Your SlideShare is downloading. ×
Slaid rosam maura gestão escolar
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Introducing the official SlideShare app

Stunning, full-screen experience for iPhone and Android

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Slaid rosam maura gestão escolar

1,214
views

Published on


0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
1,214
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
22
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. D ia!Bom
  • 2. MÓDULO II COMO PROMOVER, ARTICULARE ENVOLVER A AÇÃO DAS PESSOAS NO PROCESSO DE GESTÃO ESCOLAR? Luiz Fernandes Dourado Marisa Ribeiro Teixeira Duarte
  • 3. OBJETIVO GERALContribuir para analisar os desafios,as possibilidades e os limites dasexperiências de gestão democráticae de participação desenvolvidas naescola e no sistema de ensino.
  • 4. OS DESAFIOS DA GESTÃO DEMOCRÁTICA DO ENSINOGestão democrática da escola:•Acolhimento da norma.•Concepção de autonomia – delegada e efetivamenteconstruída na escola.•Democracia e eleição.•O direito a novos direitos - Permanência do alunona escola/acesso à educação básica e ensino dequalidade: atributo da gestão democrática do ensino.•Democracia supõe participação dos iguais.•Formação comum para o exercício da cidadania,progredir no trabalho e em estudos posteriores.•Efetividade das normas legais e realização dajustiça: participação e atribuição deresponsabilidades.
  • 5. OS DESAFIOS DA GESTÃO DEMOCRÁTICA DO ENSINO•Conhecer os seus alunos: um dos princípios da gestãodemocrática – a equipe gestora precisa dar conta disto.•Direito à educação – supõe obrigatoriedade de freqüência.Como articular a ação de pessoas? Escolas Espaços públicos e estataisArticular ações no espaço público e construir ações: democráticas – acolhimento da lei participativas – atividades em equipePromover processos de gestão: com autonomia – formulando objetivos com solidariedade – reconhecendo diferenças
  • 6. Art. 206 – O ensino será ministrado combase nos seguintes princípios:I- igualdade de condições para o acesso epermanência na escola;II- liberdade de aprender, ensinar, pesquisar edivulgar o pensamento, a arte e o saber;III- pluralismo de idéias e de concepçõespedagógicas, e coexistência de instituições públicas eprivadas;IV- gratuidade do ensino público emestabelecimentos oficiais;V- valorização dos profissionais de ensino,garantindo, na forma da lei, planos de carreiras parao magistério público, com piso salarial profissional eingresso, exclusivamente, por concurso público deprovas e títulos, assegurado regime jurídico únicopara todas as instituições mantidas pela união;VI- Gestão democrática do ensino público, na formada lei;VII- garantia de padrão de qualidade.
  • 7. Art. 14 – Os sistemas de ensinodefinirão as normas da gestãodemocrática do ensino público naeducação básica, de acordo com assua peculiaridades e conforme osseguintes princípios:I- participação dos profissionais daeducação na elaboração do projetopedagógico da escola;II- participação das comunidadesescolar e local em conselhosescolares ou equivalentes.Art. 15 – Os sistemas de ensinoassegurarão às unidades escolarespúblicas de educação básica que osintegram progressivos graus deautonomia pedagógica eadministrativa e de gestãofinanceira, observadas as normasgerais de direito financeiro público.
  • 8. POR QUE PROMOVER A GESTÃO DEMOCRÁTICA NAS ESCOLAS PÚBLICAS ? Fundamentos legais dos processos de gestão democrática e de participação nos sistemas de ensino. Desafio do novo Século: tornar realidade os múltiplos sentidos que a palavra democracia nos apresenta. Desafio Atual: como incentivar a ação das pessoas nos processos de gestão escolar. Busca de ações que fortaleçam uma cultura de participação na comunidade escolar. Equipe gestora – necessidade de planejamento – pensar a escola no curto, médio e longo prazos – por ordem de prioridade – definir com a comunidade(demandas) – alinhar com o projeto pedagógico – função social da escola. Habilidade: apreensão abrangente do texto legal e sua aplicação em situações concretas. FOCO DE ESTUDO UNIDADE 1: Relações entre participação, diretrizes legais e o direito à educação - princípios constitucionais para se ministrar o ensino.
  • 9. Conselho vem do latim consilium. Por sua vez,consilium provém do verbo consulo/consulere,significando tanto ouvir alguém quanto submeteralgo a uma deliberação de alguém, após umaponderação refletida, prudente e de bom senso.Trata-se, pois, de um verbo cujos significadospostulam a via de mão dupla: ouvir e ser ouvido.Obviamente a recíproca audição se compõe com over e ser visto e, assim sendo, quando um Conselhoparticipa dos destinos de uma sociedade ou departes destes, o próprio verbo consulere já contémum princípio de publicidade.(CURY, Carlos R. Jamil. Os conselhos de Educação e a agestão de sistemas. In:FERREIRA. NS. S. S.; AGUIAR, M. A.(Orgs) Gestão da educação: impasses, perspectivas ecompromissos. São Paulo: Cortez,2000.
  • 10. O Conselho Escolar é o órgão consultivo,deliberativo e de mobilização mais importantedo processo de gestão democrática na escola.Sua tarefa mais importante é acompanhar odesenvolvimento da prática educativa e, nela,o processo ensino-aprendizagem.
  • 11. Assim, a função do Conselho Escolar éfundamentalmente político-pedagógica. Político, na medida em que estabelece astransformações desejáveis na práticaeducativa escolar. Pedagógica, pois indica os mecanismosnecessários para que essa transformaçãorealmente aconteça.
  • 12. Nesse sentido, a primeira atividade doConselho Escolar é a de discutir e delimitar otipo de educação a ser desenvolvido naescola, para torná-la uma prática democráticacomprometida com a qualidade socialmentereferenciada.
  • 13. AMPARO LEGAL COLEGIADO ESCOLAR• CONSTITUIÇÃO FEDERAL (art. 206/88);• LDB (art. 12- PP, art.14 – C.ESC., art.15 –CURRÍCULO e PP );• LEI Nº 6891/25-07-1996;• DECRETO Nº 6267/ 1997;• PORTARIA Nº 2181/09-04-1997 ( trata-se da estrutura e concepção) ;• DECRETO EST. Nº 7661/19-08-1999(determina data eleição);• PORTARIA Nº 11.64/10-08-2005(estabelece um representante por turno/ escolas de grande porte e porte especial);
  • 14. AMPARO LEGAL GREMIO ESTUDANTIL• CONSTITUIÇÃO FEDERAL (art. 206/88);• LDB (art. 12- PP, art.14 – C.ESC. E GREMIO ESTUDANTIL, art.15 –CURRÍCULO e PP );• LEI FEDERAL Nº 7.398/1985;
  • 15. AMPARO LEGAL GREMIO ESTUDANTIL• Direito é garantido por lei• A lei federal nº 7.398, de 1985, garante a organização de grêmios estudantis como entidades autônomas para representar os estudantes em qualquer escola pública ou particular do país.• Artigo 1º - Aos estudantes dos estabelecimentos de ensino de 1º e 2º graus fica assegurada a organização de grêmios estudantis como entidades autônomas representativas dos interesses dos estudantes secundaristas, com finalidades educacionais, culturais, cívicas, desportivas e sociais.• Inciso 2º - A organização, o funcionamento e as atividades dos grêmios serão estabelecidos nos seus estatutos, aprovados em assembléia geral do corpo discente de cada estabelecimento de ensino convocada para este fim.• Inciso 3º - A aprovação dos estatutos e a escolha dos dirigentes e dos representantes do grêmio estudantil serão realizados pelo voto direto e secreto de cada estudante, observando-se, no que couber, as normas da legislação eleitoral.• Fonte: Folha de São Paulo, 08/11/1999. (SITE SEC/LINK ALUNOS)
  • 16. MOMENTOS CRIAÇÃO GREMIO ESTUDANTIL/ FONTE SITE SEC/LINK ALUNOS
  • 17. COMO PROMOVER ESPAÇOS DE PARTICIPAÇÃO DE PESSOAS E SETORES DA COMUNIDADE NAS ESCOLAS? A gestão democrática do ensino é fortalecida através de ações que promovam, articulem e envolvam as pessoas no processo de gestão escolar. Desenvolvimento das instituições de deliberação coletiva que integram os sistemas de ensino. Processos democráticos de decisão e mecanismos de interação das escolas com a comunidade. A relação de reciprocidade entre escola e comunidade. Habilidade: lidar com interdependências e com demandas diversas e contraditórias na escola – fenômenos sociais; escola – sua relação com o sistema; gestor – sua relação com a comunidade – regulação entre as reivindicações e o modo de proceder. FOCO DE ESTUDO UNIDADE 2: Fortalecimento das instituições coletivas de gestão educacional.
  • 18. COMO CONSTRUIR A AUTONOMIA POLÍTICA NA ESCOLA? Importância das ações coletivas para uma educação de qualidade (ação colegiada). A construção da autonomia da gestão escolar passa pela consciência da identidade e elaboração coletiva do Projeto Político Pedagógico da Unidade escolar. destacar a relação entre a construção do projeto pedagógico e o exercício da autonomia gestão colegiada: procedimentos e estratégias Habilidade: exercício de liderança em ações coletivas (em equipe). FOCO DE ESTUDO UNIDADE 3: O exercício da autonomia está articulado com as dimensões pedagógicas, administrativa, financeira e jurídica.
  • 19. Mãos dadasNão serei o poeta de um mundo caduco.Também não cantarei o mundo futuro.Estou preso à vida e olho meus companheiros.Estão taciturnos mas nutrem grandes esperanças.Entre eles, considero a enorme realidade.O presente é tão grande, não nos afastemos.Não nos afastemos muito, vamos de mão dadas.Não serei o cantor de uma mulher, de uma história,Não direi os suspiros, ao anoitecer, à paisagem vista da janela,Não distribuirei entorpecentes ou cartas de suicida,Não fugirei para as ilhas nem serei raptado por serafins.O tempo é a minha matéria, o tempo presente, os homens presentes, a vida presente. Carlos Drummond de Andrade
  • 20. COMO ESTIMULAR AÇÕES INOVADORAS, CAPAZES DE MODIFICAR O AMBIENTE DE FORMAÇÃO E TRABALHO NAS ESCOLAS? As ações imbuídas de valores e procedimentos democráticos contribuem para superar obstáculos. Desenvolver a organização das escolas e estimular a formação de liderança. Desenvolver novas estratégias de organização dos tempos e do trabalho nas escolas. Ações inovadoras e promoção de lideranças nas escolas. Relações sociais e situações de trabalho nas escolas. Função social da escola: promover mudanças para a superação de uma sociedade desigual. Habilidade: Diagnosticar situações-problema e formular alternativas FOCO DE ESTUDO UNIDADE 4: Diferenciação: políticas de estado – políticas de governo. Relações sociais presentes no cotidiano das escolas e os obstáculos e dificuldades na construção de um trabalho coletivo. Organização dos tempos e do trabalho: incentivo a liderança democrática.
  • 21. GESTÃO COLETIVA FORMAÇÃO E FORMAÇ UNIÃO AÇÕES COLETIVAS PRÁTICA DA PRÁ DEMOCRACIA COMUNIDADE FORMAÇÃO FORMAÇ DIREÇÃO DIREÇ PROFESSORESDA CIDADANIA PRODUÇÃO PRODUÇ DE IDÉIAS IDÉ EDUCANDOS ESCOLA APOIOBUSCA DEALTERNA-ALTERNA- TIVAS ADMINIS- ADMINIS- COORDENAÇÃO TRAÇÃO COORDENAÇ TRAÇ DIVISÃO DE RESPONSA- RESPONSA- ADMINIS- ADMINIS- BILIDADES TRAÇÃO DE TRAÇ CONFLITOS PARTICIPAÇÃO PARTICIPAÇ COLEGIADO