Crítica dos fundamentos da ideologia de gestão - apresentação Lima Junior

  • 84 views
Uploaded on

Lima Junior …

Lima Junior
05.03.2013

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
84
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
0
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Crítica dos Fundamentos daideologia de gestão Vincent de Gaulejac Lima Junior
  • 2. Vincent de Gaulejac ▫ Sociólogo e nasceu em 1946 na França.É professor de sociologia na Universidade de Paris 7; ▫ “A gestão torna-se uma metalinguagem que influencia fortemente as representações dos dirigentes, dos executivos e dos empregados das empresas privadas, assim como das empresas públicas e do mundo político.”
  • 3. GESTÃO E IDEOLOGIA• Designar o caráter ideológico da gestão é mostrar que, por trás das ferramentas, dos procedimentos, dos dispositivos de informação e de comunicação, encontra-se em operação uma certa visão do mundo e um sistema de crenças.
  • 4. PARADIGMAS NO FUNDAMENTO DAGESTÃOPARADIGMA OBJETIVISTA Compreender é modernizar, medir, calcularPARADIGMA FUNCIONALISTA A organização é um dadoPARADIGMA EXPERIMENTAL A objetivação do humano é uma prova de cientificidadePARADIGMA UTILITARISTA A reflexão está a serviço da açãoPARADIGMA DE RECURSOS O humano é um fator da empresaHUMANOS
  • 5. O PARADIGMA OBJETIVISTA • Compreender é modelizar, isolando um certo número de variáveis e de parâmetros que poderão ser medidos; • Linguagem matemática; • Homo economicus
  • 6. O PARADIGMA FUNCIONALISTA• O funcionalismo é uma teoria que tende a reduzir os fenômenos sociais às funções que eles parecem desempenhar;• Conflitos são considerados “disfunções”
  • 7. PARADIGMA EXPERIMENTAL• O paradigma experimental consiste em procurar leis causais entre diversos elementos a partir de experiências que podemos repetir indefinidamente e que chegam a resultados semelhantes• Trabalhadores são considerados como engrenagens de uma máquina ou agentes de um sistema do qual eles não passam de elementos; 1924, Western Electric• Experiência de Hawthorne (Elton Mayo e Fritz J Roethlisberger)
  • 8. PARADIGMA UTILITARISTA• Segundo o Paradigma Utilitarista, cada ator busca maximizar suas utilidades, ou seja, otimizar a relação entre os resultados pessoais de sua ação e os resultados a ela dedicados;• “Aqui não há problemas, só há soluções!”• Aquele que levanta um problema sem trazer as respectivas soluções é logo tido por inconveniente;• Conformismo
  • 9. PARADIGMA DOS RECURSOS HUMANOS• No mundo dos mercados só o que gera lucro faz sentido;• O humano é um fator da empresa:• O humano é um recurso da empresa:• Gerir o humano como recurso da mesma natureza que as matérias- primas, o capital, as ferramentas de produção ou ainda as tecnologias é colocar o desenvolvimento da empresa como finalidade em si, independente do desenvolvimento da sociedade, e considerar, na verdade, que a instrumentalização dos homens é um dado natural do sistema de produção.
  • 10. CRÍTICAS AOS PARADIGMASPARADIGMA Tradução de toda a realidade em linguagemOBJETIVISTA matemáticaPARADIGMA Ocultação das questões de poder que estão em jogoFUNCIONALISTAPARADIGMA Dominação da racionalidade instrumentalEXPERIMENTALPARADIGMA Submissão do pensamento a critérios de utilidade eUTILITARISTA não de verdadePARADIGMA DE Redução do humano a um recurso da empresaRECURSOS HUMANOS • A realidade, nas ciências humanas, está condicionada pela interação entre o conhecimento produzido , as representações construídas e os fenômenos observados
  • 11. MUDANÇA DE PARADIGMA DO PARADIGMA OBJETIVISTA À ANÁLISE ANTROPOLÓGICA• Os destinos humanos não são nem simples produto de determinações estruturais ou das leis do mercado, nem consequencia de escolhas individuais, nem mesmo a expressão de um mundo aleatório que tornaria impossível qualquer previsão. Ela se enquadra na historicidade, ou seja, nessa capacidade de ação, individual e coletiva, que caracteriza as relações do homem e da sociedade.• O importante não é listar fatores, medir parâmetros, calcular funções coletivas, medidas de custo/benefício ou custo/eficácia, otimizar as curvas de vendas ou maximizar a margem...• O importante é compreender as significações, ajudar cada um a analisar o sentido de sua experiência, definir as finalidades de suas ações, a fim de que ele contribua para produzir a sociedade na qual vive.
  • 12. MUDANÇA DE PARADIGMADA ABORDAGEM FUNCIONALISTA À ANÁLISE DIALÉTICA• A análise dialética opõe-se a funcionalista. Ela considera que o humano e o social são fundamentalmente atravessados por contradições, conflitos e tensões.
  • 13. MUDANÇA DE PARADIGMADO MÉTODO EXPERIMENTAL AO PROCEDIMENTO CLÍNICO• “O indivíduo não pode ser reduzido a um objeto, um recurso ou uma variável a ser controlada, como os estudos sobre o comportamento humano nas organizações consideraram durante muito tempo (Chanlat, 1990)”• A abordagem clínica propõem estudar o homem em situação.• Compreender melhor de que maneira a subjetividade intervém no processo de produção do conhecimento;• Os seres humanos não são objetos;
  • 14. MUDANÇA DE PARADIGMADO PRIMADO UTILITARISTA AO PRIMADO SIMBÓLICO• Os homens não podem trabalhar e viver sem dar sentido à sua ação.• A perspectiva utilitarista e o primado da racionalidade instrumental tendem a negar uma dimensão particularmente essencial do humano. Até mesmo em situações mais extremas, o homem resite bravamente em se deixar tratar como coisa (Levi, 1989)
  • 15. MUDANÇA DE PARADIGMA DO INDIVÍDUO RECURSO AO INDIVÍDUO SUJEITO • A busca de cada homem no sentido de tornar-se um sujeito, seja na sociedade, na ordem do direito, do conhecimento, seja no registro psíquico. Os seres humanos não são coisas, portanto deve-se refletir sobre “a gestão” a noção de sujeito.Concepções de sujeito:Sujeito do Conhecimento cada um pode e deve contribuir para a produção do sentido da ação coletivaSujeito de Direitos Cada indivíduo é igual em direito e dignidadeSujeito Sociohistórico Cada indivíduo é produtor da sociedade e das organizações nas quais vive.Sujeito de Desejo O objetivo do grupo é mais importante do que o interesse individual