Your SlideShare is downloading. ×
GOVERNO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO     PROPOSTA PEDAGÓGICA DA       EEEM “GOMES CARDIM” ...
SUMÁRIOI-IDENTIFICAÇÃO DA ESCOLA.....................................................................................II- C...
I-IDENTIFICAÇÃO DA ESCOLAA Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Gomes Cardim, com sede à ruaWilson Freitas s/n, c...
Curso Técnico em Agenciamento de Viagem Portaria nº044-R de 06/06/2011 -criação docurso Resolução CEE/ES 3204/2011,de 20/0...
NOME DA ESCOLA:ESCOLA ESTADUAL DE ENSINO MÉDIO “GOMES CARDIM”CNPJ:03.381.661/0001-00ENDEREÇO: RUA WILSOM FREITAS S/N, CENT...
HISTÓRICO DA ESCOLAA Escola Estadual de Ensino Médio “Gomes Cardim” autorizada a funcionar pela Lei 166 de05 Setembro de 1...
Em 2010, foram ofertados novos cursos técnicos no turno vespertino: Cursos de Guia deTurismo, Lazer, Administração, Biblio...
a repensar suas práticas que antes pareciam tão certas, redimensionarem o papel doeducador e ampliar a visão de educação. ...
OBJETIVOS DA EDUCAÇÃO BÁSICA DE NÍVEL MÉDIOPreparar o educando, enquanto etapa final da educação básica, para o trabalho e...
QUADRO DE FUNCIONAMENTO/2012-Noturno                                          CURSOS TÉCNICOS                        Horár...
DESEMPENHO DA ESCOLA NAS AVALIAÇÕES EXTERNASEm relação ao desempenho da escola no ENEM - Exame Nacional do Ensino Médio,ap...
PERFIL DA CLIENTELAPERFIL DOS PROFESSORES E ESPECIALISTASPara desenvolvimento do processo de aprendizagem proposto pela es...
ESTRUTURA ORGANIZACIONALA garantia de padrão de qualidade fundamenta-se na democratização da gestão, navalorização da funç...
Estadual, ou mesmo porque trabalham no Centro da cidade e a proximidade do trabalhotorna-se cômoda.Grande parte dos alunos...
paralelas a alguns estabelecimentos como restaurantes, sindicatos, padarias, hotel, igrejas,bares e outros.Podemos afirmar...
Pós-Graduada                                                         em                                                   ...
04   Adriano de Lima Vieira         Redes,           Protocolos    e Redes de Computadores                                ...
Humanos                            Empresas                                  Empreendedorismo17   Fernanda Cristina Toso M...
História27   Katiuscia        Aparecida Recreação          e    Lazer     em Licenciatura em Educação     Moreira     de  ...
Fundamentos                  de                                   Programação35   Marlene Ferreira Fonseca      Inglês / L...
Projeto de Rede48    Rosiane Sudré Campos        Sociologia                       Ciências Sociais49    Simone Motta      ...
A partir do século passado, vários acontecimentos de importância histórica têm transformadoo cenário cultural, político, s...
relacionamento com esse mundo sem deixar de lado a relação entre o conhecimentohistoricamente construído , a construção do...
e ingresso nos cursos, a aprendizagem, continuidade até a conclusão com sucesso dosalunos garantindo assim a aprendizagem ...
•   Promover atividades que oportunize o aluno a participar do seu processo de crescimento     e supere as suas dificuldad...
AMPARO LEGAL LEI Nº. 9.394/96 BASE NACIONAL                                                                        CARGA  ...
0                                                                                               300TOTAL GERAL DO CURSO   ...
EDUCAÇÃO PROFISSION                             MÓDULOS                        Componentes Curriculares                Nº....
EDUCAÇÃO PROFISSIONAL                        MÓDULOS      COMPONENTES CURRICULARES                       Nº. DE   CARGA   ...
EDUCAÇÃO PROFISSION                                    MÓDULOS                  COMPONENTES CURRICULARES            Nº. DE...
III          ADMINISTRAÇÃO E SISTEMAS OPERACIONAIS DE REDE         03             60                                      ...
PROFISSIONAL                                       INFORMÁTICA APLICADA                                       02         4...
II                     ESPANHOL INSTRUMENTAL                       01          32                                         ...
DIREITO E LEGISLAÇÃO I              01       27                                                 EMPREENDEDORISMO          ...
Proposta Pedagógica EEEM Gomes Cardim
Proposta Pedagógica EEEM Gomes Cardim
Proposta Pedagógica EEEM Gomes Cardim
Proposta Pedagógica EEEM Gomes Cardim
Proposta Pedagógica EEEM Gomes Cardim
Proposta Pedagógica EEEM Gomes Cardim
Proposta Pedagógica EEEM Gomes Cardim
Proposta Pedagógica EEEM Gomes Cardim
Proposta Pedagógica EEEM Gomes Cardim
Proposta Pedagógica EEEM Gomes Cardim
Proposta Pedagógica EEEM Gomes Cardim
Proposta Pedagógica EEEM Gomes Cardim
Proposta Pedagógica EEEM Gomes Cardim
Proposta Pedagógica EEEM Gomes Cardim
Proposta Pedagógica EEEM Gomes Cardim
Proposta Pedagógica EEEM Gomes Cardim
Proposta Pedagógica EEEM Gomes Cardim
Proposta Pedagógica EEEM Gomes Cardim
Proposta Pedagógica EEEM Gomes Cardim
Proposta Pedagógica EEEM Gomes Cardim
Proposta Pedagógica EEEM Gomes Cardim
Proposta Pedagógica EEEM Gomes Cardim
Proposta Pedagógica EEEM Gomes Cardim
Proposta Pedagógica EEEM Gomes Cardim
Proposta Pedagógica EEEM Gomes Cardim
Proposta Pedagógica EEEM Gomes Cardim
Proposta Pedagógica EEEM Gomes Cardim
Proposta Pedagógica EEEM Gomes Cardim
Proposta Pedagógica EEEM Gomes Cardim
Proposta Pedagógica EEEM Gomes Cardim
Proposta Pedagógica EEEM Gomes Cardim
Proposta Pedagógica EEEM Gomes Cardim
Proposta Pedagógica EEEM Gomes Cardim
Proposta Pedagógica EEEM Gomes Cardim
Proposta Pedagógica EEEM Gomes Cardim
Proposta Pedagógica EEEM Gomes Cardim
Proposta Pedagógica EEEM Gomes Cardim
Proposta Pedagógica EEEM Gomes Cardim
Proposta Pedagógica EEEM Gomes Cardim
Proposta Pedagógica EEEM Gomes Cardim
Proposta Pedagógica EEEM Gomes Cardim
Proposta Pedagógica EEEM Gomes Cardim
Proposta Pedagógica EEEM Gomes Cardim
Proposta Pedagógica EEEM Gomes Cardim
Proposta Pedagógica EEEM Gomes Cardim
Proposta Pedagógica EEEM Gomes Cardim
Proposta Pedagógica EEEM Gomes Cardim
Proposta Pedagógica EEEM Gomes Cardim
Proposta Pedagógica EEEM Gomes Cardim
Proposta Pedagógica EEEM Gomes Cardim
Proposta Pedagógica EEEM Gomes Cardim
Proposta Pedagógica EEEM Gomes Cardim
Proposta Pedagógica EEEM Gomes Cardim
Proposta Pedagógica EEEM Gomes Cardim
Proposta Pedagógica EEEM Gomes Cardim
Proposta Pedagógica EEEM Gomes Cardim
Proposta Pedagógica EEEM Gomes Cardim
Proposta Pedagógica EEEM Gomes Cardim
Proposta Pedagógica EEEM Gomes Cardim
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Proposta Pedagógica EEEM Gomes Cardim

5,855

Published on

Projeto Político Pedagógico da Escola Estadual Gomes Cardim em Vitória -ES

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
5,855
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
67
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Transcript of "Proposta Pedagógica EEEM Gomes Cardim"

  1. 1. GOVERNO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO PROPOSTA PEDAGÓGICA DA EEEM “GOMES CARDIM” 2011
  2. 2. SUMÁRIOI-IDENTIFICAÇÃO DA ESCOLA.....................................................................................II- CARACTERIZAÇÃO DA INSTITUIÇÃO.....................................................................III-CARACTERIZAÇÃO DA DEMANDA ATENDIDA PELA ESCOLA E PELA COMUNIDADE...........................................................................................................................IV- CARACTERIZAÇÃO DO CORPO DOCENTE E ESPECIALISTAS..........................V- PRECEITOS FILOSÓFICOS E PEDAGÓGICOS......................................................VI--ORGANIZAÇÃO CURRICULAR ..............................................................................VII- ESPAÇOS FÍSICOS E EQUIPAMENTOS...............................................................VIII- PROPOSIÇÕES DE INSERÇÃO SOCIAL DE ALUNOS COM NECESSIDADESESPECIAIS E ATENDIMENTO AO ALUNO TRABALHADOR.......................................IX- RELAÇÕES OU PARCERIAS COM A COMUNIDADE LOCAL,REGIONALE NACIONAL...................................................................................................................X-ARTICULAÇÃO ENTRE FAMÍLIA/ESCOLA/COMUNIDADE.....................................XI- PROVIDÊNCIAS PARA MELHORIA DA QUALIDADE DE ENSINO.......................XII-MECANISMOS DE AVALIAÇÃO............................................................................... 2
  3. 3. I-IDENTIFICAÇÃO DA ESCOLAA Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Gomes Cardim, com sede à ruaWilson Freitas s/n, centro, Vitória- ES é uma instituição de Ensino Público Estadual,vinculada ao Sistema Estadual de Educação mantida pelo Governo do Estado do EspíritoSanto através da Secretaria de Estado da Educação – SEDU, sob a jurisdição daSuperintendência Regional de Carapina. Inscrita no Cadastro Geral de Contribuição doMinistério da Fazenda sob o nº -03380975/0001-80.Telefone (027) 3222-2332 e-mailescolagomescardim@sedu.es.gov.br. Funciona nos três turnos: Matutino, Vespertino eNoturno. Diretor WALACE BONICENHA, Secretário Escolar Ana Cristina Burgos. Acapacidade de matrícula é de 1200 alunos, os níveis de ensino ofertados são Ensino Médio eEducação Profissional. A seguir discriminamos os cursos ofertados e seus respectivos atosautorizativos. Lei nº 166 de 05/09/1908-criação da escola Resolução CEE/ES nº 41/75-28/11/75-aprovação da escola com a oferta das séries iniciais do ensinofundamental.Portaria E nº 3514- 16/07/99- transformação da escola em EPSG e criação doEnsino Médio.Portaria 055-R de 12/06/02-classificação das EPG,EPSG e ESG da redeestadual para EEEF,EEEFM e EEEM em função da lei nº 9394/96. Aprovação do Curso deEnsino Médio: Parecer CEE nº 2.764/2010 da Resolução CEE nº 2.451/2010, publicada DIOde 22/09/2010. Oferta do Ensino Fundamental foi encerrada pelo parecer do CEE2.864/2010, Resolução 2.541/2010. Curso Técnico em Comércio-Portaria nº49-R,de24/03/2006-criação do curso Resolução CEE/ES nº1478/07-06/06/2007 Aprovação do cursoTécnico em Comércio por 03 anos.Curso Técnico em Informática-Portaria nº 50-R,de24/03/2006-criação do curso Resolução CEE/ES nº 1511/07- 20/08/2007 Aprovação do cursoTécnico em Informática por 03 anos.Resolução CEE/ES nº 1721/08-02/09/2008-aprovaçãoda ampliação de vagas para os cursos técnicos em Comércio e Informática..ResoluçãoCEE/ES nº 2042/09-09/09/2009-convalidação dos estudos dos alunos do Ensino Médio até ofinal do ano letivo de 2009..Curso Técnico em Guia de Turismo-Portaria nº 108-R, de07/10/2009 -criação do curso Resolução CEE/ES nº2155/2010,de 26/01/2010-aprovação docurso Técnico em Guia de Turismo por 03 anos Curso Técnico em Administração- Portarianº 111-R, de 07/10/2009 -criação do curso Resolução CEE/ES nº2142/2009,de 07/01/2010-aprovação do curso Técnico em Administração por 03 anos.Curso Técnico em Lazer-Portaria nº 110-R, de 07/10/2009 -criação do curso Resolução CEE/ES nº2154/2010,de26/01/2010-aprovação do Curso Técnico em Lazer por 03 anos.Curso Técnico emBiblioteconomia- Portaria nº 116-R, de 15/10/2009 -criação do curso Resolução CEE/ESnº2146/2009,de 07/01/2010-aprovação do curso Técnico em Biblioteconomia por 03anos.Curso Técnico em Manutenção e Suporte em Informática- Portaria nº 109-R, de07/10/2009 -criação do curso Resolução CEE/ES nº2140/2009,de 07/01/2010-aprovação docurso Técnico em Manutenção e Suporte em Informática por 03 anos. Curso Técnico emRedes Portaria nº059-R ,de 28/05/2010 -criação do curso Resolução CEE/ESnº2322/2010,de 30/06/2010-aprovação do Curso Técnico em Redes de Computadores por03 anos. Curso Técnico em Internet Portaria nº059-R de 28/05/2010 -criação do cursoResolução CEE/ES nº2322/2010,de 30/06/2010-aprovação do Curso Técnico em Internetpor 03 anos. Curso Técnico em Eventos Portaria nº059-R de 28/05/2010 -criação do cursoResolução CEE/ES nº2322/2010,de 30/06/2010-aprovação do Curso Técnico em Eventospor 03 anos.Curso Técnico em Transações Imobiliárias Portaria nº044-R de 06/06/2011-criação do curso Resolução CEE/ES 3198/2011,de 20/09/2011-aprovação do CursoTécnico em Transações Imobiliárias por 03 anos. Curso Técnico em Serviços deCondomínio Portaria nº044-R de 06/06/2011 -criação do curso Resolução CEE/ES3206/2011,de 20/09/2011-aprovação do Curso Técnico em Serviços de Condomínio por 03anos. 3
  4. 4. Curso Técnico em Agenciamento de Viagem Portaria nº044-R de 06/06/2011 -criação docurso Resolução CEE/ES 3204/2011,de 20/09/2011-aprovação do Curso Técnico emAgenciamento de Viagem por 03 anos. Curso Técnico em Logística Portaria nº044-R de06/06/2011 -criação do curso Resolução CEE/ES 3203/2011,de 20/09/2011-aprovação doCurso Técnico em Logística por 03 anos. Curso Técnico em Secretariado Portaria nº044-Rde 06/06/2011 -criação do curso Resolução CEE/ES 3205/2011,de 20/09/2011-aprovaçãodo Curso Técnico em Secretariado por 03 anos. Curso Técnico em Comércio ExteriorPortaria nº044-R de 06/06/2011 -criação do curso Resolução CEE/ES 3199/2011,de20/09/2011-aprovação do Curso Técnico em Comércio Exterior por 03 anos. 4
  5. 5. NOME DA ESCOLA:ESCOLA ESTADUAL DE ENSINO MÉDIO “GOMES CARDIM”CNPJ:03.381.661/0001-00ENDEREÇO: RUA WILSOM FREITAS S/N, CENTRO. CIDADE:VITÓRIA,ES.EMAIL:escolagomescardim@sedu.es.gov.br TEL: 027 3222-2332TURNO DE FUNCIONAMENTO: MANTENEDOR: SEDU-MATUTINO,VESPERTINO E NOTURNO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO-GOVERNO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTODIRETOR: WALACE BONICENHASECRETARIO: ANA CRISTINA BURGOSCAPACIDADE DE MATRÍCULA: 1200 ALUNOSNÍVEIS DE ENSINO OFERTADOS: ENSINO MÉDIO E EDUCAÇÃO PROFISSIONALCURSOS OFERTADOS E RESPECTIVOS ATOS AUTORIZATIVOSLei nº 166 de 05/09/1908-criação da escolaResolução CEE/ES nº 41/75-28/11/75-aprovação da escola com a oferta das séries iniciaisdo ensino fundamental.Portaria E nº 3514- 16/07/99- transformação da escola em EPSG e criação do Ensino Médio.Portaria 055-R de 12/06/02-classificação das EPG,EPSG e ESG da rede estadual paraEEEF,EEEFM e EEEM em função da lei nº 9394/96. Aprovação do Curso de Ensino Médio:Parecer CEE nº 2.764/2010 da Resolução CEE nº 2.451/2010, publicada DIO de 22/09/2010.Encerramento da oferta do Ensino Fundamental parecer do CEE 2.864/2010, Resolução2.541/2010.Curso Técnico em Comércio-Portaria nº49-R,de 24/03/2006-criação do curso ResoluçãoCEE/ES nº1478/07-06/06/2007 Aprovação do curso Técnico em Comércio por 03 anosCurso Técnico em Informática-Portaria nº 50-R,de 24/03/2006-criação do curso ResoluçãoCEE/ES nº 1511/07- 20/08/2007 Aprovação do curso Técnico em Informática por 03 anosResolução CEE/ES nº 1721/08-02/09/2008-aprovação da ampliação de vagas para os cursostécnicos em Comércio e Informática.Resolução CEE/ES nº 2042/09-09/09/2009-convalidação dos estudos dos alunos do EnsinoMédio até o final do ano letivo de 2009.Curso Técnico em Guia de Turismo-Portaria nº 108-R, de 07/10/2009 -criação do cursoResolução CEE/ES nº2155/2010,de 26/01/2010-aprovação do curso Técnico em Guia deTurismo por 03 anosCurso Técnico em Administração- Portaria nº 111-R, de 07/10/2009 -criação do cursoResolução CEE/ES nº2142/2009,de 07/01/2010-aprovação do curso Técnico emAdministração por 03 anosCurso Técnico em Lazer- Portaria nº 110-R, de 07/10/2009 -criação do curso ResoluçãoCEE/ES nº2154/2010,de 26/01/2010-aprovação do Curso Técnico em Lazer por 03 anosCurso Técnico em Biblioteconomia- Portaria nº 116-R, de 15/10/2009 -criação do cursoResolução CEE/ES nº2146/2009,de 07/01/2010-aprovação do curso Técnico emBiblioteconomia por 03 anosCurso Técnico em Manutenção e Suporte em Informática- Portaria nº 109-R, de07/10/2009 -criação do curso Resolução CEE/ES nº2140/2009,de 07/01/2010-aprovação docurso Técnico em Manutenção e Suporte em Informática por 03 anosCurso Técnico em Redes Portaria nº059-R ,de 28/05/2010 -criação do curso ResoluçãoCEE/ES nº2322/2010,de 30/06/2010-aprovação do Curso Técnico em Redes deComputadores por 03 anosCurso Técnico em Eventos Portaria nº059-R de 28/05/2010 -criação do curso ResoluçãoCEE/ES nº2322/2010,de 30/06/2010-aprovação do Curso Técnico em Eventos por 03 anosCurso Técnico em Internet Portaria nº059-R de 28/05/2010 -criação do curso ResoluçãoCEE/ES nº2322/2010,de 30/06/2010-aprovação do Curso Técnico em Internet por 03 anos 5Curso Técnico em Transações Imobiliárias Portaria nº044-R de 06/06/2011 -criação docurso Resolução CEE/ES 3198/2011,de 20/09/2011-aprovação do Curso Técnico emTransações Imobiliárias por 03 anos.
  6. 6. HISTÓRICO DA ESCOLAA Escola Estadual de Ensino Médio “Gomes Cardim” autorizada a funcionar pela Lei 166 de05 Setembro de 1908. Inicialmente instalada na antiga Escola D. Pedro II – atual EscolaEstadual Maria Ortiz, localizada no Centro de Vitória. Em 1928, a Escola Primária “GomesCardim”, foi instalada no prédio construído especialmente pra abrigá-la. Neste prédio hojefunciona a Escola de Arte FAFI, sob a administração da Prefeitura Municipal de Vitória.Depois do período onde esteve instalada neste prédio, a escola foi transferida, para onde éhoje a FAMES (Faculdade de Música do Espírito Santo). Após este período, a Escola foitransferida para sua sede atual, no final da Rua Wilson Freitas sobre a antiga Capitania dosPortos (atual Casa Porto das Artes) e está inserida na área de preservação ambiental,ladeada pelas reservas: Parque “Gruta da Onça” e Parque da Fonte Grande.O nome da Escola é uma referência ao Prof. Carlos Alberto Gomes Cardim que pertencia àtradicional família paulistana, que veio ao Estado do Espírito Santo a fim de reformar oensino primário e secundário, como Secretário de Educação.Até o ano de 1998, a Escola funcionava no turno diurno, e com turmas de 1º e 2º ciclo deensino fundamental que acabou sendo extinto devido à municipalização do ensino emVitória. No início de 1999, foi implantado o 2º grau. Atualmente, a escola funciona no períodomatutino, com turmas do 1º, 2º e 3º anos do Ensino Médio e no turno vespertino com duasturmas do curso técnico em Informática, implantado em 2006.A partir de 2003, a escola sofreu reformas consideráveis em seu espaço físico,consequentemente melhorando toda estrutura e oferta de ensino, ofertando Cursos Técnicose Ensino Médio, estabelecendo assim uma nova concepção de oferta de ensino no Estadodo Espírito Santo.Em 2009, iniciamos o ano letivo com três turmas de cursos técnicos aprovados peloConselho Estadual de Educação: 02 (duas turmas de Curso Técnico em Informática e 01(uma) turma de Curso Técnico em Comércio. Após cinco anos ofertando apenas os turnosmatutino e vespertino, no segundo semestre de 2010, a escola passou a ofertar os trêsturnos: matutino , vespertino e noturno, sendo que o Ensino Médio é ofertado apenas noturno matutino e a Educação Profissional nos três turnos. 6
  7. 7. Em 2010, foram ofertados novos cursos técnicos no turno vespertino: Cursos de Guia deTurismo, Lazer, Administração, Biblioteconomia e Manutenção e Suporte em Informação,duas novas turmas em Informática (uma no turno matutino e outra no turno vespertino) e nosegundo semestre ofertados no turno noturno: Curso Técnico em Eventos, Curso Técnico emRedes, Curso Técnico em Internet, Administração, Informática e Manutenção e Suporte emInformática. Além dessas turmas de Educação Profissional, no segundo semestre de 2011,a escola passou a ofertar também duas turmas de novos cursos técnicos: em Secretariado eComércio Exterior, no turno vespertino.Ainda em 2011, foram ofertadas no turno noturno,mais quatro turmas nos novos cursos técnicos de:Logística, TransaçõesImobiliárias,Serviços de Condomínio e Agenciamento de Viagens. No turno matutino,foramofertadas duas turmas de cursos técnicos:Manutenção e Suporte em Informática eInformática,além do Ensino Médio.II-CARACTERIZAÇÃO DA INSTITUIÇÃOOBJETIVOS DA EDUCAÇÃO ESCOLARAtualmente, as atenções se dirigem para um mundo que se move e esse movimento permitesuperar fronteiras e diminuir as distâncias, inclusive entre os países desenvolvidos e emdesenvolvimento, entre conhecimento e ignorância, entre as questões compartilhadas e asindividuais. O mundo vem passando por transformações profundas decorrentes dareorganização mundial, direcionadas pela lógica da internacionalização do capital e dotrabalho. O impacto dessas transformações incide em alterações no âmbito social, cultural epessoal delegando ao sistema educacional a responsabilidade de encontrar alternativas deadequação às necessidades demandadas pelos anseios dos setores produtivos e sociais.Hoje já se repensa a escola enquanto espaço dialético visando uma sólida formação básica,cidadã, incorporando também novas práticas de gestão onde os atores do processoeducativo atuam como co-participantes na tomada de decisões.O trabalho que propomos desenvolver no decorrer do processo educativo ao longo doperíodo visa formar cidadãos livres, conscientes, reconhecendo que a formação integral docidadão requer mais que o domínio de conceitos e informações, mais que aquisição decompetência instrumental ou técnica. Para que de fato essas transformações ocorram, aconstrução dessa Proposta Pedagógica levou todos os envolvidos no processo educacional 7
  8. 8. a repensar suas práticas que antes pareciam tão certas, redimensionarem o papel doeducador e ampliar a visão de educação. Na construção, pautamos nossas discussões nosseguintes objetivos:• Formar indivíduos criativos, capazes de buscar meios diversos para garantir a sua sobrevivência adaptando-se às mudanças aceleradas que estão acontecendo no mundo, principalmente as provocadas por questões econômicas e tecnológicas.• Desenvolver um trabalho integrado de forma transparente, envolvendo a comunidade no debate e nas decisões sobre educação e organização escolar, formando o indivíduo como um todo, visando aspectos intelectuais, cognitivos, afetivos e sociais, para que tenham condições de continuar construindo seus conhecimentos em busca da transformação da sociedade bem como de sua realização pessoal, social e profissional é prioridade da escola.OBJETIVOS DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO A consolidação do Ensino Médio como etapa da Educação Básica e como um direito detodos os cidadãos é um objetivo não somente do governo, mas de toda a sociedade. Formarpara o trabalho é uma preocupação que acompanha o processo histórico social e a partir daí,a escola assume um papel preponderante na formação do aluno trabalhador organizandosuas práticas educativas em função do setor produtivo.A Educação Profissional apresenta-se como modalidade de ensino que melhor configura aestreita relação entre as diversas esferas da sociedade e o sistema educativo. Parece difícilpensar em um trabalho educativo que efetivamente se articule aos interesses dostrabalhadores, das classes populares, sem ter como ponto de partida e de chegada, oconhecimento e a cultura. Nessa perspectiva, pautamos nossas discussões nos seguintesobjetivos:• Formar alunos trabalhadores, conhecedores de seus direitos e deveres, que respondam às exigências do novo paradigma tecnológico e de gestão organizacional, sem devemos perder de vista que esse profissional deverá ser formado em toda sua plenitude.• Oferecer condições para que os alunos desenvolvam as competências e habilidades necessárias a construção da cidadania e a inserção no mercado de trabalho e na sociedade de modo geral com autonomia e participação. 8
  9. 9. OBJETIVOS DA EDUCAÇÃO BÁSICA DE NÍVEL MÉDIOPreparar o educando, enquanto etapa final da educação básica, para o trabalho e para acidadania objetivando a continuidade do processo de aprendizagem, de modo que este sejacapaz de compreender o mundo físico, social e cultural. Essa formação geral do educando,acerca dos fundamentos científico-tecnológicos, assim como sua qualificação para otrabalho, deve sustentar-se nos fundamentos estéticos, políticos e éticos que inspiram aConstituição e a LDB nº 9394/96, baseando-se também na política da igualdade e na éticada identidade como princípios norteadores.Redimensionar seus conteúdos de ensino ou áreas, de forma interdisciplinar econtextualizada como garantia de diálogo entre as diferentes áreas do saber e dessas áreascom a realidade.A educação, direito de todos e dever do Estado e da família, é um bem público que deveservir aos propósitos da emancipação humana e, consequentemente, do desenvolvimentosocial e econômico da nação. A educação como obra de mudança, de movimento de umadada situação a outra diferente, mediante um determinado caminho.A escola buscará estimular os diversos atores educacionais a desenvolverem umaconsciência de si, do outro e do mundo, por meio da constante elaboração da relação serhumano-natureza-sociedade. Nesse sentido, a vida requer convivência na promoção da pazinterior, paz social e paz ambiental.Os princípios norteadores da Educação Básica serão norteados pelos mesmos de todo RedeEstadual de Educação do Estado do Espírito Santo: • Valorização e afirmação da vida; • O reconhecimento da diversidade na formação humana; • A educação como bem público; • A aprendizagem como direito do educando; • A ciência, a cultura e o trabalho como eixos estruturantes do currículos.PLANO DE FUNCIONAMENTO 9
  10. 10. QUADRO DE FUNCIONAMENTO/2012-Noturno CURSOS TÉCNICOS Horário: 18 horas e 30 minutos às 21 horas e 50 minutos Séries Nº. de Capaci Salas Metragem ou Turmas alunos dade de Curso módulos matricu la 01 44,03m² 1º módulo/técnico 01 17 30 Curso Técnico em RedesLaboratório I Redes de de Computadores Computadores 1º módulo 02 44,05m² Comércio Exterior 01 25 35 Curso Técnico Comércio Exterior 03 49,50m² 2º módulo Logística 01 30 30 Logística 04 43,05m² 2º módulo Tec. 01 30 30 Transações Imobiliárias Transações Imobiliárias 05 43,25m² 2º módulo Serviços de 01 30 30 Serviços de Condomínio Condomínio 06 42,99m² 2º módulo 01 30 30 Agenciamento de Agenciamento de Viagens Viagens 44,03m² 3º módulo de Redes 01 18 30 Redes de Computadores 07 de ComputadoresLaboratório II 08 18,87m² 3º módulo de Internet 01 12 30 InternetRádio/Sala de Áudio 09 28,51m² 1º módulo/técnico em 01 30 30 Curso Técnico emLaboratório III Informática Informática 43,32m² Turmas dos - - 35 Cursos Técnicos 10 Técnicos/multicursosLaboratório IV 41,70m² 3º módulo Informática 01 17 30 Técnico em Informática 11Laboratório V 1 12 43,17m² 1º módulo 01 30 30 Técnico em Biblioteconomia Biblioteconomia
  11. 11. DESEMPENHO DA ESCOLA NAS AVALIAÇÕES EXTERNASEm relação ao desempenho da escola no ENEM - Exame Nacional do Ensino Médio,apresentamos os dados abaixo com a observação de que houve um pequeno, massignificativo, índice de avanço na qualidade da aprendizagem.Ano 2005 s/c (sem conceito)Ano 2006 36,43Ano 2007 42,98Ano 2008 48,86Ano 2009 481,95Ano 2010 482,88PAEBESOs resultados das avaliações do PAEBES fornecem informações para que o desempenhodos estudantes possa ser verificado. De posse das informações obtidas com essesresultados, é possível analisar, em profundidade, a aprendizagem dos estudantes. Dessaforma, as práticas pedagógicas de sua escola estão sendo revistas através dos Planos deIntervenção, a fim de garantir a melhoria da aprendizagem discenteProficiência Média % por Padrão de Desempenho – 1º anos Português2010 228,42009 235,82008 217,5Proficiência Média % por Padrão de Desempenho – 1º anos Matemática2010 227,12009 235,12008 237,7Proficiência Média % por Padrão de Desempenho – 3º anos Língua Portuguesa248,2Proficiência Média % por Padrão de Desempenho – 3º anos Matemática232,8Como a escola não oferta as etapas de Educação Infantil, Fundamental e EJA, nãoapresentaremos o seu desempenho nas avaliações externas do SAEB e Prova Brasil. 1
  12. 12. PERFIL DA CLIENTELAPERFIL DOS PROFESSORES E ESPECIALISTASPara desenvolvimento do processo de aprendizagem proposto pela escola, é preciso quetoda a equipe, desde professores, corpo técnico administrativo e até mesmo auxiliaresadministrativos ou de serviços gerais, tenham a disponibilidade de atuar e desempenharsuas funções com compromisso de qualidade e autonomia.Para integrar-se ao quadro de professores, os profissionais participam de processo seletivoclassificatório, atendendo aos princípios do edital próprio da área pleiteada e devemcomprovar a escolaridade mínima ( conclusão do 3º grau ou estar cursando períodos finaisem área específica para os componentes curriculares do Ensino Médio ).Deve-se considerar que no quadro de profissionais que atuam no do Ensino Médio aexistência somente de 02 (dois) profissionais efetivos: 01 professor de Língua Portuguesa,atuando na escola desde 2008 e 01 pedagoga que iniciou suas atividades na escola emFevereiro de 2011.Para atuar na Educação Profissional de nível médio, os professores deverão ter formaçãoespecífica nas áreas expressas em edital para processo seletivo simples e a legislaçãoadmite que os cursos técnicos tenham até dois professores de nível médio ou técnico casonão haja outra possibilidade.O coordenador de curso deverá ter formação específica na área do curso em que coordena.De acordo com a proposta de estudos concomitantes aos projetos extras e complementares,torna-se necessário que a equipe demonstre habilidades e competências relativas àresponsabilidade no atendimento ao aluno a fim de sanar situações diversas que surgem nodecorrer dos progressos e dificuldades no desenvolver dos referidos projetos.Espera-se que, para a eficácia do planejamento e execução das ações planejadas, aconteçaa busca de oportunidades de constante atualização no contexto educativo docente.Os avanços e crescimento da oferta do ensino profissional na escola foi oportunizada peloenvolvimento da equipe e principalmente pela dedicação dos seus funcionários que atuamcom essa modalidade de ensino que conta com o profissional efetivo no turno vespertinodesde 2006. 1
  13. 13. ESTRUTURA ORGANIZACIONALA garantia de padrão de qualidade fundamenta-se na democratização da gestão, navalorização da função docente, na adequação dos laboratórios e equipamentos e naspráticas pedagógicas. Tais pontuações indicam um novo padrão de gestão, discutido econstruído em processos participativos e democráticos.O modelo de gestão adotado pauta-se na participação e discussões nas decisõesimportantes e de rotina, garantindo a atuação do Conselho de Escola buscando interaçãoentre os segmentos para melhorias nas relações na comunidade escolar. Para que a gestãoefetive-se de forma democrática torna-se necessário considerar as garantias de aquisiçãoou ampliação de materiais necessários e acervos para desenvolver atividades, articularações seja de ordem pedagógica ou financeira; favorecer a socialização das informações epossibilitar a inclusão de todos os segmentos-pais, alunos, comunidade, funcionários eprofessores na composição do Conselho de Escola com eleições e nos projetoseducacionais, desde a sua concepção até a sua culminância;garantir a aplicação dosrecursos destinados à escola prioritariamente para o desenvolvimento do ensino e ocumprimento do calendário escolar que tange os dias letivos e demais atividades nelesugeridas.A instituição escolar conta com a organização de seu funcionamento pautada do RegimentoComum das Escolas Estaduais que permeia de forma clara os direitos e deveres de cadaatuante em seu âmbito no desempenho de suas funções, conforme registra-se abaixo:III-CARACTERIZAÇÃO DA DEMANDA ATENDIDA PELA ESCOLA E COMUNIDADEPERFIL DOS ALUNOSA Escola atende uma clientela bem diversificada e não é uma escola de referência, muitossó matriculam-se aqui porque não conseguem vaga para estudar na EEEM Maria Ortiz ou 1
  14. 14. Estadual, ou mesmo porque trabalham no Centro da cidade e a proximidade do trabalhotorna-se cômoda.Grande parte dos alunos atendidos no ensino Médio é proveniente de bairros vizinhos comoForte São João, Romão, Fonte Grande e Ilha do Príncipe. Muitos procuram matriculas nessaescola mas acabam abandonando os estudos por diversas razões, dentre elas anecessidade de trabalhar (geralmente na economia informal) ou mesmo a criminalidade.Asituação sócio econômica desses alunos é indicativo de baixa renda, e em apuração dedados feita com registro na escola podemos observar que a maioria tem acesso aos meiosde comunicação mais comuns como televisão, rádio e jornal mas a maioria não possuicomputador em casa. Em sua maioria, são alunos que trabalham ou precisam trabalhar,provenientes das chamadas “famílias carentes”.Podemos constatar também que a maioria tem moradia própria (com endereço comprovadoatravés de apresentação de contas de água, luz ou telefone no ato da matrícula), porém emlocais de difícil acesso para entrega de correspondência pelos correios, já que as maioriasdas correspondências enviadas retornam sem serem entregues. Geralmente são alunos queprecisam ser trabalhados no sentido de aprimorar a autonomia, a auto- estima e o impulso aapropriação de conhecimentos sistematizados.Já os alunos dos cursos técnicos não são oriundos de bairros próximos, ao contrário,geralmente são provenientes de bairros mais distantes da Grande Vitória, como Serra, VilaVelha e Cariacica. São alunos aprovados em processo seletivo, que tiveram inclusiveobservado o aspecto sócio econômico na classificação, priorizando alunos de baixa renda.Todos, sem exceção, concluíram ou estão concluindo o 3º ano do Ensino Médio.PERFIL DA COMUNIDADEA comunidade no entorno da escola é constituída geralmente por famílias de rendamiscigenada média e baixa ,que trabalham principalmente no comércio do Centro de Vitóriae em sua maioria são moradores que não têm filhos em idade escolar no ensino regular.Poucos são moradores antigos da região -muitas casas são disponibilizadas para aluguel- 1
  15. 15. paralelas a alguns estabelecimentos como restaurantes, sindicatos, padarias, hotel, igrejas,bares e outros.Podemos afirmar que a escola está inserida no centro comercial de Vitória.Como a escola limita-se com reservas municipais do Parque da Gruta da Onça e Parque daFonte Grande, a pouca vizinhança que reside além das reservas não costuma utilizar amesma trajetória para acesso as suas moradias .A comunidade escolar é participativa, índices de freqüência em reuniões bimestrais apontamapoio considerável às atividades educativas e algumas famílias buscam apoio da escola noque diz respeito a conduta moral de seus filhos procurando soluções para o quadro deviolência aliada às drogas que se manifesta na sociedade.A participação dessa comunidade em eventos de apresentação de trabalhos culturais eartísticos é expressiva.IV- CARACTERIZAÇÃO DO CORPO DOCENTE E DE ESPECIALISTASA EEEFM “Gomes Cardim” possui em seu quadro de funcionários, profissionais habilitadosnas áreas que atendem. Alguns profissionais são mestres, pós-graduados, graduados eoutros ainda estudantes em faculdades de licenciatura na área em que atuam. A escolaconta com profissionais em designação temporária (Dts) que são encaminhados pelaSuperintendência de Educação., o que compromete a filosofia da escola devido arotatividade que se instala com essa situação.Na secretaria da escola, o atendimento é feito por 05(cinco) funcionárias e 02 (dois)funcionários realizam atendimento na Biblioteca.Há também uma coordenadora que atende o turno matutino e no vespertino e noturno nãose evidenciou necessidade de um coordenador de turno, pois nestes turnos funcionam oscursos técnicos e cabe registrar que cada curso tem um coordenador de curso.Quanto ao quadro técnico administrativo e docente ficam assim estruturados:QUADRO TÉCNICO ADMINISTRATIVONº PROFISSIONAL FUNÇÃO HABILITAÇÃO TURNO01 Walace Bonicenha Diretor da Escola Licenciatura Diurno/noturn Plena em História o02 Marilena Luchi Nascimento Pedagoga Licenciatura Vespertino Plena Pedagogia03 Solayne Gave Demuner Pedagoga Bacharel em Matutino Pedagogia e 1
  16. 16. Pós-Graduada em Psicopedagogia e Gestão Educacional04 Maria Joana Gonçalves Coordenadora de Licenciatura Matutino Amorim turno Plena Filosofia, Ciências e Letras05 Ana Cristina Burgos Secretária Ensino Médio Matutino06 Antonio Raposo de Freitas Auxiliar de Matutino/Ves Biblioteca pertino07 Gilda Néri de Castro Pinto Auxiliar de Técnica em Vespertino Secretaria Secretaria Escolar08 Hilda Reis Severiano de Auxiliar de Técnico em Matutino Castro Secretaria Administração09 Maria da Penha Geciano Filho Auxiliar de Técnico em Noturno Secretaria Informática10 Ronaldo Rios Ferreira Agente Escolar Vespertino/ NoturnoQUADRO DOCENTENº PROFESSOR (A) DISCIPLINA HABILITAÇÃO01 Andre Freire Ramos Sistemas Operacionais Sistema de Informação Linguagens de Programação Documentação de Sistemas02 Andréia Neves Delogo Linguagem de Programação Sistema de Informação03 Andréia Vignati Ferreira Administração e Sistemas Sistema de Informação Operacionais de Rede Sistemas Operacionais Informática Aplicada 1
  17. 17. 04 Adriano de Lima Vieira Redes, Protocolos e Redes de Computadores Segurança da Informação. Arquitetura de Computadores Banco de Dados Linguagens de Programação Orientadas a Objetos Instalação de Sistema05 Aljesmar Lima de Moura Atividades Práticas e Visitas Turismo e Geografia Supervisionadas Planejamento e Organização Turística/ Normas E Políticas Públicas Para Eventos06 Ana Paula Imbroisi VAlle Eventos, Recreação de Lazer Turismo Recreativo07 Bruna Meirieli da Silva Internet Sistema de Informação Portes Análise e Projetos de Sistemas08 Bruna Zution Dalle Prane Matemática Financeira Matemática09 Carlos Eloi de Faria Turismo, Hotelaria E Turismo - Biologia Hospitalidade10 Daniel Matos Rodrigues Eletricidade e Eletrônica Engenheiro Mecânico11 Desinete Maria Lovati Língua Portuguesa Letras Português/Inglês Delunardo12 Djenane Soares Alves Arte Artes Visuais13 Eliane Saudino Direito e Legislação Ciências Sociais/História14 Edvandro sipolatti Projeto de Manutenção Sistema de Informação Esguersoni15 Eric Alcoforado dos Direito e Legislação Ciências Jurídicas e Santos Sociais16 Fabio da Costa Bastos Administração de Recursos Administração de 1
  18. 18. Humanos Empresas Empreendedorismo17 Fernanda Cristina Toso Matemática Licenciatura Plena de Assis Matemática18 Fernando Wencelewski Redes, Protocolos e Análise de Sistemas Possenti Segurança da Informação Administração e Sistemas Operacionais de Rede19 Giselle Diniz Silva Chaves Física Física Pereira20 Gustavo Santana Criação e Editoração de Análise e Desenvolvimento Imagens de Sistema Programação e Web Design21 Hudson Ribeiro Filosofia/Jet Graduação Filosofia e Pós Graduado em Educação Comunitária22 Isaura Cabacinha Lopes Geografia Turística Mestre em Meio Ambiente /Cartografia e Meio Ambiente e Sustentabilidade Licenciatura em Geografia23 Jailma Francisca de Espanhol Graduação Jesus Santana Português/Espanhol24 Jean Carlos Kennup Fundamentos de Redes Superior em Tecnologia e Piumbini Administração e Segurança Desenvolvimento de Sistemas de Redes25 Júlio Cezar Merij Mário Coordenação de Curso Superior em Tecnologia da Equipamento e Arquitetura de Informação Redes Infra Estrutura de Redes de Computadores e Conectividade26 Karla Serrano de Oliveira História Licenciatura Plena em 1
  19. 19. História27 Katiuscia Aparecida Recreação e Lazer em Licenciatura em Educação Moreira de Oliveira Eventos Física Mendes28 Leonardo Ferreira Linguagem de Programação Sistema de Informação para Internet e Sistema de MBA em Gerenciamento Banco de Dados de Projetos29 Leonardo Ferreira de Coordenador de Curso Processamento de Dados Mello Fundamentos de Programação Projeto de Manutenção30 Leonardo Loyola Perini Gestão de Bibliotecas Biblioteconomia Bibliografia e Referência Arquivologia31 Lohaine Jardim Barbosa Ética Mestre em Ciências Sociais Legislação Turística Ética, Meio Ambiente e Qualidade no Trabalho32 Luciana Luchi Ribeiro Psicologia Do Graduação em Desenvolvimento Comunicação Social e Comunicação Oficial E Jornalismo História dos Meios de Mestrado em Metodologia Comunicação Científica Comunicação Empresarial/ Etiqueta Profissional33 Marcia Cristina Pereira de Turismo Histórico e Cultura Bacharel em Turismo Oliveira dos Santos Regional Gastronomia Local e Regional Marcos Vieira34 Instalação de Computadores Análise de Sistemas Algoritmos e Lógica de Programação 1
  20. 20. Fundamentos de Programação35 Marlene Ferreira Fonseca Inglês / Literatura Português Inglês36 Maria Aparecida Matemática Financeira E Ciências Contábeis Gonçalves da Silva Recursos Humanos Gestão Financeira de Eventos37 Maria José Pereira Administração Financeira Pós Graduação em Gomes Administração Financeira38 Mirian Almeida Giacomin Inglês Letras Portugues Inglês39 Ozeas Teixeira Neves Aplicativos Computacionais Análise de Sistemas40 Pamela Carla Ribeiro de Geografia Geografia Oliveira41 Renata Braga Administração Em Recursos Administração Humanos Organização de Empresas (Gestão) Administração Geral42 Renato Cesar de S. Química Química Oliveira43 Renildo Bueke Sistemas Operacionais Gestão de Sistema de Informação44 Rita de Cássia Gomes Educação Física Educação Física Batista45 Rodrigo Marone Santos Biologia Biologia46 Roger Costa de Souza e Coordenação de Curso Bacharel em Turismo Souza Fundamentos do Turismo Técnicas de Guiamento Turístico47 Ronei Roberto Cunha Fundamentos de Hardware e Sistema de Informação Médici Montagem de Computadores 2
  21. 21. Projeto de Rede48 Rosiane Sudré Campos Sociologia Ciências Sociais49 Simone Motta Língua Inglesa Letras Português/Inglês50 Teresa Cristina Ferrari Gestão de Pessoas Tecnologia em Processamento de Dados Projetos de Programação51 Thalisson Janio Pelegrini Coordenação de Curso Superior em Tecnologia e Desenvolvimento de Instalação de Sistemas Sistemas Gerenciamento de Projetos52 Tiago Martins dos Santos Administração Geral Superior em Relações Internacionais Economia e Mercado Licenciatura em História Organização de Empresas Coordenação de Curso Empreendedorismo História, Manifestações Populares e Museologia53 Wagner Bolsoni Matemática Matemática54 Wolmyr Aimberê Português Letras/Português Alcantara FilhoAo final do 3º bimestre, no ano de 2008, tivemos o ingresso do professor efetivo WolmyrAimberê Alcântara Filho, Professor efetivo de Português, Pós graduado em Letras/Português e Mestre em Literatura - como o único professor efetivo fazendo parte integrantede nosso quadro docente até o momento.V- PRECEITOS FILOSÓFICOS E PEDAGÓGICOS “Quem quer transformar a realidade precisa conhecê-la, não só na aparência, mas emtoda sua complexidade”. (CARVALHO; 2003;P11).Sempre que há mudanças no mundo da educação, elas demoram algum tempo até seremassimiladas e postas em prática por todos, sobretudo num país com as dimensões do Brasil. 2
  22. 22. A partir do século passado, vários acontecimentos de importância histórica têm transformadoo cenário cultural, político, social e econômico mundial. Transformar está na própria essênciado ser humano, contribuir para o desenvolvimento desse ser faz parte do dia a dia noprocesso educativo.Os questionamentos surgem como reflexões: até que ponto no mundoatual, os indicadores sociais mostram melhorias na qualidade de vida? Que tipo de qualidadeestamos almejando?Atualmente, não basta preparar os alunos para a compreensão da realidade, é precisomotivá-los.O contexto de globalização que caracteriza o mundo atual evidencia um momentobastante crítico na história da humanidade: a produção do binômio: riqueza e pobreza comopontos distintos que parecem conduzir o homem a extremos diferentes como se fossem umaruptura.Se por um lado pareça assustador, por outro não se pode negar os progressosalcançados,conseqüentes da lógica capitalista.O que se questiona é a dicotomia entre aenorme produção de riquezas e a grande acentuação da pobreza,distanciando eproporcionando mais ainda a desigualdade social.Outra dicotomia observada diz respeito ao conhecimento. Muitas escolas estão preocupadascom a transmissão de conhecimentos, em fazer com que esses conhecimentos sejam úteispara os alunos. O que precisamos estar atentos é que não devemos priorizar essesconhecimentos, mas sim a construção deles. Paulo Freire mostra isso claramente napassagem que se segue: “Se observarmos o ciclo do conhecimento ,podemos perceber dois momentos ,e nãomais de dois, dois momentos que se relacionam dialeticamente. O primeiro momento dociclo,ou um dos momentos do ciclo, é o momento da produção da produção de umconhecimento novo, de algo novo. O outro momento é aquele em que o conhecimentoproduzido é conhecido ou percebido, (...) O que acontece, geralmente, é que dicotizamosestes dois momentos, isolamos um do outro. Consequentemente, reduzimos o ato deconhecer o conhecimento existente a uma mera transferência do conhecimento existente. Eo professor se torna exatamente o especialista em transferir conhecimento.Então ele perdealgumas das qualidades necessárias, indispensáveis, requeridas na produção doconhecimento existente. Algumas dessas qualidades são, por exemplo, a ação, a reflexãocrítica, a curiosidade, o questionamento exigente, a inquietação, a incerteza- todas estasvirtudes são indispensáveis ao sujeito cognoscente” ( Freire& Shor,1986).Na formação do estudante, além dos aspectos cognitivos, é importante que se privilegie osemocionais e culturais no entendimento da leitura do mundo a fim de construir valores no 2
  23. 23. relacionamento com esse mundo sem deixar de lado a relação entre o conhecimentohistoricamente construído , a construção do conhecimento e visão de mundo.A escola que vem formando apenas para o mercado de trabalho, que, apesar de necessário,não oportuniza o espaço da cultura, da arte, do diverso, como se todos fossem iguais,tivessem a mesma origem e os mesmos pontos de vista e se formassem para umasociedade de iguais.É preciso ter clareza quanto a pluralidade cultural de nossa sociedade. Os conflitos geradospelo quadro sócio histórico e econômico são fatores que apontam desigualdades sociais esuperar essas desigualdades é um desafio que se impõe em todos os âmbitos das práticassociais, para as quais se deve ter como objetivo a promoção do desenvolvimento, de forma aresgatar a capacidade dos sujeitos de projetarem um novo horizonte, como espaço deconvivência social que supere as atuais condições sub-humanas de existência esobrevivência.Não podemos deixar de citar a provocativa frase de Alain (Èmile Auguste Chartier,1868-1951);”Embalar não é instruir”. No final da Idade Média a escola saiu da sala de visitas docastelo medieval para “a polis”- cidade. Na cidade, o Liceu de Aristóteles, lugar de reuniãodos que queriam aprender, os que ensinavam,tinham um espaço físico e identidade próprios.A função da escola foi ampliada, de lá para cá se espera cada vez mais que promova odesenvolvimento em todos os seus aspectos característicos, inclusive formando pessoascuja contribuição será criar oportunidades de aprendizagens que ajudem na constituição deum mundo mais equilibrado. Nesse sentido é papel da educação, fundamentada em umaperspectiva humanista, formar cidadãos trabalhadores e conhecedores de seus direitos eobrigações para que a partir desse conhecimento e da compreensão crítica dessasociedade, sejam capazes de empreender uma inserção participativa em condições de atuarqualitativamente no processo de desenvolvimento econômico e de transformação darealidade.Ao tratar a educação como direito e base do desenvolvimento sustentável, quer sejaindividual ou coletivo, o Governo Federal tem por diretrizes a democratização do acesso, agarantia de permanência, a apropriação e produção de conhecimentos.A Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio “Gomes Cardim” encaminhou asdiscussões deste projeto de forma a garantir a busca da qualidade nas dimensões daigualdade e inclusão. Ao construir esse projeto, nessa dimensão, assumimos a tarefa deampliar a qualidade da educação que se desenvolve em nossa escola, aumentando a oferta 2
  24. 24. e ingresso nos cursos, a aprendizagem, continuidade até a conclusão com sucesso dosalunos garantindo assim a aprendizagem efetiva.A incumbência de qualificar o ensino diz respeito também à gestores,comunidade escolar eda sociedade direta ou indiretamente ligada ao processo educativo.A Escola Estadual de Ensino Médio “Gomes Cardim “que tem como finalidade formarcidadãos em consonância com as idéias e fins da Educação Nacional previstos naCONSTITUIÇÃO FEDERAL e na LEI de DIRETRIZES e BASES DA EDUCAÇÃONACIONAL nº 9394/96, em seu artigo 36 ( que versa sobre o Ensino Médio) e nos artigos 39a 42( que versam sobre a Educação Profissional) , sendo esses últimos regulamentados peloDecreto nº 2.208/97, como também pelas Diretrizes da Educação Profissional e dosParâmetros Curriculares Nacionais, Resolução CNB/CEB nº04/99. “Ainda de acordo com a Lei nº 9394/96, em seu capítulo III artigo 39:” a EducaçãoProfissional, integrada às diferentes formas de Educação, ao trabalho, à ciência e atecnologia, conduz ao permanente desenvolvimento de aptidões para a vidaprodutiva”,devendo portanto,essa modalidade de ensino estar em consonância com osdiversos setores da economia e da sociedade, oferecendo mecanismos de educação semperder de vista a formação cultural,profissional, política e ética dos cidadãos,enquantotrabalhadores produtivos e agentes na construção da equidade social.Entendida a situação em que a escola encontra-se é possível refletir e discutir sobre asações que deverão permear o trabalho educativo. Nesse sentido, algumas ações sãonecessárias, tais como exemplos:• Aumentar as parcerias para ofertas de estágios• Adotar alternativas metodológicas para resolver questões pedagógicas• Melhorar os resultados de aprendizagem• Estabelecer uma agenda de formação continuada para profissionais envolvidos na comunidade escolar- funcionários em geral que atuam dentro da escola.• Favorecer a socialização e discussões a todos os segmentos no Conselho de Escola• Desconstruir a associação juventude/violência como paradigma para análise de problemas na escola.• Garantir que os dados levantados das avaliações gerem mudanças nas práticas dos professores em sala de aula.• Desenvolver projetos por área de conhecimento. 2
  25. 25. • Promover atividades que oportunize o aluno a participar do seu processo de crescimento e supere as suas dificuldades usando a inteligência cognitiva, afetiva, emocional e social. • Promover grupos de estudos, capacitações e troca de experiências visando um maior conhecimento geral e específico da educação. • Promover atividades curriculares adequadas à realidade bem como contextualizá-las interdisciplinar mente. • Garantir a avaliação como análise sobre dados relevantes para tomada de decisões com a finalidade de sanar dificuldades observadas. • Interagir com as famílias envolvendo-as no processo educativo do filho. • Construir com professores, projetos e propostas de atividades que articulem a coerência e a prática. • Favorecer a socialização das informações e possibilitar a inclusão de todos os segmentos-pais, alunos, comunidade, funcionários e professores na composição do Conselho de Escola com eleições e nos projetos educacionais, desde a sua concepção até a sua culminância. VI-ORGANIZAÇÃO CURRICULAR DOS CURSOS OFERECIDOS PELA ESCOLA, E METODOLOGIAS DE ENSINO ORGANIZAÇÃO CURRICULAR – ENSINO MÉDIO – ANO 2011ORGANIZAÇÃO CURRICULAR - ENSINO MÉDIO - ANO 2011TURNO MATUTINOCARGA HORÁRIA DO CURSO= 3000 hCARGA HORÁRIA ANUAL= 1000 HORASDistribuidas em 200 dias letivosAula = 55 minutos de acordo com a Portaria nº065/2011 2
  26. 26. AMPARO LEGAL LEI Nº. 9.394/96 BASE NACIONAL CARGA HORÁRIA CARGA ÁREAS DE COMPONENTES SEMANAL HORÁRIA TOTAL CONHECIMENTO CURRICULARES 2011 2011 2011 ANUAL 1º 2º 3º 1ª 2º 3º LÍNGUA 4 4 4 160 160 160 480 ÁREA DE PORTUGUESA LINGUAGEM, ARTE 2 2 0 80 80 0 160 CÓDIGO E SUAS EDUCAÇÃO 2 2 0 80 80 0 160 TECNOLOGIAS* FÍSICA SUB-TOTAL 9* 9* 8* 360* 360* 320* 1040*COMUM ÁREA DE MATEMATICA 4 4 4 160 160 160 480 CIÊNCIAS DA NATUREZA, FÍSICA 2 2 2 80 80 80 240 MATEMÁTICA E QUÍMICA 2 2 2 80 80 80 240 SUAS BIOLOGIA 2 2 2 80 80 80 240 TECNOLOGIAS SUB-TOTAL 10 10 10 400 400 400 1200 ÁREA DE HISTÓRIA 2 2 2 80 80 80 240 CIÊNCIAS GEOGRAFIA 2 2 2 80 80 80 240 HUMANAS E SUAS SOCIOLOGIA 1 1 1 40 40 40 120 TECNOLOGIAS FILOSOFIA 1 1 1 40 40 40 120 SUB-TOTAL 6 6 9*** 240 240 240 760PARTE DIVERSIFICADA LINGUA ESTRANGEIRA - 1 1 2 40 40 80 160 INGLES * LINGUA ESTRANGEIRA - 0 0 2 0 0 80 80 ESPANHOL * JUVENTUDE, EDUCAÇÃO E 0 0 1 0 0 40 40 TRABALHO *** TOTAL 25 25 25 1000 1000 100 3000 2
  27. 27. 0 300TOTAL GERAL DO CURSO 0Observações:*As disciplinas de Língua Estrangeira (Inglês e Espanhol) compõe a Área de Linguagens,Códigos e suas tecnologias e sua carga horária está computada nessa área** A língua estrangeira Espanhol é de oferta obrigatória a partir de 2010 e facultativapara o aluno, que em caso de não opção cumprirá atividades de projeto depesquisa. Será contemplada no tempo escolar obrigatório de 25 h semanais epoderá ser oferecido em turmas mistas.***Disciplina especifica que compõe a área de Ciência Humana e sua carga horáriaestá computada nessa área.**** As línguas optativas - Italiano e Pomerano poderão somente ser oferecidas de modo aampliar o tempo de permanência do aluno na escola ( Mais Tempo na Escola).*****Os conteúdos referentes a História e cultura afro-brasileira e dos povosindígenas brasileiro serão ministradas no âmbito de todo o currículo escolar (Lei nº11.645/08). Na Educação Profissional, os módulos são articulados entre si e cada curso poderá ter o número de módulos característicos da área ou curso específico. Cada módulo é pré-requisito para o próximo módulo. A organização curricular dos cursos em funcionamento e já aprovados pelo Conselho Estadual de Educação seguem abaixo: CURSO TÉCNICO EM BIBLIOTECONOMIA EIXOTECNOLÓGICO:APOIO EDUCACIONAL TURNO NOTURNO CARGA HORÁRIA DO CURSO: 810 horas Distribuídas em 03O módulos Correspondentes a 54 semanas – hora / aula de 60 minutos-270 dias letivos 2
  28. 28. EDUCAÇÃO PROFISSION MÓDULOS Componentes Curriculares Nº. DE CARGA AULAS HORÁRIA INFORMÁTICA APLICADA I 02 40 PSICOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO 02 40 COMUNICAÇÃO OFICIAL E HISTÓRIA DOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO 03 60 I BIBLIOTECONOMIA /CONCEITOS E FUNDAMENTOS 04 80 PROJETOS LITERÁRIOS I 04 80 SUBTOTAL 15 300 GESTÃO DE BIBLIOTECAS 04 80 METODOLOGIA CIENTÍFICA E PROJETOS 02 40 INFORMÁTICA APLICADA II 03 60 II ACERVO-FORMAÇÃO E TRATAMENTO I 03 60 PROJETOS LITERÁRIOS II 03 60 SUBTOTAL 15 300 PRESERVAÇÃO,CONSERVAÇÃO E RESTAURAÇÃO DE ACERVO 04 56 III BIBLIOGRAFIA E REFERÊNCIA 03 42 PROJETOS LITERÁRIOS III 02 28 ACERVO-FORMAÇÃO E TRATAMENTO II 02 28 INFORMÁTICA APLICADA II 03 42 SUBTOTAL 15 210 TOTAL GERAL DO CURSO 45 810Obs.: L.D.B. 9394/96 – Parecer 16/99 – CNE/CEBResolução nº. 04/99 – CEB – Decreto nº. 51/54/2004CURSO TÉCNICO EM BIBLIOTECONOMIA EDUCAÇÃO PROFISSIONALEIXO TECNOLÓGICO:APOIO EDUCACIONALTURNODIURNO CARGA HORÁRIA DOCURSO: 800 horasDistribuídas em 02 módulos – hora / aula de 60 minutos-200 dias letivos MÓDULOS Componentes Curriculares Nº. DE CARGA AULAS HORÁRIA INFORMÁTICA APLICADA I 02 40 PSICOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO 02 40 COMUNICAÇÃO OFICIAL E HISTÓRIA DOS MEIOS DE 03 60 I COMUNICAÇÃO BIBLIOTECONOMIA/CONCEITOS E FUNDAMENTOS 04 80 PROJETOS LITERÁRIOS I 04 80 ACERVO-FORMAÇÃO E TRATAMENTO 05 100 SUB 20 400 TOTAL GESTÃO DE BIBLIOTECAS 04 80 METODOLOGIA CIENTÍFICA E PROJETOS 02 40 INFORMÁTICA APLICADA II 03 60 II PRESERVAÇÃO ,CONSERVAÇÃO E RESTAURAÇÃO DE ACERVO 04 80 BIBLIOGRAFIA E REFERÊNCIA 02 40 PROJETOS LITERÁRIOS II 05 100 SUB 20 400 TOTAL TOTAL GERAL DO CURSO 40 800CURSO TÉCNICO EM MANUTENÇÃO E SUPORTE EM INFORMAÇÃOEIXO TECNOLÓGICO:INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃOTURNO: DIURNOCARGAHORÁRIA DO CURSO:1.000 horas Distribuídas em 03 módulos-Correspondentes a 50semanas – hora / aula de 60 minutos-250dias letivo 2
  29. 29. EDUCAÇÃO PROFISSIONAL MÓDULOS COMPONENTES CURRICULARES Nº. DE CARGA AULAS HORÁRIA SISTEMAS OPERACIONAIS 4 60 APLICATIVOS COMPUTACIONAIS 4 60 ARQUITETURA DE COMPUTADORES 4 60 I FUNDAMENTOS DE PROGRAMAÇÃO 4 80 INGLÊS 1 20 EMPREENDEDORISMO 2 40 PROJETO DE MANUTENÇÃO I 1 20 SUBTOTAL 20 340 FUNDAMENTOS DE HARDWARE E MONTAGEM 5 100 DE COMPUTADORES I INSTALAÇÃO DE SISTEMA 5 60 II ELETRICIDADE E ELETRÔNICA 5 60 INFRA ESTRUTURA DE REDES DE COMPUTADORES E 4 60 CONECTIVIDADE PROJETO DE MANUTENÇÃO II 1 20 SUBTOTAL 20 300 INSTALAÇÃO LÓGICA DE REDES 4 80 MONTAGEM E MANUTENÇÃO DE REDES 6 120 FUNDAMENTOS DE HARDWARE E MONTAGEM DE III 6 120 COMPUTADORES II PROJETO MANUTENÇÃO III 2 40 SUBTOTAL 20 360 TOTAL GERAL DO CURSO 60 1.000CURSO TÉCNICO EM MANUTENÇÃO E SUPORTE EM INFORMAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO:INFORMAÇÃO E COMUNICAÇAO TURNO NOTURNO CARGA HORÁRIA DO CURSO:1.005 horas Distribuídas em 03 módulosCorrespondentes a semanas 67 semanas – hora / aula de 60 minutos-335 dias letivos 2
  30. 30. EDUCAÇÃO PROFISSION MÓDULOS COMPONENTES CURRICULARES Nº. DE CARGA AULAS HORÁRIA SISTEMAS OPERACIONAIS 4 92 APLICATIVOS COMPUTACIONAIS 2 46 ARQUITETURA DE COMPUTADORES 2 46 I FUNDAMENTOS DE PROGRAMAÇÃO 3 69 INGLÊS 1 23 EMPREENDEDORISMO 2 46 PROJETO DE MANUTENÇÃO I 1 23 SUBTOTAL 15 345 FUNDAMENTOS DE HARDWARE E MONTAGEM 4 80 DE COMPUTADORES I INSTALAÇÃO DE SISTEMA 4 80 II ELETRICIDADE E ELETRÔNICA 4 80 INFRA ESTRUTURA DE REDES DE COMPUTADORES E 2 40 CONECTIVIDADE PROJETO DE MANUTENÇÃO II 1 20 SUBTOTAL 15 300 INSTALAÇÃO LÓGICA DE REDES 4 96 MONTAGEM E MANUTENÇÃO DE REDES 5 120 FUNDAMENTOS DE HARDWARE E MONTAGEM DE III 4 96 COMPUTADORES II PROJETO MANUTENÇÃO III 2 48 SUBTOTAL 15 360 TOTAL GERAL DO CURSO 1.005 Obs.: L.D.B. 9394/96 – Parecer 16/99 – CNE/CEB Resolução nº. 04/99 – CEB – Decreto nº. 51/54/2004 CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA EIXO TECNOLÓGICO:INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO TURNO DIURNO CARGA HORÁRIA DO CURSO: 1.200 horasEDUCAÇÃO PROFISSIONAL Distribuídas em 3 módulos Correspondentes a 60 semanas – hora / aula de 60 minutos-300 dias letivos MÓDULOS COMPONENTES CURRICULARES Nº. DE CARGA AULAS HORÁRIA ORGANIZAÇÃO DE EMPRESAS (GESTÃO) 04 80 INGLÊS TÉCNICO 02 40 APLICATIVOS PARA AUTOMAÇÃO DE ESCRITÓRIO 04 80 I INSTALAÇÃO DE COMPUTADORES 02 40 SISTEMAAS OPERACIONAIS 05 100 GERENCIAMENTO DE PROJETOS 01 20 ALGORITMOS E LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO 02 40 SUBTOTAL 20 400 LINGUAGENS DE PROGRAMAÇÃO 04 80 BANCO DE DADOS 04 80 LINGUAGENS DE PROGRAMAÇÃO ORIENTADAS A OBJETOS 04 80 II ANÁLISE E PROJETOS DE SISTEMAS 04 80 DOCUMENTAÇÃO DE SISTEMAS 02 40 PROJETO DE PROGRAMAÇÃO 02 40 SUBTOTAL 20 400 ARQUITETURA E PROJETOS DE REDES 04 80 PROGRAMAÇÃO E WEB DESIGN 04 80 REDES, PROTOCOLOS E SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO 04 80 3
  31. 31. III ADMINISTRAÇÃO E SISTEMAS OPERACIONAIS DE REDE 03 60 INTERNET 04 80 CRIAÇÃO E EDITORAÇÃO DE IMAGENS 01 20 SUBTOTAL 20 400 TOTAL GERAL DO CURSO 60 1.200 ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 200 TOTAL GERAL 60 1.400CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICAEIXO TECNOLÓGICO:INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃOTURNO :NOTURNOCARGA HORÁRIA DO CURSO: 1.200 horas EDUCAÇÃO PROFISSIONALDistribuídas em 3 módulosCorrespondentes a 80 semanas – hora / aula de 60 minutos-400 dias letivos MÓDULOS COMPONENTES CURRICULARES Nº. DE CARGA AULAS HORÁRIA ORGANIZAÇÃO DE EMPRESAS (GESTÃO) 02 54 INGLÊS TÉCNICO 02 54 APLICATIVOS PARA AUTOMAÇÃO DE ESCRITÓRIO 02 54 I INSTALAÇÃO DE COMPUTADORES 02 54 SISTEMAS OPERACIONAIS 04 108 GERENCIAMENTO DE PROJETOS 01 27 ALGORITMOS E LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO 02 54 SUBTOTAL 15 405 LINGUAGENS DE PROGRAMAÇÃO 02 54 BANCO DE DADOS 02 54 LINGUAGENS DE PROGRAMAÇÃO ORIENTADAS A OBJETOS 03 81 II ANÁLISE E PROJETOS DE SISTEMAS 04 108 DOCUMENTAÇÃO DE SISTEMAS 02 54 PROJETO DE PROGRAMAÇÃO 02 54 SUBTOTAL 15 405 ARQUITETURA E PROJETOS DE REDES 03 81 PROGRAMAÇÃO E WEB DESIGN 03 81 REDES, PROTOCOLOS E SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO 03 81 III ADMINISTRAÇÃO E SISTEMAS OPERACIONAIS DE REDE 02 54 CRIAÇÃO E EDITORAÇÃO DE IMAGENS 01 27 INTERNET 03 81 SUBTOTAL 15 405 TOTAL GERAL DO CURSO 1.215 ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 200 TOTAL GERAL 1.415CURSO TÉCNICO EM GUIA DE TURISMOEIXOTECNOLÓGICO: HOSPITALIDADE E LAZERTURNO DIURNO CARGA HORÁRIA DO CURSO: 1160 horasDistribuídas em 02 móduloscorrespondentes a 40 semanas – hora / aula de 60 minutos+ 80hs de visitas técnicas + 100horas de viagens com pernoite = 232 dias letivosEDUCA MÓDULOS COMPONENTES CURRICULARES Nº. DE CARGAÇÃO AULAS HORÁRIA CCOMUNICAÇÃO EMPRESARIAL/ETIQUETA PROFISSIONAL 02 40 3
  32. 32. PROFISSIONAL INFORMÁTICA APLICADA 02 40 TURISMO, HOTELARIA E HOSPITALIDADE 02 80 HISTORIA,MANIFESTAÇÕESPOPULARESE MUSEOLOGIA 02 60 I INGLÊS INSTRUMENTAL 02 40 GEOGRAFIA TURISTICA,CARTOGRAFIA E MEIO AMBIENTE 02 60 EMPREENDEDORISMO, MERCADO E MARKETING 02 40 LEGISLAÇÃO TURÍSTICA/ÉTICA E CIDADANIA 02 40 ATIVIDADES PRATICAS E VISITAS TÉCNICAS 04 80 SUPERVISIONADAS PRÁTICA DE VIAGENS I SUPERVISIONADAS 100 SUBTOTAL 20 580 GASTRONOMIA LOCAL REGIONAL E ALIMENTOS E BEBIDAS 02 40 TÉCNICAS DE TRANSPORTE E GUIAMENTO 02 80 TURÍSTICO/PRIMEIROS SOCORROS PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL E RELAÇÕES INTERPESSOAIS 02 40 II ESPANHOL INSTRUMENTAL 02 40 EVENTOS,RECREAÇÃO E LAZER TURÍSTICO 04 80 ORGANIZAÇÃO DE ROTEIROS TURÍSTICOS 02 80 GESTÃO FINANCEIRA E CUSTOS 02 40 ATIVIDADES PRÁTICAS E VISITAS TÉCNICAS 04 80 SUPERVISIONADAS PRÁTICA DE VIAGENS II SUPERVISIONADAS 100 SUBTOTAL 20 580 TOTAL GERAL DO CURSO 40 1160 CURSO TÉCNICO EM GUIA DE TURISMO EIXOTECNOLÓGICO: HOSPITALIDADE E LAZER TURNO NOTURNO CARGA HORÁRIA DO CURSO: 1160 horas Distribuídas em 02 módulos CORRESPONDENTES A 96 SEMANAS – HORA / AULA DE 60 MINUTOS + TÉCNICAS +EDUCAÇÃO PROFISSIONAL 100HORAS DE VIAGENS COM PERNOITE = 325 DIAS LETIVOS MÓDULOS COMPONENTES CURRICULARES Nº. DE CARGA AULAS HORÁRIA CCOMUNICAÇÃO EMPRESARIAL/ETIQUETA PROFISSIONAL 01 32 INFORMÁTICA APLICADA 01 32 TURISMO, HOTELARIA E HOSPITALIDADE 02 64 I HISTORIA,MANIFESTAÇÕESPOPULARESE MUSEOLOGIA 02 64 INGLÊS INSTRUMENTAL 01 32 GEOGRAFIA TURISTICA,CARTOGRAFIA E MEIO AMBIENTE 02 64 EMPREENDEDORISMO, MERCADO E MARKETING 02 64 LEGISLAÇÃO TURÍSTICA/ÉTICA E CIDADANIA 01 32 ATIVIDADES PRATICAS E VISITAS TÉCNICAS SUPERVISIONADAS 03 96 SUBTOTAL 15 480 PRÁTICA DE VIAGENS I SUPERVISIONADAS 100 TOTAL 580 GASTRONOMIA LOCAL REGIONAL E ALIMENTOS E BEBIDAS 02 64 TÉCNICAS DE TRANSPORTE E GUIAMENTO 02 64 TURÍSTICO/PRIMEIROS SOCORROS PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL E RELAÇÕES INTERPESSOAIS 01 32 3
  33. 33. II ESPANHOL INSTRUMENTAL 01 32 EVENTOS,RECREAÇÃO E LAZER TURÍSTICO 03 96 ORGANIZAÇÃO DE ROTEIROS TURÍSTICOS 02 64 GESTÃO FINANCEIRA E CUSTOS 01 32 ATIVIDADES PRÁTICAS E VISITAS TÉCNICAS SUPERVISIONADAS 03 96 SUBTOTAL 15 480 PRÁTICA DE VIAGENS II SUPERVISIONADAS 100 TOTAL 580 TOTAL GERAL DO CURSO 1160Obs.: L.D.B. 9394/96 – Parecer 16/99 – CNE/CEBResolução nº. 04/99 – CEB – Decreto nº. 51/54/2004CURSO TÉCNICO EM ADMINISTRAÇÃOEIXO TECNOLÓGICO:GESTÃO E NEGÓCIOS EDUCAÇÃO PROFISSIONALTURNO DIURNO CARGA HORÁRIA DO CURSO: 800 horasDistribuídas em 02 módulos Correspondentes a 40 semanas – hora / aula de 60minutos-200 dias letivos MÓDULOS COMPONENTES CURRICULARES Nº. DE CARGA AULAS HORÁRIA ADMINISTRAÇÃO GERAL 05 100 INFORMÁTICA APLICADA 02 40 ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS 02 40 I MATEMÁTICA FINANCEIRA 03 60 ÉTICA, MEIO AMBIENTE E QUALIDADE NO TRABALHO 02 40 COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL 02 40 DIREITO E LEGISLAÇÃO I 03 60 EMPREENDEDORISMO 01 20 Subtotal 20 400 ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA 04 80 ARQUIVOLOGIA 04 80 GESTÃO DE PESSOAS 02 40 II CONTABILIDADE GERAL 04 80 DIREITO E LEGISLAÇÃO II 02 40 ECONOMIA E MERCADO 02 40 ESTATÍSTICA 02 40 Subtotal 20 580 TOTAL GERAL DO CURSO 40 800CURSO TÉCNICO EM ADMINISTRAÇÃOEIXO TECNOLÓGICO:GESTÃO E NEGÓCIOS TURNO: NOTURNO EDUCAÇÃOCARGA HORÁRIA DO CURSO: 800 horas Distribuídas em 02 módulosCorrespondentes a 54 semanas – hora / aula de 60 minutos-267 dias letivos PROFISSIONAL MÓDULOS COMPONENTES CURRICULARES Nº. DE CARGA AULAS HORÁRIA ADMINISTRAÇÃO GERAL 03 81 INFORMÁTICA APLICADA 02 54 ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS 02 54 I MATEMÁTICA FINANCEIRA 02 54 ÉTICA, MEIO AMBIENTE E QUALIDADE NO TRABALHO 02 54 COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL 02 54 3
  34. 34. DIREITO E LEGISLAÇÃO I 01 27 EMPREENDEDORISMO 01 27 Subtotal 15 405 ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA 03 81 ARQUIVOLOGIA 02 54 GESTÃO DE PESSOAS 02 54 II CONTABILIDADE GERAL 03 81 DIREITO E LEGISLAÇÃO II 01 27 ECONOMIA E MERCADO 02 54 ESTATÍSTICA 02 54 Subtotal 15 405 TOTAL GERAL DO CURSO 810CURSO TÉCNICO EM MANUTENÇÃO E SUPORTE EM INFORMATICAEDUCAÇÃO PROFISSIONALEIXO TECNOLÓGICO:INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO TURNO NOTURNO CARGAHORÁRIA DO CURSO:1.000 horas MÓDULOS COMPONENTES CURRICULARES Nº. DE CARGA AULAS HORÁRIA SISTEMAS OPERACIONAIS 4 92 APLICATIVOS COMPUTACIONAIS 2 46 ARQUITETURA DE COMPUTADORES 2 46 I FUNDAMENTOS DE PROGRAMAÇÃO 3 69 INGLÊS 1 23 EMPREENDEDORISMO 2 46 PROJETO DE MANUTENÇÃO I 1 23 SUBTOTAL 15 345 FUNDAMENTOS DE HARDWARE E MONTAGEM 80 4 DE COMPUTADORES I INSTALAÇÃO DE SISTEMA 4 80 II ELETRICIDADE E ELETRÔNICA 4 80 INFRA ESTRUTURA DE REDES DE COMPUTADORES E 40 2 CONECTIVIDADE PROJETO DE MANUTENÇÃO II 1 20 SUBTOTAL 15 300 INSTALAÇÃO LÓGICA DE REDES 4 96 MONTAGEM E MANUTENÇÃO DE REDES 5 120 FUNDAMENTOS DE HARDWARE E MONTAGEM DE 96 III 4 COMPUTADORES II PROJETO MANUTENÇÃO III 2 48 SUBTOTAL 15 360 TOTAL GERAL DO CURSO 1.005Distribuídas em 03 módulos -Correspondentes a semanas 67 semanas – hora / aula de60 minutos-334 dias letivosCURSO TÉCNICO EM MANUTENÇÃO E SUPORTE EM INFORMAÇÃOEIXO TECNOLÓGICO:INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃOTURNO DIURNO 3

×