Revolução industrial
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Revolução industrial

on

  • 1,201 views

 

Statistics

Views

Total Views
1,201
Slideshare-icon Views on SlideShare
984
Embed Views
217

Actions

Likes
0
Downloads
14
Comments
0

1 Embed 217

http://labhx.wordpress.com 217

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Revolução industrial Revolução industrial Presentation Transcript

    • HISTÓRIA: DASCAVERNAS AOTERCEIRO MILÊNIOCapítulo 24 – Das Revoluções Inglesas à Revolução Industrial24.1 – As Revoluções Inglesas do século XVIICapítulo24Das Revoluções Inglesasà Revolução IndustrialHISTÓRIA: DASCAVERNAS AOTERCEIRO MILÊNIOCapítulo 24 – Das Revoluções Inglesas à Revolução IndustrialAulas24.1 – As Revoluções Inglesasdo século XVII24.3 – A Revolução Industrial
    • HISTÓRIA: DASCAVERNAS AOTERCEIRO MILÊNIOCapítulo 24 – Das Revoluções Inglesas à Revolução Industrial24.1 – As Revoluções Inglesas do século XVIIO despertar revolucionário na InglaterraDurante oreinado deElizabeth I(1558-1603), osgastos daguerra contra aEspanha (1588)desequilibraramas finanças doreino inglês.A Coroa foiobrigada asolicitarempréstimosA dinastiaStuartassume opoder(1603)Jaime Itenta impormedidasparafortalecerseu poder(1603-1625)Carlos I éobrigado aassinar aPetição deDireitos(1628),procurandotambém impormedidasabsolutistasInício daguerracivil (1642)O rei, apoiado pelos lordes epor parte da pequena nobrezaO Parlamento, representandotodo o povoXO despertar revolucionário24.1 – As Revoluções Inglesas do século XVII
    • HISTÓRIA: DASCAVERNAS AOTERCEIRO MILÊNIOCapítulo 24 – Das Revoluções Inglesas à Revolução Industrial24.1 – As Revoluções Inglesas do século XVIIA Revolução PuritanaO Parlamento inglêsCâmara dos Lordes Câmara dos ComunsMembros doalto cleroanglicanoe da altanobrezaAnglicanismo Pequenosproprietáriosrurais,burguesese a gentryPresbiterianismoe puritanismo
    • HISTÓRIA: DASCAVERNAS AOTERCEIRO MILÊNIOCapítulo 24 – Das Revoluções Inglesas à Revolução Industrial24.1 – As Revoluções Inglesas do século XVII Durante a Guerra Civil (1642-1649), o Parlamento formou oExército de Novo Tipo: grupamento de soldados e oficiaisvoluntários promovidos pelo mérito pessoal. 1646 liderado por Oliver Cromwell, o Exército de Novo Tipo→venceu as forças do rei → Revolução Puritana. Os presbiterianos pretendiam uma negociação com Carlos I,mas forças populares (os niveladores) queriam reformas maisprofundas. 1649 o rei Carlos I é decapitado e Cromwell funda→a República Puritana ou Commonwealth.A Revolução Puritana
    • HISTÓRIA: DASCAVERNAS AOTERCEIRO MILÊNIOCapítulo 24 – Das Revoluções Inglesas à Revolução Industrial24.1 – As Revoluções Inglesas do século XVII Cromwell se tornou o chefe do Conselho de Estado, reprimiunovas rebeliões e instituiu o Ato de Navegação. O governo de Cromwell foi se tornando tirano à medida que acrise econômica se agravava. Cromwell morreu em 1658 e a República caiu em 1660 →iniciava-se a Restauração Monárquica.A República de Cromwell
    • HISTÓRIA: DASCAVERNAS AOTERCEIRO MILÊNIOCapítulo 24 – Das Revoluções Inglesas à Revolução Industrial24.1 – As Revoluções Inglesas do século XVII Carlos II (1660-1685) reinou com apoio da aristocracia e daburguesia fez um governo voltado para o desenvolvimento→do comércio e da indústria estimulou as ciências e a→educação entretanto, os conflitos continuavam.→ Em 1685, assume o trono Jaime II procurou beneficiar os→católicos e se tornou impopular. Jaime II foi derrubado por um golpe de Estado conhecido comoRevolução Gloriosa (1688). Sem grandes conflitos foi estabelecida uma monarquiaparlamentar o novo rei, Guilherme de Orange,→submeteu-se ao Parlamento.O governo de Carlos IIe a Revolução Gloriosa
    • HISTÓRIA: DASCAVERNAS AOTERCEIRO MILÊNIOCapítulo 24 – Das Revoluções Inglesas à Revolução Industrial24.1 – As Revoluções Inglesas do século XVII Entre os séculos XVI e XVII, o Parlamento inglêsaprovou as Enclosure Acts, as Leis de Cercamentos,que promoveram a expulsão de milhares de camponesesdas terras comunais os camponeses tornaram-se→trabalhadores urbanos ou emigraram para a América.Os cercamentos
    • HISTÓRIA: DASCAVERNAS AOTERCEIRO MILÊNIOCapítulo 24 – Das Revoluções Inglesas à Revolução Industrial24.1 – As Revoluções Inglesas do século XVIIOs cercamentosREPRODUÇÃO-MUSEUROYALARMOURIES,LEEDSVista de Littlecote, pintura inglesa do início do século XVIII. Autoria desconhecida.
    • HISTÓRIA: DASCAVERNAS AOTERCEIRO MILÊNIOCapítulo 24 – Das Revoluções Inglesas à Revolução Industrial24.3 – A Revolução Industrial A combinação de fatores políticos, sociais e econômicosgarantiu à Inglaterra as condições fundamentais para aRevolução Industrial:• Políticos consolidação do Estado burguês em fins→do século XVII.• Sociais disponibilidade de mão de obra, gerada pelo→processo de cercamento das áreas agrícolas.• Econômicos existência de capitais disponíveis.→As razões do pioneirismo inglês24.3 – A Revolução Industrial
    • HISTÓRIA: DASCAVERNAS AOTERCEIRO MILÊNIOCapítulo 24 – Das Revoluções Inglesas à Revolução Industrial24.3 – A Revolução Industrial Diversas inovações técnicas ao longo do século XVIIIprepararam a Revolução Industrial:• Lançadeira volante (1735).• Máquina de fiar spinning jenny (1764).• Tear hidráulico (1769). Em 1769, James Watt aperfeiçoou a máquina a vapor criadapor Thomas Newcomen marco fundamental da→ RevoluçãoIndustrial.As razões do pioneirismo inglês
    • HISTÓRIA: DASCAVERNAS AOTERCEIRO MILÊNIOCapítulo 24 – Das Revoluções Inglesas à Revolução Industrial24.3 – A Revolução IndustrialAs máquinas da Revolução IndustrialREPRODUÇÃO-COLEÇÃOPARTICULARMulher usando uma spinning jenny, gravura feita por volta de 1880.Autoria desconhecida.
    • HISTÓRIA: DASCAVERNAS AOTERCEIRO MILÊNIOCapítulo 24 – Das Revoluções Inglesas à Revolução Industrial24.3 – A Revolução IndustrialAs máquinas da Revolução IndustrialREPRODUÇÃO-COLEÇÃOPARTICULARMáquina a vapor de James Watt, c. 1765. Autoria desconhecida. Gravuraextraída da obra Physikbuch, de W. Weiler, publicada em 1902.
    • HISTÓRIA: DASCAVERNAS AOTERCEIRO MILÊNIOCapítulo 24 – Das Revoluções Inglesas à Revolução Industrial24.3 – A Revolução Industrial A indústria nasceu basicamente no setor têxtilprodução de tecidos de lã e algodão.→• A lã estava vinculada à produção interna nos campos ingleses.• O algodão era produzido nas colônias inglesas. A industrialização atingiu também a produção de utilidadesdomésticas alfinetes, vasilhas, facas, tesouras, produtos→alimentícios. No curso da Revolução Industrial desenvolveu-se a indústriade base, representada pela metalurgia e pela siderurgia. Os transportes foram modificados pela Revolução Industrialcom o surgimento da ferrovia, em 1814.O avanço da indústria
    • HISTÓRIA: DASCAVERNAS AOTERCEIRO MILÊNIOCapítulo 24 – Das Revoluções Inglesas à Revolução Industrial24.3 – A Revolução IndustrialO avanço da indústriaREPRODUÇÃO-COLEÇÃOPARTICULARLocomotiva Rocket de Stephenson, gravura colorida de 1829.
    • HISTÓRIA: DASCAVERNAS AOTERCEIRO MILÊNIOCapítulo 24 – Das Revoluções Inglesas à Revolução Industrial24.3 – A Revolução Industrial Os operários das primeiras fábricas trabalhavam emcondições insalubres, com longas jornadas de trabalho,salários baixos e condições de vida precárias. Para baratear os custos de produção, os burgueses tambémutilizavam o trabalho infantil e o feminino. Os operários perderam o controle sobre o processo deprodução e os frutos do seu trabalho o ritmo passou a ser→determinado pelas máquinas. Não havia nenhum sistema social de proteção aostrabalhadores.A exploração dos trabalhadores
    • HISTÓRIA: DASCAVERNAS AOTERCEIRO MILÊNIOCapítulo 24 – Das Revoluções Inglesas à Revolução Industrial24.3 – A Revolução IndustrialA exploração dos trabalhadoresREPRODUÇÃO-OXFORDSCIENCEARCHIVE,OXFORDOperária e crianças trabalham na manufatura de lã,gravura de autor desconhecido, c. 1845.
    • HISTÓRIA: DASCAVERNAS AOTERCEIRO MILÊNIOCapítulo 24 – Das Revoluções Inglesas à Revolução Industrial24.3 – A Revolução IndustrialA organização dos trabalhadoresLudismoMovimento de destruição das máquinas, consideradasresponsáveis pela exploração dos trabalhadores.O nome é uma referência a Nedd Lud, que, segundoa tradição, teria começado o movimento.Alastrou-se pelas áreas industriais.Muitos de seus líderes foram presos e enforcados. Os operários reagiram às péssimas condições a que estavamsubmetidos organizando suas primeiras formas de luta:
    • HISTÓRIA: DASCAVERNAS AOTERCEIRO MILÊNIOCapítulo 24 – Das Revoluções Inglesas à Revolução Industrial24.3 – A Revolução IndustrialA organização dos trabalhadoresCartismoOs operários ingleses buscavam direitos de participaçãopolítica.Em 1838 surgiu o movimento cartista, que reivindicavao direito dos operários de participarem das eleiçõese do Parlamento.As manifestações fracassaram, e apenas em fins doséculo XIX as condições de trabalho dos operárioscomeçaram a melhorar. Com o tempo, os operários ingleses criaram métodos maisorganizados de luta e perceberam que a conquista de direitospassava também pela conquista de espaços na política:
    • HISTÓRIA: DASCAVERNAS AOTERCEIRO MILÊNIOANOTAÇÕES EM AULACoordenação editorial: Maria Raquel Apolinário, Eduardo Augusto Guimarães e Ana Claudia FernandesElaboração: Leandro Torelli e Gabriel BandoukEdição de texto: Maria Raquel Apolinário, Vanderlei Orso e Gabriela AlvesPreparação de texto: Mitsue MorrisawaCoordenação de produção: Maria José TanbelliniIconografia: Aline Reis Chiarelli, Leonardo de Sousa Klein e Daniela BaraúnaEDITORA MODERNADiretoria de Tecnologia EducacionalEditora executiva: Kelly Mayumi IshidaCoordenadora editorial: Ivonete LucirioEditoras: Jaqueline Ogliari e Natália Coltri FernandesAssistentes editoriais: Ciça Japiassu Reis e Renata MichelinEditor de arte: Fabio VenturaEditor assistente de arte: Eduardo BertoliniAssistentes de arte: Ana Maria Totaro, Camila Castro, Guilherme Kroll e Valdeí PrazeresRevisores: Antonio Carlos Marques, Diego Rezende e Ramiro Morais Torres© Reprodução proibida. Art. 184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.Todos os direitos reservados.EDITORA MODERNARua Padre Adelino, 758 – BelenzinhoSão Paulo – SP – Brasil – CEP: 03303-904Vendas e atendimento: Tel. (0__11) 2602-5510Fax (0__11) 2790-1501www.moderna.com.br2012