Medicação em pediatria

63,172 views
62,544 views

Published on

Prof° Gilberto de Jesus- Medicação em Pediatria

Published in: Health & Medicine, Spiritual
11 Comments
48 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
63,172
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
19
Actions
Shares
0
Downloads
1,030
Comments
11
Likes
48
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Medicação em pediatria

  1. 1. CALCULO E ADMINISTRAÇÃODE MEDICAÇÕES EMPEDIATRIAEnf. Gilberto JesusProf° Enf° Gilberto de Jesus
  2. 2. Sete Certos na Administração deMedicaçõesPaciente certoMedicação certaHorário certoVia certaDosagem certaProcedimento certoAbordagem certaProf° Enf° Gilberto de Jesus
  3. 3. Paciente CertoSempre identificar o paciente antesda administração do medicamento, conferindo o nome, nº do leito e quarto.Prof° Enf° Gilberto de Jesus
  4. 4. Dosagem Certa A dosagem deve ser calculada com precisãoobservando atentamente a prescrição médica. A maioria das apresentações dos fármacos sãodestinadas a adultos. Para administração em crianças é necessáriofracionar os medicamentos.Prof° Enf° Gilberto de Jesus
  5. 5. Medicação Certa A medicação deve ser checada durante o seupreparo e antes da administração. Toda medicação deve ter identificaçãocontendo:Nome do medicamentoDosagemHorárioVia de administraçãoNome e Nº do leitoProf° Enf° Gilberto de Jesus
  6. 6. Horário CertoÉ importante que os horários deadministração dos medicamentossejam obedecidos com rigor, paraque se mantenha um nível séricoda droga circulando noorganismo..Prof° Enf° Gilberto de Jesus
  7. 7. Horário CertoNo caso dos medicamentosantimicrobianos, se ocorrerdiminuição da concentração dadroga circulante, osmicrorganismos encontrammeio próprio para suaproliferação.Prof° Enf° Gilberto de Jesus
  8. 8. Horário CertoNunca esquecer dechecar o horário prescritopara evitar que se repita adose já administrada.Prof° Enf° Gilberto de Jesus
  9. 9. Via certa A escolha da via dependerá de uma série de fatores:. Tempo de absorção desejado. Solução a ser administrado ( ex: soluções oleosas) Condições do paciente Rede venosa danificadaProf° Enf° Gilberto de Jesus
  10. 10. Via CertaCabe ao enfermeiro e ao médicoavaliar as condições do pacienteprincipalmente da criança para queoutra via seja escolhida.Prof° Enf° Gilberto de Jesus
  11. 11. Procedimento Certo Preparar os medicamentos com técnicasassépticas baseados em princípioscientíficos:1) Lavar as mãos2) Manipular materiais e medicamentossegundo técnicas específicas evitandocontaminação do material ou medicamento.3) Nunca faça associações de medicamentos.Prof° Enf° Gilberto de Jesus
  12. 12. OBSERVAÇÃO Mesmo que não observemosmacroscopicamente alterações. Muitas reaçõesquímicas acontecem sem alterações visíveis. Na mistura de drogas, as reações químicaspodem alterar as propriedades dosmedicamentos, alterando seu efeito.Prof° Enf° Gilberto de Jesus
  13. 13. Procedimento Certo4) Evitar falar durante o preparo dos medicamentos.Evitando distrações durante o preparoEvitando contaminações por gotículas de salivasexpelidas durante conversa.Prof° Enf° Gilberto de Jesus
  14. 14. Procedimento Certo5) Triturar e dissolver em água após ser feito cálculosegundo a diluição pegar o valor correspondente àdosagem prescrita.Utilizar recipientes pequenos para evitar perdasdo medicamento na parede do recipiente.Prof° Enf° Gilberto de Jesus
  15. 15. Diluição de frasco ampola 1)Lavar as mãos 2)Aspirar solvente em seringa 3) Introduzir solvente no frasco ampolaevitando a formação de bolhas na superfíciesuperior da solução o que dificultará adiluição correta do medicamento. 4) Realizar movimentosrotatórios, promovendo a completa dissoluçãoe homogeneização da solução.Prof° Enf° Gilberto de Jesus
  16. 16. ObservaçãoDeve-ser ter especial atenção nas administrações demedicações em recém-nascidos, crianças pequenas epacientes com restrição hídrica, pois grandes volumespodem levar á hiper-hidratação.Prof° Enf° Gilberto de Jesus
  17. 17. ABORDAGEM CERTA Preparar o paciente antes da administraçãodo medicamento visa diminuir o estresse. A abordagem de pacientes que possuemcerto grau de compreensão visam obter suacolaboração, confiança, tornando oprocedimento menos doloroso. Não enganar ou associar o procedimento aum castigo por mau comportamento.Prof° Enf° Gilberto de Jesus
  18. 18. Diluição de frasco ampola 5) Escolher a via de administração dadroga, avaliando bem a musculatura dopaciente, calculando o volume máximo deadministração, por vias IM e ID 6) Controlar gotejamento em medicações IVem crianças, controlando em bureta. 7) Não deixar medicamentos no quartojunto ao leito do paciente, o que poderáacarretar em sérios acidentes.Prof° Enf° Gilberto de Jesus
  19. 19. ATENÇÃO!!!!Prof° Enf° Gilberto de Jesus
  20. 20. ATENÇÃO Quem deve administrar o medicamento?Resp: Sempre deve ser administrado por quem opreparou. Nunca, administrar medicamentos preparados poroutras pessoas.Prof° Enf° Gilberto de Jesus
  21. 21. Administração demedicamentos por via IM Definição: consiste na administração de umasolução medicamentosa no interior do músculo. Finalidade: A) Administrar soluções aquosas e soluçõesoleosas, obtendo rápida absorção B) Administrar medicamentos que poderiam seralterados pelas enzimas digestivas. C)Administração medicamentos em pacientes eprincipalmente crianças, sem condições dedeglutir.Prof° Enf° Gilberto de Jesus
  22. 22. Material Medicamento prescrito e diluente se necessário Agulha descartável 40x12 Agulha descartável calibre adequado (,25x6, 25x7 e30x7) Seringa descartável Bolas de algodão com álcool á 70%.Prof° Enf° Gilberto de Jesus
  23. 23. Calibre daagulhaLocal Características dopaciente30X7 mm *Ventro glúteo*Dorso Glúteo*Pacientes adultos*Homens c/ peso corpóreoentre 60 e 118 Kg*Mulheres entre 60 e 90Kg25X7mm *Deltóide*Vasto lateralda coxa*Pacientes adultos*Mulheres c/ peso superiora 90Kg, indicam-se agulhascom pelo menos 3,8 decomprimento.25x6mm *Vasto lateralda coxa*Crianças a avaliaçãoclínica é imprescindívelpara tomada de decisãoProf° Enf° Gilberto de Jesus
  24. 24. 5 Músculos podemos selecionarDeltóideDorso glúteoVasto Lateralda CoxaVentro glúteoReto FemoralProf° Enf° Gilberto de Jesus
  25. 25. Idade Deltóide VentroglúteoDorsoglúteoVastolateralPrematuro - - - 0,5Neonatos - - - 0,5Lactentes - - - 1,03 a 6anos- 1,5 1,0 1,56 a 14anos0,5 1,5-2,0 1,5-2,0 1,5Adolescente1,0 2,0-2,5 2,0-2,5 1,5-2,0Adulto 1,0 4,0 4,0 4,0Seleção do local de aplicação de IM evolume máximo a ser administrado.Prof° Enf° Gilberto de Jesus
  26. 26. Aplicação IMProcedimento 1) Lavar as mãos 2) Reunir material 3) Avaliar condições da musculatura 4) Escolher local apropriado levando emconsideração:Prof° Enf° Gilberto de Jesus
  27. 27. Considerações Presença de lesões Cicatrizes Edemas Irrritações da pele Distância de vasos e nervos importantes Espessura do tecido adiposo Irritabilidade da droga Idade Tamanho da musculatura,que deve ser grande paraabsorver o medicamento.Prof° Enf° Gilberto de Jesus
  28. 28.  5) Posicionar o paciente, ou orientar aposição que deve adotar. 6) Expor apenas a área de aplicação. 7) Fazer anti-sepsia do local em sentidoúnico com algodão e álcool a 70%. 8) Deixar secar espontaneamente; 9)Segurar o algodão entre os dedosmínimos e anular;Aplicação IMProf° Enf° Gilberto de Jesus
  29. 29. Aplicação IM 10) Segurar a pele do local mantendo firmeo músculo; 11) Introduzir agulha ângulo de90º, perpendicular à pele, com bisellateralizado. 12)Soltar a pele e puxar êmbolo segurandofirmemente o corpo da seringa.Observando se há retorno venoso.Prof° Enf° Gilberto de Jesus
  30. 30. Aplicação IM 13) Injetar lentamente a solução. 14) Aguardar alguns segundos, tracionarlevemente a agulha e a seguir, com movimentoúnico, retirá-lo; 15) Comprimir o local com algodão durante algunssegundos para permitir a hemostasia.Prof° Enf° Gilberto de Jesus
  31. 31.  16) Desprezar material utilizado em localadequado; 17) Lavar as mãos; 18) Checar e realizar anotação de enfermagem emimpresso próprio;Aplicação IMProf° Enf° Gilberto de Jesus
  32. 32. ObservaçãoNuncareencapeagulha.Prof° Enf° Gilberto de Jesus
  33. 33. Escolha do Acesso VenosoProf° Enf° Gilberto de Jesus
  34. 34. Administração demedicamentos IV 1) Lavar as mãos e reunir o material; 2) Calcular a dosagem com atenção. 3)Verificar as condições de rede venosa eposicionar o paciente. 4) Fazer tricotomia (adolesc.) ampla dolocal onde será puncionada a veia, quandonecessário e com cuidado.Prof° Enf° Gilberto de Jesus
  35. 35.  5)Colocar garrote acima da veia selecionadapara dilatar a veia. 6) Calçar luvas de procedimento. 7) Realizar técnica anti-séptica do local aser puncionado, com algodão com álcool a70%; ( do distal para o proximal). 8) Esticar a pele, manter a veia fixa com opolegar da mão não dominante e com a mãodominante, introduzir a agulha com o biselvoltado para cima.Administração demedicamentos IVProf° Enf° Gilberto de Jesus
  36. 36. Administração de medicamentosIV 9) Observar permeabilidade do acessovenoso. 10)Fixar e identificar, em crianças senecessário imobilizar. 11)Administrar lentamente a medicaçãodiretamente no sistema fechado, utilizarbureta com AD ou SF0,9%. A medicação deveser colocada no injetor lateral.Prof° Enf° Gilberto de Jesus
  37. 37. Administração demedicamentos IV OBSERVAÇÃO: Realizar anti-sepsia do injetor lateral ou em bureta. Retirar todo ar das extensões dos equipos e buretas.Prof° Enf° Gilberto de Jesus
  38. 38. Administração demedicamentos IV Não esquecer de anotar no balanço hídrico aquantidade de soro utilizada na administração demedicações. Em casos de Rn a última escolha para punção venosaserá o couro cabeludo, devido a possibilidade noaumento de infecção por causa da tricotomia do courocabeludo.Prof° Enf° Gilberto de Jesus
  39. 39. Administração de medicamentosIV 12) Desprezar o material utilizado. 13) Remover as luvas. 14) Colocar o paciente em posição confortável; 15) Lavar as mãos 16) Anotar procedimento e checar a medicação nafolha de prescrição médica.Prof° Enf° Gilberto de Jesus
  40. 40.  Não administrar se apresentar alterações depois dadiluição do fármaco. Como: Alteração nacor, precipitação, cristalização, etc. Obs: alguns fármacos podem ter a coloração alterada eser próprio dele. Não associar medicações, algumas associações podepotencializar ou inativar a ação do fármaco.Prof° Enf° Gilberto de Jesus
  41. 41. Dosagem Quantidade estipulada e fracionada para conseguir oefeito terapêutico ideal para o Rn É necessário para isto: Saber regra de 3Prof° Enf° Gilberto de Jesus
  42. 42. Regra de três A disposição dos elementos para a regra de três deveser da seguinte forma: 1ª linha: colocar a informação 2ª linha: colocar a perguntaProf° Enf° Gilberto de Jesus
  43. 43. Ex: Em uma ampola de dipirona tenho 2 ml de solução.Quantos ml de solução tenho em três ampolas? 1º Passo – organizar a informação na primeira linha e apergunta na segunda linha, com o número de ampolasde um lado e ml do outro: Informação: 1 (ampola) – 2 (ml) Pergunta: 3 (ampola) – x (ml)Prof° Enf° Gilberto de Jesus
  44. 44. 2º Passo: multiplique em cruz:1 x X = 2 x 3 3º Passo: isole a incógnita:X = ( 2 x 3 )1X = 6 mlProf° Enf° Gilberto de Jesus
  45. 45. RESPOSTA EM TRÊS AMPOLAS HÁ 6 ML DE DIPIRONA.Prof° Enf° Gilberto de Jesus
  46. 46. 2º EXEMPLO Se em 1 ml contém 20 gotas, quantas gotas há em umfrasco de S.F. 0,9% de 250 ml?1º passo: 1 ml – 20 gotas250 ml - X gotas2º passo: 1 x X = 20 x 250X = 5.000 gotasProf° Enf° Gilberto de Jesus
  47. 47.  250 ml contêm 5.000 gotasResposta:Prof° Enf° Gilberto de Jesus
  48. 48. 1)Foi prescrito 1 g de cloranfenicol V.O. Quantos comprimidos decloranfenicol de 250 mg devo tomar?2) Prescritos 2 mg de Dexametasona. Tenho FR com 4 mg/ml. Quanto devoaspirar?3) Prescrita 100mg de aminofilina. Tenho ampolas de 250mg/10ml. Quantodevo aplicar?5) Prescrito Cloridrato de Vancomicina 90 mg. Tenho FA de 500mg ediluente de 5 ml. Quanto devo administrar?6)Prescrito sulfato de Amicacina de 150 mg. Tenho FA de 500mg/2ml.Quanto devo administrar?7) Se tenho FA de Cloranfenicol com 1g, diluente de 10 ml e foi prescrito0,75g. Quanto devo administrar?8) Prescrita Garamicina 25 mg IM. Tenho ampola de 2ml com 40mg/ml.Quanto devo administrar?Exercícios para fixação:Prof° Enf° Gilberto de Jesus
  49. 49. 1)Foi prescrito 1 g de cloranfenicol V.O. Quantos comprimidos decloranfenicol de 250 mg devo tomar? 4cp2) Prescritos 2 mg de Dexametasona. Tenho FR com 4 mg/ml. Quanto devoaspirar? 0,53) Prescrita 100mg de aminofilina. Tenho ampolas de 250mg/10ml. Quantodevo aplicar? 4 ml4) Prescrito Cloridrato de Vancomicina 90 mg. Tenho FA de 500mg ediluente de 5 ml. Quanto devo administrar? 0,9 ml5)Prescrito sulfato de Amicacina de 150 mg. Tenho FA de 500mg/2ml.Quanto devo administrar? 0,6 ml6) Se tenho FA de Cloranfenicol com 1g, diluente de 10 ml e foi prescrito0,75g. Quanto devo administrar? (7,5 ml )7) Prescrita Garamicina 25 mg IM. Tenho ampola de 2ml com 40mg/ml.Quanto devo administrar? (0,62 ml)8) Prescrito Rocefim09) Prescrito P cristalina10) Prescrito BenzetacilExercícios para fixação: RESPOSTAS - CONFIRMARSE AS RESPOSTAS ESTÃO CERTASProf° Enf° Gilberto de Jesus
  50. 50. RediluiçãoConsiderando-se que o volumenecessário é difícil de ser aspirado eadministrado, portanto, deve-seefetuar a rediluição.Prof° Enf° Gilberto de Jesus
  51. 51. Cálculo de medicamentos Pediátricos eNeonatais O cálculo de medicamentos em unidades pediátrica eneonatal requer maior atenção em função danecessidade de rediluição, para facilitar aadministração de doses pequenas. As dosagens são mínimas, pois são calculadas eprescritas pelos médicos em função da idade e dopeso, sempre diferentes em relação ao adulto.Prof° Enf° Gilberto de Jesus
  52. 52. Exemplo 1 Foi prescrita Garamicina 5,2 mg EV. Temos ampolade 40 mg/2ml:1) Saber quanto devo aspirar.40 mg - 2 ml5,2mg – X mlX = 5,2 x 240X = 0,26 mlProf° Enf° Gilberto de Jesus
  53. 53. Considerando que o volume necessário é difícil de ser aspirado eadministrado, deve se efetuar a rediluição.• 1º Passo: aspiro 1 ml da ampola ( 40 mg/2 ml), quecontém 20 mg de soluto.• 2º Passo: Acrescentar 9 ml de água destilada(1+9ml) 10 ml – 20 mgX ml – 5,2 mgX = 2,6 mlResp: Devo aspirar 2,6 ml e aplicar.Prof° Enf° Gilberto de Jesus
  54. 54. • 1º Passo: aspiro 1 ml da ampola ( 40 mg/2 ml), quecontém 20 mg de soluto.• 2º Passo: Acrescentar 4 ml de água destilada(1+4 ml) 5 ml – 20 mgX ml – 5,2 mgX = 1,3 mlResp: Devo aspirar 1,3 ml e aplicar.OPCIONAL PARA DIMINUIÇÃO DOVOLUMEProf° Enf° Gilberto de Jesus
  55. 55.  Se a concentraçaõ do fenobarbital é de200 mg/ml, quanto tem na ampola de 2 ml? Utilizando este mesmo medicamento, a prescriçãomédica solicita 78 mg IV, para seradministrado, quanto terei que aspirar? Prescrição médica solicita 4 mg IV, quanto aspiro? Agora aspire!Prof° Enf° Gilberto de Jesus
  56. 56. OBRIGADO!!!!!!!Prof° Enf° Gilberto de Jesus
  57. 57. Prof° Enf° Gilberto de Jesus

×