Mercados Financeiros 03/06/09
03/06/09 Segmentação do MF JUROS: MOEDA DE TROCA DESSES MERCADOS MERCADO MONETÁRIO MERCADO CAMBIAL MERCADO DE CAPITAIS MER...
4.1 - Mercado Monetário <ul><li>Envolve operações de curto e curtíssimo prazo propiciando um controle ágil e rápido da liq...
4.1 - Mercado Monetário <ul><li>Como os títulos são escriturais, eles são registrados (custodiados) em dois grandes sistem...
Mercado Monetário <ul><li>Devido ao grande volume negociado nesses dois sistemas, passou-se divulgar periodicamente duas t...
Mercado Monetário <ul><li>CETIP :   Central de Custódia e de Liquidação Financeira de Títulos privados , tem uma taxa de j...
Títulos Públicos <ul><li>Títulos do Tesouro Nacional:  voltados a execução da política fiscal do Governo, antecipando rece...
Títulos Públicos <ul><li>LTN - Letras do Tesouro Nacional:  São títulos pré fixados, negociados com deságio. O prazo é def...
Títulos públicos federais (TPF)como instrumento de política monetária 03/06/09 <ul><li>Vamos lembrar que: </li></ul><ul><l...
Mercado Aberto 03/06/09 Títulos BC Venda Primária ou Leilão Primário  Propostas IF através dos Dealers Mercado Secundário ...
Atuação dos Bancos no Mercado Monetário 03/06/09 <ul><li>RESERVAS  MONETÁRIAS DOS BANCOS </li></ul><ul><li>Volume de Depós...
Transações que afetam às Reservas Bancárias <ul><li>Depósitos compulsórios </li></ul><ul><li>Recolhimentos e transferência...
Equilíbrio de contas das IF no final do dia <ul><li>Mercado interfinanceiro:  operações lastreadas em CDI, de emissão dos ...
4.2 - Mercado de Crédito <ul><li>Visa suprir as necessidades de caixa de curto e médio prazo dos vários agentes econômicos...
Empréstimos de Curto e Médio Prazo <ul><li>Desconto Bancário de Títulos:  operação de crédito típica do sistema bancário, ...
Empréstimos de Curto e Médio Prazo <ul><li>Operações Hot Money:  empréstimos de curto e curtí-ssimo prazo (de 1 à 7 dias),...
Empréstimos de Curto e Médio Prazo <ul><li>Operações de VENDOR:  financiamento das vendas baseado no princípio da cessão d...
<ul><li>Crédito Direto ao Consumidor (CDC):  operação des-tinada a financiar a compra de bens e serviços por consumidores ...
4.3 - Mercado de Capitais <ul><li>Contempla as operações de investimento dos agentes econômicos, por meio de diversas moda...
4.3 - Mercado de Capitais <ul><li>Instrumentos do mercado de capitais </li></ul><ul><ul><li>Financiamento de Capital de Gi...
Mercado de Capitais <ul><li>Financiamento de Capital de Giro:  visa suprir as necessidades de recursos do ativo circulante...
Operações de Repasses <ul><li>São processadas através da contratação de emprésti-mos em moeda estrangeira pelas IF sediada...
Operações de Repasses <ul><li>Alocação de disponibilidades provenientes de fundos governamentais em ativos de empresas nac...
Arrendamento Mercantil <ul><li>Modalidade praticada mediante a celebração de um contrato de AM (aluguel) efetuado entre um...
Vantagens do Arrendamento Mercantil <ul><li>Permite a renovação periódica de equipamentos atendendo às exigências tecnológ...
Oferta Pública de Ações e Debêntures <ul><li>A emissão e colocação de ações é uma operação típica das S.A. Ela é uma das f...
Oferta Pública de Ações e Debêntures <ul><li>Debêntures:  emissão privada ou pública. </li></ul><ul><ul><li>Emissão privad...
Securitização de Recebíveis <ul><li>Captações financeiras por meio de títulos emitidos pelos próprios tomadores de recurso...
Mercado de Bônus (Bonds) <ul><li>O mercado internacional de divisas permite o levan-tamento de recursos por meio da emissã...
Mercado de Bônus <ul><li>Prêmio pelo risco ou  default premium , para compen-sar pela eventual insolvência do emitente. </...
Rating das Dívidas e Bônus de alto risco <ul><li>Ratings:  avaliações de risco que são atribuídos a partir dos demonstrati...
Warrants <ul><li>São títulos que  concedem a seu titular o direito de adquirir outros títulos de emissão da própria empres...
Títulos Conversíveis <ul><li>Concedem a seu titular o direito de  trocar  os ativos possuídos por outros. </li></ul><ul><l...
Forfaiting <ul><li>Este mercado concentra as negociações com títulos de crédito e contratos representativos de exportações...
4.4 - Mercado  Cambial <ul><li>Segmento financeiro em que ocorrem operações de compra e venda de moedas internacionais con...
Operações Futuras e Arbitragem de Câmbio <ul><li>Na modalidade de operação cambial futura, a moeda é negociada no presente...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

1 Mercados Financeiros

20,668

Published on

Published in: Business, Technology
3 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
20,668
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
6
Actions
Shares
0
Downloads
477
Comments
3
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

1 Mercados Financeiros

  1. 1. Mercados Financeiros 03/06/09
  2. 2. 03/06/09 Segmentação do MF JUROS: MOEDA DE TROCA DESSES MERCADOS MERCADO MONETÁRIO MERCADO CAMBIAL MERCADO DE CAPITAIS MERCADO DE CRÉDITO MERCADO FINANCEIRO
  3. 3. 4.1 - Mercado Monetário <ul><li>Envolve operações de curto e curtíssimo prazo propiciando um controle ágil e rápido da liquidez da economia e das taxas de juros básicas (instrumento de política monetária) </li></ul><ul><li>Os papéis caracterizam-se pelos prazos reduzidos e alta liquidez (NTN, LTN, CDI). </li></ul><ul><li>Títulos negociados são escriturais ou seja, não são emitidos fisicamente. </li></ul><ul><li>Nesse mercado, além dos títulos públicos federais, são também negociados os títulos públicos estaduais e municipais, o CDI, CDB e debêntures </li></ul>03/06/09
  4. 4. 4.1 - Mercado Monetário <ul><li>Como os títulos são escriturais, eles são registrados (custodiados) em dois grandes sistemas, chamados de SELIC e CETIP </li></ul><ul><li>SELIC: Sistema Especial de Liquidação e Custodia , desenvolvido pelo BC e Andima em 1979, para o controle, liquidação e custódia das operações com títulos públicos federais. </li></ul><ul><li>CETIP : Central de Custódia e de Liquidação Financeira de Títulos privados , começou a funcionar em 1986. Semelhante ao SELIC, abriga títulos como CDB, RDB, debêntures, CDI, etc.. </li></ul>03/06/09
  5. 5. Mercado Monetário <ul><li>Devido ao grande volume negociado nesses dois sistemas, passou-se divulgar periodicamente duas taxas de juros que são amplamente utilizadas no mercado monetário: A taxa selic e a taxa cetip </li></ul><ul><li>SELIC: Sistema Especial de Liquidação e Custodia , tem uma taxa de juros chamada taxa Selic ou D0 . </li></ul><ul><li>A taxa Selic permite a compra e venda diária de títulos, através da taxa Selic conhecida por overnight (taxa de juros diária). </li></ul><ul><li>Como os títulos negociados no Selic são de grande liquidez e risco mínimo, a taxa definida nesse ambiente se reconhece como uma taxa livre de risco da economia. </li></ul>03/06/09
  6. 6. Mercado Monetário <ul><li>CETIP : Central de Custódia e de Liquidação Financeira de Títulos privados , tem uma taxa de juros chamada taxa Cetip ou D1 ou ADM . </li></ul><ul><li>Na Cetip a liquidação é feita no dia seguinte ao da operação. Por isso D1. A taxa Cetip é ligeiramente maior que a Selic por o risco desse dia adicional. </li></ul><ul><li>Como balizamento do mercado a taxa SELIC é mais importante </li></ul>03/06/09
  7. 7. Títulos Públicos <ul><li>Títulos do Tesouro Nacional: voltados a execução da política fiscal do Governo, antecipando receitas ou financiando déficits. </li></ul><ul><ul><li>LTN - Letras do Tesouro Nacional </li></ul></ul><ul><ul><li>LFT - Letras Financeiras do Tesouro </li></ul></ul><ul><ul><li>NTN - Notas do Tesouro Nacional </li></ul></ul><ul><li>Títulos do Banco Central: têm por objetivo a imple-mentação e execução da política monetária. </li></ul><ul><ul><li>BBC - Bônus do Banco Central </li></ul></ul><ul><ul><li>LBC - Letras do Banco Central </li></ul></ul><ul><ul><li>NBC - Notas do Banco Central </li></ul></ul>03/06/09
  8. 8. Títulos Públicos <ul><li>LTN - Letras do Tesouro Nacional: São títulos pré fixados, negociados com deságio. O prazo é definido no momento da emissão </li></ul><ul><li>LFT - Letras Financeiras do Tesouro: Títulos pós fixados com rendimentos definidos pela taxa Selic. Papéis atraentes para o investidor sendo seus prazos de emissão definidos no momento da emissão. </li></ul><ul><li>NTN - Notas do Tesouro Nacional: oferecem rendi-mento pós fixado e atrelados a um indexador da economia. Prazo de emissão 3 meses e pagamento dos juros periódico. </li></ul>03/06/09
  9. 9. Títulos públicos federais (TPF)como instrumento de política monetária 03/06/09 <ul><li>Vamos lembrar que: </li></ul><ul><li>Os TPF possuem grande liquidez (facilidade de negociação) </li></ul><ul><li>2. A taxa selic (taxa básica da economia) utiliza como lastro os TPF </li></ul><ul><li>3. O mercado monetário é estruturado visando ao controle da liquidez monetária da economia. </li></ul><ul><li>ASSIM SENDO: </li></ul><ul><li>Ao decidir reduzir a oferta monetária na economia a autoridade monetária coloca (vende) títulos aos agentes econômicos retirando parte do dinheiro de circulação </li></ul><ul><li>Ao contrário, desejando expandir os meios de pagamentos a autoridade recompra títulos aumentando a oferta de moeda na economia </li></ul>
  10. 10. Mercado Aberto 03/06/09 Títulos BC Venda Primária ou Leilão Primário Propostas IF através dos Dealers Mercado Secundário ou Mercado Aberto OPERAÇÕES OVER NIGHT Taxa Selic
  11. 11. Atuação dos Bancos no Mercado Monetário 03/06/09 <ul><li>RESERVAS MONETÁRIAS DOS BANCOS </li></ul><ul><li>Volume de Depósitos Voluntários junto AM </li></ul><ul><li>Volume de Depósitos Compulsórios junto AM </li></ul><ul><li>Dinheiro no caixa das instituições </li></ul>BANCOS <ul><li>CAPTAÇÃO DE RECURSOS </li></ul><ul><li>DEPÓSITOS A VISTA </li></ul><ul><li>COLOCAÇÃO DE TÍTULOS </li></ul><ul><li>APLICAÇÕES EM ATIVOS </li></ul><ul><li>Créditos </li></ul><ul><li>Carteiras de Títulos e Valores </li></ul><ul><li>Moeda estrangeira </li></ul>
  12. 12. Transações que afetam às Reservas Bancárias <ul><li>Depósitos compulsórios </li></ul><ul><li>Recolhimentos e transferências ao Tesouro de tributos e contribuições federais </li></ul><ul><li>Negociações com títulos de sua própria emissão </li></ul><ul><li>Saldo das transações realizadas (entrada/saída) </li></ul><ul><li>Operações com títulos públicos em leilão pri-mário e no mercado secundário </li></ul><ul><li>Operações com moeda estrangeira </li></ul>03/06/09
  13. 13. Equilíbrio de contas das IF no final do dia <ul><li>Mercado interfinanceiro: operações lastreadas em CDI, de emissão dos participantes e de cir-culação restrita a esse mercado. </li></ul><ul><li>Transações realizadas eletronicamente entre IF e repassadas aos terminais da CETIP, para registro e controle. Taxa Cetip > Taxa Selic. </li></ul><ul><li>Operações de Redesconto no BC, para cobrir posições desfavoráveis de caixa. (último recurso) </li></ul>03/06/09
  14. 14. 4.2 - Mercado de Crédito <ul><li>Visa suprir as necessidades de caixa de curto e médio prazo dos vários agentes econômicos, por meio de créditos a pessoas físicas ou empréstimos e financia-mento às empresas. </li></ul><ul><li>Empréstimos de Curto e Médio Prazo </li></ul><ul><ul><li>Desconto Bancário de Títulos </li></ul></ul><ul><ul><li>Contas Garantidas </li></ul></ul><ul><ul><li>Créditos Rotativos </li></ul></ul><ul><ul><li>Operações de Hot Money </li></ul></ul><ul><ul><li>Empréstimos para Capital de Giro e Pagamento de Tributos </li></ul></ul><ul><ul><li>Operações Vendor </li></ul></ul><ul><ul><li>CDC/Assunção de Dívidas/ACC/ACE </li></ul></ul>03/06/09
  15. 15. Empréstimos de Curto e Médio Prazo <ul><li>Desconto Bancário de Títulos: operação de crédito típica do sistema bancário, envolvendo duplicatas e promissórias. O empréstimo é concedido contra a garantia do título representativo de um crédito futuro. </li></ul><ul><li>Contas Garantidas: similar ao cheque especial. </li></ul><ul><li>Créditos Rotativos: para financiar capital de giro. São próximas às contas garantidas, mas com garantia de duplicatas. A medida que as duplicatas vencem, devem ser substituídas por outras para manter o limite e a rotatividade do crédito. Movimentadas por meio de cheques. </li></ul>03/06/09
  16. 16. Empréstimos de Curto e Médio Prazo <ul><li>Operações Hot Money: empréstimos de curto e curtí-ssimo prazo (de 1 à 7 dias), para cobrir necessidades permanentes de caixa das empresas. Taxas formadas com base nas taxas dos CDI. São as taxas CDI over as que estabelecem os juros para as operações de hot money. </li></ul><ul><li>Empréstimos para Capital de Giro e Pagamento de Tributos: </li></ul><ul><ul><li>Capital de Giro: garantias por meio de duplicatas, avais, notas promissórias, etc. </li></ul></ul><ul><ul><li>Pagamento de Tributos: adiantamentos para liquidação de impostos e tarifas públicas. </li></ul></ul>03/06/09
  17. 17. Empréstimos de Curto e Médio Prazo <ul><li>Operações de VENDOR: financiamento das vendas baseado no princípio da cessão de crédito, que permite a uma empresa vender a prazo e receber o pagamento a vista. </li></ul>03/06/09 BANCO EMPRESA COMPRADORA EMPRESA VENDEDORA À VISTA R$ 100 À PRAZO R$ 108 COM VENDOR EMPRESA VENDEDORA À VISTA R$ 100 À PRAZO R$ 110 EMPRESA COMPRADORA SEM VENDOR
  18. 18. <ul><li>Crédito Direto ao Consumidor (CDC): operação des-tinada a financiar a compra de bens e serviços por consumidores ou usuários finais. É concedido por sociedades financeiras e a garantia é a alienação do próprio bem. </li></ul>Empréstimos de Curto e Médio Prazo 03/06/09
  19. 19. 4.3 - Mercado de Capitais <ul><li>Contempla as operações de investimento dos agentes econômicos, por meio de diversas modalidades de financiamento a médio e longo prazos para capital de giro e capital fixo, e de prazo indeterminado. </li></ul><ul><li>É o grande municiador de recursos permanentes para a economia por se constituir no elo de ligação entre os agentes econômicos superavitários (doadores de recursos) e os deficitários (tomadores de recursos) </li></ul>03/06/09
  20. 20. 4.3 - Mercado de Capitais <ul><li>Instrumentos do mercado de capitais </li></ul><ul><ul><li>Financiamento de Capital de Giro </li></ul></ul><ul><ul><li>Operações de Repasses </li></ul></ul><ul><ul><li>Arrendamento Mercantil </li></ul></ul><ul><ul><li>Oferta Pública de Ações e Debêntures </li></ul></ul><ul><ul><li>Securitização de Recebíveis </li></ul></ul><ul><ul><li>Mercado de Bônus e Rating </li></ul></ul><ul><ul><li>Warrants e Títulos Conversíveis </li></ul></ul><ul><ul><li>Forfaiting </li></ul></ul>03/06/09
  21. 21. Mercado de Capitais <ul><li>Financiamento de Capital de Giro: visa suprir as necessidades de recursos do ativo circulante (C.G.) das empresas. </li></ul><ul><li>Prazo de resgate: 6 à 24 meses com garantia de duplicatas, avais ou hipoteca s/ativos reais. </li></ul><ul><li>Recursos: depósitos a prazo fixo captados pela emissão de CDB e RDB ou pela colocação de outros papéis no mercado. </li></ul><ul><ul><li>Commercial papers: nota promissória de prazo até 9 meses, instrumento ágil e custo menor pela eliminação da intermediação financeira. </li></ul></ul>03/06/09
  22. 22. Operações de Repasses <ul><li>São processadas através da contratação de emprésti-mos em moeda estrangeira pelas IF sediadas no país e seu conseqüente repasse às empresas comerciais, industriais e de serviços, visando o financiamento de capital de giro e de capital fixo. </li></ul><ul><li>Regulamentadas pelo BC por meio da Resolução 63. </li></ul>03/06/09 Banco Estrangeiro (Emprestador) Empresa tomadora dos recursos Banco Nacional (Repassador)
  23. 23. Operações de Repasses <ul><li>Alocação de disponibilidades provenientes de fundos governamentais em ativos de empresas nacionais consideradas de interesse econômico nacional. </li></ul><ul><li>Apoio financeiro a pequena e média empresa. </li></ul><ul><li>Incentivo à produção de bens de capital. </li></ul><ul><li>Operações de longo prazo, com intermediação de alguma IF e com taxas de juros favorecidas. </li></ul><ul><li>Recursos provenientes de dotações orçamentárias da União, PIS, Finsocial e captações no exterior. </li></ul><ul><li>Executores: BNDES (BNDESPAR e Finame), bancos regionais de desenvolvimento, CE e BB. </li></ul>03/06/09
  24. 24. Arrendamento Mercantil <ul><li>Modalidade praticada mediante a celebração de um contrato de AM (aluguel) efetuado entre um cliente (arrendatário) e uma sociedade de arrendamento mercantil (arrendadora), visando à utilização pelo primeiro de certo bem durante um prazo determina-do e cujo pagamento é realizado na forma de aluguel (arrendamento). </li></ul>03/06/09 Empresas Produtoras dos Bens Empresas que necessitam os Bens Empresas de Leasing
  25. 25. Vantagens do Arrendamento Mercantil <ul><li>Permite a renovação periódica de equipamentos atendendo às exigências tecnológicas e de mercado. </li></ul><ul><li>Evita problemas e dificuldades da imobilização, reduzindo o risco da empresa. </li></ul><ul><li>Permite maior flexibilidade na utilização dos recursos financeiros, deixando os mesmos disponí-veis para outros usos. </li></ul><ul><li>Oferece benefícios fiscais pela dedutibilidade inte-gral das contraprestações do contrato, no cálculo da provisão para o IR das pessoas jurídicas. </li></ul>03/06/09
  26. 26. Oferta Pública de Ações e Debêntures <ul><li>A emissão e colocação de ações é uma operação típica das S.A. Ela é uma das formas mais vantajosas de levantar recursos. Obedecem a uma sistemática legal. </li></ul><ul><li>Denomina-se subscrição de ações ou underwriting , tendo os atuais acionistas o privilégio da compra dessas ações. </li></ul><ul><li>Lançamento no mercado primário e negociadas entre investidores no mercado secundário (pregões das bolsas de comércio). </li></ul><ul><li>Debêntures: títulos privados de crédito, emitidos por sociedades por ações e colocadas no mercado entre investidores institucionais. Visam o levantamento de fundos de médio e longo prazos. </li></ul>03/06/09
  27. 27. Oferta Pública de Ações e Debêntures <ul><li>Debêntures: emissão privada ou pública. </li></ul><ul><ul><li>Emissão privada: quando os investidores são identificados previamente, geralmente investidores institucionais. </li></ul></ul><ul><ul><li>Emissão pública: através de intermediários financeiros constituídos por uma instituição ou um conjunto delas (pool), que se responsabiliza pela coordenação da colocação dos debêntures junto aos investidores no mercado. </li></ul></ul><ul><li>O lançamento público segue o mesmo procedimento do lançamento de ações e deve ser registrado e ter autorização da CVM . </li></ul><ul><li>Emissão escritural, ou seja não há emissão física do título, devendo ser registradas na Cetip/SND - Sistema Nacional de Debêntures. </li></ul>03/06/09
  28. 28. Securitização de Recebíveis <ul><li>Captações financeiras por meio de títulos emitidos pelos próprios tomadores de recursos. </li></ul><ul><li>Operação realizada por empresas com uma carteira pulverizada de valores a receber, que negocia essa carteira com uma empresa criada para essa finalidade: Sociedade de Fins Especiais (SFE), que levanta recursos no mercado mediante a emissão de títulos (debêntures) lastreados nos valores a receber. </li></ul><ul><li>A SFE forma um caixa (títulos de longo prazo) para financiar títulos de curto prazo. </li></ul><ul><li>Um Agente Fiduciário (Trustee) é nomeado para monitorar a situação da SFE e proteger os debenturistas. </li></ul>03/06/09
  29. 29. Mercado de Bônus (Bonds) <ul><li>O mercado internacional de divisas permite o levan-tamento de recursos por meio da emissão de títulos pelos próprios tomadores. </li></ul><ul><li>Captações pela emissão de Commercial Papers e Bônus são as principais. </li></ul><ul><li>Bônus: títulos de renda fixa, representativos de dívidas de maior maturidade, emitidos diretamente pelos toma-dores de recursos. Emitidos por empresas privadas, governo e instituições públicas. Geralmente com garantia bancária. </li></ul><ul><li>Taxas: podem ser fixas ou flutuantes. </li></ul><ul><li>Remuneração: definida com base nas taxas dos Bônus do Tesouro dos Estados Unidos. </li></ul>03/06/09
  30. 30. Mercado de Bônus <ul><li>Prêmio pelo risco ou default premium , para compen-sar pela eventual insolvência do emitente. </li></ul><ul><li>Os adquirentes são investidores institucionais como fundos de pensão, IF, governos, grandes corporações, fundos de investimento e similares. </li></ul><ul><li>O emitente do título capta os recursos junto aos investidores, eliminando a presença de IF nas funções tradicionais de reserva e fonte natural dos fundos. </li></ul><ul><li>IF atuam como prestadoras de serviços: </li></ul><ul><ul><li>tomadores de recursos (emissores) </li></ul></ul><ul><ul><li>incorporando esse títulos a sua carteira de aplicações </li></ul></ul><ul><ul><li>intermediários nos lançamentos de outras empresas </li></ul></ul><ul><li>Diluição (risco) e liquidez (mercado secundário) </li></ul>03/06/09
  31. 31. Rating das Dívidas e Bônus de alto risco <ul><li>Ratings: avaliações de risco que são atribuídos a partir dos demonstrativos financeiros publicados e outras informações conjunturais e/ou setoriais, que expressam a qualidade da dívida em termos de inadimplência e garantias de crédito. </li></ul><ul><li>Standard & Poor/Moody. </li></ul><ul><li>Títulos de baixa qualidade são chamados junk bonds. </li></ul><ul><li>A taxa de juros destes títulos é maior que a corres-pondente aos títulos de boa qualidade. </li></ul><ul><li>Os Bônus do Tesouro dos EU são considerados sem risco. </li></ul>03/06/09
  32. 32. Warrants <ul><li>São títulos que concedem a seu titular o direito de adquirir outros títulos de emissão da própria empresa . Representam uma opção de compra futura concedida pelo emitente do título, a um preço previamente definido. </li></ul><ul><li>Os warrants são geralmente conversíveis em ações ou em títulos de dívidas. Alguns dão o direito de escolha na compra de ações ou obrigações e outros, mais raros, dão o direito de compra de mercadorias. </li></ul><ul><li>Podem ser emitidos junto com outros títulos ou separados, podendo ser neste caso negociado separa-damente. </li></ul><ul><li>As condições da opção são indicadas no lançamento. </li></ul>03/06/09
  33. 33. Títulos Conversíveis <ul><li>Concedem a seu titular o direito de trocar os ativos possuídos por outros. </li></ul><ul><li>Um caso comum é o Bônus Conversível em Ações da empresa emitente. </li></ul><ul><li>As debêntures costumam ser emitidas com cláusula de conversibilidade em ações da empresa. No momento do resgate, o debenturista faz a opção de receber em dinheiro ou em ações. </li></ul><ul><li>O valor da debênture conversível é formado de duas fontes de remuneração: debênture e conversão. </li></ul><ul><li>Warrants e títulos conversíveis são fontes adicionais de financiamento. Seu risco decorre da diferença entre o valor do título e o valor acordado na operação. </li></ul>03/06/09
  34. 34. Forfaiting <ul><li>Este mercado concentra as negociações com títulos de crédito e contratos representativos de exportações realizadas por empresas brasileiras. São operações ágeis para reforçar o capital de giro das empresas exportadoras. </li></ul><ul><li>O título de crédito aceito pelo importador é adquirido como em uma operação de desconto por uma IF, que repassa o valor descontado à empresa exportadora. </li></ul><ul><li>A IF costuma assumir o risco da liquidação da dívida. </li></ul><ul><li>Semelhante ao factoring , diferenciando-se pelo prazo dos títulos e o tipo de produtos financiados. </li></ul><ul><li>O custo é função do risco da importadora e da economia. </li></ul>03/06/09
  35. 35. 4.4 - Mercado Cambial <ul><li>Segmento financeiro em que ocorrem operações de compra e venda de moedas internacionais conversíveis. </li></ul><ul><li>Operadores de câmbio: especialistas vinculados às IF na função de transacionar divisas. </li></ul><ul><li>Corretoras de câmbio: intermediários entre os operadores e os agentes econômicos interessados em comprar ou vender moeda. </li></ul><ul><li>Taxa LIBOR: taxa de juros interbancária de Londres. </li></ul><ul><li>Taxa PRIME: taxa de juros cobradas pelos bancos norte-americanos aos clientes preferenciais. </li></ul>03/06/09
  36. 36. Operações Futuras e Arbitragem de Câmbio <ul><li>Na modalidade de operação cambial futura, a moeda é negociada no presente em paridade e quantidade, oco-rrendo a entrega efetiva no futuro. </li></ul><ul><li>Permite se proteger de eventuais variações da moeda no período considerado, eliminando os riscos cambiais tão comuns nas operações de comércio internacional. </li></ul><ul><li>As diferenças de cotações temporárias de uma moeda em diferentes centros financeiros, permite tirar vantagens através do processo chamado arbitragem . </li></ul>03/06/09
  1. A particular slide catching your eye?

    Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

×