Obsessão e suas consequências
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Obsessão e suas consequências

on

  • 3,699 views

 

Statistics

Views

Total Views
3,699
Views on SlideShare
1,981
Embed Views
1,718

Actions

Likes
0
Downloads
184
Comments
0

6 Embeds 1,718

http://luzdoespiritismo.com 1678
http://geak-luzdoespiritismo.blogspot.com.br 21
http://conhecersentirviverkardec.blogspot.com.br 15
http://guilhermecastro.com.br 2
http://geak-luzdoespiritismo.blogspot.pt 1
http://conhecersentirviverkardec.blogspot.com 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Obsessão e suas consequências Obsessão e suas consequências Presentation Transcript

  • PROJETO: CONHECER, SENTIR, VIVER KARDEC SÉRIE: CONHENCENDO KARDEC
  • Vinde a mim, todos os que vosachais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei. (Mateus 11:28)
  • A obsessão é a ação persistente que um espírito mau exerce sobre um indivíduo. ‎ Prece pelos obsidiados" - “ESE" – Cap. XXVIII, item 81. “
  • Apresenta caracteres muito diversos, desde asimples influência moral, sem perceptíveis sinais exteriores, até a perturbação completa do organismo e das faculdades. ‎ Prece pelos obsidiados" - “ESE" – Cap. XXVIII, item 81. “
  • Ninguém exerceascendentes sobre Os Espíritos os Espíritos perversos sentem inferiores, senão que os homens depela superioridade bem os dominam. moral. ( Allan Kardec - O Livro dos Médiuns ;Capítulo XXV ; Q.279)
  • Se conseguirem estabelecer domínio sobre Ligam-se os Espíritos alguém, identificam-seinferiores apenas àqueles com o seu próprio que os ouvem, junto aos Espírito, fascinam-no, quais têm acesso e aos obsidiam-no, subjugam- quais se agarram. no e o conduzem como se fosse uma criança. (Allan Kardec - Revista Espírita 1858, Outubro, Obsedados e subjugados).
  • A fascinação é umailusão produzida pela Paralisa o Inspiraação direta do Espírito raciocínio. confiança cega. sobre o pensamento. Tem como tática Leva- nos a O espírito é nos afastar de quem situações ridículas, ardiloso e nos pode abrir os comprometedoras e hipócrita. olhos. até perigosas. Allan Kardec - Livro dos Médiuns. “Da Obsessão”
  • Como não há cego pior do que aquele que não quer ver, reconhecida a inutilidade de toda tentativa para abrir os olhos ao fascinado. Ninguém pode curar um doente O que se tem de melhor aque se obstina em conservar o seu fazer é deixá-lo com as suas mal e nele se compraz. ilusões. (Allan Kardec - O Livro dos Médiuns; Segunda parte Cap. XXIII ; item 250)
  • 909. Poderia Sim, e por vezes sempre o Ah! Quão fazendo esforços homem, pelos poucos dentre bem pequenos. vós fazem seus esforços, vencer as suas O que lhe falta esforçosmás inclinações? é a vontade. ( Allan Kardec - O Livro dos Espíritos; q 909 - Parte Terceira - Das leis morais; Cap.XII)
  • 911. Não haverá paixões tão vivas e irresistíveis, que a vontade seja impotente para dominá-las? Querem, porém muito Há muitas pessoas que satisfeitas ficam que não seja dizem: como “querem”. Quero, mas a vontade só lhes está nos lábios.( Allan Kardec - O Livro dos Espíritos; q 911 - Parte Terceira - Das leis morais; Cap. XII)
  • Quando o homem crê que não pode vencer Compreende a Vencê-las é, para as suas paixões, é sua natureza ele, uma vitória que seu Espírito espiritual aquele do Espírito sobre se compraz nelas, que as procura em consequência a matéria. reprimir. da sua inferioridade.( Allan Kardec - O Livro dos Espíritos; q 911 - Parte Terceira - Das leis morais; Cap. XII)
  • Os maus Espíritos somente procuram os lugares onde Para os afastar, nãoencontrem possibilidades de dar basta pedir-lhes. expansão à sua perversidade.É preciso que o homem elimine de si o que os Nem mesmo ordenar-lhes atrai. que se vão. (Allan Kardec - ESE, Cap. XXVIII, Item 16)
  • Aproveitam-se Os Espíritos de todas as sedutores se nossas Mas que se esforçam por fraquezas, afastam, em se Alguns há quenos afastar das como de reconhecendo se nos veredas do outras tantas impotentes aferram, como bem, portas abertas, para lutar a uma presa.sugerindo-nos que lhes contra a nossa maus facultam vontade. pensamentos. acesso à nossa alma. (Allan Kardec - ESE, Cap. XXVIII, item 11).
  • Toda criatura de boa vontade e Dizemos que deve ser simpáticasimpática aos bons Espíritos pode aos bons Espíritos porque se ela sempre, com o auxílio deles, própria atrai os inferiores, é paralisar uma influência evidente que seria o mesmo que perniciosa. caçar lobo com lobo. (Allan Kardec - Revista Espírita 1858,Outubro)
  • 469. Por que meio Praticando o bem epodemos neutralizar a pondo em Deus toda a influência dos maus vossa confiança. Espíritos? Allan Kardec - O Livro dos Espíritos, q 469 - Capítulo IX.
  • Guardai-vos de atender às Que sopram a sugestões dos Que vos insuflam discórdia entreEspíritos que vos as paixões más. vós outros. suscitam maus pensamentos. Allan Kardec - O Livro dos Espíritos, q 469 - Capítulo IX.
  • Desconfiai especialmente dos que vos exaltam o orgulho, pois queesses vos assaltam pelo lado fraco.Essa a razão por que Jesus, na oração dominical, vos ensinou adizer:“Senhor! Não nos deixes cair em tentação, mas livra-nos domal.” Allan Kardec - O Livro dos Espíritos, q 469 - Capítulo IX.
  • As qualidades que, de preferência atraem os bons espíritos são: O orgulho, o egoísmo, a inveja, o ciúme, o A bondade, a benevolência, a simplicidade ódio, a cupidez, a sensualidade e todas as do coração, o amor do próximo, opaixões que escravizam o homem à matéria. desprendimento das coisas materiais. Os defeitos que nos afastam são: (O Livro dos Médiuns – Da Influência Moral do Médium)
  • 475. Pode “ Sempre é alguém por si possível, a mesmo afastar quem quer que os maus seja, subtrair-se Espíritos e a um jugo, libertar-se da desde que com dominação vontade firme o deles? queira.”(Allan Kardec - Livro dos Espíritos, q. 475 - Parte Segunda, Cap. IX)
  • O pensamento malévolo O pensamento benevolente Daí a diferença de dirige uma corrente vos envolve de um eflúvio sensações que sefluídica cuja impressão é agradável. experimenta à penosa. aproximação de um amigo ou de um inimigo. O Evangelho Segundo o Espiritismo – Allan Kardec – cap. XII–- Item 3.
  • Não lhes guardar ódio, nem rancor, nem desejos de vingança. É perdoar-lhes, sem pensamento oculto e sem condições, o mal que nos fazem. É não opor nenhum obstáculo à reconciliação com eles.Allan Kardec - O Evangelho segundo o Espiritismo – Capítulo XII – Item 24
  • É desejar-lhes o bem e não o mal. E, finalmente, retribuir-lhes sempre o mal com o bem, sem intenção de os humilhar.Allan Kardec - O Evangelho segundo o Espiritismo – Capítulo XII – Item 24