Tipos de rochas sedimentares

55,393 views
54,980 views

Published on

3 Comments
6 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
55,393
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
5
Actions
Shares
0
Downloads
624
Comments
3
Likes
6
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Tipos de rochas sedimentares

  1. 1. Universidade Federal de Sergipe Disciplina: Princípios de Sedimentologia e Estratigrafia Profa. : Talita Fernanda TIPOS DE ROCHAS SEDIMENTARES
  2. 9. Classificação das Rochas Sedimentares <ul><li>As rochas sedimentares podem ser constituídas por três componentes: </li></ul><ul><li>a) Terrígenos = substâncias minerais proveniente da erosão de uma área fora da bacia (Qz, Fds, etc); </li></ul><ul><li>b) Aloquímicos = compostos minerais derivados do retrabalhamento de substâncias químicas precipitadas dentro da bacia (conchas, etc); </li></ul><ul><li>c) Ortoquímicos = precipitados químicos produzidos na bacia e sem evidências de transporte ou agregação (calcita, dolomita, etc). </li></ul>
  3. 10. <ul><li>Baseada nos componentes fundamentais as rochas sedimentares podem ser classificas em: </li></ul><ul><li>Rochas terrígenas (T); </li></ul><ul><li>Rochas aloquímicas impuras (Al); </li></ul><ul><li>Rochas aloquímicas (A); </li></ul><ul><li>Rochas ortoquímicas impuras (Ol); </li></ul><ul><li>Rochas ortoquímicas (O). </li></ul>
  4. 11. Diagrama triangular de classificação geral das rochas sedimentares (Folk, 1968).
  5. 12. ROCHAS SEDIMENTARES ALÓCTONES <ul><li>São rochas compostas por fragmentos minerais provenientes de fora da bacia de sedimentação. Podem ser subdivididas em: </li></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>Rochas sedimentares epiclásticas – material terrígeno transportados por vários meios (água, vento e gelo); </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>Rochas sedimentares piroclásticas ou vulcanoclásticas – material vulcânico de explosões, seguidas de deposição. </li></ul></ul></ul></ul></ul>
  6. 13. Rochas sedimentares epiclásticas <ul><li>Essas rochas são formadas pela acumulação natural de materiais, como cascalhos, areias e siltes, que representam basicamente fragmentos de rochas preexistentes. </li></ul><ul><li>Rochas rudáceas; </li></ul><ul><li>Rochas arenáceas; e </li></ul><ul><li>Rochas lutáceas. </li></ul>
  7. 15. Rochas Rudáceas Depósitos de matacões, calhaus, seixos e grânulos inconsolidados são denominados de cascalho e quando endurecidos de conglomerados ou brechas, conforme os fragmentos sejam predominantemente arredondados ou angulosos, respectivamente.
  8. 16. Feições descritivas da Rochas Rudáceas <ul><li>A) Tamanho, distribuição e forma de partículas; </li></ul>B) Tipo de estratificação Planar Cruzada Maciça
  9. 17. C) Camadas gradacionais D) Forma dos corpos conglomeráticos Normal Inversa S/ Gradação
  10. 18. Classificação dos conglomerados Conglomerado é uma rocha formada por clastos rolados, de tamanho superior à 2 mm, agrupados por um cimento, formando um depósito consolidado. GRUPO CONGLOMERADO ARENÍTICO Ortoconglomerado Ortoquartzítico (Oligomítico) Petromítico (Polimítico) Ortoquartzítico Lítico Paraconglomerado Tilóide (Diamictito) Tilito Grauvaca Intraformacional Conglomerado e brecha intra-formacionais Calcarenito e etc. Piroclástico Conglomerado e brecha vulcânicos Tufos e arenitos tufáceos
  11. 19. Características Ortoconglomerado é quando a rocha é suportada pelo arcabouço (grãos);  Paraconglomerado é suportado pela matriz, como mostra a figura (Harms et al ., 1975).
  12. 21. Rochas Arenáceas Depósitos de areia consolidados denominam-se de arenitos e, embora normalmente formados por minerais de sílica, podem apresentar composição mineralógica complexa, unindo minerais detríticos, como minerais de sílica (predominantemente quartzo); minerais de argila e minerais placóides (micas, clorita, etc.); minerais pesados e finalmente, fragmentos líticos ou de rochas.
  13. 22. Feições descritivas da Rochas Arenáceas A) Composição mineralógica; B) Minerais detríticos; C) Minerais químicos; D) Aspectos texturais (forma e o arredondamento); E) Estruturas sedimentares (biogênicas, químicas...);
  14. 23. Classificação dos Arenitos – Classificação de Petijonh et al. (1972) Critérios básicos; Proporções de Qz, Feld. e Fragmentos de Rocha. Critérios Secundários: Frequência de Matriz argilosa no arenito (arenitos limpos menos de 15% de matriz e arenitos sujos mais de 15% de matriz).
  15. 24. Descrição dos arenitos mais comuns GRAUVACAS = São arenitos de cor cinza, compostos de grãos de vários tamanhos de areia e matriz pelítica (silte + argila). As grauvacas são geralmente de origem marinha.
  16. 25. ARENITO QUARTZOSO – Eles constituem os produtos finais de evolução de sedimentos arenosos, apresentando na fração detrítica mais de 95% de quartzo. Sua cor é em geral branca (figura ao lado), podendo ser rósea ou avermelhada (devido ao revestimento de hematita que envolve os grãos). Geralmente são de origem litorânea. ARENITOS ARCOZIANOS OU ARCÓZIOS – Contêm mais de 25% de feldspato de origem detrítica. O arcósio típico é uma rocha de granulação grossa e coloração cinza ou rósea-avermelhada (figura ao lado), esta última atribuída a fragmentos de feldspatos potássicos.
  17. 26. ARENITOS LÍTICOS – São caracterizados por conter mais de 25% de partículas detríticas de fragmentos de rochas, e por ter pouca ou nenhuma matriz. Apresentam em geral cor cinza (figura ao lado) e abundantes partículas líticas, constituídas principalmente de rocha sedimentares (folhelho, siltito, arenito), metamórficas de baixo grau (ardósia, filito, mica-xisto) e ígneas.
  18. 27. Rochas Lutáceas São formadas pela litificação de sedimentos sílticos e, principalmente, argilosos. Compreendem os sedimentos cuja granulação predominante está compreendida nos intervalos de silte (de 0,062 a 0,004mm) e argila (menores que 0,004mm), de acordo com a escala granulométrica de Wentworth (1922).
  19. 28. ARGILITOS – granulação fina, de coloração cinza até preta, amarela, verde ou avermelhada. Os principais constituintes destas rochas são os minerais argilosos (aluminossilicatos). A presença de argila faz com que o sedimento produza o cheiro característico de moringa nova. FOLHELHO – são rochas que possuem grãos de tamanho argila. Diferenciam-se dos argilitos porquê possuem lâminas finas e paralelas esfoliáveis, enquanto os argilitos apresentam as argilas com aspecto mais maciço.
  20. 29. Rochas Lutáceas de grande importância <ul><li>FOLHELHOS CARBONOSOS (FOLHELHOS NEGROS) </li></ul><ul><ul><ul><li>Excepcionalmente ricos em matéria orgânica; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>O folhelho comum possui 1% de matéria carbonosa, os foflelhos negros apresentam entre 3% e 15%; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Ricos em sulfetos, principalmente pirita; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Dificilmente contém fósseis e, quando presentes, constituem uma fauna pobre; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>São formados em condições redutoras e anaeróbicas; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>O Mar Negro e os fundos fiordes atuais (Noruega, Dinamarca, etc.) são ambientes propícios à sedimentação desses depósitos lutáceos; </li></ul></ul></ul>
  21. 30. <ul><li>FOLHELHOS SILICOSOS </li></ul><ul><ul><ul><li>Alto teor de sílica, geralmente superior a 85%; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Outros componentes, tais como, ferro ferroso e os carbonatos, estão ausentes ou são muito raros. </li></ul></ul></ul><ul><li>FOLHELHOS ALUMINOSOS </li></ul><ul><ul><ul><li>Média de 15,4% de Al 2 O 3 e podendo ser denominado de aluminosos quando exceder 22%; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>A origem desses folhelhos não está compreendida, porém acredita-se que folhelhos contendo minerais bauxíticos ou folhelhos ricos em caulinita apresentam essa propriedade. </li></ul></ul></ul><ul><li>FOLHELHOS CALCÍTICOS E MARGAS </li></ul><ul><ul><ul><li>O Conteúdo de CaCO 3 da maioria dos folhelhos é baixo e a média de CO 2 é de 2,63%, que corresponde a 6% de CaCO 3 . </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Marga – É quando os sedimentos argilosos possuem entre 35 3 65% de carbonato de cálcio, formando misturas semifriáveis de materiais argilosos e calcário, tem-se a marga. </li></ul></ul></ul>
  22. 31. EXEMPLOS
  23. 39. Rochas sedimentares piroclásticas <ul><li>Essas rochas resultam da acumulação natural de materiais vulcânicos de explosões e, portanto, possuem origem mista (ígnea e sedimentar). Podem ser subdivididas em: </li></ul><ul><li>Rochas piroclásticas primárias; </li></ul><ul><li>Rochas piroclásticas secundárias. </li></ul>
  24. 40. Rochas piroclásticas primárias São caracterizadas pela presença de ignimbritos . Este tipo de material é formado porque, quando os fragmentos componentes dessas rochas são depositados, parte ainda apresenta-se quente em estado de fusão.
  25. 41. Rochas piroclásticas secundárias Resultam da desintegração, erosão, transporte e sedimentação de rochas piroclásticas. Podem exibir qualquer granulação, mas as mais comuns apresentam granulação fina.
  26. 42. Algumas Rochas piroclásticas primárias Brechas Vulcânicas
  27. 43. Blocos de queda de &quot;tufo de lapilli&quot; - Ribeira do Porco - Boaventura - Madeira Tufos ou tufitos de “lapilli” Tufos - Deserta Grande
  28. 44. Revestimento em “feijoco ou fajoco” (bombas vulcânicas) Rochas vulcânicas - Ribeira Brava - Madeira Tufos ou tufitos vulcânicos

×