CS304 - O Documentário Clássico

3,441
-1

Published on

CS304 - História do Cinema I
Prof. Dr. Francisco Elinaldo Teixeira

Seminário - O Documentário Clássico

Published in: Education
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
3,441
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
4
Actions
Shares
0
Downloads
102
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

CS304 - O Documentário Clássico

  1. 1. Cinema de ficção versus cinema de realidade<br />1<br />
  2. 2. A palavra “documentário”<br />Nas ciências humanas:<br />Segunda metade do séc. XIX<br />Conotação representacional<br />Caráter comprobatório<br />No cinema:<br />Razões pragmáticas<br />Final dos anos 1920, início dos anos 1930<br />Escola Documental Inglesa<br />2<br />
  3. 3. Surgimento<br />A partir de 1922<br />Divergências na consideração da narrativa<br />Domínio, não gênero<br />Contraponto à ficção<br />Finalidade<br />Referente<br />Saturação<br />Sistema de estúdio<br />Montagem<br />Caráter comercial e star system<br />3<br />
  4. 4. Ideal de verdade estabelecido<br />Ponto em comum entre documentário e ficção<br />Verdade não resulta de criação cinematográfica<br />Não é efeito-verdade criado pelo cinema através de processos imagético-narrativos<br />"A verdade era tida como algo externo, dado de antemão, e que se expunha como objeto de descoberta e revelação pelo cinema”<br />4<br />
  5. 5. Ideal de verdade estabelecido<br />Narrativas de grandes acontecimentos<br />Personagens exemplares<br />Heróis civilizadores<br />Visões totalizantes como verdades absolutas<br />5<br />
  6. 6. O Documentário Clássico<br />6<br />
  7. 7. O Documentário Clássico<br />Modelo, cânone ou referência<br />Recusa da ficção<br />Subdivido em dois pólos:<br />Documentário etnográfico<br />Investigação e reportagem<br />Primeiros grandes documentaristas<br />7<br />
  8. 8. Robert Flaherty (1884-1951)<br />Observação participante<br />Documentário etnográfico<br />Nanook ofthe North (1922)<br />Inaugural<br />Contraponto à artificialidade<br />ManofAran (1934)<br />Entre ficção e documentário<br />Idealização<br />8<br />
  9. 9. John Grierson (1898-1972)<br />Documentário etnográfico<br />Produtor e diretor<br />“Tratamento poético das realidades”<br />Responsável pela nomenclatura<br />Documentário social<br />Drifters (1929)<br />9<br />
  10. 10. DzigaVertov (1896-1954)<br />Investigação e reportagem<br />Cine-olho, cinema-verdade e montagem<br />Renovação das atualidades<br />Experimentalismo<br />Anti-ilusionismo construtivo<br />Kino-eye (1924)<br />Manwith a moviecamera (1930)<br />Sociedade soviética pós-revolução<br />“Tomar a vida de improviso”<br />10<br />
  11. 11. LeniRiefenstahl (1902-2003)<br />Propaganda política alemã<br />Próxima de Adolf Hitler e de Joseph Goebbels<br />Inovações estéticas<br />Avanços na montagem<br />TriumphdesWillens (1935)<br />Obsevacional?<br />Representação?<br />Olympia (1938)<br />Subjetividade imersa na realidade<br />11<br />
  12. 12. Frank Capra (1897-1991)<br />Whywefight series (1942-1945)<br />Prelude to War (1943)<br />Documentário e política:<br />Encomenda governamental<br />Lenin: propaganda ideológica<br />Experimentação e compromisso<br />Idealização: glória e patriotismo<br />Domínio público<br />http://www.archive.org/details/PreludeToWar<br />12<br />
  13. 13. Alberto Cavalcanti (1897-1982)<br />Vanguardas francesas <br />Documentário inglês<br />Antecipação das sinfonias urbanas<br />Cotidiano urbano<br />Importância do som ambiente<br />Rien que lesheures(1926)<br />Antropocinematografia<br />Imagens da realidade e realidade das imagens<br />13<br />
  14. 14. Jean Vigo (1905-1934)<br />“Ponto de vista documentado”<br /> À propos de Nice (1929)<br />Filme silencioso<br />Desigualdade social<br />Visão satírica<br />Naturalismo<br />Colaboração de Boris Kaufman<br />14<br />
  15. 15. O Documentário Moderno<br />15<br />
  16. 16. Sinfonias Urbanas<br />Subgênero do cinema documental<br />Proliferado entre 1925-30<br />Walter Ruttman (1887-1941)<br />Joris Ivens (1898-1989)<br />Participam também:<br />Cavalcanti<br />Vertov<br />Vigo<br />16<br />
  17. 17. O cinema se estrutura como linguagem<br />Contexto de extrema racionalidade<br />Pós-guerra<br />Necessidade de novo fundamento<br />Linguagem e fonocentrismo<br />Cinema sem especificidade<br />Diferenciação entre narrativo e experimental<br />17<br />
  18. 18. Novas características<br />Novo realismo ético-estético<br />Inflexão do cinema moderno<br />Novas prerrogativas do direto, do campo, do ao vivo:<br />Proliferação de denominações<br />Nova base técnica<br />Diferentes métodos de filmagem<br />Novo circuito das imagens objetivas e subjetivas<br />18<br />
  19. 19. Jean Rouch (1917-2004)<br />Chronique d'un été (1960)<br />Dirige juntamente a Edgar Morin<br />Documentário participativo<br />Cinema-verdade<br />Limites da representação<br />Uso de nova aparelhagem técnica<br />19<br />
  20. 20. Documentário Contemporâneo<br />20<br />
  21. 21. Década de 1960<br />Noções de interatividade<br />Auto-reflexividade<br />Participação política<br />Arte como projeto de transformação social<br />21<br />
  22. 22. Década de 1970<br />Revisa legado “ficcional” do documentário<br />Desarticula linguagem<br />Encaminhamento para novo construtivismo<br />“Cinema de não-ficção”<br />22<br />
  23. 23. Últimas décadas<br />Cultura cibernético-informacional<br />Ambiente videográfico e digital<br />“Perda da realidade”<br />Reality shows<br />Similaridade de desafios:<br />Roger and Me (Michael Moore, 1989)<br />33 (KikoGoifman, 2004)<br />Cabra marcado para morrer (Coutinho, 1984)<br />Ônibus 174 (José Padilha, 2002)<br />23<br />
  24. 24. Narrativas documentais na ficção<br />Dúvidas na classificação<br />Divergência de modelos clássicos<br />Concebidas através da montagem<br />Dois indicados ao último Oscar:<br />TheHurLocker (KathrynBigelow, 2009)<br />In the loop (Armando Iannucci, 2009)<br />Exploração dos limites<br />Jogo de cena (Coutinho, 2007)<br />24<br />
  25. 25. Referências<br />AUMONT, J.; MARIE, M. Dicionário teórico e crítico de cinema.  3 ed. Campinas: Papirus, 2007. <br />Dancyger, K. Técnicas de edição para cinema e vídeo: história, teoria e prática. Rio de Janeiro: Elsevier, 2003.<br />FLAHERTY, R. How I filmed Nanook of the North. Disponível<br />NICHOLS, B. Introdução ao documentário. 3. ed. Campinas, São Paulo: Papirus, 2008. <br />RAMOS, F. V. P. O que é documentário. Disponível em: http://www.bocc.ubi.pt/pag/pessoa-fernao-ramos-o-que-documentario.pdf.<br />RAMOS, F. V. P. Mas afinal... o que é mesmo documentário?. São Paulo: Senac, 2008. <br />TEIXEIRA, F. E. Documentário Moderno, in História do cinema mundial. Campinas: Ed. Papirus, 2006.<br />VERTOV, D. Kino-eye: thewritingsofDzigaVertov. Berkeley: Univ. ofCalifornia, c1984.<br />25<br />
  26. 26. Suporte Técnico<br />Felipe Martinelli Orsini<br />26<br />
  1. A particular slide catching your eye?

    Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

×