O maravilhoso mundo da criatividade - Revista Negócio&Fitness
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Like this? Share it with your network

Share

O maravilhoso mundo da criatividade - Revista Negócio&Fitness

on

  • 914 views

Entrevista concedida à Revista Negócio&Fitness sobre CRIATIVIDADE.

Entrevista concedida à Revista Negócio&Fitness sobre CRIATIVIDADE.
Páginas contendo minha entrevista: de 16 a 20

Statistics

Views

Total Views
914
Views on SlideShare
903
Embed Views
11

Actions

Likes
0
Downloads
12
Comments
0

1 Embed 11

http://www.giselakassoy.com.br 11

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

O maravilhoso mundo da criatividade - Revista Negócio&Fitness Document Transcript

  • 1. Qual aEducação Física XCiências do Esporte: sua ideia?Qual curso fazer?Marketing pessoalpara você aprendera vender seu peixe
  • 2. SEJA BEM-VINDOEXPEDIENTE Acendendo a lâmpada da Conselho Editorial N&F criatividade Luis Perdomo (presidente), Que profissional não gosta de se destacar e ser lembrado por Laís Rosa (vice-presidente), seus líderes e colegas? Uma boa razão para ser lembrado e, claro,Andrew Lima, Luiz Henrique Godoy, de forma positiva é ter um perfil criativo.Henrique Sartorelli, Henrique Mota, Mas criatividade não nasce em árvore e como bem disse o Jefferson de Paula, Leonardo Brito, especialista em empreendimento, Marcio de Oliveira Santos Pedro H. Feitosa e Rafael Biazi Filho: “Criatividade é algo intangível. Você não fica mais criativo, é um estado de espírito, na verdade, vai do momento Presidente e do estado em que a pessoa se encontra”. Luis Perdomo No entanto, há algumas dicas para que você faça despertar a Coordenador Geral válvula da criatividade e para isso, basta ler a matéria de capa Luiz Henrique Godoy desta edição! Mas para se destacar é importante também saber Diretor de Marketing “vender seu peixe” e para te ajudar a trabalhar sua imagem da Andrew Lima forma mais produtiva possível, o colunista Wagner Campos fala Diretor Comercial Rodrigo Fonseca sobre Marketing Pessoal. comercial@negociofitness.com.br Além disso, temos uma dica para você que ainda não ingressou Diretor de Mídias Sociais na faculdade e está em dúvida sobre qual curso melhor atende Henrique Sartorelli suas perspectivas de futuro. Os coordenadores dos cursos de Diretora de Redação Educação Física da FEFISA e Ciências do Esporte da Unicamp Laís Rosa MTb 64.785-SP falam um pouco sobre as semelhanças e diferenças entre os lais@negociofitness.com.br profissionais formados em cada área e seus campos de atuação. Editora-chefe E não para por aí. Ainda nessa edição, você confere a história Laís Rosa MTb 64.785-SP de Renan Murta, um profissional que investiu em um projeto, Editor o “Adote 1 Atletinha”, e conta um pouco como é trabalhar por Jefferson de Paula MTb 65.139-SP uma causa social. E também vale a pena aprender como fazer Jornalista um orçamento. Isso mesmo! Saiba organizar suas finanças e Henrique Mota MTb 67.682-SP viver sem esperar freneticamente pelo próximo “dia 5”. Repórteres Ou seja, essa edição é para quem que quer investir em si Leonardo Brito mesmo. Afinal, alguém tem que acreditar em você para começar Pedro H. Feitosa e este alguém é você mesmo! Diagramação Sucesso e até a próxima! Rodrigo Fonseca Anuncie na N&F Carreira anuncie@negociofitness.com.br (11) 8143 4907 O conteúdo dos artigos é de responsabilidade de nossos colunistas, não expressando necessaria- mente a opinião da Negócio & Fitness Carreira.
  • 3. PROFISSIONAIS -Investindo em um proje- Página 06to socialOPINIÃO -Falem mal, mas não Página 12falem de mim!CARREIRA -Aprenda a organizar seu Página 22orçamentoENTREVISTA -Faculdade: Educação Fí- Página 26sica X Ciências do Esporte4 REVISTA NEGÓCIO FITNESS CARREIRA
  • 4. Capa Criatividade e16 empreendedorismo REVISTA NEGÓCIO FITNESS CARREIRA 5
  • 5. PROFISSIONAISA O esporte pode salvar vidas Oportunidades podem estar em muitos ramos da nossa vida, a Educ Leonardo Brito “Adote 1 Atletinha”, essa foi a oportunidade de pobres da região, contrataram Murta, um estu-trabalho social que Renan Murta, professor de dante recém-formado na faculdade.Educação Física formado na FEFISA (Faculdades A instituição já desenvolvia, com os adoles-Integradas de Santo André), abraçou em sua vida centes, outros projetos profissionalizantes comodurante três anos. curso de informática, cabeleireiro, panificação, “Acho que a faculdade deveria falar mais corte e costura e manicure. Eles também ofe-das possibilidades de atuação do profissional reciam amparo médico para os assistidos, taisde Educação Física nas áreas de ação social, como, assistência neurológica, oftalmologista,apresentá-las seria sua função; se nós, os alunos dermatológica, cirurgia pediátrica e outros ser-vamos seguir é uma consequência de cada um. viços. Sendo assim, um projeto esportivo veioPara mim, foi uma ótima oportunidade de cres- a calhar para o desenvolvimento da saúde físicacimento”, diz. Esse é o resumo da vivência do deles.professor Murta, que foi coordenador e respon- O projeto, iniciado em 2006, teve como ob-sável por gerenciar um projeto social dentro da jetivo oferecer aos jovens da instituição aulasfavela Heliópolis, zona sul de São Paulo, a maior de Educação Física, vestuário, alimentação eperiferia do Estado paulista. O projeto era uma passeios. Cerca de 20 alunos participavam efe-parceria entre duas empresas do ramo esporti- tivamente das atividades.vo, a Assessoria Esportiva Mais Ação e a loja deartigos esportivos Fast Runner. Um sonho se realiza Por meio de um contato com Associação Casa O projeto, segundo Murta, teve o lançamen-Maria de Nazareth situada dentro de Helió- to das empresas citadas, mas a condução daspolis, na rua Siqueira Bulcão, 54, as empresas ideias ficou por conta dele, tanto na elabora çãocriaram o projeto, “Adote 1 Atletinha”, e, para das atividades, quanto na condução. “A ideia doconduzir as atividades esportivas para os jovens projeto era muito boa. Através do apoio finan-6 REVISTA NEGÓCIO FITNESS CARREIRA
  • 6. cação Física pode ser uma delas, inclusive na área social REVISTA NEGÓCIO FITNESS CARREIRA 7
  • 7. PROFISSIONAISceiro de pessoas que quisessem doar alguma contrária ao meu sonho”, conta. Murta relataquantia, elas ficariam responsáveis em ajudar que o projeto não andou mais por falta de in-na compra de matérias, uniformes e calçados vestimentos e parcerias que, infelizmente, nãopara os alunos poderem desenvolver os espor- vieram, porém, isso não o desanimou em largartes oferecidos”, explica. sua função de orientar as crianças e jovens no A casa em si, já desenvolvia um contato bem que diz respeito a conhecimentos em Educaçãopróximo com os adolescentes por causa dos ou- Física. “Apesar da falta de recursos, para mim foitros projetos profissionalizantes. bem importante o envolvimento com tal projeto “Foi legal, pois me empolguei bastante com e passar para frente todo meu conhecimento nao projeto, no início pensei que esse projeto po- área de Educação Física. Outra grande oportuni-deria dar oportunidade para criarmos um clube dade foi conhecer melhor os espaços recreativosesportivo, sonhei em acreditar que investidores e culturais da favela de Heliópolis”, acrescenta.iriam vir para ajudar e expandir a ideia. Mas no Outra percepção que o professor teve foi dedecorrer do projeto, senti uma realidade meio que nenhum deles tinham uma aula de Educa-8 REVISTA NEGÓCIO FITNESS CARREIRA
  • 8. ção Física na escola, mas sim uma aula de re- não tinha pensado em desenvolver um tra-creação, porque cada conteúdo passado sobre balho social desse tamanho, mas o gosto poras modalidades, representava na vida deles um atividades físicas e o pensamento em repassarconhecimento totalmente novo. Murta afirma isso adiante era um desejo particular, trabalharque foram vários os desafios encarados no com criança então, sempre foi um vontadedecorrer do projeto. Um deles foi a disciplina interior”.de alguns alunos, pois nem todos encaravam Ao ser questionado sobre a participação daas aulas com caráter coletivo, muitas vezes as faculdade na sua interação com as áreas sociais,situações se resolviam em brigas entre os alu- e se a instituição de ensino superior o ajudounos, mas no decorrer do tempo, eles foram se na formação do pensamento do trabalho so-entrosando e melhorando o convívio. cial, Murta não reconhece que a faculdade te- nha o impulsionado a agir no setor social. Pois, Da faculdade ao social isso foi um conteúdo deixado de lado, mas não “Até aparecer o projeto em minha vida ainda por falha da instituição e sim pela tradição REVISTA NEGÓCIO FITNESS CARREIRA 9
  • 9. PROFISSIONAISmercadológica de cada curso. melhor a aplicação dos conceitos trabalha- Mesmo a faculdade não oferecendo em sua dos na faculdade como a vivência em equipe,grade curricular essa matéria ou algo relacio- trabalhar Educação Física com o público in-nado, o professor diz que o envolvimento fantil, além da oportunidade de organizaçãocom as áreas sociais vai depender do empe- e planejamento do projeto. Para mim, foinho e vontade de cada pessoa, pois queren- maravilhoso. Um dia pretendo retomar algodo ou não, debates e informações chegam nessa área.”até os alunos, dentro e fora da faculdade. O educador deixa a dica para os profissio-“Em algumas disciplinas sobre como fun- nais que ainda pensam em se envolver comciona a condução de aula, filosofia do corpo essa área, ou não. “Vale muito a pena ose outras temáticas, comentávamos sobre as profissionais de Educação Física olharemformas de trabalhar com os diversos públi- melhor para essa área de atuação dentro decos, mas nada muito aprofundado e sempre sua carreira, pois além de estar contribuindoum papo informal entre alunos e alguns com o seu conhecimento para com a socie-docentes, nada oficializado pela faculdade. dade; a experiência de gerenciar esses gru-Acredito que falte um incentivo das faculda- pos de trabalho é fantástica, um aprendizadodes para envolvimento do profissional com atrás do outro. Vale lembrar que o esporteas questões sociais, sim”, afirma Murta. oferecido para a população mais pobre, em O profissional só tem lembranças boas do muitos casos, é a única salvação de um fu-projeto “Adote 1 Atletinha”, a única coisa turo incerto ou inseguro pela realidade quenegativa que aponta no projeto, foi o fato de vivem. Então, não pense muito, aja logo seter acabado por falta de investimento. Fora você tiver a possibilidade, pois nossa contri-esse detalhe, ele só tem a agradecer. “Foi com buição pode ser grande na vida das pessoasesse tipo de trabalho que consegui enxergar ao nosso redor com a Educação Física.”10 REVISTA NEGÓCIO FITNESS CARREIRA
  • 10. REVISTA NEGÓCIO FITNESS CARREIRA 11
  • 11. OPINIÃO Como Fazer Um Bom Um simples conjunto de ações pode alavancar sua reputaç as pessoas lembrem-se de você pelo bom profissional que é Vamos falar sobre uma circunstância que, lizando a divulgação através da promoção,provavelmente, já fez parte de sua vida ou propaganda, embalagem etc.ao menos, você já presenciou. São situações O marketing pessoal é a mesma coisa,em que apesar de fazer tudo certo, alguém, porém em benefício de sua própria carreira.que tinha a mesma função dentro da em- É fazer-se notado! Não simplesmente nota-presa e exercia as mesmas atividades ou do, mas ser percebido por suas qualidades,responsabilidades, foi promovido, conse- habilidades e competências.guiu aumentos salariais e frequentemente é Ser notado desnecessariamente e porcitado como exemplo, enquanto você nem suas “aparições” tolas é péssimo, uma vezao menos é lembrado, e, às vezes, sente-se que será lembrado, com frequência, quedesvalorizado e sem reconhecimento. não é um bom profissional. Neste caso, Sinto-me na obrigação de dizer que o aquele ditado: “falem mal, mas falem degrande culpado por isso tudo pode ser mim” não é um bom lema, uma vez quevocê mesmo. Exceções à parte, o que pro- falar mal significa comentar que você nãovavelmente esteja ocorrendo é a falta de seu é a pessoa ou o profissional ideal.marketing pessoal. Então, o que devemos fazer para termos E o que é isso? um bom marketing pessoal e sermos reco- Quando falamos de um produto, sabe- nhecidos e valorizados, obtendo assim omos que existem esforços para que ele sucesso e a realização profissional?seja notado, apreciado e adquirido. São Seguem algumas dicas:os esforços de marketing. Meios que visampotencializar as vendas dos produtos, uti- 1. Você deve ter liderança, desenvolven-12 REVISTA NEGÓCIO FITNESS CARREIRA
  • 12. Marketing Pessoalção. Saiba como vender seu perfil profissional e deixe queé do assim habilidades de influenciar pessoas sibilidade. Sempre que tiver oportunidade, e ser um formador de opinião. além dos resultados, apresente seus pro- 2. Deve transmitir confiança aos seus jetos e ideias, mesmo que informalmente. chefes e companheiros de trabalho. Deve 6. Seja uma pessoa otimista e bem- ser a pessoa que todos sabem que se algo -humorada. Ninguém gosta de rabugentos, precisa ser bem feito, tem que ser feito por aqueles profissionais cuja presença faz mur- você. char até o pequeno cacto ao lado da mesa. 3. Precisa saber o que está fazendo e por Pessoas otimistas e bem-humoradas propor- que está fazendo. Fuja de fazer apenas algo cionam um ambiente agradável e irradiam que mandam fazer, sem saber do que se bem-estar a todos a sua volta. trata. Diferencie-se, torne-se um especia- 7. Faça um bom planejamento de onde lista em suas atividades e o motivo para a pretende chegar. Ou seja, defina qual situ- execução delas. ação que almeja profissionalmente e tenha 4. Saiba trabalhar em equipe e adminis- paciência. Tudo acontecerá ao seu tempo trar conflitos. Mesmo que você tenha mais desde que, obviamente, você direcione habilidades em determinadas atividades, seus esforços para realizar-se, conforme o colabore para o desenvolvimento de seus planejado. colegas de trabalho. Afinal, uma equipe Podemos perceber então que quem não coesa produz mais, melhor e com maior é visto, não é lembrado, mas é muito satisfação. melhor ser lembrado pelas características 5. Saiba valorizar seu trabalho e apre- positivas e habilidades e competências sente bons resultados. Tenha uma boa vi- que colaboram para que você se destaque REVISTA NEGÓCIO FITNESS CARREIRA 13
  • 13. OPINIÃOno ambiente de trabalho. Ser lembra- cessidades de melhoria para conseguirdo como um profissional participativo, se destacar profissionalmente.seguro, responsável, líder, ético, bem- E lembre-se: se estiver participando-humorado e organizado não prejudica de um processo seletivo ou de seu pri-ninguém e confirma para a empresa meiro emprego através de um estágio,que ela fez a escolha certa ao tê- saiba o que você pode oferecer para-lo em sua equipe. Afinal, a imagem a empresa. Não vá para aprender, masda empresa, seus produtos e serviços para contribuir. A empresa quer resul-depende muito da imagem percebida tados e não é uma escola. Com certeza,de seus colaboradores. Aproveite para você aprenderá muito na organizaçãopotencializar suas características e obterá excelentes experiências, maspositivas e verificar quais são suas ne- isso deverá ser consequência de seu trabalho e não apenas um processo de aprendizado. Wagner Campos Consultor Empresarial, Diretor da True Consultoria e Especialista em Vare- jo, Marketing e Logística. Palestrante Motivacional em Vendas e Liderança. Professor de MBA em Marketing e Vendas, MBA Gestão de Pessoas e nos cursos de graduação em Administração, Marketing e Recursos Humanos. Autor do Livro “Vencendo Dia a Dia”. <falecom@wagnercampos.com.br>14 REVISTA NEGÓCIO FITNESS CARREIRA
  • 14. REVISTA NEGÓCIO FITNESS CARREIRA 15
  • 15. CAPAG O maravilhoso mundo da criat Não seja apenas mais um entre tantos, desenvolva a habilidade de Laís Rosa Grandes ideias podem vir de qualquer um e mento às circunstâncias. O que se aconselha éservir para qualquer finalidade... E ainda assim, que paralelamente ao aprendizado de conteúdos,serem fantásticas! o profissional desenvolva habilidades para inovar, O sócio de uma agência de publicidade, Alex F. solucionar problemas e visualizar oportunidades”,Osborn, criou, em 1939, o conceito de Brains- afirma a especialista em Criatividade, Inovação etorming, que é justamente uma ferramenta de Adoção de Mudanças, Gisela Kassoy.criatividade que estimula um grupo de pessoas a Marcio de Oliveira Santos Filho, especialista emdarem sugestões sobre determinado tema. empreendedorismo, classifica a criatividade como No começo deste ano, o Massachusetts Institut um “estado de espírito” que varia de acordo com oof Technology (MIT) divulgou uma lista feita momento e a disposição da pessoa. “Um estímulocom base em entrevistas com 1.000 jovens, em para ser cada vez mais criativo é estudar coisasque Thomas Edison foi eleito o maior inventor novas e olhar mercados que ainda não conhece”.de todos os tempos. O norte-americano, que não Muitas empresas buscam por um perfil cria-frequentou a escola, foi responsável por inven- tivo como diferencial em seus colaboradores eções como o fonógrafo, a lâmpada elétrica, o pro- a razão é simples. “A criatividade acaba sendojetor de cinema e o aperfeiçoamento do telefone. uma válvula ou um mecanismo que você usa O importante é lembrar que criatividade é sinô- para sair da caixinha, pensar fora da caixa. Enimo de mudança e para que a sua ideia faça dife- isso é interessante, porque, às vezes, aos olhosrença é preciso apostar e estar disposto a investir de uma pessoa mais racional, você não conse-em você mesmo. E aí, está preparado para isso? gue uma resposta, mas uma pessoa criativa, Ter a mente aberta e um perfil empreendedor é que pensa um pouco fora do padrão, conseguemotivo de destaque para os profissionais. “Conhe- achar uma solução”, explica Santos.cimento é muito importante, mas não é suficiente. Não podemos esquecer que são as pessoasHoje em dia é preciso saber adaptar o conheci- que dão “cara” ao negócio e garantem o diferen-16 REVISTA NEGÓCIO FITNESS CARREIRA
  • 16. tividadepensar fora da caixinha e se destaque no mercado cial do empreendimento, por isso, apresentar pela criatividade, pois são aspectos que se so- ideias e sugestões ao seu chefe vai fazer com mam”, lembra Gisela. que você seja lembrado posteriormente. “É im- Se você já possui todas essas características, res- portante ter em mente que a criatividade é uma ta então investir em suas ideias e apresentá-las ao das competências, mas coragem, capacidade de mundo. Agora se você é do time que gostaria de tomar decisões e até sorte também pesam. Eu apresentar inovações, mas ainda não tem noção não aconselharia ninguém a trocar o diploma de como fazer isso, aqui vai um conselho: “Não existe uma fórmula mágica. O que você pode fazer é se inspirar com casos de pessoas que são empreendedores bem-sucedidos, estudar mercados e é sempre bom ir atrás de algum serviço em que você pode agregar ou crescer; um produto para atender algo que não existe, enfim não há uma fórmula racional para desenvolver esse estímulo empreende- dor. Ver filmes, ler livros, conversar com pessoas que já empreenderam é um começo para que você vá ficando fascinado por algumas coisas. Fazer o que você gosta também faz parte da receita”, conta Santos Filho ao mesmo tempo em que afirma que para um empreendedor de sucesso desenvolver o gosto pelo erro é fundamental. REVISTA NEGÓCIO FITNESS CARREIRA 17
  • 17. CAPA lista em A especia oy, eG isela Kass criatividad as para s dic dá alguma lver er desenvo vo cê que qu dade: sua criativi “Para você criar um negócio e fazer com que ele tenha êxito, é preciso passar por uma série de caminhos até achar o do sucesso. Existe um conceito interessante para quem está disposto a empreender que é o do fracasso, preferen- cialmente de forma rápida, afinal quanto mais cedo falhar, melhor, porque você aprende mais rápido e - O primeiro pa sso é perde menos dinheiro. O fracasso vai forçar um pouc acontecer em algum momento, é ine- o a mente para que ela sa vitável e não que o negócio inteiro vá ia da falhar, mas alguns fracassos ao longo rotina. Esquec er o mito de da constituição do empreendimento que a criativid irão acontecer”, afirma Santos Filho. ade brota Mas o que fazer se você está em um espontaneamen te. emprego em que não é incentivado, seu líder não dá suporte as suas ideias e você não se sente desafiado? “Se o pro- fissional tem esse perfil empreendedor e está em um lugar que o trava e não o deixa criar, eu o aconselho a ir embora e buscar o que gosta. Claro que não podemos esquecer o lado das obrigações, a pessoa tem que colocar no papel e se fazendo as contas, em seis18 REVISTA NEGÓCIO FITNESS CARREIRA
  • 18. Criatividade e empreendedorismo fitness Quando a criatividade está em pauta, não há limitesou mesmo nicho de mercado que freie o profissional. O professor de Educação Física José Anchie-ta, aproveitou seus conhecimentos adquiridoscom a pós-graduação e seus 27 anos de expe-riência no mercado fitness e criou o Batucalê,programa de formação de instrutores com atua-ção com ritmos afro-brasileiros. “A ideia surgiu de estudos feitos com o músicoe percussionista Gel Bento, a partir da análisedo meu trabalho com ritmos afro-brasileirosem aulas de grupo. Hoje, estamos agregandoinstrumentos musicais especialmente criadospara aulas coletivas. Já temos protótipos demais de seis instrumentos musicais. ao trabalho dos profissionais. A aula propriamente dita está sendo implan- Tudo o que o homem sempre deve fazer étada e provada há mais de cinco meses em aca- acreditar nas suas ideias. Não ter medo de ousar.demias e eventos. Um novo projeto pode oferecer uma perspectiva O Batucalê é voltado para instrutores em pri- grandiosa no futuro, mas tem que ser sempre ‘ali-meira instância e depois para todo o público mentado’ com estudo e dedicação. Ter sempre oque consome o produto fitness e dança nas aca- pensamento que só existe uma pessoa interessa-demias. O Programa oferece uma qualificação da em seus planos: você mesmo”. REVISTA NEGÓCIO FITNESS CARREIRA 19
  • 19. CAPA r ia para ve - Uma ide m ou sete meses ela consegue viver com a poupan- da situação co ça que tem, eu acho que vale muito a pena ir atrásdetermina aginá-la do que gosta e empreender naquilo que acredita. os, é imnovos olh te Então, minha dica é: se você está insatisfeito e componen sem algum possui perfil empreendedor, saia logo do tra- essen cial. balho em que está”, aconselha o especialista em empreendedorismo . te diferen o que é urônios. - Como as ideias nunca - Tudo os ne la noss ntar vêm do nada e sãoestimu lhável freque nse u sempre frutos do que É aco novos o lugares m pessoas absorvemos do meio sar co ambiente, quanto melhor conver m não se tem e nossa comunicação, mais com qu m comum. nada e criativos seremos! Mais dicas para estimular sua criatividade - Portal N&F: clique aqui! 20 REVISTA NEGÓCIO FITNESS CARREIRA
  • 20. REVISTA NEGÓCIO FITNESS CARREIRA 21
  • 21. CARREIRAT Educação e inteligência financei Aprenda a fazer um orçamento e pare de esperar ansiosamentepelo próximo “dia 5” Todos nós sabemos da importância da pou- muitas não chegam a atender a terceira geração.pança, então por que razão esta se mostra uma A educação financeira deve começar cedo, emtarefa tão difícil? casa e nas escolas. A vida não é apenas cara pe- Poupança carrega consigo a sombra do sacrifí- los altos preços, mas pelos altos gastos com ascio que a luz dos benefícios futuros nem sempre muitas oportunidades.consegue eliminar. Diz um sábio ditado: “Se o homem tem ape- Sem os cuidados necessários, quem negligen- nas um par de pés, porque tem dez pares decia o controle financeiro pode pagar alto preço. sapatos?”Cartões com créditos estourados e uso exacer- Uma boa educação oferece oportunidades debado dos cheques especiais podem colocar pes- bons empregos e ganhos maiores, mas tambémsoas em posições financeiras extremamente de- instiga aos gastos. Dinheiro faz dinheiro, maslicadas, levando-as a perder o que conseguiram. este precisa de cuidados e aconchego. Acontecimentos milionários têm gerado mi- Poucos são capazes de poupar sem queseráveis. Profissionais de sucesso costumam tenham claro onde e como irão usar essesdizer em entrevistas que nunca imaginaram recursos. Por essa razão, grandes poupadoresque o sucesso seria passageiro. Normalmente é! costumam vir de famílias poupadoras, onde a Dessa forma, sem qualquer parcimônia, me- ansiedade para consumo e uso das importân-nos de 5% das pessoas que ganharam “boladas” cias acumuladas são menores.nas loterias ainda têm boas somas para viver. Com tantas tentações, como poupar? O esforço da poupança precisa estar ligado à inte- A primeira medida é retirar dos ganhos men-ligência e competência da retenção e multiplicação. sais, a importância que não deve ser gasta em Sucesso financeiro normalmente é confundi- hipótese nenhuma e aplicá-la numa conta de in-do com segurança no futuro, mas se olharmos vestimento. Para essa conta, o talão de cheque ea história das grandes fortunas veremos que o cartão é melhor que fiquem em lugar de difícil22 REVISTA NEGÓCIO FITNESS CARREIRA
  • 22. 6 de 12ira: uma visão de futuro Já pensou em colocar seu dinheiro para render? Isso mesmo, faça-o trabalhar para você. Nós preparamos dicas de como você pode fazer isso. Clique aqui! REVISTA NEGÓCIO FITNESS CARREIRA 23
  • 23. CARREIRAacesso. O dinheiro guardado dessa forma tem - Fuja dos cartões de crédito e cheques espe-mais chances de não ser tocado. ciais. Não tê-los evita gastos; A princípio estabeleça um valor a ser poupado - Acabe com as conversas desnecessárias nose não tenha medo de exagerar. Grandes poupa- telefones;dores começam com não menos que 10% dos - Estabeleça limites para os gastos com as re-ganhos mensais. Sempre que puder aumente. feições fora de casa; Desenvolva um plano de vida, fazendo a rela- - Planeje e prefira boas férias às baladas;ção das necessidades básicas mensais. Se não - Revise os gastos semanalmente e seja criativofor fundamental, fora da lista, afinal você já li- para economizar!mitou o quanto pode gastar e o que sobrar será Poupadores bem sucedidos sabem que pou-para reforço da poupança. pança é formada por 80% de decisão e 20% - Despesas com supermercados devem seguir de planos!um cardápio para que os desperdícios sejam Ivan Postigominimizados; Diretor de gestão empresarial da Postigo - Vestuários, antes de comprá-los uma visita ao Consultoria Comunicação e Gestão.guarda-roupa ajuda. Seguida da pergunta: “Pre- Economista, contador, pós-graduado emciso mesmo?” Se tiver dúvidas, não compre; controladoria pela USP. Escreve artigos - Gastos não planejados e não emergenciais só com foco nos aspectos econômicos edevem ser efetuados se o saldo bancário for po- de gestão das empresas para jornais esitivo. Compre o máximo que puder a dinheiro. revistas. Desenvolve consultoria e pales-Evite os crediários; tras nas áreas mercadológica, contábil/ - Antes de usar o veículo, verifique se não há financeira e fabril.alternativas, pois o desgaste, combustíveis e <ipostigo@terra.com.br>estacionamentos são grandes vilões;24 REVISTA NEGÓCIO FITNESS CARREIRA
  • 24. REVISTA NEGÓCIO FITNESS CARREIRA 25
  • 25. ENTREVISTAN Educação Física x Ciências do Es Entrevistamos os coordenadores da FEFISA e da Unicamp pa Jefferson de Paula Na última década, algumas instituições do Esporte, pois muitas pessoas não sabem dife- de ensino passaram a oferecer cursos renciá-lo da formação em Educação Física. Por específicos como: Eventos, Gestão Hos- este motivo, a Revista Negócio & Fitness Carreira pitalar, Ciências do Esporte e muitos ou- entrevistou os coordenadores dos cursos de Edu- tros. O principal objetivo desta segmen- cação Física da FEFISA - Faculdades Integradas tação é formar profissionais altamente de Santo André, o Professor Nicolino Bello, e de capacitados para determinada área de Ciências do Esporte da Unicamp – Universidade atuação. No entanto, alguns cursos cau- de Campinas, o Professor Alcides Scaglia. sam certa confusão na cabeça do ingres- Se você ainda não escolheu seu curso, leia sante. Este é o caso do curso de Ciências atentamente a palavras dos coordenadores.26 REVISTA NEGÓCIO FITNESS CARREIRA
  • 26. sporte – Em qual curso ingressar?ara saber um pouco mais sobre o que cada curso oferece REVISTA NEGÓCIO FITNESS CARREIRA 27
  • 27. ENTREVISTA bacharelado e, agora, essa relação com as Ciên- cias do Esporte. Isso causa muita confusão para quem deseja ingressar nesta área, mas, na reali- dade, o caminho e as principais características da Educação Física são sempre as vertentes do ser humano de forma integral, trabalhando to- das as características da relação humana da saú- de e, principalmente, as características físicas. N&F: Quais matérias norteiam o curso? NB: Na área da Filosofia, temos a História da Educação Física, a questão da ética profissional; Curso de Educação Física – Prof. Nicolino Bello na área Biológica temos a Anatomia e a Fisiologia Nicolino Bello, Coordenador do curso de Ed. que são áreas comuns em todas as faculdades. NoFísica da FEFISA – Faculdades Integradas de âmbito esportivo são envolvidas todas as modali-Santo André e componente do corpo docente dades de uma maneira geral, além da inclusão deda Universidade São Judas há 25 anos. esportes alternativos e artes marciais. É uma ver- N&F: Quais são as principais características tente que busca contemplar todas as questões dedo curso de Educação Física? modernidade e, claro, as exigências do mercado. Prof. Nicolino Bello: A Educação Física faz N&F: Quais as áreas de atuação do profissio-parte da área das ciências biológicas e da saúde. nal formado em Educação Física?Recentemente, houve uma diferenciação entre NB: Há uma diversificação da área. É possível aas faculdades de Educação Física, justamente atuação na área da saúde, mas existe o problema dapela escolha do conteúdo programático. Hou- má remuneração. Temos uma gama enorme, porve, também, a divisão entre a licenciatura e o exemplo: empresas que oferecem a ginástica labo-28 REVISTA NEGÓCIO FITNESS CARREIRA
  • 28. ral, “time da alegria” em hospitais que trabalham é onde o profissional pode atuar. Vale lembrar quena recuperação dos enfermos, há também a área toda a área da saúde merece uma atenção especial,esportiva. Outra possibilidade é ser personal trai- assim como uma reviravolta na questão salarial.ner, que hoje está muito bem situado no setor. No N&F: Quais são as diferenças entre os cursosentanto, seu mercado é sazonal, em momentos ele de Educação Física e Ciências do Esporte?estará muito bem de recursos financeiros e em ou- NB: São linhas de pesquisa, linhas filosóficastros estará em baixa. Mas a área da saúde, em geral, formuladas há mais de 20 anos por algumas uni- REVISTA NEGÓCIO FITNESS CARREIRA 29
  • 29. ENTREVISTAversidades que queriam formar uma vertente para só autorizava a questão do Bacharel. Agora oa área esportiva. Mas, acontece que quem vai pra CREF já emite a carteirinha do Licenciado, quefaculdade de Educação Física vai aprender o Fut- é aquele que vai trabalhar em escolas, então nosal, Futebol, Voleibol, Basquete e esportes de uma fim, acaba direcionando todos para as mesmasmaneira geral. No curso de Ciências do Esporte é funções. No fim, ele vai fazer uma complemen-a mesma coisa. Profissionais e professores que da- tação para a licenciatura, para o bacharelato ouvam aulas dessas modalidades, visavam algo mais vice-versa, o que acaba caindo na área das Ci-competitivo e outros uma coisa mais pedagógica. ências do Esporte. Todos nós dependemos daNa realidade, tudo acaba para uma vertente, só regulamentação do CREF.que é o esporte de uma maneira geral. Depois N&F: Acha necessário que o curso de Educa-disso, quem vai qualificá-lo e selecioná-lo é o mer- ção Física foque na parte de gestão de negócioscado de trabalho, pois não adianta o ingressante em sua grade?procurar por Ciências do Esporte e por fim tra- NB: Algumas faculdades já estão modificandobalhar na área escolar. Então, eu entendo que foi o conteúdo e a grade curricular, pois nós somosuma divergência ocorrida entre os profissionais e da gestão esportiva e da gestão em academia.pesquisadores e é apenas uma questão de nomen- Hoje, na FEFISA, onde leciono, temos uma dis-clatura que não modificará em nada. ciplina que se chama Projetos em Educação Físi- N&F: Profissionais de Educação Física e Es- ca, ou seja, projetos de uma maneira geral, nãoporte dividem o mesmo mercado? importa se em academia ou na área esportiva. Ele NB: Acontece o seguinte: ambos são repre- vai aprender como trabalhar toda essa sequênciasentados pelo CREF – Conselho Regional de de projetos e até mesmo a gestão. Algumas facul-Educação Física, e, na verdade, o que ocorre, dades oferecem também cursos de extensão emé que ao se formar, se faz necessário possuir a gestão, e, inclusive, as próprias academias já estãocarteirinha para atuar no mercado. O CREF procurando por esse profissional.30 REVISTA NEGÓCIO FITNESS CARREIRA
  • 30. e permitem que nos entendamos melhor. Um profissional que atuará no esporte, desde um preparador físico até alguém que vai trabalhar como gestor, treinador, cientista do esporte vai começar a desenvolver pesquisas, visando uma prática esportiva deliberada, mas com fins de en- tretenimento e também de performance. N&F: Para você, quais são as principais dife- renças entre o curso de Ciências do Esporte e Educação Física? AS: A diferença crucial entre o bacharel licen- ciado em Educação Física e o cientista do espor- Ciências do Esporte – Prof. Alcides Scaglia te é: o licenciado é um especialista por natureza Formado pela Unicamp em 1995. Mestrado que trabalha dentro da escola. A finalidade dae Doutorado pela mesma instituição. Coorde- licenciatura é a aula de Educação Física comonador do curso de Ciências do Esporte há dois disciplina dentro da escola. Apesar de ser umanos. campo de atuação profissional restrito, é, talvez, N&F: Há quanto tempo o curso de Ciências um campo de atuação maior em termos de quan-do Esporte é oferecido, e qual foi seu propósito tidade de ofertas de emprego, mas em abrangên-inicial? cia é muito restrito. Já o bacharel em Educação Prof. Alcides Scaglia: Este é o quarto ano na Física é, na verdade, um generalista. Eu comparoUnicamp. A principal característica do curso é o bacharel em Educação física a um clínico geralestudar, de fato, o esporte. Procuramos entender da medicina, ele sai com uma visão geral de tudo,as várias ciências que se relacionam, sustentam até do esporte. Então a preocupação dele não é REVISTA NEGÓCIO FITNESS CARREIRA 31
  • 31. ENTREVISTAprofundidade. Agora, quem busca a faculdade de sica, o curso de Ciências do Esporte é divididoCiências do Esporte procura um curso com uma entre Bacharel e Licenciado. Além disso, comoárea de atuação mais focada, seria um bacharel funciona a grade curricular?especialista que tem como área de atuação, o AS: Não. São quatro anos específicos. Temosesporte. Uma ênfase no esporte, o que garante algumas matérias em nossa grade, que são co-a especificidade. Nessa parte o Jeffs pensou em muns ao curso de Educação Física, no entanto,colocar um olho, destacando essa frase: Neste matérias como pedagogia do esporte, treinadorcurso, nunca iremos formar um professor de desportivo, adaptações fisiológicas ao treina-musculação, nunca vamos formar um profissio- mento, prevenção e habilitação ao esporte, sãonal para trabalhar com fitness e atividade física. matérias mais focadas no objetivo do curso deFormaremos profissionais que trabalharão exclu- Ciências. Além disso, nós temos o cuidado de tersivamente com esporte. uma identidade própria. N&F: A área de atuação destes profissionais N&F: O mercado de trabalho sabe diferenciarsão as mesmas? estes dois profissionais? AS: O conhecimento adquirido por estes dois AS: No Brasil isso ainda é muito novo. É oprofissionais é o mesmo. Mas o local de aplicação começo de uma história, por isso, o mercadoé diferente e, quando se muda este local, muda- ainda tem uma certa dificuldade em distinguir-se também a intensidade e aprofundamento do um profissional do outro. Temos a perspectivatrabalho, a didática, metodologia. Nós partimos de que nos próximos vinte ou trinta anos, o cursodo mesmo conhecimento, mas chegamos em de Ciências do Esporte vai assumir uma caracte-objetivos diferentes. É por isso que o curso de rística muito peculiar, construindo uma história,Ciências do Esporte está debaixo do grande assim como aconteceu com a Odontologia que“guarda-chuvas” que é a Educação Física. faz parte da área das Ciências Médicas, mas que N&F: Assim como acontece na Educação Fí- tomou corpo e hoje é um curso único, mesmo32 REVISTA NEGÓCIO FITNESS CARREIRA
  • 32. tendo disciplinas em comum, assim como na AS: Esta é uma grande dificuldade encontradaEducação Física e Ciências do Esporte, há um na área, estamos à beira de dois megaeventos efoco de atuação diferente. Nas próximas décadas, temos notado a carência de especialistas no mer-as características do curso de Esporte estarão cado. Isso ocorre, porque, muitas vezes, o cursomais consolidadas na sociedade e, então, esta de Educação Física não dá conta disto. Portanto,distinção será mais clara. uma das missões é implantar a gestão no curso. N&F: O curso de Ciências de Esporte trata Em pouco tempo, este será um dos grandes dife-também da área de gestão? renciais do curso de Ciências do Esporte. REVISTA NEGÓCIO FITNESS CARREIRA 33
  • 33. 34 REVISTA NEGÓCIO FITNESS CARREIRA
  • 34. REVISTA NEGÓCIO FITNESS CARREIRA 35