Your SlideShare is downloading. ×
0
Riscos químicos
Riscos químicos
Riscos químicos
Riscos químicos
Riscos químicos
Riscos químicos
Riscos químicos
Riscos químicos
Riscos químicos
Riscos químicos
Riscos químicos
Riscos químicos
Riscos químicos
Riscos químicos
Riscos químicos
Riscos químicos
Riscos químicos
Riscos químicos
Riscos químicos
Riscos químicos
Riscos químicos
Riscos químicos
Riscos químicos
Riscos químicos
Riscos químicos
Riscos químicos
Riscos químicos
Riscos químicos
Riscos químicos
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Riscos químicos

6,236

Published on

TIPOS DE RISCOS QUE AFETAM A SAÚDE DO TRABALHADOR.

TIPOS DE RISCOS QUE AFETAM A SAÚDE DO TRABALHADOR.

Published in: Education
1 Comment
23 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total Views
6,236
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
1
Likes
23
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. OS EFEITOS DOS RISCOS QUÍMICOS À SAÚDE DO TRABALHADOR Glediana Ximenes SaúdedoTrabalhador ProfªFernandaMagda
  • 2. Informações Gerais Efeitos tóxicos Agentes comuns Prevenção
  • 3. Definição Os agentes químicos são produtos ou substâncias que possam penetrar no organismo pela via respiratória, nas formas de poeiras, fumos, névoas, neblinas, gases ou vapores, ou que, possam ter contato ou ser absorvidos pelo organismo através da pele ou por ingestão
  • 4. Medidas de Controle Sempre que forem identificados riscos potenciais à saúde, deverão ser adotadas as medidas necessárias e suficientes para a eliminação, a minimização ou o controle dos riscos químicos existentes nos ambientes de trabalho.
  • 5. Medidas de Controle Medidas de proteção devem ser adotadas sempre que a concentração dos agentes químicos no ar atinja a metade do valor recomendado como LT (Limite de Tolerância), valor esse denominado “nível de ação”, de acordo com a NR-15 da Portaria 3214/78.
  • 6. Medidas de Controle As ações devem incluir a adoção de medidas de proteção coletiva e individual, além da realização periódica de avaliações ambientais (medições) para o monitoramento da exposição, o controle médico sistemático e a informação aos trabalhadores.
  • 7. Informações Gerais Efeitos tóxicos Agentes comuns Prevenção
  • 8. Efeitos sobre o organismo humano Após penetrar no organismo, os agentes químicos podem provocar uma variedade de efeitos tóxicos, incluindo efeitos imediatos (agudos) ou os efeitos a longo prazo (crônicos), dependendo da natureza do produto químico e da via de exposição.
  • 9. Efeitos sobre o organismo humano As partes do corpo mais afetadas são: Pulmões Cérebro Medula e nervos Pele Fígado Rins
  • 10. Classificação dos efeitos Irritantes e/ou corrosivos: provocam alterações na pele ou mucosas (cimento, ácidos, bases); Sensibilizantes: produzem alergias (níquel, cromo, fibras sintéticas); Asfixiantes: impedem o organismo de obter ou utilizar o oxigênio do ar atmosférico (monóxido de carbono (CO), cianetos); Narcóticos: produzem inconsciência (clorofórmio, éteres, álcoois, acetonas);
  • 11. Classificação dos efeitos Neurotóxicos: produzem alterações no sistema nervoso (anilina, chumbo, mercúrio, benzeno, solventes em geral); Carcinogênicos: produzem tumores malignos (amianto, benzeno, cádmio, cromo); Mutagênicos: produzem problemas hereditários (éteres de glicol, chumbo, benzeno); Teratogênicos: produzem malformações no feto (substâncias radioativas).
  • 12. Informações Gerais Efeitos tóxicos Agentes comuns Prevenção
  • 13. Agentes mais comuns Benzeno:  O benzeno é um hidrocarboneto cíclico aromático, líquido, incolor, volátil, com odor agradável de ameixa e altamente inflamável.  A intoxicação humana pelo benzeno pode ocorrer por três vias de absorção: respiratória (aspiração por aspiração) cutânea e digestiva.  A exposição prolongada ao benzeno provoca diversos efeitos no organismo humano, destacando-se entre eles a mielotoxidade (leucopenia, anemia), a genotoxidade (alterações hereditárias) e a sua ação carcinogênica (leucemias, linfomas).
  • 14. Agentes mais comuns Solventes:  Os solventes são substâncias ou compostos químicos capazes de dissolver outro material de utilização industrial.  Geralmente, evaporam facilmente, são muitos inflamáveis e produzem importantes efeitos tóxicos.  Os efeitos dos solventes atingem principalmente o sistema nervoso, o sistema formador de sangue (hematopoiético), o fígado e os rins.
  • 15. Agentes mais comuns Agrotóxicos:  Agrotóxicos são substâncias químicas naturais ou sintéticas destinadas a combater as pragas que atacam as lavouras.  Além do uso agrícola, inúmeros produtos são também utilizados em campanhas de saúde pública (como malária, doença de Chagas, esquistossomose) ou nas residências (produtos domissanitários).
  • 16. Agentes mais comuns Poluentes Orgânicos Persistentes - POP’s:  São substâncias altamente tóxicas, formadas por compostos químicos orgânicos semelhantes aos dos seres vivos.  Os POPs estão em todo lugar, não são eliminados pelos organismos com o tempo e são repassados de geração a geração, acumulando- se no meio ambiente e nos corpos das pessoas, animais e plantas. Por esta razão, são chamados bioacumulativos.  Os POPs produzem uma ampla gama de efeitos tóxicos em animais e seres humanos, inclusive nos sistemas reprodutivos, nervoso e imunológico, além de causarem câncer.
  • 17. Informações Gerais Efeitos tóxicos Agentes comuns Prevenção
  • 18. Medidas de Controle Ambiental Todas as empresas devem elaborar e implementar um Programa de Prevenção de Riscos Ambientais – PPRA visando à preservação da saúde e da integridade dos trabalhadores, através do reconhecimento, avaliação e controle dos riscos ambientais.
  • 19. Medidas de Controle Ambiental O reconhecimento dos riscos deverá incluir:  Identificação;  Determinação e localização das possíveis fontes geradoras;  Identificação das funções e determinação do número de trabalhadores expostos;  Caracterização das atividades e do tipo de exposição;
  • 20. Medidas de Controle Ambiental A avaliação quantitativa (medições), utilizando equipamentos de avaliação ambiental, deverá ser realizada sempre que necessária para dimensionar a exposição dos trabalhadores ou para comprovar o controle da exposição.
  • 21. Nível de Ação É o valor acima do qual devem ser iniciadas ações preventivas de forma a minimizar a probabilidade de que as exposições a agentes ambientais ultrapassem os limites de exposição. Além das medidas de proteção coletiva e individual, as ações devem incluir também avaliações ambientais (medições) para o monitoramento periódico da exposição, a informação aos trabalhadores e o controle médico.
  • 22. Nível de Ação Para os agentes químicos, o nível de ação equivale à metade dos limites previstos na NR-15 da Portaria 3214/78 ou, na ausência destes, os valores de limites de exposição ocupacional adotados pela ACGIH - American Conference of Governmental Industrial Hygenists.
  • 23. Medidas de proteção coletiva A eliminação dos agentes nocivos ou substituição da sua forma de apresentação; A automatização de operações geradoras de contaminação do homem; Isolamento das áreas de riscos; ventilação localizada ou geral; Exaustão localizada ou geral;
  • 24. Medidas de proteção coletiva Medidas de higiene pessoal e coletiva (lava-olhos, lavatórios, chuveiros, vestiários, sanitários); Medidas de caráter administrativo ou de organização do trabalho (alterações do processo produtivo, introdução de pausas ou rodízios, redução da jornada de trabalho, mudanças do layout, entre outros);
  • 25. Medidas de proteção individual Quando comprovado pelo empregador a inviabilidade técnica da adoção de medidas de proteção coletiva ou quando estas não forem suficientes, deverão ser utilizados os EPI’s - Equipamentos de Proteção Individual, tais como protetores respiratórios, luvas, mangas, aventais, roupas especiais, botas, pomadas protetoras, entre outros.
  • 26. EPI’s Capacete Protetor facial Óculos Vestimenta Protetor Auricular Máscaras Luvas Calçados
  • 27. Controle Médico Para todos os trabalhadores expostos a agentes químicos, nos exames médicos ocupacionais (admissional – periódico – demissional) devem ser realizados os exames clínicos e toxicológicos, nos moldes previstos (Parâmetros para Controle Biológico) da Norma Regulamentadora nº 7 da Portaria 3214/78.
  • 28. Controle Médico O exame clínico dever ser realizado pelo menos anualmente enquanto os exames toxicológicos devem ter uma periodicidade no mínimo semestral.
  • 29. OS EFEITOS DOS RISCOS QUÍMICOS À SAÚDE DO TRABALHADOR Glediana Ximenes Camila Chaves SaúdedoTrabalhador ProfªFernandaMagda

×