Your SlideShare is downloading. ×
0
Apresentação ABICOM - PlastShow
Apresentação ABICOM - PlastShow
Apresentação ABICOM - PlastShow
Apresentação ABICOM - PlastShow
Apresentação ABICOM - PlastShow
Apresentação ABICOM - PlastShow
Apresentação ABICOM - PlastShow
Apresentação ABICOM - PlastShow
Apresentação ABICOM - PlastShow
Apresentação ABICOM - PlastShow
Apresentação ABICOM - PlastShow
Apresentação ABICOM - PlastShow
Apresentação ABICOM - PlastShow
Apresentação ABICOM - PlastShow
Apresentação ABICOM - PlastShow
Apresentação ABICOM - PlastShow
Apresentação ABICOM - PlastShow
Apresentação ABICOM - PlastShow
Apresentação ABICOM - PlastShow
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Apresentação ABICOM - PlastShow

694

Published on

Apresentação realizada pela ABICOM (Associação Brasileira de Polímeros Biodegradáveis e Compostáveis) realizada na feira PlastShow 2012 - (10/04/2012) pelo Sr. Ãngelo José Bergamaschi Vicente

Apresentação realizada pela ABICOM (Associação Brasileira de Polímeros Biodegradáveis e Compostáveis) realizada na feira PlastShow 2012 - (10/04/2012) pelo Sr. Ãngelo José Bergamaschi Vicente

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
694
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
11
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Bioplásticos - Alternativa viável e ecologicamente correta recomendada pela Abicom Ângelo José Bergamaschi Vicente 10/04/2012
  • 2. Agenda• Objetivos / Posicionamento• Conceitos: Biodegradação e Ciclo do Carbono• Sistemas de Certificação / Principais Aplicações• Filmes e Sacolas Plásticas• Compostagem e Cases de Sucesso• Política Nacional dos Resíduos Sólidos• Perguntas
  • 3. Objetivos A Associação tem por finalidade básica incentivar o desenvolvimento da indústria de polímeros biodegradáveis compostáveis no Brasil; A associação trabalha para a disseminação do conhecimento e de informações dos produtos biodegradáveis compostáveis; A ABICOM tem como foco a promoção de iniciativas de valorização dos plásticos biodegradáveis compostáveis através da compostagem.
  • 4. Posicionamento da Associação Fonte Renovável Base Bio & Base Bio Biodegradável Ex.: Bio-PE, Ex.: PLA, Compostos de Bio-PET(PEF), Bio-PP amido, PHA s e PHB s Não Biodegradáveis Biodegradáveis Compostáveis Plástico Convencional Biodegradável Ex.: PE, PP, PVC Ex.: PBAT, PBS s, PCL Fonte Fossíl Ambos polímeros base fossíl e base bio podem ser 100% biodegradável.Source: BASF/ Hans-Josef Endres, Andrea Siebert-Raths, Engineering BioPolymers, Carl-Hanser Verlag 2011
  • 5. Fragmentação x Biodegradação Fragmentação Biodegradação Fonte: Prof. Ramani Narayan – Michigan State UniversityA simples fragmentação do plástico pode ocasionar a chamada “poluição invisível”, difícil de controlar, e quetorna impossível qualquer processo de revalorização (reciclagem).Biodegradação: pressupõe atividade biológica que transforma material orgânico em gás carbônico, água ehúmus (matéria orgânica estabilizada) na presença de oxigênio (aeróbico), umidade e microrganismos.
  • 6. Biodegradação: Fechamento do Ciclo do Carbono CO2Biodegradação H2O Fontes Renováveis e Resíduos Agrícolas Plástico Biodegradável Compostável Para fechamento do ciclo, é necessário que o processo ocorra em ambiente controlado (exemplo: central de compostagem) e em curto espaço de tempo.
  • 7. O que garante se o produto é biodegradável compostável? Exemplos de selos Selo do European Bioplastic Selo da Australia Selo do BPS Norma EN 13432 Norma GreenPla Certificado pela DIN/CERTCO e VINCOTTE Japão ® Normas Brasileiras: ABNT NBR 15448-1 e 2 - Embalagens Selo do BPI Plásticas degradáveis e/ou de fontes renováveis. Biodegradable Product Institute Parte 1 - Terminologia. Norma ASTM D6400 Parte-2– Biodegradação e Compostagem. - Requisitos e métodos de ensaio. *Válida desde 14/02/2008• Normas técnicas e institutos internacionais que certificam a biodegradação /compostabilidade das matérias-primas e produtos finais.
  • 8. Principais Aplicações: Plásticos Biodegradáveis CompostáveisCanetas
  • 9. Considerações Importantes (Aplicação de Filmes)Os Plásticos BIODEGRADÁVEISCOMPOSTÁVEIS:• Não contem em hipótese alguma o POLIETILENO (PEAD e PEBD) em sua composição, verificado por meio de testes de caracterização (DSC , FTIR e TG).• O único plástico biodegradável que possui certificação que garante a sua biodegradação completa em até180 dias de acordo com a certificação internacional (Din Certco, Vincotte e BPI) e NBR 15448-2 é o BIODEGRADÁVEL COMPOSTÁVEL
  • 10. A sacola compostável do ponto de vista do consumidor• Alternativa complementar aos 3 R’s = Reduzir, Reutilizar e Reciclar• Opção para atender ao consumidor que por algummotivo não está com a sacola retornável em mãos.• Excelente alternativa para acondicionar lixo orgânico doméstico– oferece barreira para odores e umidade e se comportacomo o próprio lixo orgânico no descarte adequado. outros
  • 11. Unidade de Compostagem Minimiza os impactos ambientais das atividades produtivas o setor empresarial. Considerada uma eficaz ferramenta da gestão ambiental, a compostagem como reciclagem dos resíduos orgânicos. Produção mais Limpa e do Desenvolvimento Sustentável. Adubo orgânico a ser aplicado em:  solos produtivos  solos erodidos  em agricultura. De acordo com o IBGE, existem 260 que praticam compostagem no Brasil.Fonte: AMBITEC – Grupo AMBIPAR
  • 12. Compostagem de Resíduos Orgânicos As Vantagens da Compostagem são:  Diminuição da quantidade de resíduos finais dispostos em aterro. (Reciclagem dos Resíduos Orgânicos)  Aumento da reciclabilidade.  Diminuição do custo de destinação final, e consequentemente diminuição das emissões de CO2.  Possibilidade de desenvolver atividades de Educação Ambiental.  Menor emissão de gases de efeito estufa.Fonte: AMBITEC – Grupo AMBIPAR
  • 13. Exemplo de Coleta Seletiva: San Francisco (EUA)www.findacomposter.com
  • 14. Vídeo – Case de Compostagem
  • 15. PNRS – Desenvolvimento Sustentável• Os resíduos orgânicos correspondem a 60% da matriz de resíduos sólidos no Brasil.• Esta alternativa complementa a reciclagem de plásticos, papéis, vidro e etc. Não se perde o investimento já feito até o momento nas estruturas de coleta seletiva e cooperativas.• A compostagem possibilita a continuidade da atividade produtiva das comunidades de trabalhadores (de coleta seletiva, das fábricas recicladoras). Abertura de novos postos de trabalho nas centrais de compostagem.• O produto da compostagem – adubo de primeira qualidade – pode ser utilizado pelas prefeituras em áreas públicas como parques e canteiros, além de agricultura em geral.• Crédito de Carbono: Existe trabalho aprovado pela Convenção-Quadro das Nações Unidas para as Mudanças Climáticas em crédito de carbono em usinas de compostagem.• O custo (R$/ton) com o processo de compostagem é 20% menor que o tratamento dos resíduos em aterro sanitário.
  • 16. Política Nacional dos Resíduos Sólidos A Política Nacional de Resíduos Sólidos traz em sua definição de destinação ambientalmente adequada o‘’descarte de resíduos que inclui a reutilização, a reciclagem, a compostagem, a recuperação e oaproveitamento energético ou outras destinações admitidas pelos órgãos competentes’’; No âmbito da responsabilidade compartilhada pelo ciclo de vida dos produtos, cabe ao titular dos serviçospúblicos de limpeza urbana, a coleta seletiva e o manejo de resíduos sólidos, em obrigatoriedade com oPlano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos Implantar sistema de compostagem para resíduos sólidos orgânicos e articular com os agentes econômicos e sociais formas de utilização do composto produzido Percebemos assim, que a compostagem, começa a ser muito debatida, e é parte da estratégia da gestão deresíduos sólidos no Brasil complementando a visão do governo federal de incentivar sua instalação efomentar sua propagação.
  • 17. Considerações Finais• “A gestão de resíduos orgânicos assume importância fundamental no processo de produção sustentável devido à possibilidade de uso desses produtos como fontes alternativas de nutrientes aliada ao processo de reuso e reciclagem de resíduos.• A geração de resíduos orgânicos é um problema que precisa ser abordado de forma científica com a integração das diversas áreas do conhecimento que contemple desde o processo de produção até a sua destinação.”“Congresso Brasileiro de Resíduos Orgânicos”
  • 18. OBRIGADO!www.abicom.com.brdiretoria@abicom.com.br
  • 19. Matriz de Coleta de Lixo Localização das Unidades de 1% 0% 1% 1% Compostagem 3% 1% 21% 46% 45% 36% 7% 37% 1% Fonte: IBGE / 2000 Fonte: IBGE / 2000Vazadouro a céu aberto (lixão) Aterro controladoAterro sanitário Estação de compostagem Norte Sudeste Nordeste Centro Oeste SulEstação de triagem IncineraçãoLocais não-fixos Outra• Geração de Lixo no Brasil: 230 K Ton / Dia (2000) • Total de Municípios (Compostagem) = 260 • Estado de SP 38 Unidades (7 RM)• São Paulo (Capital)  13 K Ton/Dia (R$ 1,4 Bi / ano) • Estado de MG 56 Unidades • Centro da Zona Leste (7 K Ton / Dia) • Caieiras (6 K Ton / Dia)• Brasil (Compostagem)  6,6 K Ton/Dia

×