Your SlideShare is downloading. ×
SIG APOIADO POR IMAGENS WORLDVIEW-2 DESTINADO À ANÁLISE ESPACIAL DE CENÁRIOS URBANOS E COBERTURA VEGETAL DA ZONA OESTE DO RIO DE JANEIRO
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Introducing the official SlideShare app

Stunning, full-screen experience for iPhone and Android

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

SIG APOIADO POR IMAGENS WORLDVIEW-2 DESTINADO À ANÁLISE ESPACIAL DE CENÁRIOS URBANOS E COBERTURA VEGETAL DA ZONA OESTE DO RIO DE JANEIRO

190
views

Published on


0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
190
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
3
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. SIG APOIADO POR IMAGENS WORLDVIEW-2 DESTINADO À ANÁLISE ESPACIAL DE CENÁRIOS URBANOS E COBERTURA VEGETAL DA ZONA OESTE DO RIO DE JANEIRO Gilberto Pessanha Ribeiro1,2,3 , Artur Willcox dos Santos1,3, Marcus Felipe Mourão Pereira1 , Marcelo Nunes de Azevedo1, MarceloAPOIO: Francisco Moraes2 1 UERJ - Universidade do Estado do Rio de Janeiro; 2 GlobalGeo Geotecnologias; 3 UFF - Universidade Federal Fluminense DESENVOLVIMENTO E RESULTADOS LOCALIZAÇÃO GEOGRÁFICA A aplicação SIG foi desenvolvida com etapas marcadas por processamento de imagens: georreferenciamento, geração de composições coloridas com fusão de imagens, mosaicagem (Figura 5), segmentação, classificação supervisionada e, por fim, mapeamento temático. A partir da validação dos dados cartográficos, e do processo de modelagem dos dados de apoio, foram produzidos mapas e cartas com a apresentação e indicação de aspectos de cobertura da Terra (FUNDAÇÃO IBGE, 1999). Figura 1 – Localização geográfica (Divisões Administrativas). Cenários da CSA com base em imagens de alta resolução são conferidos na Figuras, após o empreendimento ser instalado na região. Exemplos de áreas de Unidade de Conservação e de urbano consolidado são mostrados. É também publicado nesse artigo, na forma de exemplo, o layout do aplicativo desenvolvido no ambiente do SIG. Área de Estudo INTRODUÇÃO Figura 5 – Mapa geral final de uso da Terra e Cobertura Com o crescimento da zona oeste do município do Rio de Janeiro foi investido no Vegetal desenvolvimento do protótipo de um Sistema de Informação Geográfica (SIG) para suporte aos investidores e empreendedores com olhos voltados para negócios nos bairros de Campo Grande, Santa Cruz e Guaratiba. Com a implantação de obras de engenharia como o Arco Rodoviário Metropolitano, e a Companhia Siderúrgica do Atlântico (CSA), estudos têm sido feitos no sentido de investigar e identificar inicialmente os condicionantes ambientais por meio de dados físicos dessa área. Com o propósito de potencializar análises espaciais complexas, optou-se por reunir dados cartográficos que pudessem compor cenários hoje diante dos avanços no crescimento urbano, permitindo desenvolver aplicações geográficas agregadas a dados socioeconômicos, compondo parte importante de ferramentas tecnológicas para estudos de mercado. Para tal, foram adquiridas, através de projeto de pesquisa formal apoiado pela FAPERJ, imagens do sistema orbital WorldView-2 que, em conjunto com bases cartográficas vetoriais institucionais, tanto provenientes da Fundação Figura 6 –. Carta-imagem com IBGE na escala 1/25.000, como do Instituto Pereira Passos da Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro área abrangida pelos bairros na escala 1/10.000, possibilitando a elaboração de uma base de dados cartográficos, no contexto do de Campo Grande, Santa Cruz sistema ArcGIS. e Guaratiba (mosaico A partir do processamento das imagens WorldView-2 (com data de aquisição pelo sistema WorldView-2). sensor fevereiro/2010), com o auxílio dos sistemas SPRING e PCI, foi possível obter um mosaico georreferenciado, onde foi feita uma classificação supervisionada gerando. classes de uso da Terra e cobertura. Como referências para o SIG esses mapas puderam ser combinados com dados estatísticos de interesse econômico na área da indústria, com foco no desenvolvimento territorial regional. A expansão urbana é um ponto importante para estudos avançados nessa área, diante dos empreendimentos lá em instalação. O mapeamento de sua evolução é imperativo para avaliações dos planos urbano regional e local (SILVA, 2009). Figuras 7 e 8 – Layout final do WEBSIG mostra cenário da CSA e imediações. Figura 9 – Mapa produzido na escala de 1:15.000 com as imagens WordlView-2. Área da Figuras 2 e 3 – Regiões administrativas na zona oeste do RJ – LANDSAT5 RGB 321 e 432 REBIO de Guaratiba, cenário de (ano 2005). 2010. Identificação da área Geográfica e METODOLOGIA Escala de COMENTÁRIOS E CONCLUSÕES Análise Estabelecido o desafio de projetar e O sistema desenvolvido possibilitará análises espaciais complexas visando suportar implementar um SIG que dê conta das análises estudos de pesquisas de mercado, posicionando investidores e empreendedores sobre Aquisição de Aquisição de dados sócio- dados espaciais complexas que se espera executar, optou- aspectos importantes no estabelecimento de locais para fixação de atividades comerciais e econômicos cartográficos se por estruturar um SIG institucional que econômicas. Há no setor terciário e de serviços demandas emergentes. Há na área industrial potencialize a execução de mapeamento digital, necessidades de projetar espaços urbanos em áreas até então degradadas em ambiente rural. Crítica e Crítica e com base em dados vetoriais disponíveis e imagens Com o crescimento populacional da zona oeste do Rio de Janeiro, é imperativo uso de Validação Validação sensoriais compatíveis com as escalas de análise. geotecnologias para planos urbanos. Novos pólos populacionais se instalarão, em função da Inovação tecnológica no processo de geração e no Modelagem uso dos produtos foi incorporada. CSA. Políticas habitacionais e de assentamento humano coexistindo com unidades de SIG (BDE) de Dados O SIG foi desenvolvido para controle e conservação. Projetos urbanísticos dispararão serviços de pesquisa e análises dos monitoramento de aspectos do ambiente físico, condicionantes ambientais para promover soluções inteligentes de uso da Terra e de Banco de Mapeamento assim como aspectos sociais e econômicos, aproveitamento dos recursos hídricos. Dados de Uso da Alfanumérico Terra e servindo de ferramenta tecnológica aos gestores s Cobertura públicos, e também aos empreendedores e (SGBD) Vegetal investidores locais. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS Integrado (Integração A validação do processo de produção dos dos Dados mapas temáticos no ambiente SIG contou com a FUNDAÇÃO IBGE As grandes classes de uso atual da Terra Manual técnico 7, 1999. análise criteriosa do georreferenciamento de MAGALHÃES, C. R., MEDEIROS, Y. M., SILVA. A. E. e RIBEIRO, G. P. Plano Urbano Do imagens e geração de mosaico onde houve suporte Complexo Industrial Do Porto Do Açu Com Suporte De Mapas Temáticos Digitais Gerados A de bases vetoriais consolidadas. Todo mapeamento Partir De Imagens Sensoriais, Resende, 2008. Consultas e Atualização digital foi estruturado com sistema de coordenadas RIBEIRO, G. P. Tecnologias digitais de geoprocessamento no suporte à análise espaço- UTM (fuso 24, com meridiano central de longitude temporal em ambiente costeiro Tese de doutorado, Programa de Pós-Graduação em de 45o W) e sistema geodésico South American Geografia, UFF, 2005. Análise Datum SAD-69. SILVA, L. S. L. Acompanhamento multitemporal do crescimento urbano de Macaé com Espacial suporte de imagens históricas e Sistema de Informação Geográfica, Dissertação de Mestrado, Geomática (UERJ), 2009. Figura 4 – Arcabouço Metodológico