Aula n° 5 plasmodium

5,188 views
4,590 views

Published on

0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
5,188
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
89
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Aula n° 5 plasmodium

  1. 1. Plasmodium sp. e Malária Prof. Gildemar Crispim
  2. 2. Plasmodium sp. Reino: Protista Sub-reino: Protozoa Filo: Apicomplexa Ordem: Eucoccidiida Família: Plasmodiidae Gênero: Plasmodium P. vivax, (esquizontes) P. falciparum (gametócito em forma de banana) P. Malariae (rosácea) OBS.: P. ovale (NÃO ocorre no Brasil)
  3. 3. Malária • 2.700 a.C – médicos chineses, gregos e romanos • Hipocrátes – 460-370 aC • Mal do Pântano Camilo Golghi (Nobel1907) Observa o ciclo assexuado (1886) C. Alphonse Laveran (Nobel1907) Descobre os parasitas no sangue de um paciente 1880 Ronald Ross (Nobel1902) O mosquito transmite a malária (1897-1898)
  4. 4. Malária • 1940 - 1950 • Implementação massiva do uso do DDT e da cloroquina • 1976 • Trager & Jansen – cultivo in vitro de P. falciparum • 1960 – WHO Programa de Erradicação da Malária • Várias regiões se viram livres da malária, mas em muitas as medidas foram inócuas ou inaplicáveis • Aparecimento de cepas de plasmódio resistentes ao medicamento • Resistência do anofelino ao DDT • DDT – tóxico para humanos e animais • 1989 – WHO - Programa de Controle Integrado da Malária torna-se prioridade global
  5. 5. Malária • É um problema de saúde em mais de 90 países • WHO – 41% da população mundial vive em área de transmissão da malária • Ampla distribuição - Ásia, parte da África, Oriente-Médio, Oceania, América Central e Sul • 350 – 500 milhões de casos notificados anualmente • ~ 1 milhão de óbitos (maioria crianças da região do sub-Saara) • 1995 (Região de alta transmissão) – 990.000 mortes ­ + 2.700 mortes por dia, 2 por minuto • 2002 – 4° causa de morte em crianças nos países em desenvolvimento (~10,7%) • Complicações no parto, Pneumonias e doenças diarréicas. • Na África, a doença mata 1 de cada 20 crianças antes dos 5 anos de vida Fonte: http://www.malaria.org
  6. 6. Malária • Mais de 150 spp de Plasmodium • Aves, roedores e macacos • Apenas 4 infectam o homem • Plasmodium vivax • P. falciparum • P. malariae • P. ovale (não encontrado no Brasil) • A morfologia dos plasmódios é muito diversificada • Fase do ciclo biológico • Espécie • Plasmódio – HETEROXENO • Ciclo sexuado – mosquito (Hospedeiro definitivo) • Ciclo assexuado – vertebrado (Hospedeiro intermediário)
  7. 7. Distribuição da malária no mundo. Fonte: http://www.medicalecology.org/diseases/malaria/malaria.htm
  8. 8. Morfologia • Esporozoíto • Forma infectante do parasito • Presente na glândula salivaria do mosquito • Esquizonte pré-eritrocítico • Forma presente no hepatócito após reprodução assexuada (merozoíto) • Trofozoíto jovem • Forma encontrada dentro das hemácias • Aspecto de anel • Trofozoíto maduro ou amebóide • Forma encontrada dentro das hemácias • Citoplasma irregular • Esquizonte • Forma encontrada dentro das hemácias • Citoplasma irregular e vacuolizado • Núcleo já se apresenta dividido
  9. 9. Morfologia • Rosácea ou Merocíto • • Ainda dentro da hemácia merozoítos • Merozoíto • Forma ovalada, contendo um núcleo • Células preparadas para perfurar hemácias • Macrogametócito • Célula sexuada feminina, • Encontrada dentro das hemácias • Microgametócito • Célula sexuada masculina, • Encontrada dentro das hemácias • Ovo ou zigoto • Forma esférica, encontrada na luz do estomago do mosquito P. vivax (gametócitos) • Formada pela fecundação do macrogameta pelo microgameta
  10. 10. Morfologia • Oocineto • Forma alongada e móvel • Presente entre a luz e parede do estomago do mosquito • Oocisto • É o ovo ou zigoto encistado na parede do estomago do mosquito • Originará os esporozoítos
  11. 11. Formas evolutivas do parasita Hospedeiro Vertebrado: Hospedeiro Invertebrado: ­ Esporozoíta ­ Micro/macrogameta ­ Trofozoíta ­ Ovo ou Zigoto* ­ Esquizonte ­ Oocineto* ­ Merozoíta ­ Oocisto* ­ Gametócitos (microgametócito e macrogametócito) ­ Esporozoíta * Estágios diplóides
  12. 12. Ciclo de transmissão da Malária
  13. 13. Formas sangüíneas de Plasmodium (dentro das hemácias)
  14. 14. Estágios invasivos de Plasmodium Oocineto ­ ­ ­ Forma alongada, móvel Encontrado entre a luz e a parede o estômago do mosquito 10 – 20 μm Esporozoíta ­ ­ ­ Forma infectante, móvel Glândulas salivares do mosquito 11 mm X 1 mm Merozoíta ­ ­ ­ Forma ovalada, imóvel 1-5 mm X 2 mm Células preparadas para perfurar hemácias
  15. 15. Vetor: Anopheles sp. Anopheles darlingi • Anopheles aquasalis • Anopheles nuneztovari • Anopheles gambiae • A transmissão ocorre pela inoculação de formas esporozoítas de Plasmodium durante a picada da fêmea do mosquito Obs.: Mais de 60 sp já catalogadas de Anopheles
  16. 16. Distribuição global dos vetores dominantes ou potencialmente importantes da malária. Fonte: http://www.medicalecology.org/diseases/malaria/malaria.htm
  17. 17. Formas de transmissão • Vetorial • Congênita • Transfusão sangüínea • Troca/compartilhamento de seringas contaminadas • Acidente laboratorial
  18. 18. Patogenia e Sintomatologia • Período de incubação • Varia de acordo com a espécie de Plasmodium • Em média 15 dias • Acesso malárico • Calafrios e tremores, temperatura em elevação • Febre alta, sensação de calor e cefaléia intensa • Queda da temperatura, sudorese • Os acessos maláricos se repetem com intervalos diferentes de acordo com a espécie do parasito • P. falciparum – intervalos de 36 a 48 horas • P. vivax – acessos em dias alternados, 48 em 48 horas • P. malariae – os acessos se repetem a cada 72 horas
  19. 19. Patogenia e Sintomatologia Complicações da Malária • Malária cerebral • Anemia grave • Insuficiência renal • Edema pulmonar agudo • Hiperplasia e hiperatividade das células do SFM
  20. 20. Tratamento Esquema recomendado no Brasil: • P. vivax • Cloroquina – para forma sangüíneas • Primaquina – forma hepáticas • P. falciparum • Malária não grave • Quinina/doxiciclina • Quinina/tetraciclina • Malária grave • Artesunato/mefloquina • Quinina/clindamicina NÂO há, ainda, uma vacina
  21. 21. Malária no Brasil • 99,5% dos casos de malária no Brasil ocorrem na região amazônica • AC, AM, AP, PA, RO, RR, TO, MA, MT • População dispersa e difícil de ser atingida • Migrações locais constantes (alimento e trabalho) • Moradia inadequada • Provável existência de P. falciparum cloroquino-resistente e do anófeles DDT - resistente • No Brasil, ocorre uma média de 400 – 500 mil casos por ano • P. vivax é a espécie predominante • ~ 80% dos casos • Estados com os maiores números de casos: • Amazonas • Pará
  22. 22. Número de casos de Malária, Amazônia Legal. Brasil 1999 – 2004.
  23. 23. Distribuição dos casos de Malária segundo grupo etário, Amazônia Legal. Brasil 2004. Fonte: SISMAL/SIVEP/SVS/MS
  24. 24. Diagnóstico • Clínico • O diagnóstico facilitado: • Paciente indica ter passado por região endêmica • Submetido a transfusão de sangue suspeita • Presença de sintomas típicos • Laboratorial • Sorologia • Parasitológico • Epidemiológico • Visa avaliar a prevalência da doença em uma população de determinada região
  25. 25. Profilaxia – medidas gerais de controle da Malária • Reduzir o tempo de diagnóstico e tratamento da malária • Aprimorar e agilizar o sistema de informação da malária • Desenvolver atividades de educação sanitária e ambiental • Estimular a participação comunitária • Uso de repelente, mosquiteiros e telas • Combate ao vetor • Fase adulta • Fase larvária • Aplicação de inseticida nos criadouros • Monitorar a resistência às drogas e inseticidas • Promover obras de drenagem e manejo ambiental em áreas endêmicas

×