Vídeo aula 20
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Vídeo aula 20

on

  • 649 views

 

Statistics

Views

Total Views
649
Views on SlideShare
649
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
1
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Vídeo aula 20 Vídeo aula 20 Presentation Transcript

  • Vídeo-aula 20:“Violência e educação UNIVESP TV: Violêncianas escolas” Por: Veronica Perazolli
  • Práticas de violênciaA aula discute a importância do diagnóstico sobre aspráticas de violência que acontecem na escola (onde,quem, com quem, contra quem) para construiralternativas de ação, verificando o que a escola podefazer e quais os parceiros (conexões) necessárias. Profª Flavia SchielingJosé Saramago no livro “Ensaio sobre a Cegueira” dizque: “Se puderes olhar, vê, e se puderes ver, repara”. Reparar significa olhar atentamente.
  • Quais são as violências que aparecem na escola? Falar sobre a violência não é fácil, pois ela emudece.Ela instaura uma perplexidade e torna os nossosrecursos fracos. Como agir? A violência familiar acaba penetrando nocomportamento das crianças. Cabe à escolaestabelecer conexões com setores da saúde e oConselho Tutelar, por exemplo. A violência da discriminação é algo muito presenteno cotidiano escolar. Por isso devemos quantoescola, estar atentos.
  • • Não é uma tarefa fácil, afinal a escola enfrenta diversas dificuldades e precariedades. Por isso, o coletivo deve estar unido à equipe gestora e à responsabilidade do governo, seja ele municipal ou estadual.
  • Muros e Grades Engenheiros do HawaiiNas grandes cidades, no pequeno dia-a-diaO medo nos leva tudo, sobretudo a fantasiaEntão erguemos muros que nos dão a garantiaDe que morreremos cheios de uma vida tão vaziaNas grandes cidades de um país tão violentoOs muros e as grades nos protegem de quase tudoMas o quase tudo quase sempre é quase nadaE nada nos protege de uma vida sem sentidoUm dia super, uma noite super, uma vida superficialEntre as sombras, entre as sobras da nossa escassezUm dia super, uma noite super, uma vida superficialEntre cobras, entre escombros da nossa solidezNas grandes cidades de um país tão irreal
  • Os muros e as grades nos protegem de nosso própriomalLevamos uma vida que não nos leva a nadaLevamos muito tempo pra descobrirQue não é por aí... não é por nada nãoNão, não pode ser... é claro que não é, será?Meninos de rua, delírios de ruínasViolência nua e crua, verdade clandestinaDelírios de ruína, delitos e delíciasA violência travestida faz seu trottoirEm armas de brinquedo, medo de brincarEm anúncios luminosos, lâminas de barbear(solidez)Viver assim é um absurdo como outro qualquerComo tentar o suicídio ou amar uma mulherViver assim é um absurdo como outro qualquerComo lutar pelo poderLutar como puder