Reunião APIMEC 2008
   07 de Abril de 2008
      d  Ab il d     8
2




                   Agenda
Histórico da Grendene
Destaques
Estrutura
Instalações
                   ç
Processos de Pr...
3




                     Grendene
                      Histórico
                      Hi tó i
1971 – A Grendene foi fu...
4




                     Grendene
                 Histórico
                 Hi tó i (continuação)
1980 – Inauguração d...
5




                     Grendene
                  Histórico
                  Hi tó i (continuação)
1986 – Lançamento ...
6




                     Grendene
                 Histórico
                 Hi tó i (continuação)
1997 – Início das op...
7




                    Grendene
                Histórico
                Hi tó i (continuação)
2004 – Abertura do Capi...
8




                     Destaques
Grendene é uma das maiores empresas produtoras de
                                   ...
9




                 Estrutura Societária
      55, %
      55,2%                                      44,8%
           ...
10




           Conselho de Administração

                              Maílson F. da Nóbrega
                         ...
11




                             Diretoria


                             Alexandre G. Bartelle
                       ...
12




Instalações
13




        Localização das Plantas Industriais

Fábricas
Farroupilha / RS - 2 Unidades
       p
Fortaleza / CE - 2 Uni...
14




                   Plantas Industriais
                       Área Construída
                       Á    C       í...
15




                Processos de Produção
Matéria-prima e Fornecedores
  Principais Matérias-primas:
  Resina de PVC, Ó...
16




Processos de Produção
         Processo de Prod ção
                       Produção
           Pesquisa e desenvolv...
17




                                           Comportamento dos Custos
Volume de vendas                         1T07  ...
18




          Custo também depende da demanda
 A série histórica abaixo destaca a evolução dos principais mercados das ...
19




Recursos
Humanos
20




           Recursos Humanos
Funcionário Ativos em 2007 (média): 21 000
                                    21.000
P...
21




              Recursos Humanos
Academia G e de e
 cade a Grendene
• Missão: Desenvolver
  profissionais alinhados
 ...
22




Responsabilidade Ambiental
23




Setor de Calçados
24




                          Setor de Calçados
Dados gerais da indústria:                      Principais produtores m...
25




              Setor de Calçados no Brasil
                                       Brasil
                           ...
26




   Indústria Brasileira de Calçados x Grendene
            Produção Brasileira                         Produção de ...
27




         Exportações Brasileiras x Grendene
           Exportação Brasileira                        Exportação de C...
28




Estratégia
29




                  Proposta de Valor
                        Marcas
Produtos              Marketing            Gestã...
30




   Estratégia de Médio e Longo Prazo
     Objetivos               Resultados Esperados
Foco no crescimento         ...
31




Vendas
32




                 Portfolio de Produtos
                                  Outras marcas:
                           ...
33




                 Portfolio de Produtos
Linha Melissa
  Sinônimo de sandálias de plástico no
  mundo. Top de linha e...
34




                 Portfolio de Produtos


Linha Grendha                     Linha Ipanema
  Direcionada para o públi...
35




                  Portfolio de Produtos
                                      Linha Ipanema Gisele Bündchen
       ...
36




Marcas Próprias & Principais Licenças
37




                Exportação


Exportados 40 milhões de pares em 2007
Exportações respondem por 27,5% do volume total...
38




Canais de vendas no Exterior




                 Beams - Tokio
39




         Novos
         No os
Licenciamentos
       em 2007
40




Licenciamentos
41




Novos Produtos
42




Histórico de Lançamentos

                                             550
                     460   480
         ...
43
44




Marketing
45




        Diferenciação de Mercado
Mídia Concentrada
Uso de mídia alternativa
Ações de marketing para
o Trade
Qualida...
46




 Despesas com Publicidade & Propaganda
       10,8%
                                                     10,1%     ...
47




     Galeria Melissa – Loja Conceitual




Rua Oscar Freire, 827
R O        F i
São Paulo, SP
48




                         Plano de Mídia


Desfile Mattel




Filme




   internet                Revistas
   Hot S...
49




Resultados
50




Principais Indicadores Econômico-Financeiros

(R$ milhões)            4T06    4T07    Var.%     2006    2007    Var...
51




      Receitas
Mercado Interno
  e Exportação
52




                     Crescimento com Rentabilidade

         Receita bruta                                         ...
53




                       Sazonalidade faz parte do negócio
                                                        Sa...
54




Volume de Vendas (milhões de pares)


                         145                 146
                            ...
55




        Distribuição da Receita e dos Volumes de Vendas

                Mercado Interno              Exportação   ...
56




Caixa Líquido, Dividendos & Capex
57




         Forte Geração de Caixa
                 Ca a qu do
                 Caixa Líquido
                 (R$ mil...
58




Disponibilidades, Dívida de Curto e Longo Prazo
                         ( $
                         (R$ milhões)
...
59




                Distribuição de Dividendos
                                 6,8%
                                 6...
60




        Distribuição do Valor Adicionado
            2006                             2007


   17,2%    0,9%      ...
61




                Baixa necessidade de Capex
                                                                        ...
62




Perspectivas
63




                Estimativa para 1S08


         Valores Esperados: 1S08 em relação ao 1S07
Receita Bruta           ...
64




                      Visão de 2008
    Influências                        Impactos
 Macroeconômicas               ...
65




                                  Aviso
Essa apresentação contém declarações que podem representar expectativas
sob...
66




                     Muito Obrigado!

                       Time de RI da Grendene
                          Franc...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Grendene - Reunião APIMEC 2008

2,074
-1

Published on

Reunião APIMEC 2008

Published in: Investor Relations
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
2,074
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
34
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Grendene - Reunião APIMEC 2008

  1. 1. Reunião APIMEC 2008 07 de Abril de 2008  d  Ab il d   8
  2. 2. 2 Agenda Histórico da Grendene Destaques Estrutura Instalações ç Processos de Produção Recursos Humanos Setor de Calçados Estratégia Vendas Marketing Resultados Perspectivas P i
  3. 3. 3 Grendene Histórico Hi tó i 1971 – A Grendene foi fundada em Farroupilha, no Rio Grande do Sul. G d d S l A primeira linha de produtos foi de embalagens plásticas para garrafões de vinho vinho. 1976 – Início da fabricação de peças de plástico para máquinas e implementos agrícolas e em agrícolas, seguida, de componentes para calçados (Solados e saltos). 1979 – Lançou a primeira sandália, com a marca Nuar. No mesmo ano, lançou a coleção de sandálias com a Marca Melissa Melissa. Início das Exportações da Grendene.
  4. 4. 4 Grendene Histórico Hi tó i (continuação) 1980 – Inauguração da matrizaria localizada e Ca os 980 augu ação a a a oca ada em Carlos Barbosa, no Rio Grande do Sul, para produzir matrizes próprias para a fabricação de calçados de plástico. plástico 1983 – O casamento de sucesso da Melissa com os grandes designers mundiais neste ano: Jean- Jean Paul Gaultier, Thierry Mugler, Jacqueline Jacobson e Elisabeth De Seneville. 1984 – A Melissinha ganhou os pés das meninas. Desde então, a linhas Kids não parou mais , p crescer.
  5. 5. 5 Grendene Histórico Hi tó i (continuação) 1986 – Lançamento das sandálias Rider uma nova geração de calçados com design diferenciado e conforto, direcionado para o público masculino. 1990 – Instalação em Fortaleza da primeira unidade fabril, no Ceará. Com capacidade de produção de 5 milhões de pares. 1993 – Inauguração da fábrica em Sobral, no Ceará. 1994 – Lançamento da linha de produtos Grendha ç p direcionada para o público feminino. 1996 – Melissa inova mais uma vez e traz a top model Claudia Schiffer ao Brasil para desfilar os novos modelos da marca.
  6. 6. 6 Grendene Histórico Hi tó i (continuação) 1997 – Início das operações da terceira fábrica no Ceará, C á no município d C t i í i de Crato. 1998 – É criada uma divisão para cuidar da grife g Melissa. 2001 – Lançamento da linha de chinelos e sandálias ç Ipanema. 2002 – Início das operações da terceira fábrica no município de Crato/CE. Firmada parceria com a top model Gisele Bündchen. Bündchen
  7. 7. 7 Grendene Histórico Hi tó i (continuação) 2004 – Abertura do Capital da G e de e, que passou 00 be tu a Cap ta Grendene, a ter ações ordinárias negociadas no Novo Mercado da Bovespa. Melissa comemora seus 25 anos com uma exposição denominada Plasticorama. 2005 – I Inauguração d G l i Melissa em Sã P l ã da Galeria M li São Paulo. Lançamento da marca Ilhabela. 2007 – Galeria Melissa comemora 2 anos de existência. A MHL Calçados, empresa controlada da Grendene, Grendene inicia suas atividades em Teixeira de Freitas, na Bahia.
  8. 8. 8 Destaques Grendene é uma das maiores empresas produtoras de p p calçados sintéticos no mundo e a maior do Brasil (em receitas no setor de calçados) 190 mm d pares/ano d capacidade i t l d de / de id d instalada Produção média de 500.000 pares por dia 21 mil funcionários ativos 500 novos produtos/ano Presente em 85 países Marcas com Forte Personalidade Inovação em Produto Distribuição e Mídia Produto, Listada no Novo Mercado: Free Float 25% Sólida Estrutura de Capital e Forte Geração de Caixa p ç
  9. 9. 9 Estrutura Societária 55, % 55,2% 44,8% ,8% Alexandre Alexandre Grendene Verona Pedro G. G. Bartelle G. Bartelle Negócios Negócios e Bartelle Free Float Part. S.A. (P. Física) S.A. Part. S.A. (P. Física) 30% 0,3% 20,1% 24% 0,5% 25,1% 100% 95% 99,99% Saddle Corp. S.A Saddle Calzados S.A. MHL Calçados Ltda. 100% Grendha Shoes Corporation S.A. p
  10. 10. 10 Conselho de Administração Maílson F. da Nóbrega Conselheiro Walter J W lt Janssen Neto N t Renato O h R t Ochman Conselheiro Conselheiro Alexandre G. Bartelle Presidente Oswaldo de Assis Filho Pedro G. Bartelle Conselheiro Vice-Presidente
  11. 11. 11 Diretoria Alexandre G. Bartelle Presidente P id t Pedro G. Bartelle Vice-Presidente Gelson Luis Rostirolla Rudimar Dall´Onder Dall Onder Francisco Schmitt Financeiro e Industrial e Comercial Relações com Investidores Administrativo e Controladoria
  12. 12. 12 Instalações
  13. 13. 13 Localização das Plantas Industriais Fábricas Farroupilha / RS - 2 Unidades p Fortaleza / CE - 2 Unidades Sobral / CE - 7 Unidades Crato / CE - 1 Unidade Teixeira de Freitas/BA - 1 Unidade Farroupilha F ilh Diretoria / DPD / MKT / VDS / EXP Financeiro / Suprimentos / Fábricas Tecnologia Carlos Barbosa Matrizes
  14. 14. 14 Plantas Industriais Área Construída Á C íd 270 mil m2 Farroupilha / RS Fortaleza / CE Sobral / CE Principal p p planta (87% da produção) Capacidade Instalada: 190.000.000 pares / ano Crato / CE Carlos Barbosa / RS
  15. 15. 15 Processos de Produção Matéria-prima e Fornecedores Principais Matérias-primas: Resina de PVC, Óleos Plastificantes e Coverline; Principais Fornecedores: Braskem (PVC) e Elekeiroz (Óleos) e diversos nacionais e internacionais para outros insumos; Sobras de PVC na produção são 100% recicladas. Segundo o instituto do PVC: “O PVC não é um material como os outros. É o único material plástico q que não é 100% originário do p g petróleo. O PVC contém, em p , peso, 57% , de cloro (derivado do cloreto de sódio - sal de cozinha) e 43% de eteno (derivado do petróleo).
  16. 16. 16 Processos de Produção Processo de Prod ção Produção Pesquisa e desenvolvimento de novos produtos e materiais; Elaboração de Matrizes; Tecnologia p p g proprietária; Produção verticalizada com elevada escala de produção; Produção automatizada e ganhos de escala na produção de calçados; Processo de PVC expandido e processo de PVC injetado (Full Plastic).
  17. 17. 17 Comportamento dos Custos Volume de vendas 1T07 2T07 3T07 4T07 (milhares de pares) ( ilh d ) 31.653 31 653 25.218 25 218 37.837 37 837 50.875 50 875 4,0 5,60 R$ 5,15 R$ 5,00 R$ 4 79 4,79 R$ 4,60 3,0 R$ 4,38 4,20 on. R$ milhares / To R$ / par 2,0 2,80 1,0 1,40 - 0,00 jan-07 fev-07 mar-07 abr-07 mai-07 jun-07 ago-07 set-07 out-07 nov-07 dez-07 Óleos Plastificantes / Ton. (FOB ) - R$ Resina de PVC / Ton. (CFR) - R$ CPV / por par CPV médio / por par Fonte: preços de petroquímicos da ICIS-LOR e dados trimestrais da companhia, publicados anteriormente
  18. 18. 18 Custo também depende da demanda A série histórica abaixo destaca a evolução dos principais mercados das resinas de PVC. Dados D d em percentagem*: * 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 O consumo do setor Tubos e Conexões 54,4 57,6 52,2 52,5 51,0 51,2 46,4 44,4 43,3 44,2 (1) Embalagens de calçados 4,8 6,3 8,4 8,5 9,0 5,0 4,5 5,1 6,6 5,7 representa somente (filmes e frascos) Perfis para a 3,5 3,8 8,1 8,8 10,5 10,0 11,9 12,3 13,1 14,0 (1) 7,8% da demanda construção civil de resinas de PVC Laminados e espalmados l d 16,3 13,5 10,9 11,8 12,0 13,1 14,7 16,0 16,5 16,2 não sendo fator Calçados 6,5 6,9 6,3 5,8 5,5 7,2 7,9 8,4 7,1 7,8 determinante na Fios e cabos 7,0 5,6 7,6 7,8 7,5 7,3 6,7 5,5 5,3 4,7 fixação dos preços. Mangueiras -- -- -- -- -- -- -- -- 3,1 2,6 A demanda, na sua Outros 7,5 6,3 6,5 4,8 4,5 6,2 7,9 8,3 5,2 4,8 maior parte é parte, Total 100 100 100 100 100 100 100 100 100 100 determinada pela Evolução das construção civil(1) aplicações da 66,6 68,5 68,8 70,1 70,1 69,7 66,5 64,1 63,5 64,9 (64,9%). construção civil** t ã i il** *A segmentação do mercado de PVC é feita com base nas informações de demanda interna. **Critérios adotados: a) Do mercado de fios e cabos aproximadamente 90% são destinados à construção civil. cabos, civil b) Do mercado de laminados e espalmados, aproximadamente 15% são destinados à construção civil. Fonte: Braskem e Solvay Indupa, fabricantes de resinas de PVC no Brasil
  19. 19. 19 Recursos Humanos
  20. 20. 20 Recursos Humanos Funcionário Ativos em 2007 (média): 21 000 21.000 Principais programas desenvolvidos em 2007: Construindo o Futuro através da Educação e Desenvolvimento Trabalho Seguro Vida com mais Saúde Alimentação Saudável Responsabilidade Ambiental: Preservar a água é respeitar a vida
  21. 21. 21 Recursos Humanos Academia G e de e cade a Grendene • Missão: Desenvolver profissionais alinhados ao negócio e ao mercado, comprometidos com resultados diferenciados e equipes altamente motivadas motivadas. Em 2007 os investimentos em treinamento e desenvolvimento chegaram a mais de 230 000 horas 230.000
  22. 22. 22 Responsabilidade Ambiental
  23. 23. 23 Setor de Calçados
  24. 24. 24 Setor de Calçados Dados gerais da indústria: Principais produtores mundiais 8.000 produtores em 2007 Países Milhões de pares (2005) 299.000 empregos diretos China 9.000 Produção de 764 milhões de India 909 pares em 2007 (796 milhões de Brasil 806 pares em 2006) 3º maior Produtor Mundial Indonésia 580 Consumo aparente no mercado Vietnã Vi t ã 525 interno: 616 milhões e 3,31 pares Tailândia 264 per capita/ano em 2007 (635 Paquistão 251 milhões e 3 41 pares em 2006) 3,41 Exportação: 177 milhões de Itália 250 pares para mais de 100 países México 197 em 2007 (queda de 1,7%) ( ) Turquia 170 Fonte: IEMI/Abicalçados/Secex/MDIC/Satra Outros 1.745 Os 10 principais países produzem 12.952 milhões de pares, equivalente a 88% da produção mundial de 14.697 milhões de pares.
  25. 25. 25 Setor de Calçados no Brasil Brasil B il 2003 2004 2005 2006 2007 (milhões de pares) Produção P d ã 665 800 806 796 764 Importação 5 9 17 19 29 Exportação 189 212 190 180 177 Consumo aparente 481 597 633 635 616 Consumo per capita 2,83 3,26 3,42 3,41 3,31 Consumo - 2005 Países (milhões de pares) (per capta) USA 2.129 7,3 Reino Unido 376 6,2 França 346 5,7 Japão p 620 4,9 , Alemanha 347 4,2 Fonte: DECEX / MDIC / IEMI / Abicalçados
  26. 26. 26 Indústria Brasileira de Calçados x Grendene Produção Brasileira Produção de Calçados da Grendene (em milhões de pares/ano) ( ilhõ d / ) (em milhões de pares/ano) ( ilhõ d / ) 800 806 796 145 146 764 132 130 665 121 642 116 610 94 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 Fonte: IEMI/Abicalçados Grendene tem crescido acima da taxa média de crescimento do PIB e da indústria de calçados no Brasil.
  27. 27. 27 Exportações Brasileiras x Grendene Exportação Brasileira Exportação de Calçados da Grendene (em milhões de pares/ano) ( ilhõ d / ) (em milhões de pares/ano) ( ilhõ d / ) 40 212 189 190 180 177 32 171 164 29 28 27 16 15 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 Fonte: SECEX/MDIC Grendene respondeu por 22,6% do volume de exportação de calçados em 2007 (17,5% em 2006)
  28. 28. 28 Estratégia
  29. 29. 29 Proposta de Valor Marcas Produtos Marketing Gestão Criação Marketing Ganhos de constante de agressivo escala e escopo produtos Licenças com Rentabilidade Design inovador celebridades Melhoria Segmentação S t ã contínua Tecnologia de Solidez fabricação Investimento financeira em mídia Crescimento C Eventos sustentável Valor para Stakeholders
  30. 30. 30 Estratégia de Médio e Longo Prazo Objetivos Resultados Esperados Foco no crescimento Ga os Ganhos de escala esca a orgânico Ganhos de escopo Crescer de forma sustentável com Visão clara dos pontos p rentabilidade fortes e fracos de cada Manter sólida situação operação financeira f Visão de longo prazo Excelência operacional Criar valor à empresa (EVA) Inovação em design de produtos Redução de custos Investimentos em Marketing agregados Segmentação de mercados Exportações com marcas globais
  31. 31. 31 Vendas
  32. 32. 32 Portfolio de Produtos Outras marcas: Produzimos com design próprio e Linha Rider marcas de terceiros como Guga Kuerten, Mormaii, Speedo, e mais Direcionada para o público recentemente obtivemos o masculino, masculino lançada em licenciamento da marca Everlast. agosto de 1986, contempla uma segmentação em 3 arquétipos (S t B éti (Sports, Beach e h Adventure), de acordo com a situação de uso e preferência dos consumidores.
  33. 33. 33 Portfolio de Produtos Linha Melissa Sinônimo de sandálias de plástico no mundo. Top de linha e totalmente conceitual como produto de design e de moda, é comercializada em canais específicos, como boutiques, p q lojas especializadas em moda e até Linha Ilhabela lojas de design, visando a valorização da marca e do gênero de Direcionada para o calçado full plastic. público jovem, sendo também uma linha Ser uma marca global. p promocional.
  34. 34. 34 Portfolio de Produtos Linha Grendha Linha Ipanema Direcionada para o público Lançada em julho de 2001, para feminino, feminino lançada em julho de atuar no mercado de chinelos chinelos, 1994, contempla 4 tamancos e sandálias, unissex, segmentações: Casual, direcionada para o mercado de Fashion, V ã e P F hi Verão Promocional i l consumo d massa, com preço de competitivo e foco na estratégia de distribuição. (Básica, Brasil, Temas Masculinos, Temas Femininos e Fashion)
  35. 35. 35 Portfolio de Produtos Linha Ipanema Gisele Bündchen Lançada em julho de 2002, com o aval da Top Model Gisele Bündchen, com suporte publicitário específico. t bli itá i ífi Contrato internacional da Ipanema GB em 2006. Missão de ser uma marca global. Linha Kid’ Li h Kid’s e Li h Baby Linha B b Direcionada para o público pré-adolescente, infantil e baby. Atuamos com marcas y próprias e licenciamentos (grifes, apresentadoras, cantoras, personagens de desenho animado, artistas), agregando apelo emocional aos produtos.
  36. 36. 36 Marcas Próprias & Principais Licenças
  37. 37. 37 Exportação Exportados 40 milhões de pares em 2007 Exportações respondem por 27,5% do volume total de vendas e 15 1% da receita 15,1% Exportações para mais de 85 países Estratégia de exportação de marcas fortes e design próprio e marcas de terceiros Mais de 20.000 pontos de venda
  38. 38. 38 Canais de vendas no Exterior Beams - Tokio
  39. 39. 39 Novos No os Licenciamentos em 2007
  40. 40. 40 Licenciamentos
  41. 41. 41 Novos Produtos
  42. 42. 42 Histórico de Lançamentos 550 460 480 450 400 351 301 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007
  43. 43. 43
  44. 44. 44 Marketing
  45. 45. 45 Diferenciação de Mercado Mídia Concentrada Uso de mídia alternativa Ações de marketing para o Trade Qualidade a preços competitivos Globalização das Marcas Melissa e Ipanema Gisele Bündchen
  46. 46. 46 Despesas com Publicidade & Propaganda 10,8% 10,1% 10,1% 9,6% 9,0% 8,2% , 8,1% , 8,2% 7,6% 7,3% 6,4% 6,1% 38,6 33,2 34,3 24,0 21,9 , 24,5 23,9 21,7 , 15,9 15,8 17,8 17 8 14,6 1T05 2T05 3T05 4T05 1T06 2T06 3T06 4T06 1T07 2T07 3T07 4T07 Despesa de Publicidade e Propaganda % da Receita Líquida
  47. 47. 47 Galeria Melissa – Loja Conceitual Rua Oscar Freire, 827 R O F i São Paulo, SP
  48. 48. 48 Plano de Mídia Desfile Mattel Filme internet Revistas Hot Site Radio
  49. 49. 49 Resultados
  50. 50. 50 Principais Indicadores Econômico-Financeiros (R$ milhões) 4T06 4T07 Var.% 2006 2007 Var.% Receita líquida 382,0 416,7 9,1% 1.102,9 1.203,2 9,1% LPA (R$ por ação) 0,96 0,98 2,2% 2,56 2,59 1,0% Var. Var. Margens ajustadas – % 4T06 4T07 2006 2007 (bps) (bps) Bruta 49,7% 46,6% (310) 44,7% 43,0% (170) EBITDA 33,1% 33,7% 60 28,8% 28,1% (70) Líquida 25,2% 25 2% 23,8% 23 8% (160) 23,2% 23 2% 21,5% 21 5% (170)
  51. 51. 51 Receitas Mercado Interno e Exportação
  52. 52. 52 Crescimento com Rentabilidade Receita bruta Lucro Líquido de Vendas Ebitda Ajustado Ajustado (em milhões de R$) (em milhões de R$) (em milhões de R$) 1.525 1.529 354 338 256 259 1.353 1.392 320 317 238 1.276 267 202 195 907 212 697 157 117 96 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007
  53. 53. 53 Sazonalidade faz parte do negócio Sazonalidade - Receita Bruta de Vendas 530 490 504 483 416 419 379398 374 357 314 238 243 337 326 222211 307 268 286 176 261 250 254 146 237 118 136 1T01 1 2T01 1 3T01 1 4T01 1 1T02 2 2T02 2 3T02 2 4T02 2 1T03 3 2T03 3 3T03 3 4T03 3 1T04 4 2T04 4 3T04 4 4T04 4 1T05 5 2T05 5 3T05 5 4T05 5 1T06 6 2T06 6 3T06 6 4T06 6 1T07 7 2T07 7 3T07 7 4T07 7
  54. 54. 54 Volume de Vendas (milhões de pares) 145 146 130 132 116 121 29 40 28 32 94 16 27 15 116 106 100 94 102 100 79 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 Mercado Interno Exportação
  55. 55. 55 Distribuição da Receita e dos Volumes de Vendas Mercado Interno Exportação Mercado Interno Exportação 15,4% 18,4% 15,4% 13,5% 13 5% 13,5% 13 5% 15,1% 1 1% 15,8% 14,1% 14 1% 23,7% 22,2% 19,8% 21,2% 23,9% 27,5% 84,6% 84 6% 81,6% 84,6% 84 6% 86,5% 86 5% 86,5% 86 5% 84,9% 84 9% 84,2% 85,9% 85 9% 76,3% 77,8% 80,2% 78,8% 76,1% 72,5% 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 Receita Bruta Volume de vendas
  56. 56. 56 Caixa Líquido, Dividendos & Capex
  57. 57. 57 Forte Geração de Caixa Ca a qu do Caixa Líquido (R$ milhões) 520,6 379,3 332,7 184,2 184 2 95,4 0,6 (17,6) 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007
  58. 58. 58 Disponibilidades, Dívida de Curto e Longo Prazo ( $ (R$ milhões) ões) 108,9 60,4 27,2 121,8 169,9 19,7 150,9 157,9 14,8 128,9 128 9 658,1 702,8 20,9 117,4 53,1 510,8 332,8 81,0 211,5 227,6 84,3 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 Disponibilidades Dívida de longo prazo Dívida de curto prazo
  59. 59. 59 Distribuição de Dividendos 6,8% 6 8% R$ 3 9331 3,9331 4,9% 4,0% 4 0% 1,9% 1 9% R$ 1,2826 R$ 1,1972 R$ 0,8118 R$ 0,6415 2004 2005 2006 2007 2004 a 2007 Dividendo por ação Dividend yield Dividend yield: Lucro por ação dividido pelo valor médio da ação no ano.
  60. 60. 60 Distribuição do Valor Adicionado 2006 2007 17,2% 0,9% 15,1% 0,8% 29,4% 29,8% 16,7% 16 7% 18,9% 18 9% 35,8% 35,4% Pessoal e Encargos Impostos, ta as contrib ições Impostos taxas e contribuições Juros e aluguéis Dividendos Lucros retidos do exercício
  61. 61. 61 Baixa necessidade de Capex 40,7 27,5 Prédios industriais e instalações 19,9 Máquinas e equipamentos 12,2 , Equipamentos de informática e software Outros Investimentos O t I ti t 2004 2005 2006 2007 Investimentos (em milhões de R$) 2004 2005 2006 2007 Prédios industriais e instalações 11,3 16,6 2,2 8,6 Máquinas e equipamentos 10,7 20,2 6,3 6,6 Equipamentos de informática e software 2,4 2,3 1,3 2,8 Outros investimentos (1) 3,1 1,6 2,4 2,0 TOTAL 27,5 40,7 12,2 19,9 (1) inclui investimentos em veículos, aeronaves, móveis e utensílios, marcas e patentes
  62. 62. 62 Perspectivas
  63. 63. 63 Estimativa para 1S08 Valores Esperados: 1S08 em relação ao 1S07 Receita Bruta Aproximadamente 10% maior Volume V l Maior do M i d que 10% Preço Médio Inferior Despesas de propaganda Entre 8% e 9% da Receita líquida
  64. 64. 64 Visão de 2008 Influências Impactos Macroeconômicas no Negócio Aumento de Renda A t d R d 50% d aumento d renda do t da d da população é direcionado Nível de emprego ao consumo Crescimento do PIB O consumo das famílias representa 60% do PIB Expansão do Crédito brasileiro e deve crescer Estabilidade da Inflação 6,2% em 2008 Vestuário e calçados Queda dos Juros respondem por 5,7% das Taxa de Câmbio estável despesas das famílias no Brasil Grendene espera crescer 10% no primeiro semestre de 2008.
  65. 65. 65 Aviso Essa apresentação contém declarações que podem representar expectativas sobre eventos ou resultados futuros. Essas declarações estão baseadas em certas suposições e análises feitas pela Companhia de acordo com sua experiência, com o ambiente econômico e nas condições de mercado e nos p , ç desenvolvimentos futuros esperados, muitos dos quais estão além do controle da Companhia. Fatores importantes que podem levar a diferenças significativas entre os resultados reais e as declarações de expectativas sobre eventos ou resultados futuros, incluindo a estratégia de negócios da Companhia, condições econômicas brasileira e internacional, tecnologia, estratégia financeira desenvolvimentos da indústria de calçados condições do financeira, calçados, mercado financeiro, incerteza a respeito dos resultados de suas operações futuras, plano, objetivos, expectativas e intenções, e outros fatores. Como resultado res ltado desses fatores os res ltados reais da Companhia podem diferir fatores, resultados significantemente daqueles indicados ou implícitos nas Declarações de Expectativas sobre Eventos ou Resultados Futuros.
  66. 66. 66 Muito Obrigado! Time de RI da Grendene Francisco Schmitt Diretor de Relações com Investidores schmitt@grendene.com.br (5554) 2109.9022 Analistas Alexandre Vizzotto Lenir Baretta (5554) 2109 9011 2109.9011 (5554) 2109 9026 2109.9026 Maiores informações: a o es o ações Internet: http://ri.grendene.com.br Email: dri@grendene.com.br @g (Press Release, Relatório Anual, Fact-Sheet, Demonstrações Financeiras)
  1. Gostou de algum slide específico?

    Recortar slides é uma maneira fácil de colecionar informações para acessar mais tarde.

×