Aula 9

4,999 views

Published on

Published in: Travel, Technology
0 Comments
4 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
4,999
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
8
Actions
Shares
0
Downloads
201
Comments
0
Likes
4
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Aula 9

  1. 1. VERBOS 1 <ul><li>Apresentação </li></ul><ul><li>Quando observamos a etimologia da palavra ‘verbo’, percebemos o quanto esse elemento é complexo. A palavra verbo origina-se do latim verbum que significa ‘palavra’. Segundo Ilari e Basso ( 2006), </li></ul>PROAB 2010 AULA 9 PREPARATÓRIO PARA CONCURSOS
  2. 2. <ul><li>“ [...] os romanos quiseram dizer que o verbo é a palavra por excelência, a mais rica, a de morfologia mais farta. O verbo continua sendo em português a classe de palavras que assume o maior número de formas flexionadas [...] O que é menos evidente é que essa riqueza morfológica tem forte contrapartida semântica: ela faz com que, em qualquer sentença, seja reservada ao verbo a tarefa de prestar uma série de informações [...]”(p. 112). </li></ul>PROAB 2010 AULA 9 PREPARATÓRIO PARA CONCURSOS
  3. 3. <ul><li>Ao estudarmos os verbos, devemos observar que, em uma oração, ele nos transmite muitas informações: (a) em relação ao tempo em que algo ocorre (presente, passado, futuro); (b) em relação ao mundo real ou da fantasia, quando, por exemplo, uma criança nos conta uma história; (c) em relação à atitude do falante que pode afirmar algo, mas pode, também, modalizar seu discurso usando uma oração como “Ele estaria no local do crime.” Todas essas informações que o verbo nos dá contribuem para a compreensão acerca das intenções do autor de um texto. </li></ul><ul><li>Trataremos, nesta aula, dos vários significados trazidos pelo uso dos tempos simples dos verbos, além de falarmos sobre transitividade verbal. </li></ul>PROAB 2010 AULA 9 PREPARATÓRIO PARA CONCURSOS
  4. 4. <ul><li>O VERBO </li></ul><ul><li>Se observarmos a classe dos nomes substantivos e a classe dos verbos, perceberemos que o substantivo é o núcleo do sintagma nominal. Esse sintagma nominal pode funcionar, sintaticamente, como sujeito, objeto direto, predicativo do sujeito etc. No entanto, o verbo é o núcleo do sintagma verbal. O sintagma verbal sempre exerce a função sintática de predicado. Vale lembrar que substantivos e verbos são variáveis; a diferença está no fato de os verbos apresentarem flexão de tempo (+aspecto), modo e pessoa (+número), enquanto os substantivos apresentam flexão de gênero e número. </li></ul>PROAB 2010 AULA 9 PREPARATÓRIO PARA CONCURSOS
  5. 5. <ul><li>Embora saibamos que verbos variam em tempo, número, modo e pessoa, é importante ressaltar que a separação entre as classes de palavras não é fixa. Conforme vimos na aula 3, o verbo pode funcionar como nome ao ocupar o núcleo do sintagma nominal, antecedido ou não por um determinante, processo muito produtivo na língua. </li></ul>PROAB 2010 AULA 9 PREPARATÓRIO PARA CONCURSOS
  6. 6. <ul><li>Exemplos: </li></ul><ul><li>1- Viver em uma grande cidade é muito perigoso. </li></ul><ul><li>2- Todos desejam outro viver . </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>A FUNÇÃO DOS MODOS E TEMPOS VERBAIS </li></ul><ul><li>Vale salientar que essa forma verbal chama-se infinitivo , e refere-se à forma primitiva do verbo. Via de regra, o infinitivo é utilizado como substantivo, por isso o nome forma nominal . </li></ul>PROAB 2010 AULA 9 PREPARATÓRIO PARA CONCURSOS
  7. 7. <ul><li>Emprego dos modos verbais </li></ul><ul><li>1. Modo indicativo. Marca a realidade do fato expresso: há certeza na afirmação. Esse tempo é usado quando consideramos como certo, real ou verdadeiro o conteúdo daquilo que é dito ou está escrito. </li></ul><ul><li>Exemplo: Caminho pela manhã para emagrecer. </li></ul>PROAB 2010 AULA 9 PREPARATÓRIO PARA CONCURSOS
  8. 8. <ul><li>2. Modo subjuntivo. Marca a incerteza do fato expresso: não se sabe se o fato expresso pelo verbo ocorre, ocorreu ou ocorrerá. Esse modo é usado quando se dá como possível, duvidoso ou hipotético o conteúdo daquilo que está escrito ou é dito. </li></ul><ul><li>Exemplo: Se eu caminhasse pela manhã, talvez emagrecesse. </li></ul><ul><li>3. Modo imperativo. Marca pedido, ordem, súplica, conselho. </li></ul><ul><li>Exemplo: Caminhe pela manhã e emagrecerá. </li></ul>PROAB 2010 AULA 9 PREPARATÓRIO PARA CONCURSOS
  9. 9. <ul><li>Vale salientar que essa forma verbal chama-se infinitivo , e refere-se à forma primitiva do verbo. Via de regra, o infinitivo é utilizado como substantivo, por isso o nome forma nominal . </li></ul>PROAB 2010 AULA 9 PREPARATÓRIO PARA CONCURSOS
  10. 10. <ul><li>Só para lembrar: </li></ul><ul><li>“ Vem pra Caixa você também”. </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>O slogan da propaganda da Caixa Econômica causou certa polêmica. Isso porque, a forma verbal ‘vem’ é uma forma da segunda pessoa do singular (tu) do imperativo afirmativo do verbo ‘vir’. Por isso, ela conflita com o pronome de tratamento ‘você’, que pertence à terceira pessoa. </li></ul><ul><li>Deixando de lado a discussão sobre ‘pra’ e ‘para a’, de acordo com a prescrição da gramática normativa, a frase deveria assumir uma das duas formas: </li></ul><ul><li>Vem pra Caixa tu também. </li></ul><ul><li>Venha pra Caixa você também. </li></ul>PROAB 2010 AULA 9 PREPARATÓRIO PARA CONCURSOS
  11. 11. <ul><li>Emprego dos tempos verbais </li></ul><ul><li>Da mesma forma que os modos do verbo veiculam significados, também ao utilizarmos um determinado tempo verbal, devemos observar que ele imprime um sentido particular ao nosso texto. </li></ul>PROAB 2010 AULA 9 PREPARATÓRIO PARA CONCURSOS
  12. 12. <ul><li>1. Tempo presente . O tempo presente do indicativo é usado para indicar: </li></ul><ul><li>a) um fato atual. </li></ul><ul><li>Exemplo: Estamos na praia. </li></ul><ul><li>b) algo que acontece habitualmente. </li></ul><ul><li>Exemplo: Sempre tomo café após o almoço. </li></ul><ul><li>c) algo que representa uma verdade universal. </li></ul><ul><li>Exemplo: O sol nasce todas as manhãs. </li></ul>PROAB 2010 AULA 9 PREPARATÓRIO PARA CONCURSOS
  13. 13. <ul><li>d) um fato futuro próximo a acontecer e de realização considerada certa. </li></ul><ul><li>Exemplo: Amanhã, viajamos para Paris. </li></ul><ul><li>e) o presente histórico , ou seja, aparece na narração de um fato passado, como forma de realçar esse acontecimento. </li></ul><ul><li>Exemplo: Em 22 de abril de 1500, chega ao Brasil a nau de Cabral. </li></ul>PROAB 2010 AULA 9 PREPARATÓRIO PARA CONCURSOS
  14. 14. <ul><li>2. Pretérito perfeito . Esse tempo verbal é usado quando estabelecemos limites na duração da fala, representando um fato concluído. Chama-se ‘perfeito’ porque, ao usá-lo, acredita-se que a ação tenha sido levada até o fim. </li></ul>PROAB 2010 AULA 9 PREPARATÓRIO PARA CONCURSOS
  15. 15. <ul><li>3. Pretérito imperfeito. O pretérito imperfeito do indicativo caracteriza-se por expressar uma ação prolongada, não sendo possível esclarecer sobre a ocasião em que ela terminou ou teve início. Esse tempo verbal também é conhecido como o ‘tempo das fábulas’: ao dizer “Era uma vez” a pessoa que emite essa fala, faz-nos passar do mundo real ao mundo da fantasia. </li></ul><ul><li>O uso mais frequente do pretérito imperfeito é para indicar algo habitual no passado. “Eu caminhava na beira da praia quando morava em Copacabana.” </li></ul>PROAB 2010 AULA 9 PREPARATÓRIO PARA CONCURSOS
  16. 16. <ul><li>Travaglia (2001:212) comenta que é comum crianças, brincando de casinha, utilizarem o pretérito imperfeito como uma forma de marcar a irrealidade usando sentenças do tipo “Vamos brincar de casinha? Eu era a mãe, você era a filha e ela era a prima que vinha fazer uma visita.” </li></ul><ul><li>Algumas pessoas confundem os usos do pretérito perfeito e do pretérito imperfeito. Vejamos os exemplos abaixo. </li></ul>PROAB 2010 AULA 9 PREPARATÓRIO PARA CONCURSOS
  17. 17. <ul><li>a. Saiu de casa para viajar pelo mundo. Alguns anos depois, voltava à casa de sua mãe. </li></ul><ul><li>b. Saiu de casa para viajar pelo mundo. Alguns anos depois, voltou à casa de sua mãe. </li></ul>PROAB 2010 AULA 9 PREPARATÓRIO PARA CONCURSOS
  18. 18. <ul><li>Embora saibamos que, muitas vezes, os indivíduos utilizam os tempos verbais de forma inadequada, segundo a prescrição, ao utilizar na frase (a) o pretérito imperfeito, tem-se por parte do falante um indicativo de dúvida quanto à volta do indivíduo à casa da mãe. Em (b), o uso de pretérito perfeito indicaria que o falante acreditava na volta da pessoa em questão à casa de sua mãe. </li></ul>PROAB 2010 AULA 9 PREPARATÓRIO PARA CONCURSOS
  19. 19. <ul><li>Segundo Ilari e Basso (idem: 113), se você ouvisse a frase “Ela veio para a festa de carro, mas morreu no caminho”, provavelmente acharia que essa frase soou estranha porque ‘veio’ nos transmite a ideia de uma ação acabada, fato que conflita com o que está exposto na segunda parte da sentença. No entanto, se disséssemos “Ele vinha para a festa, mas morreu no caminho” ou “Ele estava vindo para a festa, mas morreu no caminho”, esse conflito se desfaz. Essa distinção entre os tempos do passado, por exemplo, chamamos de aspecto verbal. </li></ul><ul><li>Para você saber mais sobre aspecto verbal, acesse: http://www.filologia.org.br/anais/anais%20III%20CNLF%2049.html </li></ul>PROAB 2010 AULA 9 PREPARATÓRIO PARA CONCURSOS
  20. 20. <ul><li>Observemos mais dois exemplos. </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>c. Quando o encontrava, conversávamos muito. </li></ul><ul><li>d. Quando o encontrei, conversamos muito. </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>Utilizar a sentença (c) equivale a dizer que “Todas as vezes que eu o encontrava, conversávamos muito.”. Fazer uso de (d), no entanto, significa “Naquela oportunidade em que o encontrei, conversamos muito.” </li></ul><ul><li>  </li></ul>PROAB 2010 AULA 9 PREPARATÓRIO PARA CONCURSOS
  21. 21. <ul><li>4. Pretérito mais-que-perfeito. Embora seja também um tempo indicativo de passado, seu uso mostra que o processo em questão, ainda que tenha ocorrido no passado, o fez de forma anterior ao que é indicado pelo pretérito perfeito. Além desse significado, segundo Garcia (1997:71), esse tempo também indica desejo ou esperança. Exemplos: </li></ul>PROAB 2010 AULA 9 PREPARATÓRIO PARA CONCURSOS
  22. 22. <ul><li>Atualmente, o uso desse tempo verbal está vinculado a ambientes de uso formal da língua. Em ambientes escritos de menor formalidade e na fala é mais comum o emprego da forma composta: ‘eu tinha viajado’ em lugar de ‘viajara’. </li></ul><ul><li>Exemplos: </li></ul><ul><li>Ele trabalhara mais do que devia. </li></ul><ul><li>Quem me dera eu ganhasse na loto! </li></ul>PROAB 2010 AULA 9 PREPARATÓRIO PARA CONCURSOS
  23. 23. <ul><li>5. Futuro do presente. Representa o fato como não concluído e o situa num tempo posterior ao presente. Esse tempo indicativo de futuro atua, basicamente, para mostrar um fato provável de ocorrer. </li></ul><ul><li>Exemplo: </li></ul><ul><li>Amanhã, irei à praia. </li></ul>PROAB 2010 AULA 9 PREPARATÓRIO PARA CONCURSOS
  24. 24. <ul><li>Embora não seja comum o uso deste tempo verbal com esse significado, o futuro do presente também pode ser usado em lugar do imperativo, para atenuar uma ordem, fazer um pedido, sugerir algo. </li></ul><ul><li>Exemplo: </li></ul><ul><li>“ Honrarás pai e mãe”. </li></ul><ul><li>Com frequência, substituímos o futuro do presente pela locução verbal formada pelo verbo ir + verbo no infinitivo, como em “Vou sair cedo amanhã”. </li></ul>PROAB 2010 AULA 9 PREPARATÓRIO PARA CONCURSOS
  25. 25. <ul><li>6. Futuro do pretérito. Representa o fato como não-concluído e o situa num intervalo de tempo no passado. Exprime um fato futuro tomado em relação ao passado, sendo também usado para indicar dúvida em relação a algo. Usar o futuro do pretérito demonstra o grau de comprometimento de quem fala diante do tema tratado. </li></ul><ul><li>Exemplo: </li></ul><ul><li>Segundo me disseram, ele depositaria quase trinta mil no banco. </li></ul><ul><li>Ao usar ‘depositaria’, tem-se uma hipótese, um fato passível de ter ocorrido, mas ainda assim apenas uma possibilidade. </li></ul>PROAB 2010 AULA 9 PREPARATÓRIO PARA CONCURSOS
  26. 26. <ul><li>Observações gerais. </li></ul><ul><li>I. O presente do indicativo indica um fato habitual presente, enquanto o pretérito imperfeito indica um fato habitual passado. </li></ul><ul><li>Exemplos: </li></ul><ul><li>Eu compro pão todo dia. </li></ul><ul><li>Eu comprava pão todo dia quando morava naquela rua. </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>II. Em Língua Portuguesa, usa-se o presente do indicativo do verbo estar mais o gerúndio do verbo para indicar que algo ocorre concomitante ao momento de fala. </li></ul><ul><li>Exemplo: </li></ul><ul><li>Ele sempre come bem, mas hoje não está comendo nada. </li></ul>PROAB 2010 AULA 9 PREPARATÓRIO PARA CONCURSOS
  27. 27. <ul><li>CRIAÇÃO DE VERBOS </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>Na aula passada, dissemos que substantivos, adjetivos, verbos e advérbios formam uma classe aberta em Língua Portuguesa, ou seja, há a possibilidade de se criarem novos itens para compor essas quatro classes gramaticais. Observemos o poema a seguir. </li></ul>PROAB 2010 AULA 9 PREPARATÓRIO PARA CONCURSOS
  28. 28. <ul><li>Neologismo </li></ul><ul><li>( Manuel Bandeira ) </li></ul><ul><li>Beijo pouco, falo menos ainda. </li></ul><ul><li>Mas invento palavras </li></ul><ul><li>Que traduzem a ternura mais funda </li></ul><ul><li>E mais cotidiana. </li></ul><ul><li>Inventei, por exemplo, o verbo teadorar. Intransitivo: Teadoro, Teodora. </li></ul><ul><li>(In. Barbosa, Francisco de Assis (org). Melhores poemas de Manuel Bandeira. Global, São Paulo: 2003.) </li></ul>PROAB 2010 AULA 9 PREPARATÓRIO PARA CONCURSOS
  29. 29. <ul><li>Nesse poema, observa-se a criação do verbo ‘teadorar’, forma homófona, ou seja, de som semelhante ao nome Teodora: o autor utilizou o pronome oblíquo te como prefixo e o combinou ao verbo adorar. No último verso, Teodora é o vocativo, separado do verbo pela vírgula, porque este já tem sentido completo. O jogo de sons entre os dois vocábulos acentua o aspecto lúdico da criação lexical. Leiamos o trecho a seguir, os três últimos parágrafos do texto A lenda dos três reis magos . </li></ul>PROAB 2010 AULA 9 PREPARATÓRIO PARA CONCURSOS
  30. 30. <ul><li>Os magos viajaram de camelo, que em árabe é jamal . Predominou, entretanto, a forma grega kamélos , que resultou no latim camelus , de onde veio para o português. </li></ul><ul><li>Animal indispensável aos povos do deserto, o camelo é capaz de ficar oito dias sem beber água, graças ao seu reservatório natural. </li></ul><ul><li> Os dicionários ainda não registram o verbo camelar, sinônimo de trabalhar muito. </li></ul><ul><li>(In. SILVA, Deonísio da. A língua nossa de cada dia. Osasco, SP: Novo Século Editora, 2007.) </li></ul>PROAB 2010 AULA 9 PREPARATÓRIO PARA CONCURSOS
  31. 31. <ul><li>A criação do verbo ‘camelar’ nos mostra o quão produtivo é o processo de formação de verbos em português: para formar novos verbos deve-se, apenas, acrescentar os morfemas próprios das categorias verbais surgindo verbos como xerografar, customizar, escanear. </li></ul>PROAB 2010 AULA 9 PREPARATÓRIO PARA CONCURSOS
  32. 32. <ul><li>TRANSITIVIDADE VERBAL </li></ul><ul><li>No poema visto anteriormente, ao criar o verbo TEADORAR, Manuel Bandeira diz que esse verbo é intransitivo. Ao longo da tradição escolar, ouvimos que o verbo transitivo é &quot;aquele que precisa de complemento&quot; e que verbo intransitivo é &quot;aquele que não precisa de complemento&quot;. No entanto, não é válido decorar listas de verbos e suas respectivas classificações. É preciso entender a predicação verbal. </li></ul>PROAB 2010 AULA 9 PREPARATÓRIO PARA CONCURSOS
  33. 33. <ul><li>Predicação é o estudo que observa de que maneira se comporta o movimento semântico dos verbos. Há verbos cuja carga de sentido se concentra em si mesmos e são chamados “intransitivos”. No entanto, há outros cuja carga de sentido se dirige, necessariamente, a um ou mais de um complemento obrigatório, ou seja, faz-se necessário agregar a esse verbo, um ou mais sintagmas que irão completar-lhes o sentido. São os verbos transitivos diretos, transitivos indiretos e transitivos diretos e indiretos. Vamos aos exemplos: </li></ul>PROAB 2010 AULA 9 PREPARATÓRIO PARA CONCURSOS
  34. 34. <ul><li>a) VERBO INTRANSITVO: O homem saiu . </li></ul><ul><li>b)VERBO TRANSITIVO DIRETO: O menino comprou um livro novo. </li></ul><ul><li>c) VERBO TRANSITIVO INDIRETO: João gosta de Maria. </li></ul><ul><li>d) VERBO TRANSITIVO DIRETO E INDIRETO. Também chamados de bitransitivos, esses verbos possuem dois complementos: um complemento sem preposição, o objeto direto e um complemento com preposição, o objeto indireto. </li></ul><ul><li>O aluno entregou o trabalho ao professor. </li></ul>PROAB 2010 AULA 9 PREPARATÓRIO PARA CONCURSOS Entregou algo = o trabalho entregou algo a alguém = ao professor
  35. 35. <ul><li>Vale lembrar que há verbos que atuam diferentemente dos verbos apresentados anteriormente. São os chamados VERBOS DE LIGAÇÃO, cujo papel, na oração, é apenas promover a ligação entre o sujeito e uma informação sobre o sujeito. Constituem um pequeno acervo em português, como ser , estar , parecer , permanecer , ficar , tornar-se . </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>e) VERBO DE LIGAÇÃO: Maria é muito feliz. </li></ul><ul><li>Após o incidente, a plateia permaneceu totalmente calada. </li></ul><ul><li>  </li></ul>PROAB 2010 AULA 9 PREPARATÓRIO PARA CONCURSOS
  36. 36. <ul><li>Vale destacar que alguns verbos, tradicionalmente classificados como verbos de ligação, podem vir a ser significativos. Há, ainda, aqueles verbos significativos que podem, em certos contextos, exercer apenas a função de ligação na oração. Vejamos os exemplos dos verbos andar e ficar : </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>  </li></ul>PROAB 2010 AULA 9 PREPARATÓRIO PARA CONCURSOS
  37. 37. <ul><li>ANDAR FICAR </li></ul><ul><li>COMO VERBO DE LIGAÇÃO: COMO VERBO DE LIGAÇÃO: </li></ul><ul><li>Andei muito doente. Ficamos aborrecidos. </li></ul><ul><li>C OMO VERBO INTRANSITIVO: COMO VERBO TRANSITIVO INDIRETO: </li></ul><ul><li>Andei demais ontem . Durante a noite, ficamos numa caverna. </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>  </li></ul>PROAB 2010 AULA 9 PREPARATÓRIO PARA CONCURSOS
  38. 38. <ul><li>Só temos verbo de ligação quando temos predicativo do sujeito. </li></ul><ul><li>Eu estava contente. (contente é predicativo do sujeito) </li></ul><ul><li>Eu estava com ele na festa. Estava= verbo intransitivo; com ele na festa = adjunto adverbial de companhia; na festa= adjunto adverbial de lugar. </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>  </li></ul>PROAB 2010 AULA 9 PREPARATÓRIO PARA CONCURSOS
  39. 39. <ul><li>Por que não é válido decorar listas de verbos e suas respectivas classificações? Porque é preciso sempre observar o contexto em que os verbos aparecem. Um mesmo verbo pode ser usado transitiva ou intransitivamente, dependendo do sentido que se queira dar ou que se deu ao enunciado. Observe o verbo “virar” como verbo: </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>  </li></ul>PROAB 2010 AULA 9 PREPARATÓRIO PARA CONCURSOS
  40. 40. <ul><li>1) transitivo direto (= entornar) </li></ul><ul><li>Exemplo: A criança virou o copo de suco. </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>2) transitivo indireto (= voltar-se) </li></ul><ul><li>Exemplo: O feitiço virou contra o feiticeiro </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>3) intransitivo (= mudou) </li></ul><ul><li>Exemplo: O tempo virou. </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>4) de ligação (= tornar-se) </li></ul><ul><li>Exemplo: João virou um excelente marido. </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>  </li></ul>PROAB 2010 AULA 9 PREPARATÓRIO PARA CONCURSOS
  41. 41. <ul><li>AS FORMAS NOMINAIS DO VERBO </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>Os verbos apresentam três formas nominais: o infinitivo (amar, comer, dormir, pôr), o particípio (amado, comido, dormido, posto) e o gerúndio (amando, comendo, dormindo, partindo). </li></ul><ul><li>É comum a substantivação do infinitivo através da presença de um determinante como em ‘seu falar’, assim como o uso do particípio como adjetivo (‘Ele é mal falado no lugar em que mora). Assim, vale salientar que o infinitivo pode assumir o valor de um substantivo, bem como o particípio pode assumir o valor de um adjetivo. Por isso, é que são conhecidos como formas nominais. </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>  </li></ul>PROAB 2010 AULA 9 PREPARATÓRIO PARA CONCURSOS
  42. 42. <ul><li>Problemas em relação ao uso do gerúndio em português </li></ul><ul><li>Como o gerúndio tem sido a forma nominal mais problemática nos textos, falaremos um pouco mais sobre ele. Vejamos o trecho da letra da música a seguir. </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>  </li></ul>PROAB 2010 AULA 9 PREPARATÓRIO PARA CONCURSOS
  43. 43. <ul><li>AS FORMAS NOMINAIS DO VERBO </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>Os verbos apresentam três formas nominais: o infinitivo (amar, comer, dormir, pôr), o particípio (amado, comido, dormido, posto) e o gerúndio (amando, comendo, dormindo, partindo). </li></ul><ul><li>É comum a substantivação do infinitivo através da presença de um determinante como em ‘seu falar’, assim como o uso do particípio como adjetivo (‘Ele é mal falado no lugar em que mora). Assim, vale salientar que o infinitivo pode assumir o valor de um substantivo, bem como o particípio pode assumir o valor de um adjetivo. Por isso, é que são conhecidos como formas nominais. </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>  </li></ul>PROAB 2010 AULA 9 PREPARATÓRIO PARA CONCURSOS
  44. 44. <ul><li>Procissão </li></ul><ul><li>( Gilberto Gil ) </li></ul><ul><li>Olha lá vai passando a procissão Se arrastando que nem cobra pelo chão As pessoas que nela vão passando Acreditam nas coisas lá do céu As mulheres cantando tiram versos E os homens escutando tiram o chapéu Eles vivem penando aqui na terra Esperando o que Jesus prometeu </li></ul><ul><li>[...] </li></ul>PROAB 2010 AULA 9 PREPARATÓRIO PARA CONCURSOS
  45. 45. <ul><li>Nessa letra, é possível perceber o uso do gerúndio na primeira estrofe como forma de descrever uma cena que se desenvolve enquanto a música é cantada. Essa procissão é mostrada por meio de uma série de verbos na forma simples do gerúndio - passando, arrastando, cantando, escutando, penando, esperando . O uso do gerúndio presente no texto acima corresponde a um uso prescrito pelas gramáticas já que ele é utilizado para indicar uma ação progressiva, ou seja, um processo prolongado. O gerúndio também pode ser usado quando tratamos de uma ação concomitante a outra que pode ser percebida quando dizemos “Sempre caminho ouvindo música.” </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>  </li></ul>PROAB 2010 AULA 9 PREPARATÓRIO PARA CONCURSOS
  46. 46. <ul><li>É preciso que tenhamos cuidado com uma implicância generalizada, surgida recentemente em torno do uso do gerúndio. Essa forma nominal do verbo possui usos considerados adequados à comunicação, como os comentados no parágrafo acima ou ainda em sentenças como “Chorando, ela voltou para casa”, na qual o verbo indica o modo como a pessoa em questão voltou. Pode-se também usar o gerúndio como adjetivo, embora esse uso seja menos frequente. É o que temos na sentença “vejo crianças correndo no parque”, em que o gerúndio serve para indicar que não falamos de quaisquer crianças e sim daquelas que brincam no parque. </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>  </li></ul>PROAB 2010 AULA 9 PREPARATÓRIO PARA CONCURSOS
  47. 47. <ul><li>O problema em relação ao gerúndio reside no uso de sua forma composta: frequentemente o verbo ir conjugado + o verbo estar no infinitivo + o gerúndio. Dizer Vou estar dormindo na hora da novela está correto sob o ponto de vista da gramática normativa, já que o verbo indica uma ação que ocorre no momento de outra. Pode-se também usar essa estrutura quando dizemos Amanhã, vou estar trabalhando o dia todo , na qual essa estrutura indica um processo duradouro e contínuo. </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>  </li></ul>PROAB 2010 AULA 9 PREPARATÓRIO PARA CONCURSOS
  48. 48. <ul><li>O uso do chamado ‘gerundismo’, ou seja, o uso inadequado do gerúndio,representa um problema quando não queremos comunicar a ideia de eventos ou ações simultâneas, mas falar de uma ação específica, pontual, em que a duração não é a preocupação dominante. Nesse caso, o correto é usar ‘vou falar’, pois, assim, indicamos algo que vai acontecer a partir de agora, do nosso momento de fala: o uso do infinitivo representa garantia do cumprimento da ação. O uso de ‘Vou estar falando’ em uma situação desse tipo é inadequado porque se perde a referência na ação em si, tornando um evento que deveria ser preciso, enfocando a ação, em uma situação em curso. </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>  </li></ul>PROAB 2010 AULA 9 PREPARATÓRIO PARA CONCURSOS
  49. 49. <ul><li>Esse uso do ‘gerundismo’ ocorre, com frequência, em situações de interação por motivos comerciais e é considerado um problema, tendo em vista o grande número de ocorrências. Podemos observar que não utilizamos uma sentença como ‘Vamos estar tomando uma cerveja’, porque soa como artificial.  </li></ul><ul><li>  </li></ul>PROAB 2010 AULA 9 PREPARATÓRIO PARA CONCURSOS
  50. 50. <ul><li>VERBOS E ESVAZIAMENTO SEMÂNTICO: A QUESTÃO DO VOCABULÁRIO </li></ul><ul><li>  Todo ser humano normal aprende a falar a língua do grupo social ao qual pertence. É preciso, no entanto que essa fala seja refinada pela escola; não devemos alimentar a ideia de que a fala é um ‘vale-tudo’. A escola faz com que nos preocupemos muito mais com nossa escrita do que com nossa fala. Sabemos que aprender a modalidade escrita da língua depende, em um primeiro momento, de uma instrução adequada. Aprimorá-la passa por processos como o de organização sintática, de planejamento e de seleção vocabular. Se falarmos em um ambiente de maior formalidade, faz-se necessário o monitoramento e isso também ocorre na escolha de palavras que consideramos mais adequadas ao ambiente. Discutiremos a seguir a questão da escolha de verbos para compor um texto. </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>  </li></ul>PROAB 2010 AULA 9 PREPARATÓRIO PARA CONCURSOS
  51. 51. <ul><li>Alguns verbos também se comportam assim. Analisemos os vários significados do verbo pôr nas sentenças a seguir: </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>a) O funcionário pôs o aviso na parede. (= pendurou, colou) </li></ul><ul><li>b) O diretor pôs o dinheiro no banco. (= depositou) </li></ul><ul><li>c) Os pais sempre põem a culpa nos filhos. (= culpam os filhos) </li></ul><ul><li>d) O médico pôs a luva para a cirurgia. (= vestiu) </li></ul><ul><li>e) A bibliotecária pôs os livros na estante. (= guardou) </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>  </li></ul>PROAB 2010 AULA 9 PREPARATÓRIO PARA CONCURSOS
  52. 52. <ul><li>Há outros casos como, por exemplo, os dos verbos ver , ter , fazer , entre outros, cujos empregos são mais amplos que outros mais específicos. Por exemplo: </li></ul><ul><li>a) o verbo ver pode ser substituído por observar, contemplar, distinguir, espiar, fitar etc. </li></ul><ul><li>b) O verbo dizer utilizado frequentemente em lugar de afirmar, revelar, declarar, anunciar, publicar. </li></ul><ul><li>c) O verbo fazer substituindo os verbos realizar , promover , determinar , estabelecer , fixar , aprovar , provocar , integrar , inaugurar etc. </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>  </li></ul>PROAB 2010 AULA 9 PREPARATÓRIO PARA CONCURSOS
  53. 53. <ul><li>Depois dessa discussão acerca do vocabulário, é importante que compreendamos que a escolha de palavras garante a eficiência comunicativa. Esse cuidado na seleção vocabular deve ser observado quando um autor escreve seu texto, redige sua propaganda, compõe a letra da sua música, assim como quando escrevemos para alguém, seja em nosso dia-a-dia, seja em nossa escrita acadêmica ou ainda, quando falamos com alguém. Perceber como os vocábulos de um texto se organizam e conceber a relação entre domínio de vocabulário e o uso eficiente da língua, são ferramentas importantes ao desenvolvimento de nossa compreensão leitora. </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>  </li></ul>PROAB 2010 AULA 9 PREPARATÓRIO PARA CONCURSOS
  54. 54. <ul><li>VERBOS: A PRESCRIÇÃO E O USO </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>CASO 1. O futuro do subjuntivo dos verbos ver e vir. </li></ul><ul><li>O verbo ver , no futuro do subjuntivo, tem as seguintes formas: vir, vires, vir, vier, virmos, virdes, virem. </li></ul><ul><li>O verbo vir , no futuro do subjuntivo, tem as seguintes formas: vier, vieres, vier, viermos, vierdes, vierem. </li></ul><ul><li>Exemplo. </li></ul><ul><li>Darei esse livro a ela se, quando vier para a faculdade, a vir aqui. </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>  </li></ul>PROAB 2010 AULA 9 PREPARATÓRIO PARA CONCURSOS Verbo vir Verbo ver
  55. 55. <ul><li>CASO 2. O verbo haver. </li></ul><ul><li>2a. Verbos ter x haver . </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>Emprega-se há como sinônimo de ‘existe’. Há trinta alunos na sala. </li></ul><ul><li>Emprega-se ‘ter’ como sinônimo de ‘possui’. Tenho trinta livros. </li></ul><ul><li>2b. Há três dias x três dias atrás. </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>  </li></ul>PROAB 2010 AULA 9 PREPARATÓRIO PARA CONCURSOS
  56. 56. <ul><li>É comum ouvirmos alguém dizer “Li sobre isso há três dias atrás.” No entanto, o padrão escrito da língua contempla os seguintes usos: ‘há duas semanas’ ou ‘ duas semanas atrás’. Observe: </li></ul><ul><li>Li sobre isso há três dias. (padrão culto escrito/falado) </li></ul><ul><li>Li sobre isso três dias atrás. (padrão culto escrito/falado) </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>  </li></ul>PROAB 2010 AULA 9 PREPARATÓRIO PARA CONCURSOS
  57. 57. <ul><li>2c. Há x a. </li></ul><ul><li>Quando nos referimos a um fato que já aconteceu, usamos o verbo haver, ou seja, a forma ‘há’; quando nos referimos a um fato que ainda vai acontecer usamos a preposição ‘a’. </li></ul><ul><li>Exemplos. </li></ul><ul><li>Ele chegou há mais de duas horas. (= Ele chegou faz duas horas.) </li></ul><ul><li>Ele vai chegar daqui a duas horas. (= Ele vai chegar em duas horas.) </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>  </li></ul>PROAB 2010 AULA 9 PREPARATÓRIO PARA CONCURSOS
  58. 58. <ul><li>CASO 3. Esteja e seja. </li></ul><ul><li>Na conjugação dos verbos ser e estar existem as formas esteja, estejas, estejam e seja, sejas, sejam. </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>  </li></ul>PROAB 2010 AULA 9 PREPARATÓRIO PARA CONCURSOS
  59. 59. <ul><li>CASO 4. Formas irregulares do subjuntivo. </li></ul><ul><li> É comum ouvirmos uma criança dizer “Se eu querer , eu mexo nisso.” em lugar de usar a forma padrão que é “Se eu quiser, eu mexo nisso.” O que ela faz é regularizar a forma do futuro do subjuntivo desse verbo, que é irregular, assemelhando-a as formas dos verbos regulares, ou seja, verbos que não fazem diferença entre o infinitivo e o futuro do subjuntivo. </li></ul><ul><li>‘ Vender’ é um verbo regular e, por isso, possui para o futuro do subjuntivo e para o infinitivo a mesma forma. </li></ul><ul><li>Verbos regulares são aqueles cujos radicais não se alteram nas mais variadas conjugações, como, por exemplo, o verbo ‘estudar’. Nos verbos irregulares, o radical do verbo altera-se como em med ir/ (eu) meç o ou não seguem o paradigma da conjugação com em est a r / (eu) est o u. </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>  </li></ul>PROAB 2010 AULA 9 PREPARATÓRIO PARA CONCURSOS
  60. 60. <ul><li>CASO 4. Formas irregulares do subjuntivo. </li></ul><ul><li> É comum ouvirmos uma criança dizer “Se eu querer , eu mexo nisso.” em lugar de usar a forma padrão que é “Se eu quiser, eu mexo nisso.” O que ela faz é regularizar a forma do futuro do subjuntivo desse verbo, que é irregular, assemelhando-a as formas dos verbos regulares, ou seja, verbos que não fazem diferença entre o infinitivo e o futuro do subjuntivo. </li></ul><ul><li>‘ Vender’ é um verbo regular e, por isso, possui para o futuro do subjuntivo e para o infinitivo a mesma forma. </li></ul><ul><li>Verbos regulares são aqueles cujos radicais não se alteram nas mais variadas conjugações, como, por exemplo, o verbo ‘estudar’. Nos verbos irregulares, o radical do verbo altera-se como em med ir/ (eu) meç o ou não seguem o paradigma da conjugação com em est a r / (eu) est o u. </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>  </li></ul>PROAB 2010 AULA 9 PREPARATÓRIO PARA CONCURSOS
  61. 61. <ul><li>Exemplos. </li></ul><ul><li>Se eu vender essa casa, comprarei outra na mesma rua. </li></ul><ul><li>Colocamos essa casa para vender há mais de ano. </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>O mesmo não acontece com um verbo irregular como dizer. </li></ul><ul><li>Exemplos. </li></ul><ul><li>Se eu disser algo sobre isso, serei indiscreta. </li></ul><ul><li>Ao dizer o que sabia, fui indiscreta. </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>  </li></ul>PROAB 2010 AULA 9 PREPARATÓRIO PARA CONCURSOS
  62. 62. <ul><li>Se eu vender se eu disser </li></ul><ul><li>Se tu venderes se tu disseres </li></ul><ul><li>Se ele vender se ele disser </li></ul><ul><li>Se nós vendermos se nós dissermos </li></ul><ul><li>Se vós venderdes se vos disserdes </li></ul><ul><li>Se eles venderem se eles disserem </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>  </li></ul>PROAB 2010 AULA 9 PREPARATÓRIO PARA CONCURSOS Comparem-se os verbos vender (regular) e o verbo dizer (irregular), ambos conjugados no futuro do subjuntivo.    
  63. 63. <ul><li>CASO 5. Interviu ou interveio? </li></ul><ul><li>A forma correta é interveio. O verbo intervir é derivado do verbo vir e é conjugado de forma semelhante. </li></ul><ul><li>Ele veio – interveio </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>  </li></ul>PROAB 2010 AULA 9 PREPARATÓRIO PARA CONCURSOS
  64. 64. <ul><li>- Saiba mais: </li></ul><ul><li>O bom gerúndio </li></ul><ul><li>http://revistalingua.uol.com.br/textos.asp?codigo=11795 </li></ul><ul><li>A gente cantamos errado? </li></ul><ul><li>http://revistalingua.uol.com.br/textos.asp?codigo=11506 </li></ul><ul><li>As confusões entre ‘a’ e ‘há’ </li></ul><ul><li>http://revistalingua.uol.com.br/textos.asp?codigo=11709 </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>  </li></ul>PROAB 2010 AULA 9 PREPARATÓRIO PARA CONCURSOS
  65. 65. <ul><li>Referências bibliográficas: </li></ul><ul><li>AZEREDO, José Carlos de. Uma abordagem textual das categorias do verbo . In. AZEREDO, José Carlos de (org.) Língua Portuguesa em debate: conhecimento e ensino . Petrópolis, RJ: Vozes, 2000. </li></ul><ul><li>BECHARA, Evanildo. Moderna gramática portuguesa . 37ª ed. Revista e ampliada. Rio de Janeiro: Lucerna, 1999. </li></ul><ul><li>  FARACO, Carlos Alberto e TEZZA, Cristóvão. Oficina de texto. 3ª ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2003. </li></ul><ul><li>ILARI, Rodolfo e BASSO, Renato. O português da gente: a língua que estudamos, a língua que falamos . São Paulo: Contexto, 2006. </li></ul><ul><li>  MOURA, Fernando. Gramática aplicada ao texto . 2ª ed. Brasília: Vestcon, 2002. </li></ul><ul><li>  PIMENTEL, Ernani Figueiras. Gramática pela prática . 6ª ed. Brasília: Vestcon, 2002. </li></ul><ul><li>TRAVAGLIA, Luiz Carlos. Gramática e interação: uma proposta para o ensino de gramática no 1º e 2º graus . 6ª. ed. São Paulo: Cortez, 2001.   </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>  </li></ul>PROAB 2010 AULA 9 PREPARATÓRIO PARA CONCURSOS

×