Mini Curso Gerenciamento de Riscos 11/08/2010
CNGP 2010 - Salvador - Bahia 1
© 2010 3PTA – Tekes e Associados Serv. Gerenc...
Mini Curso Gerenciamento de Riscos 11/08/2010
CNGP 2010 - Salvador - Bahia 2
© 2010 3PTA – Tekes e Associados Serv. Gerenc...
Mini Curso Gerenciamento de Riscos 11/08/2010
CNGP 2010 - Salvador - Bahia 3
© 2010 3PTA – Tekes e Associados Serv. Gerenc...
Mini Curso Gerenciamento de Riscos 11/08/2010
CNGP 2010 - Salvador - Bahia 4
© 2010 3PTA – Tekes e Associados Serv. Gerenc...
Mini Curso Gerenciamento de Riscos 11/08/2010
CNGP 2010 - Salvador - Bahia 5
© 2010 3PTA – Tekes e Associados Serv. Gerenc...
Mini Curso Gerenciamento de Riscos 11/08/2010
CNGP 2010 - Salvador - Bahia 6
© 2010 3PTA – Tekes e Associados Serv. Gerenc...
Mini Curso Gerenciamento de Riscos 11/08/2010
CNGP 2010 - Salvador - Bahia 7
© 2010 3PTA – Tekes e Associados Serv. Gerenc...
Mini Curso Gerenciamento de Riscos 11/08/2010
CNGP 2010 - Salvador - Bahia 8
© 2010 3PTA – Tekes e Associados Serv. Gerenc...
Mini Curso Gerenciamento de Riscos 11/08/2010
CNGP 2010 - Salvador - Bahia 9
© 2010 3PTA – Tekes e Associados Serv. Gerenc...
Mini Curso Gerenciamento de Riscos 11/08/2010
CNGP 2010 - Salvador - Bahia 10
© 2010 3PTA – Tekes e Associados Serv. Geren...
Mini Curso Gerenciamento de Riscos 11/08/2010
CNGP 2010 - Salvador - Bahia 11
© 2010 3PTA – Tekes e Associados Serv. Geren...
Mini Curso Gerenciamento de Riscos 11/08/2010
CNGP 2010 - Salvador - Bahia 12
© 2010 3PTA – Tekes e Associados Serv. Geren...
Mini Curso Gerenciamento de Riscos 11/08/2010
CNGP 2010 - Salvador - Bahia 13
© 2010 3PTA – Tekes e Associados Serv. Geren...
Mini Curso Gerenciamento de Riscos 11/08/2010
CNGP 2010 - Salvador - Bahia 14
© 2010 3PTA – Tekes e Associados Serv. Geren...
Mini Curso Gerenciamento de Riscos 11/08/2010
CNGP 2010 - Salvador - Bahia 15
© 2010 3PTA – Tekes e Associados Serv. Geren...
Mini Curso Gerenciamento de Riscos 11/08/2010
CNGP 2010 - Salvador - Bahia 16
© 2010 3PTA – Tekes e Associados Serv. Geren...
Mini Curso Gerenciamento de Riscos 11/08/2010
CNGP 2010 - Salvador - Bahia 17
© 2010 3PTA – Tekes e Associados Serv. Geren...
Mini Curso Gerenciamento de Riscos 11/08/2010
CNGP 2010 - Salvador - Bahia 18
© 2010 3PTA – Tekes e Associados Serv. Geren...
Mini Curso Gerenciamento de Riscos 11/08/2010
CNGP 2010 - Salvador - Bahia 19
© 2010 3PTA – Tekes e Associados Serv. Geren...
Mini Curso Gerenciamento de Riscos 11/08/2010
CNGP 2010 - Salvador - Bahia 20
© 2010 3PTA – Tekes e Associados Serv. Geren...
Mini Curso Gerenciamento de Riscos 11/08/2010
CNGP 2010 - Salvador - Bahia 21
© 2010 3PTA – Tekes e Associados Serv. Geren...
Mini Curso Gerenciamento de Riscos 11/08/2010
CNGP 2010 - Salvador - Bahia 22
© 2010 3PTA – Tekes e Associados Serv. Geren...
Mini Curso Gerenciamento de Riscos 11/08/2010
CNGP 2010 - Salvador - Bahia 23
© 2010 3PTA – Tekes e Associados Serv. Geren...
Mini Curso Gerenciamento de Riscos 11/08/2010
CNGP 2010 - Salvador - Bahia 24
© 2010 3PTA – Tekes e Associados Serv. Geren...
Mini Curso Gerenciamento de Riscos 11/08/2010
CNGP 2010 - Salvador - Bahia 25
© 2010 3PTA – Tekes e Associados Serv. Geren...
Mini Curso Gerenciamento de Riscos 11/08/2010
CNGP 2010 - Salvador - Bahia 26
© 2010 3PTA – Tekes e Associados Serv. Geren...
Mini Curso Gerenciamento de Riscos 11/08/2010
CNGP 2010 - Salvador - Bahia 27
© 2010 3PTA – Tekes e Associados Serv. Geren...
Mini Curso Gerenciamento de Riscos 11/08/2010
CNGP 2010 - Salvador - Bahia 28
© 2010 3PTA – Tekes e Associados Serv. Geren...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Material De Referncia Gerenciamento de Riscos

1,783 views
1,708 views

Published on

Material de Referencia para nosso curso sobre Gerenciamento de Riscos conforme o PMI e Preparação para a certificação PMI-RMP. COntato: 71-3012.6611

Material De Referncia Gerenciamento de Riscos

  1. 1. Mini Curso Gerenciamento de Riscos 11/08/2010 CNGP 2010 - Salvador - Bahia 1 © 2010 3PTA – Tekes e Associados Serv. Gerenciais Ltda., cursos@3pta.com.br, (71) 3012.6611 – Slide 1 Gerenciamento de Projetos PMIPMIPMIPMI----RMPRMPRMPRMP Técnicas e Ferramentas da Gestão de Riscos Material de Referencia para o Mini-Curso no CNGP 2010 em Salvador-BA Gerhard Tekes, PMP, PMI-RMP, PMI-OPM3P
  2. 2. Mini Curso Gerenciamento de Riscos 11/08/2010 CNGP 2010 - Salvador - Bahia 2 © 2010 3PTA – Tekes e Associados Serv. Gerenciais Ltda., cursos@3pta.com.br, (71) 3012.6611 – Slide 3 Direitos autorais © 2010 3PTA – Tekes e Associados Serviços Gerenciais Ltda. Aviso: Esta Apostila é protegida por leis de direitos autorais. A reprodução ou distribuição não autorizada desta apostilha ou de qualquer parte dela, poderá resultar em severas punições civis e criminais. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta apostilha poderá ser reproduzida, transmitida e gravada, por qualquer meio eletrônico, mecânico, por fotocópia e outros, sem a prévia autorização, por escrita, do autor. Varias Marcas Registradas aparecem no decorrer desta apostila. Mais do que simplesmente listar esses nomes e informar quem possui seus direitos de exploração, ou ainda imprimir os logotipos das mesmas, o autor declara estar utilizando tais nomes apenas para fins editorais, em beneficio exclusivo do dono da Marca Registrada, sem intenção de infringir as regras de sua utilização.
  3. 3. Mini Curso Gerenciamento de Riscos 11/08/2010 CNGP 2010 - Salvador - Bahia 3 © 2010 3PTA – Tekes e Associados Serv. Gerenciais Ltda., cursos@3pta.com.br, (71) 3012.6611 – Slide 5 Gestão de Riscos © 2010 3PTA – Tekes e Associados Serv. Gerenciais Ltda., cursos@3pta.com.br, (71) 3012.6611 – Slide 6 Plano de Gestão de Riscos Empresas que mantêm um Plano de Gerenciamento de Riscos também gastam menos em caso de acidentes, por estarem preparadas para resposta imediata
  4. 4. Mini Curso Gerenciamento de Riscos 11/08/2010 CNGP 2010 - Salvador - Bahia 4 © 2010 3PTA – Tekes e Associados Serv. Gerenciais Ltda., cursos@3pta.com.br, (71) 3012.6611 – Slide 7 Plano de Gestão de Riscos O Plano de Gerenciamento de Riscos deve fornecer um número de modelos para uso por outros processos. Estes podem incluir: Estrutura formal de uma declaração de risco Meios de categorizar os riscos, por exemplo, uma (EAP) Estrutura Analítica do Projeto Definições, pelo objetivo do projeto, das probabilidades e escalas de impacto Priorização dos riscos e diretrizes de seleção © 2010 3PTA – Tekes e Associados Serv. Gerenciais Ltda., cursos@3pta.com.br, (71) 3012.6611 – Slide 8 Declaração de Risco De forma a que todos os riscos fiquem claramente definidos, uma estrutura padrão deve ser especificada e aplicada. Uma declaração típica (Meta Language) é: “Por causa de uma ou + Causas, Riscos podem ocorrer, o que teria um ou + Efeitos”
  5. 5. Mini Curso Gerenciamento de Riscos 11/08/2010 CNGP 2010 - Salvador - Bahia 5 © 2010 3PTA – Tekes e Associados Serv. Gerenciais Ltda., cursos@3pta.com.br, (71) 3012.6611 – Slide 9 Identificar Riscos
  6. 6. Mini Curso Gerenciamento de Riscos 11/08/2010 CNGP 2010 - Salvador - Bahia 6 © 2010 3PTA – Tekes e Associados Serv. Gerenciais Ltda., cursos@3pta.com.br, (71) 3012.6611 – Slide 11 Identificar Riscos Técnica Pontos Fortes Pontos Fracos Aplicação Efetiva Pressupostos (Premissas) e Análises de Restrições Abordagem simples e estruturada Pode ser baseada em pressupostos e restrições já enumeradas no “charter” do projeto Gera riscos específicos de projeto Freqüentemente, pressupostos ocultos ou as restrições, são deixadas de lado Requer um lista completa de pressupostos e restrições © 2010 3PTA – Tekes e Associados Serv. Gerenciais Ltda., cursos@3pta.com.br, (71) 3012.6611 – Slide 12 Identificar Riscos Técnica Pontos Fortes Pontos Fracos Aplicação Efetiva “Brainstorming” ou Tempestade de idéias Permite a todos os participantes falar o que pensam e contribuir para a discussão Pode envolver as principais Partes interessadas Geração de idéias criativas Requer a presença das principais partes interessadas em um workshop, portanto, pode ser difícil e caro Pode produzir resultados tendenciosos se dominado por uma pessoa forte Participação dos grupos representativos das partes interessadas Compromisso com a honestidade Preparação Uma boa facilitação
  7. 7. Mini Curso Gerenciamento de Riscos 11/08/2010 CNGP 2010 - Salvador - Bahia 7 © 2010 3PTA – Tekes e Associados Serv. Gerenciais Ltda., cursos@3pta.com.br, (71) 3012.6611 – Slide 13 Identificar Riscos Técnica Pontos Fortes Pontos Fracos Aplicação Efetiva Causa e Efeito Diagrama (Ishikawa) A representação visual dos projetos promove o pensamento estruturado O Diagrama rapidamente pode tornar-se complexo Seleção efetiva de impactos críticos (ex: por uso de uma análise criteriosa) Ishikawa Ex: Diagrama © 2010 3PTA – Tekes e Associados Serv. Gerenciais Ltda., cursos@3pta.com.br, (71) 3012.6611 – Slide 14 Identificar Riscos Técnica Pontos Fortes Pontos Fracos Aplicação Efetiva Check Lists ou Listas de “Checagem” Captura experiências anteriores Apresenta uma lista detalhada dos riscos Pode crescer e tornar-se demasiado grande Riscos que não se encontrem na lista não serão notados Geralmente só inclui ameaças, falhas e oportunidades Requer manutenção regularmente
  8. 8. Mini Curso Gerenciamento de Riscos 11/08/2010 CNGP 2010 - Salvador - Bahia 8 © 2010 3PTA – Tekes e Associados Serv. Gerenciais Ltda., cursos@3pta.com.br, (71) 3012.6611 – Slide 15 Identificar Riscos Técnica Pontos Fortes Pontos Fracos Aplicação Efetiva Técnica Delphi Captura o “input” dos peritos técnicos Remove as fontes de “bias” Limitada a riscos técnicos Depende da competência real dos peritos Pode levar mais tempo do que o tempo disponível Facilitação efetiva Seleção cuidadosa dos peritos Definição clara do escopo © 2010 3PTA – Tekes e Associados Serv. Gerenciais Ltda., cursos@3pta.com.br, (71) 3012.6611 – Slide 16 Identificar Riscos Técnica Pontos Fortes Pontos Fracos Aplicação Efetiva Revisão de Documentos Expõe detalhadamente riscos específicos do projeto Não requer nenhum especialista Limitado aos riscos contidos na documentação do projeto Entender a relevância de experiências anteriores
  9. 9. Mini Curso Gerenciamento de Riscos 11/08/2010 CNGP 2010 - Salvador - Bahia 9 © 2010 3PTA – Tekes e Associados Serv. Gerenciais Ltda., cursos@3pta.com.br, (71) 3012.6611 – Slide 17 Identificar Riscos Técnica Pontos Fortes Pontos Fracos Aplicação Efetiva Força de Análise de Campo Permite uma compreensão profunda dos fatores que afetam os objetivos do projeto Consome tempo e é uma técnica complexa Geralmente aplicada a um só objetivo, portanto não permite uma visão abrangente do projeto Objetivos Priorizados © 2010 3PTA – Tekes e Associados Serv. Gerenciais Ltda., cursos@3pta.com.br, (71) 3012.6611 – Slide 18 Identificar Riscos Técnica Pontos Fortes Pontos Fracos Aplicação Efetiva Base de Conhecimento Industrial Captura experiências anteriores Permite o Benchmarking em organizações externas Limitada a experiências anteriores Exclui riscos específicos do projeto Acesso a informações relevantes
  10. 10. Mini Curso Gerenciamento de Riscos 11/08/2010 CNGP 2010 - Salvador - Bahia 10 © 2010 3PTA – Tekes e Associados Serv. Gerenciais Ltda., cursos@3pta.com.br, (71) 3012.6611 – Slide 19 Identificar Riscos Técnica Pontos Fortes Pontos Fracos Aplicação Efetiva Diagramas de influência Expõe drives de risco chave Pode gerar “insights" contra- intuitivos não disponíveis em outras técnicas Requer pensamento disciplinado Nem sempre é fácil determinar a estrutura apropriada Identificar áreas-chave para resolver © 2010 3PTA – Tekes e Associados Serv. Gerenciais Ltda., cursos@3pta.com.br, (71) 3012.6611 – Slide 20 Identificar Riscos Técnica Pontos Fortes Pontos Fracos Aplicação Efetiva Entrevistas Apresenta os Riscos em detalhes Gera engajamento de todas as partes interessadas Consome tempo Pode gerar algumas situações e preocupações desnecessárias, por isso requer filtragem das informações Qualidades no questionamento Ambiente de confiança e confidencialidade Preparação Relação aberta entre o entrevistador e o entrevistado
  11. 11. Mini Curso Gerenciamento de Riscos 11/08/2010 CNGP 2010 - Salvador - Bahia 11 © 2010 3PTA – Tekes e Associados Serv. Gerenciais Ltda., cursos@3pta.com.br, (71) 3012.6611 – Slide 21 Identificar Riscos Técnica Pontos Fortes Pontos Fracos Aplicação Efetiva Técnica de grupo nominal Encoraja e permite a contribuição de todos os participantes Permite uma linguagem comum entre os diferentes níveis de competência Pode causar frustração aos membros de posição dominante por ser um processo demorado Bom “briefing” de todos os participantes na técnica © 2010 3PTA – Tekes e Associados Serv. Gerenciais Ltda., cursos@3pta.com.br, (71) 3012.6611 – Slide 22 Identificar Riscos Técnica Pontos Fortes Pontos Fracos Aplicação Efetiva Comentários, Lições Aprendidas e Histórico de informações Aproveita a experiência anterior Previne de cometer os mesmos erros e perder as mesmas oportunidades duas vezes Melhora os processos dos ativos da organização Limitada aos riscos que ocorreram anteriormente Informação freqüentemente incompleta: estratégias ineficientes raramente são documentadas Projeto bem estruturado e dados das lições aprendidas Participação de membros anteriores do projeto (incluindo o gerente do projeto)
  12. 12. Mini Curso Gerenciamento de Riscos 11/08/2010 CNGP 2010 - Salvador - Bahia 12 © 2010 3PTA – Tekes e Associados Serv. Gerenciais Ltda., cursos@3pta.com.br, (71) 3012.6611 – Slide 23 Identificar Riscos Técnica Pontos Fortes Pontos Fracos Aplicação Efetiva Questionário Encoraja o pensamento abrangente para identificar os riscos Sucesso depende da qualidade das questões Limitado aos tópicos abordados pelas questões Pode ser simplesmente a reformulação de uma “checklist” Perguntas claras e inequívocas “Briefing” detalhado dos inquiridos © 2010 3PTA – Tekes e Associados Serv. Gerenciais Ltda., cursos@3pta.com.br, (71) 3012.6611 – Slide 24 Identificar Riscos Técnica Pontos Fortes Pontos Fracos Aplicação Efetiva EAR (Estrutura Analítica de Riscos) Oferece um quadro para outras técnicas de identificação de riscos como o “Brainstorming” Garante a cobertura de todos os tipos de risco Nenhum Requer uma EAP abrangente, freqüentemente adaptada ao projeto
  13. 13. Mini Curso Gerenciamento de Riscos 11/08/2010 CNGP 2010 - Salvador - Bahia 13 © 2010 3PTA – Tekes e Associados Serv. Gerenciais Ltda., cursos@3pta.com.br, (71) 3012.6611 – Slide 25 Identificar Riscos Técnica Pontos Fortes Pontos Fracos Aplicação Efetiva Análise da Origem-Causa Permite a identificação de riscos adicionais e dependentes Permite identificar riscos que possam estar relacionados pela sua origem e causas em comum Pode simplificar e ocultar a existência de outras causas potenciais Uma vez identificado o risco pode não haver nenhuma estratégia disponível e válida para enfrentar a causa Habilidade para descobrir se o risco é o resultado de uma causa fundamental Vontade da gerência em aceitar e resolver a causa em vez de adotar soluções parciais © 2010 3PTA – Tekes e Associados Serv. Gerenciais Ltda., cursos@3pta.com.br, (71) 3012.6611 – Slide 26 Identificar Riscos Técnica Pontos Fortes Pontos Fracos Aplicação Efetiva Análise SWOT Garante igual foco tanto em ameaças quanto em oportunidades Foco interno (pontos fortes/ fraquezas organizacionais) e externo (oportunidades/ ameaças) Focada em riscos internos originados pelas fraquezas organizacionais e exclusão dos riscos externos Tende a diagnosticar riscos genéricos em vez de riscos específicos do projeto Boa facilitação Estrita aderência á técnica para evitar as confundir as quatro perspectivas (pontos fortes e oportunidades) (fraquezas e ameaças)
  14. 14. Mini Curso Gerenciamento de Riscos 11/08/2010 CNGP 2010 - Salvador - Bahia 14 © 2010 3PTA – Tekes e Associados Serv. Gerenciais Ltda., cursos@3pta.com.br, (71) 3012.6611 – Slide 27 Identificar Riscos Técnica Pontos Fortes Pontos Fracos Aplicação Efetiva Dinâmicas de Sistema Expõe inter- relações inesperadas entre elementos do projeto Produz efeitos globais em todos eventos e riscos incluídos Requer peritos e “software” especializados para criar modelos Foco no impacto mas dificuldade em incluir o conceito de probabilidade Entendimento do “feedback” Competência em aplicar ferramentas e entender os seus resultados Qualidade do modelo do sistema © 2010 3PTA – Tekes e Associados Serv. Gerenciais Ltda., cursos@3pta.com.br, (71) 3012.6611 – Slide 28 Identificar Riscos Técnica Pontos Fortes Pontos Fracos Aplicação Efetiva Revisão da EAP Garante que todos os elementos do escopo do projeto sejam considerados Disponibiliza os riscos ligados em diferentes níveis de detalhe Exclui os riscos externos ou aqueles não especificamente relacionados aos elementos da EAP Uma boa EAP
  15. 15. Mini Curso Gerenciamento de Riscos 11/08/2010 CNGP 2010 - Salvador - Bahia 15 © 2010 3PTA – Tekes e Associados Serv. Gerenciais Ltda., cursos@3pta.com.br, (71) 3012.6611 – Slide 29 Análise Qualitativa dos Riscos Realizar Análise Qualitativa de Riscos prioriza, para posterior análise ou tratamento os riscos que foram identificados. As organizações tendem a aplicar recursos para os riscos designados como de "alto risco", baseado-se em sua prioridade, muitas vezes indicados pela probabilidade dos riscos e características de impacto.
  16. 16. Mini Curso Gerenciamento de Riscos 11/08/2010 CNGP 2010 - Salvador - Bahia 16 © 2010 3PTA – Tekes e Associados Serv. Gerenciais Ltda., cursos@3pta.com.br, (71) 3012.6611 – Slide 31 Análise Qualitativa dos Riscos Técnica Pontos Fortes Pontos Fracos Aplicação Efetiva Técnicas de Estimativa (Aplicadas a Impactos Probabilidades) Apresenta ambas as dimensões chave do risco, nomeadamente o seu grau de incerteza (expresso em probabilidade) e o seu efeito nos objetivos do projeto (expresso em impacto) Difícil calibrar se não houver nenhum histórico do banco de dados de eventos similares Os termos de probabilidade e impacto são ambíguos e subjetivos Uso consistente destas definições em todos os riscos identificados Definições aprovadas de probabilidade e impacto que refletem o nível de tolerâncias das partes interessadas © 2010 3PTA – Tekes e Associados Serv. Gerenciais Ltda., cursos@3pta.com.br, (71) 3012.6611 – Slide 32 Análise Qualitativa dos Riscos Técnica Pontos Fortes Pontos Fracos Aplicação Efetiva Matriz de Probabilidade e Impacto Permite a organização priorizar os riscos do projeto para uma análise mais aprofundada Reflete o nível de tolerância a riscos da organização A incerteza na avaliação da probabilidade ou do impacto pode sobrepor-se um limite Não específica outros fatores como o grau de urgência Requer que os dados de entrada sejam claros e inequívocos Atenção na qualificação de um risco como baixo, moderado ou alto para que reflita a atitude da organização em relação a riscos
  17. 17. Mini Curso Gerenciamento de Riscos 11/08/2010 CNGP 2010 - Salvador - Bahia 17 © 2010 3PTA – Tekes e Associados Serv. Gerenciais Ltda., cursos@3pta.com.br, (71) 3012.6611 – Slide 33 Análise Qualitativa dos Riscos Técnica Pontos Fortes Pontos Fracos Aplicação Efetiva Processo Análise de Hierarquica (AHP) Ajuda na criação de uma lista de prioridade dos riscos a partir da prioridade no que diz respeito aos objetivos individuais Decisões organizacionais muitas vezes são tomadas por comitês ou indivíduos que não concordam com as prioridades entre os objetivos Dificuldade em reunir informações sobre os objetivos da alta administração Perito facilitador no processo Noção por parte da gerência de que é útil definir as prioridades entre os objetivos
  18. 18. Mini Curso Gerenciamento de Riscos 11/08/2010 CNGP 2010 - Salvador - Bahia 18 © 2010 3PTA – Tekes e Associados Serv. Gerenciais Ltda., cursos@3pta.com.br, (71) 3012.6611 – Slide 35 Análise Quantitativa dos Riscos Realizar Análise Quantitativa de Riscos visa determinar o total de riscos entre os objetivos do projeto quando todos os riscos potencialmente funcionam simultaneamente sobre o projeto.
  19. 19. Mini Curso Gerenciamento de Riscos 11/08/2010 CNGP 2010 - Salvador - Bahia 19 © 2010 3PTA – Tekes e Associados Serv. Gerenciais Ltda., cursos@3pta.com.br, (71) 3012.6611 – Slide 37 Análise Quantitativa dos Riscos Técnica Pontos Fortes Pontos Fracos Aplicação Efetiva Análise Através da Árvore de Decisão Faz com que a organização defina custos e benefícios das decisões O resultado ajuda a escolher a decisão que proporcionará o maior retorno financeiro e maior utilidade para a organização As probabilidades de ocorrência podem ser difíceis de quantificar em caso de ausência de dados históricos A melhor decisão pode mudar conforme os dados de entrada Cuidado na elaboração pois é necessário detalhamento e especificação Acesso a dados de qualidade sobre probabilidade, custo e retorno das decisões usando o julgamento de peritos © 2010 3PTA – Tekes e Associados Serv. Gerenciais Ltda., cursos@3pta.com.br, (71) 3012.6611 – Slide 38 Análise Quantitativa dos Riscos Técnica Pontos Fortes Pontos Fracos Aplicação Efetiva Valor Monetário Esperado Permite ao usuário calcular o valor médio (esperado) de um evento que possa ter resultados incertos É um calculo simples que não requer software especializado Decisões de risco geralmente requerem mais informações do que o VME disponibiliza Pode ser difícil de fazer a avaliação da probabilidade de eventos de risco ocorrerem Identificação de todos possíveis eventos que precisem ser incluídos no cálculo VME Acesso a dados históricos ou opinião de peritos
  20. 20. Mini Curso Gerenciamento de Riscos 11/08/2010 CNGP 2010 - Salvador - Bahia 20 © 2010 3PTA – Tekes e Associados Serv. Gerenciais Ltda., cursos@3pta.com.br, (71) 3012.6611 – Slide 39 Análise Quantitativa dos Riscos Técnica Pontos Fortes Pontos Fracos Aplicação Efetiva Simulação Monte Carlo Usado no cronograma do projeto, na análise de risco dos custos para tomar decisões estratégicas Calcula estimativas totais de riscos no projeto Cronogramas nem sempre são simples e muitas vezes não podem ser usados em simulações A qualidade dos dados de entrada depende muito do julgamento do perito Requer software especializado Criação de um bom modelo de projeto Usar modelos como cronograma e estimativas de custo A credibilidade vai depender da qualidade dos dados coletados
  21. 21. Mini Curso Gerenciamento de Riscos 11/08/2010 CNGP 2010 - Salvador - Bahia 21 © 2010 3PTA – Tekes e Associados Serv. Gerenciais Ltda., cursos@3pta.com.br, (71) 3012.6611 – Slide 41 Plano de Resposta aos Riscos Plano de Resposta aos Riscos desenvolve o conjunto de ações necessárias para levar em conta os riscos do projeto e suas características, e integrá-los para o correspondente plano de gerenciamento de projetos
  22. 22. Mini Curso Gerenciamento de Riscos 11/08/2010 CNGP 2010 - Salvador - Bahia 22 © 2010 3PTA – Tekes e Associados Serv. Gerenciais Ltda., cursos@3pta.com.br, (71) 3012.6611 – Slide 43 Plano de Resposta aos Riscos Técnica Pontos Fortes Pontos Fracos Aplicação Efetiva Planejamento de Contingência Garante que as ações estão disponíveis para atender eventos significativos antes de sua ocorrência Possibilita respostas focadas e rápidas Pode dar um falso sentimento de confiança, como se o risco tivesse sido evitado As condições de arranque do plano devem ser claramente definidas e controladas O plano precisa ser revisado periodicamente © 2010 3PTA – Tekes e Associados Serv. Gerenciais Ltda., cursos@3pta.com.br, (71) 3012.6611 – Slide 44 Plano de Resposta aos Riscos Técnica Pontos Fortes Pontos Fracos Aplicação Efetiva Estimativa de Reserva de Contingência Fornece uma base racional para as reservas Base para uma discussão construtiva com patrocinador Faz a reserva visível e, portanto, susceptível de ser reduzida arbitrariamente Política de gestão de reservas acordada com o patrocinador e alta gerência
  23. 23. Mini Curso Gerenciamento de Riscos 11/08/2010 CNGP 2010 - Salvador - Bahia 23 © 2010 3PTA – Tekes e Associados Serv. Gerenciais Ltda., cursos@3pta.com.br, (71) 3012.6611 – Slide 45 Plano de Resposta aos Riscos Técnica Pontos Fortes Pontos Fracos Aplicação Efetiva Seleção de Técnicas Multi Criteriosas Fornece um meio de selecionar as respostas que melhor atendem ao conjunto completo dos objetivos do projeto Pode dar resultados contra-intuitivos Precisa de um conjunto de critérios ponderados para o sucesso do projeto
  24. 24. Mini Curso Gerenciamento de Riscos 11/08/2010 CNGP 2010 - Salvador - Bahia 24 © 2010 3PTA – Tekes e Associados Serv. Gerenciais Ltda., cursos@3pta.com.br, (71) 3012.6611 – Slide 47 Monitoramento e Controle de Riscos Monitoramento e Controlo de Riscos oferece a garantia de que as respostas aos riscos estão sendo aplicadas, verifica se elas são eficazes e quando necessário inicia ações corretivas
  25. 25. Mini Curso Gerenciamento de Riscos 11/08/2010 CNGP 2010 - Salvador - Bahia 25 © 2010 3PTA – Tekes e Associados Serv. Gerenciais Ltda., cursos@3pta.com.br, (71) 3012.6611 – Slide 49 Monitoramento e Controle de Riscos Técnica Pontos Fortes Pontos Fracos Aplicação Efetiva Análise de Reservas Fornece um meio de monitoramento dos gastos Fornece um alerta da necessidade de se comunicar com patrocinador Poderia levar a centrar indevidamente na dimensão dos custos Atenção à medição geral do esgotamento da reserva pode esconder riscos detalhados Planejamento prévio e detalhado da reserva Exato dimensionamento da reserva de contingência de tempo ou de custo relativo ao risco à data de conclusão total do projeto e do orçamento © 2010 3PTA – Tekes e Associados Serv. Gerenciais Ltda., cursos@3pta.com.br, (71) 3012.6611 – Slide 50 Monitoramento e Controle de Riscos Técnica Pontos Fortes Pontos Fracos Aplicação Efetiva Auditoria de Riscos Fornece uma avaliação formal em conformidade com a abordagem especificada no plano de gestão de riscos Pode ser prejudicial para o projeto e para a equipe do projeto pode ser visto como julgamento exagerado Plano de gestão de riscos bem especificado Sensibilidade para o encargo que coloca na equipe do projeto
  26. 26. Mini Curso Gerenciamento de Riscos 11/08/2010 CNGP 2010 - Salvador - Bahia 26 © 2010 3PTA – Tekes e Associados Serv. Gerenciais Ltda., cursos@3pta.com.br, (71) 3012.6611 – Slide 51 Monitoramento e Controle de Riscos Técnica Pontos Fortes Pontos Fracos Aplicação Efetiva Reavaliação de Riscos Força uma revisão dos riscos do projeto, quando se torna necessário para que o registro de riscos continue a ser atualizado Consome tempo e esforço considerável Esquema de documentação de riscos e do projeto bem conservado © 2010 3PTA – Tekes e Associados Serv. Gerenciais Ltda., cursos@3pta.com.br, (71) 3012.6611 – Slide 52 Monitoramento e Controle de Riscos Técnica Pontos Fortes Pontos Fracos Aplicação Efetiva Reuniões de “Status” Garante um meio de verificar informações sobre o estado dos riscos(ativo, ocorrido, retirado) e manter a equipe ciente do que se passa Pode parecer desnecessário para alguns participantes Boa preparação e disciplina nas reuniões
  27. 27. Mini Curso Gerenciamento de Riscos 11/08/2010 CNGP 2010 - Salvador - Bahia 27 © 2010 3PTA – Tekes e Associados Serv. Gerenciais Ltda., cursos@3pta.com.br, (71) 3012.6611 – Slide 53 Monitoramento e Controle de Riscos Técnica Pontos Fortes Pontos Fracos Aplicação Efetiva Análise de Tendências Fornece uma indicação da eficácia das respostas anteriores Pode fornecer condições para desencadear respostas Exige a compreensão da variação significativa versus não significativa Elaboração de relatórios periódicos e análise dos valores críticos © 2010 3PTA – Tekes e Associados Serv. Gerenciais Ltda., cursos@3pta.com.br, (71) 3012.6611 – Slide 54 Monitoramento e Controle de Riscos Técnica Pontos Fortes Pontos Fracos Aplicação Efetiva Análise de Variância Permite a comparação entre a previsão e os impactos reais dos riscos Fornece dados para análise de valor agregado, que pode ser comparado à análise quantitativa dos riscos Não demonstra relação com dados anteriores Os valores podem ser fora do contexto Prévias definições dos limites da “variância significativa”
  28. 28. Mini Curso Gerenciamento de Riscos 11/08/2010 CNGP 2010 - Salvador - Bahia 28 © 2010 3PTA – Tekes e Associados Serv. Gerenciais Ltda., cursos@3pta.com.br, (71) 3012.6611 – Slide 55 Obrigado Contato: Gerhard Tekes Fone: 71 – 8863-0611 E-mail: gerhard@tekes.name MSN: gtekes@terra.com.br Skype: gerhardtekes Contato: 3PTA Fone: 71 – 3012.6611 E-mail: cursos@3pta.com.br Skype: pm-3PTA

×