Aula iladec campinas

544 views

Published on

0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
544
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
9
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Aula iladec campinas

  1. 1. Curso  de  Gestão  Redes  Sociais   Prof.  Israel  Scussel  Degasperi  
  2. 2. Apresentação  
  3. 3. Fontes  de  Informação   Todo  profissional  bem  sucedido  que  trabalha  com  Mídias  Sociais,  deve  ler  muito  para  se  manter  atualizado,  pois   as  mudanças  são  constantes  e  velozes.  Outra  dica  importante  é  sempre  estar  em  contato  com  profissionais  da   área  para  fazer  networking  e  trocar  experiências  do  coOdiano  de  cada  profissional,  independente  se  trabalha  em   agência,  empresa  ou  como  free  lancer.   Nacionais   Internacionais   hQp://www.proxxima.com.br   hQp://midiaboom.com.br   hQp://blogmidia8.com   hQp://www.brainstorm9.com.br   hQp://tarciziosilva.com.br/blog/   hQp://www.slideshare.net/PaperCliQ   hQp://www.primuniz.com.br   hQp://www.seodesaia.com.br   hQp://www.martha.com.br/categoria/blog/   hQp://anavictorazzi.com   hQp://kauekgg.com.br   hQp://www.ninocarvalho.com.br   hQp://cappra.wordpress.com   hQp://mashable.com   hQp://www.insidefacebook.com   hQp://readwrite.com   hQp://econsultancy.com/br   hQp://www.socialbakers.com   hQp://socialmediatoday.com   hQp://thinkfacebook.com   hQp://www.facetudo.com.br   Grupos  Facebook   hQps://www.facebook.com/groups/procura.se/   hQps://www.facebook.com/groups/entusiastas.metricas/   hQps://www.facebook.com/groups/conteudodigital/   hQps://www.facebook.com/groups/ecommercebrasil/   hQps://www.facebook.com/groups/socialmediabrasil/   hQps://www.facebook.com/groups/174914452611021/   hQps://www.facebook.com/groups/129809047168660/  
  4. 4. Socialmedia  Demographics  -­‐  Mashable   Fontes  de  Informação  
  5. 5. Apresentação  Pinterest  TerraFórum   Fontes  de  Informação   Resista  a  tentação  de  só  divulgar  seus  produtos   em  uma  mídia  social.  Veja  a  maneira  que  os   usuários  uOlizam  e  produza  conteúdo  relevante   para  eles.  Siga  a  regra  60%  de  conteúdo  e  40%  de   divulgação  dos  seus  produtos.  O  ideal  mesmo  é   80/20  J  
  6. 6. Fontes  de  Informação  
  7. 7. Fontes  de  Informação   Todo  ano  players  importantes  de  pesquisa  lançam  seus  estudos  sobre  a  internet,  no  Brasil  e  no  Mundo.  É  obrigação   do  profissional  de  comunicação  conhecer  esses  dados  e  ter  sempre  à  mão.  Confira  o  relatório  da  Comscore:   Baixe  o  relatório  completo  aqui  
  8. 8. Fontes  de  Informação   Todo  ano  playes  importantes  de  pesquisa  lançam  seus  estudos  sobre  a  internet,  no  Brasil  e  no  Mundo.  É  obrigação   do  profissional  de  comunicação  conhecer  esses  dados  e  ter  sempre  à  mão.  Confira  o  relatório  da  Comscore:   Baixe  o  relatório  completo  aqui  
  9. 9. Fontes  de  Informação   Todo  ano  playes  importantes  de  pesquisa  lançam  seus  estudos  sobre  a  internet,  no  Brasil  e  no  Mundo.  É  obrigação   do  profissional  de  comunicação  conhecer  esses  dados  e  ter  sempre  à  mão.  Confira  o  relatório  da  Comscore:   Baixe  o  relatório  completo  aqui  
  10. 10. Mídias  Sociais  vs  Redes  Sociais  
  11. 11. Mídias  Sociais  vs  Redes  Sociais   hQp://escoladeredes.net  
  12. 12. Mídias  Sociais  vs  Redes  Sociais   No  próximo  slide  vocês  terão  um   resumo  básico  deste  roteiro  onde   fica  claro  o  que  são,  realmente,   redes  sociais.       Para  ler  o  material  na  íntegra,   acesse  o  slideshare  do  Augusto   de  Franco  onde  o  roteiro  está   postado.  
  13. 13. Acesse  para  ler  o  roteiro  completo       4.  Redes  são  ambientes  de   interação  e  não  de  parOcipação   1. Redes  Sociais  são  pessoas   interagindo,  não  ferramentas.   2.Redes  mais  distribuidas  do  que   centralizadas,  são  possíveis,  sim,   no  “mundo  real”   3.Redes  sociais  não  são  redes  de   informação   Mídias  Sociais  vs  Redes  Sociais  
  14. 14. Mídias  Sociais  vs  Redes  Sociais   Veja  o  vídeo  TEDxSP  2009  com  Augusto  de  Franco   Assistam  o  vídeo  clicando  aqui.  Com  ele  vocês  poderão  sanar  algumas   dúvidas  que  possam  ter  sobre  a  diferença  entre  Mídias  Sociais  e   Redes  Sociais  
  15. 15. Mídias  Sociais  vs  Redes  Sociais   Brian  Solis,  desenvolveu  este   prisma  com  uma  gama  enorme   de  serviços  e  plataformas   específicos  para  cada  segmento.     Para  baixar  a  imagem  em  alta   resolução,  acesse   www.theconversaOonprism.com       Nos  próximos  slides,  separei   algumas  mídias  sociais  verOcais   para  vocês.       Quais  vocês  já  conheciam?  Se   quiserem  me  enviem  tweets   para  contar  J  
  16. 16. Mídias  Sociais  vs  Redes  Sociais   Bang  With  Friends  App  
  17. 17. Mídias  Sociais  vs  Redes  Sociais   hQp://midiassociais.blog.br/redes-­‐sociais/  
  18. 18. Mitos  das  Mídias  Sociais   1.Não  há  Retorno  sobre  Inves=mento  (ROI)   Estudo  da  Nielsen,  sobre  a  confiança  do  consumidor,  diz  que   70%  das  pessoas  procura  a  família  e  os  amigos  para  pedir   conselhos  quando  precisam  decidir  o  que  comprar;     Consumidores  confiam  mais  em  outros  consumidores  do  que   na  propaganda  tradicional.   2.As  estaBs=cas  não  são  confiáveis   As  ferramentas  para  medir  as  iniciaOvas  dentro  da  mídia  social   estão  se  tornando  cada  vez  mais  confiáveis.       Estudo  diz  que  1  milhão  de  usuários  do  Facebook  valem  3,6   milhões  de  dólares.  
  19. 19. Mitos  das  Mídias  Sociais   3.Mídia  Social  ainda  é  muito  novo   Método  de  esperar  para  ver  o  que  acontece,  que  a  maioria  das   empresas  tem  usado  enquanto  pensa  quando  deve  invesOr  em   plataformas  tradicionais  não  funcionará  com  a  mídia  social.   O  Primeiro  que  entrar  nesse  mundo  hiper  rápido  ganha   impacto.   2.A  mídia  social  é  apenas  mais  uma  tendência  passageira   Jornais  e  Revistas     Rádio  (1920)   TV  (1950)   Internet  (1990)     O  crescimento  e  as  mudanças  tecnológicas  que  vivenciamos  hoje  produzem  um  impato   mais  rápido  e  mais  profundo  sobre  as  empresas  do  que  anOgamente.  
  20. 20. Mitos  das  Mídias  Sociais   5.Precisamos  controlar  a  sua  mensagem   Ter  um  perfil  no  Facebook,  criar  um  blog  ou  abrir  uma  conta  no   twiQer  fará  com  que  os  clientes  exponham  nossos  defeitos.   Encare  isso  como  uma  oportunidade  de  saber  o  que  precisa  ser   melhorado.  Preocupe-­‐se  com  o  cliente  que  não  reclama  e  deixa   de  comprar,  pois  com  este,  você  não  terá  a  chance  de   surpreendê-­‐lo      RT  @marthagabriel  "Em  chinês,  a  palavra  'crise'  tem  dois   caracteres.  Um  representa  perigo  e  o  outro  oportunidade."     -­‐-­‐  J.  F.  Kennedy   6.Não  tenho  tempo  para  acompanhar  o  que  todo  mundo  fala  e  não   tenho  dinheiro  (ou  não  quero)  pagar  alguém  para  fazer  isso   Qualquer  um  que  desconsidere  um  cliente  está  fadado  ao  desastre.  Os  clientes  têm  poder   e  o  que  eles  dizem  importa.  E  eles  vão  falar  da  sua  empresa  nas  mídias  sociais,  queira   você  ou  não.  Ouça  e  Ore  bom  proveito  desde  feedback.  
  21. 21. Mitos  das  Mídias  Sociais   7.Estamos  indo  bem  sem  Mídia  Social   Já  trabalhamos  sem  fotocópias,  sem  secretária  eletrônica,   computadores  ou  celulares.  Somos  adaptáveis.     Como  saber  que  “tudo  está  indo  bem”  se  não  colocar  a  cara   para  fora  e  perguntar  aos  seus  clientes  o  que  eles  acham?     8.Nós  já  tentamos,  mas  não  funciona   Mídia  Social  é  relacionamento  e  isso  leva  tempo.  Faça  um  planejamento  de  médio  a  longo   prazo  e  tenha  paciência.   Revise  sempre  suas  ações  e  tenha  certeza  que  está  com  um  profissional  qualificado  para  a   tarefa.  
  22. 22. Mitos  das  Mídias  Sociais   9.Existe  muita  burocracia   Você  deve    ter  um  departamento  jurídico  para  proteger  sua   empresa,  cujo  trabalho  é  ser  conservador  e  avesso  a  riscos.  O   processo  deve  ser  feito  com  um  CEO  ou  outro  diretor  da   empresa  e  o  objeOvo  é  diminuir  os  riscos  para  tornar  possível  a   entrada  da  empresa  nas  mídias  sociais.   10.Demora  muito  para  dar  retorno   Os  beneycios  a  longo  prazo  de  relacionamento  com  os  clientes  irão  praOcamente  perder   para  a  realidade  a  curto  prazo,  moOvo  direto  para  quem  quer    manter  o  emprego.   Tire  até  10%  da  verba  em  mídia  tradicional  e  coloque  em  Mídia  Social.       Se  fizer  de  maneira  correta,  mídia  social  é  uma  das  plataformas  mais  baratas  e  eficientes.    
  23. 23. Mitos  das  Mídias  Sociais   11.  A  mídia  social  não  funciona  para  todos  os  segmentos   É  verdade  que  alguns  produtos  são  mais  atraentes  do  que   outros,  mas  também  é  verdade  que  se  não  houvesse  demanda   para  seu  produto,  você  não  teria  sua  empresa.       12.A  resposta  é  sempre  a  mesma   Hoje  se  sabe  que  o  capital  intelectual  faz  parte  da  espinha  dorsal    de  toda  empresa  e  vale   a  pena  ser  protegido.  Enquanto  a  capacidade  de  formar  relacionamentos  sempre  foi   considerada  um  substrato  do  capital  intelectual,  a  mídia  social  catapultou  essa  capacidade   em  um  fator  para  o  enriquecimento.  
  24. 24. MarkeOng  de  Busca   2013  –  The  year  of  content   Infográfico  mostra  que  para  os   profissionais  de  markeOng,  2013  é  o   ano  do  marke=ng  de  conteúdo.  Os   profissionais  elegeram  as   prioridades  (para  empresas  e   agências  para  o  ano  de  2013)     1)  MarkeOng  de  Conteúdo   2)  OOmização  de  taxas  de   conversão   3)  Engajamento  nas  mídias  sociais   4)  Definição  do  Público  Alvo  e   personalização  dos  anúncio   para  públicos  específicos.   5)   OOmização  para  mecanismos   mobile  (smartphone,  tablets)  
  25. 25. MarkeOng  de  Busca   2013  –  The  year  of  content   52%  Dos  profissionais  de  markeOng  dizem  que  a  habilidade  para   segmentar  e  personalizar  o  conteúdo  é  fundamental  para  suas   estratégias.  
  26. 26. Produção  de  Conteúdo  e  SEO     Um  mecanismo  de  busca  ou  buscador  é  um  sistema  de  so|ware  projetado  para   encontrar  informações  armazenadas  em  um  sistema  computacional  a  parOr  de   palavras-­‐chave  indicadas  pelo  uOlizador,  reduzindo  o  tempo  necessário  para   encontrar  informações.   Serasa  Experian  
  27. 27. Somando-­‐se  todos  os  domínios  do  Google  entre  os  top  10  buscadores  mais  visitados   no  Brasil,  o  buscador  aOnge  85,55%  de  parOcipação  no  mesmo  período  de  4   semanas  terminadas  em  1º  de  dezembro.  Já  o  Bing  e  Bing  Brasil  têm,  juntos,  7,14%   da  parOcipação  de  buscas  no  período.       Serasa  Experian   Produção  de  Conteúdo  e  SEO  
  28. 28.   O  Google  Brasil  manteve  a  primeira  posição  do  ranking  da  preferência  dos  usuários  de   Internet  no  país,  registrando  79,31%  de  parOcipação  nas  buscas  no  período  de  4   semanas  terminadas  em  1º  de  dezembro  de  2012,  de  acordo  com  dados  da   Hitwise,  ferramenta  líder  de  inteligência  em  markeOng  digital  da  Serasa  Experian.   Serasa  Experian   Produção  de  Conteúdo  e  SEO  
  29. 29. Segundo  Pesquisa  do  Yahoo,  99%  das  pessoas  com  acesso  a  internet  realizaram   buscas  em  2009.     Serasa  Experian   Produção  de  Conteúdo  e  SEO  
  30. 30. Facebook.com/iinteraOva   Produção  de  Conteúdo  e  SEO  
  31. 31. Facebook.com/iinteraOva   Produção  de  Conteúdo  e  SEO  
  32. 32. Facebook.com/iinteraOva   Produção  de  Conteúdo  e  SEO  
  33. 33. Facebook.com/iinteraOva   Produção  de  Conteúdo  e  SEO  
  34. 34. Serasa  Experian   Produção  de  Conteúdo  e  SEO  
  35. 35. Produção  de  Conteúdo  e  SEO   Busca  Orgânica   Links  patrocinados  
  36. 36. Produção  de  Conteúdo  e  SEO   Vantagens:   Custo/beneycio  muito  bom  no  longo  Prazo;   Não  se  paga  pelo  tráfego;   36%  das  pessoas  acreditam  que  a  empresa  que  está  em  1º  lugar  é  líder  em   seu  segmento  (Fonte:  iProspect).   Desvantagens:   Não  se  pode  garanOr  posicionamento;   Processo  mais  lento;   Requer  adaptação  do  site.    
  37. 37. Produção  de  Conteúdo  e  SEO  
  38. 38. hQp://alynogueira.com.br/blog/?p=123   hQp://blog.thiagobelem.net/aprendendo-­‐urls-­‐ amigaveis/   As  meta  tags  são  uma  óOma  maneira  para  os  webmasters   fornecerem  informações  sobre  seus  sites  a  mecanismos  de   pesquisa.  As  meta  tags  são  adicionadas  à  seção  <head>  da  sua   página  em  HTML.  Clique  e  veja  exemplo  dado  pelo  Google   Primeiro  parágrafo  Segundo  parágrafo   Palavras  chaves  em  negrito   Produção  de  Conteúdo  e  SEO  
  39. 39. Produção  de  Conteúdo  e  SEO  
  40. 40. Veja  o  vídeo   Produção  de  Conteúdo  e  SEO  
  41. 41. Produção  de  Conteúdo  e  SEO  
  42. 42. Produção  de  Conteúdo  e  SEO  
  43. 43. Produção  de  Conteúdo  e  SEO  
  44. 44. Estude  sempre!  Na  internet,  existe  muito   conteúdo  gratuito,  de  qualidade,  em  inglês   e  portugês  para  ser  estudado.   Aqui  alguns  links  de  Blogs  e  perfis  no     SlideShare.     Aqui  algumas  dicas:       Blogs:   MestreSEO,  SEO  de  Saia,  BuscarSEO     Slideshare:   Fábio  RicoQa,  Domício  Neto,  Aline  Couto,   Guga  Alves     Facebook:   SeoBrasil     Google  Plus:   SEOBrasil     Podcast:   SEO  Core,  SearchCast   Produção  de  Conteúdo  e  SEO  
  45. 45. Produção  de  Conteúdo  Viral  –  10  Fatores  que  fazem  seu  conteúdo  comparOlhável   Infográfico  conteúdo  viral   Conteúdo  é  hilário!   Incrível  ou   inacreditável    emocionante   Tem  a  ver  com  nossos   valores  e  crenças   Te  faz  parar  para   pensar   Não  é  divulgado  pela   mídia  “mainstream”   Vai  fazer  alguém  sorrir   É  dramáOco!   É  constrangedor!   É  sensual  e   provocaOvo  (SFW)  
  46. 46. Produção  de  Conteúdo  Viral  –  Estágio  dos  Memes  
  47. 47. Produção  de  Conteúdo   Tem  a  ver  com  nossos   valores  e  crenças  
  48. 48. Produção  de  Conteúdo  -­‐  Ferramentas   Google  Trends  é  uma  ferramenta  gratuita  do  Google  que  te  dá  diversas  informações,  sobre  buscas  realizadas  no  mecanismo  de  pesquisa   do  Google,  e  você  pode  filtrar  essas  buscas  de  várias  maneiras,  como  você  verá  nos  próximos  Slides.  
  49. 49. Produção  de  Conteúdo  -­‐  Ferramentas  
  50. 50. Produção  de  Conteúdo  -­‐  Ferramentas  
  51. 51. Produção  de  Conteúdo  -­‐  Ferramentas  
  52. 52. Produção  de  Conteúdo  -­‐  Ferramentas  
  53. 53. Produção  de  Conteúdo  -­‐  Ferramentas  
  54. 54. Produção  de  Conteúdo  -­‐  Ferramentas  
  55. 55. Produção  de  Conteúdo  –  Case  EVOKE  (blog)  
  56. 56. Produção  de  Conteúdo  -­‐  Facebook   Serasa  Experian  
  57. 57. Produção  de  Conteúdo  -­‐  Facebook   Que  é  o  Edgerank?   É  um  algorítmo  usado  pelo  Facebook   para  determinar  onde  e  quais  posts   vão  aparecer  em  cada  página  de   usuário  para  que  o  conteúdo  seja   sempre  um  conteúdo  relevante.     As  variantes  da  fórmula  ao  lado  são:     U=Afinidade   W=Peso   D=  Deteriozação  do  tempo   Infográfico  Edgerank  (em  inglês)  
  58. 58. Produção  de  Conteúdo  -­‐  Facebook   Para  entendermos  melhor,  o   infográfico  ao  lado  dividiu  esses  fatores   em  4  grupos  principais,  sendo  eles  em   2  categorias:     Interação  pessoal:  Sua  interação   específica  com  os  diferentes  Opos  de   posts  no  Facebook;     Reação  em  rede:  A  reação  de  um   grupo  de  pessoas  em  cada  Opo   específico  de  post,  dentro  do   Facebook.   Infográfico  Edgerank  (em  inglês)  
  59. 59. Produção  de  Conteúdo  -­‐  Facebook   1)  Seu  histórico  de  interações  com   um  autor   Quanto  mais  você  interage  com  um   amigo  ou  uma  página,  a  probabilidade   de  você  ver  seus  posts,  aumenta.     2)  Seu  histórico  de  interações  com  um   =po  específico  de  posts  (texto  no   mural,  fotos,  vídeos,  enquetes...)   Quanto  mais  você  interage  com  um   Opo  de  post  (texto  no  mural,  fotos,   vídeos,  enquetes,  a  probabilidade  de   você  ver  mais  desses  Opo  de  posts,   aumenta.   Infográfico  Edgerank  (em  inglês)  
  60. 60. Produção  de  Conteúdo  -­‐  Facebook   3)  Reaçãos  de  usuários  que  já  viram   seus  posts   Quanto  mais  usuários  do  Facebook   engajam  com  um  Opo  de  post,  mais   você  verá  esse  post.     4)  Quan=dade  de  reclamações  ou   feedbacks  nega=vos   Quanto  mais  usuários  dão  feedbacks   negaOvos  para  posts,  menos  você  verá   estes  posts.   Infográfico  Edgerank  (em  inglês)  
  61. 61. Produção  de  Conteúdo  -­‐  Facebook   Infográfico  mostra  agora  o  exemplo   do  que  já  falamos  com  a  conta  do   Batman  no  Facebook  J     Considere  os  fatores  do  Edgerank  para   ver  o  quão  saOsfeitos  os  fãs  do  Batman   ficam  ao  ver  seus  posts  em  suas   Omelines.       Infográfico  Edgerank  (em  inglês)  
  62. 62. Produção  de  Conteúdo  -­‐  Facebook   ROBIN   1)  Frequentemente  interage  com  os   posts  do  Batman     2)  Tende  a  curOr  mais  fotos  e  as  vezes   links   3)  O  post  do  Batman  tem  mais   engajamento  que  o  normal   4)  Não  tem  nenhum  feedback   negaOvo  neste  post   A  probabilidade  deste  post  aparecer  na   Omeline  do  Robin  é  muito  alta.     Infográfico  Edgerank  (em  inglês)  
  63. 63. Produção  de  Conteúdo  -­‐  Facebook   Coringa   1)  Às  vezes,  interage  com  os  posts  do   Batman   2)  Comenta  com  frequência  nos  posts   de  status  e  links   3)  Os  posts  do  Batman  engajam  bem   menos  que  o  normal   4)  Algumas  reclamações   A  probabilidade  deste  post  aparecer  na   Omeline  do  Coringa  é  moderada.     Infográfico  Edgerank  (em  inglês)  
  64. 64. Produção  de  Conteúdo  -­‐  Facebook   Bane   1)  Raramente  interaje  com  os  posts   do  Batman   2)  Comenta  nos  posts  de  status  e  as   vezes,  curte  alguns  links   3)  Os  posts  do  Batman  tem   engajamento  médio   4)  Muitoas  reclamações  e  feedbacks   negaOvos   A  probabilidade  deste  post  aparecer  na   Omeline  do  Bane  é  baixa.     Infográfico  Edgerank  (em  inglês)  
  65. 65. Produção  de  Conteúdo  -­‐  Facebook   Mas  funciona  mesmo?     Os  números  dizem  que  sim.  A  Omeline   tem  sido  a  caracterísOca  mais  popular   desde  que  foi  introduzida  em  2006.     2011:  27%  de  todo  o  tempo  gasto  no   Facebook  era  na  Omeline     2012:  40%  de  todo  o  tempo  gasto  no   Facebook  era  na  Omelime     Infográfico  Edgerank  (em  inglês)  
  66. 66. Produção  de  Conteúdo  -­‐  Facebook   Impacto  das  Imagens  no  Mkt  Digital  
  67. 67. Produção  de  Conteúdo  -­‐  Facebook   Impacto  das  Imagens  no  Mkt  Digital  
  68. 68. Produção  de  Conteúdo  -­‐  Facebook   Impacto  das  Imagens  no  Mkt  Digital  
  69. 69. Produção  de  Conteúdo  -­‐  Facebook   Impacto  das  Imagens  no  Mkt  Digital  
  70. 70. Produção  de  Conteúdo  -­‐  Facebook   Impacto  das  Imagens  no  Mkt  Digital  
  71. 71. Produção  de  Conteúdo  -­‐  Facebook   Impacto  das  Imagens  no  Mkt  Digital  
  72. 72. Produção  de  Conteúdo  -­‐  Facebook   Impacto  das  Imagens  no  Mkt  Digital  
  73. 73. Produção  de  Conteúdo   Te  faz  parar  para   pensar  
  74. 74. Produção  de  Conteúdo  
  75. 75. Produção  de  Conteúdo   Melhorias  na  página!  Com  os  posts   sendo  mais  comparOlhados,     mais  pessoas  são  impactadas.  
  76. 76. Produção  de  Conteúdo   Através  do  Facebook  Insights  você   terá  todas  as  informações  que   precisar  saber  sobre  sua  página  e   seus  posts.  Aqui,  nesta  tela,  os   úlOmos  posts  e  os  dados  de  alcance,   usuários  engajados,  pessoas  falando   sobre  isso  e  a  viralidade  de  cada   post.     Para  cada  métrica  citada  acima,  pode   ser  criado  um  filtro.  Um  pouco  mais  a   frente  estudaremos  o  Facebook   Insights,  detalhadamente.  
  77. 77. Produção  de  Conteúdo   Aqui,  vemos  mais  uma  boa  opção  de   post  de  engajamento.  Crie  enquetes   nos  posts  e  peça  para  os  fãs  da   página  responderem  postando  a   letra  da  opção  que  eles  preferem.  
  78. 78. Produção  de  Conteúdo  
  79. 79. Produção  de  Conteúdo  
  80. 80. Produção  de  Conteúdo  
  81. 81. Produção  de  Conteúdo   A  Tecnisa  foi  reconhecida  pelo  Socialbakers,   importante  ferramenta  de  esta†sOcas  de  mídias   sociais,  em  Setembro  de  2012,  como  a  nona   empresa  a  ter  o  melhor  engajamento  no   Facebook  no  Brasil.  
  82. 82. Produção  de  Conteúdo  
  83. 83. Produção  de  Conteúdo  
  84. 84. Produção  de  Conteúdo  
  85. 85. Produção  de  Conteúdo  
  86. 86. Produção  de  Conteúdo  
  87. 87. Produção  de  Conteúdo  
  88. 88. Produção  de  Conteúdo  
  89. 89. Produção  de  Conteúdo  
  90. 90. Produção  de  Conteúdo  
  91. 91. Produção  de  Conteúdo  
  92. 92. Produção  de  Conteúdo  
  93. 93. Produção  de  Conteúdo  
  94. 94. Apps  
  95. 95. Apps   O  Consumo  ColaboraOvo  é  um  aplicaOvo  que  permite  ser  uOlizado  por  qualquer  pessoa,  do  seu  trabalho  ou  na  sua   academia,  por  exemplo.  O  objeOvo  é  criar  grupos  onde  as  pessoas  possam  oferecer  objetos  que  não  usam  mais  ou  pegar   emprestado  coisas  que  precisam  usar  apenas  uma  ou  duas  vezes,  sem  ter  a  necessidade  de  comprá-­‐las.  A  ideia  foi  pensada   para  se  implementada  em  condomínios.  Saiba  +  sobre  o  Consumo  ColaboraOvo  
  96. 96. Produção  de  Conteúdo  
  97. 97. Produção  de  Conteúdo  
  98. 98. Produção  de  Conteúdo  
  99. 99. Produção  de  Conteúdo  
  100. 100. Produção  de  Conteúdo  
  101. 101. Produção  de  Conteúdo  –  Google  Plus  
  102. 102. Produção  de  Conteúdo  –  Google  Plus  
  103. 103. Produção  de  Conteúdo  –  Google  Plus  
  104. 104. Produção  de  Conteúdo  –  Google  Plus  
  105. 105. Produção  de  Conteúdo  –  Google  Plus  
  106. 106. Produção  de  Conteúdo  –  Google  Plus   Hangout  sobre  Gestão  de  Crise    
  107. 107. Produção  de  Conteúdo  -­‐  Pinterest  
  108. 108. Produção  de  Conteúdo  -­‐  Pinterest  
  109. 109. Produção  de  Conteúdo  -­‐  Pinterest  
  110. 110. Produção  de  Conteúdo  -­‐  Pinterest  
  111. 111. Produção  de  Conteúdo  -­‐  Blog  
  112. 112. Monitoramento   Conceitos   Briefing   Planejamento   Coleta;       Armazenamento;     Classificação;     Categorização;     Adição  de  Informações;     Análise  de  Menções;   OBJETIVO:  IdenOficar  e  analisar   reações;  Conhecer  melhor  seu   público;  Realizar  ações  reaOvas  e  pró-­‐ aOvas;    
  113. 113. Monitoramento   Conceitos   Briefing   Planejamento   Coleta;       Armazenamento;     Classificação;     Categorização;     Adição  de  Informações;     Análise  de  Menções;   OBJETIVO:  IdenOficar  e  analisar   reações;  Conhecer  melhor  seu   público;  Realizar  ações  reaOvas  e  pró-­‐ aOvas;     Faça  perguntas;       Entenda  o  real  objeOvo  do  seu  cliente;     Qual  o  objeOvo  do  monitoramento?     Quais  informações  vocês  precisam   saber?     Pense  no  universo  ao  redor  da  marca,   hábitos  de  uso,  ações  que  envolvem  o   uso  do  seu  produto  etc…   OBJETIVO:  IdenOficar  as  principais  situações  em   que  o  produto  do  seu  cliente  é  usado  para   definir  os  termos  de  buscas.    
  114. 114. Monitoramento   Conceitos   Briefing   Planejamento   Faça  perguntas;       Entenda  o  real  objeOvo  do  seu  cliente;     Qual  o  objeOvo  do  monitoramento?     Quais  informações  vocês  precisam   saber?     Pense  no  universo  ao  redor  da  marca,   hábitos  de  uso,  ações  que  envolvem  o   uso  do  seu  produto  etc…   OBJETIVO:  IdenOficar  as  principais  situações  em   que  o  produto  do  seu  cliente  é  usado  para   definir  os  termos  de  buscas.     Coleta;       Armazenamento;     Classificação;     Categorização;     Adição  de  Informações;     Análise  de  Menções;   OBJETIVO:  IdenOficar  e  analisar   reações;  Conhecer  melhor  seu   público;  Realizar  ações  reaOvas  e  pró-­‐ aOvas;     Planejamento   Fase  I  :  Planejamento  Inicial   (responder  as  perguntas  do   briefing,  Opos  do   monitoramento,  equipe,   ferramentas,  entrega  de   relatórios,  etc…)    Fase  II:  Gestão  (setup,  testes,   equipe,  alterações)   Fase  III:  Avaliação  (Revisão   dos  termos,  categorias,   equipe,  relatórios,  etc…)   OBJETIVO:  Organizar  todas  as  ações   e  pessoas  que  envolvem  o  processo   para  ter  sucesso  no  processo.    
  115. 115. Monitoramento  
  116. 116. Monitoramento   Atualmente  é  a  ferramenta  que  optei  para     trabalhar  com  monitoramento  e  CRM.   Também  é  uma  excelente  ferramenta,  com  um   valor  bem  próximo  ao  Seekr   Usei  por  pouco  mas  não  Ove  uma  boa  impressão.   Está  muito  abaixo  das  duas  acima.   Nunca  cheguei  a  usar,  mas  comparada  com  as  de  cima  é   cara,  não  monitora  Orkut  e  não  tem  suporte  e  nem   treinamento  em  português.  Dizem  que  usar  o  Radian6  é  ter   uma  Ferrari  para  andar  no  paralelepípedo.  O  nível  de   monitoramento  for  a  do  Brasil  está  muito  avançado  em   comparação  com  o  mercado  daqui.  
  117. 117. hQp://seekr.com.br/   Como  trabalho  com  o  Seekr,  resolvi  usá-­‐lo  como  dica  de  ferramenta  paga  para  se  trabalhar  com  monitoramento  de  mídias   sociais.   Monitoramento  –  Ferramentas  Pagas  
  118. 118. hQp://seekr.com.br/   O  Primeiro  passo  em  se  criar  o  monitoramento  é  definir  um  nome  para  seu  monitoramento,  que  pode  ser  o  nome  do  seu   cliente.  Seria  o  passo  1  que  omiO  nesses  slides.  Uma  boa  dica  é  você  criar  um  monitoramento  para  sua  marca  e  outro  para   concorrentes.  Ai  passamos  para  o  segundo  passo:  Definir  as  palavras  chaves.   Monitoramento  –  Ferramentas  Pagas  
  119. 119. hQp://seekr.com.br/   O  Segundo  passo  é  escolher  as  palavras  chaves:  Neste  exemplo  eu  usei  meu  blog.  Quero  monitorar  o  termo  mídias  sociais   que  tenham  sido  publicados  pela  url  do  meu  blog.  Mas,  como  sei  que  existem  outros  blogs  que  falam  sobre  o  mesmo   termo,  pedi  para  excluir  os  termos  abaixo.  Pense  como  fariámos  para  monitoar  a  marca  de  celular  Oi  ou  a  Claro,  teríamos   que  excluir  diversos  termos,  como:  oi,  tudo  bem?  Então  este  processo  é  muito  importante  e  você  pode  voltar  depois  de  ver   os  resultados  para  afinar  sua  pesquisa.   Monitoramento  –  Ferramentas  Pagas  
  120. 120. hQp://seekr.com.br/   O  passo  3,  é  definir  onde  a  ferramenta  vai  buscar  as  palavras  chaves  que  você  cadastrou.  Aqui,  temos  muitas  mídias  sociais   como  opção.  Sempre  é  bom  lembrar  que  você  vai  pagar  por  um  plano  e  este  plano  contém  um  número  X  de  menções  que   vai  ser  divido  pelo  número  de  mídias  que  você  for  pesquisa.   Monitoramento  –  Ferramentas  Pagas  
  121. 121. hQp://seekr.com.br/   A  mídia  social  em  que  ele   encontrou  um  termo  que  você   cadastrou.   Monitoramento  –  Ferramentas  Pagas  
  122. 122. hQp://seekr.com.br/   Título  do  post   Monitoramento  –  Ferramentas  Pagas  
  123. 123. hQp://seekr.com.br/   Descrição  do  post   Monitoramento  –  Ferramentas  Pagas  
  124. 124. hQp://seekr.com.br/   Adicione  tags  para     classificar  o  conteúdo   Monitoramento  –  Ferramentas  Pagas  
  125. 125. hQp://seekr.com.br/   Favorite  suas  ocorrências   Monitoramento  –  Ferramentas  Pagas  
  126. 126. hQp://seekr.com.br/   Envie  a  ocorrência  por  email  para     o  setor  responsável  responder  uma   questão  específica.   Monitoramento  –  Ferramentas  Pagas  
  127. 127. hQp://seekr.com.br/   Avalie  uma  menção  da  sua   marca  em:  PosiOvo,  Neutro     ou  NegaOvo   Monitoramento  –  Ferramentas  Pagas  
  128. 128. hQp://seekr.com.br/   Filtre  as  ocorrências  por  cada  item  de   cada  aba.   Monitoramento  –  Ferramentas  Pagas  
  129. 129. hQp://seekr.com.br/   Organize  suas  ocorrências   (Não  avaliadas)   Monitoramento  –  Ferramentas  Pagas  
  130. 130. hQp://seekr.com.br/   Organize  suas  ocorrências   (Avaliadas  como  PosiOvas)   Monitoramento  –  Ferramentas  Pagas  
  131. 131. hQp://seekr.com.br/   Organize  suas  ocorrências   (Avaliadas  como  Neutras)   Monitoramento  –  Ferramentas  Pagas  
  132. 132. hQp://seekr.com.br/   Organize  suas  ocorrências   (Avaliadas  como  NegaOvas)   Monitoramento  –  Ferramentas  Pagas  
  133. 133. hQp://seekr.com.br/   Organize  suas  ocorrências   (Favoritadas)   Monitoramento  –  Ferramentas  Pagas  
  134. 134. hQp://seekr.com.br/   Quantas  ocorrências  foram  encontradas,  quantas  negaOvas,  posiOvas  e  neutras   Monitoramento  –  Ferramentas  Pagas  
  135. 135. hQp://seekr.com.br/   Quantas  pessoas  foram  impactadas  em  cada  avaliação.   Monitoramento  –  Ferramentas  Pagas  
  136. 136. hQp://seekr.com.br/   Quantas  ocorrências  viralizaram  mais,  ou  foram  mais  comparOlhadas   Aqui,  é  muito  importante  frizar  que  cada  reclamação,  por  mais  boba  que  pareça  ser,  deve  ser  respondida  e  resolvida.   Quando  um  cliente  está  insaOsfeito  ele  reclama  e  fala  mal  para  outras  pessoas.  Por  isso  é  natural  que  uma  ocorrência   negaOve,  viralize  mais.  Preste  atenção  a  esse  detalhe  para  não  ter  que  lidar  com  uma  crise  no  futuro.   Monitoramento  –  Ferramentas  Pagas  
  137. 137. hQp://seekr.com.br/   Saiba  quem  são  seus  agressores  ou  evangelizadores.  Com  10   menções   PosiOvas  o  usuário  se  torna  evangelizador  ou  se  for  negaOva,   se  torna    agressor.   Monitoramento  –  Ferramentas  Pagas  
  138. 138. hQp://seekr.com.br/   •  SenOmento  é  com  relação  a  quanOdade  de   menções  posiOvas  ou  negaOvas  avaliadas.  Se  a   quanOdade  de  menções   •  PosiOvas  em  qualquer  termo  for  maior,  o   senOmento  é  posiOvo  e  o  contrario,  negaOvo   Monitoramento  –  Ferramentas  Pagas  
  139. 139. hQp://seekr.com.br/   A  saudabilidade  é  semelhante  ao  senOmento,     Mas  refere-­‐se  as  avaliações  totais  do   monitoramento   Monitoramento  –  Ferramentas  Pagas  
  140. 140. hQp://seekr.com.br/   O  Klout  é  o  índice  que  mede  a  influência  nos  perfis   sociais  de  uma  pessoa.  O  Klout  médio  dos  usuários   normais  de  mídias  sociais  é  25.  Acima  disso,   podemos  considerar  a  pessoa  um  influenciador.   Aqui,  você  sabe  a  influência  das  pessoas  que  falam   bem  ou  mal  da  sua  marca,  pelo  índice  klout  deles.   Monitoramento  –  Ferramentas  Pagas  
  141. 141. hQp://seekr.com.br/   Na  aba  Tags,  você  tem  acesso  a  todas  as  suas   palavras  chaves,  cadastradas  nas  menões.  O   tamanho  delas  indica  a  quanOdade  de  vezes  que   apareceram.   Monitoramento  –  Ferramentas  Pagas  
  142. 142. hQp://seekr.com.br/   Na  aba  relatórios,  você  pode  personalizar  e  criar   diversos  relatórios  específicos  e  personalizados   para  seus  clientes.   Monitoramento  –  Ferramentas  Pagas  
  143. 143. hQp://seekr.com.br/   Monitoramento  –  Ferramentas  Pagas  
  144. 144. hQp://seekr.com.br/   Monitoramento  –  Ferramentas  Pagas  
  145. 145. Monitoramento  –  Ferramentas  Gratuitas  
  146. 146. Monitoramento  –  Ferramentas  Gratuitas  
  147. 147. Monitoramento  –  Ferramentas  Gratuitas  
  148. 148. Monitoramento  –  Ferramentas  Gratuitas  
  149. 149. Monitoramento  –  Ferramentas  Gratuitas  
  150. 150. Monitoramento  –  Relatórios    hQp://ow.ly/m0PAN    
  151. 151. Monitoramento  –  Relatórios    hQp://ow.ly/m0PAN     I.  PROCESSOS  DE  CRIAÇÃO   PLANEJAMENTO  -­‐>  DEFINIÇÃO  DE  CATEGORIAS?  -­‐>  RASCUNHO  -­‐>  MONTAGEM  -­‐>  USABILIDADE   Assim  como  tudo  na  vida,  os  relatórios  começam  com  planejamento.  Que  pode  durar  minutos  ou  horas,  não   existe  regra.  É  nesse  momento  que  o  modelo  de  entrega  começa  a  tomar  forma  na  cabeça  do  analista.  Tudo   depende  do  objeOvo  do  monitoramento,  do  briefing  enviado,  da  conversa  com  quem  solicitou  e  do  formato   que  será  uOlizado  (qual  o  ideal?  diário,  semanal,  quinzenal,  mensal  ou  pontual?).   E  tudo  isso  parte  do  Planejamento  do  Monitoramento,  antes  das  definições  de  busca.  Funciona  como  se  você   já  esOvesse  pensando  no  final  do  trabalho,  por  isso,  o  Plano  de  Categorias  é  tão  importante.  A  organização  das   categorias,  criação  e  níveis  de  subcategorias,  tudo  isso  também  interfere  em  como  essas  informações  serão   apresentadas.  Na  lógica  do  pensamento  e  na  construção  da  história.   Rascunho?  Vale  papel  e  lápis?  Claro!  É  o  momento  de  organizar  todos  os  dados  e  informações  que  trabalhamos   até  o  momento  e  apresentá-­‐las  de  forma  coerente  para  quem  irá  receber  o  Relatório  de  Monitoramento.  Qual   será  o  tamanho?  Quantos  slides?  Qual  a  ordem  da  apresentação?  Quais  gráficos  serão  uOlizados?  Quais   subcategorias  serão  detalhadas?  Todos  os  meus  relatórios  começam  no  papel  e  só  depois  ganham  a  tela.    
  152. 152. Monitoramento  –  Relatórios    hQp://ow.ly/m0PAN     Usabilidade  em  relatório?  Por  que  não?  Certa  vez  escrevi  que  “na  maioria  das  vezes  um  relatório  atende  a   diversos  setores,  que  podem  envolver  cliente  e/ou  agência.  Logo,  ele  não  deve  ser  feito  de  um  analista  para   outro  analista,  ele  não  deve  fazer  sen=do  na  nossa  cabeça,  ele  deve  fazer  sen=do  na  cabeça  de  quem   realmente  precisa  entender.  Precisamos  gerar  entendimento“.  Portanto,  depois  do  rascunho,  da  ideia  de   como  será  a  forma  do  relatório,  é  preciso  parar  e  perguntar  se  aquele  modelo  está  adequado  ao  público  (que   pode  ser  variado).  O  que  também  depende  do  formato  determinado,  claro.  Porém,  a  pergunta  “O  que  você   sabe  sobre  as  pessoas  que  lêem  os  seus  relatórios?”  nunca  deve  ser  esquecida.   Depois  do  Processo  de  Criação,  que  envolveu  entender  as  categorias,  como  elas  serão  apresentadas,  definir  o   conteúdo  e  rascunho  das  telas,  é  o  momento  de  adequar  o  relatório  ao  melhor  formato.  No  próximo  post   vamos  abordar  o  segundo  tópico:  Formatos  de  Entrega  e  as  suas  aplicações.  
  153. 153. Monitoramento  –  Relatórios    hQp://ow.ly/m0PAN    
  154. 154. Monitoramento  –  Relatórios    hQp://ow.ly/m0PAN     II.  FORMATOS  DE  ENTREGA   Sempre  uOlizamos  o  termo  “relatórios”,  porém,  uma  entrega  pode  tomar  diversas  formas:  uma  apresentação,   uma  planilha  com  comentários  e  até  um  e-­‐mail.  Não  existe  regra,  existe  adequação.  Que  envolve  o  tema,  a   marca,  a  agência,  o  cliente  e,  principalmente,  o  objeOvo  da  história  toda.  Processos  que  aprendemos  e   aprimoramos  com  o  tempo,  fazendo,  errando  e  conversando  com  quem  vai  receber/ler/aprender  com  o   conteúdo  que  será  disponibilizado.   Seguindo  a  lógica  do  aprendizado,  quem  passou  por  algumas  coisas  nessa  vida  de  relatórios  e  entregas  já   aprendeu  muito  com  demandas  e  solicitações  possíveis  (e  impossíveis).  Dessa  forma,  podemos  idenOficar,  pelo   menos,  cinco  formatos  básicos  de  entrega.  Sendo  eles:   1.  RELATÓRIOS  DIÁRIOS   Funciona  para:   -­‐  Entregas  que  necessitam  de  urgência;   -­‐  Entregas  que  necessitam  de  acompanhamento  profundo  e  constante.   Quando  usar:   -­‐  Para  acompanhar  o  que  é  dito  sobre  uma  marca  diariamente,  sem  depender  do  espaço  de  tempo  das   entregas  semanais  e/ou  mensais;   -­‐  Para  acompanhar  situações  específicas  que  necessitam  de  urgência:  uma  campanha  ou  ação,  o  lançamento   de  um  novo  produto  ou  uma  crise,  por  exemplo.   -­‐  Budget?  Sim!  Relatórios  diários  custam  tempo,  dinheiro  e  mão  de  obra.  Se  a  marca  possui  baixo  volume  de   menções,  é  possível  trabalhar  com  o  universo,  do  contrário  é  necessário  trabalhar  com  amostragem.  No  caso   de  campanhas/ações  umas  das  coisas  mais  importantes  é  combinar  o  período  de  entregas  diárias  e  entrega   final,  sempre  com  o  objeOvo  de  não  demandar  mais  trabalho  do  que  é  necessário.  
  155. 155. Monitoramento  –  Relatórios    hQp://ow.ly/m0PAN     Vale  a  pena  usar?   -­‐  É  legal:  se  o  conteúdo  encontrado  for  diversificado;   -­‐  Pode  não  ser  tão  interessante:  se  o  budget  for  baixo  ou  se  a  estrutura  de  trabalho  não  suportar  tanta   demanda.  Alguns  clientes  querem  saber  de  tudo  ao  mesmo  tempo,  muitas  vezes  é  importante,  muitas  vezes  é   apenas  o  costume  do  excesso  de  informação.  Nesse  momento,  o  melhor  a  fazer  é  entender  e  adequar  ao   contexto.  
  156. 156. Monitoramento  –  Relatórios    hQp://ow.ly/m0PAN     2.  RELATÓRIOS  SEMANAIS  OU  QUINZENAIS   Funciona  para:   -­‐  Entregas  rápidas  e  que  orientam  tomadas  de  decisão.   Quando  usar:   -­‐  Para  acompanhar  o  que  é  dito  sobre  uma  marca  sem  a  urgência  de  informações  diárias  e  a  demora  das   entregas  mensais  (que  geralmente  são  realizadas  depois  do  fechamento  do  mês  e  entregues  no  meio  para  o   final  do  mês  seguinte);   -­‐  A  compilação  de  dados  e  informações  em  períodos  como  esses  facilitam  a  compreensão  do  assunto  de  uma   forma  mais  ampla  (o  que  não  acontece  nos  relatórios  diários);   -­‐  Para  pautar  reuniões  de  acompanhamento  da  marca  e  tomar  decisões  que  irão  influenciar  a  próxima  semana/ quinzena;   -­‐  Assim  como  o  formato  diário,  os  relatórios  semanais  e  quinzenais  também  funcionam  para    acompanhar   situações  específicas.  No  caso  de  campanhas  e  ações,  quando  a  duração  é  extensa,  e  no  caso  de  crises,   quando  existe  a  necessidade  de  manutenção  (ou  seja,  quando  a  crise  está  mais  calma,  porém,  existe  a   preocupação  de  uma  volta).   Vale  a  pena  usar?   -­‐  É  legal:  por  ser  um  dos  modelos  mais  uOlizados,  muitas  pessoas  já  estão  acostumadas  com  o  formato.  
  157. 157. Monitoramento  –  Relatórios    hQp://ow.ly/m0PAN     3.  RELATÓRIOS  MENSAIS   Funciona  para:   -­‐  Entregas  que  não  necessitam  de  tanta  urgência  (como  os  formatos  anteriores);   -­‐  Compilação  de  informações  dos  relatórios  semanais  e  quinzenais.   Quando  usar:   -­‐  Nesse  formato  é  possível  entender  o  que  ocorreu  com  uma  marca  em  um  espaço  maior  de  tempo.  É  posiOvo   quando  estamos  falando  de  volumes  de  menções,  polaridade  e  assuntos,  já  que  conseguimos  entender  mais  do   que  um  dia,  semana  ou  quinzena,  e  sim  todos  os  dados  juntos   Vale  a  pena  usar?   -­‐  É  legal:  o  relatório  mensal  é  quase  que  um  formato  padrão.  Caso  não  exista  a  necessidade  de  informações  em   espaços  menores  de  tempo,  é  um  dos  modelos  mais  adequados.   -­‐  Pode  não  ser  tão  interessante:  se  as  recomendações  não  estão  sendo  aplicadas  por  serem  apresentadas   “tarde  demais”.  Nesse  caso,    o  modelo  deve  ser  revisto.  
  158. 158. Monitoramento  –  Relatórios    hQp://ow.ly/m0PAN     4.  RELATÓRIOS  TRIMESTRAIS,  SEMESTRAIS  OU  ANUAIS   Funciona  para:   -­‐  Compilação  de  Informações.   Quando  usar:   -­‐  A  visão  da  informação  em  formatos  que  envolvem  longos  períodos  facilita  a  compreensão  de  alguns  pontos,   entre  eles:  evolução  do  que  é  dito,  sazonalidade  dos  assuntos,  volume  de  comentários  (quando  se  fala  mais   sobre  uma  marca  ou  produto,  por  exemplo),  senOmentos  x  tempo  e  outros.  A  compilação  de  todos  os  dados  e   informações  facilita  o  entendimento  do  todo,  o  que  é  essencial  para  o  trabalho  de  Monitoramento.  
  159. 159. Monitoramento  –  Relatórios    hQp://ow.ly/m0PAN     5.  PONTUAL   Funciona  para:   -­‐  Entregas  pontuais,  que  podem  surgir  a  qualquer  momento.   Quando  usar:   -­‐  Fazem  parte  do  universo  de  demandas  não  programadas,  que  podem  se  tornar  relatórios  em  outros  formatos   ou  não.    Alguns  exemplos  envolvem  estudos  de  imagem,  temá?ca,  segmento  ou  o  detalhamento  de  algum   tópico  de  relatórios  que  já  foram  entregues-­‐  Por  estar  fora  de  um  calendário  de  entregas,  muitas  vezes  a   expecta?va  de  quem  gerou  a  demanda  é  mais  alta  do  que  deveria.  Os  mo?vos  são  vários,  entre  eles,  tempo   curto  x  falta  de  conhecimento  do  processo  de  trabalho  por  parte  de  quem  solicitou.  Por  não  possuir  formatos    já   desenvolvidos  (muitas  vezes  a  demanda  nunca  foi  realizada),  o  tempo  e  a  expecta?va  podem  se  tornar  uma   dificuldade.  Portanto,  alinhar  fatores  desse  =po  com  o  cliente/agência  é  a  melhor  forma  de  lidar  com  essa   estrutura.   -­‐  Importante:  nem  sempre  existe  tempo  para  conseguirmos  realizar  o  processo  ideal,  ou  seja,  nem  sempre   existe  tempo  para  pensar  como  deveríamos.  Por  isso,  quanto  mais  organizado  for  o  fluxo  de  trabalho,  maior  a   facilidade  no  momento  de  atender  demandas  urgentes.   Como  falei  no  primeiro  post,  não  existe  regra.  Um  dia  todo  mundo  terá  uma  demanda  tão  específica  que  irá   precisar  repensar  formatos.  O  objeOvo  do  post  é  comparOlhar  um  pouco  das  demandas  que  já  Ove  e  ajudar   quem  também  está  nessa  aventura  de  Relatórios  de  Monitoramento.  E  você,  conhece  ou  já  criou  algum   formato  de  entrega?  Conta  pra  gente.    
  160. 160. Gestão  –  AOvidades  diárias  do  profissional  
  161. 161. Gestão  –  AOvidades  diárias  do  profissional  
  162. 162. Gestão  –  AOvidades  diárias  do  profissional  
  163. 163. Gestão  –  AOvidades  diárias  do  profissional  
  164. 164. Gestão  –  AOvidades  diárias  do  profissional  
  165. 165. Gestão  –  AOvidades  diárias  do  profissional  
  166. 166. Gestão  –  AOvidades  diárias  do  profissional  
  167. 167. Gestão  –  AOvidades  diárias  do  profissional  
  168. 168. Gestão  –  AOvidades  diárias  do  profissional  
  169. 169. Gestão  –  AOvidades  diárias  do  profissional  
  170. 170. Gestão  –  AOvidades  diárias  do  profissional  
  171. 171. Gestão  –  AOvidades  diárias  do  profissional  
  172. 172. Gestão  –  AOvidades  diárias  do  profissional  
  173. 173. Gestão  –  Ferramentas  -­‐  Hootsuite  
  174. 174. Gestão  –  Ferramentas  -­‐  Hootsuite  
  175. 175. Gestão  –  Ferramentas  -­‐  Hootsuite  
  176. 176.  hQp://ow.ly/dUUB3     Gestão  –  Ferramentas  -­‐  Hootsuite  
  177. 177. hQp://ow.ly/dUVic     Gestão  –  Ferramentas  -­‐  Hootsuite  
  178. 178. Gestão  –  Ferramentas  -­‐  Hootsuite  
  179. 179. Gestão  –  Ferramentas  -­‐  Hootsuite  
  180. 180. Gestão  –  Ferramentas  -­‐  Hootsuite  
  181. 181. Gestão  –  Ferramentas  -­‐  Hootsuite   Com  os  4  Opos  de  encurtadores,  você  pode  personalizá-­‐los  e  salvar  configurações  diferentes.  Para  mim,  o  mario  diferencial   do  Hootsuite  entre  todos  os  outros  clientes  é  a  integração  com  o  URL  Builder  do  Google.    Com  essa  ferramenta  você  pode   adicionar  palavras  chaves  no  seu  link  e  saber  exatamente  de  qual  mídia  sociais,  banner  ou  até  algum  blogueiro  contrato,  foi   o  responsável  pelo  acesso  em  seu  site,  via  google  analyOcs.  Vou  explicar  bem  este  processo.  
  182. 182. Gestão  –  Ferramentas  -­‐  Hootsuite   Cole  um  link  normal  aqui  para  ser  encurtado   Clique  na  engrenagem  para  abrir  as  configurações  avançadas   Selecione  um   preset  se  já  Over   criado  algum,  ou   crie  um  novo  e   salve,  se  for  usar   muitas  vezes.  
  183. 183. Gestão  –  Ferramentas  -­‐  Hootsuite   utm_source   utm_medium   utm_campaign   utm_content   Onde  o  link  vai  ser  divulgado   Aqui  você  pode  colcoar  qual  cliente   Aqui  o  nome  da  campanha  que  está  fazendo   Nome  ou  modelo  do  produto,  desOno  
  184. 184. Gestão  –  Ferramentas  -­‐  Hootsuite  
  185. 185. Gestão  –  Ferramentas  -­‐  Hootsuite  
  186. 186. Gestão  –  Ferramentas  –  Google  AnalyOcs  
  187. 187. Gestão  –  Ferramentas  -­‐  Hootsuite  
  188. 188. Gestão  –  Ferramentas  -­‐  Hootsuite  
  189. 189. Gestão  –  Ferramentas  -­‐  Hootsuite  
  190. 190. Gestão  –  Ferramentas  -­‐  Hootsuite  
  191. 191. Gestão  –  Ferramentas  -­‐  Hootsuite  
  192. 192. Gestão  –  Ferramentas  -­‐  Hootsuite  
  193. 193. Gestão  –  Ferramentas  -­‐  Klout  
  194. 194. Gestão  –  Ferramentas  -­‐  Peerindex    
  195. 195. Gestão  –  Ferramentas  -­‐  StaOgram    
  196. 196. Gestão  –  Ferramentas  -­‐  StaOgram  
  197. 197. Gestão  –  Ferramentas  -­‐  Facebook  Insights  
  198. 198. Gestão  –  Ferramentas  -­‐  Facebook  Insights  
  199. 199. Gestão  –  Ferramentas  -­‐  Facebook  Insights  
  200. 200. Gestão  –  Ferramentas  -­‐  Facebook  Insights  
  201. 201. Gestão  –  Ferramentas  -­‐  Facebook  Insights  
  202. 202. Gestão  –  Ferramentas  -­‐  Facebook  Insights  
  203. 203. Gestão  –  Ferramentas  -­‐  Facebook  Insights  
  204. 204. Gestão  –  Ferramentas  -­‐  Facebook  Insights  
  205. 205. Gestão  –  Ferramentas  –  Facebook  Insights  
  206. 206. Gestão  –  Ferramentas  –  Facebook  Insights   Se  você  ainda  Over  dúvidas  sobre  as  métricas  do  Facebook,  sugiro  ler  esse  Glossário  de  métricas,  organizado  pela  Camila   Porto  Camargo,  a  @camilapc.  O  link  para  acessar  o  conteúdo  é  este  aqui.   Glossário  de  Métricas  
  207. 207. hQp://analyOcs.socialbakers.com/   Gestão  –  Ferramentas  -­‐  Socialbakers   A  ferramenta  pro  do  AnalyOcs  do  Socialbakers  é  uma  ferramenta  paga  que  lê  todas  as  informações  do  Facebook  Insights  e   além  disso  ainda  calcula  outras  métricas  que  o  Facebook  não  nos  entrega.  É  uma  ferramenta  super  completa  que  é   essencial  no  trabalho  de  mídias  sociais,  na  questão  de  produção  de  relatórios.  
  208. 208. hQp://analyOcs.socialbakers.com/   Gestão  –  Ferramentas  -­‐  Socialbakers  
  209. 209. hQp://analyOcs.socialbakers.com/   Gestão  –  Ferramentas  -­‐  Socialbakers  
  210. 210. hQp://ow.ly/bMyUa     Gestão  –  Métricas  
  211. 211. hQp://ow.ly/bMyUa     Gestão  –  Métricas  
  212. 212. hQp://ow.ly/bMyUa     Gestão  –  Métricas  
  213. 213. hQp://ow.ly/bMyUa     Gestão  –  Métricas  
  214. 214. hQp://ow.ly/bMyUa     Gestão  –  Métricas  
  215. 215. hQp://ow.ly/bMyUa     Gestão  –  Métricas  
  216. 216. hQp://www.slideshare.net/mediaeducaOon/   Gestão  –  Métricas  –  Evento  Metrics  Summit  
  217. 217. Gestão  –  Ferramentas  Gratuitas   www.google.com/webmasters/tools/?hl=pt-­‐BR‎  
  218. 218. Gestão  –  Ferramentas  Gratuitas   hQp://twiQercounter.com/  
  219. 219. Gestão  –  Ferramentas  Gratuitas  
  220. 220. Gestão  –  Ferramentas  Gratuitas  
  221. 221. Como  fazer  relatórios  nas  mídias  sociais   Relatórios   1)  Base  de  fãs   2)  Taxa  de  Engajamento   3)  Volume  de  posts   4)  Top  interação   5)  Top  clicados   6)  Tendências  e  insights   7)  Categorias  de  posts     8)  Faturamento   9)  Dados  do  blog   10) Análise  da  concorrência  
  222. 222. Relatórios   AOvidade  práOca!     Escolher  um  cliente;     Criar  um  monitoramento   usando  um  trial  do  Seekr;     Avaliar  menções;     Apresentar  3  insights:       1)  Relacionamento;   2)  Conteúdo;   3)  Campanhas;  
  223. 223. Obrigado  :-­‐)   Agradecimentos:     Pós  Graduação  UNIPÊ;   Fábio  Albuquerque;  

×