• Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
341
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
2
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide
  • {}

Transcript

  • 1. A Informação e sua Representação • O computador, sendo um equipamento eletrônico, armazena e movimenta as informações internamente sob forma eletrônica; tudo o que faz é reconhecer dois estados físicos distintos, produzidos pela eletricidade, pela polaridade magnética ou pela luz refletida – em essência, eles sabem dizer se um “interruptor” está ligado ou desligado. desligado • Por ser uma máquina eletrônica, só consegue processar duas informações: a presença ou ausência de energia. • Para que a máquina pudesse representar eletricamente todos os símbolos utilizados na linguagem humana, seriam necessários mais de 100 diferentes valores de tensão (ou de corrente). by DSC/UFCG
  • 2. • Tipos de grandezas • Analógica ≡ contínua • Digital ≡ discreta (passo a passo) • Computadores analógicos – Trabalham com sinais elétricos de infinitos valores de tensão e corrente (modelo continuamente variável, ou analogia, do que analogia quer que estejam medindo). • Computadores digitais – Trabalham com dois níveis de sinais elétricos: alto e baixo. Representam dados por meio de um símbolo facilmente identificado (dígito). dígito by DSC/UFCG
  • 3. Como os computadores modernos representam as informações? by DSC/UFCG
  • 4. • Para o computador, tudo são números. • Computador Digital ⇒ Normalmente a informação a ser processada é de forma numérica ou texto ⇒ codificada internamente através de um código numérico. numérico • Código mais comum ⇒ BINÁRIO • Por que é utilizado o sistema binário ? by DSC/UFCG
  • 5. • Como os computadores representam as informações utilizando apenas dois estados possíveis - eles são totalmente adequados para números binários. O – desligado 1 – ligado • Número binário no computador: bit [de “Binary digIT”] IT – A unidade de informação. – Uma quantidade computacional que pode tomar um de dois valores, tais como verdadeiro e falso ou 1 e 0, respectivamente (lógica positiva). Um bit está ligado (set) quando vale 1, desligado ou limpo (reset ou clear) quando vale 0; comutar, ou inverter (toggle ou invert) é passar de 0 para 1 ou de 1 para 0. (lógica positiva) by DSC/UFCG
  • 6. • Um bit pode representar apenas 2 símbolos (0 e 1) • Necessidade - unidade maior, formada por um conjunto de bits, para representar números e outros símbolos, como os caracteres e os sinais de pontuação que usamos nas linguagens escritas. • Unidade maior (grupo de bits) - precisa ter bits bits suficientes para representar todos os símbolos que possam ser usados: – dígitos numéricos, – letras maiúsculas e minúsculas do alfabeto, – sinais de pontuação, – símbolos matemáticos e assim por diante. by DSC/UFCG
  • 7. Necessidade: Caracteres alfabéticos maiúsculos 26 Caracteres alfabéticos minúsculos 26 Algarismos Sinais de pontuação e outros símbolos 10 32 Caracteres de controle 24 Total 118 by DSC/UFCG
  • 8. • BYTE (BInary TErm) – Grupo ordenado de 8 bits, para efeito de manipulação interna mais eficiente – Tratado de forma individual, como unidade de armazenamento e transferência. – Unidade de memória usada para representar um caractere. Com 8 bits, podemos arranjar 256 configurações diferentes: dá para 256 caracteres, ou para números de 0 a 255, ou de –128 a 127, por exemplo. O termo bit apareceu em 1949, inventado por John Tukey, um pioneiro dos computadores. Segundo Tukey, era melhor que as alternativas bigit ou binit. O termo byte foi criado por Werner Buchholz em 1956 durante o desenho do computador IBM Stretch. Inicialmente era um grupo de 1 a 6 bits, mas logo se transformou num de 8 bits. A palavra é uma mutação de bite, para não confundir com bit. by DSC/UFCG
  • 9. Códigos de Computador A codificação de computadores nada mais é do que um conjunto de sinais binários (ligados ou desligados) aos quais é possível associar um determinado caractere. Esses códigos foram criados com o objetivo de padronizá-los. Em seguida, esses códigos são definidos e dispostos em uma única tabela de codificação. BCD – Binary Coded Decimal Esse código foi usado nos computadores de segunda geração, o qual está representado por 6 bits de informação. Nesse tipo de codificação, só é possível fazer 64 combinações para comunicar as letras maiúsculas, dígitos e caracteres especiais. by André Luiz Manzano
  • 10. EBCDIC – Extended Binary Coded Decimal Interchange Code Essa codificação foi a ampliação do código BCD. Essa ampliação permitiu o uso dos computadores da terceira geração, em que se utilizam 8 bits ou 1 byte. Usado em mainframe IBM e em sistemas de médio porte, raramente encontrado em microcomputadores. ASCII – American Standard Coded for Information Interchange A tabela ASCII foi desenvolvida em 1968. Código de 7 bits (128 combinações de caracteres). No PC existe o ASCII Estendido (utiliza outros 128 códigos para símbolos gráficos, e línguas diferentes do inglês).. by André Luiz Manzano
  • 11. UNICODE - Unicode fornece um número único para cada caracter, não importa a plataforma, não importa o programa, não importa a língua Fundamentalmente, os computadores lidam com números. Gravam letras e outros caracteres na memória designando um número para cada um deles. Antes de o Unicode ser inventado, havia centenas de sistemas diferentes de codificação . Nenhum destes sistemas de codificação, no entanto, poderia conter caracteres suficientes. O Padrão Unicode tem sido adotado por líderes do setor de informática tais como a Apple, HP, IBM, JustSystem, Microsoft, Oracle, SAP, Sun, Sybase, Unisys e muitos outros. O Unicode é necessário para padrões modernos tais como o XML, Java, ECMAScript (JavaScript), LDAP, CORBA 3.0, WML, etc. É suportado por muitos sistemas operacionais, todos os browsers modernos e muitos outros produtos. by unicode.org
  • 12. Sistemas de Numeração • Conjunto de símbolos utilizados para representação de quantidades e de regras que definem a forma de representação. • Cada sistema de numeração é apenas um método diferente de representar quantidades. As quantidades em si não mudam; mudam apenas os símbolos usados para representá-las. • A quantidade de algarismos disponíveis em um dado sistema de numeração é chamada de base. • Tipos de representação numérica: notação posicional e notação não posicional.
  • 13. Sistemas de Numeração • Notação Posicional: – Valor atribuído a um símbolo dependente da posição em que ele se encontra no conjunto de símbolos que representa uma quantidade. – O valor total do número é a soma dos valores relativos de cada algarismo (decimal). • Notação não Posicional: • Valor atribuído a um símbolo é inalterável, independente da posição em que se encontre no conjunto de símbolos que representam uma quantidade. XXI 735 573 10 700 30 XIX 5 500 70 3 10 1 10 1 10
  • 14. • Sistemas de numeração básicos: • • • • Binário Octal Decimal Hexadecimal • Base: grupo com um determinado número de objetos Sistema Base Algarismos Binário 2 0,1 Octal 8 0,1,2,3,4,5,6,7 Decimal 10 0,1,2,3,4,5,6,7,8,9 Hexadecimal 16 0,1,2,3,4,5,6,7,8,9,A,B,C,D,E,F
  • 15. • Padrões de representação: • • • • Sistema decimal (Base 10): mais utilizado – 574 Sistema binário (Base 2): 1012 Sistema octal (Base 8): 5638 Sistema Hexadecimal (Base 16): 5A316 • Ao trabalhar com sistemas de numeração, em qualquer base, deve-se observar o seguinte: – O número dos dígitos usado no sistema é igual à base. – O maior dígito é sempre menor que a base. – O dígito mais significativo está à esquerda, e o menos significativo à direita.
  • 16. Base 2 Base 8 Base 10 Base 16 0 0 0 0 1 1 1 1 10 2 2 2 11 3 3 3 100 4 4 4 101 5 5 5 110 6 6 6 111 7 7 7 1000 10 8 8 1001 11 9 9 1010 12 10 A 1011 13 11 B 1100 14 12 C 1101 15 13 D 1110 16 14 E 1111 17 15 F
  • 17. • Conversão de bases: • Entre as Bases 2 e 8 – 8 = 23 – Basta dividir o número binário da direita para a esquerda, em grupos de 3 bits – Se o último grupo, à esquerda, não for múltiplo de 3, preenche-se com zeros à esquerda. – Para cada grupo, acha-se o algarismo octal equivalente. – Ex: – (111010111)2 = ( )8 – (111) (010) (111)2 = (727)8 – 7 2 7 (1010011111)2 = ( )8 (001) (010) (011) (111)2 = (1237)8 1 2 3 7
  • 18. • Conversão de bases: • Entre as Bases 2 e 8 – A conversão de números da base 8 para a 2 é realizada de forma semelhante, no sentido inverso, substitui-se cada algarismo octal pelos seus 3 bits correspondentes. – Ex: – (327)8 = ( )2 – (011) (010) (111)2 = (011010111)2 ou (11010111)2 – 3 2 7
  • 19. • Conversão de bases: • Entre as Bases 2 e 16 – 16 = 24 – Basta dividir o número binário da direita para a esquerda, em grupos de 4 bits – Se o último grupo, à esquerda, não for múltiplo de 4, preenche-se com zeros à esquerda. – Para cada grupo, acha-se o algarismo hexadecimal equivalente. – Ex: – (1011011011)2 = ( )16 – (0010) (1101) (1011)2 = (2DB)16 – 2 D B
  • 20. • Conversão de bases: • Entre as Bases 8 e 16 – Como a base de referência para as substituições de valores é a base 2, esta deve ser empregada como intermediária no processo. Ou seja, convertendo da base 8 para a 16, deve-se primeiro efetuar a conversão para a base 2 e depois para a base 16. – O mesmo ocorre se a conversão for da base 16 para a base 8. – Ex: (3174)8 = ( )16 – Primeiro converte-se o nº da base 8 para a base 2: – (011) (001) (111) (100)2 = (011001111100)2 – Em seguida, converte-se da base 2 para a 16, separando-se os algarismos de 4 em 4, da direita para a esquerda: – (0110) (0111) (1100) = (67C)16 – 6 7 C
  • 21. • Exercícios: • 1) Efetue as seguintes conversões de base: a) 53318 = ( )2 h) 2BEF516 = ( )8 b) 1000110112 = ( )8 i) 1A45B16 = ( )8 c) 4138 = ( )2 j) 100111001011012 = ( )16 d) 110010110110112 = ( )8 k) F5016 = ( )2 e) 110111000112 = ( )16 l) 2548 = ( )16 f) 365116 = ( )2 m) 2E7A16 = ( )8 g) 374218 = ( )16 n) 3C716 = ( )8