Inclusão Digital
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Like this? Share it with your network

Share

Inclusão Digital

on

  • 2,355 views

 

Statistics

Views

Total Views
2,355
Views on SlideShare
2,355
Embed Views
0

Actions

Likes
1
Downloads
41
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Inclusão Digital Presentation Transcript

  • 1. Assessoria de Inclusão Digital Cristina Kiomi Mori Gab/SLTI/MP Ago/2010 1
  • 2. Atribuições da SLTI sobresponsabilidade da Assessoria: • Comitê Gestor do Programa de Inclusão Digital – CGPID (Presidência da República) • Comitê Técnico de Inclusão Digital (CEGE) • Gerência Executiva do Programa 1008 – Inclusão Digital – PPA 2008-2011 • Observatório Nacional de Inclusão Digital – ONID (base de dados) • Portal Inclusão Digital (aglutinador programas governo) • Oficina para Inclusão Digital – OID (encontro anual nacional) • Computadores para Inclusão - CI (CRCs) • Programa Nacional de Apoio à Inclusão Digital nas Comunidades – Telecentros.BR (Coordenação Executiva; Colegiado de Coordenação) • Rede Nacional de Formação para Inclusão Digital 2
  • 3. Inclusão Digital - Objetivo principal Garantir a disseminação e o uso das tecnologias da informação e comunicação orientados ao desenvolvimento social, econômico, político, cultural, ambiental e tecnológico, centrados nas pessoas, em especial comunidades e segmentos excluídos. 3
  • 4. Inclusão Digital - conceitos• Acesso à infra-estrutura• “Alfabetização digital”: capacidade de uso• Uso efetivo: cidadania = benefícios econômicos, sociais, culturais, científico- tecnológicos, ambientais 4
  • 5. Pessoas que nunca usarama Internet no Brasil (%) 100 90 80 70 60 50 Em 2008, 40 66,68 população rural 59 61 30 55 passou a ser incluída na 20 amostra 10 0 2006 2007 2008 2009 Fonte: Pesquisa TIC Domicílios 2006 a 2009 – CGI.Br 5
  • 6. Uso frequente: classe social/ renda 100 90 80 70 60 A B 50 C 40 DE 30 20 10 0 2006 2007 2008 2009 Fonte: Pesquisa TIC Domicílios 2006 a 2009 – CGI.Br 6
  • 7. Eixos da Política de Inclusão Digital ESCOLAS TELECENTROS PÚBLICAS COMUNITÁRIOS Conexão, Equipamentos, Recursos Humanos e Capacitação Processo de Avaliação ESTÍMULO AO Sistemática - Indicadores MERCADO 7
  • 8. Dados de localização e contato demais de 8.200 espaços públicos ecomunitários de uso das tecnologiasda informação e comunicação(telecentros).Mapa: localização das unidades eproporção entre o número detelecentros e a população de cadaUnidade da Federação (intensidadeda cor verde). 8
  • 9. Para navegar pelo mapa dos telecentros do Brasil, consulte: http://www.onid.org.br/mapas 9
  • 10. Portal Inclusão DigitalNotícias, serviços e informações sobreos programas de inclusão digital no Brasil:http://www.inclusaodigital.gov.br 10
  • 11. • Implanta e mantém Centros de Recondicionamento de Computadores• CRCs captam equipamentos de informática usados.• Jovens de baixa renda aprendem a consertar os computadores.• Equipamentos recuperados distribuídos a escolas públicas, bibliotecas e telecentros (prioridade Telecentros.BR).• Computadores configurados com softwares livres.• CACIC: robô – monitoramento remoto 11
  • 12. Funcionamento Doadores CRCs Beneficiários 12
  • 13. Resultados Projeto CI• 5 CRCs implantados (Porto Alegre, Guarulhos, Gama/DF, BH, Recife)• 2 CRCs em implantação (Lauro de Freitas/BA, Belém/PA).• Mais de 1,8 mil jovens formados.• 59 mil computadores usados recebidos.• 9,8 mil computadores recondicionados doados.• 779 escolas públicas, bibliotecas, telecentros e outras iniciativas beneficiadas.• Site: http://www.computadoresparainclusao.gov.br 13
  • 14. Desdobramentos CI• Política desfazimento/ lixo eletrônico • Decreto Nº 99.658/90 – alteração (Dec. Nº 6.087/07) • SLTI deve ser informada do desfazimento de bens de informática por órgãos da APF • Manifesta interesse pelo aproveitamento • Indica CRC que receberá doação • Encaminha documentação do CRC • GT Conama – Resíduos eletroeletrônicos • Resolução pós-regulamentação da Lei que institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos. • Compras sustentáveis 14
  • 15. OFICINA PARA INCLUSÃO DIGITAL• Evento anual de debate da política pública e troca de experiências entre os diversos atores envolvidos no tema.• 1 a 3 mil participantes.• Cidade diferente a cada ano.• Participação social.• Encontro e formação de agentes de inclusão digital. http://oficina.inclusaodigital.gov.br 15
  • 16. Oficina para Inclusão Digital • Locais de realização: – Brasília (2001/ 2003) – São Paulo (2004) – Rio de Janeiro (2005) – Porto Alegre (2006) – Salvador (2007) – Belém (2008) – Belo Horizonte (2009) Mais de 3 mil pessoas participaram da – Brasília (2010) 7ª edição em Belém/PA 16
  • 17. Oficina para Inclusão Digital• Público: • agentes locais (monitores de telecentros) • coordenadores de iniciativas • membros de conselhos gestores • gestores públicos • estudiosos• Formato: plenárias - debates - oficinas práticas.• Duração: 3 dias. 17
  • 18. Programa Telecentros.BR• Apoio coordenado ao fortalecimento de telecentros existentes e à implantação de novos. • Em parceria com órgãos e instituições públicas federais, estaduais, municipais, e privadas sem fins lucrativos.• Oferta centralizada de: – Equipamentos (novos e recondicionados, ambos com softwares livres). – Conectividade (instalação e custeio). – Bolsas e formação para jovens monitores.• Colegiado de coordenação: • Ministérios do Planejamento, das Comunicações e da Ciência e Tecnologia.• Site: http://www.inclusaodigital.gov.br/telecentros 18
  • 19. O que é um telecentro?• Espaços comunitários/ públicos e gratuitos• Computadores conectados à Internet• Múltiplos usos: • Navegação livre e assistida • Cursos • Atividades coletivas (cultura, lazer, geração de renda etc.)• Sob responsabilidade de entidades públicas ou privadas sem fins lucrativos.• Canal de interação e participação governo - cidadãos 19
  • 20. Programa Telecentros.BR• Contrapartidas exigidas: • Espaços físicos adequados e sua manutenção • Custeio de energia, segurança, limpeza do local • Funcionamento de acordo com as diretrizes • Supervisão e apoio da entidade proponente• Desafios: • Coordenar “entregas” (equipamento, conexão, bolsa, formação) • Gestão • Fiscalização • Monitoramento/qualidade 20
  • 21. Programa Telecentros.BR• Andamento • 1ª seleção pública realizada (fev-abr/2010): • 63 proponentes de 1.071 inscritos • 10 mil telecentros (3.915 existentes; 6 mil novos) • Formalização: • 58 assinaram Termo Cooperação Técnica (revisar/enviar) • 5 pendentes (aguardam término período pré-eleitoral) • Sistema de monitoramento• Atendimento • Organização de dados para MC/MCT/CI/Rede • Etapas 1 e 2: 2010/ Etapas 3 e 4: 2011 21
  • 22. Rede Nacional de Formação• Curso monitores bolsistas Telecentros.BR • Polo Nacional • Polos Regionais (e estaduais CE/SP) • Plataforma EAD • Comitês Nacional e Regionais de formação• Formato do curso: • 12 meses/ EaD (Moodle) + presencial • 3 módulos: introdutório (80h)/ aprofundamentos temáticos (320h)/ projeto comunitário (80h) 22
  • 23. Obrigada!• Sites: • http://www.inclusaodigital.gov.br • http://www.inclusaodigital.gov.br/telecentros • http://onid.org.br • http://www.computadoresparainclusao.gov.br• Contato: telecentros@planejamento.gov.br rede.telecentros@planejamento.gov.br (61) 2020-1941 23