo ensino fundamental.Portaria E nº 3514- 16/07/99- transformação da escola em EPSG e criação do Ensino Médio.Portaria 055-R de 12/06/02-classificação das EPG,EPSG e ESG da rede estadual paraEEEF,EEEFM e EEEM em função da lei nº 9394/96. Aprovação do Curso de Ensino Médio:Parecer CEE nº 2.764/2010 da Resolução CEE nº 2.451/2010, publicada DIO de 22/09/2010.Encerramento da oferta do Ensino Fundamental parecer do CEE 2.864/2010, Resolução2.541/2010.Curso Técnico em Comércio-Portaria nº49-R,de 24/03/2006-criação do curso ResoluçãoCEE/ES nº1478/07-06/06/2007 Aprovação do curso Técnico em Comércio por 03 anosCurso Técnico em Informática-Portaria nº 50-R,de 24/03/2006-criação do curso ResoluçãoCEE/ES nº 1511/07- 20/08/2007 Aprovação do curso Técnico em Informática por 03 anosResolução CEE/ES nº 1721/08-02/09/2008-aprovação da ampliação de vagas para os cursostécnicos em Comércio e Informática.Resolução CEE/ES nº 2042/09-09/09/2009-convalidação dos estudos dos alunos do EnsinoMédio até o final do ano letivo de 2009.Curso Técnico em Guia de Turismo-Portaria nº 108-R, de 07/10/2009 -criação do cursoResolução CEE/ES nº2155/2010,de 26/01/2010-aprovação do curso Técnico em Guia deTurismo por 03 anosCurso Técnico em Administração- Portaria nº 111-R, de 07/10/2009 -criação do cursoResolução CEE/ES nº2142/2009,de 07/01/2010-aprovação do curso Técnico emAdministração por 03 anosCurso Técnico em Lazer- Portaria nº 110-R, de 07/10/2009 -criação do curso ResoluçãoCEE/ES nº2154/2010,de 26/01/2010-aprovação do Curso Técnico em Lazer por 03 anosCurso Técnico em Biblioteconomia- Portaria nº 116-R, de 15/10/2009 -criação do cursoResolução CEE/ES nº2146/2009,de 07/01/2010-aprovação do curso Técnico emBiblioteconomia por 03 anosCurso Técnico em Manutenção e Suporte em Informática- Portaria nº 109-R, de07/10/2009 -criação do curso Resolução CEE/ES nº2140/2009,de 07/01/2010-aprovação docurso Técnico em Manutenção e Suporte em Informática por 03 anosCurso Técnico em Redes Portaria nº059-R ,de 28/05/2010 -criação do curso ResoluçãoCEE/ES nº2322/2010,de 30/06/2010-aprovação do Curso Técnico em Redes deComputadores por 03 anosCurso Técnico em Eventos Portaria nº059-R de 28/05/2010 -criação do curso ResoluçãoCEE/ES nº2322/2010,de 30/06/2010-aprovação do Curso Técnico em Eventos por 03 anosCurso Técnico em Internet Portaria nº059-R de 28/05/2010 -criação do curso ResoluçãoCEE/ES nº2322/2010,de 30/06/2010-aprovação do Curso Técnico em Internet por 03 anos 5Curso Técnico em Transações Imobiliárias Portaria nº044-R de 06/06/2011 -criação docurso Resolução CEE/ES 3198/2011,de 20/09/2011-aprovação do Curso Técnico emTransações Imobiliárias por 03 anos.
  • 6. HISTÓRICO DA ESCOLAA Escola Estadual de Ensino Médio “Gomes Cardim” autorizada a funcionar pela Lei 166 de05 Setembro de 1908. Inicialmente instalada na antiga Escola D. Pedro II – atual EscolaEstadual Maria Ortiz, localizada no Centro de Vitória. Em 1928, a Escola Primária “GomesCardim”, foi instalada no prédio construído especialmente pra abrigá-la. Neste prédio hojefunciona a Escola de Arte FAFI, sob a administração da Prefeitura Municipal de Vitória.Depois do período onde esteve instalada neste prédio, a escola foi transferida, para onde éhoje a FAMES (Faculdade de Música do Espírito Santo). Após este período, a Escola foitransferida para sua sede atual, no final da Rua Wilson Freitas sobre a antiga Capitania dosPortos (atual Casa Porto das Artes) e está inserida na área de preservação ambiental,ladeada pelas reservas: Parque “Gruta da Onça” e Parque da Fonte Grande.O nome da Escola é uma referência ao Prof. Carlos Alberto Gomes Cardim que pertencia àtradicional família paulistana, que veio ao Estado do Espírito Santo a fim de reformar oensino primário e secundário, como Secretário de Educação.Até o ano de 1998, a Escola funcionava no turno diurno, e com turmas de 1º e 2º ciclo deensino fundamental que acabou sendo extinto devido à municipalização do ensino emVitória. No início de 1999, foi implantado o 2º grau. Atualmente, a escola funciona no períodomatutino, com turmas do 1º, 2º e 3º anos do Ensino Médio e no turno vespertino com duasturmas do curso técnico em Informática, implantado em 2006.A partir de 2003, a escola sofreu reformas consideráveis em seu espaço físico,consequentemente melhorando toda estrutura e oferta de ensino, ofertando Cursos Técnicose Ensino Médio, estabelecendo assim uma nova concepção de oferta de ensino no Estadodo Espírito Santo.Em 2009, iniciamos o ano letivo com três turmas de cursos técnicos aprovados peloConselho Estadual de Educação: 02 (duas turmas de Curso Técnico em Informática e 01(uma) turma de Curso Técnico em Comércio. Após cinco anos ofertando apenas os turnosmatutino e vespertino, no segundo semestre de 2010, a escola passou a ofertar os trêsturnos: matutino , vespertino e noturno, sendo que o Ensino Médio é ofertado apenas noturno matutino e a Educação Profissional nos três turnos. 6
  • 7. Em 2010, foram ofertados novos cursos técnicos no turno vespertino: Cursos de Guia deTurismo, Lazer, Administração, Biblioteconomia e Manutenção e Suporte em Informação,duas novas turmas em Informática (uma no turno matutino e outra no turno vespertino) e nosegundo semestre ofertados no turno noturno: Curso Técnico em Eventos, Curso Técnico emRedes, Curso Técnico em Internet, Administração, Informática e Manutenção e Suporte emInformática. Além dessas turmas de Educação Profissional, no segundo semestre de 2011,a escola passou a ofertar também duas turmas de novos cursos técnicos: em Secretariado eComércio Exterior, no turno vespertino.Ainda em 2011, foram ofertadas no turno noturno,mais quatro turmas nos novos cursos técnicos de:Logística, TransaçõesImobiliárias,Serviços de Condomínio e Agenciamento de Viagens. No turno matutino,foramofertadas duas turmas de cursos técnicos:Manutenção e Suporte em Informática eInformática,além do Ensino Médio.II-CARACTERIZAÇÃO DA INSTITUIÇÃOOBJETIVOS DA EDUCAÇÃO ESCOLARAtualmente, as atenções se dirigem para um mundo que se move e esse movimento permitesuperar fronteiras e diminuir as distâncias, inclusive entre os países desenvolvidos e emdesenvolvimento, entre conhecimento e ignorância, entre as questões compartilhadas e asindividuais. O mundo vem passando por transformações profundas decorrentes dareorganização mundial, direcionadas pela lógica da internacionalização do capital e dotrabalho. O impacto dessas transformações incide em alterações no âmbito social, cultural epessoal delegando ao sistema educacional a responsabilidade de encontrar alternativas deadequação às necessidades demandadas pelos anseios dos setores produtivos e sociais.Hoje já se repensa a escola enquanto espaço dialético visando uma sólida formação básica,cidadã, incorporando também novas práticas de gestão onde os atores do processoeducativo atuam como co-participantes na tomada de decisões.O trabalho que propomos desenvolver no decorrer do processo educativo ao longo doperíodo visa formar cidadãos livres, conscientes, reconhecendo que a formação integral docidadão requer mais que o domínio de conceitos e informações, mais que aquisição decompetência instrumental ou técnica. Para que de fato essas transformações ocorram, aconstrução dessa Proposta Pedagógica levou todos os envolvidos no processo educacional 7
  • 8. a repensar suas práticas que antes pareciam tão certas, redimensionarem o papel doeducador e ampliar a visão de educação. Na construção, pautamos nossas discussões nosseguintes objetivos:• Formar indivíduos criativos, capazes de buscar meios diversos para garantir a sua sobrevivência adaptando-se às mudanças aceleradas que estão acontecendo no mundo, principalmente as provocadas por questões econômicas e tecnológicas.• Desenvolver um trabalho integrado de forma transparente, envolvendo a comunidade no debate e nas decisões sobre educação e organização escolar, formando o indivíduo como um todo, visando aspectos intelectuais, cognitivos, afetivos e sociais, para que tenham condições de continuar construindo seus conhecimentos em busca da transformação da sociedade bem como de sua realização pessoal, social e profissional é prioridade da escola.OBJETIVOS DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO A consolidação do Ensino Médio como etapa da Educação Básica e como um direito detodos os cidadãos é um objetivo não somente do governo, mas de toda a sociedade. Formarpara o trabalho é uma preocupação que acompanha o processo histórico social e a partir daí,a escola assume um papel preponderante na formação do aluno trabalhador organizandosuas práticas educativas em função do setor produtivo.A Educação Profissional apresenta-se como modalidade de ensino que melhor configura aestreita relação entre as diversas esferas da sociedade e o sistema educativo. Parece difícilpensar em um trabalho educativo que efetivamente se articule aos interesses dostrabalhadores, das classes populares, sem ter como ponto de partida e de chegada, oconhecimento e a cultura. Nessa perspectiva, pautamos nossas discussões nos seguintesobjetivos:• Formar alunos trabalhadores, conhecedores de seus direitos e deveres, que respondam às exigências do novo paradigma tecnológico e de gestão organizacional, sem devemos perder de vista que esse profissional deverá ser formado em toda sua plenitude.• Oferecer condições para que os alunos desenvolvam as competências e habilidades necessárias a construção da cidadania e a inserção no mercado de trabalho e na sociedade de modo geral com autonomia e participação. 8
  • 9. OBJETIVOS DA EDUCAÇÃO BÁSICA DE NÍVEL MÉDIOPreparar o educando, enquanto etapa final da educação básica, para o trabalho e para acidadania objetivando a continuidade do processo de aprendizagem, de modo que este sejacapaz de compreender o mundo físico, social e cultural. Essa formação geral do educando,acerca dos fundamentos científico-tecnológicos, assim como sua qualificação para otrabalho, deve sustentar-se nos fundamentos estéticos, políticos e éticos que inspiram aConstituição e a LDB nº 9394/96, baseando-se também na política da igualdade e na éticada identidade como princípios norteadores.Redimensionar seus conteúdos de ensino ou áreas, de forma interdisciplinar econtextualizada como garantia de diálogo entre as diferentes áreas do saber e dessas áreascom a realidade.A educação, direito de todos e dever do Estado e da família, é um bem público que deveservir aos propósitos da emancipação humana e, consequentemente, do desenvolvimentosocial e econômico da nação. A educação como obra de mudança, de movimento de umadada situação a outra diferente, mediante um determinado caminho.A escola buscará estimular os diversos atores educacionais a desenvolverem umaconsciência de si, do outro e do mundo, por meio da constante elaboração da relação serhumano-natureza-sociedade. Nesse sentido, a vida requer convivência na promoção da pazinterior, paz social e paz ambiental.Os princípios norteadores da Educação Básica serão norteados pelos mesmos de todo RedeEstadual de Educação do Estado do Espírito Santo: • Valorização e afirmação da vida; • O reconhecimento da diversidade na formação humana; • A educação como bem público; • A aprendizagem como direito do educando; • A ciência, a cultura e o trabalho como eixos estruturantes do currículos.PLANO DE FUNCIONAMENTO 9
  • 10. QUADRO DE FUNCIONAMENTO/2012-Noturno CURSOS TÉCNICOS Horário: 18 horas e 30 minutos às 21 horas e 50 minutos Séries Nº. de Capaci Salas Metragem ou Turmas alunos dade de Curso módulos matricu la 01 44,03m² 1º módulo/técnico 01 17 30 Curso Técnico em RedesLaboratório I Redes de de Computadores Computadores 1º módulo 02 44,05m² Comércio Exterior 01 25 35 Curso Técnico Comércio Exterior 03 49,50m² 2º módulo Logística 01 30 30 Logística 04 43,05m² 2º módulo Tec. 01 30 30 Transações Imobiliárias Transações Imobiliárias 05 43,25m² 2º módulo Serviços de 01 30 30 Serviços de Condomínio Condomínio 06 42,99m² 2º módulo 01 30 30 Agenciamento de Agenciamento de Viagens Viagens 44,03m² 3º módulo de Redes 01 18 30 Redes de Computadores 07 de ComputadoresLaboratório II 08 18,87m² 3º módulo de Internet 01 12 30 InternetRádio/Sala de Áudio 09 28,51m² 1º módulo/técnico em 01 30 30 Curso Técnico emLaboratório III Informática Informática 43,32m² Turmas dos - - 35 Cursos Técnicos 10 Técnicos/multicursosLaboratório IV 41,70m² 3º módulo Informática 01 17 30 Técnico em Informática 11Laboratório V 1 12 43,17m² 1º módulo 01 30 30 Técnico em Biblioteconomia Biblioteconomia
  • 11. DESEMPENHO DA ESCOLA NAS AVALIAÇÕES EXTERNASEm relação ao desempenho da escola no ENEM - Exame Nacional do Ensino Médio,apresentamos os dados abaixo com a observação de que houve um pequeno, massignificativo, índice de avanço na qualidade da aprendizagem.Ano 2005 s/c (sem conceito)Ano 2006 36,43Ano 2007 42,98Ano 2008 48,86Ano 2009 481,95Ano 2010 482,88PAEBESOs resultados das avaliações do PAEBES fornecem informações para que o desempenhodos estudantes possa ser verificado. De posse das informações obtidas com essesresultados, é possível analisar, em profundidade, a aprendizagem dos estudantes. Dessaforma, as práticas pedagógicas de sua escola estão sendo revistas através dos Planos deIntervenção, a fim de garantir a melhoria da aprendizagem discenteProficiência Média % por Padrão de Desempenho – 1º anos Português2010 228,42009 235,82008 217,5Proficiência Média % por Padrão de Desempenho – 1º anos Matemática2010 227,12009 235,12008 237,7Proficiência Média % por Padrão de Desempenho – 3º anos Língua Portuguesa248,2Proficiência Média % por Padrão de Desempenho – 3º anos Matemática232,8Como a escola não oferta as etapas de Educação Infantil, Fundamental e EJA, nãoapresentaremos o seu desempenho nas avaliações externas do SAEB e Prova Brasil. 1
  • 12. PERFIL DA CLIENTELAPERFIL DOS PROFESSORES E ESPECIALISTASPara desenvolvimento do processo de aprendizagem proposto pela escola, é preciso quetoda a equipe, desde professores, corpo técnico administrativo e até mesmo auxiliaresadministrativos ou de serviços gerais, tenham a disponibilidade de atuar e desempenharsuas funções com compromisso de qualidade e autonomia.Para integrar-se ao quadro de professores, os profissionais participam de processo seletivoclassificatório, atendendo aos princípios do edital próprio da área pleiteada e devemcomprovar a escolaridade mínima ( conclusão do 3º grau ou estar cursando períodos finaisem área específica para os componentes curriculares do Ensino Médio ).Deve-se considerar que no quadro de profissionais que atuam no do Ensino Médio aexistência somente de 02 (dois) profissionais efetivos: 01 professor de Língua Portuguesa,atuando na escola desde 2008 e 01 pedagoga que iniciou suas atividades na escola emFevereiro de 2011.Para atuar na Educação Profissional de nível médio, os professores deverão ter formaçãoespecífica nas áreas expressas em edital para processo seletivo simples e a legislaçãoadmite que os cursos técnicos tenham até dois professores de nível médio ou técnico casonão haja outra possibilidade.O coordenador de curso deverá ter formação específica na área do curso em que coordena.De acordo com a proposta de estudos concomitantes aos projetos extras e complementares,torna-se necessário que a equipe demonstre habilidades e competências relativas àresponsabilidade no atendimento ao aluno a fim de sanar situações diversas que surgem nodecorrer dos progressos e dificuldades no desenvolver dos referidos projetos.Espera-se que, para a eficácia do planejamento e execução das ações planejadas, aconteçaa busca de oportunidades de constante atualização no contexto educativo docente.Os avanços e crescimento da oferta do ensino profissional na escola foi oportunizada peloenvolvimento da equipe e principalmente pela dedicação dos seus funcionários que atuamcom essa modalidade de ensino que conta com o profissional efetivo no turno vespertinodesde 2006. 1
  • 13. ESTRUTURA ORGANIZACIONALA garantia de padrão de qualidade fundamenta-se na democratização da gestão, navalorização da função docente, na adequação dos laboratórios e equipamentos e naspráticas pedagógicas. Tais pontuações indicam um novo padrão de gestão, discutido econstruído em processos participativos e democráticos.O modelo de gestão adotado pauta-se na participação e discussões nas decisõesimportantes e de rotina, garantindo a atuação do Conselho de Escola buscando interaçãoentre os segmentos para melhorias nas relações na comunidade escolar. Para que a gestãoefetive-se de forma democrática torna-se necessário considerar as garantias de aquisiçãoou ampliação de materiais necessários e acervos para desenvolver atividades, articularações seja de ordem pedagógica ou financeira; favorecer a socialização das informações epossibilitar a inclusão de todos os segmentos-pais, alunos, comunidade, funcionários eprofessores na composição do Conselho de Escola com eleições e nos projetoseducacionais, desde a sua concepção até a sua culminância;garantir a aplicação dosrecursos destinados à escola prioritariamente para o desenvolvimento do ensino e ocumprimento do calendário escolar que tange os dias letivos e demais atividades nelesugeridas.A instituição escolar conta com a organização de seu funcionamento pautada do RegimentoComum das Escolas Estaduais que permeia de forma clara os direitos e deveres de cadaatuante em seu âmbito no desempenho de suas funções, conforme registra-se abaixo:III-CARACTERIZAÇÃO DA DEMANDA ATENDIDA PELA ESCOLA E COMUNIDADEPERFIL DOS ALUNOSA Escola atende uma clientela bem diversificada e não é uma escola de referência, muitossó matriculam-se aqui porque não conseguem vaga para estudar na EEEM Maria Ortiz ou 1
  • 14. Estadual, ou mesmo porque trabalham no Centro da cidade e a proximidade do trabalhotorna-se cômoda.Grande parte dos alunos atendidos no ensino Médio é proveniente de bairros vizinhos comoForte São João, Romão, Fonte Grande e Ilha do Príncipe. Muitos procuram matriculas nessaescola mas acabam abandonando os estudos por diversas razões, dentre elas anecessidade de trabalhar (geralmente na economia informal) ou mesmo a criminalidade.Asituação sócio econômica desses alunos é indicativo de baixa renda, e em apuração dedados feita com registro na escola podemos observar que a maioria tem acesso aos meiosde comunicação mais comuns como televisão, rádio e jornal mas a maioria não possuicomputador em casa. Em sua maioria, são alunos que trabalham ou precisam trabalhar,provenientes das chamadas “famílias carentes”.Podemos constatar também que a maioria tem moradia própria (com endereço comprovadoatravés de apresentação de contas de água, luz ou telefone no ato da matrícula), porém emlocais de difícil acesso para entrega de correspondência pelos correios, já que as maioriasdas correspondências enviadas retornam sem serem entregues. Geralmente são alunos queprecisam ser trabalhados no sentido de aprimorar a autonomia, a auto- estima e o impulso aapropriação de conhecimentos sistematizados.Já os alunos dos cursos técnicos não são oriundos de bairros próximos, ao contrário,geralmente são provenientes de bairros mais distantes da Grande Vitória, como Serra, VilaVelha e Cariacica. São alunos aprovados em processo seletivo, que tiveram inclusiveobservado o aspecto sócio econômico na classificação, priorizando alunos de baixa renda.Todos, sem exceção, concluíram ou estão concluindo o 3º ano do Ensino Médio.PERFIL DA COMUNIDADEA comunidade no entorno da escola é constituída geralmente por famílias de rendamiscigenada média e baixa ,que trabalham principalmente no comércio do Centro de Vitóriae em sua maioria são moradores que não têm filhos em idade escolar no ensino regular.Poucos são moradores antigos da região -muitas casas são disponibilizadas para aluguel- 1
  • 15. paralelas a alguns estabelecimentos como restaurantes, sindicatos, padarias, hotel, igrejas,bares e outros.Podemos afirmar que a escola está inserida no centro comercial de Vitória.Como a escola limita-se com reservas municipais do Parque da Gruta da Onça e Parque daFonte Grande, a pouca vizinhança que reside além das reservas não costuma utilizar amesma trajetória para acesso as suas moradias .A comunidade escolar é participativa, índices de freqüência em reuniões bimestrais apontamapoio considerável às atividades educativas e algumas famílias buscam apoio da escola noque diz respeito a conduta moral de seus filhos procurando soluções para o quadro deviolência aliada às drogas que se manifesta na sociedade.A participação dessa comunidade em eventos de apresentação de trabalhos culturais eartísticos é expressiva.IV- CARACTERIZAÇÃO DO CORPO DOCENTE E DE ESPECIALISTASA EEEFM “Gomes Cardim” possui em seu quadro de funcionários, profissionais habilitadosnas áreas que atendem. Alguns profissionais são mestres, pós-graduados, graduados eoutros ainda estudantes em faculdades de licenciatura na área em que atuam. A escolaconta com profissionais em designação temporária (Dts) que são encaminhados pelaSuperintendência de Educação., o que compromete a filosofia da escola devido arotatividade que se instala com essa situação.Na secretaria da escola, o atendimento é feito por 05(cinco) funcionárias e 02 (dois)funcionários realizam atendimento na Biblioteca.Há também uma coordenadora que atende o turno matutino e no vespertino e noturno nãose evidenciou necessidade de um coordenador de turno, pois nestes turnos funcionam oscursos técnicos e cabe registrar que cada curso tem um coordenador de curso.Quanto ao quadro técnico administrativo e docente ficam assim estruturados:QUADRO TÉCNICO ADMINISTRATIVONº PROFISSIONAL FUNÇÃO HABILITAÇÃO TURNO01 Walace Bonicenha Diretor da Escola Licenciatura Diurno/noturn Plena em História o02 Marilena Luchi Nascimento Pedagoga Licenciatura Vespertino Plena Pedagogia03 Solayne Gave Demuner Pedagoga Bacharel em Matutino Pedagogia e 1
  • 16. Pós-Graduada em Psicopedagogia e Gestão Educacional04 Maria Joana Gonçalves Coordenadora de Licenciatura Matutino Amorim turno Plena Filosofia, Ciências e Letras05 Ana Cristina Burgos Secretária Ensino Médio Matutino06 Antonio Raposo de Freitas Auxiliar de Matutino/Ves Biblioteca pertino07 Gilda Néri de Castro Pinto Auxiliar de Técnica em Vespertino Secretaria Secretaria Escolar08 Hilda Reis Severiano de Auxiliar de Técnico em Matutino Castro Secretaria Administração09 Maria da Penha Geciano Filho Auxiliar de Técnico em Noturno Secretaria Informática10 Ronaldo Rios Ferreira Agente Escolar Vespertino/ NoturnoQUADRO DOCENTENº PROFESSOR (A) DISCIPLINA HABILITAÇÃO01 Andre Freire Ramos Sistemas Operacionais Sistema de Informação Linguagens de Programação Documentação de Sistemas02 Andréia Neves Delogo Linguagem de Programação Sistema de Informação03 Andréia Vignati Ferreira Administração e Sistemas Sistema de Informação Operacionais de Rede Sistemas Operacionais Informática Aplicada 1
  • 17. 04 Adriano de Lima Vieira Redes, Protocolos e Redes de Computadores Segurança da Informação. Arquitetura de Computadores Banco de Dados Linguagens de Programação Orientadas a Objetos Instalação de Sistema05 Aljesmar Lima de Moura Atividades Práticas e Visitas Turismo e Geografia Supervisionadas Planejamento e Organização Turística/ Normas E Políticas Públicas Para Eventos06 Ana Paula Imbroisi VAlle Eventos, Recreação de Lazer Turismo Recreativo07 Bruna Meirieli da Silva Internet Sistema de Informação Portes Análise e Projetos de Sistemas08 Bruna Zution Dalle Prane Matemática Financeira Matemática09 Carlos Eloi de Faria Turismo, Hotelaria E Turismo - Biologia Hospitalidade10 Daniel Matos Rodrigues Eletricidade e Eletrônica Engenheiro Mecânico11 Desinete Maria Lovati Língua Portuguesa Letras Português/Inglês Delunardo12 Djenane Soares Alves Arte Artes Visuais13 Eliane Saudino Direito e Legislação Ciências Sociais/História14 Edvandro sipolatti Projeto de Manutenção Sistema de Informação Esguersoni15 Eric Alcoforado dos Direito e Legislação Ciências Jurídicas e Santos Sociais16 Fabio da Costa Bastos Administração de Recursos Administração de 1
  • 18. Humanos Empresas Empreendedorismo17 Fernanda Cristina Toso Matemática Licenciatura Plena de Assis Matemática18 Fernando Wencelewski Redes, Protocolos e Análise de Sistemas Possenti Segurança da Informação Administração e Sistemas Operacionais de Rede19 Giselle Diniz Silva Chaves Física Física Pereira20 Gustavo Santana Criação e Editoração de Análise e Desenvolvimento Imagens de Sistema Programação e Web Design21 Hudson Ribeiro Filosofia/Jet Graduação Filosofia e Pós Graduado em Educação Comunitária22 Isaura Cabacinha Lopes Geografia Turística Mestre em Meio Ambiente /Cartografia e Meio Ambiente e Sustentabilidade Licenciatura em Geografia23 Jailma Francisca de Espanhol Graduação Jesus Santana Português/Espanhol24 Jean Carlos Kennup Fundamentos de Redes Superior em Tecnologia e Piumbini Administração e Segurança Desenvolvimento de Sistemas de Redes25 Júlio Cezar Merij Mário Coordenação de Curso Superior em Tecnologia da Equipamento e Arquitetura de Informação Redes Infra Estrutura de Redes de Computadores e Conectividade26 Karla Serrano de Oliveira História Licenciatura Plena em 1
  • 19. História27 Katiuscia Aparecida Recreação e Lazer em Licenciatura em Educação Moreira de Oliveira Eventos Física Mendes28 Leonardo Ferreira Linguagem de Programação Sistema de Informação para Internet e Sistema de MBA em Gerenciamento Banco de Dados de Projetos29 Leonardo Ferreira de Coordenador de Curso Processamento de Dados Mello Fundamentos de Programação Projeto de Manutenção30 Leonardo Loyola Perini Gestão de Bibliotecas Biblioteconomia Bibliografia e Referência Arquivologia31 Lohaine Jardim Barbosa Ética Mestre em Ciências Sociais Legislação Turística Ética, Meio Ambiente e Qualidade no Trabalho32 Luciana Luchi Ribeiro Psicologia Do Graduação em Desenvolvimento Comunicação Social e Comunicação Oficial E Jornalismo História dos Meios de Mestrado em Metodologia Comunicação Científica Comunicação Empresarial/ Etiqueta Profissional33 Marcia Cristina Pereira de Turismo Histórico e Cultura Bacharel em Turismo Oliveira dos Santos Regional Gastronomia Local e Regional Marcos Vieira34 Instalação de Computadores Análise de Sistemas Algoritmos e Lógica de Programação 1
  • 20. Fundamentos de Programação35 Marlene Ferreira Fonseca Inglês / Literatura Português Inglês36 Maria Aparecida Matemática Financeira E Ciências Contábeis Gonçalves da Silva Recursos Humanos Gestão Financeira de Eventos37 Maria José Pereira Administração Financeira Pós Graduação em Gomes Administração Financeira38 Mirian Almeida Giacomin Inglês Letras Portugues Inglês39 Ozeas Teixeira Neves Aplicativos Computacionais Análise de Sistemas40 Pamela Carla Ribeiro de Geografia Geografia Oliveira41 Renata Braga Administração Em Recursos Administração Humanos Organização de Empresas (Gestão) Administração Geral42 Renato Cesar de S. Química Química Oliveira43 Renildo Bueke Sistemas Operacionais Gestão de Sistema de Informação44 Rita de Cássia Gomes Educação Física Educação Física Batista45 Rodrigo Marone Santos Biologia Biologia46 Roger Costa de Souza e Coordenação de Curso Bacharel em Turismo Souza Fundamentos do Turismo Técnicas de Guiamento Turístico47 Ronei Roberto Cunha Fundamentos de Hardware e Sistema de Informação Médici Montagem de Computadores 2
  • 21. Projeto de Rede48 Rosiane Sudré Campos Sociologia Ciências Sociais49 Simone Motta Língua Inglesa Letras Português/Inglês50 Teresa Cristina Ferrari Gestão de Pessoas Tecnologia em Processamento de Dados Projetos de Programação51 Thalisson Janio Pelegrini Coordenação de Curso Superior em Tecnologia e Desenvolvimento de Instalação de Sistemas Sistemas Gerenciamento de Projetos52 Tiago Martins dos Santos Administração Geral Superior em Relações Internacionais Economia e Mercado Licenciatura em História Organização de Empresas Coordenação de Curso Empreendedorismo História, Manifestações Populares e Museologia53 Wagner Bolsoni Matemática Matemática54 Wolmyr Aimberê Português Letras/Português Alcantara FilhoAo final do 3º bimestre, no ano de 2008, tivemos o ingresso do professor efetivo WolmyrAimberê Alcântara Filho, Professor efetivo de Português, Pós graduado em Letras/Português e Mestre em Literatura - como o único professor efetivo fazendo parte integrantede nosso quadro docente até o momento.V- PRECEITOS FILOSÓFICOS E PEDAGÓGICOS “Quem quer transformar a realidade precisa conhecê-la, não só na aparência, mas emtoda sua complexidade”. (CARVALHO; 2003;P11).Sempre que há mudanças no mundo da educação, elas demoram algum tempo até seremassimiladas e postas em prática por todos, sobretudo num país com as dimensões do Brasil. 2
  • 22. A partir do século passado, vários acontecimentos de importância histórica têm transformadoo cenário cultural, político, social e econômico mundial. Transformar está na própria essênciado ser humano, contribuir para o desenvolvimento desse ser faz parte do dia a dia noprocesso educativo.Os questionamentos surgem como reflexões: até que ponto no mundoatual, os indicadores sociais mostram melhorias na qualidade de vida? Que tipo de qualidadeestamos almejando?Atualmente, não basta preparar os alunos para a compreensão da realidade, é precisomotivá-los.O contexto de globalização que caracteriza o mundo atual evidencia um momentobastante crítico na história da humanidade: a produção do binômio: riqueza e pobreza comopontos distintos que parecem conduzir o homem a extremos diferentes como se fossem umaruptura.Se por um lado pareça assustador, por outro não se pode negar os progressosalcançados,conseqüentes da lógica capitalista.O que se questiona é a dicotomia entre aenorme produção de riquezas e a grande acentuação da pobreza,distanciando eproporcionando mais ainda a desigualdade social.Outra dicotomia observada diz respeito ao conhecimento. Muitas escolas estão preocupadascom a transmissão de conhecimentos, em fazer com que esses conhecimentos sejam úteispara os alunos. O que precisamos estar atentos é que não devemos priorizar essesconhecimentos, mas sim a construção deles. Paulo Freire mostra isso claramente napassagem que se segue: “Se observarmos o ciclo do conhecimento ,podemos perceber dois momentos ,e nãomais de dois, dois momentos que se relacionam dialeticamente. O primeiro momento dociclo,ou um dos momentos do ciclo, é o momento da produção da produção de umconhecimento novo, de algo novo. O outro momento é aquele em que o conhecimentoproduzido é conhecido ou percebido, (...) O que acontece, geralmente, é que dicotizamosestes dois momentos, isolamos um do outro. Consequentemente, reduzimos o ato deconhecer o conhecimento existente a uma mera transferência do conhecimento existente. Eo professor se torna exatamente o especialista em transferir conhecimento.Então ele perdealgumas das qualidades necessárias, indispensáveis, requeridas na produção doconhecimento existente. Algumas dessas qualidades são, por exemplo, a ação, a reflexãocrítica, a curiosidade, o questionamento exigente, a inquietação, a incerteza- todas estasvirtudes são indispensáveis ao sujeito cognoscente” ( Freire& Shor,1986).Na formação do estudante, além dos aspectos cognitivos, é importante que se privilegie osemocionais e culturais no entendimento da leitura do mundo a fim de construir valores no 2
  • 23. relacionamento com esse mundo sem deixar de lado a relação entre o conhecimentohistoricamente construído , a construção do conhecimento e visão de mundo.A escola que vem formando apenas para o mercado de trabalho, que, apesar de necessário,não oportuniza o espaço da cultura, da arte, do diverso, como se todos fossem iguais,tivessem a mesma origem e os mesmos pontos de vista e se formassem para umasociedade de iguais.É preciso ter clareza quanto a pluralidade cultural de nossa sociedade. Os conflitos geradospelo quadro sócio histórico e econômico são fatores que apontam desigualdades sociais esuperar essas desigualdades é um desafio que se impõe em todos os âmbitos das práticassociais, para as quais se deve ter como objetivo a promoção do desenvolvimento, de forma aresgatar a capacidade dos sujeitos de projetarem um novo horizonte, como espaço deconvivência social que supere as atuais condições sub-humanas de existência esobrevivência.Não podemos deixar de citar a provocativa frase de Alain (Èmile Auguste Chartier,1868-1951);”Embalar não é instruir”. No final da Idade Média a escola saiu da sala de visitas docastelo medieval para “a polis”- cidade. Na cidade, o Liceu de Aristóteles, lugar de reuniãodos que queriam aprender, os que ensinavam,tinham um espaço físico e identidade próprios.A função da escola foi ampliada, de lá para cá se espera cada vez mais que promova odesenvolvimento em todos os seus aspectos característicos, inclusive formando pessoascuja contribuição será criar oportunidades de aprendizagens que ajudem na constituição deum mundo mais equilibrado. Nesse sentido é papel da educação, fundamentada em umaperspectiva humanista, formar cidadãos trabalhadores e conhecedores de seus direitos eobrigações para que a partir desse conhecimento e da compreensão crítica dessasociedade, sejam capazes de empreender uma inserção participativa em condições de atuarqualitativamente no processo de desenvolvimento econômico e de transformação darealidade.Ao tratar a educação como direito e base do desenvolvimento sustentável, quer sejaindividual ou coletivo, o Governo Federal tem por diretrizes a democratização do acesso, agarantia de permanência, a apropriação e produção de conhecimentos.A Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio “Gomes Cardim” encaminhou asdiscussões deste projeto de forma a garantir a busca da qualidade nas dimensões daigualdade e inclusão. Ao construir esse projeto, nessa dimensão, assumimos a tarefa deampliar a qualidade da educação que se desenvolve em nossa escola, aumentando a oferta 2
  • 24. e ingresso nos cursos, a aprendizagem, continuidade até a conclusão com sucesso dosalunos garantindo assim a aprendizagem efetiva.A incumbência de qualificar o ensino diz respeito também à gestores,comunidade escolar eda sociedade direta ou indiretamente ligada ao processo educativo.A Escola Estadual de Ensino Médio “Gomes Cardim “que tem como finalidade formarcidadãos em consonância com as idéias e fins da Educação Nacional previstos naCONSTITUIÇÃO FEDERAL e na LEI de DIRETRIZES e BASES DA EDUCAÇÃONACIONAL nº 9394/96, em seu artigo 36 ( que versa sobre o Ensino Médio) e nos artigos 39a 42( que versam sobre a Educação Profissional) , sendo esses últimos regulamentados peloDecreto nº 2.208/97, como também pelas Diretrizes da Educação Profissional e dosParâmetros Curriculares Nacionais, Resolução CNB/CEB nº04/99. “Ainda de acordo com a Lei nº 9394/96, em seu capítulo III artigo 39:” a EducaçãoProfissional, integrada às diferentes formas de Educação, ao trabalho, à ciência e atecnologia, conduz ao permanente desenvolvimento de aptidões para a vidaprodutiva”,devendo portanto,essa modalidade de ensino estar em consonância com osdiversos setores da economia e da sociedade, oferecendo mecanismos de educação semperder de vista a formação cultural,profissional, política e ética dos cidadãos,enquantotrabalhadores produtivos e agentes na construção da equidade social.Entendida a situação em que a escola encontra-se é possível refletir e discutir sobre asações que deverão permear o trabalho educativo. Nesse sentido, algumas ações sãonecessárias, tais como exemplos:• Aumentar as parcerias para ofertas de estágios• Adotar alternativas metodológicas para resolver questões pedagógicas• Melhorar os resultados de aprendizagem• Estabelecer uma agenda de formação continuada para profissionais envolvidos na comunidade escolar- funcionários em geral que atuam dentro da escola.• Favorecer a socialização e discussões a todos os segmentos no Conselho de Escola• Desconstruir a associação juventude/violência como paradigma para análise de problemas na escola.• Garantir que os dados levantados das avaliações gerem mudanças nas práticas dos professores em sala de aula.• Desenvolver projetos por área de conhecimento. 2
  • 25. • Promover atividades que oportunize o aluno a participar do seu processo de crescimento e supere as suas dificuldades usando a inteligência cognitiva, afetiva, emocional e social. • Promover grupos de estudos, capacitações e troca de experiências visando um maior conhecimento geral e específico da educação. • Promover atividades curriculares adequadas à realidade bem como contextualizá-las interdisciplinar mente. • Garantir a avaliação como análise sobre dados relevantes para tomada de decisões com a finalidade de sanar dificuldades observadas. • Interagir com as famílias envolvendo-as no processo educativo do filho. • Construir com professores, projetos e propostas de atividades que articulem a coerência e a prática. • Favorecer a socialização das informações e possibilitar a inclusão de todos os segmentos-pais, alunos, comunidade, funcionários e professores na composição do Conselho de Escola com eleições e nos projetos educacionais, desde a sua concepção até a sua culminância. VI-ORGANIZAÇÃO CURRICULAR DOS CURSOS OFERECIDOS PELA ESCOLA, E METODOLOGIAS DE ENSINO ORGANIZAÇÃO CURRICULAR – ENSINO MÉDIO – ANO 2011ORGANIZAÇÃO CURRICULAR - ENSINO MÉDIO - ANO 2011TURNO MATUTINOCARGA HORÁRIA DO CURSO= 3000 hCARGA HORÁRIA ANUAL= 1000 HORASDistribuidas em 200 dias letivosAula = 55 minutos de acordo com a Portaria nº065/2011 2
  • 26. AMPARO LEGAL LEI Nº. 9.394/96 BASE NACIONAL CARGA HORÁRIA CARGA ÁREAS DE COMPONENTES SEMANAL HORÁRIA TOTAL CONHECIMENTO CURRICULARES 2011 2011 2011 ANUAL 1º 2º 3º 1ª 2º 3º LÍNGUA 4 4 4 160 160 160 480 ÁREA DE PORTUGUESA LINGUAGEM, ARTE 2 2 0 80 80 0 160 CÓDIGO E SUAS EDUCAÇÃO 2 2 0 80 80 0 160 TECNOLOGIAS* FÍSICA SUB-TOTAL 9* 9* 8* 360* 360* 320* 1040*COMUM ÁREA DE MATEMATICA 4 4 4 160 160 160 480 CIÊNCIAS DA NATUREZA, FÍSICA 2 2 2 80 80 80 240 MATEMÁTICA E QUÍMICA 2 2 2 80 80 80 240 SUAS BIOLOGIA 2 2 2 80 80 80 240 TECNOLOGIAS SUB-TOTAL 10 10 10 400 400 400 1200 ÁREA DE HISTÓRIA 2 2 2 80 80 80 240 CIÊNCIAS GEOGRAFIA 2 2 2 80 80 80 240 HUMANAS E SUAS SOCIOLOGIA 1 1 1 40 40 40 120 TECNOLOGIAS FILOSOFIA 1 1 1 40 40 40 120 SUB-TOTAL 6 6 9*** 240 240 240 760PARTE DIVERSIFICADA LINGUA ESTRANGEIRA - 1 1 2 40 40 80 160 INGLES * LINGUA ESTRANGEIRA - 0 0 2 0 0 80 80 ESPANHOL * JUVENTUDE, EDUCAÇÃO E 0 0 1 0 0 40 40 TRABALHO *** TOTAL 25 25 25 1000 1000 100 3000 2
  • 27. 0 300TOTAL GERAL DO CURSO 0Observações:*As disciplinas de Língua Estrangeira (Inglês e Espanhol) compõe a Área de Linguagens,Códigos e suas tecnologias e sua carga horária está computada nessa área** A língua estrangeira Espanhol é de oferta obrigatória a partir de 2010 e facultativapara o aluno, que em caso de não opção cumprirá atividades de projeto depesquisa. Será contemplada no tempo escolar obrigatório de 25 h semanais epoderá ser oferecido em turmas mistas.***Disciplina especifica que compõe a área de Ciência Humana e sua carga horáriaestá computada nessa área.**** As línguas optativas - Italiano e Pomerano poderão somente ser oferecidas de modo aampliar o tempo de permanência do aluno na escola ( Mais Tempo na Escola).*****Os conteúdos referentes a História e cultura afro-brasileira e dos povosindígenas brasileiro serão ministradas no âmbito de todo o currículo escolar (Lei nº11.645/08). Na Educação Profissional, os módulos são articulados entre si e cada curso poderá ter o número de módulos característicos da área ou curso específico. Cada módulo é pré-requisito para o próximo módulo. A organização curricular dos cursos em funcionamento e já aprovados pelo Conselho Estadual de Educação seguem abaixo: CURSO TÉCNICO EM BIBLIOTECONOMIA EIXOTECNOLÓGICO:APOIO EDUCACIONAL TURNO NOTURNO CARGA HORÁRIA DO CURSO: 810 horas Distribuídas em 03O módulos Correspondentes a 54 semanas – hora / aula de 60 minutos-270 dias letivos 2
  • 28. EDUCAÇÃO PROFISSION MÓDULOS Componentes Curriculares Nº. DE CARGA AULAS HORÁRIA INFORMÁTICA APLICADA I 02 40 PSICOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO 02 40 COMUNICAÇÃO OFICIAL E HISTÓRIA DOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO 03 60 I BIBLIOTECONOMIA /CONCEITOS E FUNDAMENTOS 04 80 PROJETOS LITERÁRIOS I 04 80 SUBTOTAL 15 300 GESTÃO DE BIBLIOTECAS 04 80 METODOLOGIA CIENTÍFICA E PROJETOS 02 40 INFORMÁTICA APLICADA II 03 60 II ACERVO-FORMAÇÃO E TRATAMENTO I 03 60 PROJETOS LITERÁRIOS II 03 60 SUBTOTAL 15 300 PRESERVAÇÃO,CONSERVAÇÃO E RESTAURAÇÃO DE ACERVO 04 56 III BIBLIOGRAFIA E REFERÊNCIA 03 42 PROJETOS LITERÁRIOS III 02 28 ACERVO-FORMAÇÃO E TRATAMENTO II 02 28 INFORMÁTICA APLICADA II 03 42 SUBTOTAL 15 210 TOTAL GERAL DO CURSO 45 810Obs.: L.D.B. 9394/96 – Parecer 16/99 – CNE/CEBResolução nº. 04/99 – CEB – Decreto nº. 51/54/2004CURSO TÉCNICO EM BIBLIOTECONOMIA EDUCAÇÃO PROFISSIONALEIXO TECNOLÓGICO:APOIO EDUCACIONALTURNODIURNO CARGA HORÁRIA DOCURSO: 800 horasDistribuídas em 02 módulos – hora / aula de 60 minutos-200 dias letivos MÓDULOS Componentes Curriculares Nº. DE CARGA AULAS HORÁRIA INFORMÁTICA APLICADA I 02 40 PSICOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO 02 40 COMUNICAÇÃO OFICIAL E HISTÓRIA DOS MEIOS DE 03 60 I COMUNICAÇÃO BIBLIOTECONOMIA/CONCEITOS E FUNDAMENTOS 04 80 PROJETOS LITERÁRIOS I 04 80 ACERVO-FORMAÇÃO E TRATAMENTO 05 100 SUB 20 400 TOTAL GESTÃO DE BIBLIOTECAS 04 80 METODOLOGIA CIENTÍFICA E PROJETOS 02 40 INFORMÁTICA APLICADA II 03 60 II PRESERVAÇÃO ,CONSERVAÇÃO E RESTAURAÇÃO DE ACERVO 04 80 BIBLIOGRAFIA E REFERÊNCIA 02 40 PROJETOS LITERÁRIOS II 05 100 SUB 20 400 TOTAL TOTAL GERAL DO CURSO 40 800CURSO TÉCNICO EM MANUTENÇÃO E SUPORTE EM INFORMAÇÃOEIXO TECNOLÓGICO:INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃOTURNO: DIURNOCARGAHORÁRIA DO CURSO:1.000 horas Distribuídas em 03 módulos-Correspondentes a 50semanas – hora / aula de 60 minutos-250dias letivo 2
  • 29. EDUCAÇÃO PROFISSIONAL MÓDULOS COMPONENTES CURRICULARES Nº. DE CARGA AULAS HORÁRIA SISTEMAS OPERACIONAIS 4 60 APLICATIVOS COMPUTACIONAIS 4 60 ARQUITETURA DE COMPUTADORES 4 60 I FUNDAMENTOS DE PROGRAMAÇÃO 4 80 INGLÊS 1 20 EMPREENDEDORISMO 2 40 PROJETO DE MANUTENÇÃO I 1 20 SUBTOTAL 20 340 FUNDAMENTOS DE HARDWARE E MONTAGEM 5 100 DE COMPUTADORES I INSTALAÇÃO DE SISTEMA 5 60 II ELETRICIDADE E ELETRÔNICA 5 60 INFRA ESTRUTURA DE REDES DE COMPUTADORES E 4 60 CONECTIVIDADE PROJETO DE MANUTENÇÃO II 1 20 SUBTOTAL 20 300 INSTALAÇÃO LÓGICA DE REDES 4 80 MONTAGEM E MANUTENÇÃO DE REDES 6 120 FUNDAMENTOS DE HARDWARE E MONTAGEM DE III 6 120 COMPUTADORES II PROJETO MANUTENÇÃO III 2 40 SUBTOTAL 20 360 TOTAL GERAL DO CURSO 60 1.000CURSO TÉCNICO EM MANUTENÇÃO E SUPORTE EM INFORMAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO:INFORMAÇÃO E COMUNICAÇAO TURNO NOTURNO CARGA HORÁRIA DO CURSO:1.005 horas Distribuídas em 03 módulosCorrespondentes a semanas 67 semanas – hora / aula de 60 minutos-335 dias letivos 2
  • 30. EDUCAÇÃO PROFISSION MÓDULOS COMPONENTES CURRICULARES Nº. DE CARGA AULAS HORÁRIA SISTEMAS OPERACIONAIS 4 92 APLICATIVOS COMPUTACIONAIS 2 46 ARQUITETURA DE COMPUTADORES 2 46 I FUNDAMENTOS DE PROGRAMAÇÃO 3 69 INGLÊS 1 23 EMPREENDEDORISMO 2 46 PROJETO DE MANUTENÇÃO I 1 23 SUBTOTAL 15 345 FUNDAMENTOS DE HARDWARE E MONTAGEM 4 80 DE COMPUTADORES I INSTALAÇÃO DE SISTEMA 4 80 II ELETRICIDADE E ELETRÔNICA 4 80 INFRA ESTRUTURA DE REDES DE COMPUTADORES E 2 40 CONECTIVIDADE PROJETO DE MANUTENÇÃO II 1 20 SUBTOTAL 15 300 INSTALAÇÃO LÓGICA DE REDES 4 96 MONTAGEM E MANUTENÇÃO DE REDES 5 120 FUNDAMENTOS DE HARDWARE E MONTAGEM DE III 4 96 COMPUTADORES II PROJETO MANUTENÇÃO III 2 48 SUBTOTAL 15 360 TOTAL GERAL DO CURSO 1.005 Obs.: L.D.B. 9394/96 – Parecer 16/99 – CNE/CEB Resolução nº. 04/99 – CEB – Decreto nº. 51/54/2004 CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA EIXO TECNOLÓGICO:INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO TURNO DIURNO CARGA HORÁRIA DO CURSO: 1.200 horasEDUCAÇÃO PROFISSIONAL Distribuídas em 3 módulos Correspondentes a 60 semanas – hora / aula de 60 minutos-300 dias letivos MÓDULOS COMPONENTES CURRICULARES Nº. DE CARGA AULAS HORÁRIA ORGANIZAÇÃO DE EMPRESAS (GESTÃO) 04 80 INGLÊS TÉCNICO 02 40 APLICATIVOS PARA AUTOMAÇÃO DE ESCRITÓRIO 04 80 I INSTALAÇÃO DE COMPUTADORES 02 40 SISTEMAAS OPERACIONAIS 05 100 GERENCIAMENTO DE PROJETOS 01 20 ALGORITMOS E LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO 02 40 SUBTOTAL 20 400 LINGUAGENS DE PROGRAMAÇÃO 04 80 BANCO DE DADOS 04 80 LINGUAGENS DE PROGRAMAÇÃO ORIENTADAS A OBJETOS 04 80 II ANÁLISE E PROJETOS DE SISTEMAS 04 80 DOCUMENTAÇÃO DE SISTEMAS 02 40 PROJETO DE PROGRAMAÇÃO 02 40 SUBTOTAL 20 400 ARQUITETURA E PROJETOS DE REDES 04 80 PROGRAMAÇÃO E WEB DESIGN 04 80 REDES, PROTOCOLOS E SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO 04 80 3
  • 31. III ADMINISTRAÇÃO E SISTEMAS OPERACIONAIS DE REDE 03 60 INTERNET 04 80 CRIAÇÃO E EDITORAÇÃO DE IMAGENS 01 20 SUBTOTAL 20 400 TOTAL GERAL DO CURSO 60 1.200 ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 200 TOTAL GERAL 60 1.400CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICAEIXO TECNOLÓGICO:INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃOTURNO :NOTURNOCARGA HORÁRIA DO CURSO: 1.200 horas EDUCAÇÃO PROFISSIONALDistribuídas em 3 módulosCorrespondentes a 80 semanas – hora / aula de 60 minutos-400 dias letivos MÓDULOS COMPONENTES CURRICULARES Nº. DE CARGA AULAS HORÁRIA ORGANIZAÇÃO DE EMPRESAS (GESTÃO) 02 54 INGLÊS TÉCNICO 02 54 APLICATIVOS PARA AUTOMAÇÃO DE ESCRITÓRIO 02 54 I INSTALAÇÃO DE COMPUTADORES 02 54 SISTEMAS OPERACIONAIS 04 108 GERENCIAMENTO DE PROJETOS 01 27 ALGORITMOS E LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO 02 54 SUBTOTAL 15 405 LINGUAGENS DE PROGRAMAÇÃO 02 54 BANCO DE DADOS 02 54 LINGUAGENS DE PROGRAMAÇÃO ORIENTADAS A OBJETOS 03 81 II ANÁLISE E PROJETOS DE SISTEMAS 04 108 DOCUMENTAÇÃO DE SISTEMAS 02 54 PROJETO DE PROGRAMAÇÃO 02 54 SUBTOTAL 15 405 ARQUITETURA E PROJETOS DE REDES 03 81 PROGRAMAÇÃO E WEB DESIGN 03 81 REDES, PROTOCOLOS E SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO 03 81 III ADMINISTRAÇÃO E SISTEMAS OPERACIONAIS DE REDE 02 54 CRIAÇÃO E EDITORAÇÃO DE IMAGENS 01 27 INTERNET 03 81 SUBTOTAL 15 405 TOTAL GERAL DO CURSO 1.215 ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 200 TOTAL GERAL 1.415CURSO TÉCNICO EM GUIA DE TURISMOEIXOTECNOLÓGICO: HOSPITALIDADE E LAZERTURNO DIURNO CARGA HORÁRIA DO CURSO: 1160 horasDistribuídas em 02 móduloscorrespondentes a 40 semanas – hora / aula de 60 minutos+ 80hs de visitas técnicas + 100horas de viagens com pernoite = 232 dias letivosEDUCA MÓDULOS COMPONENTES CURRICULARES Nº. DE CARGAÇÃO AULAS HORÁRIA CCOMUNICAÇÃO EMPRESARIAL/ETIQUETA PROFISSIONAL 02 40 3
  • 32. PROFISSIONAL INFORMÁTICA APLICADA 02 40 TURISMO, HOTELARIA E HOSPITALIDADE 02 80 HISTORIA,MANIFESTAÇÕESPOPULARESE MUSEOLOGIA 02 60 I INGLÊS INSTRUMENTAL 02 40 GEOGRAFIA TURISTICA,CARTOGRAFIA E MEIO AMBIENTE 02 60 EMPREENDEDORISMO, MERCADO E MARKETING 02 40 LEGISLAÇÃO TURÍSTICA/ÉTICA E CIDADANIA 02 40 ATIVIDADES PRATICAS E VISITAS TÉCNICAS 04 80 SUPERVISIONADAS PRÁTICA DE VIAGENS I SUPERVISIONADAS 100 SUBTOTAL 20 580 GASTRONOMIA LOCAL REGIONAL E ALIMENTOS E BEBIDAS 02 40 TÉCNICAS DE TRANSPORTE E GUIAMENTO 02 80 TURÍSTICO/PRIMEIROS SOCORROS PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL E RELAÇÕES INTERPESSOAIS 02 40 II ESPANHOL INSTRUMENTAL 02 40 EVENTOS,RECREAÇÃO E LAZER TURÍSTICO 04 80 ORGANIZAÇÃO DE ROTEIROS TURÍSTICOS 02 80 GESTÃO FINANCEIRA E CUSTOS 02 40 ATIVIDADES PRÁTICAS E VISITAS TÉCNICAS 04 80 SUPERVISIONADAS PRÁTICA DE VIAGENS II SUPERVISIONADAS 100 SUBTOTAL 20 580 TOTAL GERAL DO CURSO 40 1160 CURSO TÉCNICO EM GUIA DE TURISMO EIXOTECNOLÓGICO: HOSPITALIDADE E LAZER TURNO NOTURNO CARGA HORÁRIA DO CURSO: 1160 horas Distribuídas em 02 módulos CORRESPONDENTES A 96 SEMANAS – HORA / AULA DE 60 MINUTOS + TÉCNICAS +EDUCAÇÃO PROFISSIONAL 100HORAS DE VIAGENS COM PERNOITE = 325 DIAS LETIVOS MÓDULOS COMPONENTES CURRICULARES Nº. DE CARGA AULAS HORÁRIA CCOMUNICAÇÃO EMPRESARIAL/ETIQUETA PROFISSIONAL 01 32 INFORMÁTICA APLICADA 01 32 TURISMO, HOTELARIA E HOSPITALIDADE 02 64 I HISTORIA,MANIFESTAÇÕESPOPULARESE MUSEOLOGIA 02 64 INGLÊS INSTRUMENTAL 01 32 GEOGRAFIA TURISTICA,CARTOGRAFIA E MEIO AMBIENTE 02 64 EMPREENDEDORISMO, MERCADO E MARKETING 02 64 LEGISLAÇÃO TURÍSTICA/ÉTICA E CIDADANIA 01 32 ATIVIDADES PRATICAS E VISITAS TÉCNICAS SUPERVISIONADAS 03 96 SUBTOTAL 15 480 PRÁTICA DE VIAGENS I SUPERVISIONADAS 100 TOTAL 580 GASTRONOMIA LOCAL REGIONAL E ALIMENTOS E BEBIDAS 02 64 TÉCNICAS DE TRANSPORTE E GUIAMENTO 02 64 TURÍSTICO/PRIMEIROS SOCORROS PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL E RELAÇÕES INTERPESSOAIS 01 32 3
  • 33. II ESPANHOL INSTRUMENTAL 01 32 EVENTOS,RECREAÇÃO E LAZER TURÍSTICO 03 96 ORGANIZAÇÃO DE ROTEIROS TURÍSTICOS 02 64 GESTÃO FINANCEIRA E CUSTOS 01 32 ATIVIDADES PRÁTICAS E VISITAS TÉCNICAS SUPERVISIONADAS 03 96 SUBTOTAL 15 480 PRÁTICA DE VIAGENS II SUPERVISIONADAS 100 TOTAL 580 TOTAL GERAL DO CURSO 1160Obs.: L.D.B. 9394/96 – Parecer 16/99 – CNE/CEBResolução nº. 04/99 – CEB – Decreto nº. 51/54/2004CURSO TÉCNICO EM ADMINISTRAÇÃOEIXO TECNOLÓGICO:GESTÃO E NEGÓCIOS EDUCAÇÃO PROFISSIONALTURNO DIURNO CARGA HORÁRIA DO CURSO: 800 horasDistribuídas em 02 módulos Correspondentes a 40 semanas – hora / aula de 60minutos-200 dias letivos MÓDULOS COMPONENTES CURRICULARES Nº. DE CARGA AULAS HORÁRIA ADMINISTRAÇÃO GERAL 05 100 INFORMÁTICA APLICADA 02 40 ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS 02 40 I MATEMÁTICA FINANCEIRA 03 60 ÉTICA, MEIO AMBIENTE E QUALIDADE NO TRABALHO 02 40 COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL 02 40 DIREITO E LEGISLAÇÃO I 03 60 EMPREENDEDORISMO 01 20 Subtotal 20 400 ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA 04 80 ARQUIVOLOGIA 04 80 GESTÃO DE PESSOAS 02 40 II CONTABILIDADE GERAL 04 80 DIREITO E LEGISLAÇÃO II 02 40 ECONOMIA E MERCADO 02 40 ESTATÍSTICA 02 40 Subtotal 20 580 TOTAL GERAL DO CURSO 40 800CURSO TÉCNICO EM ADMINISTRAÇÃOEIXO TECNOLÓGICO:GESTÃO E NEGÓCIOS TURNO: NOTURNO EDUCAÇÃOCARGA HORÁRIA DO CURSO: 800 horas Distribuídas em 02 módulosCorrespondentes a 54 semanas – hora / aula de 60 minutos-267 dias letivos PROFISSIONAL MÓDULOS COMPONENTES CURRICULARES Nº. DE CARGA AULAS HORÁRIA ADMINISTRAÇÃO GERAL 03 81 INFORMÁTICA APLICADA 02 54 ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS 02 54 I MATEMÁTICA FINANCEIRA 02 54 ÉTICA, MEIO AMBIENTE E QUALIDADE NO TRABALHO 02 54 COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL 02 54 3
  • 34. DIREITO E LEGISLAÇÃO I 01 27 EMPREENDEDORISMO 01 27 Subtotal 15 405 ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA 03 81 ARQUIVOLOGIA 02 54 GESTÃO DE PESSOAS 02 54 II CONTABILIDADE GERAL 03 81 DIREITO E LEGISLAÇÃO II 01 27 ECONOMIA E MERCADO 02 54 ESTATÍSTICA 02 54 Subtotal 15 405 TOTAL GERAL DO CURSO 810CURSO TÉCNICO EM MANUTENÇÃO E SUPORTE EM INFORMATICAEDUCAÇÃO PROFISSIONALEIXO TECNOLÓGICO:INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO TURNO NOTURNO CARGAHORÁRIA DO CURSO:1.000 horas MÓDULOS COMPONENTES CURRICULARES Nº. DE CARGA AULAS HORÁRIA SISTEMAS OPERACIONAIS 4 92 APLICATIVOS COMPUTACIONAIS 2 46 ARQUITETURA DE COMPUTADORES 2 46 I FUNDAMENTOS DE PROGRAMAÇÃO 3 69 INGLÊS 1 23 EMPREENDEDORISMO 2 46 PROJETO DE MANUTENÇÃO I 1 23 SUBTOTAL 15 345 FUNDAMENTOS DE HARDWARE E MONTAGEM 80 4 DE COMPUTADORES I INSTALAÇÃO DE SISTEMA 4 80 II ELETRICIDADE E ELETRÔNICA 4 80 INFRA ESTRUTURA DE REDES DE COMPUTADORES E 40 2 CONECTIVIDADE PROJETO DE MANUTENÇÃO II 1 20 SUBTOTAL 15 300 INSTALAÇÃO LÓGICA DE REDES 4 96 MONTAGEM E MANUTENÇÃO DE REDES 5 120 FUNDAMENTOS DE HARDWARE E MONTAGEM DE 96 III 4 COMPUTADORES II PROJETO MANUTENÇÃO III 2 48 SUBTOTAL 15 360 TOTAL GERAL DO CURSO 1.005Distribuídas em 03 módulos -Correspondentes a semanas 67 semanas – hora / aula de60 minutos-334 dias letivosCURSO TÉCNICO EM MANUTENÇÃO E SUPORTE EM INFORMAÇÃOEIXO TECNOLÓGICO:INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃOTURNO DIURNO 3
  • 35. CARGA HORÁRIA DO CURSO:1.000 horasDistribuídas em 03 módulosEDUCAÇÃO PROFISSIONALCorrespondentes a semanas 50 semanas – hora / aula de 60 minutos-250 dias letivosObs.: L.D.B. 9394/96 – Parecer 16/99 – CNE/CEB MÓDULOS COMPONENTES CURRICULARES Nº. DE CARGA AULAS HORÁRIA SISTEMAS OPERACIONAIS 4 60 APLICATIVOS COMPUTACIONAIS 4 60 ARQUITETURA DE COMPUTADORES 4 60 I FUNDAMENTOS DE PROGRAMAÇÃO 4 80 INGLÊS 1 20 EMPREENDEDORISMO 2 40 PROJETO DE MANUTENÇÃO I 1 20 SUBTOTAL 20 340 FUNDAMENTOS DE HARDWARE E MONTAGEM 5 100 DE COMPUTADORES I INSTALAÇÃO DE SISTEMA 5 60 II ELETRICIDADE E ELETRÔNICA 5 60 INFRA ESTRUTURA DE REDES DE COMPUTADORES E 4 60 CONECTIVIDADE PROJETO DE MANUTENÇÃO II 1 20 SUBTOTAL 20 300 INSTALAÇÃO LÓGICA DE REDES 4 80 MONTAGEM E MANUTENÇÃO DE REDES 6 120 FUNDAMENTOS DE HARDWARE E MONTAGEM DE III 6 120 COMPUTADORES II PROJETO MANUTENÇÃO III 2 40 SUBTOTAL 20 360 TOTAL GERAL DO CURSO 60 1.000Resolução nº. 04/99 – CEB – Decreto nº. 51/54/2004CARGA HORÁRIA DO CURSO:1.000 horasDistribuídas em 03 módulosCorrespondentes a semanas 50 semanas – hora / aula de 60 minutos-250 dias letivosObs.: L.D.B. 9394/96 – Parecer 16/99 – CNE/CEBResolução nº. 04/99 – CEB – Decreto nº. 51/54/2004CURSO TÉCNICO EM INTERNETEIXO TECNOLÓGICO:INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO TURNO: NOTURNOCARGA HORÁRIA DO CURSO: 1020horas EDUCAÇÃO PROFISSIONALDistribuídas em 4 módulos Correspondentes a 68 semanas – hora / aula de 60minutos-340 dias letivos MÓDULOS COMPONENTES CURRICULARES Nº. DE CARGA AULAS HORÁRIA Sistemas Operacionais 3 20 Informática Aplicativos Computacionais 3 20 Básica e Processamento de Dados 4 40 Sistemas Operacionai Fundamentos de Programação 3 20 s Inglês Instrumental 2 20 I Subtotal 15 120 Tecnologia Redes de Computadores e Conectividade 03 60 da Administração e Segurança de Redes 03 60 3
  • 36. Informação Instalação de Computadores 03 60 e Protocolos Sistemas de Banco de Dados 03 60 de Negócios Eletrônicos 03 60 Comunicaçã o II Subtotal 15 300 Lógica de Programação 03 60 Programaçã Programação Web 03 80 o para Redes Wan/Lan e interconectividade/internet 04 80 Internet e Banco Projeto e Analise de Sistemas Web 03 60 dados Projeto de Programação Web 02 20 III Subtotal 15 300 Hipermídia e Aplicativos Multimídia 03 60 Interpretaçã Computação Gráfica 04 80 o de Construção de sites 03 60 sistemas computacion Projeto Multimídia – Web 03 60 ais Projeto de Hipermídia 02 40 IV Subtotal 15 300 TOTAL GERAL DO CURSO 1020CURSO TÉCNICO EM REDES DE COMPUTADORESEIXO TECNOLÓGICO: : INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO TURNO NOTURNO EDUCAÇÃO PROFISSIONALCARGA HORÁRIA DO CURSO: 1020 horasDistribuídas em 03 módulos Correspondentes a 68 semanas – hora / aula de 60minutos-340 dias letivos MÓDULOS COMPONENTES CURRICULARES Nº. DE CARGA AULAS HORÁRIA Teoria de Sistemas Operacionais 3 60 INFORMÁTI Aplicativos de computadores 3 60 CA BÁSICA Arquitetura de computadores 3 60 I Lógica de programação 3 60 Inglês 2 40 Cabeamento Estruturado 1 20 Subtotal 15 300 FUNDAMEN Sistemas Operacionais de Redes 3 60 TOS DE Fundamentos de redes 3 60 REDES DE Equipamento e Arquitetura de Redes 3 60 COMPUTAD ORES Linguagem de Programação para Internet I 3 60 Projeto de rede I 1 20 II Empreendedorismo I 2 40 Subtotal 15 300 INSTALAÇÃ Protocolo de Comunicação 3 60 O DE Empreendedorismo II 2 40 REDES DE Projeto de rede II 2 40 COMPUTAD ORES Instalação de Redes (Lan/Wan/Wareless...) 6 100 Ética 2 40 III Subtotal 15 280 Segurança e Administração de redes 3 60 IV Análise e Projeto de sistemas para Internet 3 60 Linguagem de Programação para Internet II 5 100 3
  • 37. Serviços de redes para Internet 2 40 Projeto de Rede III 02 40 Subtotal 15 300 TOTAL GERAL DO CURSO 1180CURSO TÉCNICO EM EVENTOSEIXO TECNOLÓGICO:HOSPITALIDADE E LAZER TURNO :NOTURNOCARGA HORÁRIA DO CURSO: 840 horas Distribuídas em 3 módulosCorrespondentes a 56 semanas – hora / aula de 60 minutos-280 dias letivos CHsemanal Carga horáriaDisciplinas do Módulo I 03Fundamentos do Turismo de Eventos, Lazer e Hospitalidade 60 02Turismo Histórico e Cultura Regional 40 03Espaço Turístico e Geográfico aplicados em Eventos 60 02Tecnologia de Informação em Eventos 40 02Comunicação Empresarial aplicadas em Eventos 40 02Português Instrumental 40 02Ética 40 15Total da carga horária do Módulo 300 CHsemanal Carga horáriaDisciplinas do Módulo II 03Recreação e Lazer em Eventos 60 03Planejamento e Organização Turística / Normas e Políticas Públicas para Eventos 60 02Marketing Pessoal e Etiqueta Profissional 40 02Técnicas de Guiamento Turístico 40 03Gestão Financeira de Eventos 60 02Inglês Instrumental 40 15Total da carga horária do Módulo 300 CHsemanal Carga horáriaDisciplinas do Módulo III 03Técnicas de Hotelaria e Meios de Hospedagens 60 03Gastronomia e Alimentos e Bebidas 60 04Organização de Eventos 80 03Empreendedorismo, Promoção e Marketing de Eventos 60 02 40Espanhol Instrumental 15Total da carga horária do Módulo 300 3
  • 38. 900hTotal da carga horária do CursoCURSO TÉCNICO EM COMÉRCIO EXTERIOREIXOTECNOLÓGICO: GESTÃO E NEGÓCIOSTURNO VESPERTINOCARGA HORÁRIA DO CURSO: 800 horasDistribuídas em 02 módulosEDUCAÇÃO PROFISSIONALCorrespondentes a 40 semanas – hora / aula de 60 minutos-200 dias letivos MÓDULOS Componentes Curriculares Nº. DE CARGA AULAS HORÁRIA INFORMÁTICA APLICADA I 02 40 INGLÊS I 02 40 ESPANHOL I 02 40 I DIREITO E LEGISLAÇÃO I 02 40 DOCUMENTAÇÃO, LOGÍSTICA, TRANSPORTES E SEGUROS 02 40 COMÉRCIO INTERNACIONAL 03 60 ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS 02 40 ANÁLISE FINANCEIRA E ORÇAMENTOS 02 40 ECONOMIA E MERCADO 03 60 SUBTOTAL 20 400 MÓDULO I – 100 dias letivos/20 semanas 400 horas INFORMÁTICA APLICADA II 02 40 INGLÊS II 02 40 ESPANHOL II 02 40 II DIREITO E LEGISLAÇÃO II 02 40 CÁLCULO COMERCIAL E FINANCEIRO 02 40 EMPREENDEDORISMO E COMÉRCIO ELETRÔNICO 02 40 PRÁTICAS DE EXPORTAÇÃO 03 60 MARKETING INTERNACIONAL 02 40 PRÁTICA DE IMPORTAÇÃO 03 60 SUBTOTAL 20 400 MÓDULO I – 100 dias letivos/20 semanas 400 horas TOTAL GERAL DO CURSO 800Obs.: L.D.B. 9394/96 – Parecer 16/99 – CNE/CEBResolução nº. 04/99 – CEB – Decreto nº. 51/54/2004ORGANIZAÇÃO CURRICULAR – ENSINO PROFISSIONAL – 2011CURSO TÉCNICO EM LOGÍSTICAEIXOTECNOLÓGICO: GESTÃO E NEGÓCIOSTURNO NOTURNOCARGA HORÁRIA DO CURSO: 870 horasDistribuídas em 03 módulosCORRESPONDENTES A 58 SEMANAS – HORA / AULA DE 60 MINUTOS –TOTAL DE 290DIAS LETIVOS 3
  • 39. EDUCAÇÃO PROFISSIONAL MÓDULOS COMPONENTES CURRICULARES Nº. DE CARGA AULAS HORÁRIA LOGÍSTICA EMPRESARIAL 03 60 INFORMÁTICA APLICADA 02 40 COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL 01 20 I MATEMÁTICA FINANCEIRA 02 40 ESTATÍSTICA 01 20 ADMINISTRAÇÃO GERAL 02 40 EMPREENDEDORISMO 02 40 3
  • 40. CONTABILIDADE GERAL 02 40 SUBTOTAL (20 semanas- 100 dias letivos) 15 300 TOTAL 300 GESTÃO DE ARMAZENAGEM, DISTRIBUIÇÃO E ESTOQUE 02 40 INGLÊS INSTRUMENTAL 02 40 GERENCIAMENTO DE CUSTOS 01 20 MARKETING EMPRESARIAL 02 40 SEGURANÇA E HIGIENE DO TRABALHO 02 40 II COMÉRCIO INTERNACIONAL 02 40 GESTÃO DE PESSOAS 02 40 ECONOMIA E MERCADO 02 40 SUBTOTAL ( 20 semanas- 100 dias letivos) 15 300 TOTAL 300 CULTURA ORGANIZACIONAL 02 36 ÉTICA, MEIO AMBIENTE E QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO 01 18 DIREITO COMERCIAL E PORTUÁRIO 02 36 III GESTÃO DA QUALIDADE 01 18 LOGÍSTICA DE SUPRIMENTOS 03 54 ESPANHOL INSTRUMENTAL 02 36 LEGISLAÇÃO E TRIBUTAÇÃO EM LOGÍSTICA 02 36 ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DE TRANSPORTES 02 36 SUBTOTAL (18 semanas-90 dias letivos) 15 270 TOTAL 270 TOTAL GERAL DO CURSO 870 horas Obs.: L.D.B. 9394/96 – Parecer 16/99 – CNE/CEB Resolução nº. 04/99 – CEB – Decreto nº. 51/54/2004 CURSO TÉCNICO EM AGENCIAMENTO DE VIAGENS EIXOTECNOLÓGICO: HOSPITALIDADE E LAZER TURNO NOTURNOEDUCAÇÃO PROFISSIONAL CARGA HORÁRIA DO CURSO: 810 horas Distribuídas em 03 módulos CORRESPONDENTES A 54 SEMANAS – HORA / AULA DE 60 MINUTOS –TOTAL DE 270 DIAS LETIVOS MÓDULOS COMPONENTES CURRICULARES Nº. DE CARGA AULAS HORÁRIA COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL/ETIQUETA 02 40 INFORMATICA APLICADA 02 40 AGENCIAMENTO E TRANSPORTE 03 60 I TURISMO E HOSPITALIDADE 03 60 INGLÊS INSTRUMENTAL 03 60 TURISMO GEOGRÁFICO 02 40 SUBTOTAL (20 semanas- 100 dias letivos) 15 300 TOTAL 300 ESPANHOL INSTRUMENTAL 03 60 OPERACIONALIZAÇÃO E LEGISLAÇÃO DE AGENCIAS E 03 60 ORGANISMOS DE TURISMO QUALIDADE NO TRABALHO, ÉTICA E MEIO AMBIENTE 02 40 HISTÓRIA DA ARTE 02 40 II PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL E RELAÇÕES INTERPESSOAIS 02 40 MERCADO E MARKETING TURÍSTICO 03 60 SUBTOTAL ( 20 semanas- 100 dias letivos) 15 300 TOTAL 300 4
  • 41. DIVERSIDADE TURÍSTICA COMO MERCADO 03 42 ORGANIZAÇÃO DE ROTEIROS E PRODUTOS TURÍSTICOS 03 42 GESTÃO FINANCEIRA E CUSTOS 03 42 III EMPREENDEDORISMO 02 28 ATIVIDADES PRÁTICAS E VISITAS TÉCNICAS SUPERVISIONADAS 04 56 SUBTOTAL (14semanas-70 dias letivos) 15 210 TOTAL 210 TOTAL GERAL DO CURSO 810 horas Obs.: L.D.B. 9394/96 – Parecer 16/99 – CNE/CEB Resolução nº. 04/99 – CEB – Decreto nº. 51/54/2004 CURSO TÉCNICO EM TRANSAÇÕES IMOBILIÁRIAS EIXOTECNOLÓGICO: GESTÃO E NEGÓCIOSEDUCAÇÃO PROFISSIONAL TURNO NOTURNO CARGA HORÁRIA DO CURSO: 810 horas Distribuídas em 03 módulosCORRESPONDENTES A 54 SEMANAS – HORA / AULA DE 60 MINUTOS –TOTAL DE 270 DIAS LETIVOS MÓDULOS COMPONENTES CURRICULARES Nº. DE CARGA AULAS HORÁRIA PORTUGUÊS INSTRUMENTAL 03 60 ECONOMIA E MERCADO 03 60 INFORMÁTICA BÁSICA 02 40 I MATEMÁTICA FINANCEIRA 04 80 DIREITO E LEGISLAÇÃO 03 60 SUBTOTAL (20 semanas- 100 dias letivos) 15 300 TOTAL 300 GESTÃO FINANCEIRA 04 80 LEGISLAÇÃO IMOBILIÁRIA 03 60 CÓDIGO DE DEFESA DO CONSUMIDOR 02 40 OPERAÇÕES IMOBILIÁRIAS 04 80 DESENHO ARQUITETÔNICO E CONSTRUÇÃO CIVIL 02 40 II SUBTOTAL ( 20 semanas- 100 dias letivos) 15 300 TOTAL 300 ORGANIZAÇÃOE TÉCNICAS COMERCIAIS 02 28 MARKETING IMOBILIÁRIO 02 28 ÈTICA PROFISSIONAL E RELAÇÕES HUMANAS 02 28 III AVALIAÇÃO DE IMÓVEIS 04 56 EMPREENDEDORISMO 02 28 TÉCNICAS DE NEGOCIAÇÃO E VENDAS 03 42 SUBTOTAL (14semanas-70 dias letivos) 15 210 TOTAL 210 TOTAL GERAL DO CURSO 810 horas Obs.: L.D.B. 9394/96 – Parecer 16/99 – CNE/CEB Resolução nº. 04/99 – CEB – Decreto nº. 51/54/2004 CURSO TÉCNICO EM SERVIÇOS DE CONDOMÍNIO EIXOTECNOLÓGICO: GESTÃO E NEGÓCIOS TURNO NOTURNO CARGA HORÁRIA DO CURSO: 810 horas Distribuídas em 03 módulos CORRESPONDENTES A 54 semanas–hora aula de 60 minutos –TOTAL DE 270 DIAS LETIVOS 4
  • 42. EDUCAÇÃO PROFISSIONAL MÓDULOS COMPONENTES CURRICULARES Nº. DE CARGA AULAS HORÁRIA COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL 04 80 DIREITO TRABALHISTA/TRIBUTÁRIO E PREVIDENCIÁRIO 04 80 INFORMÁTICA 02 40 I MATEMÁTICA FINANCEIRA 03 60 ÉTICA E RELAÇÕES HUMANAS 02 40 SUBTOTAL (20 semanas- 100 dias letivos) 15 300 TOTAL 300 ADMINISTRAÇÃO DE CONDOMÍNIOS E MATERIAIS 04 80 DIREITO CONDOMINIAL 03 60 SEGURANÇA PATRIMONIAL 03 60 CONTABILIDADE GERAL 03 60 GESTÃO AMBIENTAL 02 40 II SUBTOTAL ( 20 semanas- 100 dias letivos) 15 300 TOTAL 300 LEITURA E DESENHO DE PROJETOS PREDIAIS 03 42 MANUTENÇÃO PREDIAL 03 42 ADMINISTRAÇÃO DE PESSOAL 03 42 III EMPREENDEDORISMO 03 42 INGLÊS 03 42 SUBTOTAL (14semanas-70 dias letivos) 15 210 TOTAL 210 TOTAL GERAL DO CURSO 810 horas Obs.: L.D.B. 9394/96 – Parecer 16/99 – CNE/CEB Resolução nº. 04/99 – CEB – Decreto nº. 51/54/2004 CURSO TÉCNICO EM SECRETARIADO EIXOTECNOLÓGICO: GESTÃO E NEGÓCIOS TURNO VESPERTINO CARGA HORÁRIA DO CURSO: 800 horas Distribuídas em 02 módulos Correspondentes a 40 semanas – hora / aula de 60 minutos-200 dias Obs.: L.D.B. 9394/96 – Parecer 16/99 – CNE/CEB MÓDULOS Componentes Curriculares Nº. DE CARGA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL AULAS HORÁRIA TÉCNICAS SECRETARIAIS I 04 80 COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL/PORTUGUÊS 04 80 INFORMÁTICA APLICADA I 02 40 NOÇÕES DE ADMINISTRAÇÃO 03 60 TÉCNICAS EM ORATÓRIA 01 20 ÉTICA E CIDADANIA 02 40 INGLÊS BÁSICO PARA SECRETARIADO I 02 40 ESPANHOL BÁSICO PARA SECRETARIADO I 02 40 SUBTOTAL 20 400 MÓDULO I – 100 dias letivos/20 semanas 400 horas TÉCNICAS SECRETARIAIS II 04 80 INFORMÁTICA APLICADA II 02 40 CERIMONIAL/EVENTOS E PROTOCOLO OFICIAL 03 60 II PSICOLOGIA E RELAÇÕES INTERPESSOAIS 01 20 DIREITO E LEGISLAÇÃOI 02 40 CENÁRIOS ECONÔMICOS E MERCADO 01 20 GESTÃO FINANCEIRA E CONTÁBIL 03 60 INGLÉS BÁSICO PARA SECRETARIADO II 02 40 ESPANHOL BÁSICO PARA SECRETARIADO I I 02 40 SUBTOTAL 20 400 4 MÓDULO I – 100 dias letivos/20 semanas 400 horas TOTAL GERAL DO CURSO 800
  • 43. Resolução nº. 04/99 – CEB – Decreto nº. 51/54/2004 CURSO TÉCNICO EM LAZEREDUCAÇÃO PROFISSIONAL EIXO TECNOLÓGICO:HOSPITALIDADE E LAZER TURNO NOTURNO CARGA HORÁRIA DO CURSO: 810 horas Distribuídas em 03 módulosCorrespondentes a 54 semanas – hora / aula de 60 minutos-270 dias letivos MÓDULOS Nº. DE CARGA AULAS HORÁRIATOTAL Componentes Curriculares SEMA- NAIS RELAÇÕES INTERPESSOAIS 04 28 ÉTICA, MEIO AMBIENTE LAZER E CIDADANIA 05 35 I INFORMÁTICA APLICADA 02 14 INGLÊS 01 07 LEGISLAÇÃO E POLITICAS CULTURAIS 03 21 SUBTOTAL DURAÇÃO: 35 dias letivos 15 105 EMPREENDEDORISMO 01 39 ESPORTES INDIVIDUAIS E COLETIVOS 02 78 MANIFESTAÇÕES CULTURAIS E FOLCLÓRICAS 02 78 EDUCAÇÃO AMBIENTAL 01 39 TÉCNICAS DE ANIMAÇÃO SOCIOCULTURAIS 03 117 DINAMICAS GRUPAIS 01 39 II SOCIOLOGIA DO LAZER 01 39 ORGANIZAÇÃO E ELABORAÇÃO DE PROJETOS PARA 01 39 EVENTOS DE ENTRETENIMENTO RECREAÇÃO/BRINQUEDOS E BRINCADEIRAS 02 78 PRIMEIROS SOCORROS 01 39 SUBTOTAL DURAÇÃO: 195dias letivos 15 585 MARKETING 03 24 LINGUAGENS ARTÍSTICAS 05 40 III ADMINISTRAÇÃO DE EVENTOS DE ENTRETENIMENTO 05 40 SEGURANÇA DO TRABALHO APLICADA NAS 02 16 ATIVIDADES DE ENTRETENIMENTO SUBTOTAL DURAÇÃO: 40 dias letivos 15 120 TOTAL GERAL DO CURSO TOTAL 810 horas TOTAL DE DIAS LETIVOS 270 DIAS LETIVOS Obs.: L.D.B. 9394/96 – Parecer 16/99 – CNE/CEB Resolução nº. 04/99 – CEB – Decreto nº. 51/54/2004 O calendário escolar apresenta-se de acordo com normas e requisitos previstos em lei, apresentando distribuição de dias letivos por ano/trimestres para o Ensino Médio e por módulos para a Educação Profissional, ambos determinando a carga horária total das atividades educativas. 4
  • 44. DESCRIÇÃO DA METODOLOGIAAs estratégias pedagógicas a serem adotadas favorecerão a intermediação do docente noprocesso de aprendizagem, privilegiando situações ativo-participativas, visando àsocialização do saber, à construção e reconstrução coletiva de conhecimentos, aodesenvolvimento de níveis de competências mais complexas como a capacidade de síntese,de análise, de avaliar e resolver problemas, bem como ao desenvolvimento de habilidades,valores e atitudes.Dar-se-á ênfase à resolução de problemas, envolvendo situações diversificadas e similaresàs encontradas no contexto real de trabalho, o que possibilitará ainda o exercício datransversalidade pela abordagem integradora, contextualizada e interdisciplinar das questõesa serem trabalhadas. Além desta estratégia, outras também serão contempladas comoevidência das práticas, pelos alunos, para o desenvolvimento de competências e habilidadesprevistas nos Cursos Técnicos e objetivos do Ensino Médio: palestras, seminários, fóruns dedebates, pesquisas de campo, estudo de caso, dramatizações, atividades laboratoriais,dinâmicas de grupo, oficinas, estudos por projeto, visitas técnicas, visitas culturais e mostrasde trabalhos.Relativo a estudo por projetos, implicará em o grupo explorar um conjunto de conteúdosimportantes para o desenvolvimento de atividades. Os projetos destes estudos serãonegociados com os alunos e, na ocasião, serão levantadas as reais necessidades depesquisas na construção do conhecimento, as competências/habilidades a seremtrabalhadas ou a apropriação do conhecimento produzido. Para realização desteprocedimento, três fases não-estanques serão configuradas: problematização (problemascontextualizados aos temas em estudo), desenvolvimento (criação de situações de trabalho)e síntese (superação de convicções iniciais e construção de outras mais complexas, servindode conhecimento para novas situações de aprendizagem).A operacionalização sistemática dos cursos técnicos se dará em ambientes convencionaisde sala de aula, em laboratórios da Instituição, em empresas e em outras organizaçõessociais que se fizerem necessárias à realização do curso e /ou visitas técnicas.O material didático, entendido como recurso de apoio e de diferentes fontes de origem, seráselecionado de acordo com a intencionalidade de seu uso, a saber: claro propósito defavorecer a aprendizagem, de ampliar o mundo do aluno, sua capacidade de compreender,de refletir, de participar, de exercer o seu senso crítico, de expressar e de argumentar. 4
  • 45. A escola, dentro de uma estratégia de desenvolvimento de projetos, terá garantido emcronograma a culminância desses projetos com apresentações, mostras, seminários eeventos diversos para a socialização dos saberes produzidos. Toda essa produção deveráser apresentada, avaliada e pontuada pelos envolvidos no desenvolvimento do projeto e talpontuação será acordada entre os professores antecipadamente.Ainda cabe ressaltar que a escola desenvolve projetos de enriquecimento curricular (PEC)nos cursos técnicos abrangendo aspectos cognitivos, culturais e de empreendedorismo e oProjeto “Cultura Popular Capixaba”; entre outros subprojetos que emergem durante o anoletivo com mostras de trabalhos acadêmicos, científicos e culturais, bem como outrosprojetos para melhoria da aprendizagem que inclusive concorreram e colocaram-se emprimeiro lugar no concurso de “Boas Práticas” por três anos consecutivos.Os laboratórios de informática são utilizados como recursos e auxílio na complementação deaulas, visando o desenvolvimento de conteúdos cognitivos e /ou conteúdos procedimentais,permanecendo aberto para atendimento a alunos e professores.O uso dos laboratórios é condicionado a normas que devem ser observadas assegurandoseu funcionamento sem maiores problemas.COMPONENTES CURRICULARES E EMENTAS DOS CURSOS TÉCNICOSO trabalho em equipe de investigação e aulas práticas é o tipo de trabalho mais evidenciadonas relações dos cursos técnico com os diferentes “saberes”.Os componentes curricularessão organizados por eixos temáticos, em áreas afins,por módulos seqüenciais e apresentamhabilidades e competências específicas para cada curso.Os planos de curso são construídosem consonância ao Catálogo Nacional dos Cursos Técnicos proposto pelo MEC - Ministérioda Educação e Cultura.Segue abaixo componentes curriculares,objetivos e ementas dos cursos técnicos ofertadosnessa escola. CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICAA oferta do Curso Técnico em Informática pela EEEM Gomes Cardim tem por objetivosgerais: -Qualificar e habilitar profissionais para as demandas do setor produtivo , com vistas à melhoria da qualidade da gestão da produção de bens e serviços; -Qualificar e habilitar para o exercício das ocupações e profissões de nível técnico da área de informática; -Colaborar para o desenvolvimento social e humano e para melhoria das competências profissionais dos trabalhadores da região; 4
  • 46. -Oferecer educação profissional em conformidade aos princípios estabelecidos na Lei nº. 9.394/96, no Decreto nº. 5154/2004, na Resolução CNE/CEB nº. 04/99, no Parecer CNE/CEB nº. 16/99 e na Proposta Pedagógica do Estado para a Educação Profissional; -Possibilitar o engajamento pleno do aluno/egresso no mundo do trabalho a partir do desenvolvimento de projetos pessoais e coletivos relacionados à realidade local, contemplando a perspectiva da formação de sujeitos pró-ativos e empreendedores; -Formar profissionais comprometidos em atuar segundo princípios de ética e solidariedade, buscando construir o bem comum e a melhoria da qualidade de vida pelo exercício pleno da sua cidadania; -Contribuir para a formação do ser humano em sua plenitude.O Curso Técnico em Informática da EEEM Gomes Cardim tem por objetivos específicos: -Oportunizar aos jovens da região uma formação profissional que lhes favoreça uma primeira abordagem do mercado de trabalho, bem como aos trabalhadores do setor produtivo local a educação continuada que lhes permita o crescimento profissional em suas carreiras; -Qualificar profissionais para as ocupações de Auxiliar de Suporte e Administração de Redes e Programador de Sistemas e Bancos de Dados; -Habilitar profissionais de nível técnico para a profissão de Técnico em Informática; -Promover o desenvolvimento de todas as competências profissionais gerais da área profissional de informática, distribuídas nos módulos do curso; -Promover o desenvolvimento de competências profissionais específicas em conformidade com as características do Estado quanto das organizações produtivas, tanto nas qualificações intermediárias quanto na habilitação; -Promover o intercâmbio da EEEM Gomes Cardim com as organizações dos segmentos produtivos da região para manter a necessária atualização quanto às competências, habilidades e bases tecnológicas requeridas pelo mundo do trabalho; -Desenvolver hábitos, valores e atitudes profissionais condizentes com a cultura local, sem perder a dimensão de compatibilidade com os mais elevados valores humanos.Módulo I – EmentárioOrganização de Empresas - Introdução e evolução da teoria administrativa. Análise desistemas em Administração. O papel do gerente de sistemas de informações. Funções. Asprincipais escolas. Administração: perspectivas e teorias. Liderança. Comunicação.Organização informal. Dinâmica de grupo. Administração como técnica Social. Tipos deorganização.Inglês Técnico - Leitura de termos e textos técnicos em inglês. Conhecimento básico dasnoções do Inglês Instrumental. O uso dos verbos regulares e irregulares. Compreensão detextos técnicos de inglês.Aplicativos para Automação de Escritório - Edição de textos, planilhas eletrônicas.Bancos de dados. Softwares de apresentação.Instalação de Computadores – Histórico da Computação, Microprocessadores, Placas,Padrões de Hardware, Memórias, Drivers, Gabinetes e Fontes de Alimentação, Periféricosde entrada e de saída, cuidados na montagem, Identificação de erros de montagem econfiguração de Hardware.Sistemas Operacionais - Conceitos Básicos. Conceitos de Hardware e Software. Tipos deSistemas Operacionais. Sistemas Multiusuarios. Estrutura do Sistema Operacional.Processo. Comunicação entre processos. Gerência do Processador. Gerência de Memória.Sistema de Arquivos. Gerência de Dispositivos. Teoria e prática de Programação 4
  • 47. Concorrente: variáveis compartilhadas, proteção e deadlock, troca de mensagens. Conceitosde Sistemas Distribuídos. Estudos de caso, uso do Windows XP , do Windows 2003 e doLinux.Gerenciamento de Projetos – Métodos de gerenciamento de Projetos, Alocação deRecursos, Caminho Critico, Calendário de Trabalho, Sequenciamento de Atividades.Criação e Editoração de Imagens - Imagens e o processamento digital. Digitalização evisualização de imagens. Transferência e Armazenamento de imagens. Processamento deImagens. filtragem digital e técnicas de restauração de imagens.Algoritmos e Lógica de Programação - Noções de Tipos e Estruturas Elementares deDados. Operadores. Funções Embutidas e Expressões. Instruções Condicionais.Incondicionais e de Repetição. Tipos definidos pelo programador e Tipos Abstratos deDados. Estruturas Compostas de Dados: Vetores, Matrizes e Registros. Provas.Modulo II – EmentárioLinguagens de Programação - . Noções de Estruturas Dinâmicas de Dados. Noções deFunções e Procedimentos Recursivos. Noções de Arquivos em Programação. Algoritmos.Aplicações. Introdução a conjuntos e lógica. Expressões e valores. Funções. Tipos.Definições por casamento de padrão. Abstração funcional (polimorfismo e funções de altaordem). Avaliação de expressões redução conversão (lazy, eager). Programação com listas.Programação com tipos concretos. Indução. Invariantes. Provas.Banco de Dados - Conceitos Básicos. Modelos de Dados. Aspectos de Modelagem dedados. Aplicações Sistemas de Gerenciamento de Banco de Dados (SGBD): arquitetura easpectos operacionais. Projeto e Implementação de Aplicações de Banco de Dados.Linguagens de Programação Orientadas a Objetos - Conceitos e terminologia.Linguagens orientadas a objetos. Histórico e "survey" de linguagens orientadas. Técnicas demodularização / decomposição de software. Herança simples e múltipla. Projeto orientado.Tendências. Linguagem orientada.Análise e Projetos de Sistemas - Metodologias de análise e projeto de sistemas,. Notaçõese técnicas de análise e projetos ( Rumbaugh, Coad, Booch e Meyer). Programação orientadaa objetos. Metodologias de análise orientadas a objetos: técnicas para modelagem deobjetos. Projeto detalhado de objetos. Métricas para avaliação de qualidade. Metodologias deteste.Documentação de Sistemas – Técnicas de Documentação de Sistemas e Programas,Relatorios, Memorandos, Aaplicativos para Documentação de Sistemas, RedaçãoTecnica.Projeto de Programação – Elaboração de um projeto de sistema a ser desenvolvido emclasse e extra-classe com acompanhamento do professor.Modulo III – EmentárioArquitetura e Projetos de Redes - Projeto de sistemas de teleprocessamento. Transmissãode dados a alta e baixa velocidade. Camadas do modelo ISO/OSI. Topologia de rede etécnicas de chaveamento. Componentes e funções da rede. Processadores de comunicação.Redes locais. Confiabilidade e segurança de redes. Sistemas operacionais de rede.Instalação de sistemas operacionais de redes. Servidores e clientes. Configuração. Sistemasde arquivos.Programação e Web Design – Confecção de paginas e programação de sites e sistemasusando: Html, Xml, Asp, .NET, Java, Jsp.Redes, Protocolos e Segurança da Informação - Avaliação de sistemas operacionais de 4
  • 48. rede. Meios físicos. Modulação. Conversão analógico-digital e digital-analógico.Multiplexação. Ruído. Distorção. Compartilhamento de canais de comunicação. Códigos dedetecção de erros. Comunicação sem fio. Comunicação digital. Interfaces. Modems de altavelocidade. Protocolos de comunicação. Segurança DigitalAdministração e Sistemas Operacionais de Rede - Uso dos Sistemas Operacionais deRede e suas Ferramentas de Administração e de gerência de redes. Conectividade desistemas. Métricas de qualidade de sistemas operacionais de rede. Estudo de casos.Internet - E-commerce, E-business, Voip, Videoconferencia, Newsgroups, E-learning, E-government. CURSO TÉCNICO EM BIBLIOTECONOMIA O Curso Técnico em Biblioteconomia tem como objetivos:-Qualificar jovens e adultos na área de serviços de apoio escolar para atuar no mercado detrabalho, empregando recursos que facilitam ou viabilizam a leitura, a pesquisa, aaprendizagem, possibilitando a construção do conhecimento.- Oferecer condições para que os alunos desenvolvam as competências necessárias aodesempenho profissional como Técnico em Biblioteconomia, garantindo o suporte científico,tecnológico e valorativo que lhes permitam acompanhar as transformações da área deBiblioteconomia, de forma a assegurar que:*Sejam capazes de planejar sua ação profissional, reconhecendo o papel estratégico daBiblioteca e dos Centros de Documentação e Informação no processo de transformaçãocultural e social.*Reconheçam a importância do acesso à informação para o desenvolvimento pessoal eprofissional do cidadão.*Respondam às situações novas com flexibilidade, criatividade, eficácia e eficiência,enfrentando desafios, propondo inovações e buscando atualização constante e autodesenvolvimento, por meio de estudos e pesquisas, de forma a identificar e incorporar novosmétodos e técnicas aplicados à Biblioteca ou Centros de Documentação e Informação.*Relacionem-se de forma produtiva nas equipes de trabalho, adotando comportamento éticona relação com seus pares, supervisores, clientes/ usuários e fornecedores.Para a consecução desses objetivos, a organização curricular deste curso atende aosprincípios enunciados pelas Diretrizes Curriculares Nacionais da Educação Profissional deNível Técnico.Módulo I – EmentárioCOMUNICAÇÃO OFICIAL E HISTÓRIA DOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO -Linguagem: Seus níveis e funções,Vocabulário técnico em português. Texto e textualidadeNormas, simbologias e convenções técnicas. Leiturainterpretação de textos científicos.Produção textual: tipos de textos, estrutura e habilidades.Uso correto de aspectosgramaticais na elaboração do discurso utilizado na produção de textos oral-escritos.Leituras aplicando alternativas pedagógicas que desenvolva o prazer de ler. Planejamentode Projetos alternativos de leitura.INFORMÁTICA APLICADA IPrincípios de funcionamento de processadores e memórias.Princípios de funcionamento ecaracterísticas dos equipamentos externos (teclado, mouse, monitor e impressora).Princípiosde funcionamento e características dos equipamentos internos (placas, HD, floppy, CDROM). 4
  • 49. Tipos de redes: LAN, MAN,WAN.Sistemas de comunicação, meios de transmissãoPSICOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO Desenvolvimento humano e sua relação com o meio social.Teorias psicológicas, seus temase conceitos fundamentais; Aspectos sociais e afetivos da criança correlacionados com a vida adulta; Reações ao“stress” e higiene mental. Como estudar habilidades necessárias para um estudo proveitoso.A evolução educacional com a política de ensino;Educação Especial e a política de inclusão;BIBLIOTECONOMIA – CONCEITO E FUNDAMENTOS -Legislação Básica-Definição doCódigo de Ética Técnicas de expressão- Técnicas de recepcionarPROJETOS LITERÁRIOS A literatura infantil no Brasil - visão crítica e histórica. Linguageme estilo na literatura infantil da linguagem iconográfica à verbal. A literatura e o públicoinfanto-juvenil.A literatura infanto-juvenil no contexto da biblioteca escolar.ACERVO - FORMAÇÃO E TRATAMENTO-Definição, função e histórico dacatalogação.Partes da catalogação.Produtos da catalogação: fichas catalográficas, catálogose formação de bases de dados. Catálogos manuais e automatizados (funções, tipos efinalidades) .Normatização bibliográfica(conceito, funções e objetivos).Classificação bibliográfica (conceito, função e objetivos).Histórico da classificação bibliográfica. Sistema de classificação e classificação decimal-Noções de organização e Métodos.Marketing institucional. Higiene e segurança notrabalho.Serviços auxiliares de seleção, aquisição de registro e controle de acervo, deatendimento ao público, de processamento técnico, de inventário de acervo e benspatrimoniais, de dinamização da informaçãoMódulo I I– EmentárioGESTÃO DE BIBLIOTECAS- Estatística de freqüência e o movimento das publicações erelatórios anuais.A Imagem da bibliotecaEstudo da comunidadeDocumentos Legais e estrutura organizacional- Redes/consórcios e parcerias.Marketing emBibliotecas A Biblioteca como um prédio funcional – princípios gerais e recomendaçõestécnica Métodos AdministrativosMETODOLOGIA CIENTÍFICA E PROJETOS- Introdução ao ensino da MetodologiaCientífica:O que é metodologia;Trabalho com amostragem, variáveis e levantamento dehipóteses;Coleta de dados, tabulação e interpretação de dados;Metodologia da PesquisaqualitativaModelo de pesquisas; Como elaborar um projeto de pesquisa:Aspectos técnicos da pesquisa:;O texto científico esua apresentação;O texto, o resumo, a síntese. Dimensão ético-profissional:O Projeto dePesquisa;Elaboração de relatório da pesquisaINFORMÁTICA APLICADA II -Seleção e aquisição de obras -Bases de dados paraUnidades de Informação.Informática Documentária.Tecnologias da Informação.Processamento técnico Circulação e empréstimoArmazenamento Consulta aos catálogos Acesso e disseminação da informaçãoPRESERVAÇÃO, CONSERVAÇÃO E RESTAURAÇÃO DO ACERVO-Princípios depreservação de acervos bibliográficos e documentais Métodos de conservação. Papel – abordagem histórica. Agentes dedeterioração.Laboratório de conservação: estrutura, funcionamento e serviços.Tipologiasdos recursos audiovisuais.Manuseio e uso dos equipamentos.O documento audiovisual: Uso 4
  • 50. conservação.Aplicabilidade dos recursos audiovisuais.BIBLIOGRAFIA E REFERÊNCIA -Conceito de trabalho bibliográfico,Características,finalidades, aplicação prática, utilizando a normatização bibliográfica. Recuperação dainformação por tecnologias emergentes.Orientação à leitura e pesquisa. Serviços auxiliaresde ação sócio-cultural.PROJETOS LITERÁRIOS II -Características distintivas dos diversos gêneros dramáticos,interligadas às características distintivas dos diferentes meios ou veículos de comunicação:aspectos de linguagem e estrutura.Literatura - Conceito Estilo Gêneros literários.História daliteratura portuguesa e brasileira. CURSO TÉCNICO EM ADMINISTRAÇÃOO Curso Técnico em Administração tem como objetivos proporcionar condições para formarprofissionais éticos, que consigam atuar sob diferentes condições de trabalho, tomardecisões de forma responsável para contornar problemas e enfrentar situações imprevistas eque possam trabalhar em grupo de forma respeitosa e solidária.Também podemos apontar como objetivos específicos do curso: • Executar as funções de apoio administrativo: protocolo e arquivo, confecção e expedição de documentos administrativos e controle de estoques. • Operar sistemas de informações gerenciais de pessoal e material. • Utilizar ferramentas da informática básica, como suporte às operações organizacionais • Oferecer condições para que o aluno desenvolva as competências profissionais gerais, necessárias e comuns a todo profissional que atua na administração, de modo a favorecer o diálogo e a interação com os demais profissionais do eixo, bem como ampliar sua esfera de atuação. • Desenvolver as competências profissionais, relacionadas ao perfil profissional de conclusão da habilitação de Técnico em Administração. • Propiciar ao aluno a reflexão de seu papel profissional, preparando-o para ser agente de mudanças. • Suprir a demanda do mercado de trabalho com profissionais qualificados para atuação no segmento administrativo. • Formar profissionais conscientes das dificuldades de seu ingresso e manutenção no mercado de trabalho habilitando-o profissionalmente para superar tais dificuldades. • Criar parcerias com empresas produtivas, a fim de facilitar a atualização dos alunos da rede pública.Módulo I – Ementário 5
  • 51. DMINISTRAÇÃO GERAL Empresas – área de atuação da administração.Organização xempresa.Objetivos de uma organização.Estrutura das organizações.A empresa no contextoatual.História da administração.Taylor e a administração científica.As idéias de Fayol.Ford ea produção em escala.A escola comportamental.Novos conceitos e teorias administrativas.Aperspectiva comportamental.O aumento do porte das empresas.Novos problemas naadministração das empresas.Desenvolvimento de modelos integrados da administração.Osnovos modelos de administração.A terceirização de serviços.A ênfase da qualidade naadministração.Sistemas e modelos de administração japoneses.A reengenharia deprocessos.Globalização, terceirização e quarteirização.O processo de administrar.Funçõesda administração – suas inter-relações.Perspectivas e tendências da administração.Oplanejamento empresarial.Planejamento estratégico, tático e operacional.Visãoorganizacional.Organograma, hierarquia e burocracia.Novos modelosorganizacionais.Introdução à administração mercadológica.Conceitos e fundamentos.Asfunções: estratégica e operacional (planejamento, pesquisa e seleção demercado).Economia e mercado: conceitos; mercado interno/externo.Mercadoconsumidor.Estudos de viabilidade econômica.Introdução à administração financeira-Principais tarefas e atividades do setor financeiro.Conceitos básicos; funções, noções deplanejamento e controle financeiros.Introdução à administração de material epatrimônio.Conceito; objetivos; importância; evolução (Kanban, just-in-time).Funções; noçõesde normas técnicas sobre segurança de material e patrimônio.Classificação de material,códigos (Inmetro, ABNT).Introdução à administração de pessoal e recursoshumanos.Conceitos e fundamentos.Dinâmica organizacional.Introdução aos sistemas depessoal; conceito, finalidades, natureza e funções da administração de recursoshumanos.Diretrizes de recursos humanos.Sistema integrado de recursos humanos;normalizações técnicas específicas (ISO 9000) e suas conseqüências no desenvolvimentoINFORMÁTICA APLICADA Noções de processamento de dados.Hardware esoftware.Aplicações da informática.Cuidados com o equipamento.Comandosiniciais.Conceitos, tipos e finalidades dos aplicativos OFFICCE 2000.Navegação na Internet.ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS HUMANOS Programas de gestão de recursoshumanos/Ponto com horário de trabalho/Negociações trabalhistas e sindicaisMATEMÁTICA FINANCEIRA Matemática comercial e financeira.Razões eproporções.Regras de sociedade.Juros e descontos simples e compostos.Capitalização,amortização e empréstimos.Unidades de medida.Métodos e técnicas para cálculo de custospara desenvolvimento de estudos e projetosÉTICA Ética e trabalho.Negociação para o trabalho em equipe.Direitos e obrigações notrabalho.As relações humanas e as diferenças individuais.Motivação e criatividade.Como lidar com a frustração diante das respostas do cliente.Qualidade na prestação de serviços. O que é prestação de serviços.O que é qualidade.A importância da qualidade na empresa.Como obter qualidade na prestação de serviços.O trabalho em equipe como fator de qualidade. _ O profissional do futuro.A equipe prestadora de serviços.Entendendo o trabalho em equipe.A valorização do profissional.Reconhecendo a qualidade.Sistema de gestão de qualidade.Política e objetivos da qualidade.Função da alta administração.Formas de reconhecimento da qualidade.Código de Defesa do Consumidor. 5
  • 52. COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL Comunicação.Meios, mensagens ebarreiras.Comunicação verbal e não-verbal.A comunicação oral.Os componentes dacomunicação (a voz, a audição, a entonação, locução e as palavras).Os maus hábitos noouvir (ouvir x escutar).Modos e atitudes ao telefone.Tipos de clientes e utilização delinguagens adequadas.A comunicação escrita:Síntese da linguagem oral comorepresentativa da linguagem escrita (síntese do pensamento e registro das idéias).Redaçãode textos internos e externos à organização (bilhete, memorando, carta comercial, fax e e-mail).A comunicação através do telefone e fax.DIREITO E LEGISLAÇÃO I Reconhecer os ritos judiciais na área dos negócios.Tipos deações judiciais existentesAs relações de riscos e oportunidades existentes na área do direitoqueatingem os negócios: Direito Administrativo, Imobiliário, Tributário, Trabalhista,Comercial,Civil, Ambiental.A legislação específica do mundo dos negóciosMódulo I I– EmentárioEMPREENDEDORISMO Teoria Geral de Administração;Bases legais para implantação deuma empresa;Projeto de empreendimento;Gerenciamento do negócio;Conceito deprodutividade, competitividade e sobrevivência;Empreendedor e mercado.Normas éticas narelação com clientes e público em geral.ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA Matemática financeira, calculadora HP 12C, planilhaseletrônicas equivalentesIntrodução à administração financeira.Principais tarefas e atividadesdo setor financeiro.Conceitos básicos; funções, noções de planejamento e controlefinanceiros.ntrodução à administração de material e patrimônio.Conceito; objetivos;importância; evolução (Kanban, just-in-time).Funções; noções de normas técnicas sobresegurança de material e patrimônio.ARQUIVOLOGIA Origem e conceito da arquivologia Evolução de arquivologia Princípiosarquivistas A relação entre informação, documentação e conhecimento Ciclo vital dosdocumentosGESTÃO DE PESSOAS Identificação e uso da legislação trabalhista.Interpretação deparâmetros para definição de remuneração fixa e variável.Identificação e interpretação demétodos e técnicas para condução de reuniões e motivação da equipe.A importância daadministração de pessoal nas empresas comerciais.A estrutura de pessoal nas organizaçõesde grande, médio e pequeno porte.Organograma: análise e descrição decargos.Recrutamento e seleção, treinamento e desenvolvimento.Avaliação de desempenho.CONTABILIDADE GERAL Introdução à contabilidade Pessoas físicas e jurídicas Objeto ecampo de aplicação da contabilidade Escrituração contábil Técnicas contábeis Análise dasdemonstrações financeiras ou contábeis Operações com mercadorias Inventário periódicoInventário permanente Descontos e abatimentos Princípios e convenções contábeis Balançopatrimonial Demonstração do resultado do exercício.DIREITO E LEGISLAÇÃO II - Reconhecer os ritos judiciais na área dos negócios.Tipos deações judiciais existentesAs relações de riscos e oportunidades existentes na área do direitoqueatingem os negócios: Direito Administrativo, Imobiliário, Tributário, Trabalhista,Comercial,Civil, Ambiental.ECONOMIA E MERCADO Estudar público alvo e mercadoEstudar emprego e rendaAnáliseda concorrência.Avaliar e ponderar riscos e oportunidades mercadológicas.ESTATÍSTICA Estatística básica.Conceitos básicos de estatística.Método estatístico.Sériesestatísticas.Representação tabular.Gráficos estatísticos.Distribuição de freqüência.Medidas 5
  • 53. de posição.Desvio padrão CURSO TÉCNICO EM MANUTENÇÃO E SUPORTE EM COMPUTADORES O Curso Técnico em Manutenção e Suporte em Informática no eixo tecnológico de Informação e Comunicação de manutenção e prevenção de hardware tem como objetivo, formar profissional com uma visão crítica que lhe permita participar ativamente das mudanças da realidade nacional vigente, proporcionando ao educando as condições que o capacite a reconhecer novos equipamentos destinados ao processamento de informação e transmissão de dados, imagem e voz. Também são objetivos do curso:- Habilitar profissionais para as demandas do setor produtivo do município de Vitória edemais municípios da Região Metropolitana da Grande Vitória, com vistas à melhoria daqualidade da oferta de serviços;- Formar e habilitar para o exercício das ocupações e profissões de nível técnico da área demanutenção e suporte em informática;-Contribuir na promoção social e humana através do desenvolvimento dos egressos docurso;-Possibilitar o engajamento pleno do aluno/egresso no mundo do trabalho a partir dodesenvolvimento de projetos pessoais e coletivos relacionados à realidade local,contemplando a perspectiva da formação de sujeitos pró-ativos e empreendedores;-Formar profissionais comprometidos em atuar segundo princípios de ética e solidariedade,buscando construir o bem comum e a melhoria da qualidade de vida pelo exercício de suacidadania;Módulo I – EmentárioSISTEMAS OPERACIONAIS Sistemas operacionais; Algoritmos e funções dos sistemasoperacionais.APLICATIVOS COMPUTACIONAIS Editor de texto; Planilha de calculo; Gerador deApresentaçãoARQUITETURA DE COMPUTADORES Configuração básica de hardware e software.FUNDAMENTOS DE PROGRAMAÇÃO Redação Técnica; Técnicas de Comunicação.EMPREENDEDORISMO Gerador de apresentação, Processadores de texto, Planilhaseletrônicas, Internet.INGLÊS INSTRUMENTAL Software de tradução de texto e internet.PROJETO DE MANUTENÇÃO Elaboração de rotinas para manutenção em hardware.Módulo I I– EmentárioFUNDAMENTOS DE HARDWARE E MONTAGEM DE COMPUTADORES I Configuração básica de hardware de software manutenção preventiva e corretiva.INSTALAÇÃO DE SISTEMA Configuração de hardware; Processadores; Redes locais;Sistemas operacionais.ELETRICIDADE E ELETRÔNICA Configuração de circuitos elétricos; Componentes deHardware, simuladores de circuitos elétricos. 5
  • 54. INFRA ESTRUTURA DE REDES DE COMPUTADORES E CONECTIVIDADE Administraçãode dispositivos de redes; Performance de redes; Comunicação de dados; SistemasOperacionais para redes.PROJETO DE MANUTENÇÃO II Executar de rotinas para manutenção em hardware.Módulo I II– EmentárioINSTALAÇÃO LÓGICA DE REDE Executar as rotinas necessárias para instalação lógicadas redes no sistema operacionais Linux e WindowsMONTAGEM E MANUTENÇÃO DE REDES Aplicações avançadas para manutençãopreventiva e corretiva de redes locais e externas, utilizando-se ferramentas tecnológicaFUNDAMENTOS DE HARDWARE E MONTAGEM DE COMPUTADORES Configuraçãobásica de hardware de software para manutenção preventiva e corretiva de notebook.PROJETO DE MANUTENÇÃO III Executar rotinas para manutenção em notebook. CURSO TÉCNICO EM GUIA DE TURISMOO Curso Técnico em Guia de Turismo no Eixo Tecnológico Hospitalidade e Lazer têm comoobjetivos: • Formar profissionais com iniciativas que lhe permita orientar, assistir e conduzir pessoas ou grupos durante traslados, passeios, visitas, viagens, com ética profissional e respeito ao ambiente, à cultura e à legislação. • Ter condições de informar sobre aspectos socioculturais, históricos, ambientais, geográficos e outros de interesse do turista. • Apresentar ao visitante opção de roteiros e itinerários turísticos disponíveis e quando for o caso os conceber considerando as expectativas e ou necessidades do visitante. • Utilizar instrumentos de comunicação, localização, técnicas de condução, de interpretação ambiental e cultural. Também são objetivos específicos do curso: • Formar profissionais para atuar na área de turismo em atendimento as demandas das empresas e da sociedade, capazes de atuar positivamente no mercado de trabalho • Propiciar aos participantes condições para o desenvolvimento de competências pessoais e profissionais, de modo a ampliar suas possibilidades de inserção no mercado de trabalho e/ou sua esfera de atuação; • Preparar profissionais competitivos para enfrentar a nova modalidade econômica que ora se abre no mercado de trabalho brasileiro. • Tornar os alunos capazes de agir por conta própria abrindo-lhes fronteiras de mercado formal. • Possibilitar aos educandos um desenvolvimento pessoal, grupal e comunitário. • Promover a educação ambiental valorizando recursos que hoje são cada vez mais importantes para a sobrevivência humana. • Oferecer estudos voltados para técnicas alternativas nos programas de desenvolvimento turístico do Estado proporcionados pela região serrana e litorânea e recursos naturais e culturais. 5
  • 55. • Tirar da informalidade pessoas que já atuam no setor de turismo; • Permitir uma visão mais ampla das oportunidades de desenvolvimento profissional no setor de turismo como dependentes exclusivas da própria capacidade profissional contemplando a perspectiva da formação de sujeitos pró-ativos e empreendedores.Módulo I – EmentárioCOMUNICAÇÃO EMPRESARIAL Texto e textualidade;Vocabulário técnico e emportuguês;Linguagem: seus níveis e funções; Produção textual: tipos de textos, estrutura ehabilidades;Leitura e interpretação de textos técnicos;Técnicas de elaboração de redaçãonormas e manuais; Linguagem seus níveis e funçõesNormas de etiquetas, e postura empúblico.INFORMÁTICA APLICADA Técnicas de utilização de meios informatizados;Utilização deequipamentos eletrônicos;Internet;Produção de novos programas;Propagandas epublicidades;TURISMO, HOTELARIA E HOSPITALIDADE Técnicas de organização de roteiros eitinerários;Normas de ética nos negócios;Técnicas de comunicação e relações com opúbico;Técnicas e regras de manejo de mapas e manuais.Leitura e interpretação depesquisa, sondagens e indicadores sócio-econômicos;Estudo de casos de desenvolvimentodo turismo;Tipologia e classificação de meios de hospedagem;Caracterização sócio-econômica e cultural do cliente;Critérios de escolha e uso de materiais;Normas, simbologiase convenções técnicas; O sentido espacial e visual;HISTÓRIA, MANIFESTAÇÕES POPULARES E MUSEOLOGIA História da arte e dosmuseus,Folclore - sua história e manifestações;Manifestações artísticas;Tipos decultura;Estilos de arte e arquitetura dos museusINGLÊS INSTRUMENTAL Estruturas de conversação;Vocabulário técnico específico daárea; Utilização das estruturas gramaticais da Língua Inglesa;Leitura e produção de textosespecíficos da área;Compreensão e interpretação de textos específicos.GEOGRAFIA TURÍSTICA, CARTOGRAFIA E MEIO AMBIENTE O turismo e a organizaçãodo espaço do Estado e do Município;Caracterização sócia/ econômica e cultural do clienteem potencial;Técnicas de aplicação de leitura e interpretação de pesquisas, sondagens eindicadores sócio-econômicos;Meio ambiente e desenvolvimento sustentável;Normas éticasnas relações com clientes, participantes, públicos em geral e meio ambiente;Técnicas deorganização de roteiros e itinerários;Tipologia de classificação de unidades de preservaçãoambiental;A cartografia como instrumento de pesquisa e meio de comunicação. Sistemas deinteração geográfica;Diferenças entre GIS e cartografia digital; aquisição de dados,digitalização de dados;Principais recursos no GIS. Aplicação de GIS em planejamentourbano e regional;EMPREENDEDORISMO, MERCADO E MARKETING Teoria Geral de Administração;Baseslegais para implantação de uma empresa;Projeto de empreendimento;Gerenciamento donegocio;Conceito de produtividade, competitividade e sobrevivência;Empreendedor emercado.Conceitos e princípios de marketing para empresa turística;Técnicas de marketing evendas para pacotes turísticos;Técnicas de comunicação e relações com o públicoempresarial turístico;Pesquisa de demandas turísticas para o estado;Princípios básicos dacomunicação: jornalismo, publicidade e relações públicas;Normas éticas na relação comclientes e público em geral.LEGISLAÇÃO TURISTICA/ÉTICA E CIDADANIA Interpretação e aplicação da legislaçãoespecífica;Princípios básicos da legislação comercial;Interpretação e aplicação do Código deDefesa do Consumidor;Aplicação de normas e procedimentos legais;Conceitos devalores;Julgamento dos valores dos valores morais;Desenvolvimento histórico do conceito de 5
  • 56. ética;A ética como expressão filosófica subjetiva do ser humano;Ética profissional;Ética eexercício profissional.ATIVIIDADES PRÁTICAS E VISITAS TÉCNICAS SUPERVISIONADAS I Técnicas e regrasde manejo de mapas e manuais;Visitas técnicas em diferentes espaços rurais eurbanos;Atividades relacionadas ao turismo, como é o caso do comércio e de outrosserviços;Atividades ligadas ao recreio e lazer, bem como a conservação de tradiçõesculturais e ambientais;Através da criação de novos postos de emprego, induzindo odesenvolvimento de outras atividades e valorizando recursos locais;Desenvolvimento depesquisas e projetos realizados pelos alunos para a valorização do turismo urbano e rural doestado.Caracterização sócio-econômica e cultural do cliente;Criação e elaboração de artigocientifico para futura publicaçãoPRÁTICA DE VIAGENS I Mercado domestico e nacionalRecepção ao turista; Procedimentosna realização de passeios e visitas;Organização de roteiros e itinerários;Técnicas e regras demanejo de mapas e manuais;Visitas técnicas em diferentes espaços rurais eurbanos;Desenvolvimento de pesquisas e projetos realizados pelos alunos para avalorização do turismo urbano e rural do estado.Caracterização sócio-econômica e culturaldo cliente;As modalidades de transportes e sua importância no sistema turístico;Atividadesligadas ao recreio e lazer, bem como a conservação de tradições culturais e ambientais;Módulo I I– EmentárioGATRONOMIA LOCAL, REGIONAL E MANIPULAÇÃO DE ALIMENTOS E BEBIDAS Regrase procedimento de controle sanitário, engenharia de cardápio, atendimento eencaminhamento;Técnicas de suprimentos, compras, armazenamento econservação;Normas de atendimento e encaminhamento de emergência;Técnicas deambientação e decoração;Critérios de escolha e uso de materiais;O sentido espacial evisual;Uma mostra gastronômicaTÉCNICAS DE TRANSPORTE E GUIAMENTO TURISTICO/PRIMEIROS SOCORROSTurismo: conceitos, tipos e importância sócio-econômica;Recepção ao turista; Procedimentosna realização de passeios e visitas;Organização de roteiros e itinerários;O guia nunca devedeixar de levar a maleta de primeiros socorros;Todo remédio deve ser oferecido pelaagência;Todos os acidentes ocorridos durante uma viagem devem ser relatados para aagência;Transmitir ao aluno informação que possibilitem aprofundar os conhecimentos emrelação à atividade turística através do enfoque no deslocamento; organizado ou particular;Objetivando o desenvolvimento de uma visão crítica e construtiva a respeito da influência dosmeios de transporte sobre a atividade;As modalidades de transportes e sua importância nosistema turístico;Mercado domestico e internacional;Legislação para o setor de transporte;Tecnologia daInformação aplicada ao transporte turístico;Tendências dos transportes turísticos no Brasil.PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL E RELAÇÕES INTERPESSOAIS A relação pessoalcomo expressão filosófica subjetiva do ser humano;.Psicologia Social(Comunicação);Conceitos básicos da Psicologia (Personalidade, Percepção, Motivação eLiderança);Psicologia Organizacional: Escola de Relações Humanas;Testes PsicológicosESPANHOL INSTRUMENTAL Técnicas de tradução;Vocabulário técnico específico da áreade turismo;Estruturas de conversão;Leitura e produção de textos específicos daárea;Interpretação de textos específicos.EVENTOS, RECREAÇÃO E LAZER TURÍSTICO - Técnicas de comunicação e relações como público;Técnicas de motivação e relações humanas no trabalho;Critérios para a escolha dolocal e data para a realização do evento;Técnicas de organização e realização de programase atividades complementares de lazer;Conceitos de Lazer e recreação aplicados ao turismo; 5
  • 57. Atividades para diferentes grupos como: crianças, adolescentes, adultos, melhor idade,pessoas com deficiências especiais;Espaços e equipamentos para o desenvolvimento dasatividades;Técnicas de recreação e lazer, com planejamento das atividades,desenvolvimento dos programas, condução do grupo.ORGANIZAÇÃO DE ROTEIROS TURÍSTICOS Importância da história da arte para oturismo;Função sócio-cultural do museu;História aplicada ao turismo: formação dos povos,ciclos econômicos, fatos relevantes da história das regiões, origem dos municípios;Patrimônio artístico: bens locais e preservação;Realizar visitas técnicas a locaishistóricos;Desenvolver projetos de conservação dos bens históricos;GESTÃO FINANCEIRA E CUSTOS Proporções, Introdução;Cálculos diversos;Uso demateriais didáticos.ATIVIDADES PRÁTICAS E VISITAS TÉCNICAS SUPERVISIONADAS II – Técnicas eregras de manejo de mapas e manuais;Visitas técnicas em diferentes espaços rurais eurbanos;Atividades relacionadas ao turismo, como é o caso do comércio e de outrosserviços;Atividades ligadas ao recreio e lazer, bem como a conservação de tradiçõesculturais e ambientais;Através da criação de novos postos de emprego, induzindo odesenvolvimento de outras atividades e valorizando recursos locais;Desenvolvimento depesquisas e projetos realizados pelos alunos para a valorização do turismo urbano e rural doestado.Caracterização sócio-econômica e cultural do cliente;Criação e elaboração de artigocientifico para futura publicação;PRÁTICA DE VIAGENS II Recepção ao turista; Procedimentos na realização de passeios evisitas;Organização de roteiros e itinerários;Técnicas e regras de manejo de mapas emanuais;Visitas técnicas em diferentes espaços rurais e urbanos;Atividades ligadas aorecreio e lazer, bem como a conservação de tradições culturais eambientais;Desenvolvimento de pesquisas e projetos realizados pelos alunos para avalorização do turismo urbano e rural do estado.Caracterização sócio-econômica e culturaldo cliente;As modalidades de transportes e sua importância no sistema turístico; Mercadodomestico e internacional; CURSO TÉCNICO EM LAZERO Curso Técnico em Lazer tem como objetivos: • Oferecer condições para que o aluno desenvolva as competências profissionais gerais requeridas pelo respectivo Eixo Hospitalidade e Lazer e o curso Técnico em Lazer, bem como dar o suporte necessário nos mais variados segmentos e setores, colaborando para o desenvolvimento social, respeitando, preservando e valorizando as características culturais, históricas e ambientais locais e regionais. • Dar condições para que desenvolva trabalho nas ocupações correspondentes em hotéis de diferentes tipos e outros meios de hospedagem (hotéis urbanos, de lazer hotéis-fazenda, pousadas, spas, resorts, colônias de férias), clubes, navios, acampamentos, parques urbanos e de reserva natural, espaços comunitários, espaços culturais e de atividades físico-desportivas, instituições públicas e privadas de educação, de abrigo, de ressocialização, de tratamento de saúde, etc. • Desenvolver um conhecimento das múltiplas oportunidades de lazer e entretenimento relacionadas ao lazer. 5
  • 58. • Promover uma habilitação profissional, de maneira teórica e prática, visando estimular o desenvolvimento intelectual do aluno, de maneira que, ao completar o curso, possa ser imediatamente introduzido mercado de trabalho.Módulo I – EmentárioRELAÇÕES INTERPESSOAIS Relações interpessoais. Segurança pessoal, Pilares da AutoEstima. Autonomia psicosocial. Dinâmica da Família;Imagem corporal. Subjetividade eRealidade;Qualidade de Vida no Trabalho; Posturas Pessoais Dificultadoras das RelaçõesInterpessoais;Comunicação Interpessoal; Inteligência Emocional.ÉTICA, MEIO AMBIENTE LAZER E CIDADANIA Conceitos de valores;Julgamento dosvalores dos valores morais;Desenvolvimento histórico do conceito de ética;A ética comoexpressão filosófica subjetiva do ser humano;Ética profissional;Ética e exercícioprofissional.Meio ambiente e desenvolvimento sustentável;Normas éticas nas relações comclientes, participantes, públicos em geral e meio ambiente;Técnicas de organização deroteiros e itinerários;Tipologia de classificação de unidades de preservação ambientalINFORMÁTICA APLICADA Técnicas de utilização de meios informatizados;Utilização deequipamentos eletrônicos;Internet;Produção de novos programas;Propagandas epublicidades;INGLÊS Estruturas de conversação;Vocabulário técnico específico da área; Utilização dasestruturas gramaticais da Língua Inglesa;Leitura e produção de textos específicos daárea;Compreensão e interpretação de textos específicos.LEGISLAÇÃO E POLITICAS CULTURAIS Interpretação e aplicação da legislaçãoespecífica;Conceitos de valores;Julgamento dos valores morais;Folclore - sua história e manifestações;Manifestações artísticas;Tipos de cultura;Módulo I I– EmentárioEDUCAÇÃO AMBIENTAL O turismo e a organização do espaço do Estado e doMunicípio;Meio ambiente e desenvolvimento sustentável;Normas éticas nas relações comclientes, participantes, públicos em geral e meio ambiente;Técnicas de organização deroteiros e itineraries no meio ambiente;Tipologia de classificação de unidades depreservação ambiental;Principais recursos no GIS. Aplicação de GIS em planejamentourbano e regional;MANIFESTAÇÕES CULTURAIS E FOLCLÓRICAS História da arte e dos Folclore - suahistória e manifestações;Manifestações artísticas;Tipos de cultura;Estilos de arte earquiteturaESPORTES INDIVIDUAIS E COLETIVOS Recepção ao turista; Procedimentos na realizaçãode atividades fisicas;Organização de grupos;Transmitir ao aluno informação que possibilitem aprofundar os conhecimentos em relação àatividade turística através de atividades esportivas e recreativas;EMPREENDEDORISMO Teoria Geral de Administração;Bases legais para implantação deuma empresa;Projeto de empreendimento;Gerenciamento do negocio;Conceito deprodutividade, competitividade e sobrevivência;Empreendedor e mercado.Interpretação eaplicação da legislação específica;Princípios básicos da legislação comercial;Interpretação eaplicação do Código de Defesa do Consumidor;Aplicação de normas e procedimentosEDUCAÇÃO AMBIENTAL do Município;Meio ambiente e desenvolvimentosustentável;Normas éticas nas relações com clientes, participantes, públicos em geral e meioambiente;Técnicas de organização de roteiros e itineraries no meio ambiente;Tipologia declassificação de unidades de preservação ambiental;Principais recursos no GIS. Aplicaçãode GIS em planejamento urbano e regional;TÉCNICAS DE ANIMAÇÃO SOCIOCULTURAIS Conhecimentos profundos de técnicas de 5
  • 59. animação; Apreciar e valorizar a diversidade natural e sócio-cultural;Conhecimentosprofundos sobre a comunidade/grupo no qual atua; Conhecimentos fundamentais deexpressão corporal, dramatic, musical e plastic;Conhecimentos fundamentais de recreaçãoturística e equipamentos de lazer e recreação;Conhecimentos fundamentais sobreintervenção social;Conhecimentos fundamentias de artes e atvidades recreativas e políticassociais; Saberes-fazer sociais e relacionais; Trabalhar em equipas multidisciplinares;Adaptar-se às diferenças individuais, situacionais e socioculturais e a ambientes diversos;Comunicar-se de forma clara, ´precisa, persuasiva e assertiva; Estabecer relaçõesinterpessoais;Demonstrar autonomia e criatividade na resolução das situações; Motivar evalorizar os clientes/utilizadores;SOCIOLOGIA DO LAZER Conceitos de valores; Julgamento dos valores dos valoresmorais;Desenvolvimento histórico do conceito de sociologia;Ter ciênia e consciência, aobrigatoriedade do domínio científico, a visão da globalidade humana; nova ordemmundial;Globalização dos mercados e do desenvolvimento social: os incluídos e osexcluídos; Transnacionalização da economia e do poder politico Conhecimento do valor. Fatoobrigação moral Consciência moral rumo a consciência cósmicaDINÂMICAS GRUPAIS O conceito de grupo e equipe Características do funcionamento dosgrupos/equipes O conceito de dinâmica de grupoEstudo de processos grupais: comunicação, liderança, negociação e conflito, criatividade e arelação de tais fenômenos com a gestão escolar;Estudos de caso e exercícios deintervenção.ORGANIZAÇÃO E ELABORAÇÃO DE PROJETOS PARA EVENTOS DEENTRETENIMENTO Técnicas de comunicação e relações com o público;Técnicas demotivação e relações humanas no trabalho;Critérios para a escolha do local e data para arealização do evento;Técnicas de organização e realização de programas e atividadescomplementares de lazer;Conceitos de Lazer e recreação aplicados ao turismo;Atividadespara diferentes grupos como: crianças, adolescentes, adultos, melhor idade, pessoas comdeficiências especiais;Espaços e equipamentos para o desenvolvimento dasatividades;Técnicas de recreação e lazer, com planejamento das atividades,desenvolvimento dos programas, condução do grupo. PRIMEIROS SOCORROS Organização de grupos;A utilização de maleta de primeirossocorros;A montagem de uma maleta de primeiros socorros;Todo remédio deve ser oferecidopela empresa turística;RECREAÇÃO/BRINQUEDOS E BRINCADEIRAS O papel do brincar na atual culturaPráticas pedagógicas facilitadoras;Construção de jogos;O jogo e a cultura;O jogo e a cultura:jogos tradicionais infantis, de jovens, adulto e melhor idade;O jogo e a construção derepresentação:Jogos motores;A brincadeira e a prática pedagógica;O brinquedo comosuporte do pensamento;O brinquedo como mediador da criança, dos jovens, adultos emelhor idade com o sistema de relações interpessoais;O jogar e o brincar como estratégiasde intervenção numa sociedade;Introdução ao estudo dos Jogos, Brincadeiras e Recreaçãorelacionadas à primeira e segunda infância da criança. Planejamento e aplicação prática deprogramas de atividades lúdicas direcionadas para Creches, Centros Infantis, Colônias deFérias, Acampamentos e Movimentos Ecológicos dirigidos à infância;A teoria dos jogos, adimensão lúdica;A reflexão, a discussão e a fundamentação das concepções sobre o jogo, obrinquedo e a brincadeira no contexto ludico do lazer e recreação;A história do brincar, dobrinquedo e do jogo A ludicidade nos diferentes tipos de ambientes Brinquedotecas/ espaçosrecreativos, esportivos, ludopedagógicos: Conceito, histórico e características.Objetivos etipos Dinâmica e funcionamento O brinquedista/ o dinamizador do ambiente;Brinquedos ebrincadeiras, a criação e confecção de brinquedos, arquivo de jogos, brinquedos ebrincadeiras. 5
  • 60. Módulo I II– EmentárioMARKETING Conceitos e princípios de marketing para empresas e produtosturísticos;Técnicas de marketing e vendas para pacotes turísticos;Técnicas de comunicaçãoe relações com o público empresarial turístico;Pesquisa de demandas turísticas para oestado;Princípios básicos da comunicação: jornalismo, publicidade e relações públicasNormas éticas na relação com clientes e público em geral.LINGUAGENS ARTÍSTICAS Exame do debate teórico sobre o conceito de cultura e osmúltiplos níveis;Retomar a complexidade do universo conceitual e as diferentes metodologiaspropostas nos últimos anos por historiadores e antropólogos.Cultura artistica e Civilização ecultura material, histórica e emocional;Estudo das formas de vida material e sua articulaçãocom as modalidades de expressão cultural Artefatos do cotidiano, decodificando-os comochaves privilegiadas para a análise do imaginário cultural de uma época, a partir dos quais oestudioso pode apreender a pluralidade das visões de mundo presentes nas formaçõessociais;Expressão cultural, as relações da arte com a sociedade, a cultura, a educação e ossistemas de saúde como processos complementares e cada vez mais interligados;A arte epolíticas do sensível.ADMINISTRAÇÃO DE EVENTOS DE ENTRETENIMENTO Critérios para a escolha do locale data para a realização do evento recreativo;Técnicas de organização e realização deprogramas e atividades complementares de lazer;Atividades para diferentes grupos como:crianças, adolescentes, adultos, melhor idade, pessoas com deficiências especiais;Espaçose equipamentos para o desenvolvimento das atividades;Técnicas de recreação e lazer, complanejamento das atividades, desenvolvimento dos programas, condução do grupo.SEGURANÇA DO TRABALHO APLICADA NAS ATIVIDADES DE ENTRETENIMENTO Aprevenção de acidentes no trabalho;Riscos ambientais e profissionais;Higiene do trabalho;Acidentes característicos;Segurançado trabalho: proteção contra incêndio, explosões, choques elétricos, sinalização desegurança, equipamentos de proteção coletiva e individual;Higiene do trabalho: agentesfísicos, químicos e biológico;Legislação brasileira, fiscalização, participação do trabalhadorno controle de riscos.Projeto em situação real;Acidentes característicos. CURSO TÉCNICO EM REDESO curso técnico na área de redes de computadores tem como objetivo, formar o profissionalcom uma visão crítica que lhe permita participar ativamente das mudanças da realidadenacional vigente, proporcionando ao educando as condições que o capacite a reconhecernovos equipamentos destinados ao processamento de informação e transmissão de dados,imagem e voz.De forma geral, o Curso Técnico em Redes de Computadores tem por objetivo a formaçãode profissionais capacitados a realizar atividades de concepção, especificação, implantação,testes, avaliação, gerência, segurança, suporte e manutenção de redes de comunicaçãointegradas de dados, voz e vídeo, podendo exercer essas atividades em redes metálicas,redes ópticas, redes sem fio, redes locais e redes WAN.A formação tecnológica proposta no modelo curricular também deve propiciar ao alunocondições de: assimilar, integrar e produzir conhecimentos científicos e tecnológicos na áreaespecífica de sua formação; analisar criticamente a dinâmica da sociedade brasileira e asdiferentes formas de participação do cidadão-técnico nesse contexto; e desenvolver ascapacidades necessárias ao desempenho das atividades profissionais. 6
  • 61. Também são objetivos específicos do curso habilitar os profissionais para as seguintesações: Empreender negócios na área de redes de comunicação de dados; Integrar equipes de planejamento de redes de voz, dados e vídeo, participando da elaboração de projetos de infra-estrutura física de redes com suporte à transmissão de tráfego multimídia, aplicando corretamente as normas de projetos de redes; Especificar e configurar dispositivos ativos, servidores, estações e periféricos a serem usados em redes; Coordenar e/ou participar da equipe de gerenciamento pró-ativo de redes elaborando relatórios que identifiquem a sua atual situação; Gerenciar orçamentos para fins de aquisição, implantação e manutenção dos componentes de redes; Propor e participar de estudos de atualização em tecnologias emergentes na área de redes posicionando-se em relação às necessidades de expansão; Coordenar e participar de equipes de suporte aos usuários de redes; Traçar diretrizes de segurança da rede objetivando a proteção de seus usuários, equipamentos e serviços; Atuar em processos de administração de servidores de redes; Realizar testes em redes visando identificar problemas e soluções nos processos implementados.Módulo I – EmentárioTEORIA DE SISTEMAS OPERACIONAIS Sistemas operacionais; Algoritmos e funções dossistemas operacionaisAPLICATIVOS DE COMPUTADORES Editor de texto; Planilha de calculo; Gerador deApresentaçãoARQUITETURA DE COMPUTADORES Configuração básica de hardware e softwareLÓGICA DE PROGRAMAÇÃO Desenvolver estruturas lógicas de programação;Elaborartrabalhos escritos com o uso da metodologia científica;Utilizar as técnicas de apresentação de trabalhos em público.INGLÊS Software de tradução de texto e internet.CABEAMENTO ESTRUTURADO Uso de ferramentas para fazer cabos estruturados pararedes de computadores.Módulo I I– EmentárioPROJETO DE REDE Uso de processador de textos e brawsesEMPREENDEDORISMO I- Gerador de apresentação, Processadores de texto, Planilhaseletrônicas, Internet. 6
  • 62. SISTEMAS OPERACIONAIS DE REDE-60 Utilizar o computador como ferramentaFUNDAMENTOS DE REDES Administração de dispositivos de redes; Performance deredes; Comunicação de dados; Sistemas Operacionais para redes.EQUIPAMENTO E ARQUITETURA DE REDE Repetidores, hubs, switches, interfaces WANLINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO PARA INTERNET I Linguagem de programaçãoestruturada; Orientação a objeto.Módulo I II– EmentárioPROJETO DE REDE II Executar rotina para identificar o arquitetura da rede decomputadores.ÉTICA - Julgamento dos valores morais.Desenvolvimento histórico do conceito de éticaAÉtica como Expressão filosófica subjetiva do ser humano e a Ética Judiciária.Conceito devalores.Ética profissional.Ética e exercício profissionalEMPREENDEDORISMO II Gerador de apresentação, Processadores de texto, Planilhaseletrônicas, Internet.PROTOCOLO DE COMUNICAÇÃO Todos protocolos de redes de computadoresINSTALAÇÃO DE REDES Executar as rotinas necessárias para instalação lógica das redesno sistema operacionais Linux e Windows.Módulo IV– EmentárioSERVIÇOS DE REDES PARA INTERNET Serviços de Redes: DNS (Bind), Web (Apache),E-mail (Postfix), AntiSPAM, POP3, IMAP, Proxy (Squid), Banco de Dados(MySQL+PHPMyadmin), Tomcat, Compartilhamento (SambaSEGURANÇA E ADMINISTRAÇÃO DE REDE Administração de dispositivos de redes;Performance de redes; Comunicação de dados; Sistemas Operacionais para redes.ANÁLISE E PROJETO DE SISTEMAS PARA INTERNET Banco de dados para Internet;Web sites dinâmicos; Aplicações avançadas paraInternet; Performance de web sites.LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO PARA INTERNET II Web sites dinâmicos; Aplicaçõesavançadas para Internet;PROJETO DE REDE III- Executar rotina para identificar o arquitetura da rede decomputadores. CURSO TÉCNICO EM INTERNET O curso técnico na área de informática tem como objetivo, formar profissional com uma visão crítica que lhe permita participar ativamente das mudanças da realidade nacional vigente, proporcionando ao educando as condições que o capacite a desenvolver e alterar programas computacionais voltados para internet, operar e manter redes locais de computadores, manipular sistemas de computação gráfica e Internet, manipular sistemas em multimídia.Módulo I – EmentárioSISTEMAS OPERACIONAIS Sistemas operacionais; Algoritmos e funções dos sistemasoperacionais.APLICATIVOS COMPUTACIONAIS Editor de texto; Planilha de calculo; Gerador deApresentação. 6
  • 63. PROCESSAMENTO DE DADOS Configuração básica de hardware e software.FUNDAMENTOS DE PROGRAMAÇÃO Redação Técnica; Técnicas de Comunicação.INGLÊS INSTRUMENTAL Software de tradução de texto e internet.PORTUGUÊS INSTRUMENTAL Comunicação empresarial e níveis de linguagem.Comunicação escrita nas organizações. Comunicação oral nas organizações. Comunicaçãonão-verbal nas organizaçõesMódulo I I– EmentárioREDES DE COMPUTADORES E CONECTIVIDADE Administração de dispositivos deredes; Performance de redes; Comunicação de dados; Sistemas Operacionais pararedes.ADMINISTRAÇÃO E SEGURANÇA DE REDES Administração de dispositivos de redes;Performance de redes; Comunicação de dados; Sistemas Operacionais para redes.INSTALAÇÃO DE COMPUTADORES Configuração de hardware; Sistemas de numeração;Processadores; Redes locais; Sistemas operacionaisSISTEMAS DE BANCO DE DADOS Banco de dados de quarta geração; Sistemascomerciais.NEGÓCIOS ELETRÔNICOS Redação técnica, técnica de comunicação, técnicas deinformação e novas tecnologias da informação.Conhecer as normas que regem a vida emsociedade.Analisar os aspectos da Moral Ética.Conhecer a natureza humana, o significadodos problemas sociais, inserindo-os no contexto da atividade profissional.Reconhecer aimportância da legislação que regulamenta a profissão, bom como o Código da Ética querege a profissão de Técnico em secretariado, avaliando seu conteúdo e aplicação nodesempenho da função.ETICA Perspectiva histórica do estudo em ética Empresarial. Atuação ética profissional. Éticanas relações com pessoas, Ética e responsabilidade social nos negócios, Ética na atividadeeconômica, Ética empresarial em uma economia globalizada.Módulo I II– EmentárioLÓGICA DE PROGRAMAÇÃO Linguagem de programação estruturada; Orientação a objeto.PROGRAMAÇÃO WEB- Banco de dados para Internet; Web sites dinâmicos; Aplicaçõesavançadas para Internet; Performance de web sites.REDE WAN/LAN E INTERCONECTIVIDADE/INTERNET Projetos de rede; Topologia derede; Equipamentos de rede; Estratégias de segurança de redes; Redes Wan; Redes Lan eInternet.PROJETO E ANALISE DE SISTEMAS WEB- Criação de web sites; Gerenciamento de websites.PROJETO DE PROGRAMAÇÃO WEB Novos negócios para Internet; Gestão administrativaEMPREENDEDORISMO Gerador de apresentação, Processadores de texto, Planilhaseletrônicas, Internet.Módulo IV– EmentárioAPLICATIVOS MULTIMÍDIA Novas tecnologias no desenvolvimento de web sites; Integraçãode multimídia e web sites.COMPUTAÇÃO GRÁFICA Ferramentas de multimídia; Computação gráfica.CONSTRUÇÃO DE SITES Linguagem de programação e desenvolvimento Web.PROJETO MULTIMÍDIA Computação Gráfica; Sistemas gráficos; Geometria computacional;Modelos e aplicações de cores; Modelagem em 3D; Software de tratamento deimagemSoftware de Editoração eletrônica; Multimídia; Internet / Intranet.PROJETO HIPERMÍDIA Novos negócios para Internet; Gestão administrativa 6
  • 64. CURSO TÉCNICO EM EVENTOSO Curso Técnico em Eventos no Eixo Tecnológico Hospitalidade e Lazer têm como objetivos: • Formar profissionais com iniciativas que lhe permita orientar, assistir,conduzir, executar pessoas ou grupos durante eventos turísticos e sócio-culturais, diagnosticando o uso quando necessário de traslados, passeios, visitas, viagens, meio de hospedagem, gastronomia, alimentos e bebidas e outros equipamentos turísticos com ética profissional e respeito ao ambiente, à cultura e à legislação. • Ter condições de informar sobre aspectos socioculturais, históricos, ambientais, geográficos e outros de interesse do turista. • Apresentar ao visitante, turista ou clientes opção de organização, planejamento e execução de eventos disponíveis e quando for o caso os conceber considerando as expectativas e ou necessidades. • Utilizar instrumentos de comunicação, de interpretação ambiental e cultural.Também são objetivos específicos do curso habilitar os profissionais para as seguintesações: • Formar profissionais para atuar na área de turismo em atendimento as demandas das empresas e da sociedade, capazes de atuar positivamente no mercado de trabalho • Propiciar aos participantes condições para o desenvolvimento de competências pessoais e profissionais, de modo a ampliar suas possibilidades de inserção no mercado de trabalho e/ou sua esfera de atuação; • Preparar profissionais competitivos para enfrentar a nova modalidade econômica que ora se abre no mercado de trabalho brasileiro. • Tornar os alunos capazes de agir por conta própria abrindo-lhes fronteiras de mercado formal. • Possibilitar aos educandos um desenvolvimento pessoal, grupal e comunitário. • Promover a educação ambiental valorizando recursos que hoje são cada vez mais importantes para a sobrevivência humana. • Oferecer estudos voltados para técnicas alternativas nos programas de desenvolvimento turístico do Estado proporcionados pela região serrana e litorânea e recursos naturais e culturais. • Tirar da informalidade pessoas que já atuam no setor de turismo; • Permitir uma visão mais ampla das oportunidades de desenvolvimento profissional no setor de turismo como dependentes exclusivas da própria capacidade profissional contemplando a perspectiva da formação de sujeitos pró-ativos e empreendedoresMódulo I – EmentárioFUNDAMENTOS DO TURISMO DE EVENTOS, LAZER E HOSPITALIDADE Técnicas deorganização de roteiros e itinerários;Normas de ética nos negócios; Técnicas decomunicação e relações com o púbico;Técnicas e regras de manejo de mapas emanuais.Leitura e interpretação de pesquisa, sondagens e indicadores sócio- 6
  • 65. econômicos;Estudo de casos de desenvolvimento do turismo;Tipologia e classificação demeios de hospedagem;Caracterização sócio-econômica e cultural do cliente;Critérios deescolha e uso de materiais;Normas, simbologias e convenções técnicas; O sentido espaciale visual;TURISMO HISTÓRICO E CULTURA REGIONAL- História da arte e dos museus,Folclore –sua história e manifestações;Manifestações artísticas;Tipos de cultura;Estilos de arte earquitetura dos museusESPAÇO TURÍSTICO E GEOGRÁFICO APLICADOS EM EVENTOSO turismo e aorganização do espaço do Estado e do Município;Caracterização sócia/ econômica e culturaldo cliente em potencial;Técnicas de aplicação de leitura e interpretação de pesquisas,sondagens e indicadores sócio-econômicos;Meio ambiente e desenvolvimentosustentável;Normas éticas nas relações com clientes, participantes, públicos em geral emeio ambiente;Técnicas de organização de roteiros e itinerários;Tipologia de classificaçãode unidades de preservação ambiental;A cartografia como instrumento de pesquisa e meiode comunicação. Sistemas de interação geográfica; Diferenças entre GIS e cartografiadigital; aquisição de dados, digitalização de dados Principais recursos no GIS. Aplicação deGIS em planejamento urbano e regionalTECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO EM EVENTOS- Técnicas de utilização de meiosinformatizados;Utilização de equipamentos eletrônicos;Internet;Produção de novosprogramas; Propagandas e publicidades;COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL APLICADAS EM EVENTOS Texto etextualidade;Vocabulário técnico e em português;Linguagem: seus níveis e funções;Produção textual: tipos de textos, estrutura e habilidades;Leitura e interpretação de textostécnicos;Técnicas de elaboração de redação normas e manuais; Linguagem seus níveis efunções.Normas de etiquetas, e postura em público.Interpretação e aplicação da legislaçãoespecífica;Princípios básicos da legislação comercial;Interpretação e aplicação do Código deDefesa do Consumidor;Aplicação de normas e procedimentos legais;PORTUGUÊS INSTRUMENTAL Tipos de texto Editores de texto e de apresentaçãoTécnicas de comunicação escrita e verbal em Língua Portuguesa Conceitos, princípios eelementos de redação Gramática, estética e linguagem comercial Tipos de discursos,formas de desenvolvimento do parágrafo, figuras de retórica e formuláriosÉTICA Julgamento dos valores morais.Desenvolvimento histórico do conceito de ética AÉtica como Expressão filosófica subjetiva do ser humano e a Ética Judiciária.Conceito devalores.Ética profissional.Ética e exercício profissionalMódulo I I– EmentárioRECREAÇÃO E LAZER EM EVENTOS Técnicas de comunicação e relações com opúblico;Técnicas de motivação e relações humanas no trabalho;Critérios para a escolha dolocal e data para a realização do evento;Técnicas de organização e realização de programase atividades complementares de lazer;Conceitos de Lazer e recreação aplicados aoturismo;Atividades para diferentes grupos como: crianças, adolescentes, adultos, melhoridade, pessoas com deficiências especiais;Espaços e equipamentos para o desenvolvimentodas atividades Técnicas de recreação e lazer, com planejamento das atividades,desenvolvimento dos programas, condução do grupo.PLANEJAMENTO E ORGANIZAÇÃO TURÍSTICA PARA EVENTOS-/NORMAS EPOLÍTICAS PÚBLICAS PARA EVENTOS- Normas de ética nos negócios; Técnicas decomunicação e relações com o púbico;Técnicas e regras de manejo de mapas emanuais.Leitura e interpretação de pesquisa, sondagens e indicadores sócio-econômicos;Estudo de casos de desenvolvimento do turismo;Tipologia e classificação demeios de hospedagem;Caracterização sócio-econômica e cultural do cliente;Critérios de 6
  • 66. escolha e uso de materiais;Normas, simbologias e convenções técnicas; O sentido espacial e visual;MARKETING PESSOAL E ETIQUETA PROFISSIONAL Teoria Geral deAdministração;Bases legais para implantação de uma empresa;Projeto deempreendimento;Gerenciamento do negocio;Conceito de produtividade, competitividade esobrevivência;Empreendedor e mercado.Conceitos e princípios de marketing para empresaturística;Técnicas de marketing e vendas para pacotes turísticos;Técnicas de elaboração deredação normas e manuais; Linguagem seus níveis e funções.Normas de etiquetas, epostura em público.TÉCNICAS DE GUIAMENTO TURÍSTICO Turismo: conceitos, tipos e importância sócio-econômica;Recepção ao turista; Procedimentos na realização de passeios evisitas;Organização de roteiros e itinerários;O guia nunca deve deixar de levar a maleta deprimeiros socorros;Todo remédio deve ser oferecido pela agência;Todos os acidentesocorridos durante uma viagem devem ser relatados para a agência;Transmitir ao alunoinformação que possibilitem aprofundar os conhecimentos em relação à atividade turísticaatravés do enfoque no deslocamento; organizado ou particular; Objetivando odesenvolvimento de uma visão crítica e construtiva a respeito da influência dos meios detransporte sobre a atividade;As modalidades de transportes e sua importância no sistematurístico; Mercado domestico e internacional; Legislação para o setor de transporte;Tecnologia da Informação aplicada ao transporte turístico; Tendências dos transportesturísticos no Brasil.GESTÃO FINANCEIRA DE EVENTOS Proporções,Introdução;Cálculos diversos;Atividades;Uso de materiais didáticos. INGLÊS INSTRUMENTAL Estruturas de conversação;Vocabulário técnico específico daárea; Utilização das estruturas gramaticais da Língua Inglesa;Leitura e produção de textosespecíficos da área;Compreensão e interpretação de textos específicosMódulo I II– EmentárioTÉCNICAS DE HOTELARIA E MEIOS DE HOSPEDAGEM- Técnicas de organização deroteiros e itinerários;Normas de ética nos negócios; Técnicas de comunicação e relaçõescom o púbico;Técnicas e regras de manejo de mapas e manuais.Leitura e interpretação depesquisa, sondagens e indicadores sócio-econômicos;Estudo de casos de desenvolvimentodo turismo;Tipologia e classificação de meios de hospedagem;Caracterização sócio-econômica e cultural do cliente;Critérios de escolha e uso de materiais;Normas, simbologiase convenções técnicas; O sentido espacial e visual;GASTRONOMIA & ALIMENTOS E BEBIDAS Regras e procedimento de controle sanitário,engenharia de cardápio, atendimento e encaminhamento;Técnicas de suprimentos,compras, armazenamento e conservação;Normas de atendimento e encaminhamento deemergência;Técnicas de ambientação e decoração;Critérios de escolha e uso demateriais;O sentido espacial e visual;Uma mostra gastronômicaORGANIZAÇÃO DE EVENTOS Técnicas de comunicação e relações com opúblico;Técnicas de motivação e relações humanas no trabalho;Critérios para a escolha dolocal e data para a realização do evento;Técnicas de organização e realização de programase atividades complementares de lazer;Conceitos de eventos aplicados ao turismo;Atividadespara diferentes grupos como: crianças, adolescentes, adultos, melhor idade, pessoas comdeficiências especiais;Espaços e equipamentos para o desenvolvimento das atividades;EMPREENDEDORISMO, PROMOÇÃO E MARKETING DE EVENTOS Teoria Geral deAdministração;Bases legais para implantação de uma empresa;Projeto deempreendimento;Gerenciamento do negocio;Conceito de produtividade, competitividade esobrevivência;Empreendedor e mercado.Conceitos e princípios de marketing para empresa 6
  • 67. turística;Técnicas de marketing e vendas para pacotes turísticos;Técnicas de comunicação erelações com o público empresarial turístico;Pesquisa de demandas turísticas para oestado;Princípios básicos da comunicação: jornalismo, publicidade e relaçõespúblicas;Normas éticas na relação com clientes e público em geral.ESPANHOL INSTRUMENTAL Técnicas de tradução;Vocabulário técnico específico da áreade turismo;Estruturas de conversão;Leitura e produção de textos específicos daárea;Interpretação de textos específicos CURSO TÉCNICO EM AGENCIAMENTO DE VIAGENSO Curso Técnico em Agenciamento de Viagens tem como objetivos: • Formar profissionais para atuar na área de turismo em atendimento as demandas das empresas e da sociedade, capazes de atuar positivamente no mercado de trabalho. • Propiciar aos participantes condições para o desenvolvimento de competências pessoais e profissionais, de modo a ampliar suas possibilidades de inserção no mercado de trabalho e/ou sua esfera de atuação • Permitir uma visão mais ampla das oportunidades de desenvolvimento profissional no setor de turismo como dependentes exclusivas da própria capacidade profissional contemplando a perspectiva da formação de sujeitos pró-ativos e empreendedores. • Preparar profissionais competitivos para enfrentar a nova modalidade econômica que ora se abre no mercado de trabalho brasileiro. • Formar profissionais com iniciativas que lhe permita orientar, assistir, conduzir, operacionalizar e comercializar, rotas, atrativos e deslocamentos de pessoas ou grupos durante traslados, passeios, visitas, viagens, com ética profissional e respeito ao ambiente, à cultura e à legislação.Módulo I – EmentárioCOMUNICAÇÃO EMPRESARIAL/ ETIQUETA Texto e textualidade; Vocabulário técnico eem português; Linguagem: seus níveis e funções; Produção textual: tipos de textos,estrutura e habilidades; Leitura e interpretação de textos técnicos; Técnicas de elaboraçãode redação normas e manuais; Linguagem seus níveis e funções. Normas de etiquetas, epostura em públicoINFORMÁTICA APLICADA Técnicas de utilização de meios informatizados; Utilização deequipamentos eletrônicos; Internet; Produção de novos programas; Propagandas epublicidadesAGENCIAMENTO E TRANSPORTE Utilização de vídeos, software de gestão de Agência,reservas e emissões. Produção de formulários, textos, gráficos de importânciaTURISMO E HOSPITALIDADE Técnicas de organização de roteiros e itinerários; Normasde ética nos negócios; Técnicas de comunicação e relações com o púbico; Técnicas eregras de manejo de mapas e manuais. Leitura e interpretação de pesquisa, sondagens eindicadores sócio-econômicos; Estudo de casos de desenvolvimento do turismo; Tipologia eclassificação de meios de hospedagem; Caracterização sócio-econômica e cultural do 6
  • 68. cliente; Critérios de escolha e uso de materiais; Normas, simbologias e convençõestécnicas; O sentido espacial e visual;INGLÊS INSTRUMENTAL Estruturas de conversação; Vocabulário técnico específico daárea; Utilização das estruturas gramaticais da Língua Inglesa; Leitura e produção de textoespecíficos da área; Compreensão e interpretação de textos específicos.TURISMO GEOGRÁFICO O turismo e a organização do espaço Nacional e Internacional;Caracterização sócia/ econômica e cultural do cliente em potencial; Técnicas de aplicaçãode leitura e interpretação de pesquisas, sondagens e indicadores sócio-econômicos; Meioambiente e desenvolvimento sustentável; Normas éticas nas relações com clientes,participantes, públicos em geralMódulo I I– EmentárioESPANHOL INSTRUMENTAL Técnicas de tradução; Vocabulário técnico específico daárea de turismo; Estruturas de conversão; Leitura e produção de textos específicosda área; Interpretação de textos específicosOPERACIONALIZAÇÃO E LEGISLAÇÃO DE AGÊNCIAS E ORGANISMOS DE TURISMOInternet Recepção ao turista; Procedimentos na realização de passeios e visitas;Organização de roteiros e itinerários Organizar reuniões com fornecedores e organismoManejo de manuais específicos de viagem e de transportes. Interpretação e aplicação dalegislação específica; Princípios básicos da legislação comercial; Interpretação e aplicaçãodo Código de Defesa do Consumidor; Aplicação de normas e procedimentos legais;Conceitos de valoresQUALIDADE NO TRABALHO, ÉTICA E MEIO AMBIENTE Conceitos de valores;Julgamento dos valores dos valores morais; Desenvolvimento histórico do conceito de ética;A ética como expressão filosófica subjetiva do ser humano; Ética profissional; Ética eexercício profissional Pesquisas de comunicação e relações interpessoais no setor deQualidade e Meio Ambiente. Seleção de textos sobre os métodos eficientes comunicaçãocom o cliente: virtual, telefônico e pessoal. Apresentação de diretrizes de capacitação emtodos os setores de mercado. HISTÓRIA DA ARTE História da arte e dos museus, Folclore - sua história e manifestações; Manifestações artísticas; Tipos de cultura; Estilos de arte e arquitetura mundialPSICOLOGIA ORGANIZACIONAL E RELAÇÕES INTERPESSOAIS A relação pessoalcomo expressão filosófica subjetiva do ser humano; .Psicologia Social (Comunicação);Conceitos básicos da Psicologia (Personalidade, Percepção, Motivação e Liderança);Psicologia Organizacional: Escola de Relações Humanas; Testes PsicológicosMERCADO E MARKETING TURÍSTICO Conceitos e princípios de marketing para empresaturística; Técnicas de marketing e vendas para pacotes turísticos; Técnicas de comunicaçãoe relações com o público empresarial turístico; Pesquisa de demandas turísticas para oestado; Princípios básicos da comunicação: jornalismo, publicidade e relações públicas;Normas éticas na relação com clientes e público em geral. Desenvolvimento do mix domarketing na área de turismo: o conceito de produto ou serviço, estratégias de preço, canais 6
  • 69. de distribuição, estratégias de comunicação e de promoção.Módulo III– EmentárioDIVERSIDADE TURÍSTICO COMO MERCADO Aperfeiçoamento contínuo. Gerência deprocessos. Delegação Disseminação Educação sexual. Pessoas com característicassexuais, psicossexuais ou sociosexuais diferenciadas. Sexo, preconceito e estigma. Sexo edireitos humanos. Viagem de lazer e Turismo diante da homossexualidade. Turismo GLBT.Dinâmicas de atuação em grupo. Palestras, work shops e seminários sobre o assunto.Visitas á localidades com os perfis apresentados e estudadosORGANIZAÇÃO DE ROTEIROS E PRODUTOS TURÍSTICOS Importância da história daarte para o turismo; História aplicada ao turismo: formação dos povos, ciclos econômicos,fatos relevantes da história das regiões, origem dos municípios; Vídeos e filmes de caseslocais de sucesso. Patrimônio artístico: bens locais e preservação; Realizar visitas técnicas alocais históricos; Desenvolver projetos de conservação dos bens históricos;GESTÃO FINANCEIRA E CUSTOS Proporções, Introdução; Cálculos diversos;Atividades; Uso de materiais didáticosEMPREENDEDORISMO Teoria Geral de Administração; Bases legais para implantação deuma empresa; Projeto de empreendimento; Gerenciamento do negocio; Conceito deprodutividade, competitividade e sobrevivência; Empreendedor e mercadoATIVIDADES PRÁTICAS E VISITAS TÉCNICAS SUPERVISIONADAS Mercadodoméstico e nacional e Internacional Recepção ao turista/cliente na agência, operadora,cruzeiro, Cia aérea; Procedimentos na realização de passeios e visitas; Organização deroteiros e itinerários; Técnicas e regras de manejo de mapas e manuais; Visitas técnicas emdiferentes empresas Desenvolvimento de pesquisas e projetos para fomentação de produtoe elaboração de viagens. Caracterização sócio-econômica e cultural do cliente; Asmodalidades de transportes e sua importância no sistema turístico; Atividades ligadas aorecreio e lazer, bem como a conservação de tradições culturais e ambientais; CURSO TÉCNICO EM SERVIÇOS DE CONDOMÍNIOO Curso Técnico em Serviços de Condomínio tem como objetivos: • Preparar profissionais para desempenhar funções no segmento administrativo dos condomínios residenciais e comerciais de uma forma direta, como funcionário, ou de forma indireta, nas empresas administradoras, empregando técnicas adequadas de gestão em processos de planejamento, organização, controle e otimização dos recursos; • Atender o mundo administrativo das empresas que prestam serviços para condomínios. 6
  • 70. Módulo I – EmentárioLÍNGUA PORTUGUESA/REDAÇÃO TÉCNICA Meios, mensagensbarreiras.Comunicaçãoverbal e não verbal. A comunicação oral. Os componentes da comunicação (a voz, aaudição, locução e as palavras).Os maus hábitos no ouvir (ouvir x escutar).Modos e atitudesao telefone. Tipos de clientes e utilização de linguagens adequadas. A comunicação escrita:Síntese da linguagem oral como representativa da linguagem escrita (síntese do pensamentoe registro das idéias) Redação de textos internos e externos à organização (bilhete, circular,memorando, e-mails, Atas, ofícios e comunicados em geral)A comunicação como veículo namelhoria das relações interpessoais.DIREITO TRABALHISTA, TRIBUTÁRIO E PREVIDENCIÁRIO Contratos - Formação docontrato Direito Tributário :Código Tributário Nacional. Vigência, aplicação, integração einterpretação da legislação tributária. Obrigação tributária. Solidariedade, capacidade,domicílio e responsabilidade tributária. Tributação, informação econômico-fiscais. Finançaspúblicas. Os tributos. O sistema Tributário da Constituição. Os impostos federais. Osimpostos estaduais. Os impostos municipais. As normas gerais do Direito Tributário. Direitodo Trabalho: Princípios do direito do Trabalho Contrato de trabalho. Empregado.Empregador. Contrato de trabalho. Aviso Prévio. FGTS - Carteira de trabalho ePrevidência Social. Jornada de trabalho. Conflitos coletivos de trabalho. Negociação coletiva.Contrato coletivo de trabalho. Convenção e acordos coletivos de trabalho. Estabilidade.Indenização. Critérios de não-discriminação no trabalho. Trabalho da mulher. Trabalho dacriança e do adolescente. Segurança e medicina do trabalho. Direito Coletivo: relaçõescoletivas de trabalho Direito Previdenciário: Legislação previdenciária Regime geral –financiamento Benefícios do regime geral Acidente do trabalho Atos judiciais referentes àprevidência Regime próprio de previdência Previdência complementar: servidor público eprivadaINFORMÁTICA Noções de processamento de dados. Hardware e software. Aplicações da informática.Cuidados com o equipamento. Comandos iniciais .Conceitos, tipos e finalidades dos aplicativosOFFICCE .Navegação na Internet .Sistema operacional WINDOWSMATEMÁTICA FINANCEIRA Técnicas orçamentárias .Metodologia para elaboração deorçamentos financeiros, quantitativos e outros. Processos e fórmulas matemáticas paraestruturar cálculos orçamentários .Operações sobre mercadorias :Preços de custo e vendasLucros e prejuízos. Taxa de juros: Homogeneidade entre o tempo e taxa ; Juro exato e jurocomercial. Inflação; Capitalização simples: Juros simples; Montante simples; DescontoSimples. Capitalização composta: Juros compostos; Montante composto; Descontocomposto.ÉTICA E RELAÇÕES HUMANAS Missão, valores e crenças. Limites éticos e morais.A existência da ética, moral e cidadania . Análise e interpretação referentes aos problemaséticos. Princípios e regras que regem as relações humanas.Módulo I I– EmentárioADMINISTRAÇÃO DE CONDOMÍNIOS E MATERIAIS Exercício do Condomínio 7
  • 71. Convenção de condomínio quorum para aprovação alterações e casos especiaisinterpretação a convenção e a lei Utilização de bens condominiais, Punição a condôminos;Direitos e deveres de condôminos; O síndico Extinção do condomínioDIREITO CONDOMINIAL Constituição e administração do condomínio e sua disciplina noCódigo Civil- cap. VII- art.1331 a 1358.Lei nº4591 de 16/12/64Do Condomínio:Convenção, despesas e seguroDa Administração do condomínio assembleia geralDas incorporações:Patrimônio de afetaçãoObrigações e direitos do incorporador Construção de edificações em condomínios. Infrações.SEGURANÇA PATRIMONIAL Proteção perimetral Serviços de vigilância Organização dasegurança dentificação e controle interno Incêndio e emergências Proteção contra furtos eassaltos Iluminação e energia elétrica Planejamento da segurança patrimonial Administraçãoda segurança patrimonial Princípios básicos de segurança patrimonial.CONTABILIDADE GERAL Conceito e campo de aplicação Patrimônio Estatística patrimonialTeoria das contas Procedimentos contábeis básicos Balanço patrimonial simplificado.GESTÃO AMBIENTALA tomada de consciência do problema ambiental: As Conferências daOrganização das Nações Unidas - ONU. Meio ambiente e desenvolvimento: Modelos dedesenvolvimento econômico e suas implicações socioambientais. As múltiplas dimensões dodesenvolvimento sustentável, a institucionalização de um conceito e a construção deindicadores. Princípios da Ética e da Educação Ambiental: suporte para uma efetivatransformação socioambientalMódulo I II– EmentárioLEITURA E DESENHO DE PROJETOS PREDIAIS Fundamentos do Desenho TécnicoElementos de Desenho Arquitetônico Elementos do Desenho de Projetos de Urbanização ePaisagismo Instalações de Água Fria, Água Quente e Águas PluviaisÁguas Pluviais Instalações Elétricas e TelefônicasMANUTENÇÃO PREDIAL Visão geral de um edifício e edificação. Noções gerais defundações, estruturas, obras civis Acabamento, instalações e equipamentos de edifícios.Conceitos básicos de eletricidade, hidráulica. Sistemas elétricos e eletrônicos.Fornecimento de energia elétrica, cabina principal de entrada, caixa de distribuição geral,caixas secundarias, tubulações, Conduites, circuitos, chaves e interruptores, disjuntores,fusíveis, aterramento e para raio, iluminação predial. Telefonia, antenas e televisão/internet acabo. Sistemas hidráulicos e sanitários.Conservação e economia de energia elétrica, água e gásADMINISTRAÇÃO DE PESSOAL Os Paradigmas das Organizações modernas; Novasestratégias empresariais; Ética e responsabilidade social no trabalho; Técnicas deadministração de pessoal; Legislação trabalhista aplicada à gestão de Pessoal; Liderança enegociação no ambiente de trabalho; O fator humano na empresaO Impacto das Modernas Teorias Organizacionais na concepção e prática da Gestão dePessoas; Mercado de Trabalho; Recrutamento e Seleção; Capacitação e Desenvolvimentode Pessoas; Avaliação e Gerenciamento do Desempenho. Relações trabalhistasEMPREENDEDORISMO Conceituação e histórico Empreendedorismo e o Empreendedor:Conceitos e Definições A importância na definição de metas e objetivos: Como se constróimetas e objetivos de curto, médio e longo prazo. Ética no Empreendedorismo –Metas eObjetivos Conceito de Si. Auto avaliação e Feedback Marketing e Análise do MercadoConstrução da visão de negócio Construção de uma rede de relações (network Construção 7
  • 72. do Plano de Negócios Simplificado Negociação As forças mais importantes na criação de uma empresa Projetando a organização da empresa Características da empresa emergente Fatores de sucesso e fracasso INGLES Estruturas de conversação. Vocabulário técnico específico da área. Utilização das estruturas gramaticais da Língua Inglesa. Leitura e produção de textos específicos da área. Compreensão e interpretação de textos específicos.CURSO TÉCNICO EM TRANSAÇÕES IMOBILIÁRIASOVII-ESPAÇOS FÍSICOS E EQUIPAMENTOS DISPONÍVEIS O prédio escolar é próprio e foi construído em meados dos anos 1908 e de lá para cá passou por ampliações e reformas em sua estrutura..Foi construído em terreno acidentado e por esse motivo, em pequena parte da escola há algumas salas abaixo do nível do pavimento térreo. O tipo de construção é de alvenaria apresentando dois pavimentos e as salas são amplas, bem ventiladas e iluminadas, em condições favoráveis à aprendizagem, exceto nas salas da parte abaixo do nível do pavimento térreo. DESCRIÇÃO DO ESPAÇO FÍSICO Nº. Dependência/finalidade Metragem Equipamentos / mobiliários 01 Depósito I 7,51m² Situado ao final da escada que dá acesso a este pavimento.Apresenta piso de cimento e 02 lâmpadas fluorescentes.Este espaço está vazio. 02 Sala multiuso I 22,21m² Apresenta piso de cerâmica, 06 lâmpadas fluorescentes,02(dois) ventiladores de teto e uma pia de cozinha . Este espaço funciona como sala de Arte e brinquedoteca. 03 Varanda 18,64 Apresenta piso de cimento, os armários de m² aço contendo materiais didáticos, 02 lâmpadas fluorescentes e é toda fechada com grades. 04 Sala multiuso II 24,39m² Apresenta piso de cerâmica,08 lâmpadas fluorescentes,02 portas de madeira, e 01 ventilador de teto.Neste espaço também funciona a sala de Arte e brinquedoteca 05 Sala/vestiário 24,26m² Apresenta piso de madeira(taco) e 02 lâmpadas fluorescentes.Neste espaço funciona o vestiário dos funcionários . DESCRIÇÃO DO ESPAÇO FÍSICO – PAVIMENTO TÉRREO Há possibilidade de construção de rampas para acesso nesses espaços Nº. Dependência Metragem Equipamentos / mobiliários 7
  • 73. 01 Sala de aula 01 43,17m² Apresenta piso de cerâmica, paredes revestidas de azulejo com acabamento de granito até a altura de 1,26m, 08 lâmpadas fluorescentes, 02 ventiladores de teto, 01 quadro branco, 02 janelas grandes com tela e grade de ferro,01 estante e 01 armário de aço, 32 carteiras escolares ,01 mesa e 01 cadeira para professores ,01 lixeira plástica e 35 cadeiras escolares para alunos, 01 televisor 29 com suporte de ferro.02 Sala de aula 02 42,98m² Apresenta piso de cerâmica, paredes revestidas de azulejo com acabamento de granito até a altura de 1,26m, 08 lâmpadas fluorescentes, 02 ventiladores de teto, 01 quadro branco, 02 janelas grandes com tela e grade de ferro, 01 armário de aço, 33 carteiras escolares ,01 mesa e 01 cadeira para professores ,33 cadeiras escolares para alunos e 01 lixeira plástica.03 Sala de aula 03 42,85m² Apresenta piso de cerâmica, paredes revestidas de azulejo com acabamento de granito até a altura de 1,26m, 08 lâmpadas fluorescentes, 02 ventiladores de teto, 01 quadro branco, 02 janelas grandes com tela e grade de ferro, 01 armário de aço,01 estante de aço, 01 caixa de som, 31 carteiras escolares ,01 mesa e 01 cadeira para professores ,31 cadeiras escolares para alunos e 01 lixeira plástica.04 Sala de aula 04 43,33m² Apresenta piso de cerâmica, paredes revestidas de azulejo com acabamento de granito até a altura de 1,26m, 08 lâmpadas fluorescentes, 02 ventiladores de teto, 01 quadro branco, 02 janelas grandes com tela e grade de ferro, 01 estante de aço, 32 carteiras escolares ,01 mesa e 01 cadeira para professores ,32 cadeiras escolares para alunos e 01 lixeira plástica ,01 televisor 29 com suporte de ferro, microscópio ,lâminas para microscopia, esqueleto humano168cm e painéis de ciências.05 Banheiro feminino para alunas 19,26m² Apresenta piso de cerâmica, paredes revestidas de azulejo,04 lâmpadas fluorescentes,02 básculas com grade,06 boxes de granito, 05 vasos de louça,01 chuveiro plástico,01 lavatório de granito,02 cubas de louça,02 biombos de granito em frente a porta,01 espalho grande, lixeiras 7
  • 74. plásticas .06 Banheiro masculino para os 9,16m² Apresenta piso de cerâmica, paredes alunos revestidas de azulejo,02 lâmpadas fluorescentes,02 básculas com grade,03 boxes de granito, 02 vasos de louça,01 chuveiro plástico,01 lavatório de granito,02 mictórios de louça,01 biombo de granito em frente a porta,01 espalho grande, lixeiras plásticas .07 Cantina 9,24m² Apresenta piso de cerâmica, paredes revestidas de azulejo,02 lâmpadas fluorescentes,02 básculas com grade ,01 pia de granito com cuba inox,01 bancada de granito com grade,01 estante de aço e 01 “birô”08 Cozinha 13,84m² Apresenta piso de cerâmica, paredes revestidas de azulejo,02 lâmpadas fluorescentes,01 básculas com grade ,01 pia de granito com cuba inox,01 bancada de granito com grade para distribuição de merenda, 01 tanque de alvenaria revestido com granito,03 torneiras inox,01 pia de louça para higiene das mãos,01 armário de alvenaria com portas de correr em acrílico e alumínio,01 relógio de parede, 01 geladeira,04 botijas de gás, panelas diversas, liquidificador industrial,talheres diversos, 01 fogão de 06 bocas industrial com coifa de exaustor, 01 lixeira.09 Auditório 34,52m² Apresenta piso de cerâmica,03 janelões com grade tela de ferro,06 lâmpadas fluorescentes,49 cadeiras de pvc ,01 armário com 01 tv de 29 polegadas,01 DVD e lixeira plástica10 Banheiro para funcionários 4,64m² Apresenta piso de cerâmica revestido de feminino azulejo,01 báscula de alumínio com grade,02 lâmpadas fluorescentes, 01 pia com cuba de louça,01 torneira inox,01 vaso sanitário em louça,01 espelho,01 chuveiro pequeno de plástico,01 papeleira, 01 saboneteira e ducha higiênica.11 Banheiro para funcionários 4,77m² Apresenta piso de cerâmica revestido de masculino azulejo,01 báscula de alumínio com grade,02 lâmpadas fluorescentes, 01 pia com cuba de louça,01 torneira inox,01 vaso sanitário em louça,01 espelho,01 papeleira, 01 saboneteira12 Biblioteca 33,94m² Apresenta 06 lâmpadas fluorescentes,piso de cerâmica,01 janela de alumínio,, 01 7
  • 75. ventilador de teto,10 estantes de aço, 05 armários de aço,02 mesas redondas em fórmica,,04 cadeiras estofadas,01 mesa em madeira, 02 computadores conectados a internet, 01 impressora,01 aparelho de som portátil, acervos bibliográfico e literário.13 Sala de Coordenação 10,48m² 02 armários de aço, 01 arquivos , 01 mesa e 03 cadeiras estofadas ,01 ventilador,02 lâmpadas fluorescentes e 01 quadro pequeno de cortiça para avisos,01 computador com impressora.14 Sala de material de 6,12m² Apresenta piso de ladrilho,01 lâmpada limpeza/cozinha incandescente,01 mangueira e diversos materiais de limpeza.15 Sala dos professores 27,51m² Possui em seu interior 01 porta de madeira que liga a sala de material didático e 01 porta de alumínio que liga a varanda, armários tipo roupeiro,02 armários de aço, 01 ventilador de teto, 01 mesa grande, 08 cadeiras estofadas, 02 mesas pequenas,01 geladeira,02 computadores conectado à internet,01 estabilizador.16 Sala da direção 19,28m² Apresenta piso de cerâmica, 02 janelas em alumínio, 01 armário de aço, 01 mesa em fórmica, 02 mesas em madeira,01 cadeira giratória, 02 cadeiras estofadas,01, computador,01 impressora , 01 telefone,01 caixa de som amplificadora OMC 300,01 retro projetor, 01 aparelho de DVD.17 Sala da secretaria 39,12m² Apresenta piso em cerâmica ,05 arquivos, 03 mesas,08 cadeiras estofadas,01 computador, 01 impressora, 01 máquina copiadora, 01 ventilador,01 telefone,01 fax, 05 armários de aço,03 estantes de aço, 01 quadro de chaves.01 televisor , 01 máquina de datilografia elétrica ,01 balcão de granito com grade para atendimento ao público, 01 aparelho de som portátil,05 janelas de alumínio18 corredor 19,03m² Situado entre as salas acima descritas,apresenta piso de cerâmica,paredes revestidas de azulejo com acabamento revestido em granito até a altura de 1,26m, grade com porta, mureta de alvenaria com acabamento em granito que faz a proteção da escada que dá acesso sob o andar térreo.19 Área de circulação 35,58m² Área que dá acesso aos banheiros dos 7
  • 76. funcionários da escola e a escada do 1º piso,apresenta piso de cerâmica, paredes revestidas de azulejo com acabamento em granito na altura de 1,26m,01 mural de alumínio e grades na abertura para ventilação.20 Pátio interno(coberto) 113,02m Apresenta piso de cerâmica com paredes ² revestidas em azulejo na altura de 1,26m,aberturas na parede para ventilação com grades,14 lâmpadas fluorescentes,01 bebedouro inox,01 mural de alumínio,02 murais de azulejo com acabamento em granito,03 mesas grandes e 03 bancos grandes revestidos em fórmica,01 quadro de cortiça pequeno para avisos.21 Corredor(térreo) 60,54m² Espaço que dá acesso as salas de aula. Área coberta com laje,parede aberta cercada com grades para ventilação,revestidas com azulejo e acabamento de granito na altura de 1,26m,, 16 lâmpadas fluorescentes e portão de ferro.22 Depósito de material didático 12,38m² O acesso a esta dependência se dá pela sala dos professores,Apresenta piso de ladrilho,01 janela grande de alumínio com grade,02 lâmpadas fluorescentes,diversas prateleiras de alvenaria, diversos materiais didáticos.23 varanda 18,24m² O acesso a varanda se dá pela sala dos professores.Apresenta piso de cerâmica e 01 bancada de 1mx40cm de granito. Área rodeada por mureta de alvenaria na altura de 92cm - não apresenta grades.24 Depósito de merenda escolar 6,24m² Apresenta piso de cerâmica,06 prateleiras de granito , 02 lâmpadas fluorescentes, 01 freezer horizontal e 01 ventilador de teto.DESCRIÇÃO DO ESPAÇO FÍSICO – 1º PAVIMENTONº. Dependência Metragem Equipamentos / mobiliários01 Escada Une o térreo ao 1º pavimento,construída em concreto,com acabamento em granito, possui corrimão de ferro nos dois lados e as paredes que ladeiam são revestidas em azulejo até a altura de 1,26 com acabamento em granito. 7
  • 77. 02 Area de circulação 92,11m² Apresenta piso de cerâmica,teto de laje,clarabóia coberta com telha transparente,14 lâmpadas fluorescentes,paredes revestidas com azulejo,01 bebedouro inox com dois bicos.03 Sala de aula(05) – 44,05m² Apresenta piso de cerâmica,paredes revestidas com azulejo até a altura de 1,26m e com acabamento em granito,08 lâmpadas fluorescentes,02 ventiladores de teto,01 quadro branco,02 janelas grandes com tela e grade de ferro,25 mesas e 25 cadeiras, 01 mesa e 01 cadeira estofada para o professor,01 lixeira plástica e 01 armário de aço ,01 televisor 29 com suporte de ferro..04 Sala de aula (06) 49,50m² Apresenta piso de cerâmica,paredes revestidas com azulejo até a altura de 1,26m e com acabamento em granito,08 lâmpadas fluorescentes,02 ventiladores de teto,01 quadro branco,02 janelas grandes com tela e grade de ferro,40 mesas e 40 cadeiras, 01 mesa e 01 cadeira estofada para o professor,01 lixeira plástica e 01 armário de aço,01 televisor 29 com suporte de ferro.05 Banheiro masculino para os 19,59m² Apresenta piso de cerâmica,paredes alunos revestidas de azulejo ,02 básculas,04 lâmpadas fluorescentes,02 mictórios de louça,04 boxes de granito,04 vasos de louça,01 chuveiro de plástico,01 lavatório de granito com 02 cubas de louça,02 torneiras inox,01 biombo de granito,02 espelhos.06 Banheiro feminino para as 19,12m² Apresenta piso de cerâmica,paredes alunas revestidas de azulejo ,02 básculas,04 lâmpadas fluorescentes,02 cubas de louça,06 boxes de granito,05 vasos de louça,01 chuveiro de plástico,01 lavatório de granito com 02 cubas de louça,02 torneiras inox,01 biombo de granito,01 espelho grande.07 corredor 52,22m² Permite acesso a 04 salas de aula e 01 depósito.Área coberta com laje,parede aberta para ventilação cercada com grade e revestida com azulejo até altura de 1,26m e com acabamento em granito,piso de cerâmica, 14 lâmpadas fluorescentes08 Sala de aula (07) 43,95m² Apresenta piso de cerâmica,paredes 7
  • 78. revestidas com azulejo até a altura de 1,26m e com acabamento em granito,08 lâmpadas fluorescentes,02 ventiladores de teto,01 quadro branco,02 janelas grandes com tela e grade de ferro,34 mesas e 34 cadeiras, 01 mesa e 01 cadeira estofada para o professor,01 lixeira plástica , 01 armário de aço e materiais diversos de química, 01 televisor 29 com suporte de ferro..09 Sala de aula (08) 43,25m² Apresenta piso de cerâmica,paredes revestidas com azulejo até a altura de 1,26m e com acabamento em granito,08 lâmpadas fluorescentes,02 ventiladores de teto,01 quadro branco,02 janelas grandes com tela e grade de ferro,36 mesas e 36 cadeiras, 01 mesa e 01 cadeira estofada para o professor,01 lixeira plástica e 01 armário de aço, 01 televisor 29 com suporte de ferro, materiais científicos para experimentos e manipulação(02 material de experimentos MRU e MRUV:01 esfera metálica,01 trilho metálico,01 computador para registro de dados,08 sensores,02 vídeo tape explicativos,01 termômetro,02 dinamômetros,01 kit de pêndulos,01 equipamento de lançamento de projéteis,01 equipamento de bancada ótica,01 equipamento para deslizamento de carrinhos,01 suporte para instalação de pêndulos e sensores,02 cilindros de silicone e 01 fita métrica.10 Sala de aula ( 09) 42,99m² Apresenta piso de cerâmica,paredes revestidas com azulejo até a altura de 1,26m e com acabamento em granito,08 lâmpadas fluorescentes,02 ventiladores de teto,01 quadro branco,02 janelas grandes com tela e grade de ferro,36 mesas e 36 cadeiras, 01 mesa e 01 cadeira estofada para o professor,01 lixeira plástica e 02 armários de aço, 01 televisor 29 com suporte de ferro..11 44,03m² Apresenta piso de cerâmica,12 lâmpadas Laboratório de Informática I - fluorescentes, 21 computadores, 20 mesas,30 cadeiras,02 ar condicionado,01 mesa e 01 cadeira para o professor e 01 quadro de fórmica(branco),01 lixeira plástica,01 televisor 29 com suporte de ferro.12 Depósito de material de 4,07m² Apresenta piso de cerâmica,01 lâmpada 7
  • 79. limpeza fluorescente,01 báscula pequena,prateleiras de alvenaria,02 cadeiras e materiais de limpeza da escola (exceto da cozinha)13 43,32m² Apresenta piso de cerâmica,paredes Laboratório II revestidas com azulejo até a altura de 1,26m e com acabamento em granito,08 lâmpadas fluorescentes,02 ventiladores de teto,01 quadro branco,02 janelas grandes com tela e grade de ferro,27 mesas e 27 cadeiras, 01 mesa e 01 cadeira estofada para o professor , 01 lixeira plástica,22 computadores conectados à internet e 02 ar condicionados.14 Laboratório de Informática III 41,70m² Apresenta piso de cerâmica,06 lâmpadas fluorescentes, 26 computadores, 02 bancadas de granito,40 cadeiras,01 cadeira para o professor , 01 quadro de fórmica(branco),01 impressora,03 ar condicionado,01 TV digital,01 computador de apoio multimídia 01 mesa para o professor e 01 lixeira plástica.15 Laboratório de Informática IV 28,51m² Funciona ao lado da sala do laboratório (separado por divisória).Apresenta piso de cerâmica,02 janelas com grade , 04 lâmpadas fluorescentes,01 quadro branco , 20 computadores conectados à internet,02 ar condicionado,01 mesa do professor, 01 armário de aço,01 TV digital,01 computador multimídia de apoio.16 18,87m² Apresenta piso de cerâmica,02 janelas Estúdio grandes com tela e grade de ferro e materiais diversos de aparelhagem de som como cx amplificadora 3000ª,cx acúst CSR3000, gabinete acust LEACS4602 ,gabinete amplif LEACS vip 500,gabinete acust LEACS vip 500, 01 microfone Sonding, pedestal ASK p/ 02 microfones,cx amplif CSR 770ª, 01mesa ROXY,01 mesa ONEAL,amplificador NCA PWM 300 70V e 01 microfone Behringer XM 8500.17 Laboratório de Informática V 44,96m² Apresenta piso de cerâmica,06 lâmpadas fluorescentes, 02 bancadas de madeira, 30 cadeiras, 30 mesas;01 ar condicionado,01 mesa e 01 cadeira para o professor e 01 quadro de fórmica(branco). 01 armários de aço e 01 armário de prateleira em aço,material computacional sucateado para montagem e desmontagem de computadores, 09 kits para montagem e 7
  • 80. manutenção de computadores, 05 leitores de CDs, 03 HDs,05 multímetros, 02 placas aceleradoras de vídeo G Force 128 bits , 04 monitores e 06 fontes de alimentação e 15 computadores operacionais e 15 para montagem e desmontagem em aulas praticas.Recursos Didáticos disponíveis02 (duas) máquinas foto copiadoras01 (uma) máquina fotográfica digital01 (um) retro projetor02 (dois) aparelhos de som portáteis11 (onze) televisores de 29 polegadas com suporte de metal01 (uma) televisão 20 polegadas02 (Dois) aparelhos de DVD01 (Um) vídeo cassete80 (oitenta) computadores03 ( três) impressoras jato de tinta02 (Duas) impressoras a laserBiblioteca com acervo para pesquisasAtendendo ao Novo Currículo priorizando o conhecimento por áreas os equipamentos dosLaboratórios de Química, Física e Biologia estão disponibilizados para as atividadesensino/aprendizagem nas salas de aula 07 e 08 (salas ambientes) com materiais científicospara experimentos e manipulação(02 microscópios,lâminas para microscopia,Kit dereagentes, kit de tubos de ensaios,kit laboratório móvel,esqueleto humano168cm,painéis deciências,material de experimentos MRU e MRUV:01 esfera metálica,01 trilho metálico,01computador para registro de dados,08 sensores,02 vídeo tape explicativos,01 termômetro,02dinamômetros,01 kit de pêndulos,01 equipamento de lançamento de projéteis,01equipamento de bancada ótica,01 equipamento para deslizamento de carrinhos,01 suportepara instalação de pêndulos e sensores,02 cilindros de silicone e 01 fita métrica.O material didático, entendido como recurso de apoio e de diferentes fontes de origem, seráselecionado de acordo com a intencionalidade de seu uso, a saber: claro propósito defavorecer a aprendizagem, de ampliar o mundo do aluno, sua capacidade de compreender,de refletir, de participar, de exercer o seu senso crítico, de expressar e de argumentar.A biblioteca encontra-se a disposição dos alunos do Ensino Médio no período matutino evespertino e é de livre acesso para pesquisas e empréstimos de títulos do acervo. Abibliografia específica sugerida para os cursos técnicos está em processo de aquisição; épequena em relação ao acervo destinado ao Ensino Médio. Há um sistema de controleatravés de registros para empréstimos de títulos à alunos e comunidade. 8
  • 81. VIII-PROPOSIÇÕPES DE INSERÇÃO SOCIAL PARA ALUNOS COM NECESSIDADESESPECIAIS E DE ATENDIMENTO AO ALUNO TRABALHADOR.A Educação reveste-se cada vez mais de importância como elemento estratégico para aconstrução da cidadania e para uma melhor inserção de jovens no mercado detrabalho.Tanto a Educação Profissional como a Educação Básica, assumem um papeltransformador,muito além da geração de empregos, a educação é um meio de redução dedesigualdades sociais que juntamente com políticas e ações públicas contribui para odesenvolvimento socioeconômico dos nossos cidadãos.Dessa forma, os estabelecimentos de ensino de qualquer nível, etapa ou modalidade,públicos ou privados, devem promover condições de acesso e utilização dos ambientes oucompartimentos de uso coletivo para pessoas portadoras de deficiências ou com mobilidadereduzida, inclusive salas de aula, bibliotecas, auditórios, áreas de lazer e sanitários.A EEEFM “ Gomes Cardim”, entende que escola acessível é aquela que oferece condiçõesadequadas para todos e propõe que adaptações sejam feitas diante das necessidades quesurgem no cotidiano escolar. Tais mudanças e adaptações previstas englobam:• Banheiros equipados com barras de apoio ao alcance das mãos;• Rampas de acesso em todas as dependências externas e internas;• O piso das escadas deve ser provido de revestimento tátil nas extremidades para orientar deficientes visuais;• Escadas e rampas devem ter dois corrimãos cada lado, um com 70cm do chão e outro com 92cm, de material de formato arredondado, com diâmetro de 3 a 4cm;• Mudanças no laboratório de informática e em outros laboratórios necessários ao curso a fim de permitir a circulação de pessoas em cadeiras de rodas;• O mobiliário deve ser adequado para todo tipo de necessidade, além do local estratégico para interpretes de linguagem de sinais;• Prover os espaços com placas de sinalização para pessoas surdas;Embora a acessibilidade tenha passado a ser entendida como sinônimo de adaptaçõesfísicas, devemos pensar no acesso de todos de forma igualitária aos meios de comunicaçãoa aos recursos tecnológicos e eletrônicos e também nas adaptações que devem ser feitaspara que os educadores, que em sua maioria não tem formação adequada para trabalharcom alunos portadores de necessidades especiais,tenham o apoio pedagógico necessáriopara buscar soluções.A busca por parcerias e atendimento em alguns programas de apoio ecapacitação , como por exemplo, ao Núcleo de Atividades de Altas Habilidades eSuperdotação-NAAHS; ao Centro Pedagógico para Atendimento de Pessoas comDeficiência Visual-CAP; ao Centro de Capacitação da educação e de Atendimento à 8
  • 82. Pessoas com Surdez –CAS; podem dar suporte no trabalho e apoio pedagógico àsatividades desenvolvidas com alunos portadores de necessidades educativasespeciais.Garantir um acervo bibliográfico para pesquisa e apoio aos educadores deve serparte integrante das propostas de atendimento a tais alunos.As ações planejadas visam atender as especificidades do processo de aprendizagem no querefere-se ás diferenças encontradas em seu contexto. Dessa forma é importante que oeducador tenha sensibilidade para buscar alternativas de atendimento ao aluno em suaparticularidades que vai desde a adaptação e flexibilidade no planejamento de atividadescotidianas até as de maiores dimensões de abrangência. As parcerias firmadas são umexemplo de alternativa para solução de alguns problemas imediatos. A longo prazo, é precisoarticular órgão públicos e/ou outras instituições para atendimento das necessidades dacomunidade escolar.O acompanhamento das ofertas de estágios, seu desenvolvimento e a busca de parceriaspara sua realização, promovem um uma relação de acompanhamento no desempenhoescolar e social do aluno contribuindo para sua formação.O trabalho de acompanhamento no atendimento de alunos com necessidades educativasespeciais e ao aluno trabalhador, é feito de forma construtiva e discutida em momentoscriados a partir de planejamento,onde são elaboradas propostas de atividades diversificadas,tanto para desenvolver o processo de aprendizagem ,como para avaliá-lo.A escola ofereceoportunidade de “prática” aliada aos conhecimentos adquiridos e/ou construídos através dosprojetos extra curriculares e o atendimento individual às particularidades e necessidades decada curso. Os alunos irão desenvolver projetos orientados a resultados, aplicados a vidaprodutiva, utilizando pressupostos básicos adquiridos durante o módulo em curso, eelaborado conjuntamente com a equipe de professores e demais agentes da comunidade.As “Feiras Empreendedoras” e os ‘Salões de Informação e Negócios” que acontecemanualmente na escola,apresentam os projetos e alunos à empresas parceiras aproximando-os do mercado de trabalho .IX- RELAÇÕES DE PARCERIAS COM A COMUNIDADE LOCAL, REGIONAL ENACIONALA busca de alternativas, tais como parcerias, acordos, convênios, patrocínios que viabilizemconstante atualização e aproximação da realidade é uma condição importante tanto para aEducação Profissional como a Educação Básica no processo de desenvolvimento daaprendizagem dos alunos. A articulação entre as competências e habilidades se fazessencial nesse processo. Os vínculos que se fazem em parcerias, tornam a aprendizagemmais dinâmica e substituem o modelo centrado em aulas tradicionais por um ambientecaracterizado, onde os alunos promovam seus projetos e conhecimentos em algo concreto. Dentre algumas parcerias buscadas, podemos citar a parceria com o CDL(Câmara dosDirigentes Legistas); com o SINDIREPA ( Sindicato dos Reparadores Automobilísticos) eSINDMICRO( Sindicato de Pequenas e Médias Empresas) e CIEE, firmadas inicialmentecom o Curso Técnico em Informática e estendida aos demais cursos técnicos emfuncionamento. 8
  • 83. Atualmente ampliam-se discussões acerca de outras parcerias a serem firmadas a fim deatender aos cursos, principalmente no tocante a bibliotecas e áreas turísticas como, pontosturísticos, praças, clubes, parques, associações, agências, etc.Alguns projetos como “Na Real”,” Escola Aberta”,”CRAS”,”Faculdade Salesiana”, e parceriascom a Unidade de Saúde do Centro de Vitória,”1º Batalhão da Polícia Militar do EspíritoSanto”,garantem e efetivam algumas medidas preventivas e outras no processo educativoda escola.X- PROCESSOS DE ARTICULAÇÃO INSTITUCIONAL COM A FAMÍLIA E ACOMUNIDADEO Conselho Escolar está instituído, faz reuniões periódicas, porém suas ações ainda sãolimitadas devido a uma desestruturação de ordem legal ( poucos efetivos na escola emembros do Conselho que eram efetivos na rede estadual entraram emremoção).Geralmente ,as reuniões são solicitadas pela direção da escola. É intenção dosrepresentantes dos diferentes segmentos no Conselho buscar a interação entre seusmembros,dividir tarefas discutir e encaminhar decisões coletivas garantindo o consenso entreos representantes dos segmentos e a comunidade escolar.As reuniões de pais para alunos do Ensino Médio são trimestrais e na oportunidade é dadaciência de todo desenvolvimento do processo educativo do aluno e de sua situação emrelação ao acompanhamento de freqüência e notas. Não é previsto reuniões de pais paraalunos no Curso Técnico com objetivo de informar situação de aprendizagem durante odesenvolvimento do curso, o que acontecem são encontros para exposição e apresentaçãode trabalhos do PEC - Projetos Extra Curriculares.Uma metodologia de desenvolvimento e apresentações de resultados de projetos e trabalhosculturais e acadêmicos proporciona uma aproximação da comunidade escolar integrando-ano contexto da escola e reconhecemos a necessidade de promover atividades extraclasses afim de concretizar tal integração.Além de reunir os representantes dos segmentos em conselho de escola, é preciso garantirque a comunidade esteja participando de tais reuniões buscando alternativas no sentido demelhorar o desempenho acadêmico de nossos alunos, oportunizando o acompanhamentodas atividades pedagógicas desenvolvidas pela escola.É desafio para a escola acompanhar as mudanças, compartilhar informações e formar umacultura que erradique a violência e a indisciplina que gera alguns conflitos nas relações desocialização entre alunos, professores, família e ou sociedade. Uma experiência que temdado resultado positivo é envolver os chamados alunos”problemáticos” nas atividades extracurriculares atribuindo-lhes papel de destaque nas organizações previstas. Outra é umarelação de atendimento em conversas informais para conhecer melhor os alunos e a partir deuma sondagem levantar dados referentes aos seus interesses e perspectivas para a vidasocial e acadêmica. 8
  • 84. Analisando a natureza dos atos indisciplinares mais frequentes nesta escola, podemosafirmar que são particularmente relacionados à questão das drogas. Não é comum asdepredações no patrimônio escolar,muito menos as agressões verbais e físicas ,porém éalarmante o consumo de drogas nas imediações da escola.A postura de escola diantedesses conflitos gerados muitas vezes por questões sociais,é de oportunizar medidaspreventivas,através de palestras e conversas,com pais e alunos e havendo asreincidências,poderá ser acionado o Conselho Tutelar e cobrada a responsabilidade dafamília.As sansões aplicadas em cada caso específico são as ponderadas no RegimentoEscolar.A escola busca o diálogo como forma de mediar as relações de conflitos, mantendo contatospermanente com a família ou instituições co-responsáveis pelos mesmos, mapeando osproblemas e dando suporte para negociar e planejar ações preventivas. As reuniões com osresponsáveis são realizadas em contextos coletivos, tratando de assuntos de interessegerais e atendimentos individualizados afim de mantê-los informados sobre a vida escolardos filhos. Assim compreendemos o sentido das experiências propiciadas pela escola, ospais se fortalecem e se tornam mais críticos e capazes de identificar aquilo que a escoladefende como ação formativa e contribui para ações mais promissoras para a formação deuma comunidade reflexiva com a realização de encontros que visam a problematização dequestões que despertam preocupação e interesse de todos. Os encontros possibilitam bonsfrutos com uma comunicação transparente entre pais e professores Especialistas de outrasáreas de conhecimento são bem-vindos desde que não imponham sua opinião, mastrabalhem em conjunto com o grupo, levantando preocupações e pensando em possíveissoluções. Assuntos complexos não são compreendidos e resolvidos de forma simples. Porisso, uma comunidade de pais reflexiva vira uma forte aliada da escola.As discussõesacontecem permeadas pelo REGIMENTO COMUM DAS ESCOLAS DA REDE ESTADUALDE ENSINO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO .XI- PROVIDÊNCIAS PARA MELHORIA DA QUALIDADE DO ENSINOAnalisando a estrutura da comunidade escolar, observam-se algumas necessidades e“entraves” que emergem do ponto de vista pedagógico e de gestão da escola. Não háreceitas prontas para resolução desses problemas, mas alguns caminhos podem serapontados, tais como:• Diminuir a evasão escolar através de propostas de envolvimento de alunos em projetos extracurriculares.• Atualizar laboratórios de informática e disponibilizá-los para pesquisas.• Aumentar o acervo bibliográfico na biblioteca.• Promover aulas de campo, visitas técnicas e participação em jogos e intercâmbios escolares.• Garantir tempo dentro do horário escolar para encontros de formação continuada ou grupos de estudos.• Buscar o apoio familiar no processo educativo estimulando a participação dos pais em eventos e reuniões promovidos pela escola.• Incrementar a proposta de estudos por projetos equipando as salas de aula convencionais com computadores para investigação e pesquisa.• Contextualizar os conhecimentos de forma significativa e concreta aumentando a possibilidade de experiências com maior número de visitas técnicas e aulas de campo.• Articular o atendimento às solicitações para intervenção nos laboratórios de informática• Desarticular alguns setores que refletem negativamente no relacionamento interpessoal 8
  • 85. • Contatar as famílias por meio de correspondências ou telefonemas sempre que necessário.• Disponibilizar o Conselho de Escola para articular ações, sejam elas de cunho pedagógico ou financeiro.• Agrupar todos os segmentos da comunidade escolar e local para debates e definições dos objetivos e metas da escola.• Conscientizar os funcionários de que todos são educadores, independente da função que estejam exercendo.• Garantir a avaliação institucional semestral como julgamento de valor para tomada de decisões• Entender que o Projeto Político Pedagógico não deve se constituir em um fim em si mesmo, deve ser revisto repensado e reavaliado sempre que se fizer necessário.• Cobrar atendimento pedagógico nos planejamentos e acompanhamentos das situações cotidianas escolares.• Articular a promoção das condições necessárias para a realização dos projetos.• Institucionalizar calendário com previsão para eventos, mostras, feiras, encontros e reuniões de pais, coordenadores, Conselho de escola, plantão de atendimento individual ao aluno ao final do trimestre ou módulo e professores.• Garantir a Jornada de Planejamento Pedagógico para que aconteça de forma planejada nos períodos de recessos previstos no calendário escolar no início de cada semestre onde são abordados tópicos como:CONHECIMENTO E APRENDIZAGEM• Fatores que interagem no processo de aprendizagem;• Currículo Básico Comum – CBC/ES;• As etapas do desenvolvimento humano e a educação de jovens e adultos;• As relações sociais;• Motivação. DIDÁTICA DE ENSINO• Relação e organização de conteúdos;• Planejamento;• Finalidade;• Como planejar;• Planejamento participativo;• Plano de aula;• Avaliação;• Finalidades e objetivos;• Procedimentos;• Instrumentos;• Avaliação por competência;• Procedimentos de ensino;• As novas tecnologias na educação;• Estudos por projetos e por meio de pesquisas;• Painel integrado; 8
  • 86. • Diferentes tipos de aula;• Utilização de material didático; o Por que utilizar; o Que material utilizar; o Como usar.XII- MECANISMOS DE AVALIAÇÃODe acordo com o art. 152 do Regimento Comum das Escolas da Rede Estadual de Ensinodo Espírito Santo. A avaliação no ensino fundamental e médio, independentemente damodalidade de oferta, deve abranger, no mínimo, os seguintes aspectos:I – Avaliação do aproveitamento escolar e da assiduidade do educando;II – Avaliação do desempenho do professor e dos pedagogos;III – Avaliação institucionalDO APROVEITAMENTO ESCOLAR E DA ASSIDUIDADE DO EDUCANDOOs desafios de hoje e do futuro estão a exigir pessoas flexíveis, capazes de pensarglobalmente, de se comunicar, de resolver problemas e trabalhar em equipe. Tanto para oscursos técnicos, onde a organização curricular divide-se em módulos, como para o ensinomédio que se desenvolve em trimestres, os critérios para aprovação e reprovação seguem oRegimento Comum das Escolas Estaduais do Espírito Santo, como indicado abaixo:O processo avaliativo considerará a apuração de freqüência e o aproveitamento, conformeos dispositivos do Regimento Comum das Escolas Estaduais do ES.A recuperação será contínua e paralela, realizando-se concomitantemente aodesenvolvimento dos conteúdos, ou intensiva ao final de cada trimestre do ensino médio oumódulo do curso técnico. De acordo com as necessidades identificadas no processo deavaliação, pode-se ofertar um período de plantão de atendimento individual para o aluno. Talplantão pode ser agendado em dia e horário paralelo à aulas com trabalhos em gruposdesenvolvidos.Os instrumentos utilizados para avaliar serão considerados desde os de registros comoprovas/avaliações, exercícios, pesquisas,trabalhos individuais e/ou em grupos,relatórios,bem como apresentações, seminários,debates,discussões e mostra de trabalhos acadêmicose de resultados de projetos.Outra metodologia usada na escola são as auto 8
  • 87. avaliações,feitas como prática de uma atividade de avaliação consciente e responsável.Alémdas avaliações já citadas, acontece também semestralmente o chamado “provão”-que é uminstrumento elaborado englobando todas as disciplinas com objetivo de avaliar aaprendizagem dos alunos do Ensino Médio afim de tomar futuras decisões(essa avaliaçãonão tem caráter de promoção).Discutindo e refletindo sobre as contribuições que a ação da auto-avaliação pode trazer parao processo educativo, na EEEM “Gomes Cardim”, a auto avaliação do aluno deveráacontecer trimestralmente. Nessa oportunidade, o aluno avaliará seu próprio processo deaprendizagem e seu comportamento diante das atividades escolares, refletindo sobre suasatitudes e ações.É consenso entre os profissionais desta escola que o processo avaliativo englobe todas asatividades propostas pela unidade escolar, desde as sistematizadas, científicas, como as queenvolvem os alunos em projetos, apresentações e mostras culturais, realizadasindividualmente ou em grupo, priorizando instrumentos de avaliação estimuladores daautonomia na aprendizagem.Como a escola não oferta o Ensino Médio no contra turno, não consegue ofertar aprogressão parcial nessas condições. Portanto, caso o aluno dependa da progressão parcial,deve remeter-se ao CEEJA para concluí-la.Na apuração do resultado da aprendizagem, no Ensino Médio e Educação Profissional, paraefeito de promoção /aprovação ou reprovação, deve ser observado o estabelecido noRegimento Escolar conforme indica-se abaixo:Do Ensino Médio• A apuração da freqüência será por trimestres, sendo exigido o percentual mínimo de 75% (setenta e cinco por cento) de presença no total de horas anuais.Compete ao Conselho de Classe, com a presença do professor da disciplina correspondente,e, observadas as determinações legais, julgar e decidir sobre a promoção dos alunos,amparados por leis especiais e todos os casos omissos ou controversos sobre avaliaçãoe/ou promoção. Numa escala de 0 a 100 e deve obedecer à seguinte escala de pontuação: 8
  • 88. 1º trimestre – 30 pontos;2º trimestre – 30 pontos;3º trimestre – 40 pontosTotal dos três trimestres -100 pontosOs resultados de avaliação serão expressos em números inteiros,registrados em pauta,,numa escala de 0 (zero ) a 100 (cem);• Será considerado reprovado o aluno que ao final do ano letivo: o Após os estudos de recuperação final, não obtiver 60 pontos em cada disciplina o Não obtiver freqüência mínima exigida de 75% de presença no total de horas do ano letivoNa Educação ProfissionalNa Educação Profissional a apuração da freqüência será por componente curricular,devendo o aluno ter 75% de freqüência em cada componente curricular ao final do módulo.Para promoção no módulo, o aluno deverá obter:• Mínimo de 60 pontos em cada componente curricular;• freqüência de 75%(setenta e cinco por cento) no total de carga horária de cada componente curricularA recuperação paralela ocorre ao longo dos períodos escolares, e a recuperação final aofinal de cada módulo.Os resultados das avaliações devem ser expressos em números inteiros, numa escala de 0(zero ) a 100 (cem);O processo avaliativo considerará a apuração de freqüência e o aproveitamento, conformeos dispositivos do Regimento Comum das Escolas Estaduais do ES. Será consideradoaprovado o aluno que alcançar aproveitamento igual ou superior a nota 60,0 em todos oscomponentes curriculares definidos em cada módulo do curso e cumprir o percentual mínimode freqüência exigido, que é 75%em cada componente curricular dos módulos 8
  • 89. A expressão do resultado final será APROVADO ou REPROVADO, conforme demonstradono desempenho do aluno.APROVEITAMENTO DE EXPERIÊNCIAS ANTERIORES PARA ALUNOS DOS CURSOSTÉCNICOS/ENSINO MÉDIOAs competências anteriores adquiridas pelos alunos, desde que relacionadas com o perfilprofissional de conclusão do curso pleiteado, e dos módulos de qualificação que integramseu itinerário profissional, poderão ser objeto de avaliação para aproveitamento de estudos,nos termos regimentais e da legislação vigente.O aluno do Curso Técnico, que já tiver concluído a graduação em Nível Superior em umdos componentes curriculares do curso que desenvolve, poderá ser dispensado da mesma,a critério do professor responsável, que dará o seu parecer favorável ou não. Mesmo que oaluno seja dispensado da freqüência no componente curricular nas aulas teóricas, não estarádispensado das atividades práticas.As dispensas de componentes curriculares com aproveitamento de estudos, só serão aceitasjunto a Secretaria Escolar, através de requerimento solicitando a dispensa, juntamente com odocumento oficial da Organização Curricular e em anexo o conteúdo programático, até nomáximo 15 (quinze) dias a contar da data de início do curso, para posterior análise edeferimento do professor do componente curricular.O Regimento Comum das Escolas Estaduais aponta em relação ao Aproveitamento DeEstudos :Art. 125 O aproveitamento de estudos ocorre mediante a análise do documentocomprobatóriode estudos do educando, no que se refere aos componentes curriculares, carga horária,séries/anos, períodos, ciclos ou etapas em que o educando obteve aprovação, se constatada aequivalênciaao currículo adotado pela unidade de ensino. 8
  • 90. Art. 126 Para efeito de aproveitamento de estudos, pode ainda a unidade de ensinosubmeter ocandidato a uma avaliação de conhecimentos prévios, objetivando subsidiar a elaboração deumplano de adequação de estudos, se for o caso.Art. 127 Deve a unidade de ensino arquivar, na pasta individual do educando, osdocumentosapresentados, bem como a avaliação de conhecimentos a que for submetido.Art. 128 A unidade de ensino pode reconhecer os conhecimentos adquiridos na educaçãoprofissional,para prosseguimento ou conclusão de estudos.Art. 129 Os estudos realizados com êxito na Educação de Jovens e Adultos – EJA – devemseraproveitados, para todos os efeitos, no ensino fundamental e médio na forma regular.Parágrafo único. Em caso de transferência ou remanejamento do educando da EJA para oensinoregular, ele deve ser matriculado na série/ano correspondente à etapa/período cursado.Art. 130 Na educação profissional, o aproveitamento de estudos deve estar relacionado comoperfil profissional de conclusão da respectiva qualificação ou habilitação profissionaladquiridas:I - no ensino médio;II - em qualificações profissionais, etapas ou módulos em nível técnico concluídos em outroscursos,desde que cursados nos últimos cinco anos;III - em cursos de formação inicial e continuada de trabalhadores;IV - no trabalho ou por outros meios informais, mediante a avaliação do aluno;V - reconhecidas em processos formais de certificação.DO DESEMPENHO DO PROFESSOR E DOS PEDAGOGOS 9
  • 91. As avaliações do desempenho dos professores e pedagogos envolvidos no processo deensino e aprendizagem acontecem concomitante à avaliação institucional ,onde se insere emespaço próprio integrando-se a ela.O levantamento dessas informações e resultados acercada qualidade no atendimento ao aluno e ao processo e na integração e inter-relação pessoalna escola com a família e a comunidade, são discutidos posteriormente em reuniões paratomada de decisões.AVALIAÇÃO INSTITUCIONALPropomos avaliações periódicas, sistemáticas e semestrais, de todo trabalho desenvolvidopela equipe escolar, funcionários em geral, corpo técnico administrativo e professores,objetivando a análise, a orientação e correção,quando for o caso, dos procedimentospedagógicos, administrativos e financeiros da escola. Tal avaliação, feita semestralmentepelos alunos, professores e todos os demais funcionários da escola, deverá servir comoparâmetro para tomadas de decisões junto ao Conselho de Escola assim como pararepensar ações procurando sempre crescimento na nossa prática educativa.Todo o processodessa avaliação é feito com registros ,discutidos em encontros para reflexão dos dados porela apontados.Desses encontros saem encaminhamentos propostos à questões e/ousugestões dadas no âmbito escolar acerca do desempenho do corpo docente ,técnicoadministrativo e auxiliares em geral .De relevada importância é a auto-avaliação, fácil de ser conceituada, mas difícil de serpraticada. Percebe-se a dificuldade e a resistência de alguns profissionais da educação emtornar a auto-avaliação parte integrante e construtiva de seu trabalho pedagógico.Entendemos o quanto o ato de auto avaliar-se, é até mesmo “temido” por alguns quepreferem não expor suas concepções, posturas e como encaminha seu processo de efetivotrabalho, que automaticamente se evidenciam quando se é auto avaliado. Da mesma forma,o aluno só entende a auto-avaliação como um processo que deve ser verdadeiro e que servecomo ponto de partida para tomada de decisões, se este processo fizer parte de sua práticade modo permanente, e não como mais uma “novidade” nas relações escolares.Ainda como integrante das avaliações institucionais, podemos citar que em âmbito estadualo Governo do Estado implementou o Sistema Capixaba de Avaliação de Aprendizagem quetem como uma das ferramentas o PAEBES – Programa de Avaliação da Educação Básicado Espírito Santo o qual avalia os alunos do 1º ano do Ensino Médio com provas de 9
  • 92. português e matemática e em âmbito nacional, o ENEM para alunos do 3º ano do EnsinoMédio.AVALIAÇÃO DA PROPOSTA PEDAGÓGICA Assim como desejamos que cada aluno seja capaz de pensar, planejar, realizaraprendizagens, desejamos também que os professores e todos os envolvidos no contextoescolar se tornem uma equipe que pesquisa, que investiga e que esteja sempre procurandoconstruir conhecimentos. Isso só é possível quando estamos constantemente revendo nossaprática. Um projeto político pedagógico não pode ser tomado como um texto pronto eacabado, ele só acontece de fato quando alunos e professores executam e avaliam suasações no dia-a-dia com sugestões de melhorias. Portanto, é construído coletivamente ediscutido sempre que evidenciada mudanças, entendendo nesse sentido que o processoeducativo não é estático, para ser atualizado.Propomos avaliações periódicas e sistemáticas de todo trabalho desenvolvido à medida queas necessidades surgirem, procurando sempre crescimento na nossa prática pedagógica.Tais avaliações devem acontecer a partir da intenção de planejamento das ações para opróximo ano letivo e inserir a articulação do Projeto Político Pedagógico com a proposta detrabalho/ações da escola e seu currículo. Consistem na elaboração de roteiros deinvestigação e pesquisa abordando assuntos que abrangem a prática pedagógica, asquestões de disciplina, as discussões relativas ao processo ensino aprendizagem, aorganização curricular da instituição, das avaliações diagnósticas e de aprendizagem, docalendário de apresentação de trabalhos, dos projetos, de reuniões com pais, de encontros,de planejamentos de ensino, etc. A partir dessas avaliações, a avaliação do Projeto PolíticoPedagógico é inerente, pois, se ele revela a identidade pedagógica da escola, não deveestar dissociado de suas diretrizes e bases norteadoras.REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICASBrasil. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Resolução Nº 04/99-CNE-CEB, de 08 de dezembro de 1999 que institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para aEducação Profissional de Nível Técnico. Aprovado em 08/12/1999. 9
  • 93. Brasil. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Média e Tecnológica. Educaçãoprofissionalizante. Referenciais Curriculares Nacionais para o Ensino Profissional de NívelTécnico. Brasília: 2000.BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Média e Tecnológica. ParâmetrosCurriculares Nacionais para o Ensino Médio. Brasília: 2000. 4 v.CARVALHO, Diana de C. As contribuições da psicologia para a formação de professores:algumas questões para debate. In: MARASCHIN, Cleci; FREITAS Lia; CARVALHO, DianaCarvalho de. Psicologia e educação: multiversos sentidos, olhares e experiências. Por toAlegre: Ed. UFRGS, 2003.CHARTIER, R. A ordem dos livros: leitores, autores e bibliotecas na Europa entre osséculos XIV e XVIII. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 1994. 111p. (Tradução deMary del Priore).CHARTIER, R. (Org.) et al. Práticas de leitura. 2. ed. São Paulo: Estação Liberdade, 2001.(Tradução de Cristiane Nascimento).FREIRE, Paulo; SHOR, Ira. Medo e ousadia: o cotidiano do professor. Tradução de AdrianaLopez. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1986. 9