Your SlideShare is downloading. ×
Arteterapia: Ampliação da Consciência
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Arteterapia: Ampliação da Consciência

1,779
views

Published on

Published in: Education, Business

0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
1,779
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Arteterapia: Ampliação da Consciência
  • 2. Irene Gaeta: Psicóloga clínica, arteterapeuta, doutora pela PUC/SP
  • 3. Objetivo: A partir da perspectiva fenomenológica e de sua interface com a Psicologia Analítica de C. G. Jung, compartilhar experiências na busca de reflexões e de uma prática tão necessárias em nosso contexto sócio-cultural.
  • 4. O que é Arteterapia? É um novo campo do Conhecimento.
  • 5. Arteterapia Um novo campo no SABER • Qual a sua singularidade ? • Quais são as possibilidades de atuação? • Pode ter uma existência própria?
  • 6. Jung Homem Símbolo Inconsciente
  • 7. Arteterapia Um novo campo no SABER • Quais são suas fronteiras ? • Qual o espaço?
  • 8. Todo conhecimento necessita de interfaces e conexões.
  • 9. O significado • Para que 2 elementos funcionem em conjunto é necessário uma conexão. • O termo interface carrega em si a idéia de que há uma superfície de contato entre espaços de realidades diferentes.
  • 10. Arteterapia Arteterapia é a utilização de recursos artísticos em contextos terapêuticos.
  • 11. Arteterapia • Baseia-se na crença de que o processo criativo envolvido na atividade artística é terapêutico e enriquecedor da qualidade de vida das pessoas. www.arttherapy.org
  • 12. Arteterapia A arte devolve a liberdade à alma aprisionada pelo vazio, pelo medo, ou ainda pelos sentimentos não nomeados. (Arcuri 2004)
  • 13. Não se pode criar o novo se estamos atrelados ao velho. Os pensamentos precisam ser modificados para possibilitar o processo de criação. Ao buscar o silêncio interior, atingimos o ponto zero, que possibilita a entrada do novo. Esse novo pode ser expresso pela modelagem em argila. A argila rompe a inércia enaltecendo o princípio feminino da criação, gestando vida e possibilitando a vivência simultânea dos quatro elementos da Natureza. Arcuri, 2004
  • 14. Arteterapia Leva à concretização dos anseios das necessidades interiores do ser humano.
  • 15. Vivemos com relação com um universo de significados e, embora a pulsão de morte tenha poderes de neutralizá-la, normalmente não desejamos que haja separação entre nós e o universo que nos faz sentido. Toda separação se dá em um contexto de sofrimento. O que nos alimenta de vida? O contato com o nosso ser e com tudo que tem importância para nós, a ligação com os objetos reais e imaginários vivida em um relacionamento profundo. Trinca, 2007
  • 16. Arteterapia A arteterapia age a serviço das leis das necessidades interiores, que são também as leis do chamado à espiritualidade.
  • 17. Siudmak
  • 18. Arteterapia Arteterapia proporciona o reconhecimento da dinâmica psíquica é uma via de acesso à totalidade de ser.
  • 19. Arteterapia Arteterapia é um campo de interfaces, interdisciplinar por natureza. Arcuri, 2006
  • 20. Arteterapia Arteterapia facilita o entrar em contato com o poder criador de cada um.
  • 21. Palavra Imagem Além do significado manifesto e imediato Elementos simbólicos Fora do alcance da compreensão
  • 22. Siudmak
  • 23. Arteterapia Possibilita transpor para o exterior o que ocorre no interior e assim poder observar, refletir, interagir, dialogar.
  • 24. Arteterapia O arteterapeuta amplia e desdobra o potencial do processo de criação do ser humano. Fazendo uso da arte, exalta as qualidades do indivíduo na práxis da vida, ajudando-o a sentir-se, pensar-se e a agir de acordo consigo mesmo, ao longo de sua existência. (Gonçalves, 1995)
  • 25. Pode-se levar a mente do paciente, através de medidas terapêuticas comuns, a uma distância segura de seu inconsciente, por exemplo, induzindo-o a representar sua situação psíquica num desenho ou num quadro. Com isso, o caos que nos parece impossível compreender ou formular é visualizado e objetivado, podendo então ser observado à distância, analisado e interpretado pela consciência. O resultado deste método parece residir no fato de a impressão originariamente caótica e amedrontadora ser substituída pela imagem que dela se faz. O “tremendum” é “desencantado” pela imagem, tornando-se banal e familiar. Quando o paciente se vê ameaçado pelos afetos da experiência originária, as imagens por ele projetadas servirão para aplacar o terror. Um bom exemplo deste procedimento é a visão aterradora de Deus... Jung, 1959
  • 26. Ampliação da consciência A arteterapia proporciona uma ampliação da consciência, a vida mental, sendo menos regida por padrões que se repetem, tende a se flexibilizar. O self torna-se propício à recepção da luz do interior e ruma para a diminuição ou para a eliminação da dualidade.
  • 27. Imagens artísticas espontâneas A diminuição da turbulências e dos conflitos são propícias ao surgimento das imagens artísticas, porque elas são expressões de contato com o ser interior realizado em um nível de profundidade muito acentuado.
  • 28. Arteterapia Da interdisciplinaridade à transdisciplinaridade Ao se constituir como um campo de saber, a arteterapia se depara com a interlocução entre várias áreas do conhecimento: antropologia, arte, psicologia, neurologia, psiquiatria, filosofia, sociologia, etc
  • 29. Arteterapia Da interdisciplinaridade à transdisciplinaridade Torna-se assim interdisciplinar. Não pretende a unidade de conhecimentos, mas a parceria e a mediação dos conhecimentos parcelares na criação de saberes.
  • 30. Experiência humana Número indefinido de fatores desconhecidos
  • 31. Arteterapia Da interdisciplinaridade à transdisciplinaridade Trata-se de um exercício que requer responsabilidade pelo pensamento, pelas idéias, pelas ações, viabilizando o conhecimento pela competência de uma racionalidade aberta.
  • 32. Arteterapia Da interdisciplinaridade à transdisciplinaridade Certamente, não se trata de proposta simples. Caminhamos para a transdisciplinariedade.
  • 33. Arteterapia Da interdisciplinaridade à transdisciplinaridade A perspectiva transdisciplinar requer a eficácia de uma dialógica, abertura para escutar o que se passa em outras esferas do conhecimento, mesmo mantendo posição divergente, pois é impossível saber tudo.
  • 34. Transdisciplinaridade • A transdisciplinaridade aparece como um movimento de reconhecimento do espírito e da consciência, uma consciência nova de realidade.
  • 35. Siudmak
  • 36. Transdisciplinaridade • É uma conciliação que resulta da compreensão e do re-equilíbrio entre o saber produzido e as necessidades interiores do homem.
  • 37. Siudmak
  • 38. Transdisciplinaridade • Portanto, a transdisciplinaridade instala-se na interação entre o sujeito e o objeto, na compreensão de que a realidade é multidimensional.
  • 39. Siudmak
  • 40. Referencias Bibliográficas: ARCURI, I.P.G (ORG). – Arteterapia de Corpo e Alma. São Paulo:Casa do Psicólogo , 2004 – (coleção Arteterapia) ¨_____________(ORG) - A Arte e o Envelhecimento – in Envelhecimento e Velhice: um guia para a vida- São Paulo: Vetor, 2006. GOUVÊA, A.P. Sol da terra: o uso do barro em psicoterapia. São Paulo:Summus,1989. GROF, S. Além do cérebro. São Paulo:Mcgraw-Hill,1987 _________Psicologia do futuro.Niterói:Heresis,2000 KANDISNSKY, W. Ponto, linha, plano. São Paulo:Martins Fontes,1970 ________________ Do Espiritual na Arte. Lisboa:Publicações Dom Quixote,1987 JUNG, C. G. A prática da psicoterapia. Petrópolis: Vozes 1987. ____________O Homem e seus Símbolos – Rio de Janeiro- Editora Nova Fronteira,1964. MASLOW, A. – Introdução à Psicologia do Ser – Rio de Janeiro:editora Record 1969 MINKOSKI, e. Le Temps vécu. Suisse:Delachaux,1968 SILVEIRA, N. Imagens do inconsciente. Rio de Janeiro: Alhambra,1981 WILBER, K. A consciência sem fronteiras. São Paulo: Cultrix,1988.
  • 41. Obrigada iarcuri@uol.com.br