SP
 notícias
Saúde
                                                              ANO 1 l NÚMERO 7




modelo
Ambulatórios ...
editorial




 Saúde mais ágil e descentralizada
            Um dos maiores esforços do governo do Estado concentra-se na ...
SPentrevista

                                                               “O programa                                 d...
SPentrevista

                                                            meio de um convênio com as pre-            Sampa...
SPcapa




                                                                         FOTOS: RENATO STOCKLER
Eficiência
saud...
capa




                   Dessa forma, essas unidades atenderão     tes. “Quanto mais cedo se diagnostica,
Agilidade.   ...
capa




                  cialistas em diversas áreas da saúde,     como o número de consultas e de exa­
Diagnóstico     ...
capa




                    do que até então havia na saúde públi­      crativos do terceiro setor, ou seja, sob o
Tratam...
capa

                    sinalização, objetos cirúrgicos, desfibri­   paciente também não precisará ficar
               ...
SPmunicípio verde


                                                                                                      ...
IP ImagePlus
SPoperação verão

                                                                                           ...
operação verão


                                                                                                         ...
operação verão


       sAnEAMEnTo no LiTorAL                                                                             ...
SPunidade móvel




DIVULGAÇÃO




Hospital móvel
                                                                        ...
SP do paraíba
  vale

                                                                                                    ...
vale do paraíba


         mOdErnizaçãO
          tECnOLógiCa

 A criação de parques tecnológicos
 em todo o Estado é prio...
vale do paraíba




                                                                                                      ...
Revista SPnotícias - Ano 1 - Número 07
Revista SPnotícias - Ano 1 - Número 07
Revista SPnotícias - Ano 1 - Número 07
Revista SPnotícias - Ano 1 - Número 07
Revista SPnotícias - Ano 1 - Número 07
Revista SPnotícias - Ano 1 - Número 07
Revista SPnotícias - Ano 1 - Número 07
Revista SPnotícias - Ano 1 - Número 07
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Revista SPnotícias - Ano 1 - Número 07

1,304 views

Published on

Saúde modelo

Ambulatórios Médicos de Especialidades inovam no atendimento e reforçam o sistema de saúde pública integrada

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
1,304
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
7
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Revista SPnotícias - Ano 1 - Número 07

  1. 1. SP notícias Saúde ANO 1 l NÚMERO 7 modelo Ambulatórios Médicos de Especialidades inovam no atendimento e reforçam o sistema de saúde pública integrada Operação Verão Vale do Paraíba Município Verde Como é o trabalho prepara o litoral vira um polo de elege as cidades do Instituto de para os turistas alta tecnologia mais ecológicas Criminalística
  2. 2. editorial Saúde mais ágil e descentralizada Um dos maiores esforços do governo do Estado concentra-se na me- lhoria do sistema público de saúde. Sem tempo a perder, ele pôs em prática um novo modelo de atendimento integrado ao criar o Am- bulatório Médico de Especialidades. Conforme mostra a reportagem de capa desta edição, os AMEs são centros médicos que estão em um patamar intermediário entre as unidades básicas de saúde e os hospitais gerais. Estão aptos a cuidar de situações de média complexidade, que não necessitam da intervenção de hospitais, os quais, diante dessa descentralização, podem se de- dicar ainda mais aos casos de urgência e procedimento cirúrgicos. Para se ter idéia da importância dos AMEs para desafogar os hospitais, o Am- bulatório de Carapicuíba tem capacidade para fazer por mês 13 mil consultas e 9 mil exames. O primeiro AME foi inaugurado em junho de 2007, no bairro de Itaquera, na zona leste da capital. A partir dali, mais dez unidades começaram a atender pacientes em diversas especialidades, como cardiologia, dermatolo- gia, oftalmologia e ginecologia. A meta do governo é construir, até 2010, outros 29 centros espalhados por todo o Estado. Nesta época de férias de verão, a Secretaria da Saúde também vem se empe- nhando em oferecer um atendimento adequado nos hospitais das cidades do litoral paulista, cuja população aumenta consideravelmente para aproveitar a estação quente nas praias. Mas o governo do Estado se preocupou também com a infraestrutura em outras áreas, como a segurança e o saneamento, para garantir total tranquilidade e conforto a milhares de turistas que vão à Baixada Santista e litoral norte. Confira todas as ações colocadas em prática na reporta- gem sobre a Operação Verão. Se o litoral recebeu toda a atenção para a chegada dos visitantes, a região do Vale do Paraíba vem ganhando investimentos para se tornar, cada vez mais, um polo de alta tecnologia, cultura e mão-de-obra qualificada. Acompanhe todas as iniciativas do governo do Estado para transformar São José dos Campos e outras 38 cidades em um dos centros mais estruturados de São Paulo. Na seção Bastidores, SPnotícias acompanhou durante um dia o importante trabalho do Instituto de Criminalística, também conhecido como Polícia Técni- ca. A reportagem aborda a atuação dos peritos dos vários núcleos do instituto – um dos mais conhecidos é o de Balística –, que ajudam os investigadores na solução de crimes cometidos no Estado. Vale a pena conferir. Boa leitura e até a próxima edição. A partir desta edição, estamos adotando a nova ortografia comum ao países de língua portugue- sa, que entrou em vigor no Brasil em 1º de janeiro. Portanto, não estranhe ao ver, por exemplo, a palavra infraestrutura sem o hífen. SPnotícias 3
  3. 3. SPentrevista “O programa de exportar nossa carne desde 2005. çou o arroz preto e tem trabalhado O programa Melhor Caminho teve com frutas sem caroço, café e cana O secretário da Pró-Trator permite Agricultura e o melhor resultado desde seu lan- com menos defensivos. Ou seja, a que o produtor çamento, há 12 anos. E o Fundo de diversificação, a melhoria nos pre- Abastecimento, João de Almeida compre um trator Expansão do Agronegócio Paulista ços internacionais e a produtividade Sampaio Filho mais moderno (Feap), nosso braço de financiamen- elevaram a produção paulista em a juro zero” to, ampliou as aplicações, criando 18,4%, mais que a média nacional, a possibilidade para lançarmos o de 8% ou 9%. Pró-Trator, um programa inédito de compra de trator a juro zero. SP: Em que consiste o Pró-Trator? Sampaio: Queríamos que o produtor SP: A que se deve o crescimento de rural tivesse de imediato a ação do 18,4% no agronegócio paulista? governo do Estado em favor da pro- Sampaio: Houve, claro, o fator ma- dução. Ao dar a oportunidade para croeconômico – o aumento de pre- as pessoas adquirirem sem juros um ços – e o fator produtividade. Vamos trator novo, mais econômico e que dar o exemplo do trigo. São Paulo proporciona maior produtividade, lançou o Trigo Paulista de Qualida- fazemos com que o produtor au- de, programa inédito em que a secre- mente sua renda. Os juros de 6,75% FOTOS: BRUNO MIRANDA taria, em parceria com alguns moi- foram absorvidos pelo Estado como Campo fértil para nhos, ofereceu sementes de trigo de demonstração de apoio ao homem qualidade adaptadas ao nosso clima do campo. O programa foi lançado e solo. Os moinhos compraram as em 1° de dezembro e na primeira sementes, repassaram aos produto- semana havia 200 pedidos. o agronegócio res e assumiram o compromisso de comprar deles a produção por um SP: Existe uma projeção da secreta- preço melhor que o de mercado. De ria sobre adesões ao Pró-Trator? 2007 para 2008, a produção de tri- Sampaio: O programa conta com 6 go cresceu 109% e a área plantada mil tratores para serem adquiridos Setor cresce 18,4% graças ao aumento de produtividade e investimento aumentou 70%. A cana teve oferta até 2010. A continuar no ritmo da maior que a demanda e os preços do primeira semana, chegaremos a esse açúcar e do álcool caíram. Mesmo volume bem antes. Em seguida, ana- Enquanto o agronegócio brasi- SPnotícias: Que balanço o senhor assim, o Estado ajuda na produção, lisaremos se o Pró-Trator continua leiro teve crescimento abaixo faz das ações da secretaria no de- seja na melhoria do escoamento ou não. No primeiro momento, ele de 10% em 2008, o do Estado correr de 2008? como no material genético que es- atende produtores com renda de até de São Paulo chegou a 18,4% em com- João de Almeida Sampaio Filho: O tamos disponibilizando. São Paulo é 400 mil reais por ano, mas a idéia do paração a 2007. Para o secretário da agronegócio paulista cresceu 18,4%. o maior produtor brasileiro de bor- governo do Estado é contemplar to- Agricultura e Abastecimento, João de A produção do Estado aumentou e os racha, e isso é um trabalho que co- dos os produtores, seja qual for o va- Almeida Sampaio Filho, o número se produtores estão novamente engaja- meçou no Instituto Agronômico de lor. É interessante notar que o Feap deve ao forte investimento do governo dos nas questões de política pública. Campinas, que forneceu sementes e limitava seus financiamentos para do Estado na produção e em pesquisas. Na parte sanitária, voltamos a ser mudas 20, 30 anos atrás. Tem mais: quem tinha renda até 215 mil reais, Mas houve outras conquistas, como o reconhecidos pela União Europeia houve uma receita de 1,4 bilhão de mas depois estendeu para favorecer lançamento do Pró-Trator e a aplica- e pela Organização Internacional de reais com ovos, e o Instituto Agronô- a classe média rural e baixou os ju- ção dos recursos no programa Melhor Saúde Animal como Estado livre da mico de Campinas lançou uma va- ros para 3% ao ano nos seus progra- Caminho, como ele conta a seguir. febre aftosa. Estávamos impedidos riedade de arroz para o risoto, lan- mas tradicionais. 6 SPnotícias SPnotícias 7
  4. 4. SPentrevista meio de um convênio com as pre- Sampaio: Em outubro de 2005, hou- feituras, escolhemos um trecho em ve um foco de febre aftosa em Mato cada município para executar o repa- Grosso do Sul, Estado que vende ro. A estrada pronta permite o acesso carne bovina para São Paulo. Com às propriedades, diminui o custo de isso, a União Europeia e outros paí- escoamento da safra e barateia o fre- ses suspenderam a compra de toda te. Em 2009, queremos beneficiar de a carne proveniente daquele Estado 1,5 mil a 2 mil quilômetros. A verba e, por tabela, de São Paulo. Mesmo destinada ao programa era de 10 a 20 que estejamos há 12 anos sem foco milhões de reais por ano. Em 2008, da febre, fomos afetados porque so- saltou para 110 milhões de reais. mos clientes de Mato Grosso do Sul. De outubro de 2005 a maio de 2008, SP: Ainda existem muitas estradas deixamos de exportar 1 bilhão de que precisam ser recuperadas? dólares para a Europa. A reabilita- Sampaio: Sim. Procuramos fazer ção aconteceu em maio passado, um trecho por município, começan- quando a Organização Internacio- do pelo Pontal do Paranapanema e nal de Saúde Animal reconheceu depois o Vale do Ribeira. A terceira São Paulo como livre de aftosa e, a “Em 2008, recuperamos fase ficou para o sudoeste, e agora partir daí, a União Europeia voltou “Livre da febre aftosa, 2 mil quilômetros de estamos nas regiões norte e noroeste a comprar nossa carne. Isso foi a rea- São Paulo retomou as estradas no programa do Estado. Em 2009, trabalharemos bilitação sanitária da carne bovina exportações de carne Melhor Caminho” a parte central e toda a região oeste. paulista. Na questão vegetal, temos para a União Europeia” Fazemos um trecho de 3 a 7 quilô- um trabalho forte na citricultura, metros por município para cumprir que passa por problemas de doenças SP: Há também envolvimento dos a meta de atender a todos até 2010. nas plantações. Este ano, São Paulo aumentou por causa de uma praga fabricantes de tratores? contratou 300 agrônomos e veteri- que vem afetando essa cultura, e ela Sampaio: Chamamos seis fabrican- SP: Como é destinado o orçamento nários que atuam na defesa sanitá- exige imensos investimentos do go- tes e fizemos um levantamento de da secretaria para tantas ações? ria animal e vegetal, a fim de garan- verno, um desafio para os próximos preços. Eles ofereceram um descon- Sampaio: Nosso orçamento é de 800 tir a qualidade do que é produzido. anos. De toda forma, a área planta- to médio de 20%, mas tem trator co- milhões de reais, mas o governo pri- da cresceu 4% graças aos grandes tado 23% abaixo do preço de tabela. vilegiou linhas de atuação para a SP: Existe alguma cultura que ain- produtores que dispõem de recursos agropecuária paulista. A pesquisa e da precisa de mais incentivo? para investir em irrigação. SP: Qual é o saldo do programa Me- desenvolvimento tiveram recursos Sampaio: A laranja merece atenção. lhor Caminho? que não tinham há 25 anos. Foram De cada dez copos de suco consumi- SP: Como deverá ser 2009 no setor? Sampaio: O Melhor Caminho é a feitos investimentos em infra-estru- dos no mundo, fora os Estados Uni- Sampaio: Há dificuldades de crédito perenização das estradas rurais, que tura dos laboratórios, nas compras dos, sete são produzidos no Estado aos produtores, mas o mundo con- completou 11 anos. De 1997 até de- de equipamentos e na melhoria de São Paulo. De 65% a 68% do con- tinuará comendo. Temos condições zembro de 2006, foram recuperados salarial dos pesquisadores. A outra sumo do suco de laranja mundial para produzir com qualidade. O 5 mil quilômetros. A nossa meta é linha de atuação é a reabilitação sa- é proveniente das exportações bra- agronegócio pode ser o fator de pro- fazer mais 5 mil até 2010. Ou seja, nitária do Estado e há um aporte de sileiras e, dessas exportações, mais pulsão para a retomada do cresci- realizar em quatro anos o que foi recursos substancial na pesquisa sa- de 90% saem de São Paulo. Temos mento, mas precisaremos de recur- feito em dez. Em 2007, recuperamos nitária paulista – animal e vegetal. aqui os maiores fabricantes de suco sos para custeio e manutenção dos 700 quilômetros e em 2008 foram do mundo, mas o pequeno e médio nossos programas. Das atividades 1,3 mil quilômetros. O governo do SP: O que é exatamente a reabilita- produtor de laranja está com uma econômicas, o agronegócio é a que Estado libera os recursos e nós, por ção animal e vegetal? perda de renda. O custo de produção está mais bem preparada. o 8 SPnotícias SPnotícias 9
  5. 5. SPcapa FOTOS: RENATO STOCKLER Eficiência saudável Novo modelo de ambulatório médico garante maior integração ao sistema público de saúde e mais agilidade no diagnóstico e atendimento de pacientes Um sistema público de saúde com aten­ dimento integrado, eficiente e, acima de tudo, ágil. Essa é a proposta do novo mode­ lo de centro médico criado pela Secretaria da Saú­ de do Estado de São Paulo: o Ambulatório Médico de Especialidades (AME), uma unidade de saúde que tratará de casos de média complexidade. Como um novo modelo de ambulatório pode­ rá influenciar a cadeia inteira? Simples: os AMEs Novo modelo terá garantem acesso da população ao atendimento especialidades e diagnóstico especializado no sistema de saúde de complexidade público. Eles estão situados entre as unidades bá­ média, como oftalmologia sicas de saúde e os hospitais gerais. 10 SPnotícias SPnotícias 11
  6. 6. capa Dessa forma, essas unidades atenderão tes. “Quanto mais cedo se diagnostica, Agilidade. uma parcela da população com casos menos trabalhoso e mais barato tende Oftalmologista que não são simples, mas também não a ser o tratamento”, diz. examina paciente no AME de têm necessidade de serem encaminha­ Segundo a coordenadora da implan­ Carapicuíba dos para os hospitais. “O objetivo dos tação dos AMEs e assessora técnica do AMEs é oferecer, ao paciente do SUS, gabinete da Secretaria da Saúde, Apare­ um modelo de atendimento integrado cida Teruko Yamada, os ambulatórios que otimize todo o processo do trata­ deverão desafogar os hospitais, porque mento”, afirma o secretário da Saúde, são resolutivos, ou seja, as unidades Luís Roberto Barradas Barata. terão capacidade para realizar consul­ Para ele, esse modelo de centro tas, exames, o tratamento do paciente médico não exercerá apenas a função e até mesmo pequenas cirurgias caso de complemento no sistema público haja necessidade. Tudo isso num úni­ de saúde, mas também vai contribuir co dia e no mesmo lugar. “Atualmente, para desafogar os grandes hospitais. o paciente circula muito no sistema “Os hospitais poderão se dedicar ao até chegar a um diagnóstico”, afirma atendimento de urgências e emergên­ Aparecida. “Com os ambulatórios, ele cias, além da realização de cirurgias”, poderá ir a um só lugar para resolver afirma Barradas. seus problemas. Encurtaremos o tem­ O secretário da Saúde também po necessário para o diagnóstico.” Médico acredita que, a médio prazo, haverá Os ambulatórios estão sendo equi­ ausculta paciente. redução de custos hospitalares, uma pados com o que há de mais moderno Consultas devem vez que os AMEs terão papel decisivo em equipamentos hospitalares. Além ser marcadas com para o diagnóstico precoce dos pacien­ disso, contarão com médicos espe­ antecedência 12 SPnotícias SPnotícias 13
  7. 7. capa cialistas em diversas áreas da saúde, como o número de consultas e de exa­ Diagnóstico como cardiologia, pneumologia, endo­ mes mensais que vão realizar, a escolha preciso. crinologia, reumatologia, fisioterapia, das especialidades é feita em conjun­ AMEs realizarão ortopedia e gastroenterologia. to com os municípios de cada região. consultas e exames no “Analisamos as demandas locais e os mesmo dia Critérios de implantação serviços existentes, de forma que es­ Já são 13 AMEs implantados desde ja­ ses ambulatórios tenham atendimento neiro de 2007 (veja quadro). A meta é complementar ao que os hospitais e construir mais 27 até o fim de 2010. outras unidades de saúde já oferecem”, Segundo Aparecida Teruko, o princi­ explica. Assim, se em determinada ci­ pal critério de escolha dos locais que dade houver uma população com mui­ vão abrigar um AME foi a cobertura de tos idosos, certamente o AME atenderá saúde que a região tem. “Escolhemos com cardiologistas e ortopedistas. regiões onde a população tem pouco Somados aos que já estão funcio­ acesso aos serviços de média complexi­ nando, haverá 40 AMEs até o fim desta dade”, afirma. “A maioria dos ambula­ gestão, quantidade suficiente para co­ tórios terão abrangência regional”, diz brir a demanda, segundo Barradas. O Aparecida. Além disso, para instalar o secretário afirma que esse número é o ambulatório, é preciso que um prédio resultado de um estudo realizado pela público esteja disponível, seja ele mu­ Secretaria da Saúde sobre a necessida­ Sala de raio X. nicipal, estadual ou federal. de de ampliação dos serviços ambu­ Ambulatórios As especialidades médicas de cada latoriais no Estado. “Concluímos que são equipados unidade também variam de acordo seriam necessárias 40 unidades funcio­ com maquinário com o lugar. Segundo Barradas, assim nando sob um modelo mais resolutivo moderno 14 SPnotícias SPnotícias 15
  8. 8. capa do que até então havia na saúde públi­ crativos do terceiro setor, ou seja, sob o Tratamentos ca”, revela o secretário. modelo de organizações sociais de saú­ também serão Os investimentos são consideráveis. de implantado em hospitais estaduais feitos nos AMEs. Acima, clínica de De acordo com a coordenadora Apare­ desde 1998. Por esse sistema, a secreta­ fisioterapia cida Teruko, o valor atual para fazer ria custeia o funcionamento das uni­ um AME funcionar, considerando a dades e deixa o gerenciamento a cargo compra de equipamentos, a informati­ de um parceiro, por intermédio de um zação das instalações e adequação do contrato de gestão que estabelece metas prédio, gira em torno de 4 milhões de de quantidade, qualidade e eficiência. reais, custo que pode variar conforme o “Trata­se de um modelo testado e apro­ modelo a ser implantado. O secretário vado pela população paulista, elogiado afirma que o investimento para man­ pelo Banco Mundial e que vem sendo ter cada ambulatório em atividade ple­ adotado em outros Estados e municí­ na é de aproximadamente 10 milhões pios brasileiros”, diz Barradas. de reais por ano. A primeira unidade do novo modelo foi o AME de Itaquera, na capital, em Funcionamento atividade na área do Hospital Santa Os AMEs são centros médicos onde só Marcelina. O centro médico ocupa 2,7 serão atendidas pessoas com consulta mil metros quadrados de área construí­ AMEs terão todo tipo de marcada (portas referenciais). Dessa for­ da, e a administração é feita pela Con­ especialidades. ma, evita­se a formação de filas, melho­ gregação das Irmãs Marcelinas. Na foto, rando o atendimento na unidade. Foram gastos na re­estruturação do neurologista Todos os ambulatórios funcionarão prédio 2 milhões de reais, investidos infantil examina criança em parceria com entidades sem fins lu­ em mobiliário, material de segurança, 16 SPnotícias SPnotícias 17
  9. 9. capa sinalização, objetos cirúrgicos, desfibri­ paciente também não precisará ficar lador e ampliação da unidade, e mais circulando pelo ambulatório. de 14 milhões de reais destinados ao A capacidade do AME de Carapicuí­ custeio. A unidade ganhou salas de ba é de mais de 13 mil consultas por curativos, inalação e de pequenos pro­ mês, 30 mil exames e 6 mil atendimen­ cedimentos médicos. tos de especialidades como fisiotera­ Outro bom exemplo é o AME de pia, psicologia e nutrição. Carapicuíba, inaugurado oficialmen­ A lista de especialidades do lugar é te em dezembro, mas que começou a grande. São 23 no total e, entre as prin­ receber o público já em setembro. O cipais, estão cardiologia, dermatologia, ambulatório está localizado em um oftalmologia, ginecologia, acupuntura bairro carente da cidade. É um exem­ e fisioterapia. plo clássico de que o sistema de portas Por último, há a escolha do material referenciadas funciona muito bem. A humano do AME, essencial para um sala de espera foge do estereótipo de bom atendimento. Segundo o secretá­ hospital público lotado de gente. rio, esse item é definido pelas entida­ Todo o complexo foi adaptado para des que gerenciam as unidades. pessoas com deficiência. Até a organi­ De acordo com a gerente adminis­ zação dos consultórios e das salas de trativa da unidade, Flávia Ferreira de procedimentos é pensada de maneira Cerqueira, a aceitação dos moradores que facilite a vida dos pacientes. Por da cidade tem sido muito positiva. “Es­ exemplo: os consultórios de fisiote­ tamos realizando uma pesquisa de sa­ rapia e ortopedia ficam próximos às tisfação com os pacientes. Até agora, só salas de gesso e raio X. Dessa forma, o recebemos elogios”, orgulha­se. o AMES EM funciOnAMEntO AME início de funcionamento Especialidades Carapicuíba setembro/08 23 Américo Brasiliense dezembro/08 4 Caraguatatuba dezembro/08 31 DR Geraldo Burroul (remodelagem) janeiro/05* 24 Heliópolis dezembro/08 4 Interlagos outubro/02* 16 Jardim dos Prados (remodelagem) outubro/02* 20 Maria Zélia março/85* 24 Santa Bárbara d’Oeste dezembro/08 3 Santa Fé do Sul agosto/08 15 São José do Rio Preto novembro/08 20 Votuporanga novembro/07 24 As instalações Zona Leste maio/07 28 são organizadas e facilitam a * Centros médicos já existentes e transformados em AMEs nesta gestão circulação de pacientes idosos 18 SPnotícias SPnotícias 19
  10. 10. SPmunicípio verde As 10 dirEtivAs básiCAs Esgoto tratado Despoluição dos dejetos em 100% até 2010. Se isso for inviável financeiramente, a cidade deve as- sumir um compromisso com a Secretaria Estadual do Meio Ambiente, comprometendo-se a realizar o serviço até o final de 2014. Fotos: José Jorge Lixo mínimo Eliminar até 2010 os lixões a céu aberto, promo- vendo a coleta seletiva e a reciclagem do lixo no O ranking verde município. nhar a certificação continuarão pondo em prá- Mata ciliar tica sua política ambiental para tentar ficar em Auxiliar o governo na recuperação das matas prote- toras dos córregos e das nascentes d’água. dos municípios conformidade com as dez diretivas. Já as 44 pre- miadas terão prioridade na obtenção de recursos Arborização urbana do Estado, mas passarão por um acompanha- Aprimorar as áreas verdes municipais, diversificando mento permanente do governo. Ou seja, uma ci- a utilização das espécies plantadas, a fim de atingir dade que se descuidar de sua política ambiental 12 metros quadrados por habitante. 44 cidades são certificadas por cumprir metas ambientais pode perder o título. Educação ambiental Segundo Guimarães, o Município Verde teve Implementar um programa de educação ambiental o efeito de despertar a consciência ambiental de na rede de ensino municipal, promovendo a cons- O governo do Estado encerrou, que aderiram ao programa passaram várias cidades que, no primeiro momento, não cientização da população a respeito dos problemas Acima, três em novembro, a primeira fase por treinamento técnico da secretaria. se interessaram pelo projeto. Além disso, o pro- ecológicos. compromissos do Projeto Ambiental Estraté- Depois disso, arregaçaram as mangas grama também mobilizou a sociedade civil. “As Habitação sustentável dos municípios: o lixo limpo, a gico Município Verde, que certificou e trabalharam na elaboração de proje- organizações não-governamentais, os conselhos Definir critérios de sustentabilidade na expedição mata ciliar e o 44 cidades que atenderam às dez di- tos e soluções em cada área. municipais do meio ambiente e a população em de alvarás da construção civil, restringindo o uso de esgoto tratado retivas ambientais estabelecidas pela “Esperávamos a participação volun- geral se empenharam de uma maneira impres- madeira da Amazônia e favorecendo tecnologias de Secretaria Estadual do Meio Ambiente tária de 200 municípios”, diz Guima- sionante para ajudar suas cidades a cumprir as economia de água e energia fóssil. e alcançaram nota acima de 80. rães. “Mas ficamos surpresos, porque propostas”, explica o gerente. Uso da água O programa foi lançado em julho 614 assinaram um protocolo de inte- Algumas empresas instaladas nas cidades cer- Implantar um programa municipal contra o desper- de 2007, com o objetivo de descentrali- resses e 332 conseguiram preencher o tificadas já estão tirando proveito do privilégio dício de água. zar a política ambiental de São Paulo. plano de ação completo.” de ser Município Verde. Em Barretos, a nona colo- “A gestão ambiental não podia mais fi- Cada diretriz cumprida rendia dez cada no ranking, um frigorífico que exporta seus Poluição do ar car exclusivamente a cargo do governo pontos à cidade, mas o peso era maior produtos pretende estampar nas embalagens um Auxiliar o governo no combate à poluição atmos- férica, especialmente no controle da fumaça preta do Estado. Era preciso envolver os mu- em itens como lixo, esgoto e educação selo alusivo ao programa. o dos ônibus e caminhões a diesel. nicípios nessa questão”, afirma Ubira- ambiental. Além disso, a proatividade jara Guimarães, chefe de gabinete da das prefeituras e a apresentação de CidAdEs CAMPEãs Estrutura ambiental Secretaria Estadual do Meio Ambiente uma proposta de recuperação da mata Criar um Departamento ou Secretaria Municipal de 1 Santa Fé do Sul 94,96 e gerente do projeto. ciliar também foram consideradas na Meio Ambiente. 2 Angatuba 94,06 A partir do cumprimento das dez pontuação final. Santa Fé do Sul foi a Conselho de Meio Ambiente 3 Gabriel Monteiro 92,84 diretivas – que levam em conta esgoto campeã do ranking, com a nota 94,96. Constituir órgão de participação da sociedade, en- 4 Santa Rosa de Viterbo 90,64 tratado, uso de água, habitação susten- O programa continuará em 2009. volvendo a comunidade local na agenda ambiental. 5 Piraju 90,48 tável e poluição do ar –, as prefeituras As cidades que não conseguiram ga- 20 SPnotícias SPnotícias 21
  11. 11. IP ImagePlus SPoperação verão O verão é a estação mais espera- conjunta do Departamento de Estra- da do ano, e o litoral de São Pau- das de Rodagem (DER), Ecovias e Polí- Polí lo torna-se o lugar favorito de 6 cia Militar Rodoviária pretende varrer milhões de turistas que querem curtir das estradas, até 1º de março, carros e ao máximo o calor. Mas, enquanto os motos em más condições de utilização veranistas desfrutam das belas praias e com documentação irregular, e mo- da Baixada Santista e do litoral norte, toristas embriagados. o governo do Estado trabalha a todo O reforço policial foi intensificado vapor para oferecer a melhor infraes- em pontos estratégicos das principais trutura possível. rodovias que dão acesso ao litoral nor- nor Somando as populações fixa e flu- te e a Campos do Jordão, como a Ín- tuante no verão, as cidades litorâneas dio Tibiriçá (SP-31), Rio-Santos (SP-55), chegam a abrigar 17 milhões de pes- Ayrton Senna/Carvalho Pinto (SP-70), Calor em soas. Para garantir a segurança, a Se- Tamoios (SP-99), Via Anchieta (SP-150) cretaria da Segurança Pública lançou, e Imigrantes (SP-160). em dezembro, a Operação Verão, que Para atender o usuário, 30 painéis fi- reforça o policiamento preventivo e os- xos mostram mensagens variáveis que alto-astral tensivo até o começo de fevereiro. fornecem aos motoristas informações Foram enviados ao litoral 2.243 po- on-line sobre as condições de tráfego e liciais e um reforço de 190 homens nos tempo de viagem na via escolhida. An- fins de semana. Somados ao efetivo fixo tes de sair de casa, também é possível das cidades do litoral (6.433 pessoas), acessar os sites ou o serviço 0800 do são 8,9 mil policiais-militares em ope- DER e Ecovias para obter informações. Para garantir conforto aos turistas, o governo do Estado une ração. O Grupamento Aéreo da Polícia Os serviços de inspeção também se- A recuperação forças para que as férias sejam pura alegria e diversão no litoral Militar encaminhou também mais três rão intensificados, com 69 viaturas e dos calçadões helicópteros para auxiliar no patrulha- patrulha 122 guinchos, além de 43 veículos de foi uma das obras mento e operações de resgate, além das apoio, posicionados em locais estraté- realizadas na Baixada Santista duas aeronaves já existentes na região. gicos para auxiliar o viajante. Campa- Tem mais: 162 viaturas de opera- ções especiais e atendimento rotineiro de ocorrências chegam ao litoral para engrossar a frota da Polícia Militar. Na Operação Praia Segura, que faz parte da Operação Verão, o Corpo de Bom- beiros contará com 1.642 integrantes para resgate e salvamento e dois barcos para patrulhamento. O verão nas estradas A Operação Verão também está presen- Segurança, te nas estradas que levam às cidades transporte e do litoral. A Secretaria dos Transportes gIlberto marques saneamento são preparou um pacote de ações que visa os principais garantir a fluidez do trânsito e a segu- focos das ações rança dos motoristas. Uma operação SPnotícias 23
  12. 12. operação verão cuidAdos nAs rodoviAs serI operação cavalo de Aço dIvulgação A fiscalização dos veículos contará com vários mIlton mIchIda bloqueios ao longo das rodovias de maior volume de tráfego e abordará também as motos, que têm contribuído para o aumento das estatísticas de nhas de trânsito com distribuição de Água para todos bilitaram o aumento da capacidade de abasteci- acidentes. Quem não estiver com a documentação recursos materiais educativos ao longo das ro- A Sabesp e a Secretaria de Saneamento mento da cidade de 800 mil para 1,3 milhão de e manutenção em dia terá a moto retida e ainda foram destinados dovias ajudarão a garantir a segurança e Energia lançaram, em dezembro, o pessoas, ou seja, um incremento de 61,5% no for- for pagará multa de acordo com a infração cometida. para melhorar nas estradas. Projeto Verão, pacote de obras que vai necimento. Essas melhorias também permitirão, as estradas e circulação nas estradas para as obras O governo do Estado inaugurou em melhorar o abastecimento de água no em caso de necessidade, o aumento da oferta de de saneamento dezembro duas obras na Baixada San- litoral paulista. No decorrer de 2008, o água para Itanhaém, Mongaguá e Peruíbe. Os veículos em más condições são os grandes básico causadores de engarrafamentos, tanto nas cidades tista: o viaduto sobre a linha férrea no governo investiu mais de 21 milhões como nas estradas. Por esse motivo, uma das novi- km 262,65 da Rodovia Cônego Dome- de reais em obras nos litorais sul (15,1 Litoral norte dades da Operação Verão é a fiscalização intensa nico Rangoni (SP-055), em Cubatão, e milhões de reais) e norte (6,2 milhões Para minimizar os problemas de São Sebastião, a e a retirada de carros irregulares. Nesta tempo- o dispositivo de entroncamento locali- de reais). Sabesp ampliou o sistema de abastecimento, pro- rada, eles serão deslocados para quatro novos zado no Parque das Bandeiras, km 285 As ações da Sabesp estão concentra- porcionando o aumento de fornecimento de 1,8 pátios de recolhimento de veículos, situados nas da Rodovia Padre Manoel da Nóbrega das nas regiões que apresentaram pro- milhão de litros/hora para 2,4 milhões de litros/ seguintes cidades: São Bernardo do Campo, na (SP-55), em São Vicente. blemas pontuais de abastecimento. No hora – 32,5% a mais que no verão passado. SP-160, com acesso pelo km 28; São José dos O investimento de 75,5 milhões de litoral sul, a obra mais importante foi Nas quatro cidades do litoral norte foram in- Campos, com acesso pelo km 153 da BR-116; reais, viabilizado pela concessão do a construção de dois reservatórios no vestidos 6,2 milhões de reais em obras pontuais Taubaté, com acesso pelo km 107 da BR-116; e Sistema Anchieta/Imigrantes, será ca- Guarujá, com investimento de 13 mi- – captação, tratamento e distribuição de água –, em Bertioga, com acesso pelo km 233 da SP- 55. paz de desafogar o tráfego nas viagens lhões de reais, permitindo a ampliação que possibilitaram o aumento de 13% na capaci- litorâneas. Os viadutos eliminarão os da capacidade de 16 para 25 milhões de dade de abastecimento. O fornecimento passou Alcoolemia atuais cruzamentos no mesmo nível litros de água, número 43% superior a de 117,4 milhões de litro/dia para 125 milhões de Será intensificada a fiscalização por policiais ro- doviários, que farão teste de bafômetro nos prin- das rodovias, evitando os constantes 2007. Esses reservatórios permitirão o litros/dia. Com as melhorias, é possível atender cipais trechos de rodovias para prevenir acidentes congestionamentos e acidentes regis- abastecimento de cerca de 1 milhão de 800 mil pessoas por dia. provocados por motoristas embriagados, sujeitos trados nesses pontos, principalmente pessoas, o que corresponde a quatro ve- Neste verão, a Sabesp trabalha com a hipótese às infrações legais, como a apreensão da habilita- nos em época de férias. As obras foram zes a população fixa do município. de uma demanda sem precedentes. Em média, o ção, proibição de dirigir por um ano e aplicação de realizadas pela Concessionária Ecovias Na Praia Grande, melhorias, que consumo diário de uma pessoa é de 150 litros/dia. multa de 955 reais. e geraram 470 empregos diretos. custaram 1,5 milhão de reais, possi- Nesse período, essa média costuma subir no lito- 24 SPnotícias SPnotícias 25
  13. 13. operação verão sAnEAMEnTo no LiTorAL sAnEAMEnTo no LiTorAL g Bertioga Mongaguá População beneficiada: 6 mil habitantes População beneficiada: 21 mil habitantes Situação atual: 38% da população atendida por Situação atual: 22% da população atendida sistema de esgotos sanitários por sistema de esgotos sanitários Obras previstas: 54 km de redes coletoras, coleto- Obras previstas: 213 km de redes coletoras, cole- res-tronco e emissários; 4,6 mil ligações domicilia- tores-tronco e emissários; 23,6 mil ligações domici- res e a construção de 6 Estações Elevatórias de liares e a construção de 26 Estações Elevatórias de Esgoto (EEE) e 1 Estação de Tratamento (ETE) Esgoto (EEE) e Estação de Tratamento (ETE) Investimento: R$ 47 milhões Investimento: R$ 129 milhões cubatão Peruíbe População beneficiada: 22 mil habitantes População beneficiada: 14 mil habitantes gIlberto marques Situação atual: 41% da população atendida por Folha Press Situação atual: 24% da população atendida por sis- sistema de esgotos sanitários tema de esgotos sanitários Obras previstas: 44 km de redes coletoras, Obras previstas: 298 km de redes coletoras, cole- coletores-tronco e emissários; 3,68 mil ligações Praias fiscalizadas: segurança aos banhistas o reforço policial também está sendo intensificado tores-tronco e emissários; 27,53 mil ligações domi- domiciliares e a construção de 5 Estações Elevató- ciliares e a construção de 18 Estações Elevatórias rias de Esgoto (EEE) e 1 Estação de Tratamen- de Esgoto (EEE) e 2 Estações de Tratamento (ETE) to (ETE) Investimento: R$ 208 milhões ral por conta do uso excessivo de água. Por isso, mento de Esgoto Porto Novo, em Caraguatatuba, Investimento: R$ 53 milhões além dos investimentos em infraestrutura, a em- na qual foram investidos 21 milhões de reais. Praia Grande presa realizará uma campanha de uso consciente Também fez parte do pacote o início das obras Guarujá População beneficiada: 223 mil habitantes População beneficiada: 51 mil habitantes da água que vai até o fim do verão. do Emissário Submarino de Ilhabela, um con- Situação atual: 54% da população atendida por Situação atual: 72% da população atendida por junto de sete estações elevatórias, uma estação sistema de esgotos sanitários sistema de esgotos sanitários Onda limpa de pré-condicionamento, 2.865 metros de linhas Obras previstas: 186 km de redes coletoras, cole- Obras previstas: 77 km de redes coletoras, cole- À parte a chegada do verão, a Baixada Santista re- de recalque, 190 metros de emissário terrestre e tores-tronco e emissários; 28,56 mil ligações domici- tores-tronco e emissários; 8,58 mil ligações domi- cebe investimento acima de 1 bilhão de reais em um emissário submarino de 800 metros. Nesse liares e a construção de 14 Estações Elevatórias de ciliares e a construção de 8 Estações Elevatórias obras de saneamento. Até 2011, cerca de 3 milhões complexo serão investidos 12,5 milhões de reais, Esgoto (EEE), 1 Estação de Pré-Condicionamento de Esgoto (EEE) e 1 Estação de Tratamento (ETE) de pessoas serão beneficiadas com o Programa beneficiando diretamente 24 mil habitantes. de Esgoto (EPC) com vazão de 1,4 m³/s e 1 Emissá- Investimento: R$ 97 milhões Onda Limpa, que prevê elevar para 100% o trata- rio Submarino de 4 km com 1.000 mm de diâmetro mento de esgoto e elevar os índices de coleta de Reforço nos hospitais Investimento: R$ 184 milhões itanhaém esgoto da região metropolitana de 53% para 95%. A Secretaria de Estado da Saúde reforçará o População beneficiada: 9 mil habitantes santos/são vicente O Onda Limpa chega também para levar de- atendimento médico nas principais cidades do Situação atual: 10% da população atendida por População beneficiada: 51 mil habitantes senvolvimento, saúde, negócios, turismo e mais litoral paulista durante as férias, enviando 2,2 sistema de esgotos sanitários Situação atual: 87% da população atendida por qualidade de vida a uma das mais belas e impor- milhões de reais a 16 municípios. Das cidades be- Obras previstas: 303 km de redes coletoras, cole- sistema de esgotos sanitários tores-tronco e emissários; 23,9 mil ligações domi- tantes regiões do Estado, o litoral norte. Lançado neficiadas, oito estão na Baixada Santista, três na Obras previstas: 1 Interceptor (Rebouças) com ciliares e a construção de 21 Estações Elevatórias em setembro passado, o programa tem como região de Registro e cinco no litoral norte. Serão li- 2,3 km de extensão e 1,6 mil mm: 1 Emissário de Esgoto (EEE) e 1 Estação de Tratamento (ETE) objetivo elevar os índices de coleta e tratamento berados 1,4 milhão de reais para a Baixada Santis- Terrestre com 400 metros de extensão e 1.000 mm Investimento: R$ 158 milhões dos esgotos na região dos atuais 30% para 85%, ta e 530 mil reais ao litoral norte. “Os municípios de diâmetro; ampliação da Estação de Pré-Con- beneficiando mais de 500 mil pessoas dos muni- precisam se preparar para oferecer atendimento dicionamento (EPC) de 3,5 m³/s para 5,3 m³/s; 3 cípios de Caraguatatuba, Ilhabela, São Sebastião médico adequado, e esse auxílio é fundamental Estações Elevatórias de Esgoto (EEE) e Ubatuba. Para isso, serão destinados recursos de para o litoral do Estado, que recebe visitantes do Investimento: R$ 133 milhões g 240 milhões de reais. A marca do lançamento do país inteiro no verão”, afirma o secretário de Esta- programa foi a inauguração da Estação de Trata- do da Saúde, Luiz Roberto Barradas Barata. o 26 SPnotícias SPnotícias 27
  14. 14. SPunidade móvel DIVULGAÇÃO Hospital móvel salas de provas, de máquinas e de ges- so. Tudo foi concebido para oferecer Um dos conforto e eficiência ao paciente. Se consultórios da unidade: tudo ele é cadeirante ou se estiver em uma foi planejado maca, entrará no ambiente utilizando para atender o Unidade Lucy Montoro atende pessoas com deficiência no interior um elevador hidráulico especialmente paciente com projetado para essas situações. eficiência Um mapa sobre os deficientes do Battistella. O cadeirante Wilson Gomes No consultório, o paciente é recebi- atender à demanda de órteses e próte- Estado de São Paulo. Esse é um Rocha Filho concorda. “A iniciativa é do por uma equipe composta por dois ses no Estado, cuja construção custará dos objetivos da Unidade Móvel importante para os deficientes, porque médicos fisiatras, um fisioterapeuta, 52 milhões de reais. Campinas, São de Reabilitação Rede Lucy Montoro, muitos têm problemas com acessibili- um terapeuta ocupacional e um enfer- Paulo e Marília já lançaram as pedras A Unidade criada pelo governo do Estado. Lança- dade e acabam excluídos”, comenta. meiro. Ali, passa por avaliações médicas fundamentais das obras. Santos será o RAIO X Móvel de da no final de 2008 pela Secretaria dos A Unidade Móvel funciona em uma para saber quais são suas necessidades. próximo município, e os outros dois Reabilitação 1,2 milhão Lucy Montoro: Direitos da Pessoa com Deficiência, a carreta de 15 x 2,70 metros e pesa 20 Também fazem parte do grupo ainda serão definidos. de reais atendimento de unidade percorrerá principalmente os toneladas. O investimento para trans- dois técnicos de órtese e prótese. Caso A intenção do governo é proporcio- investidos deficientes no municípios que não contam com aces- formar o veículo em um hospital sobre o paciente precise de uma prótese, ela nar condições para os deficientes físi- interior do Estado sibilidade para pessoas com deficiên- rodas chegou a 1,2 milhão de reais, e é confeccionada na hora na sala de cos desenvolverem suas habilidades e 100 pessoas cia em postos de saúde e hospitais. dez profissionais levaram três meses máquinas. Depois, a pessoa segue para atendidas seu potencial. Assim, as unidades con- por mês A intenção é agilizar o atendimen- para montá-lo e adaptá-lo. a sala de provas, onde faz o teste sob a tarão com uma equipe de profissionais to e fazer uma radiografia do tipo de A carreta tem sete ambientes plane- orientação dos profissionais. de várias áreas, como fisiatras, psicólo- 2 dias deficiência dos paulistas. “Conhecen- jados para um atendimento completo. Além da Unidade Móvel de Reabili- gos, assistentes sociais, fisioterapeutas, em cada cidade do essas pessoas, poderemos traçar es- Eles estão divididos em consultório tação, a Rede Lucy Montoro, que leva o terapeutas ocupacionais, fonoaudiólo- 7 tratégias para inseri-las na sociedade”, médico, sala de espera, banheiro adap- nome da ex-primeira-dama do Estado, gos, enfermeiros e nutricionistas espe- profissionais afirma a secretária Linamara Rizzo tado e uma oficina ortopédica com ganhará mais seis unidades fixas para cializados em reabilitação. o 28 SPnotícias SPnotícias 29
  15. 15. SP do paraíba vale Situada no extremo leste do Es- tado e formada por 39 municí- municí Região de ponta pios, a Região Administrativa de São José dos Campos, também conhe- cida como Vale do Paraíba, destaca-se como uma das áreas mais ativas do Estado. Por ser produtora de alta tec- Polo de alta tecnologia, o Vale do Paraíba recebe nologia, os investimentos do governo estadual concentram-se na melhoria investimentos em infraestrutura viária, modernização da infraestrutura viária, moderniza- tecnológica e formação de mão-de-obra qualificada ção tecnológica e formação de mão-de- obra qualificada. Em infraestrutura, um dos maiores investimentos na região é a elaboração CaraCtEríStiCaS da rEgiãO de estudos para o novo traçado da Ro- São José Estado (%) dovia dos Tamoios, a SP-99. Nesse senti- dos Campos do, o governo intensifica esforços para Municípios 39 645 6,0 a execução das obras estruturais da primeira fase. Já providenciou a entre- FONTE: FUNDAÇÃO SEADE População 2,222 milhões 40,634 milhões 5,5 PIB (2006) R$ 41,8 bilhões R$ 802 bilhões 5,3 ga do Relatório Ambiental Preliminar PIB per capita (2006) R$ 18.609,91 R$ 19.547,86 _ (RAP) à Secretaria do Meio Ambiente e IDH 2000 0,819 0,814 _ aguarda autorização ambiental para ilUSTrAÇÃO: Eli SUmiDA 30 SPnotícias SPnotícias 31
  16. 16. vale do paraíba mOdErnizaçãO tECnOLógiCa A criação de parques tecnológicos em todo o Estado é prioridade para o governo de São Paulo. Afinal, eles são importantes para promover a pesqui­ sa e inovação tecnológica, estimular a cooperação e a aproximação entre instituições de pesquisa, universidades e empresas e dar suporte ao desenvol­ vimento de atividades empresariais. Ao unir esses setores no mesmo lugar, os parques transformam conhecimento em riqueza, contribuindo para o desenvolvi­ mento econômico do Estado e do país. Atualmente, o governo busca reunir apoio do setor privado para a implan­ tação de 15 parques tecnológicos no Estado. Os de Campinas, São José dos Campos, São Carlos, Grande São Paulo, Ribeirão Preto, Piracicaba e Sorocaba estão em fase avançada de concepção. Nos próximos meses, a Secretaria de Desenvolvimento está negociando re­ cursos com as prefeituras e principais empreendedores para a concretização dos parques. no Vale A região de São José dos Campos é o principal polo aeronáutico do mundo localizado fora da Europa e América do que seja lançada a licitação das obras. bém, nessa extensão, faixas adicionais serão feitos reparos e conservação de Norte, graças à Embraer e aos institu­ Nas rodovias Enquanto espera a abertura do proces- de tráfego, com largura de 3,5 metros. rotina nos pontos mais danificados do tos de pesquisas instalados na cidade. que levam ao so licitatório para o início da duplica- Para facilitar a travessia de pedestres, pavimento. O governo ainda destinará Por esse motivo, o Parque Tecnológico Vale do Paraíba, ção, o governo continua agindo: obras duas passarelas, nos km 12 e 42, serão recursos para a ampliação de oito pon- o governo vem de São José dos Campos está voltado de melhoria estão prontas para serem construídas. tes, quatro viadutos e para a recupera- aplicando à área aeroespacial e aeronáutica. Há recursos para dar licitadas, com um investimento de 185 Ainda na Tamoios, o governo desti- ção de 20 estruturas (acessos, trevos, também forte presença de indústrias mais segurança milhões de reais. nou recursos para melhorar a fluidez e passagens) ao longo da rodovia. petroquímicas, do setor automobilístico, aos motoristas a segurança dos usuários que seguem Para coibir o tráfego crescente de defesa e farmacêutico. O parque já conta com um prédio Mão na massa para o litoral norte. A sinalização hori- de veículos de carga acima do peso Na Rodovia dos Tamoios, o governo do zontal, do km 11,5 (no entroncamento permitido e evitar danos à pista e di- onde funciona o núcleo administrativo. No plano urbanístico da região do parque Estado prevê o recapeamento de 52,9 com a Rodovia Carvalho Pinto) até o minuição de sua vida útil, o Departa- está planejada a integração de uma área quilômetros e a construção de duas km 83,5 (nas proximidades de Cara- mento de Estradas de Rodagem (DER) de cerca de 3,6 mil metros quadrados. novas pontes no km 18 (Rio Capivari) e guatatuba), será recuperada e a sinali- mantém na Tamoios duas balanças, km 28 (Rio Paraíba do Sul). Haverá tam- zação vertical reforçada. Até o km 64,5, nos km 23 e 63. Em novembro do ano 32 SPnotícias SPnotícias 33
  17. 17. vale do paraíba CULtUra nO inVErnO O Festival Internacional de Inverno de Campos do Jordão é considerado o maior evento de música clássica do país. Além de oferecer uma intensa progra­ passado, dos 11,5 mil veículos pesados do Paraíba e Alto Tietê e a área leste da as obras estejam completamente con- mação cultural com convidados que se As Fatecs do que passaram pelas balanças, 310 fo- região metropolitana da capital. No to- cluídas até abril de 2009. auditório apresentam em diferentes lugares da ci­ Vale do Paraíba ram autuados. tal, receberá 903 milhões de reais em Cláudio Santoro, dade, o festival é responsável por levar à oferecem cursos em Campos do nas áreas de investimentos, que incluem prolonga- Qualificação profissional Jordão: concertos cidade alunos bolsistas que passam um indústria, logís- Ayrton Senna mentos da Carvalho Pinto até Taubaté, Como todas as regiões do Estado de ao ar livre no mês estudando com importantes nomes tica e aeronáutica Em outubro, foram licitados cinco lo- no entroncamento com a SP-125, tota- São Paulo, o Vale do Paraíba faz parte Festival de Inverno da música nacional e internacional. tes da segunda etapa do Programa de lizando 6,8 quilômetros; construção do plano de expansão do Centro Pau- Em 2008, com um público de apro­ ximadamente 80 mil espectadores dire­ Concessões Rodoviárias do Estado de da terceira faixa na Rodovia Carvalho la Souza. Atualmente, a região conta tos, que lotaram a cidade atraídos por São Paulo. O critério de julgamento da Pinto, do km 45 ao 56; e a implantação com oito Escolas Técnicas Estaduais diversos eventos simultâneos, o festival licitação foi o da menor tarifa de pe- de faixa adicional na Rodovia Hélio (Etecs), nas cidades de Caçapava, Ca- teve como tema Música e Literatura, dágio, e o maior deságio aconteceu no Smidt, SP-019, que leva até o Aeroporto choeira Paulista, Cruzeiro, Guaratin- com obras musicais inspiradas em peças lote do Corredor Ayrton Senna/Carva- Internacional de Guarulhos. guetá, Jacareí, Pindamonhangaba, São literárias. lho Pinto: 60% em relação à atual tari- Na região, há ainda outros inves- José dos Campos e Taubaté. São ainda Atualmente, o festival promove cer­ fa quilométrica das rodovias e 54,9% se timentos importantes na Rodovia quatro Faculdades de Tecnologia (Fa- ca de 50 apresentações de importantes comparado ao valor máximo do edital. Oswaldo Cruz, a SP-125, que liga os tecs): Cruzeiro, Guaratinguetá, Pinda- orquestras, grupos de câmara e recitais Com isso, a viagem de ida e volta na ro- municípios de Taubaté a Ubatuba. monhangaba e São José dos Campos. nos principais teatros e espaços da cida­ dovia ficou 52% mais barata, passando Atualmente, 17 quilômetros da estra- “No Vale do Paraíba, temos cursos nas de. Entre eles, o Auditório Cláudio San­ de 27 para 13 reais. da estão passando por obras de recupe- áreas de indústria, aeronáutica e lo- toro, Palácio Boa Vista, Igreja de Santa Com 140 quilômetros de extensão, ração de pavimento, reforço estrutural gística, entre outras. Isso garante não Terezinha, Igreja São Benedito e a Praça o Corredor Ayrton Senna/Carvalho e também de drenagem, totalizando apenas mão-de-obra específica para Capivari, onde são realizados concertos ao ar livre para milhares de pessoas. Pinto compreende as regiões do Vale 32 milhões de reais. A previsão é que empregadores, como altos índices de 34 SPnotícias SPnotícias 35

×