Pneumonia

2,595 views

Published on

Published in: Health & Medicine, Sports
0 Comments
4 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
2,595
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
54
Comments
0
Likes
4
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Pneumonia

  1. 1. PNEUMONIAS AGUDAS
  2. 2. PNEUMONIAS AGUDAS Dados estatísticos importantes : OMS: 14 milhões/ano - mortes em menores de 5 anos, países subdesenvolvidos; 4 milhões de responsabilidade das pneumonias; 30-35 % das mortes infantis são por IRA . Brasil: 3ª causa de mortalidade infantil (2ª em alguns Estados); 1ª ou 2ª causa de morte no primeiro ano de vida; 50% dos atendimentos ambulatoriais são por IRA; 10-30% das hospitalizações.
  3. 3. PNEUMONIAS AGUDAS CONCEITO As pneumonias são processos inflamatórios do parênquima pulmonar, com comprometimento dos brônquios, bronquíolos e alvéolos; por vezes, do interstício e/ou da pleura .
  4. 4. PNEUMONIAS AGUDAS AGENTES ETIOLÓGICOS
  5. 5. PNEUMONIAS AGUDAS FATORES PREDISPONENTES <ul><li>desnutrição, desidratação </li></ul><ul><li>sarampo,outras viroses/coqueluche </li></ul><ul><li>mucoviscidose/asma brônquica </li></ul><ul><li>mal formações torácicas/pulmonares </li></ul><ul><li>cardiopatias congênitas </li></ul><ul><li>encefalopatias crônicas </li></ul><ul><li>neoplasias/imunodepressão/ HIV </li></ul><ul><li>estados convulsivos/coma </li></ul><ul><li>imobilidade/anestesia/trauma </li></ul>
  6. 6. PNEUMONIAS AGUDAS FATORES DE RISCO PARA PNEUMONIA <ul><li>Relacionados à criança : </li></ul><ul><li>os menores de 2 meses </li></ul><ul><li>baixo peso ao nascer </li></ul><ul><li>desmame precoce </li></ul><ul><li>viroses sistêmicas graves pregressas </li></ul><ul><li>Fatores ambientais : </li></ul><ul><li>tabagismo no lar </li></ul><ul><li>poluição urbana </li></ul><ul><li>Fatores socioeconômicos : </li></ul><ul><li>condições sanitárias/habitação desfavoráveis </li></ul><ul><li>dificuldades de acesso aos serviços de saúde </li></ul><ul><li>cobertura vacinal insuficiente </li></ul>
  7. 7. PNEUMONIAS AGUDAS PATOGENIA <ul><li>vias aéreas superiores </li></ul><ul><ul><li>inalação </li></ul></ul><ul><ul><li>aspiração (secreção,vômitos,regurgitações) </li></ul></ul><ul><li>via hematogênica </li></ul><ul><li>via linfática </li></ul><ul><li>via transdiafragmática </li></ul>
  8. 8. PNEUMONIAS AGUDAS Clínica e Semiologia Lactentes, RN, prematuros , imunodeprimidos ou doença de base Forma clínica: BCP Início com IVAS , tosse (seca/produtiva), febre, taquipnéia , dispnéia, gemência, sinais de IVAS prévios, vômitos, diarréia, recusa alimentar. BAN, tiragem intercostal, subcostal, MV rude ou diminuído, presença de roncos, raros subcrepitantes/crepitantes.
  9. 9. DICA: Em lactentes pequenos, o diagnóstico é mais difícil – febre, tosse e dispnéia, poucas alterações à ausculta pulmonar. Em caso de dúvida, RX é obrigatório! PNEUMONIAS AGUDAS
  10. 10. Crianças maiores Forma clínica: Pneumonia febre, calafrios, cefaléia, dor torácica (ventilatório dependente), posição antálgica, dor abdominal, tosse (seca/produtiva), náuseas, meningismo. MV diminuído/ausente – sinais clássicos a partir do 3 ° dia: submacicez/macicez, FTV aumentado, broncofonia, sopro tubário, pectoriloquia, estertores crepitantes. Na resolução: estertores subcrepitantes. PNEUMONIAS AGUDAS Clínica e Semiologia
  11. 11. PNEUMONIAS AGUDAS Clínica e Semiologia ATENÇÃO: Lactentes também podem fazer quadros de pneumonia lobar, com quadro clínico e semiológico semelhante ao da BCP, com diagnóstico definitivo mediante estudo radiológico do tórax, nem sempre necessário!
  12. 12. PNEUMONIAS AGUDAS <ul><li>DICAS: </li></ul><ul><li>a idade é a variável isolada que melhor se correlaciona com o diagnóstico etiológico; </li></ul><ul><li>a taquipnéia é o melhor indicador clínico de pneumonia; </li></ul><ul><li>o sopro tubário é a correlação clínica do broncograma aéreo, visível ao RX. </li></ul>
  13. 13. PNEUMONIAS AGUDAS Sinais de gravidade em lactentes <ul><li>tiragem subcostal </li></ul><ul><li>batimento de asa de nariz </li></ul><ul><li>gemido expiratório </li></ul><ul><li>cianose central </li></ul><ul><li>impossibilidade de beber ou mamar </li></ul><ul><li>vômitos </li></ul><ul><li>convulsões </li></ul><ul><li>insuficiência ventilatória </li></ul>
  14. 14. PNEUMONIAS AGUDAS Valores de FR sugestivos de pneumonia de acordo com idade IDADE FR (mrpm) < 2 meses > 60 2 meses a 1 a. > 50 1 ano a 5 anos incompletos > 40
  15. 15. PNEUMONIAS AGUDAS GRUPOS ESPECIAIS <ul><ul><ul><li>PNEUMONIA AFEBRIL DO LACTENTE </li></ul></ul></ul><ul><li>2 - 12 sem </li></ul><ul><li>história materna de vulvovaginite </li></ul><ul><li>condições precárias de parto </li></ul><ul><li>conjuntivite neonatal </li></ul><ul><li>tosse persistente, coqueluchóide </li></ul><ul><li>taquipnéia afebril </li></ul><ul><li>processo intersticial </li></ul><ul><li>eosinofilia sangue periférico </li></ul><ul><li>diagnóstico por imunoglobulinas específicas </li></ul>
  16. 16. PNEUMONIAS AGUDAS GRUPOS ESPECIAIS <ul><li>IDADE ESCOLAR </li></ul><ul><li>início com IVAS </li></ul><ul><li>tosse seca ou cheia persistente </li></ul><ul><li>febre baixa, irregular, prolongada </li></ul><ul><li>padrão intersticial em lobos inferiores ou pequeno derrame pleural </li></ul><ul><li>bom estado geral </li></ul>
  17. 17. PNEUMONIAS AGUDAS Por S. aureus quando suspeitar? <ul><li>crianças menores de 2 anos; </li></ul><ul><li>toxemiada, mal estado geral; </li></ul><ul><li>comprometimento bilateral ou unilateral extenso; </li></ul><ul><li>derrame pleural/empiema; </li></ul><ul><li>pneumatoceles, pneumotórax ou piopneumotórax; </li></ul><ul><li>infecção estafilocócica em outros locais (pele, osso, cordão umbilical; </li></ul><ul><li>pneumonia pós-traumatismo; </li></ul><ul><li>pneumonia intra-hospitalar. </li></ul>
  18. 18. <ul><li>TBC pulmonar </li></ul><ul><li>GEA/ Acidose </li></ul><ul><li>Apendicite aguda </li></ul><ul><li>Abscesso hepático/subfrênico </li></ul><ul><li>Meningite bacteriana/viral </li></ul><ul><li>Hérnia diafragmática de Bochdalek </li></ul><ul><li>Corpo estranho </li></ul><ul><li>Cisto pulmonar congênito </li></ul><ul><li>Herpes Zoster intercostal </li></ul><ul><li>Bronquiolite/Asma brônquica </li></ul>PNEUMONIAS AGUDAS DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL
  19. 19. PNEUMONIAS AGUDAS RADIOLOGIA <ul><li>Forma clínica de BCP : focos de consolidação heterogêneas </li></ul><ul><li>Forma clínica de Pneumonia : focos de consolidação homogêneas </li></ul><ul><li>Diagnóstico diferencial : </li></ul><ul><li>intersticial / miliar: vírus, tbc, micoplasma, fungos </li></ul><ul><li>derrame pleural: estafilococo, hemófilus, pneumococo, gram-negativos </li></ul><ul><li>cavitação: anaeróbios, gram-negativos, </li></ul><ul><li>estafilococos. </li></ul>
  20. 20. PNEUMONIAS AGUDAS LABORATÓRIO <ul><li>hemograma/hemocultura </li></ul><ul><li>material de derrame pleural </li></ul><ul><li>culturas oro e nasofaringe/aspirado traqueal </li></ul><ul><li>cultura punção aspirativa do pulmão </li></ul><ul><li>contraimunoeletroforese </li></ul><ul><li>aglutinação com látex </li></ul><ul><li>biópsia pleural </li></ul><ul><li>proteina C reativa </li></ul>
  21. 21. PNEUMONIAS AGUDAS INDICAÇÕES DE INTERNAÇÃO <ul><li>falha terapêutica ambulatorial </li></ul><ul><li>RN </li></ul><ul><li>< 2 meses / tiragem subcostal </li></ul><ul><li>sinais clínicos de insuf.respiratória aguda (pO2 < 92%) </li></ul><ul><li>pneumonia extensa e/ou complicações </li></ul><ul><li>septicemia / convulsões / sonolência </li></ul><ul><li>imunodeprimidos / doenças de base </li></ul><ul><li>nível sócio-econômico </li></ul>
  22. 22. PNEUMONIAS AGUDAS TRATAMENTO
  23. 23. PNEUMONIAS AGUDAS TRATAMENTO agente 1ª escolha 2ª escolha tempo S. Pneumoniae Pen-procaína ou cristalina Eritromicina 7 a 10 dias H. influenzae Amoxicilina ou ampicilina Cloranfenicol ou cefalosporinas 2 ª e 3 ª geração 7 a 10 dias S. aureus Oxacilina Cefalosporina de 1 ª geração ou amicacina 21 dias S. aureus resistente Vancomicina Teicoplanina 21 dias Gram-negativos Amicacina/tobramicina e carbenicilina Cefalosporina 3 ª geração 14 dias

×