TGI GISELE MARTINS  DISCIPLINA DE PRÉ TGI  8º PERÍODO – DIURNO DEZEMBRO DE 2009 PRÉ
 
Rod. Washington Luiz ARARAQUARA RIO CLARO / SÃO PAULO Rod. Luis Augusto de Oliveira RIBEIRÃO BONITO RIBEIRÃO PRETO Rod. En...
RIBEIRÃO PRETO ARARAQUARA Rod. Luis Augusto de Oliveira RIBEIRÃO BONITO Rod. Washington Luiz RIO CLARO / SÃO PAULO AV. São...
 
A área no começo de sua urbanização na década de 60
A área no fim da década de 90, quase 90% urbanizada.
Trecho 4
Trecho 3
USO DO SOLO LEGENDA RES. UNIFAMILIAR RES. MULTIFAMILIAR INDUSTRIA COMÉRCIO / SERVIÇOS MISTO C/ HABITAÇÃO MISTO S/ HABITAÇÃ...
TESTADAS DOS LOTES LEGENDA ÁREA DO TRABALHO DE 5 À 10 > 10 PARTE ABERTA DO RIO  GABARITO DAS EDIFICAÇÕES LEGENDA ÁREA DO T...
<ul><li>n úmero de pessoas  por  m² </li></ul><ul><li>Área com habitantes de renda mediana </li></ul><  n úmero de pessoas...
RIBEIRÃO PRETO Rod. Eng. Thales de Lorena Peixoto Jr . ARARAQUARA Rod. Luis Augusto de Oliveira RIBEIRÃO BONITO Rod. Washi...
DIRETRIZES DO PLANO DIRETOR DESENVOLVIDAS NO PROJETO PRÓ TIJUCO
 
DIANTE DA ANÁLISE FEITA NO TERRENO E PRINCIPALMENTE A MANEIRA COMO ELE ESTÁ INSERIDO NA  CIDADE, ME FEZ PERCEBER QUE ESSA ...
Continuação da avenida
1 2 3 4 5 SEM ESCALA Para manter a cultura da cidade permanente, o governo de Valencia resolveu implantar um museu de impo...
Rio Turia Através das imagens obtidas pelo Google Earth (modo vista da rua e 3D) , é possível perceber  a relação dos edif...
A B Lago Lago SEM ESCALA E – Estacionamento  C- Lugares de Alimentação Travessias Área A e B Portões de acesso ao parque  ...
PARQUE DE LA VILLETE- PARIS Bernard Tschumi
Pontos Linhas Superfícies Pontos Linhas Superfícies PARQUE DE LA VILLETE- PARIS Bernard Tschumi
FUNDAÇÃO PARA O MEIO AMBIENT - DESSAU SAUERBRUSH HUTON
PROJETO BEIRA RIO - PIRACICABA
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Apresentação pré-tgi

1,370 views
1,236 views

Published on

Published in: Travel
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
1,370
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
40
Actions
Shares
0
Downloads
38
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Apresentação pré-tgi

  1. 1. TGI GISELE MARTINS DISCIPLINA DE PRÉ TGI 8º PERÍODO – DIURNO DEZEMBRO DE 2009 PRÉ
  2. 3. Rod. Washington Luiz ARARAQUARA RIO CLARO / SÃO PAULO Rod. Luis Augusto de Oliveira RIBEIRÃO BONITO RIBEIRÃO PRETO Rod. Eng. Thales de Lorena Peixoto Jr .
  3. 4. RIBEIRÃO PRETO ARARAQUARA Rod. Luis Augusto de Oliveira RIBEIRÃO BONITO Rod. Washington Luiz RIO CLARO / SÃO PAULO AV. São Carlos AV. Marginal AV. Getúlio Vargas Rod. Eng. Thales de Lorena Peixoto Jr .
  4. 6. A área no começo de sua urbanização na década de 60
  5. 7. A área no fim da década de 90, quase 90% urbanizada.
  6. 8. Trecho 4
  7. 9. Trecho 3
  8. 10. USO DO SOLO LEGENDA RES. UNIFAMILIAR RES. MULTIFAMILIAR INDUSTRIA COMÉRCIO / SERVIÇOS MISTO C/ HABITAÇÃO MISTO S/ HABITAÇÃO ÁREA VERDE OUTROS OCUPAÇÃO DO SOLO LEGENDA LOTE EDIFICADO E OCUPADO LOTE SEM EDIFICAÇÃO LOTE EM CONSTRUÇÃO LOTE ABANDONADO ÁREA DO TRABALHO
  9. 11. TESTADAS DOS LOTES LEGENDA ÁREA DO TRABALHO DE 5 À 10 > 10 PARTE ABERTA DO RIO GABARITO DAS EDIFICAÇÕES LEGENDA ÁREA DO TRABALHO 1 PAV. 2 PAV. 3 a 4 PAV. 5 a 7 PAV. MAIS DE 7 PAV.
  10. 12. <ul><li>n úmero de pessoas por m² </li></ul><ul><li>Área com habitantes de renda mediana </li></ul>< n úmero de pessoas por m² Área com habitantes de alta renda
  11. 13. RIBEIRÃO PRETO Rod. Eng. Thales de Lorena Peixoto Jr . ARARAQUARA Rod. Luis Augusto de Oliveira RIBEIRÃO BONITO Rod. Washington Luiz RIO CLARO / SÃO PAULO UFSCar USP
  12. 14. DIRETRIZES DO PLANO DIRETOR DESENVOLVIDAS NO PROJETO PRÓ TIJUCO
  13. 16. DIANTE DA ANÁLISE FEITA NO TERRENO E PRINCIPALMENTE A MANEIRA COMO ELE ESTÁ INSERIDO NA CIDADE, ME FEZ PERCEBER QUE ESSA É UMA ÁREA QUE PODE SE DESENVOLVER CONFORME O QUE ESTÁ PREVISTO NO PLANO DIRETOR, JUNTO DA MANEIRA COMO A CIDADE SE DESENVOLVE ECONOMICAMENTE. POR ISSO RESOLVI IMPLANTAR UM CENTRO INTEGRADO DE DESENVOLVIMENTO AMBIENTAL E TECNOLÓGICO [CIDAT] A CIDADE TEM UM GRANDE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E QUEM NÃO FAZ PARTE DESSAS PESQUISAS SABE MUITO POUCO SOBRE ESSE DESENVOLVIMENTO. EXISTEM VÁRIAS EMPRESAS NA CIDADE QUE TEM ESSE PERFIL, MAS ELAS ESTÃO ESPALHADAS PELA CIDADE. EXISTEM 2 INCUBADORAS NA CIDADE : O PARQTEC E O CEDIN CIDAT ÁREA DE EXPOSIÇÃO INCUBADORAS SALAS DE REUNIÕES NÚCLEO DE PESQUISAS A ÁREA TEM GRANDE POTENCIAL PARA UM PARQUE , POIS ESTE MANTERIA O LUGAR VIVO E FAZENDO PARTE DA CIDADE, MANTENDO UM MEIO, UMA INTERAÇÃO ENTRE CIDADE E MEIO AMBIENTE. O PARQUE CONTARÁ TAMBÉM COM ÁREAS DE ESPORTE E LAZER A CIDADE JÁ POSSUI UMA ESCASSEZ NA ÁREA HOTELEIRA . TRAZENDO ESSAS INCUBADORAS, ESSA ESCASSEZ SERÁ MAIS NECESSÁRIA DE SER DIMINUIDA. PORTANTO QUERO PROPOR UM HOTEL NO LOCAL, POIS ALÉM DE TRAZER UMA MELHORA NA ÁREA JUNTO DO PARQUE E CIDAT, ELE FICRÁ EM UMA ÁREA CENTRAL DA CIDADE, PRÓXIMO ÀS PRINCIPAIS VIAS ESTRUTURAIS DA CIDADE E TAMBÉM PRÓXIMO À RODOVIÁRIA.
  14. 17. Continuação da avenida
  15. 18. 1 2 3 4 5 SEM ESCALA Para manter a cultura da cidade permanente, o governo de Valencia resolveu implantar um museu de importância nacional na cidade no começo da década de 90. Com 35 hectares e sobre o rio Turia, o projeto está inserido entre a cidade antiga e o distrito costal de Nazeret. Um conjunto de arquitetura desenvolvido por Calatrava traz novo enfoque a área anteriormente subdesenvolvida e subutilizada. A área está inserida no meio de avenidas que ligam o centro da cidade e o mar. Em 1991, Calatrava ganhou o concurso para o projeto original : o primeiro projeto deveria ser uma torre de telecomunicação, mais tarde no mesmo ano foi proposto a criação de um Complexo. O Complexo inclui: 1 – O Planetário/ Teatro IMAX 2- O Museu da Ciência Príncipe Felipe 3- O Umbráculo 4- O Parque Oceanográfico (projetado por Felix Candela) 5- O Palácio das Artes Esses edifícios estão implantados de forma linear na seqüência de oeste a leste. Palácio das Artes Planetário / Teatro Museu da Ciência Parque Oceanográfico Umbráculo Parque Linear Parque Linear Parque Linear 5 5 1 1 2 2 3 4 4 1 2 3 4 5 Acessos ao Planetário Acessos ao Museu da ciência Acessos ao Umbráculo Acessos ao Parque Oceanográfico Acessos ao Palácio das Artes Travessias acima do nível do Complexo Travessias no mesmo nível do Complexo, ligando os edifícios Escadarias que fazem o papel da circulação vertical Rampas que fazem o papel da circulação vertical 5 3 1 2 4 Rampas que fazem o papel da circulação vertical 1 Umbráculo: Espécie de disco que coroa o pendúnculo de certas plantas criptogâmicas. Local sombreado. Pendúculo- pé da flor ou do fruto, suporte de qualquer orgão animal. 1- O planetário é um dos edifícios fundamentais do projeto e foi o primeiro a ser inaugurado. Construído na forma de um olho aberto, está concebido como uma sala de projeções audiovisuais que permite oferecer aos seus 300 espectadores por sessão as mais inovadoras sensações audiovisuais, obtidas por um desenvolvido suporte tecnológico. 3. O Umbráculo é a entrada para a Cidade das Artes e das Ciências, constituída por uma área verde de 7.000m², com 300m de comprimento e 60m de largura. Além de estacionamento e escadarias de acesso aos equipamentos, pois está elevada em relação a eles, possibilitando a vista do mar. 2.O Museu das Ciências Príncipe Felipe, concebido como um museu aberto e dinâmico onde o lema principal é &quot;é proibido não tocar&quot;. Ao longo dos seus 4.000m² o visitante passa pelas diferentes áreas que cobrem uma ampla gama de temas científicos, desde biologia e física até as mais avançadas tecnologias aplicadas à comunicação, construção , esportes,etc. 4. O Parque Oceanográfico, projetado por Félix Candela, uma cidade submarina de 80.000m².  Conta com uma zona recreativa composta por um restaurante flutuante submarino, uma fonte para espetáculos de luz - som - água, e aquário para espetáculos. Possui também áreas envidraçadas para observar o trabalho dos mergulhadores e um túnel submarino de 70m de comprimento. 4. O Parque Oceanográfico, projetado por Félix Candela, uma cidade submarina de 80.000m².  Conta com uma zona recreativa composta por um restaurante flutuante submarino, uma fonte para espetáculos de luz - som - água, e aquário para espetáculos. Possui também áreas envidraçadas para observar o trabalho dos mergulhadores e um túnel submarino de 70m de comprimento. CIDADE DA ARTE E CIÊNCIA – VALÊNCIA CALATRAVA
  16. 19. Rio Turia Através das imagens obtidas pelo Google Earth (modo vista da rua e 3D) , é possível perceber a relação dos edifícios com o entorno: O gabarito aproximando-se de edifícios de 10 andares; O projeto inserido como uma ilha em meio à avenidas de grandes fluxos de carros; Esta ilha podendo ser percebida também através da densidade da massa de edifícios que estão no entorno do complexo; Os edifícios do Museu da Ciência e o Planetário estão instalados abaixo do nível da rua, na margem esquerda do rio e estão no nível da rua na margem direita; Os acessos para esses locais feitos através de um extenso jardim colocado na margem direita; Na margem esquerda, o acesso feito através de circulação vertical colocada na área do Umbráculo. Na parte onde encontra-se o Parque Oceanográfico o acesso existe somente pelo lado direito do projeto, sendo que na margem esquerda do rio não há travessias para essa área, mas existe um parque linear. Foi possível perceber que os passeios de pedestre são bem largos. O distanciamento do projeto com as edificações do entorno, e a existência desse parque linear acontecendo na margem esquerda, diminui o impacto que o projeto traz a partir de suas formas e gabarito. Mapa com o nome das ruas e avenidas do entorno do Complexo Localização do Complexo Rua Alcade Reig com a autopista del Saler, O Palácio das Artes e os edifícios do entorno. Pode-se notar o canteiro central, as faixas de pedestre distanciadas da esquina, a arborização à esquerda e principalmente a dimensão dos elementos . Imagem tirada pouco antes da entrada da autopista del Saler quando ela torna-se subterrânea, o Umbráculo ao lado esquerdo. Imagem tirada da avenida Camino de las Moreras antes dela torna-se subterrânea, o Parque Oceanográfico ao lado esquerdo. É possível perceber a largura dos passeios de pedestre e a maneira como foi construída a barreira (muro) que separa o parque , transparente, criando um lugar mais humano, diferente de quando existem grandes muros de alvenaria Imagem tirada da Ponte de Monteolivet , mostrando o Parque linear à esquerda, o Museu da Ciência e edifícios do entorno também á esquerda. É possível ver como funcionam os diferentes níveis. Imagem tirada da Avenida Paseo de la Alameda, mostrando a entrada do Parque linear e ao fundo o Museu da Ciência. Imagem tirada da rotatória da Avenida Paseo de la Alameda, mostrando o gabarito dos edifícios à direita e à esquerda o Museu da Ciência. Imagem tirada da rotatória da Avenida Paseo de la Alameda, mostrando o parque linear à esquerda. Autopista del Saler, o canteiro central à direita, o ponto de Taxi, a largura do passeio de pedestre e O Umbráculo à esquerda. CIDADE DA ARTE E CIÊNCIA – VALÊNCIA CALATRAVA
  17. 20. A B Lago Lago SEM ESCALA E – Estacionamento C- Lugares de Alimentação Travessias Área A e B Portões de acesso ao parque A – Área norte do parque onde estão implantados os equipamentos de Arte e Cultura B - Área sul do parque onde está implantado equipamentos de recreação e esportes Divisão das áreas A e B, que na verdade como pode-se perceber na planta é feita pelo lago. O Parque do Ibirapuera foi inaugurado próximo ao aniversário dos 400 anos da cidade de São Paulo em 1954. O local escolhido para a implantação do parque está na zona sul da cidade e constituía-se numa área de várzea. A área fazia parte de uma enorme região remanescente de terras indígenas que se estendia desde os altos de Santo Amaro até as áreas alagadas do Ibirapuera, conhecida como Virapoeira . (Fonte : A concretização da imagem do IV Centenário da cidade de São Paulo: o Parque do Ibirapuera (1), Wesley Macedo e Miriam Escobar. Aquitexto 283 disponível em: www.vitruvius.com.br/.../arq000/esp283.asp. O parque fica numa região de grande densidade de edificações e principalmente, ele está inserido no meio de grandes avenidas. Avenidas de fluxo alto e que se cruzam, em alguns momentos formando até viadutos. Em uma dessas avenidas encontra-se a principal entrada do parque, essa avenida também serve de separação entre o parque e 2 monumentos ( O Obelisco e o Monumento às Bandeiras) pertencentes ao projeto do parque. Existe um túnel passando sob o parque e inclusive sob lago do parque, o túnel Ayrton Senna. Para quem usa o carro, chegar no parque é de certa forma mais viável devido as Avenidas, mas existem apenas alguns bolsões de estacionamento próximos à alguns dos portões e os carros só tem acesso de circulação próximo a esses bolsões. AV. IV CENTENÁRIO AV. REPÚBLICA DO LÍBANO AV. PEDRO ÁLVARES CABRAL O parque está entre avenidas de grande fluxo, inserido em uma região com grande densidade de edifícios. Área do início do parque com o viveiro Manequinho Lopes e também a área de mais densidade de vegetação, com árvores de grande porte . A Marquise é um elemento fundamental para o projeto , ela tem o papel de organizadora dos equipamentos culturais do parque Hipódromo da Moóca PARQUE DO IBIRAPUERA- SÃO PAULO NIEMEYER E EQUIPE
  18. 21. PARQUE DE LA VILLETE- PARIS Bernard Tschumi
  19. 22. Pontos Linhas Superfícies Pontos Linhas Superfícies PARQUE DE LA VILLETE- PARIS Bernard Tschumi
  20. 23. FUNDAÇÃO PARA O MEIO AMBIENT - DESSAU SAUERBRUSH HUTON
  21. 24. PROJETO BEIRA RIO - PIRACICABA

×