Your SlideShare is downloading. ×
0
Alcoolismo
Alcoolismo
Alcoolismo
Alcoolismo
Alcoolismo
Alcoolismo
Alcoolismo
Alcoolismo
Alcoolismo
Alcoolismo
Alcoolismo
Alcoolismo
Alcoolismo
Alcoolismo
Alcoolismo
Alcoolismo
Alcoolismo
Alcoolismo
Alcoolismo
Alcoolismo
Alcoolismo
Alcoolismo
Alcoolismo
Alcoolismo
Alcoolismo
Alcoolismo
Alcoolismo
Alcoolismo
Alcoolismo
Alcoolismo
Alcoolismo
Alcoolismo
Alcoolismo
Alcoolismo
Alcoolismo
Alcoolismo
Alcoolismo
Alcoolismo
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Alcoolismo

307

Published on

Published in: Education
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
307
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
5
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Concedei-nos, Senhor,Concedei-nos, Senhor, aa SerenidadeSerenidade necessárianecessária para aceitar as coisas que nãopara aceitar as coisas que não podemos modificar,podemos modificar, CoragemCoragem para modificar aquelas que podemospara modificar aquelas que podemos ee SabedoriaSabedoria para distinguir uma das outras.para distinguir uma das outras.
  • 2. AS FACES VISÍVEL E OCULTAAS FACES VISÍVEL E OCULTA DO ALCOOLISMODO ALCOOLISMO Elizabeth Barbosa de Carvalho, Ed. Seda, 1999.
  • 3. O que é alcoolismo?O que é alcoolismo?
  • 4. O que é Alcoolismo? DSM – Manual de Estatística e Diagnóstico de Desordens Mentais Segundo o DSM.IV, o alcoolismo está enquadrado em três categorias: Transtornos mentais relacionados ao uso de substâncias, Dependência de substância e Abuso de substância. “A característica essencial do Abuso de Substância é um padrão mal adaptativo de uso de substância, manifestado por consequências adversas recorrentes e significativas relacionadas ao uso repetido da substância. Pode haver um fracasso repetido em cumprir obrigações importantes relativas a seu papel, uso repetido em situações nas quais isto apresenta perigo físico, múltiplos problemas legais e problemas sociais e interpessoais recorrentes.”
  • 5. O que é Alcoolismo? Alcoolismo é uma doença incurável, progressiva e fatal, que mata desmoralizando. (Alcoólicos Anônimos) Alcoolismo é uma doença caracterizada pela ingestão repetitiva e compulsiva de bebida alcoólica, num grau que agride o bebedor na sua saúde física, mental e emocional, bem como no aspecto familiar, social e econômico. (maioria dos especialistas) De acordo com o CID.10, alcoolismo é definido como “transtornos mentais e comportamentais decorrente do uso do álcool”. (Categoria F10) CID – Classificação Internacional de Doenças da OMS
  • 6. Como se dá o alcoolismo?Como se dá o alcoolismo?
  • 7. Como se dá o alcoolismo?Como se dá o alcoolismo? “Muitas características, tais como gênero, etnia, idade, ocupação, grau de instrução e estado civil podem influenciar o uso nocivo de álcool, bem como o desenvolvimento da dependência ao álcool”. Fonte: Associação Brasileira de Psiquiatria - Abuso e Dependência do Álcool
  • 8. “É só pensar em bebida que a garganta fica seca, leve inquietação mental, ligeira irritação, certa ansiedade por um drinque. Bebeu, passou, melhorou.” Elizabeth Carvalho, As faces visível e oculta do alcoolismo. p.23. Como se dá o alcoolismo?Como se dá o alcoolismo?
  • 9. Você conhece alguém comVocê conhece alguém com sintomas de alcoolismo?sintomas de alcoolismo?
  • 10. Algumas estatísticas sobre o álcoolAlgumas estatísticas sobre o álcool O alcoolismo acomete de 10% a 12% da população mundial e 11,2% dos brasileiros que vivem nas 107 maiores cidades do país. A incidência de alcoolismo é maior entre os homens do que entre as mulheres. A incidência do alcoolismo é maior entre os mais jovens, especialmente na faixa etária dos 18 aos 29 anos, reduzindo com a idade. Fonte: Associação Brasileira de Psiquiatria - Abuso e Dependência do Álcool
  • 11. Lida com os problemas da vida sem precisar do efeito do álcool Fases do Consumo de ÁlcoolFases do Consumo de Álcool +/- 10 % ABSTINÊNCIA +/- 60 % USO SOCIAL +/- 20 % ABUSO +/- 10 % DEPENDÊNCIA Bebe com problemas nocivos à saúde e aos relacionamentos Bebe sem problemas Não Bebe Bebe com problemas nocivos à saúde e aos relacionamentos Hábito Familiar Hábito Social Divertimento Distração Prazer Prazer e sofrimento se equivalem Prazer com álcool Prazer sem álcool Só sofrimento Síndrome de Abstinência CONFLITOS - Familiares - Profissionais - Sociais PROBLEMAS - Orgânicos - Psicológicos - Mentais - Espirituais - Sociais Fonte: Apresentação do Dr. Rubens Nogueira, www.clinicajorgejaber.com.br
  • 12. Algumas estatísticas sobre o álcoolAlgumas estatísticas sobre o álcool A álcool é responsável por cerca de 60% dos acidentes de trânsito e aparece em 70% dos laudos cadavéricos das mortes violentas. De acordo com a última pesquisa realizada pelo Centro Brasileiro de Informações sobre Drogas Psicotrópicas (CEBRID) entre estudantes do 1º e 2º graus de dez capitais brasileiras, as bebidas alcoólicas são consumidas por mais de 65% dos entrevistados, estando bem à frente do tabaco. Dentre esses, 50% iniciaram o uso entre os 10 e 12 anos de idade. Fonte: Associação Brasileira de Psiquiatria - Abuso e Dependência do Álcool
  • 13. Conclusões sobre o uso do álcoolConclusões sobre o uso do álcool “As complicações relacionadas ao consumo de álcool não estão necessariamente relacionadas ao uso crônico”. “Intoxicações agudas, além de trazer riscos diretos à saúde, deixam os indivíduos mais propensos a acidente”. Fonte: Associação Brasileira de Psiquiatria - Abuso e Dependência do Álcool
  • 14. Principais Fatores de ProteçãoPrincipais Fatores de Proteção 1 – Fortes laços com a Família.1 – Fortes laços com a Família. 2 – Pais presentes que acompanham a vida dos2 – Pais presentes que acompanham a vida dos Filhos, oferecendo regras claras de educaçãoFilhos, oferecendo regras claras de educação cívica, ética e moral.cívica, ética e moral. 3 – Bom desempenho escolar.3 – Bom desempenho escolar. 4 – Fortes laços com instituições escolares,4 – Fortes laços com instituições escolares, esportivas e religiosas.esportivas e religiosas. 5 – Adoção de normas convencionais claras e5 – Adoção de normas convencionais claras e únicas sobre o uso do álcool.únicas sobre o uso do álcool. Fonte: Apresentação do Dr. Rubens Nogueira, www.clinicajorgejaber.com.br
  • 15. Fonte: Ana Cecília Marques, Revista IMESC, nº 3, 2001, p. 73-86 “Assim, o entendimento desse fenômeno, o uso abusivo de álcool, sofre impreterivelmente interferências culturais, sociais, religiosas políticas e, atualmente, científicas, de cada população e apesar da multifatoriedade da síndrome de dependência, ainda hoje, em muitos países, como por exemplo na Nigéria, os problemas decorrentes do uso do álcool são considerados influência de 'espíritos do mal' no indivíduo.” “Assim, o entendimento desse fenômeno, o uso abusivo de álcool, sofre impreterivelmente interferências culturais, sociais, religiosas políticas e, atualmente, científicas, de cada população e apesar da multifatoriedade da síndrome de dependência, ainda hoje, em muitos países, como por exemplo na Nigéria, os problemas decorrentes do uso do álcool são considerados influência de 'espíritos do mal' no indivíduo.”
  • 16. O que o Espiritismo nosO que o Espiritismo nos revela sobre o alcoolismo?revela sobre o alcoolismo?
  • 17. Fonte: Alan Kardec, Livro dos Espíritos. 716. Mediante a organização que nos deu,716. Mediante a organização que nos deu, não traçou a Natureza o limite das nossasnão traçou a Natureza o limite das nossas necessidades?necessidades? “Sem dúvida, mas o homem é insaciável. Por meio da organização que lhe deu, a Natureza lhe traçou o limite das necessidades; porém, os vícios lhe alteraram a constituição e lhe criaram necessidades que não são reais.”
  • 18. Fonte: André Luiz/ Chico Xavier, Missionários da Luz, p. 26-28 “- Observe este amigo - disse-me, com autoridade -, não sente um odor característico? Efetivamente, em derredor daquele rosto pálido, assinalava-se à existência de atmosfera menos agradável. (...), de cujo interior escapavam certos vapores muito leves, mas incessantes.”
  • 19. Fonte: André Luiz/ Chico Xavier, Missionários da Luz, p. 26-28 “Via-se-lhe a dificuldade para sustentar o pensamento com relativa calma. Não tive qualquer dúvida. Deveria ele usar alcoólicos em quantidade regular. (…) Espantava-me o fígado enorme. Pequeninas figuras horripilantes postavam-se, vorazes, ao longo da veia porta, lutando desesperadamente com os elementos sanguíneos mais novos.”
  • 20. Fonte: André Luiz/ Chico Xavier, Missionários da Luz, p. 26-28 “- Os alcoólicos - esclareceu Alexandre, com grave entonação - aniquilavam-no vagarosamente. Você está examinando as anormalidades menores. Este companheiro permanece completamente desviado em seus centros de equilíbrio vital.”
  • 21. Fonte: André Luiz/ Chico Xavier, Nos Domínios da Mediunidade, p. 67 “...um homem maduro em deploráveis condições de embriaguez... - Observem o nosso infeliz irmão! – determinou o orientador.(...) Achava-se o pobre amigo abraçado por uma entidade da sombra, qual se um polvo estranho o absorvesse. Num átimo, reparamos que a bebedeira alcançava os dois, porquanto se justapunham completamente um ao outro, exibindo as mesmas perturbações.”
  • 22. Fonte: André Luiz/ Chico Xavier, Nos Domínios da Mediunidade, p. 68 “As emanações do ambiente produziam em nós indefinível mal-estar. Junto de fumantes e bebedores inveterados, criaturas desencarnadas de triste feição se demoravam espectantes. Algumas sorviam as baforadas de fumo arremessadas ao ar, ainda aquecidas pelo calor dos pulmões que as expulsavam, nisso encontrando alegria e alimento. Outras aspiravam o hálito de alcoólatras impenitentes”
  • 23. Fonte: André Luiz/ Chico Xavier, Nos Domínios da Mediunidade, p. 69 “... disse o Assistente, bondoso - o que a vida começou, a morte continua... (…) ... Aqui, vemos entidades viciosas valendo-se de pessoas que com elas se afinam numa perfeita comunhão de forças inferiores...”
  • 24. Fonte: André Luiz/ Chico Xavier, Sexo e Destino, p. 30 “Diante de nós, ambos os desencarnados infelizes, que surpreendêramos à entrada, surgiram de repente, abordaram Cláudio e agiram sem cerimônia. Um deles tateou-lhe um dos ombros e gritou, insolente: - Beber, meu caro, quero beber! ”
  • 25. Fonte: André Luiz/ Chico Xavier, Sexo e Destino, p. 31 “O resultado não se fez demorar. (…) O pensamento se lhe transmudou, rápido, como a usina cuja corrente se desloca de uma direção para outra, por efeito da nova tomada de força. Beber, beber!... e a sede de aguardente se lhe articulou na ideia, ganhando forma. ”
  • 26. Fonte: André Luiz/ Chico Xavier, Sexo e Destino, p. 31 “O amigo sagaz percebeu-lhe a adesão tácita e colou-se a ele. Cláudio-homem absorvia o desencarnado... Fundiram-se os dois, como se morassem eventualmente num só corpo. Movimentos em crônicos. Identificação positiva. ”
  • 27. Fonte: André Luiz/ Chico Xavier, Sexo e Destino, p. 31 “A talagada rolou através da garganta, que se exprimia por dualidade singular. Ambos os dipsômanos estalaram a língua de prazer, em ação simultânea.”
  • 28. Fonte: André Luiz/ Chico Xavier, Sexo e Destino, p. 31 “...o vampiro, sorridente, apossou- se dele, repetindo-se o fenômeno da conjugação completa. Encarnado e desencarnado a se justaporem. Duas peças conscientes, reunidas em sistema irrepreensível de compensação mútua.”
  • 29. “... o álcool favorece o transe, deixando a pessoa alcoolizada em contato intermitente com o mundo espiritual...” Elizabeth Carvalho, As faces visível e oculta do alcoolismo. p.199. O que o Espiritismo nos revelaO que o Espiritismo nos revela sobre o alcoolismo?sobre o alcoolismo?
  • 30. “Uma tática favorita de obsessores é aproveitar o momento do transe alcoólico de sua vítima para ativar seu arquivo mental. (…) … de algum fato odioso de vidas passadas.” Elizabeth Carvalho, As faces visível e oculta do alcoolismo. p.199. O que o Espiritismo nos revelaO que o Espiritismo nos revela sobre o alcoolismo?sobre o alcoolismo?
  • 31. “Qualquer um que bebe está sujeito a passar por maus momentos... Essa é uma boa oportunidade de ação que se oferece a inimigos espirituais.” Elizabeth Carvalho, As faces visível e oculta do alcoolismo. p.199. O que o Espiritismo nos revelaO que o Espiritismo nos revela sobre o alcoolismo?sobre o alcoolismo?
  • 32. O que o Espiritismo nosO que o Espiritismo nos revela sobre o alcoolismo?revela sobre o alcoolismo? • ObsessãoObsessão Ação má insistente e contínua de um espírito interferindo na vida de outro. • VampirismoVampirismo Ação episódica para furtar a energia vital e compartilhar dos vícios.
  • 33. Como vencer o alcoolismo?Como vencer o alcoolismo? Tratamento físico e psicológicoTratamento físico e psicológico • Hospitais e clínicas de recuperação. • Grupos de mútua ajuda (Doentes e familiares). (Alcoólicos Anônimos e Comunhão Espírita – 2ª e 4ª 19h, Sab 9h, Sala 12) Tratamento espiritualTratamento espiritual • Orientação espiritual na Casa Espírita. • Evangelho no Lar. • Reforma íntima.
  • 34. Fonte: Alan Kardec, Livro dos Espíritos. 719.719. Merece censura o homem, porMerece censura o homem, por procurar o bem-estar?procurar o bem-estar? “É natural o desejo do bem-estar. Deus só proíbe o abuso, por ser contrário à conservação. Ele não condena a procura do bem-estar, desde que não seja conseguido à custa de outrem e não venha a diminuir-vos nem as forças físicas, nem as forças morais.”
  • 35. (Mateus - 26, 41)(Mateus - 26, 41) ““Vigiai e orai, para queVigiai e orai, para que não entreis em tentação.não entreis em tentação. O espírito está pronto,O espírito está pronto, mas a carne é fraca.”mas a carne é fraca.”

×