Your SlideShare is downloading. ×
0
Apresentação   Mediação de conflitos - Promotor de Polícia Comunitária
Apresentação   Mediação de conflitos - Promotor de Polícia Comunitária
Apresentação   Mediação de conflitos - Promotor de Polícia Comunitária
Apresentação   Mediação de conflitos - Promotor de Polícia Comunitária
Apresentação   Mediação de conflitos - Promotor de Polícia Comunitária
Apresentação   Mediação de conflitos - Promotor de Polícia Comunitária
Apresentação   Mediação de conflitos - Promotor de Polícia Comunitária
Apresentação   Mediação de conflitos - Promotor de Polícia Comunitária
Apresentação   Mediação de conflitos - Promotor de Polícia Comunitária
Apresentação   Mediação de conflitos - Promotor de Polícia Comunitária
Apresentação   Mediação de conflitos - Promotor de Polícia Comunitária
Apresentação   Mediação de conflitos - Promotor de Polícia Comunitária
Apresentação   Mediação de conflitos - Promotor de Polícia Comunitária
Apresentação   Mediação de conflitos - Promotor de Polícia Comunitária
Apresentação   Mediação de conflitos - Promotor de Polícia Comunitária
Apresentação   Mediação de conflitos - Promotor de Polícia Comunitária
Apresentação   Mediação de conflitos - Promotor de Polícia Comunitária
Apresentação   Mediação de conflitos - Promotor de Polícia Comunitária
Apresentação   Mediação de conflitos - Promotor de Polícia Comunitária
Apresentação   Mediação de conflitos - Promotor de Polícia Comunitária
Apresentação   Mediação de conflitos - Promotor de Polícia Comunitária
Apresentação   Mediação de conflitos - Promotor de Polícia Comunitária
Apresentação   Mediação de conflitos - Promotor de Polícia Comunitária
Apresentação   Mediação de conflitos - Promotor de Polícia Comunitária
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Apresentação Mediação de conflitos - Promotor de Polícia Comunitária

7,256

Published on

Parte integrante do Curso de Promotor de Polícia Comunitária - Bahia

Parte integrante do Curso de Promotor de Polícia Comunitária - Bahia

Published in: Education
0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
7,256
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
240
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. CURSO DE PROMOTOR DE POLÍCIA COMUNITÁRIA MEDIAÇÃO E DEMAIS MEIOS DE RESOLUÇÃO PACÍFICA DE CONFLITOS E A POLÍCIA COMUNITÁRIA INSTRUTORA : GILDA SANDES
  • 2. <ul><li>China e Japão (desde a antiguidade) </li></ul><ul><li>Atualmente: </li></ul><ul><li>Canadá; Estados Unidos; França; Espanha; Austrália e Argentina. </li></ul><ul><li>No Brasil ( a partir da década de 80). </li></ul>
  • 3. <ul><li>Em média, 60% dos chamados policiais no Brasil são de situações de administração de conflitos (SENASP, 2006). </li></ul><ul><li>Exemplo: </li></ul><ul><li>Vias de Fato, agressão, ameaça, sonegação de débito, etc. </li></ul>
  • 4. Os conflitos existem desde o início da humanidade. Fazem parte do processo de evolução dos seres humanos. Caim e Abel
  • 5. ENTENDENDO O CONFLITO O MAIS COMUM É O PROCESSO ONDE UMA DAS PARTES ENVOLVIDAS PERCEBE QUE A OUTRA PARTE FRUSTROU OU IRÁ FRUSTRAR OS SEUS INTERESSES.
  • 6. <ul><li>São inerentes às relações humanas; </li></ul><ul><li>São inevitáveis (contato ineficaz); </li></ul><ul><li>Resultado: </li></ul><ul><li>Conflito  Violência  CRIME </li></ul>
  • 7. O que são conflitos? Quaisquer situações em que forças, seres, interesses, sentimentos ou outros elementos com poder de ação encontrem-se em posições antagônicas, buscando fins, interesses diversos. Conflitos são formas de interação social. Conflitos são reciprocamente construídos.
  • 8. <ul><li>O PROBLEMA </li></ul><ul><li>O Brasil observa atualmente um grave quadro de conflitos sociais que se estendem por diferentes esferas. A família, a escola, os órgãos de segurança pública, entre outros, são sempre citados por estarem falhando no cumprimento de suas funções sociais. </li></ul><ul><li>SÃO CADA VEZ MAIORES A SENSAÇÃO DE INSEGURANÇA E A REVOLTA DA POPULAÇÃO!! </li></ul>
  • 9. <ul><li>A RESPOSTA </li></ul><ul><li>Cobradas pela sociedade e em virtude da violência que se agrava constantemente, as autoridades implementam meios repressivos com o objetivo de tentar conter a onda de agressividades que parece incontrolável. </li></ul><ul><li>Apesar disso, a violência continua presente e noticiada pela imprensa, tornando urgente a criação de alternativas inovadoras que possam bem administrar os conflitos existentes. </li></ul>
  • 10. “ Quando um não quer, dois não brigam.”
  • 11. &nbsp;
  • 12. Na Resolução Judicial , não temos qualquer participação no processo decisório, pois o juiz que atuará em nosso caso é quem julga e decide sem nos ouvir, a não ser por meio das petições. Na Arbitragem , podemos escolher o árbitro que irá decidir em nosso conflito. Na Conciliação , escolhemos o conciliador que irá nos auxiliar a alcançar uma solução para o conflito. Na Mediação , escolhemos o mediador, que irá facilitar nosso diálogo com a outra parte. Na Negociação , somos nós mesmos que iremos buscar sozinhos a resolução do conflito. RESOLUÇÃO JUDICIAL ARBITRAGEM CONCILIAÇÃO MEDIAÇÃO NEGOCIAÇÃO
  • 13. “ A mediação de conflitos pode ser genericamente definida como a interferência consentida de uma terceira parte em uma negociação ou conflito instalado, com poder de decisão limitado, cujo objetivo é conduzir o processo em direção a um acordo satisfatório, construído voluntariamente pelas partes e, portanto, mutuamente aceitável em relação às questões em disputa” (Christopher W. Moore)
  • 14. <ul><li>Promover qualidade de vida a sociedade, alcançando soluções menos desgastantes aos cidadãos. </li></ul><ul><li>Efetivar uma solução rápida e duradoura para o conflito. </li></ul><ul><li>Trazer ganhos a ambas as partes conflitantes. </li></ul>
  • 15. <ul><li>Qualquer situação de conflito interpessoal. </li></ul><ul><li>Conflito Interpessoal: divergência ou contraposição de desejos e/ou necessidades entre as pessoas. </li></ul>
  • 16. Características do Processo de Mediação <ul><li>Processo participativo e flexível; </li></ul><ul><li>Proponhe-se a devolver às pessoas o controle sobre o conflito; </li></ul><ul><li>Trabalha a comunicação e o relaciomento entre as partes; </li></ul><ul><li>É confidenciável; </li></ul><ul><li>Não existe julgamento ou oferta de soluções. As saídas são encontradas em conjunto entre as partes; </li></ul><ul><li>Independem da formação universitária do mediador, mas impõe capacitação específica; </li></ul><ul><li>Aplicação relevante em conflitos escolares, familiares, empresariais, na área penal, nas relações de trabalho, em comunidades, entre outras. </li></ul>
  • 17. O Mediador A FUNÇÃO DO MEDIADOR É A DE ATUAR COMO PARTE NEUTRA E FACILITADORA NA BUSCA DA SOLUÇÃO DE UM CONFLITO ENTRE PARTES.
  • 18. Quem é o Mediador? <ul><li>Imparcial / Neutro </li></ul><ul><li>Crédito / Confiança </li></ul><ul><li>Compreender a dimensão do conflito </li></ul><ul><li>Conhecimento legal </li></ul><ul><li>Tem um olhar imparcial da situação problema, visualizando-a sob uma terceira dimensão. </li></ul><ul><li>Cria uma atmosfera de cooperação e concentração nas questões do conflito. </li></ul><ul><li>Busca as partes para a razão e salienta atitudes ou propostas irrealistas. </li></ul><ul><li>Fornece informações legais. </li></ul><ul><li>Terceiro estranho ao conflito, escolhido ou aceito pelas partes. </li></ul>
  • 19. CARACTERÍSTICAS DO MEDIADOR BOA COMUNICAÇÃO CONFIABILIDADE SERENIDADE SABER ESCUTAR PONDERAÇÃO HONESTIDADE VISÃO ABERTA OBSERVADOR FLEXIBILIDADE PACIÊNCIA NEUTRALIDADE ÉTICA SIGILO IMPARCIALIDADE PROCESSO DE NEGOCIAÇÃO CONHECEDOR DO COMPORTAMENTO HUMANO
  • 20. <ul><li>Mediação </li></ul><ul><li>ganhador </li></ul><ul><li>Conflito  mediação </li></ul><ul><li>ganhador </li></ul><ul><li>Processo jurídico : </li></ul><ul><li>ganhador </li></ul><ul><li>Conflito  processo </li></ul><ul><li>perdedor </li></ul>
  • 21. <ul><li>A mediação de conflitos é utilizada como forma de prevenção, atuando junto a comunidade (na raiz do problema). Agindo em situações que podem não configurar propriamente crime, mas são situações que se não tiverem uma solução definitiva, podem culminar em grandes tragédias. </li></ul><ul><li>O que pretende-se não é simplesmente um acordo, mas uma transformação no comportamento relacional dos indivíduos conflitantes. </li></ul>
  • 22. <ul><li>Utilização das técnicas de ADRs nos atendimentos diários em conflitos interpessoais; </li></ul><ul><li>Encaminhamento para os núcleos especializados; </li></ul><ul><li>Participarem como mediadores em núcleos de mediação. </li></ul>
  • 23. <ul><li>Integração de ações entre os agentes comunitários e de segurança, gestores públicos, técnicos, atores de implementação de Justiça (Judiciário, Defensoria, Ministério Público), saúde, educação. </li></ul><ul><li>Objetivo: montagem de núcleos técnico-comunitários de mediação. </li></ul>
  • 24. &nbsp;

×