Técnica óleo
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Técnica óleo

on

  • 2,896 views

 

Statistics

Views

Total Views
2,896
Views on SlideShare
2,860
Embed Views
36

Actions

Likes
0
Downloads
19
Comments
0

3 Embeds 36

http://oficinadeartes-alpendorada.blogspot.com 30
http://oficinadeartes-alpendorada.blogspot.pt 5
http://www.oficinadeartes-alpendorada.blogspot.com 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Técnica óleo Técnica óleo Presentation Transcript

    • TÉCNICAS DE PINTURA Revisão de algumas noções já conhecidas mas pouco exploradas . Alyssa Monks, Smush, 2008
    • Pintar a óleo Há muitas formas de pintar a óleo, podemos pintar em óleo utilizando métodos como como “Fat over Lean”, “wet-on-wet”, “wet-on-dry”, “Plain air”,  “Velatura”, “Impasto” ou misto, entre outros. Van Gogh, Íris, Pintura de óleo sobre tela, Maio de 1889, em Saint-Rémy - França
    • MATERIAL MÍNIMO NECESSÁRIO: Precisamos de uma superfície para pintar, ou seja uma tela; uma superfície para misturar as cores, isto é uma paleta; e alguns diluentes e solventes para misturas e para a limpeza do material, os pincéis e as cores. Algumas orientações: Uma estrutura de suporte, como o cavalete ou mesa estirador; Uma Tela ou qualquer outra superficial apropriada; Óleo de Linhaça e Terebintina/Aguarrás; A Paleta para misturar as cores; Espátulas; Pincéis de Cerdas dos seguintes tipos: Planos de 3cm de largura, 1cm de largura, 3/4 de polegada de largura e dois de 1/2 polegadas de largura. Pincéis de Marta planos 1/2 polegada de largura, 1/4 polegada de largura e dois pincéis redondos de tamanhos pequenos. Alguns panos.
    • AS CORES RECOMENDÁVEIS OU PELO MENOS AS MAIS UTILIZADAS SÃO: Um tubo grande de Branco de Titânio. Cádmio Amarelo claro Cádmio Laranja Cádmio Vermelho Azul Ultramarino. Cádmio Verde Azul Pthalo Verde Pthalo Marron VanDike. Manuel Bentes, Natureza-morta, Óleo sobre Madeira, Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa
    • Os diversos produtos utilizados para diluir as tintas na pintura são chamados médiuns que podem alterar certas características das tintas de óleo. Os artistas costumam criar suas próprias fórmulas, misturando os diversos líquidos existentes no mercado. Alguns exemplos: 1. Três partes de óleo de linhaça para uma de essência de terebintina; 2. Duas partes de óleo de linhaça para uma de secante de cobalto; 3.  Duas partes de óleo de linhaça para uma de essência de terebintina e uma de verniz cristal legítimo. A consistência, a textura, o lustro/brilho e uma taxa de secura/fixação, são alguns dos factores que podem ser alterados. As tintas de óleo são uma mistura de pigmentos pulverizados e óleo de linhaça. É uma massa espessa, da consistência da manteiga, e já vem pronta para a usar, embalada em tubos ou em pequenas latas. Dissolve-se com óleo de linhaça ou terebintina (solvente) para torná-la mais diluída e fácil de espalhar. O óleo acrescenta brilho à tinta enquanto que o solvente tende a torná-la opaca. Acrescentando o óleo de linhaça a pintura demorará mais tempo a secar. Mas essa é uma grande vantagem da pintura a óleo, pois a secagem lenta da tinta permite ao pintor alterar e corrigir o seu trabalho.
    • Diluentes e solventes : Como e para que se utilizam, quais são os mais comuns e algumas das suas características mais importantes. As tintas de óleo que se comercializam, já vêem preparadas com um aglutinante oleoso que geralmente é óleo de linhaça.  Este é absorvido pelas cores de forma diferente, dependendo da natureza do pigmento. Dai que algumas cores sejam leves e outras mais densas ou que algumas sejam de secagem mais rápida e outras mais lenta. Agregar mais óleo as cores, pode ser inconveniente, já que estas vêem preparados com as quantidades suficientes.  Se for necessário, a quantidade a aditar, deverá ser mínima, já que de outra forma será alterado também o tempo de secagem da tinta e em alguns casos a longo prazo a tendência será de amarelar e escurecer as cores. Os óleos mais utilizados são os óleos de linhaça refinados.  Os diluentes mais comuns são a essência de terebintina ou a aguarrás rectificado.  É conveniente não diluir as tintas a óleo com muita quantidade de terebintina, visto que perderia aderência na tela.  A proporção ideal a misturar é de 50% de óleo de linhaça e terebintina, no entanto cada artista com o tempo e a pratica, define a sua própria proporção.
    • Para pintares a óleo poderás adquirir um cavalete para pousares a tela. Desta forma poderás proteger o teu trabalho, uma vez que ele demora muito a secar, mas também te facilita o processo criativo (melhor aproveitamento da luz e da cor). Os óleos podem ser aplicados puros, para produzir uma intensa superfície de pinceladas. Ou podem ser diluídos até se obter uma consistência semelhante à das aguarelas, ou serem aplicados com um pequeno pedaço de pano de forma a produzirem apenas uma mancha suave. Se deixares secar uma camada para depois aplicares outra por cima, podes aperfeiçoar a forma da camada anterior e criar uma superfície rica em cor e textura. Passo a passo: Desenhas a grafite ou a carvão de forma muito suave. Depois trabalhas por gamas de cores as bases do teu trabalho de forma a utilizares a paleta plena. Experimentas e misturas e bom trabalho. "Champ de coquelicots à Argenteuil" - 1873 - Claude Monet
    • Dicas: Para evitar que as desagradáveis rachaduras apareçam na sua pintura a óleo, deve-se observar uma regra técnica. É o chamado "gordo sobre magro“ ou “Fat over Lean” . Nunca se deve sobrepor camadas magras, isto é, diluídas em essência de terebintina sobre camadas de tinta diluídas em óleo de linhaça. É importante também ter cuidado com as telas convencionais feitas com óleo de linhaça compradas prontas, que deverão ser retiradas da embalagem de plástico e exposta para secagem ao ar durante o espaço de três semanas. Se a tua tela furar ou rasgar, basta colocar pedaço de pano na parte de trás. O resultado fica perfeito. A tinta na cor branco de titânio não é tóxica. Por isso, muitos artistas preferem trabalhar com ela em vez de outros tipos de branco que contêm chumbo. A cor amarelo ocre é ideal para atingir uma tonalidade discreta e, ao mesmo tempo, forte. Além disso, se acrescentares um pouquinho de azul no amarelo ocre, o resultado será um tom de verde muito bonito. A tinta verde azeitona acabou para obter este tom, basta misturares um pouco de preto como amarelo ocre. A maioria dos artistas acha que vermelho de cádmio é o tom de vermelho mais útil na pintura, principalmente quando se pinta flores. Portanto, esta cor não deve faltar em sua paleta.
    • Gustave Klimt, Faial I , cerca de 1902 Buchenwald I Óleo sobre tela, 100 x 100 cm Dresden, Modern Galerie Conhece mais: http://alyssamonks.com/ http://pt.wikipedia.org/wiki/Pintura_a_%C3%B3leo http://www.youtube.com/watch?v=1fxb8cZgrqY&NR=1 http://www.youtube.com/watch?v=0GmWJBUqQm8&feature=related http://www.youtube.com/watch?v=QfAiBEKlOV0&feature=relmfu