Your SlideShare is downloading. ×
Folha 187
Folha 187
Folha 187
Folha 187
Folha 187
Folha 187
Folha 187
Folha 187
Folha 187
Folha 187
Folha 187
Folha 187
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Folha 187

378

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
378
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
2
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. ANO IX - N.o 187 2ª QUINZENA JUNHO DE 2013 Dos documentos históricos dos bairros da cidade de São Paulo, grande parte acha-se perdida em virtude da pouca importância que sempre deram a esses elementos preciosos à restauração da verdadeira... PÁG. 02 a 08 Show musical encerra as atividades de aniversário do Itaim Paulista No último domingo, 30, aconteceu o show de aniversário em comemoração aos 402 anos do bairro. Um grande palco foi montado em frente à Casa de Cultura do Itaim Paulista para realização do evento. Apesar de o dia estar chuvoso, o público de aproximadamente 300 pessoas, predominantemente formado por jovens e adultos, compareceram no local para... PÁG. 11
  • 2. 2º QUINZENA DE JUNHO DE 2013 Pág. 2 2 A história do Itaim Paulista “Se não registrarmos a história de nosso tempo, apagamos a nossa história do tempo” Jesus Matias de Melo As origens históricas Dos documentos históricos dos bairros da cidade de São Paulo, grande parte acha-se perdida em virtude da pouca importância que sempre deram a esses elementos preciosos à restauração da verdadeira história dos bairros, alguns tão antigos quanto à história da cidade de São Paulo, como os bairros de Pinheiros e São Miguel Paulista. A nossa história é suscetível ainda de profundas modificações por um único motivo: a história de nossa região até pouco tempo não tinha sido realmente escrita. E isso pela simples razão de que não é possível escrever a verdadeira história de um lugar por meio de deduções oriundas do estudo de limitado número de documentos. Às vezes, um investigador mais paciente consegue pelo trabalho ou por acaso, desenterrar e salvar de arquivos pouco guardados e sem organização, um ou outro documento capaz de modificar por inteiro determinado episódio já considerado definitivo pelos historiadores. Sobre o Itaim Paulista praticamente nada existia publicado, alguns poucos subsídios foram colhidos em publicações restritas e de interesse meramente histórico. Em leve declive das colinas para a margem esquerda do Rio Tietê, sempre coberta de luxuriante vegetação campesina, pontuada aqui e ali por capões de mato, irrigada por vários ribeiros nascidos entre várias colinas, inundados periodicamente pelo rio que lhe corria aos pés, e que ao baixar suas águas deixava as lagoas convertidas em piscosos viveiros e exuberante campinas. Com a descida das águas, os campos cobriam-se de verdejante vegetação, as lagoas povoavam-se de pernaltas, desde a garça elegante ao desajeitado jaburu, de marrecos e patos selvagens em parceria com as pacas, veados, capivaras e antas, além da grande quantidade de A marca Folha do Itaim existe a 41 anos, sendo 9 anos sob a direção do Grupo Acontece de Jornais e Revistas. Circulação: Itaim Paulista, Vl Curuçá, Jd Robru, Alto Tiete (Itaquá, Poá, Ferraz de Vasconcelos e Suzano) Grupo Acontece de Jornais e Revista Tiragem desta Edição: 35 mil exemplares Diretor Executivo: Jornalistas (fl): Diretor de Arte: Designer Gráfico Reporter Fotográfico: Fotografo Teen: Revisora: Gerente Financeiro: Depto. Jurídico: Distrib./Logistica: Divaldo Rosa Silmara Galvão Nunes-MTb 51.096 Sérgio Avante Ademir Rodrigues Adriana Correa Bruno Barreto Rosa Prof. Suseli Corumba dos Santos Ademir Rodrigues Agilson M. Oliveira MULTI - Distrib. de Jornais e Folhetos REDAÇÃO E PUBLICIDADE Fone/Fax: 2031-2364 / 2513-0928 Av. dos Guachos, 166 - 08030-360 - Vila Curuçá – SP www.aconteceagora.com.br | E-mail: raleste@gmail.com As matérias publicadas são de exclusiva responsabilidade dos colaboradores e não representam necessariamente a opinião do Jornal. Os nomes dos colaboradores e representantes comerciais não mantém vínculo empregatício com a empresa. peixes que a generosidade do rio amigo deixava repletos os alagados. A várzea do Tietê, no Itaim Paulista, ocupava uma área larga, chegava a ter 1 km, sendo recoberta por um manto vegetal de caráter arbustivo e bastante denso. Através desta planície desenvolve-se o rio Tietê, com seus conhecidos meandros, tornando lenta a corrente e favorecendo os alagamentos em épocas das chuvas. Destacavam-se, pela sua importância, as várzeas dos córregos Água Vermelha, Lajeado, Itaim e Três Pontes, todas guardando o sentido N – S, que também é de seus cursos. O traço marcante na paisagem natural da região de Itaim era dado pela presença das planícies de aluvião. A altitude do seu relevo alcança no máximo 900 metros; a média oscila entre 750 e 800 metros. Nesta privilegiada região, no início do século XVII nasceu o Itaim Paulista, conforme está registrado na carta de Sesmaria, datada em 21 de junho de 1611, outorgada pelos representantes da coroa portuguesa ao paulista Domingos de Góes, filho e neto de colonizadores portugueses que aqui aportaram na primeira esquadra colonizadora chefiada por Martim Afonso de Souza, em janeiro de 1532, ocasião em que foi fundada a cidade de São Vicente.
  • 3. 2º QUINZENA DE JUNHO DE 2013 Pág. 3 3 Carta de dada de terras de Sesmaria A Sesmaria é datada e registrada no cartório de Santos em 21 de junho de 1611, portanto, documento oficial. Pela sua fundamental importância no contexto histórico do Itaim Paulista, transcrevemos na íntegra, o seu conteúdo. “Translado de uma petição e de uma carta de dada de terras de sesmaria de Domingos de Góes morador na Villa de São Paulo” “Domingos de Góes morador da Villa de São Paulo de trinta e mais annos a esta parte que nas occasiões que se hão offerecido para defensão da capitania nas guerras que nella há havido sempre se há achado e há feito o que de sua parte estava obrigado e a todo e que pelos capitães della lhe há sido ordenado e há doze annos que é casado e tem muitos filhos e não tem onde que se fizesse pelo que pede a vossa mercê em nome do senhor Lopo de Sousa como seu logo-tenente e procurador bastante que lhe faça mercê dar-lhe um capão de matto virgem que terá quatro ou cinco tiros de frecha de comprido e dois de latgo pouco mais ou menos: o qual está antes de chegar ao ribeiro de Imbiaciqua no meio de um alagadiço ao longo do caminho que desta Villa de São Paulo vae a Bolgi-mirim da banda esquerda indo para lá e receberia mercê”. “Gaspar Conqueiro locotenente capitão e procurador bastante do senhor Lopo de Sousa capitão e governador por Sua Magestade desta capitania de São Vicente faço saber a todas as justiças que esta minha carta de dada de terras de sesmaria e o conhecimento della com direito pertencer que Domingos de Góes morador na Villa de São Paulo me fez a petição atrás escripta dizendo o conteúdo nella e havendo respeito ao que nella diz e que hei por bem em nome do dito senhor Lopo de Sousa e por virtude de seus poderes bastantes que para isso tenho (...) como de feito dou esta petição se contém para elle e seus filhos para produzir roças e mantimentos (...) o título lha mandei passar no cartório sellada com o sello das armas do senhor Lopo de Sousa a qual será registrada no livro da fazenda de Sua Majestade conforme a seu regimento que nesta villa de São Paulo aos vinte e um do mez junho, Diogo de Onhate escrivão de Sua Magestade que nesta dita capitania a fez por meu mandado anno do Senhor de mil e seiscentos e onze annos: Gaspar Conqueiro”. “A qual dita carta de terras de sesmaria eu Diogo de Onhate escrivão da fazenda de Sua Magestade nesta capitania de São Vicente transladei da própria que tornei à parte e vae bem e fielmente transladada por mim e a concertei como official aqui commigo assignado em esta Villa de Santos aos vinte e um do mez de junho de mil e seiscentos e onze annos”. “Concertado por mim escrivão da fazenda Diogo de Onhate e commigo tabellião Antonio de Siqueira”. (grafia original). A Ordem do Carmo A data que consta como o ano em que os carmelitas receberam a fazenda “doada em testamento por Lopo Dias em 1621”, segundo Manoel Eufrásio de Azevedo Marques em seus “Apontamentos”, publicado em 1872, salvo melhor juízo, deve se referir à data em que ocorreu o registro oficial de posse, visto que os Carmelitas já estavam na posse da fazenda desde 1611, conforme registra documento da criação da vila de Mogi das Cruzes. Na “Ata da Cerimônia de Elevação de Mogi a Vila”, datado em primeiro de setembro de 1611, consta que estas terras já pertenciam aos carmelitas e que tinham sido de Lopo Dias. O mesmo Manuel Eufrásio de Azevedo Marques, ainda no seu “Apontamentos”, reproduz na íntegra a certidão assinada pelo tabelião de Mogi das Cruzes Manoel Rodrigues de Alvarenga “que confirma ser verdade que no cartório desta villa está o foral e a fundação della, mez e anno que se lhe levantou pelourinho, aos três dias do mez de setembro de 1611. (...) lhe assignalou como limite a paragem chamada Embiacica, que é uma légua que fica na fazenda dos reverendos padres de Nossa Senhora do Carmo, a qual foi de Lopo Dias (...). E por ser mandado passei a presente pelos officiais da Câmara aos 3 dias de Outubro de 1672, Manoel Rodrigues de Alcântara”. (Grafia original) Está claro que em 1º de setembro de 1611, data do foral de Elevação à Villa de Escudo Ordem do Carmo Mogi das Cruzes, as terras já estavam em poder dos padres Carmelitas e que as mesmas foram doadas em testamento por Lopo Dias. Em relação às cartas de Sesmarias registradas em nome de Domingos de Góes, a Comissão do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo, em seu relatório elaborado por ocasião de sua visita em Biacica, em primeiro de junho de 1925, afirma de forma categórica em seu relatório que as terras, em relação à Domingos de Góes, “ter sido a sua posse relativamente transitória”. A Fazenda Itaim, em meados do século XVII, já alcançava importância em relação à vila de São Paulo. Situava-se próxima à aldeia de São Miguel de Uraraí, onde a capela existente tinha como padroeiro São Miguel Arcanjo. A fazenda pertencia à Província Carmelitana Fluminense, entidade ligada à Ordem do Carmo. Nela foi construída uma capela dedicada a Nossa Senhora do Carmo, ficou conhecida como Nossa Senhora de Biacica. A construção desta capela remonta o ano de 1682, ainda existente e bem conservada. Os padres carmelitas transformaram a região em uma grande fazenda que recebeu o nome de Biacica, depois Itaim. Visita do instituto histórico a Biacica Ao leitor amigo pedimos suspender, por momentos, o esboçado sorriso de incredulidade e ler o porquê da peremptória afirmação de ser esta data a origem do Itaim. Em 1º de junho de 1925, uma Comissão do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo, órgão de reconhecida credibilidade, fundado em 1º de novembro de 1894, visita a localidade com a finalidade de atestar as origens históricas do bairro, elabora circunstanciado documento, cujo fragmento transcrevemos: “Ao chegar a Comissão do Instituto a local ao que se destinava não lhe foi necessário qualquer indicação de momento para o reconhecimento da histórica paragem; com todas as características assinaladas na carta de data de 21 de junho de 1611”. Em relação a este documento, em nome de Domingos de Góes, a Comissão do Instituto
  • 4. 2º QUINZENA DE JUNHO DE 2013 Pág. 4 4 diz “ter sido a sua posse relativamente transitória”. A Comissão relata aspectos referentes ao período em que foi construído o velho templo de Biacica, sobre este assunto destacamos este fragmento onde diz “que poderemos, aproximandose da verdade histórica, aceitar a sua existência já em 1682, ano em que o bispo D. José de Barros de Alarcão, expedindo a provisão de vigário da vara da vila de São Paulo em favor do padre Pedro de Godoy Moreira, inclui no distrito eclesiástico o lugar de Biacica, o que, certamente, não faria se ali ainda não existisse a igreja ou capela”. Como é sabido, como é indiscutivelmente certa, a nave central da capela de Biacia foi edificada em 1682, portanto constitui-se como um valioso patrimônio histórico e que precisa ser, a todo custo, preservado. O fato de estar hoje circunstancialmente na região administrada pela subprefeitura de São Miguel Paulista, não modifica a história. A Comissão, composta pelos senhores Afonso Antonio de Freitas, presidente do Instituto, João Baptista Campos Aguirra e Dr. Afonso de Freitas Júnior, conclui o relatório dizendo que “estava terminada a visita e cumprida, com o mais completo êxito, a missão dos representantes do Instituto Histórico (...) cujo desideratum era a reconstrução da história e o restabelecimento da primitiva denominação da paragem visitada”. Este relatório foi lido e aprovado em sessão do Instituto em 20 de julho de 1925, e publicado no jornal “O Estado de São Paulo”, na mesma época.
  • 5. 2º QUINZENA DE JUNHO DE 2013 Pág. 5 5 O significado do vocábulo Itaim Início da urbanização Por volta de 1918, famílias tradicionais de São Paulo: Camargo, Silva Teles, Bresser, Seabra, Penteado, Campos, Guedes, Prado, Carvalho, entre outras, conhecedoras de que estava sendo viabilizada a construção de uma estrada de rodagem que ligaria São Paulo ao vale do Paraíba e que também estava projetada uma linha variante O vocábulo “itá”, de origem tupi, que significa pedra, é um dos mais empregados na denominação de lugares no Brasil. É comum encontrar nomes como: Itaquera (pedra velha), Itapuã (pedra redonda), Itaberaba (pedra reluzente), Itaú (pedra negra), Itapecerica (laje escorregadia ou penedo), Itamaraty (pedra alva), Itapetininga (lajeado seco), Itaporanga, (pedra bonita), e tantos outros. Se- gundo Theodoro Sampaio, no prefixo itá, “(...) o grau diminutivo se forma com a posposição ao positivo das palavras: “mirim” ou “miri” pequeno, ou simplesmente da partícula “y” ou “im”, como, por exemplo, de “Itá”, pedra, “Itamirim” ou “Itaim” ou “Itay”, pedrinha”. Portanto, segundo o mestre tupinólogo, o nome Itaim significa pedrinha ou pedra pequena. da estrada de ferro e que ambas passavam pelas terras colocadas à venda, resolveram investir na região. Em 1920, os senhores Antonio Prado Jr. e Heitor Freire de Carvalho, diretores proprietários da Companhia de Agricultura, Imigração e Colonização, adquiriram uma área próxima ao Lajeado onde projetaram um loteamento que deram o nome de “Núcleo Seareiro”. Eram lotes de 5.000 a 10.000 m² para pequenas chácaras. Consistia em uma rua com lotes que faziam frente para a mesma. Inicialmente recebeu o nome de Rua 2, depois Rua do Progresso e atualmente Rua João Antônio de Medeiros. Destas, restou apenas uma que é conhecida como chácara do Tupã, as outras foram loteadas. As primeiras escrituras dessas terras estão registradas nas notas do 5° Tabelião, desta Capital, em quatro de janeiro de 1921, sob o n° 13.580, e no Reg. de Imóveis da 3° Circunscrição da Capital. Em 1921, é colocada a pedra fundamental para a construção da variante de Poá da antiga Estrada de Ferro do Norte, depois, Estrada de Ferro Central do Brasil. Em 14 de outubro de 1922, é inaugurado o trecho da Estrada de Rodagem São Paulo a Jacareí. Em 1928, a estrada é ampliada até o estado do Rio de Janeiro. Em 1924, são dados os primeiros passos para a urbanização, abrem-se as ruas da vila Silva Teles, vila Aimoré e vila Itaim. A primeira, na parte sul da estrada de rodagem, e a segunda, na parte norte, margeando o rio Tietê e a terceira, na parte leste, entre a estrada de rodagem e o rio Tietê. A iniciativa desses empreendimentos coube à família do Doutor Goffredo Teixeira Silva Teles e esposa Carolina Penteado Silva Teles, aos sócios Doutor Estanislau Camargo Seabra e Dr. João Carlos Mello (vila Aimoré e vila Itaim) e as famílias: Dona Maria Guedes Penteado de Camargo, filha de Ignácio Penteado (Jardim Camargo Velho e Jardim Camargo Novo, Parque Fazenda Velha, Jardim Ida Guedes); os irmãos Geraldo e José Firmino Melo (vila Melo), Dominicano Campos (Jardim Campos, vila Simonte, Jardim Jaraguá, Jardim Olga); Dr. Waldir da Silva Prado (Chácara Dona Olívia), e outras.
  • 6. 2º QUINZENA DE JUNHO DE 2013 Pág. 6 6 Inauguração da A fábrica Nitro Química estrada de rodagem Em 14 de outubro de 1922, é inaugurada a estrada de Rodagem São Paulo a Jacareí pelo Dr. Washington Luiz Pereira de Souza, Presidente do Estado (Obelisco original alusivo à inauguração pode ser visitado no bairro de Monte Belo - Itaquaquecetuba). Em 1928, pelo mesmo Dr. Washington Luiz, agora, Presidente da República, é ampliada até o estado do Rio de Janeiro. Variante da estrada de ferro Em 1921, o Dr. Epitácio Pessoa, Presidente da República, autoriza o início da construção da Variante de Poá, da Estrada de Ferro do Norte (em 1891, a ferrovia passa a se chamar Estrada de Ferro Central do Brasil). Ini- cialmente projetada para ficar pronta em 1925, por conta das revoluções de 1924, 1928, 1930 e 1932, sofreu um atraso de oito anos. Inaugurada oficialmente, com passageiros, em 1934. Com a inauguração da variante em 1934, no ano seguinte teve início a construção da Companhia Nitro Química Brasileira ao lado da estação de trem de São Miguel. As suas atividades foram iniciadas em 1937, abrindo a possibilidade de muitos empregos para mão-de-obra não especializada. Isto motivou a vinda de migrantes do Nordeste brasileiro e do Norte do Estado de Minas Gerais que buscavam melhores oportunidades na vida para si e para seus familiares. A fábrica foi o marco que alavancou o desenvolvimento de toda a região leste da capital. Foi inaugurada oficialmente pelo Presidente da República Dr. Getulio Vargas em março de 1940. A urbanização de forma acentuada Em 1950, com o crescimento da indústria e da construção civil em São Paulo, cresceu a demanda por lotes populares onde o trabalhador pudesse construir sua casa. É dessa época o Jardim Itaim, primeiro loteamento com lotes urbanizados onde se cum- Quer adotar um lindo cãozinho Cachorrinho de 03 a 06 meses de idade aproximadamente. Muito dócil, bonito e brincalhão. Acreditamos que quem adota-lo não irá se arrepender. Contato (11) 4545-6856 | 3431-3700 | 98271-3544 Em caso de doação o atual dono ajudará nos custos de castração, vacinação e etc. pria integralmente a legislação imobiliária vigente. Projetado pelo engenheiro Alberto Morato Krahcnbuhl em uma área de 451.746 m², na região central do bairro. Hoje, é considerado como “área nobre”. O Grupo Escolar A escola, no bairro, funcionava de forma precária em uma casa na Praça Silva Teles. Em 1950 foi inaugurado o Grupo Escolar de Itaim, que em 1955 passou a se chamar Grupo Escolar Armando Gomes de Araújo, na Rua Hurta- do, onde hoje está o Hospital Oito de Maio. Em 1963 foi inaugurado o prédio construído em alvenaria, visto que a antiga escola era de madeira, por isso era conhecida como “grupo de tábua”. Alunos do Grupo Escolar Armando Gomes de Araujo - 1966 Primeiras escolas Como mencionado anteriormente, a primeira escola oficial criada no Itaim Paulista foi no ano de 1950. Só na década seguinte foram feitas novas escolas, destas, três estaduais: o prédio de alvenaria do Grupo Escolar Armando Gomes de Araújo; 2º Grupo Escolar de São Miguel Paulista, atual “Escola Estadual Albert Schweitzer”; “Grupo Escolar do Jardim Noêmia”, atual “Escola Estadual Mario Kozel Filho”, três municipais: “Escola Municipal do Jardim Camargo”, atual Escola Municipal de Ensino Fundamental “Ezequiel Ramos Júnior”; Escola Municipal do Jardim Itaim, atual Escola Municipal de Ensino Fundamental “Professor Carlos Pasquale” e Escola Municipal do Jardim Campos, atual Escola Municipal de Ensino Fundamental Antonia e Artur Begbie e o antigo ginásio no “Colégio Estadual de Itaim Paulista – CEIP, este ocupava as dependências do prédio do Grupo Escolar Armando Gomes de Araújo”, no período noturno. Em oito de junho de 1965, entre tantos outros pedidos do povo, um foi encaminhado “no sentido de ser construído o Grupo Escolar do Jardim Marta, no Itaim”. Em três de setembro, o “da Vila Silva Teles”, e assim por diante. Na década de setenta, com as mudanças implantadas através da Lei de Diretrizes e Bases da Educação, foram extintos o primário e o ginásio, os dois passaram a se constituir um só curso de oito anos com o nome de ensino fundamental. No Itaim Paulista foram construídas
  • 7. 2º QUINZENA DE JUNHO DE 2013 Pág. 7 7 O segmento religioso Alunos em desfile de 7 desetembro - Rua da Igreja, 1970 várias escolas para atender a demanda que, a exemplo da população, crescia a olhos vistos. Em cada vila construía-se um prédio. Mas a procura por vagas sempre era maior. Na década de oitenta, além do ensino fundamental, que atende crianças na faixa etária dos sete aos quatorze anos, a comunidade passou a solicitar a construção de escolas de ensino infantil e creches. Em 21 de novembro de 1980, dois pedidos foram encaminhados à Prefeitura, um “no sentido que seja criada uma creche no Jardim Noêmia, Distrito de Itaim Paulista”, e outro “(...) para o Jardim Camargo Velho, Distrito de Itaim Paulista – AR. ME”. Notamos que já aparece nos documentos o nome “Distrito de Itaim Paulista”, em maio deste ano, o bairro foi elevado a essa condição. No começo da década de oitenta, foram construídas as primeiras escolas de educação infantil (EMEI) e creches municipais (CEI). São desta época as creches: Jardim Camargo Velho, Jardim Camargo Novo, Jardim Robru, Jardim Maia, Vila Aimoré, Jardim Silva Teles, Parque Santa Amélia, Jardim Eva, Jardim Carolina, Jardim Miliunas, Parque Santa Rita, (todas construídas na primeira metade da década). Jardim Romano, Jardim Noêmia e Jardim Nazaré, (na segunda metade). As Emeis: no Jardim Itaim, “Capitão Alberto Mendes Júnior”; no Jardim Silva Teles, “José de Alencar”; no Jardim Miragaia, “Leila Diniz”; no Jardim Maia, “Maria Quitéria”; no Parque Santa Amélia, “Maria da Conceição”; no Jardim Robru, “Severino do Ramo“; na Cidade Kemel, “PresidenteTancredo Neves”; no Jardim Camargo Novo, “Ovídio D’Crolly”. E assim, com as escolas municipais, estaduais, creches, Emeis, construídas da década de noventa aos dias atuais, 2013, somadas às outras, o Itaim Paulista conta com: 31 escolas estaduais; 32 municipais, 14 Emeis e 08 creches municipais diretas (centros de educação infantil) e 01 municipal indireta no Jardim das Oliveiras II, além de algumas entidades que mantém convênio com a Prefeitura e atendem crianças na faixa etária de creche. O bairro conta com escolas de ensino fundamental e ensino de Língua Inglês/ Espanhol, e várias de educação infantil (prezinhos), todas particulares. Em 15 de setembro e 28 de novembro de 2003, foram inaugurados dois Centros Unificados de Educação - “CEU”, um no Parque Veredas, Rua Daniel Pedro Muller e outro no Jardim dos Ipês, na Avenida Marechal Tito, 3400. Nestas duas unidades, em cada uma, funciona uma creche, uma escola de educação infantil e uma de educação fundamental, além de ter piscinas, teatro, tele-centro, biblioteca, quadra poliesportiva e outras atividades. Quem observa esse elevado número de unidades escolares construídas no bairro de Itaim Paulista, imagina que a demanda está plenamente atendida, quem assim pensar comete um grande engano. O bairro não para de crescer em população e a demanda escolar também cresce, isso exige cada vez mais a construção de novos prédios escolares. Em 31 de agosto de 2008, na Rua Capachos com Rua Catulé, no Jardim Romano, em um terreno de 21.000 m² e com uma área construída de 11.205 m², foi inaugurado o CEU Três Pontes. Com um total de 42 salas de aula: 9 para CEI, 9 para EMEI e 23 para EMEF, sala de informática, laboratório para ciências e espaço multiuso. As aulas tiveram início em fevereiro para EMEF e EMEI e, em junho, para o CEI. Além do bloco didático, o prédio possui: administrativo, refeitório, biblioteca, tele-centro, duas piscinas (semi olímpica e recreativa), duas quadras poliesportivas (uma coberta) e um anfiteatro com 200 lugares. Em 21 de abril de 1985, foi inaugurada solenemente pelo Prefeito Mário Covas, em Itaim Paulista, o primeiro “Centro Cultural” (Casa de Cultura) da cidade de São Paulo. Esse local está destinado às atividades culturais e artísticas do bairro. Usa-se também o espaço da Praça Lions Clube, defronte ao prédio, para eventos maiores organizados pela “Casa”. Em outubro de 1950, um grupo de pessoas, parte moradora no bairro e outra moradora só nos finais de semana, pois aqui tinham suas chácaras para o lazer, uniuse na proposta de construir uma capela onde pudessem realizar encontros religiosos. Em 1953, a capela foi demolida para dar lugar à Igreja atual, sagrada em 30 de outubro de 1957 e elevada à condição de paróquia em 18 de novembro de 1957, sendo o 1° pároco o padre Álvaro Ruiz. O Arcebispo Metropolitano era D. Carlos de Vasconcelos Mota. O segmento social Após várias reuniões preliminares, algumas acontecidas na plataforma da estação de trem de Itaim, outras em casas dos envolvidos, finalmente, em 15 de março de 1952, foi realizada assembléia de fundação da Sociedade Amigos de Itaim – SAI. A sua 1º diretoria estava com- posta de: Manoel Mafra, presidente; Francisco Humberto Campilongo, vice-presidente; tenente Antenor Engênio de Macedo, 1º secretário; Manoel Henoch Machado Gomes, 2º secretário; Raimundo Pereira Nunes, 1º tesoureiro; Romualdo Antonio Ulhoa, 2º tesoureiro; Alcides Alves Colação, orador oficial; Felipe Maioline, procurador.O Conselho Fiscal: Manoel Araújo Gomes, Antonio Vieira e Geraldo Viana. A solenidade de posse aconteceu às 17 horas do dia 29 de junho de 1952. O segmento cultural Em 21 de abril de 1985, o prefeito Mario Covas inaugura a primeira Casa de Cultura da cidade de São Paulo, à Rua Barão de Alagoas, centro do Itaim Paulista. Esta foi mais uma conquista do bairro graças à participação decisiva das lideranças comunitárias e movimento de cultura. A importância do rio Tietê O rio Tietê teve uma importância fundamental para o Itaim Paulista, dava peixes em abundância e lazer. Nos finais de semana, famílias faziam pique- nique em suas margens e os jovens mais arrojados transformavam o seu leito
  • 8. 2º QUINZENA DE JUNHO DE 2013 Pág. 8 8 em piscina. Era generoso para os que aqui residiam ou para os que vinham passar só fins de semana. Da vegetação em suas várzeas, destacava-se o capim gordura da melhor qualidade, que servia para alimentar a pecuária leiteira. Este aspecto agropecuário perdurou até a metade do século XX. O desenvolvimento comercial Após a elevação a Distrito, em maio de 1980, o Itaim Paulista expandiu-se em todas as direções. Hoje, além da região comercial central, o bairro possui outras minirregiões: Jardim das Oliveiras, Vila Itaim, Cidade Kemmel, Jardim Camargo Novo, Jardim Nossa Senhora do Caminho e Jardim Camargo Velho, sendo que essa última já possui uma agência bancária do Bradesco. Na Avenida Marechal Tito, que corta o bairro de oeste a leste com uma faixa de aproximadamente cinco quilô- metros, concentra-se a maioria das agências bancárias: Caixa Econômica Federal, Bradesco, Banco do Brasil, Itaú, Santander, H.S.B.C; Lojas de móveis e eletrodomésticos: Eletro Itaim, Casas Bahia (duas lojas), Lancaster, Luiza, Marabraz, Fenícia e outras; Lojas de cama, mesa e banho: Casas Pernambucanas; Lojas de carros novos e usados; Lojas de Tintas; Materiais de construção: H. Soares, Center Castilho, Dicico; Hiper-Mercado D’avó, Sondas; Atacadistas: Assai, Roldão; Lanchonetes: Mc Donald’s, Habib’s, Drogarias, Casas de Auto-Peças, Escolas de Computação, de Línguas, Postos de Gasolina, Hospital Geral de Itaim Paulista, Academia de natação, de musculação, etc. Por conta de o bairro possuir uma grande população, muitos profissionais liberais procuraram se instalar no Itaim Paulista para exercerem as suas atividades: advogados, dentistas, psicólogos, arquitetos, médicos de várias especialidades, etc. Agências bancárias Amigos na Lagoa Azul - Itaim Paulista - 1958 A criação do distrito Na década de setenta, um grupo de moradores de Itaim resolveu constituir uma comissão para buscar apoio de políticos que fossem sensíveis à proposta de transformar o bairro de Itaim Paulista em distrito. Foram feitas várias reuniões sem que se encontrasse alguém disposto a abraçar esta causa. Por fim, já no final da década, depois de seguidas reuniões e constantes visitas à Assembléia Legislativa de São Paulo, finalmente o Deputado Es- tadual Hélio Cezar Rosas assumiu o compromisso de encaminhar o pedido da comissão no sentido de incluir o nome do bairro entre aqueles que queriam a sua elevação à condição de distrito. Em 25 de abril de 1979, sob o n° AL 1507, foi protocolada a petição que foi transformada em Lei em 14 de maio e publicada no Diário Oficial do Estado em 15 de maio de 1980, sob o n° 2343. A população recebeu com grande alegria o acontecimento, porém desconhecia o perímetro do novo distrito, imaginava que seriam os limites historicamente conhecidos. Ao ser divulgada a área do distrito recém-criado, viu-se que esta não contemplava a região a oeste do córrego Lajeado até o córrego Água Vermelha. Toda esta região, historicamente pertencente ao bairro de Itaim Paulista estava fora do novo Distrito. A primeira agência bancária do bairro foi a do Banco Auxiliar de São Paulo, que veio “emprestada” do vizinho bairro de Itaquera. Como a agência enfrentava dificuldades com a concorrência para o Itaim Paulista, funcionou certo tempo como sendo ainda de Itaquera até ser oficializada como agência do Itaim. Foi uma grande alegria para o povo e para o comércio local poder contar com uma agência bancária. A instituição bancária faliu. Depois vieram a Caixa Econômica Federal, Banco Itaú, Bamerindus (H.S.B.C), Bradesco, Banespa (Santander), Banco do Brasil, e B.B.V, recentemente incorporado pelo Bradesco. O Bradesco inaugurou uma agência no Jardim Camargo Velho. A Caixa Econômica Federal também abriu outra agência em Itaim Paulista, na Avenida Marechal Tito. Com a compra da “Nossa Caixa” pelo Banco do Brasil, o bairro passou a ter duas agências. O grande e diversificado comércio da região do Jardim das Oliveiras já se faz merecedor de poder contar com sua própria agência bancária. Cartório civil No Itaim Paulista, quem precisasse de serviços prestados por um Cartório Civil ou Tabelionato até o ano de 1984, teria que se dirigir a São Miguel Paulista, pois, até essa data, o bairro não dispunha de um Cartório Civil, mesmo alcançando esse direito com a sua elevação a Distrito em 15 de maio de 1980. Em 16 de novembro de 1984, a serventia entrou em funcionamento, porém o cartório só foi criado oficialmente através de Lei quando a mesma foi promulgada em 3 de julho de 1987. Anteriormente a esta data, todos os atos eram lavrados no cartório de São Miguel Paulista. O Cartório Oficial de Registro Civil das Pessoas Naturais e Tabelião de Notas do Distrito de Itaim Paulista tem como área territorial de abrangência: Rio Tietê, Córrego Três Pontes, divisa com o municí- pio de Ferraz de Vasconcelos, com o distrito do Lajeado e o Córrego Lajeado. Desde 18 de novembro de 1994, o cartório está sob o comando do oficial Moisés Vitor Ribeiro e seus dois substitutos: Pedro Mauro Vitor Ribeiro, 1º substituto e Mário Santana, 2º substituto. Após alguns anos instalados na Rua Monte Camberela, mudou-se para um novo prédio na Rua Tiburcio de Souza, 215.
  • 9. 2º QUINZENA DE JUNHO DE 2013 Pág. 9 Super Férias nos Centros Esportivos Municipais para o mês de julho O mês de julho chegou e com ele, o período de férias escolares. Preocupada em sempre levar diversão, relaxamento e aprendizado à população, a Secretaria de Esportes, Lazer e Recreação de São Paulo preparou uma programação toda especial para que o tédio passe longe de sua família durante este mês e você tenha sempre algo para fazer com as crianças. Os Centros Esportivos Municipais terão atividades diferenciadas para que todas as idades possam aproveitas as aulas e brincadeiras da melhor maneira possível. Para participar das atividades de julho dos Centros Esportivos não é necessário obter a carteirinha do Clube. Basta ir até o local de sua preferência - portando um documento original com Pista de patinação no gelo chega ao Shopping Anália Franco Entre os dias 10 de julho e 25 de agosto, o empreendimento receberá a pista Anália On Ice que divertirá adultos e crianças O Shopping Anália Franco receberá sua famosa pista de patinação no gelo e, pelo quinto ano consecutivo, promete mais uma vez animar adultos e crianças de São Paulo. A pista Anália On Ice é uma opção de diversão durante o período de férias escolares e vai funcionar entre os dias 10 de julho a 25 de agosto, na Praça de Eventos (piso Orquídea). O espaço Anália On Ice tem 300m2 e permite que até 50 pessoas patinem simultaneamente. Durante o horário de funcionamento, haverá uma equipe de monitores treinados para orientar e garantir a segurança dos patinadores. A pista funcionará diariamente, das 10 às 22h. Os ingressos custam R$ 30 por 30 minutos de patinação; R$ 50 por 60 minutos. Além disso, a família poderá aproveitar a promoção ingresso Combo - 3 ingressos de 30 minutos de patinação – por R$ 80. Eles podem ser adquiridos de segunda a quinta feira. Os pequenos de 2 a 5 anos também podem participar da diversão, a opção é o Big Ice Car, carrinho criado para eles e guiado por monitores. Os ingressos custam R$ 15 a sessão, que tem duração de 5 minutos. “A pista de patinação do Shopping Anália Franco se tornou tradicional entre os frequentadores do shopping e proporciona um momento de descontração entre pais, filhos e amigos”, comenta João Fernandes, superintendente do Shopping Anália Franco. foto - para fazer na hora uma inscrição. Menores de 16 anos devem estar acompanhados por um responsável. “O projeto Super Férias tem por objetivo fazer as pessoas utilizarem os Clubes em seu tempo livre. É algo que une o útil ao agradável, pois a criança pratica atividades físicas e culturais nas férias e pode ficar interessada em voltar mais vezes aos espaços públicos para participar das aulas regulares durante outros períodos do ano”, conta uma das idealizadoras do projeto, Eliana de Souza, da Coordenadoria de Gestão das Políticas e Programas de Esporte e Lazer da SEME. No Centro Esportivo Vila Curuçá, por exemplo, entre várias atividades, haverá aulas de pilates ao ar livre, dança de salão e karatê e muito mais. Para mais informações o Centro Esportivo esta localizado na Rua Grapira, 537- Vila Curuçá. 1ª Copa Itaim Paulista em comemoração ao aniversário do bairro Em meio às comemorações dos 402 anos do bairro está o futebol da comunidade que prestigia e revela talentos. Itaim Paulista completa 402 anos e em comemoração aos festejos, na última sexta- feira 28, aconteceu a abertura oficial da 1ª copa Itaim de futebol nas categorias Sub 11, Sub 13 e Sub 15. O evento foi marcado com a apresentação das equipes que participarão da competição, ao todo serão 16 times por categoria, tota- lizando 48 times. No decorrer da abertura da copa houve a cerimônia de entrega da certificação e honra ao mérito aos 30 dirigentes e professores das escolas de futebol da região. O início da primeira fase está marcado para o próximo sábado, às 8h, nos Centros Desportivos Comunitários abaixo relacionados: CDC Arlindo de Oliveira Miragaia R. Peroba Rosa, 65 – Jd.Miragaia CDC Jardim das Oliveiras R. Moisés Alves dos Santos, s/nº - Jd. Das Oliveiras CDC Cidade Kemel Rua Marco Antonio Setti, 74 – Cidade Kemel CDC José Amâncio Fernandes (Zequinha) Rua Grapirá, 539 – Vila Curuçá CDC Parque Veredas Rua Magnólia Azul, s/nº - Jd. Camargo Velho Serviço: Supervisão de Esportes da Subprefeitura do Itaim Pta Av. Marechal Tito 3.012 Telefone: 2561-6064 R. 2007/2008
  • 10. 2º QUINZENA DE JUNHO DE 2013 Pág. 10 Subprefeitura de Ermelino começa a recapear a avenida Águia de Haia A Subprefeitura de Ermelino Matarazzo executou recentemente serviços de recapeamento na avenida Águia de Haia, especificamente no trecho que vai do número 4385 (que termina na avenida São Miguel) ao 2983 (em frente à FATEC). A execução do serviço deu-se em atendimento de uma solicitação do vereador Vavá do Transporte (PT/SP) que encaminhou à Subprefeitura uma antiga reivindicação de comerciantes, moradores e de motoristas de ônibus de garagens locais que diariamente passam pela referida avenida. De acordo com o planejamento da Subprefeitura de Ermelino Matarazzo, está prevista uma segunda fase de recapeamento da ferida avenida. Nesta etapa, o serviço se estendera da avenida Águia de Haia até o futuro Estádio do Corinthians, o “Itaquerão” – localizado ao lado da Estação do Metrô, no bairro de Itaquera, Zona Leste da cidade. O objetivo a obra é estar em condições de contribuir com o acesso de mobilidade ao estádio que sediará a abertura da Copa do Mundo em 2014. Ponto de ônibus Outra intervenção do vereador Vavá procura beneficiar mais de 1.500 moradores do Jardim Nazaré (bairro do distrito de Vila Curuça – Zona Leste da cidade Vavá com a líder comunitária Cileide que já conseguiu mais de 1.500 assinaturas pra a volta do ponto de ônibus de São Paulo), que pretendem que o ponto de ônibus das linhas 2628 (Jardim Nazaré-Terminal Aricanduva) e 2626 (Jardim Nazaré-Parque Dom Pedro), voltem o seu lugar de origem, na rua Romualdo de Souza Brito. O ponto teria saído do local devido à reclamação do proprietário da padaria, localizada em frente o ponto. Alegava que o mesmo, por diversas razões, atrapalhava o seu comércio. No entanto, a mudança do ponto provocou um vazio nas ruas, prejudicando moradores e comerciantes e o próprio dono do estabelecimento que vendeu o comércio. Agora, o novo comerciante, com o apoio de Cileide Santos da Conceição Gomes, liderança do bairro, deram início a um movimento e recorreram ao vereador Vavá para ele intermediar a volta do ponto de ônibus ao seu local de origem. Manifestação e Transparência Nas últimas semanas estamos vivendo dias de manifestações por todo o Brasil. Manifestar é um direito do cidadão. Ir para as ruas protestar contra a corrupção, a favor de melhorias na qualidade de vida é legítimo! Porém, as manifestações têm de pregar a paz onde estão. Infelizmente, vimos uma minoria que provoca o vandalismo e a destruição. Isto tira o foco e somente causa pânico nas pessoas. É preciso cobrar as autoridades sim, mas com respeito e união. Daqui para frente os Governantes tem de pensar cada vez mais na transparência dos gastos com o dinheiro público. A Lei da Transparência já está em vigor há algum tempo e o Poder Público têm de se adaptar. Colocar tudo na internet ao alcance da população. Tabelas, contas, fases das obras, enfim, tudo que for gasto tem de estar disponível. E o que for arrecadado também. O dinheiro dos impostos precisa estar publicado para que possamos acompanhar os valores recebidos. Além disso, as Autoridades tem de criar canais de comunicação com a sociedade. Criar um Sistema de Informação ao Cidadão, para que as dúvidas relativas aos gastos e recebimentos dos governos possam ser esclarecidas. Tudo de forma rápida, clara e objetiva. A população tem o direito de saber o que está acontecendo na sua cidade. Quanto mais os Governantes aumentarem e tornarem dinâmico o contato com as pessoas, melhor ficará o relacionamento. Ouvir, discutir, propor projetos e encontrar soluções em conjunto. Este é o caminho para uma sociedade justa. Vamos juntos nesta caminhada! Com Amor, Paz, Respeito e União! Um beijo no seu coração! Ricardo Teixeira é engenheiro. Vereador. Atualmente é Secretário Municipal do Verde e Meio Ambiente. Estou a sua disposição no meu e-mail contatoricardoteixeira@gmail.com. E no meu site www.ricardoteixeira.com.br Deputado Luiz Moura apoia a luta para melhorar o País O deputado Luiz Moura (PT/ SP) vê com bons olhos as manifestações que vem ocorrendo pelo País, porém, percebe uma falta de definição em pautas em algumas das reivindicações. “Elas precisam ser bem definidas, caso contrário há o risco de perder o foco, como vem ocorrendo de certa forma”, explica o parlamentar acrescentando que a falta de “direção” abre um vazio que acaba sendo ocupado por oportunistas. O governo Federal, lembra o parlamentar, já tomou medidas importantes, como priorizar a reforma política; outros governos do PT, como o do Rio Grande do Sul que anunciou a criação do passe livre no transporte público para estudantes da região metropolitana de Porto Alegre; na cidade de São Paulo o prefeito Fernando Haddad retirou o aumento da tarifa de O deputado Luiz Moura, durante plenária em Guaianases, falou das manifestações que ocorrem pelo País ônibus e incentivou a abertura de uma CPI do Transporte. Na Assembleia Legislativa, o deputado Luiz Moura assinou documento que propõe a instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apurar o motivo de a Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos de São Paulo (EMTU/ SP) não revogar os reajustes dos ônibus intermunicipais, como ocorreu com as tarifas do Metrô, da CPTM e dos ônibus municipais em diferentes cidades. O governo do Estado terá de apresentar as planilhas de gastos com ônibus. Enfim, o País, o estado de São Paulo, a metrópole paulistana e os bairros da periferia precisam de transformações urgentes, principalmente nas áreas da Saúde, Educação, Transporte e Habitação. Para que isso se torne realidade, basta vontade política – o que norteia o mandato do deputado Luiz Moura que sempre primou por uma política social, priorizando as regiões mais carentes, sem, no entanto, esquecer as reivindicações no macro, isto é, lutar para transformar São Paulo e o Brasil rumo a uma melhora de vida para os brasileiros. Ações do deputado Amazonas privilegiam bairros da Zona Leste Duas importantes vitórias foram conseguidas por moradores de comunidades carentes da Zona Leste graças à ação do deputado estadual Alcides Amazonas (PCdoB). Os mais de 10 mil moradores do Jardim Keralux, comunidade formada em 1996 na região de Ermelino Matarazzo, lutam há anos para regularizar a área onde vivem. Porém, o processo estava travado devido à falta de um parecer específico da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) sobre a contaminação do solo. Para resolver a situação, o deputado Amazonas conseguiu uma reunião com representantes da Cetesb, entre eles o assistente executivo Hércules Cerullo, o subprefeito de Ermelino Matarazzo, Cláudio Toshio e a ex-deputada Ana Martins. Como resultado, a Cetesb, o Departamento de Regularização do Parcelamento do Solo (Resolo) e a subprefeitura já estão em contato, aprofundando estudos e tomando medidas com vistas a avançar no processo de regularização fundiária e abrir caminho para as intervenções de infraestrutura urbana que a região precisa. Após a reunião, Adriana Poveda, do Instituto Keralux, explicou: “Há anos estamos lutando pela regularização e por melhorias. Felizmente, com a mediação do deputado Amazonas, estamos confiantes de que conseguiremos uma solução”. “Vimos que havia a necessidade de assegurar aos seus moradores o direito de regularizar a área em que vivem há tanto tempo. Então, encampamos essa luta e estamos dispostos a ajudar o nosso povo a conquistar seus direitos e mais qualidade de vida. Sempre vivi na Zona Leste, por isso, não vou medir esforços para melhorar cada vez mais a região”, disse Amazonas. Outra comunidade que está recebendo atenção do mandato do deputado é a Chácara Soares (Vila Carmosina), onde 300 famílias vivem há mais de 12 anos. Ameaçadas de despejo, elas procuraram Amazonas que mediou uma reunião com a vice-prefeita Nádia Campeão. Em consequência, o caso já está sendo acompanhado pela Secretaria Municipal de Habitação, bem como pela Defensoria Pública e pelo Ministério Público estadual, que buscam encontrar a melhor saída para regularizar a área. Amazonas também está apoiando a luta pelo processo de regularização fundiária do Jardim Mabel. “O poder público e os representantes do povo devem estar abertos a resolver esta questão, imprescindível para se garantir os direitos básicos do cidadão”, explica Amazonas. Para falar com o deputado Alcides Amazonas, entre em contato ou visite seu escritório político: Rua Irineu Bonardi, 19 – São Miguel – Telefones 2037-2900/1106. O mandato também pode ser acompanhado pela internet e redes sociais: Site: www.alcidesamazonas.com.br; Facebook: deputadoalcidesamazonas; Twitter: @DepAmazonas.
  • 11. 2º QUINZENA DE JUNHO DE 2013 Pág. 11 Show musical encerra as atividades de aniversário do Itaim Paulista Muita música e diversão marcaram o encerramento dos festejos no Itaim Paulista. No último domingo, 30, aconteceu o show de aniversário em comemoração aos 402 anos do bairro. Um grande palco foi montado em frente à Casa de Cultura do Itaim Paulista para realização do evento. Apesar de o dia estar chuvoso, o público de aproximadamente 300 pessoas, predominantemente formado por jovens e adultos, compareceram no local para prestigiar o show que iniciou por volta das 12h30. Os apresentadores da rádio Nativa FM comandaram o show com brincadeiras que animaram o público e durante a apresentação dos grupos musicais de samba e sertanejo os espectadores acompanharam cantando junto com os artistas. Em seguida, os artistas do bairro iniciaram suas apresentações, houve música eletrônica, coral infanto-juvenil, rap e rock gospel, pop black e reggaeton, hip hop, samba e sertanejo que trouxeram também muita animação ao público. A segurança contou com o apoio da Guarda Civil Municipal, Polícia Militar, Defesa Civil, Sabesp e CET, que não registraram nenhuma ocorrência durante o evento que foi realizado para diversão da população. Maquiagem para Pele Mulata e Negra As mulheres de todas as idades querem sempre estar bonitas para frequentar todas as ocasiões, sejam elas simples ou sofisticadas, entre as principais preocupações do público feminino está a maquiagem que se for feita de maneira correta pode deixar qualquer mulher muito mais bonita. As mulheres com pele mulata e negra acham que as maquiagens que caem bem nelas são apenas as de tons marrons que são parecidos com a cor da sua pele, mas na realidade as mulheres de peles mais escuras podem e devem investir em maquiagens de diferentes cores. Como podemos ver as mulheres mulatas e negras podem contar com dezenas de opções de maquiagem, basta ter bom senso para combinar as cores o que não é difícil, pois, as peles mais escuras são lindas naturalmente e não esqueça de aplicar o corretivo, base e pó. A maquiagem para pele mulata e negra pode ser feita com várias combinações, algumas são muito lindas e perfeitas para todos os tipos de festa, nas quais estão: Olhos com delineador preto, sombra bronze e batom vinho. 2ª Procissão das águas de Oxalá é realizada no Itaim Paulista A procissão foi realizada em comemoração aos 402 anos do Itaim Paulista. Em comemoração ao aniversário dos 402 anos do Itaim Paulista/Vila Curuçá, foi realizada no domingo 23, a 2ª Procissão das águas de Oxalá, lavagem das calçadas das Igrejas São João Batista e Nossa Senhora do Rosário. Na cultura da Umbanda e Candomblé, a lavagem das calçadas é um ato religioso que simboliza a purificação, através da utilização da água de cheiro. Durante o percurso de 2 km do cortejo, foram contempladas com ritual da lavagem as calçadas da Escola de Samba Unidos de Santa Bárbara, Igrejas São João Batista e Nossa Senhora do Rosário. Para garantir a segurança dos participantes, contamos com o apoio da Defesa Civil, Polícia Militar, Guarda Civil Metropolitana e CET (Companhia de Engenharia e Tráfego). O evento contou com a participação de aproximadamente 100 pessoas entre adeptos, simpatizantes e participantes do grupo de capoeira Ginga e Raça. O cortejo foi acompanhado ao som de cantigas da Umbanda e Candomblé, apresentação de lutas de capoeira, levando ao conhecimento do público um pouco da cultura afro.
  • 12. Pág. 12 2º QUINZENA DE JUNHO DE 2013

×