ASES - Avaliador e Simulador de Acessibilidade de SítiosO Programa de Governo Eletrônico [url: governoeletronico.gov.br] d...
avaliar a acessibilidade tanto pelo e-MAG 2.0 quanto pelo padrão internacional WCAG 1.0. OASES é um programa de plataforma...
O Modelo de Acessibilidade em Governo Eletrônico (e-                                    MAG) consiste em um conjunto de re...
1.Imagens: Use o atributo alt para descrever as imagens que são relevantes ao conteúdo da       página e use o atributo al...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

ASES - Ferramenta de teste e acessibilidade

1,786

Published on

Artigo sobre o ASES - Avaliador e Simulador de Acessibilidade de sítios.

Tendo por objetivo fornecer instrumentos que viabilizem a adoção da acessibilidade pelos órgãos do governo, o ASES é uma ferramenta que permite avaliar, simular e corrigir a acessibilidade de páginas, sítios e portais, sendo de grande valia para os desenvolvedores e publicadores de conteúdo.

Published in: Technology
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
1,786
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
27
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Transcript of "ASES - Ferramenta de teste e acessibilidade "

  1. 1. ASES - Avaliador e Simulador de Acessibilidade de SítiosO Programa de Governo Eletrônico [url: governoeletronico.gov.br] disponibiliza, de formagratuita, para toda a sociedade, softwares e documentos que auxiliam e orientam profissionais naconstrução, adequação, avaliação e correção de páginas, sítios e portais da Internet, garantindoassim o controle da navegação e o pleno acesso dos usuários aos conteúdos e serviços dogoverno, independentemente das suas capacidades físico-motoras e perceptivas, culturais esociais.O ASES - Avaliador e Simulador de Acessibilidade de sítios - é uma ferramenta que permiteavaliar, simular e corrigir a acessibilidade de páginas, sítios e portais. Para os usuáriosbrasileiros o programa é distribuído de forma gratuita sob licença LGPL - GNU Lesser GeneralPublic License. A ferramenta foi desenvolvida pelo Departamento de Governo Eletrônico e a OSCIP Acessibilidade Brasil com o objetivo de fornecer instrumentos que viabilizem a adoção da acessibilidade pelos órgãos do governo. Apesar de seu público-alvo ser desenvolvedores de portais e sites públicos, o ASES pode ser utilizado por qualquer cidadão ou empresa que queira testar seu sitio. A ferramenta incorpora o programa Silvinha, desenvolvido pela Acessibilidade Brasil para a verificação de sites e portais, e outras 14 ferramentas de avaliação recomendadas pelo World Wide Web Consortium (W3C).Além de avaliar a acessibilidade de um sítio, o ASES também permite os procedimentosnecessários para a sua correção e avalia o CSS e HTML de páginas. É possível, na versão 1.0,
  2. 2. avaliar a acessibilidade tanto pelo e-MAG 2.0 quanto pelo padrão internacional WCAG 1.0. OASES é um programa de plataforma, sendo possível a análise de sítios inteiros, ou apenascamadas e seções específicas, algo que não pode ser realizado por validadores Web, que avaliamapenas a página fornecida pela url.Principais Funcionalidades:•Avaliador de acessibilidade (e-MAG e WCAG);•Avaliador de CSS;•Avaliador de HTML (4.01 e XHTML);•Simuladores de leitor de tela (tempo) e Baixa visão (daltonismo, miopia, catarata);•Ferramenta para selecionar o DocType, conteúdo alternativo, associador de rótulos, linksredundantes, corretor de eventos e preenchimento de formulários. O programa funciona tanto em Windows quanto Linux e para rodá-lo é necessário o Java Application Platform SDK (para Windows) e Java Runtime Environment – JRE (para Linux). Comunidade ASES no Portal de Software Público Para baixar o ASES pode-se cadastrar na comunidade ASES do Portal do Software Público Brasileiro. Também é possível baixar os arquivos fontes, o manual e participar da melhoria do programa.A Comunidade conta atualmente com cerca de 2140 participantes. Os questionamentos enviadospela comunidade estão sendo utilizados para versão 2.0 que está sendo desenvolvida pelaRENAPI.Cooperação RENAPI - SLTIEm 2010 a SLTI firmou um acordo de Cooperação Interministerial de Pesquisa, Inovação eDesenvolvimento com a RENAPI - Rede de Pesquisa e Inovação em Tecnologias Digitais - ,com diversos projetos para a área de acessibilidade. Entre os projetos está a atualização doASES, com o conserto de bugs, melhoria da usabilidade, novas funcionalidades e a atualizaçãopara os padrões e-MAG 3.0 e WCAG 2.0.Acessibilidade e ASESA acessibilidade na internet trata do oferecimento de conteúdos gráficos e sonoros alternativos,claros, compreensíveis e capazes de garantir o controle da navegação pelos usuários,independente das suas capacidades físico-motoras e perceptivas, culturais e sociais.Modelo de Acessibilidade em Governo EletrônicoEssa é mais uma iniciativa do Governo Federal para facilitar a adoção da acessibilidade pelosórgãos do governo. A SLTI já disponibilizou o - e-MAG - que contém uma série derecomendações técnicas para a construção e adaptação de portais acessíveis a usuários portadoresde deficiências auditivas e visuais.
  3. 3. O Modelo de Acessibilidade em Governo Eletrônico (e- MAG) consiste em um conjunto de recomendações a ser considerado para que o processo de acessibilidade dos sítios e portais do governo brasileiro seja conduzido de forma padronizada e de fácil implementação. O e-MAG é coerente com as necessidades brasileiras e em conformidade com os padrões internacionais. Foi formulado para orientar profissionais que tenham contato com publicação de informações ou serviços na Internet a desenvolver, alterar e/ou adequar páginas, sítios e portais, tornando-os acessíveis ao maior número de pessoas possível. A primeira versão do e-MAG foi disponibilizada para consulta pública em 18 de janeiro de 2005 e a versão 2.0 jácom as alterações propostas, em 14 de dezembro do mesmo ano.A versão 3.0 do e-MAG, atualizada para a WCAG 2.0 e com itens de padronização decomportamentos comuns para os sítios da APF, está prevista para o segundo semestre de 2011.Além do ASES, o e-MAG possui outras iniciativas: • Cursos e-MAG Como forma de divulgar o e-MAG, a SLTI desenvolveu Cursos a distância, que podem ser hospedados por órgãos do governo em seus ambientes de Ensino a Distância (EAD). • Documentação de Apoio São artigos que auxiliam e complementam as diretrizes da Cartilha Técnica. Incluem-se aí tutoriais, checklists para validando humana e uma avaliação de leitores de tela.LegislaçãoNo Brasil, a construção de sites acessíveis é uma exigência do Decreto 5.296/2004, que tornaobrigatória a acessibilidade nos portais e sites eletrônicos da administração pública na redemundial de computadores para o uso das portadoras de deficiência, garantindo-lhes o plenoacesso aos conteúdos disponíveis. Em 2007, a Portaria nº3, de 7 de maio, institucionalizou o e-MAG no âmbito do sistema de Administração dos Recursos de Informação e Informática – SISP,tornando sua observância obrigatória nos sítios e portais de entidades da Administração PúblicaFederal direta, autárquica e fundacional desde maio desse ano. Ainda em 2007 o Brasil aderiu a"Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência" da ONU, sendo esta e seu respectivoProtocolo Facultativo ratificados pelo Congresso Nacional em 09/07/2008 pelo decretolegislativo nº 186/2008. Em 2009 o decreto nº 6.949, de 25 de agosto de 2009, promulga aConvenção.10 dicas para construir sítios acessíveis
  4. 4. 1.Imagens: Use o atributo alt para descrever as imagens que são relevantes ao conteúdo da página e use o atributo alt vazio para imagens que não acrescentam informação. Imagens decorativas devem ser inseridas via folha de estilo (CSS); 2.Multimídia: Inclua transcrições e legendas para áudio e vídeo. 3.Links: o texto do link deve fazer sentido para o do contexto. Evite frases como “clique aqui”. 4.Organize seu conteúdo utilizando a hierarquia de cabeçalhos “h1, h2, h3...” 5.Coloque o conteúdo antes do menu. Se quiser um menu à esquerda ou no topo da página, use as Folhas de estilo para mudar o posicionamento; 6.Não faça a diagramação da página, definições de fontes no html, para isso utilize folhas de estilo; 7.Use javascript acessível, torne os elementos acessíveis tanto por mouse quanto por teclado. Forneça acesso alternativo ao conteúdo caso plugins e applets estejam inativos; 8.Use tabelas apenas para dados tabulares. Faça-as acessíveis; 9.Utilize a marcação correta na criação de formulários; 10.Valide seu trabalho: Use as ferramentas, checklist e os guias disponíveis no portal do Programa de Governo Eletrônico. Utilize o ASES para validação mecânica. Valide sempre que possível com pessoas com deficiência.Glossário:Licença LGPL - A GNU Lesser General Public License, de 1991, é uma licença de softwarelivre aprovada pela FSF e escrita como um meio-termo entre a GPL e licenças mais permissivas,tais como a licença BSD e a licença MIT. A LGPL permite a associação com programas que nãoestejam sob as licenças GPL ou LGPL, incluindo programas proprietários.Leitor de tela – Programa utilizado por pessoas com deficiência para acessar serviços deinternet. Apesar do nome, esses programas interpretam o código e leem as informações para aspessoas.WCAG - Web Content Accessibility Guidelines (WCAG) é parte de uma série de diretrizes paraacessibilidade, incluindo-se as Diretrizes de acessibilidade para as ferramentas de produção(ATAG) e as Diretrizes de acessibilidade para agentes de usuários (UAAG). As ligações entre asdiferentes diretrizes, são explicadas em [http://www.w3.org/WAI/intro/wcag]

×