• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Primeiros socorros  Proº Gilberto de Jesus
 

Primeiros socorros Proº Gilberto de Jesus

on

  • 6,229 views

 

Statistics

Views

Total Views
6,229
Views on SlideShare
6,229
Embed Views
0

Actions

Likes
2
Downloads
200
Comments
3

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel

13 of 3 previous next Post a comment

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Primeiros socorros  Proº Gilberto de Jesus Primeiros socorros Proº Gilberto de Jesus Presentation Transcript

    • ATENDIMENTO PRÉ-HOSPITALAR APH• É a prestação de suporte básico ou avançado de vida, por profissional qualificado e habilitado de acordo com a legislação vigente para, avaliar, identificar e corrigir, no local da ocorrência, os problemas que comprometam a vida de uma vítima acidentada ou de quem sofra de uma emergência médica, transportando-a com segurança ao recurso hospitalar. Primeiros Socorros Objetivo• Otimizar o atendimento à vítima e minimizar o tempo de atendimento pré – hospitalar auxiliando o serviço de Resgate
    • ASPECTOS LEGAIS DO ATENDIMENTO• IMPRUDÊNCIA: Expor-se a si próprio e/ou a outrem a um risco ou perigo sem as precauções necessárias para evitá-los.’• IMPERÍCIA Falta de conhecimento técnico ou destreza em determinada arte ou profissão.• NEGLIGÊNCIA Descumprimento dos deveres elementares correspondentes a determinada arte ou profissão.
    • ASPECTOS LEGAIS DO ATENDIMENTO• OMISSÃO DE SOCORRO• Forma Legal de Acordo com o Código Penal• Art. 135. Deixar de prestar assistência, quando possível fazê-lo sem risco pessoal, à criança abandonada ou extraviada, ou à pessoa inválida ou ferida, ao desamparo ou em grave e iminente perigo; ou não pedir, nesses casos, o socorro da autoridade pública.
    • DEFINIÇÕES• EMERGÊNCIA pressa e rapidez, necessidade imediata (risco de morte).• URGÊNCIA ocorrência perigosa, situação crítica.
    • Procedimentos IniciaisO INÍCIO “ 3 S ”• SAFETY - Segurança• Scene - Cena• Situation - Situação PRECAUÇÕES UNIVERSAIS ...
    • SOCORRISTA SEGURO
    • LOCAL SEGURO
    • VÍTIMA SEGURA, CENA SEGURA
    • AVALIAÇÃO DA VÍTIMA• Qualquer medida de primeiros socorros é precedida por avaliação da vítima, com a finalidade de detectar os problemas que a acometem e prestar os cuidados necessários por ordem de prioridade.• Avaliação em duas etapas : primária e secundária• Exame sucinto e sistematizado da vítima, que permite detectar situações que ameaçam a vida.• A frase DR. ABCDE - resume a avaliação inicial ou primária
    • Avaliação da Vítima• D (danger) perigo - deve-se lembrar dos três “ S “ segurança (safety) do local, da equipe e da vítima, cena (scene), situação (situation) se está controlada ou necessita apoio• R (responsive) responsividade – presença de consciência• A (airway) via aéreas – pérvias e imobilização da coluna cervical• B (breathing) respiração e ventilação• C (circulation) circulação e controle de grandes hemorragias• D (disability) avaliação neurológica• E ( exposition) exposição-prev hipotermia
    • • CONSIDERAÇÕES• Se houver resposta da vítima, significa que a respiração e circulação da mesma estão presentes• Se não houver resposta aos comandos, pedir ajuda providenciar a abertura de vias aéreas
    • A - (airway)• Abertura de vias aéreas• Vítima em posição supina, superfície rígida e plana se estiver em decúbito ventral deve-se rolar a vítima em bloco ( cabeça, pescoço, ombros e dorso alinhados )
    • Vítimas sem história de trauma• Head Tilt - Chin Lift (Inclinação da cabeça e elevação do mento)
    • • Após liberação de vias aéreas proceder limpeza de cavidade oral• Imobilização da coluna cervical - limita o movimento de flexão e extensão do pescoço e lateralização• Flexão e extensão - colar cervical• Lateralização - coxins laterais
    • B ( breathing )• Avaliação da respiração – ver, ouvir e sentir• Expansividade torácica - existência e simetria• Qualidade respiratória - amplitude e freqüência• Em caso de obstrução - aplicar as manobras apropriadas
    • VER / OUVIR / SENTIR
    • C ( circulation )• Pulso grandes artérias - carótida e femoral• Pulso periférico - radial e braquial• Avaliar - presença de pulso, amplitude, regularidade e freqüência• Checar perfusão periférica• Presença de hemorragias
    • C ( circulation )
    • CHECAR CIRCULAÇÃO ECONTROLAR HEMORRAGIAS
    • D ( disability )• Nível de consciência• AVDI e Pupilas• A = Alerta• V = Verbal ( responde a estímulo )• D = Doloroso• I = Inconsciente ( não responde )
    • E ( exposition) exposição• Previnir Hipotermia, queda da temperatura do corpo;• Afrouxar as vetes da vítima, sem exposição desnecessária;
    • Engasgamento• Vítima não consegue falar ou tossir;• Sinais de asfixia;• Aspiração de corpo estranho testemunhada;• Vítima inconsciente, mesmo com manobras de desobstrução, os pulmões não podem ser inflados. Condutas:• Se a vítima estiver consciente estimular a tossir;• Se a vítima não consegue falar, respirar ou tossir com força: Manobra de Heimlich.
    • Heimlich:• Posiciona-se atrás da vítima envolvendo-a com os braços;• Coloca-se uma das mãos fechadas e com o polegar voltado para dentro, na região intermediária entre o umbigo e o processo xifóide.• Com a outra mão apoiando a primeira efetuar cinco compressões para trás e para cima;• Fazer a manobra até a desobstrução total, ou até a inconsciência.
    • Heimlich em vítima consciente:
    • Heimlich:
    • Heimlich:
    • Engasgamento• Para as vítimas inconscientes, o socorrista iniciará a RCP para desobstrução das vias aéreas...• ... ao término do ciclo da RCP, abra a boca da vítima, inspecione visualmente e remova somente corpos estranhos visíveis
    • Heimlich em vítima inconsciente:• Deitar a vítima;• Liberar vias aéreas;• Busca visual;• 5 compressões abdominais.
    • Heimlich em vítima inconsciente:
    • TCE(TraumatismoCranioencefalico)Neuroanatomia Frontal Parietal Temporal Occipital
    • Neuroanatomia
    • Trauma Cranioencefálico• Principal causa de morte na população jovem• 50% das mortes traumáticas e 60% das mortes em acidentes automobilísticos estão relacionadas ao TCE.• Um TCE a cada 15 seg. no mundo e uma morte ou sequela permanente a cada 5 min.
    • Trauma cranioencefálicoTipos• Lesões de couro cabeludo - Aparência dramática mas geral/e sem gravidade
    • Trauma cranioencefálicoTipos• Lesões cerebrais:• 1) Fratura de crânio a) Fratura de base de crânio b) Fratura de calota craniana b.1 Fratura linear sem afundamento b.2 Fratura linear com afundamento,diversos ou compostas
    • Trauma cranioencefálico
    • Trauma cranioencefálico
    • Trauma cranioencefálico
    • Escala de Coma de Glasgow Espontânea 4 Abertura Á voz 3 dos olhos Á dor 2 S/resposta 1 Orientada Confusa 5 4 Resposta Palavras inapropriadas 3 Verbal Sons incompreensíveis 2 S/resposta 1 Obedece a ordens 6 Resposta Localiza a dor 5 Motora Fuga a dor 4 Flexão anormal 3 Extensão anormal 2 Sem resposta 1
    • PARADA CÁRDIO RESPIRATÓRIA (PCR)• A PCR é o estado em que o indivíduo encontra se com ausência de batimentos cardíacos eficazes e ausência de respiração.
    • Introdução:• Doença Coronariana: • Hereditariedade • Idade; • Tabagismo; • Hipertensão; • Sedentarismo; • Obesidade; • Etc.
    • Introdução: • 2/3 ocorrem fora do hospital; • 70% em casa; • Duas primeiras horas após os sintomas.SITUAÇÕES• Trauma:• Acidentes;• Ferimentos por arma de fogo.
    • • PCR : • Em 4 minutos inicia-se o dano cerebral; • Em torno de 10 minutos ocorre a morte. Identificação:• Inconsciência;• Ausência de Pulso;• Ausência de Respiração
    • Procedimento de Reanimação Cardio-Pulmonar1. Constatar inconsciência;2. Pedir ajuda;3. Posicionar a vítima;4. Posicionamento do socorrista;5.Iniciar 30 compressões torácicas;6.Efetuar 5 ciclos de 2 ventilações e 30 compressões;7.Checar pulso;8. Reiniciar
    • QUEIMADURAS• Queimadura é uma lesão produzida no tecido de revestimento do organismo por agentes térmicos (calor), produtos químicos, etc. Pode-se dividir a queimadura em graus, de acordo com a profundidade.
    • QUEIMADURAS• Primeiro grau: atinge somente a epiderme. Caracteriza-se por dor local e vermelhidão da área atingida.
    • QUEIMADURAS• Segundo grau: atinge a epiderme e a derme. Caracteriza-se por dor local, vermelhidão e formação de bolhas d’água.
    • QUEIMADURAS• Terceiro grau: atinge o tecido de revestimento, alcançando o tecido muscular, podendo chegar até o ósseo. Caracteriza-se pela pele escurecida ou esbranquiçada e as vítimas podem se queixar de muita dor ou não.
    • 4,5 % 4,5 % 18 % 18 %4,5 % 4,5 % 1% 9% 9% Regra dos nove ADULTO
    • “Regra dos Nove” 18% 9% Palma da9% mão da vitima = 18% (1% da superfície 1%13,5% 13,5% corpórea) Criança
    • TRATAMENTO• Resfriar a área da queimadura, banhando com água fria para amenizar a dor.• Retirar anéis e pulseiras da vítima, para não estrangularem as extremidades dos membros• Não perfurar as bolhas em queimaduras de 2º grau.• Não aplicar medicamentos nas queimaduras.
    • AFOGAMENTO
    • INTRODUCÃO: • O que é afogamento ?É a asfixia gerada por aspiração de líquido de qualquernatureza que venha a inundar o aparelho respiratório.Haverá suspensão da troca ideal de oxigênio e gáscarbônico pelo organismo.
    • SINAIS E SINTOMAS:* Em um quadro geral pode haver hipotermia (baixatemperatura corporal), náuseas, vômito, distensãoabdominal, tremores , cefaléia (dor de cabeça), mal estar,cansaço, dores musculares. Em casos especiais podehaver apnéia (parada respiratória), ou ainda, uma paradacárdio-respiratória
    • Primeiros socorros:
    • POLITRAUMATISMO
    • 1. Posicione avítima sentada com acabeça levementeinclinada para a frente.2. Comprima anarina sangrante porcerca de 5 minutos.3. Utilizecompressas frias sobre aface para auxiliar nocontrole dosangramento.
    • DESMAIO (SÍNCOPE)• O desmaio consiste na perda transitória da consciência e da força muscular, fazendo com que a vítima caia ao chão
    • Fatores desencadeantes• Subnutrição• Cansaço• excesso de sol• Stress• Nervosismo• angústia• emoções fortes• intercorrência de muitas outras doenças.
    • IDENTIFICAÇÃO• Tontura• Sensação de mal-estar• Pele fria, pálida e úmida.• Suor frio• Perda da consciência
    • TRATAMENTO• Arejar o ambiente.• Afrouxar as roupas da vítima.• Deixar a vítima deitada e, se possível, com as pernas elevadas.• Não permitir aglomeração no local para não expor a vítima.
    • CRISE EPILÉTICA• A epilepsia é uma doença do sistema nervoso central que se caracteriza por causar crises de convulsões (ataques) em sua forma mais grave.• Os ataques ou convulsões se caracterizam por: · Queda abrupta da vítima. · Perda da consciência. · Contrações de toda a musculatura corporal. · Aumento da atividade glandular com salivação abundante e vômitos.
    • TRATAMENTO• Contenção dos movimentos da cabeça;• Deve-se deixar a vítima com roupas leves e desapertadas (as contrações musculares aumentam a temperatura corpórea)• virá-lo de lado para que não aspire as secreções ou o vômito para os pulmões.• Cessada a crise, que dura de 1 a 5 minutos, realizar assepsia na vítima e mantê-la em repouso em ambiente adequado.• É preciso que os curiosos sejam afastados do local
    • MORTE
    • DEFINIÇÕES• MORTE uma vítima está clinicamente morta CLÍNICA quando cessa a respiração e o coração para de bater.• MORTE quando as células do cérebro morrem, BIOLÓGICA correspondem a morte encefálica. • MORTE ÓBVIA ...
    • “ O maior perigo a que umacidentado pode expor-se emuma situação de emergência,muitas vezes é a imperícia dapessoa disposta a prestar-lhe ajuda”.gilbertojsantos@yahoo.com.br