Your SlideShare is downloading. ×
Folha de s.paulo   painel do leitor - 01 04-2009
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Folha de s.paulo painel do leitor - 01 04-2009

513

Published on

Pequeno texto publicado na Folha de S. Paulo.

Pequeno texto publicado na Folha de S. Paulo.

Published in: Business, Travel
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
513
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Folha de S.Paulo - Painel do Leitor - 01/04/2009 http://www1.folha.uol.com.br/fsp/opiniao/fz0104200910.htm ASSINE BATE-PAPO BUSCA E-MAIL SAC SHOPPING UOL São Paulo, quarta-feira, 01 de abril de 2009 Texto Anterior | Próximo Texto | Índice PAINEL DO LEITOR O "Painel do Leitor" recebe colaborações por e-mail (leitor@uol.com.br), fax (0/xx/11/3223-1644) e correio (al.Barão de Limeira, 425, 4º andar, São Paulo-SP, CEP 01202-900). As mensagens devem ser concisas e conter nome completo, endereço e telefone. A Folha se reserva o direito de publicar trechos. Leia mais cartas na Folha Online www.folha.com.br/paineldoleitor Na pele "Não dá para deixar de parabenizar o Angeli pela charge de ontem: senti na pele!" MARIA EFIGENIA BITENCOURT TEOBALDO (Belo Horizonte, MG) Desimportantes "Após a redução de impostos para carros e motos, sou obrigado a concluir que ônibus não é veículo ou então que o governo acha que eles não são socialmente importantes." ROGÉRIO BELDA (São Paulo, SP) Mensalão "Enigmática a lentidão em que se arrasta o processo do mensalão pelos canos de nossa Justiça. O ministro do STF Joaquim Barbosa disse que, se houver rapidez, o julgamento ocorrerá em 2011 ("Relator descarta que mensalão seja julgado no Supremo até 2010", Brasil, ontem). Mas as eleições são em 2010! Tal processo já deveria ter sido julgado, para o bem da população. Corremos o risco de eleger futuros condenados." LEONARDO ARAÚJO DA SILVA DIAS (São Paulo, SP) Microcrédito "No contexto geopolítico em que líderes de países e a própria Organização Internacional do Trabalho (OIT) fazem apelo para o esforço global pela ampliação da oferta de emprego como estímulo ao fomento social e econômico das populações, a reportagem "Microcrédito avança, mas não atrai bancos" (Dinheiro, ontem) deixa evidente o1 de 4 6/7/2011 00:39
  • 2. Folha de S.Paulo - Painel do Leitor - 01/04/2009 http://www1.folha.uol.com.br/fsp/opiniao/fz0104200910.htm desinteresse do setor bancário pelo chamado desenvolvimento. Em vias de mudanças globais dos paradigmas da produção capitalista, o setor bancário parece andar na contramão ao fazer vista grossa ao microcrédito. Essa modalidade poderá beneficiar cerca de 10 milhões de empresas informais, direta e indiretamente, em direção à solicitação da OIT e de demais líderes e a exemplo do que acontece em Bangladesh com o Grameem Bank, do Nobel da Paz Muhammad Yunus." RODRIGO HISGAIL NOGUEIRA (São Paulo, SP) Palavras "Acertada a colocação de Rubem Alves pelo destaque nos desencontros da linguagem, exemplificando com o "jogo de cartas" ("Sobre os jogos linguísticos e a camisinha", Cotidiano, ontem). As cartas usadas são as mesmas, mas os jogos são diferentes. Realmente, a Igreja Católica expressa sua opinião sobre os mais variados assuntos movida pelo serviço e amor ao ser humano. O amor e a vida em plenitude são "o jogo", a linguagem que a igreja expressa. No entanto, o mundo escolhe o "jogo" do egoísmo e da morte. Infeliz desencontro. Será que um dia aprenderemos o "jogo" do amor?" MARCOS AURÉLIO CÂMARA PORTILHO CASTELLANOS (São José dos Campos, SP) Biólogos e bandidos "Na reportagem "Lei falha converte biólogo que porta arma em bandido" (Ciência, 22/3), a declaração do doutor Douglas Saldanha, delegado-chefe-substituto do Serviço Nacional de Armas da Polícia Federal, de que pesquisadores devem procurar obter uma licença de caçador do Exército para usar arma de fogo em coleta biológica, vai contra um parecer do próprio Exército. Em ofício ao Conselho Federal de Biologia, o general- de-divisão José de Almeida, da Diretoria de Fiscalização de Produtos Controlados do Exército, afirma que o uso da licença de caçador por pesquisadores "não é uma praxe das mais recomendadas" e que a "solução mais adequada seria encaminhar ao Poder Legislativo proposta de alteração da lei 10.826/03, incluindo a [criação da] categoria profissional de coletor científico". O doutor Saldanha, muito acertadamente, também diz que "a legislação deveria ser mais específica". Nós, pesquisadores, clamamos pela sensibilidade do Legislativo." RÔMULO RIBON professor do Departamento de Biologia Animal da Universidade Federal de Viçosa (Viçosa, MG) Itamaraty "A Conectas Direitos Humanos gostaria de parabenizar a Folha pelo editorial intitulado "O Brasil se omite" (Opinião, 30/3). As omissões ali mencionadas, além de vergonhosas, violam claramente o artigo 4º, II, da Constituição Federal, segundo o2 de 4 6/7/2011 00:39
  • 3. Folha de S.Paulo - Painel do Leitor - 01/04/2009 http://www1.folha.uol.com.br/fsp/opiniao/fz0104200910.htm qual o Brasil deve reger-se em suas relações internacionais pela prevalência dos direitos humanos. Sob o manto da cooperação sul-sul, o Brasil torna-se cúmplice das mais graves e sangrentas violações aos direitos humanos do planeta." LUCIA NADER, coordenadora de Relações Internacionais da Conectas Direitos Humanos (São Paulo, SP) Marc Jacobs "Fiquei surpresa e indignada com o tratamento dado pela coluna de Mônica Bergamo de 24/3 (Ilustrada) a Marc Jacobs, classificado pela própria coluna como um dos mais respeitados estilistas do mundo. Afinal, o repórter não pensou duas vezes ao utilizar termos maldosos que ferem a índole de qualquer pessoa, independentemente de ela ser ou não uma celebridade. Faltaram ao repórter que cobriu o assunto interesse e experiência suficientes para entender o contexto e a importância da vinda do estilista ao Brasil, único país em toda a América Latina a possuir uma loja da marca, da qual sou proprietária e única licenciada. É bom esclarecer alguns fatos: 1) O local da festa foi escolhido por ser no centro da cidade, lugar lindo e pouco visitado, que tivesse o inusitado como apelo, atitude que marca o processo de criação do estilista. O sucesso da recepção foi inquestionável, muito embora uma iniciativa desse tipo agrade a muitos ou desagrade a outros, como é praxe em todas as festas; 2) É constrangedor ler na coluna o tratamento leviano dispensado a um amigo quando este desenvolve um trabalho inquestionável no mercado financeiro. O mesmo digo à forma como nominaram Lorenzo Martone, com o tom pejorativo de uma língua ferina sem fundamento. Julgo que tal atitude não seja um ato de bom jornalismo ou uma prática aprovada por um veículo do porte e da importância da Folha." NATALIE KLEIN, representante de Marc Jacobs no Brasil (São Paulo, SP) Leia mais cartas na Folha Online www.folha.com.br/paineldoleitor Serviço de Atendimento ao Assinante: 0800-775-8080 Grande São Paulo: 0/xx/11 3224-3090 www.cliquefolha.com.br Ombudsman: 0800-15-9000 ombudsman@uol.com.br www.folha.com.br/ombudsman Texto Anterior: Candido Mendes: Direitos humanos, ideologia ocidental Próximo Texto: Erramos3 de 4 6/7/2011 00:39
  • 4. Folha de S.Paulo - Painel do Leitor - 01/04/2009 http://www1.folha.uol.com.br/fsp/opiniao/fz0104200910.htm Índice Copyright Empresa Folha da Manhã S/A. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folhapress.4 de 4 6/7/2011 00:39

×