Your SlideShare is downloading. ×
IPv6:  Você está preparado para ele?
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Introducing the official SlideShare app

Stunning, full-screen experience for iPhone and Android

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

IPv6: Você está preparado para ele?

2,183
views

Published on

O IPv6 foi criado há algum tempo mas só agora sua implantação deve ser acelerada devido ao esgotamento dos endereços IPv4. …

O IPv6 foi criado há algum tempo mas só agora sua implantação deve ser acelerada devido ao esgotamento dos endereços IPv4.
Até agora apenas ações paliativas foram tomadas desde então, mas mesmo assim esses endereços devem acabar em 1 ou 2 anos.
O IPv6 traz para a Internet um espaço de endereçamento capaz de suportar o crescimento da rede por muito tempo. O novo protocolo também apresenta avanços em áreas como segurança, mobilidade e desempenho.
Como a migração para esta nova tecnologia é certa, você está preparada para ela?

Published in: Technology

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
2,183
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
101
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. IPv6Você está preparado para ele? Gilberto Sudré gilberto@sudre.com.br http://gilberto.sudre.com.br
  • 2. Gilberto Sudré 2
  • 3. Agenda » TCP/IP » IPv4 » IPv6 » IPv6 Mitos e Verdades » Técnicas para migração IPv4 x IPv6 » E agora? Próximos passosGilberto Sudré 3
  • 4. TCP/IP
  • 5. Histórico do TCP/IP » O padrão histórico e técnico da Internet é o modelo TCP/IP » Desenvolvido pelo Departamento de Defesa dos Estados Unidos (DoD) » Guerra fria − Transmissão de pacotes a qualquer hora e em qualquer condição − Máquinas no comando » Este problema de projeto extremamente difícil originou a criação do modelo TCP/IPGilberto Sudré 5
  • 6. TCP/IP » O TCP/IP foi projetado como um padrão ABERTO » Isto queria dizer que qualquer pessoa tinha a liberdade de usar o TCP/IP » Isto ajudou muito no rápido desenvolvimento do TCP/IP como padrãoGilberto Sudré 6
  • 7. O Modelo TCP/IP » O modelo TCP/IP tem as seguintes camadas:Gilberto Sudré 7
  • 8. IPv4
  • 9. Problemas do IPv4 » Espaço limitado de endereçamento − Endereço com tamanho de 32 Bits − “A rede terá no máximo 1000 máquinas” » Soluções alternativas para dar sobrevida ao IP − NAT − Endereços reservados » Campos obsoletos e inúteis no cabeçalho » Grandes tabelas de roteamento − Carga maior para os roteadoresGilberto Sudré 9
  • 10. Cabeçalho do IPv4 Version IHL Type of Service Total Length Identification Flags Fragment Offset Time to Live Protocol Header Checksum Source Address Destination Address Options PaddingGilberto Sudré 10
  • 11. Esgotamento de endereçosGilberto Sudré 11
  • 12. Esgotamento de endereçosGilberto Sudré 12
  • 13. IPv6
  • 14. História do IPv6 » IPv6 foi proposto como parte da RFC1752 em janeiro de 1995 » Previsão de falta de endereços » IPv5 existiu? − Internet Stream Protocol (RFC1190)Gilberto Sudré 14
  • 15. Objetivos do IPv6 » Aumento do espeço de endereçamento » Permitir tabelas de roteamento menores » Remover campos e informações inúteis do IPv4 » Suporte nativo a: − Criptografia − Autenticação − Multicast − QoSGilberto Sudré 15
  • 16. Objetivos do IPv6 » Aumento do espeço de endereçamento » Permitir tabelas de roteamento menores » Remover campos e informações inúteis do IPv4 » Suporte nativo a: − Criptografia − Autenticação − Multicast − QoSGilberto Sudré 16
  • 17. Vantagens do IPv6 » Acaba com a necessidade de NAT para evitar a perda de endereços » Cabeçalho − Sem campos desnecessários − Campos opcionais » Possibilidade de coexistir com o IPv4Gilberto Sudré 17
  • 18. Vantagens do IPv6 » Segurança − Suporte a autenticação − Suporte nativo a criptografia − Enorme espaço de endereçamento (scan?) » Recursos avançados de autoconfiguração » Preparado para o ambiente móvel − Mobile IPv6 − SmartphonesGilberto Sudré 18
  • 19. Suporte do IPv6 pelos SOs » Solaris 8 + » Linux 2.2 + » Windows 2000 (com patch), XP SP2 + » FreeBSD 4.0 » OpenBSD 2.7 » NetBSD 1.5Gilberto Sudré 19
  • 20. Suporte do IPv6 por aplicativos » Apache » Sendmail » ntp » nntp » Bind » FTP » Ping » Traceroute » ....Gilberto Sudré 20
  • 21. Os endereços IPv6 » Um endereço IPv4 é formado por 32 bits 232 = 4.294.967.296 » Um endereço IPv6 é formado por 128 bits 2128 = 340.282.366.920.938.463.463.374.607.431.768.211.456 » Ou Seja: − ~ 56 octilhões (5,6x1028) de endereços IP por ser humano. − ~ 79 octilhões (7,9x1028) de endereços a mais do que no IPv4.Gilberto Sudré 21
  • 22. Os endereços IPv6 » Apresentação − Sequência de oito conjuntos de quatro digitos Hexadecimais separados por dois pontos − Zeros a esquerda podem ser suprimidos − Sequência de zeros contíguos pode ser substituída por “::” − Somente uma sequência de zeros pode ser “encurtada”Gilberto Sudré 22
  • 23. Os endereços IPv6 » Considerando o endereço 3FFE:3700:0200:00FF:0000:0000:0000:0001 » Ele pode ser escrito como 3FFE:3700:200:FF:0:0:0:1 ou 3FFE:3700:200:FF::1Gilberto Sudré 23
  • 24. Os endereços IPv6 » Unicast − Transmissão de um pacote a partir de uma única interface com destino a uma outra e exclusiva interface identificada pelo endereço de destino » Multicast − Transmissão de um pacote de uma única interface com destino a um grupo de interfaces identificadas pelo endereço de destino » Anycast − Transmissão de um pacote de uma única interface com destino a um grupo de interfaces identificadas pelo endereço de Anycast − A mensagem será entregue para uma interface (a mais perto de acordo com as tabelas de roteamento)Gilberto Sudré 24
  • 25. Os endereços IPv6 » Não existe mais Broadcast no IPv6 − Esta função foi transferida para o Multicast − Devido a isto endereços com todos os bits “1” ou “0” são legais e possíveis » Endereço de Loopback − No IPv6 se tornou ::1 − A mesma função que o 127.0.0.1 no IPv4 » Não existe fragmentação intermediária no IPv6 − Função Path MTU discoveryGilberto Sudré 25
  • 26. O Cabeçalho IPv6 » Embora o tamanho do endereço IPv6 seja quatro vezes maior que o IPv4, o seu cabeçalho é apenas duas vezes maior » Um cabeçalho mais simples implica em menos processamento para cada pacote − Útil para redes de alta velocidadeGilberto Sudré 26
  • 27. O cabeçalho IPv6 Version Traffic Class Flow Label Payload Length Next Header Hop Limit Source Address Destination AddressGilberto Sudré 27
  • 28. O cabeçalho IPv6 IPv4 Header IPv6 Header Version IHL Type of Service Total Length Version Traffic Class Flow Label Fragment Identification Flags Offset NextTime to Live Protocol Header Checksum Payload Length Hop Limit Header Source Address Destination Address Options Padding Source Address - Nome mantido do IPv4 para o IPv6 - Campo removido no IPv6 - Nome e posição mudado no IPv6 Destination Address - Novo campo no IPv6Gilberto Sudré 28
  • 29. O cabeçalho IPv6 » Cabeçalhos de extensão − Chamados de sub-cabeçalhos (sub-headers) − Utilizados para • Criptografia • Autenticação • FragmentaçãoGilberto Sudré 29
  • 30. O cabeçalho IPv6Gilberto Sudré 30
  • 31. Roteamento IPv6 » Atualmente muitos hosts não conseguem trabalhar de forma eficiente, calculando a melhor rota entre destinos » Problema: − Roteadores devem manter grandes tabelas de roteamento − Aumento no processamento e armazenamento nestes dispositivosGilberto Sudré 31
  • 32. Roteamento IPv6 » Solução: − Agregação de entradas na tabela de rotas − Criação de roteamento por domínio − Criação de formas de hierarquizar os endereços » A solução proposta pelo IPv6 é usar endereços de provedores − Desde que estes endereços possam ser utilizados dentro da topologia hierárquica da redeGilberto Sudré 32
  • 33. Roteamento IPv6 » No caso de endereços internacionais − O prefixo de um determinado país deve ser consistente e começar com os mesmos bits iniciaisGilberto Sudré 33
  • 34. IPv6Mitos e Verdades
  • 35. Mito: O DNS é difícil » O DNS não depende da camada IP » Campo A para IPv4 » Campo AAAA para IPv6 » A resposta independe do protocolo da consultaGilberto Sudré 35
  • 36. Mito: É preciso reaprender tudo » As capacidades técnicas desenvolvidas para o IPv4 são facilmente transferidas para o Ipv6 » Os conceitos principais não mudam − Temos mais endereços − Algumas funcionalidades diferentes » Os problemas são mais psicológicos do que técnicos − É preciso “desmistificar” o IPv6Gilberto Sudré 36
  • 37. Mito: IPv6 é mais lento » Cabeçalho do IPv6 é mais simples e de tamanho fixo » Sem verificação de erros − Isto já é realizado pelo TCP ! » Controle de fluxo » Resultado: O roteamento é mais rápido !!!Gilberto Sudré 37
  • 38. Mito: IPv6 é mais lento » O atual recorde de taxa de transmissão é do IPv6 − 30.000 km de distância (via terra) e passando por 6 redes internacionais (mais de ¾ da circunferência da Terra). − Throughput de 9,08 Gbps − 10.75% mais rápido que o recorde do IPv4 (7.99 Gbps)Gilberto Sudré 38
  • 39. Tecnicas para a migração IPv4 >> IPv6
  • 40. Migração IPv4 >> IPv6 » Pilha de protocolo dupla IPv6 Enabled Internet IPv6 Enabled IPv4-OnlyGilberto Sudré 40
  • 41. Migração IPv4 >> IPv6 » Túneis “6to4” IPv6 Enabled Internet IPv4-Only IPv6 EnabledGilberto Sudré 41
  • 42. Migração IPv4 >> IPv6 » Tradução IPv4 x IPv6 IPv6 Enabled Internet IPv4-OnlyGilberto Sudré 42
  • 43. E agora...O que fazer?
  • 44. Cenário 1: Não fazer nada » Nenhum problema nos próximos anos » Com o passar do tempo, algumas pessoas não poderão fazer uso de seus serviços » Nenhum custo extra (até quando?) » Custos altos para uma implantação rápida » Tempos de planejamento curtos, implicam em mais erros...Gilberto Sudré 44
  • 45. Cenário 2: Fazer tudo agora » Talvez o hardware tenha de ser trocado » Investimento alto em tempo e outros recursos » Sem retorno imediato » Altos custos para uma implantação rápida » Planejamento rápido significa mais possibilidade de erros...Gilberto Sudré 45
  • 46. Cenário 3: Comece agora, faça por etapas » Procedimento de compra − Equipamentos compatíveis com o IPv6 » Verifique seu hardware e software » Planeje cada etapa e faça testes » Um serviço de cada vez − Núcleo − Clientes » Prepare-se para desligar o IPv4Gilberto Sudré 46
  • 47. Conclusão
  • 48. Conclusão » IPv6 não é uma promessa é uma realidade − Suporte nativo nos sistemas operacionais mais novos − Já é presente um muitas redes de grande porte − Comece a estudar o IPv6 a partir de “ontem” » Planeje a criação da sua rede IPv6 com calma, você AINDA tem tempo » Teste todas as soluções exaustivamente » O IPv4 ainda vai permenecer por algum tempo, assim a sua rede deverá possuir os dois tipos de acessoGilberto Sudré 48
  • 49. Para saber mais... » http://www.ipv6.br − Artigos, novidades » http://www.ipv6.br/basico − Apostilas » http://www.ipv6.br/curso − Curso a distância » http://ipv6-pt.ning.com − Comunidade, fórum, blogGilberto Sudré 49
  • 50. PerguntasGilberto Sudré 50
  • 51. IPv6Você está preparado para ele? Gilberto Sudré gilberto@sudre.com.br http://gilberto.sudre.com.br